10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]

2,839 views

Published on

Apresentação utilizada no grupo EXPOSITOR CORAGEM.

------------------------

10º SIMCADE – Encontro Capixaba de Divulgadores Espíritas realizado dia 30/10 em Vitória-ES, pelo Departamento Comunicação Social Espírita (DECOM) da Federação Espírita do Estado do Espírito Santo (Feees).

www.feees.org.br/decom


O encontro foi elaborado para abranger 3 grupos de formação e especialização:
EXPOSITOR CORAGEM: Formar novos expositores e também acrescentar base teórica a quem já realiza palestras, coordena estudos evangeliza.
EXPOSITOR DEDICAÇÃO: Especializar quem já tem uma base teórica e quer se aprimorar no uso das ferramentas mais utilizadas (powerpoint, música e vídeo).
EXPOSITOR RESPONSABILIDADE: Especializar quem tem domínio das ferramentas básicas e quer desenvolver mais sua dicção, postura, técnicas avançadas de oratória, contação de histórias e autoavaliação.

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,839
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
137
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

10º SIMCADE | Exposição Espírita - Pesquisa e Organização [Palestra Espírita]

  1. 1. Exposição EspíritaExposição Espírita Pesquisa e OrganizaçãoPesquisa e Organização 10º SIMCADE – Encontro Capixaba de Divulgadores Espíritas 30 de outubro de 2010
  2. 2. O que é uma exposição espírita? Exposição Espírita é comunicação, assim comoExposição Espírita é comunicação, assim como o discurso, a conferência, a aula, o canto, ao discurso, a conferência, a aula, o canto, a conversação.conversação. Instrumento importante para expor umInstrumento importante para expor um pensamento, uma idéia.pensamento, uma idéia. É falar em público e falar ao público. Por isso,É falar em público e falar ao público. Por isso, é uma arte. E toda arte deve merecer seré uma arte. E toda arte deve merecer ser cultivada.cultivada. A prática conduz à perfeiçãoA prática conduz à perfeição..
  3. 3. Importância da exposição espírita? O Espiritismo leva ao progresso intelecto-progresso intelecto- moralmoral do ser humano. Melhorando o indivíduo, pode fazer que haja na Terra maismais solidariedade e pazsolidariedade e paz. Eis porque, todo espírita esclarecido, além de estudar a Doutrina e se beneficiar com suas luzes, também procura divulgá-la.
  4. 4. Finalidade da Exposição Espírita Com a Exposição Espírita podemos: Informar Esclarecer Conscientizar O uso constante de boas palestras espíritas tem favorecido de forma apreciável, a divulgação da Doutrina.
  5. 5. PLANEJAMENTO DA PALESTRAPALESTRA
  6. 6. 1- Escolha do Tema Normalmente preparamos a palestra com o tema solicitado pela Instituição Espírita.
  7. 7. Expositores e dirigentes encontram naturais dificuldades nesse setor. Como a Doutrina é muito ampla, a própria variedade as vezes confunde. Boa parte utiliza a seqüência de “O Evangelho Segundo o Espiritismo” e de “O Livro dos Espíritos”.
  8. 8. O expositor deve acatar sempre o tema fornecido pela instituição que o convidou. As principais fontes de pesquisa e inspiração do expositor espírita estão nos slides a seguir:
  9. 9. Obras da Codificação
  10. 10. A Bíblia
  11. 11. Clássicos C. Flamarion Léon Denis Ernesto Bozzano G. Delane
  12. 12. Atuais
  13. 13. Literatura em Geral Literatura universal; Autores espiritualistas Com cuidado Fatos Históricos Biografias de grandes personalidades
  14. 14. Temas Circunstanciais Aniversário da casa Natal Dia do livro espírita Diante de uma catástrofe Um fato que tenha destaque na mídia
  15. 15. 2- Pesquisa Bibliográfica Realizar busca em bibliografia espírita ou não, desde que idônea, do tema a enfocar, selecionando textos e páginas.
  16. 16. A Pesquisa nas Obras Básicas OUTRAS OBRAS 1ª Parte: Das causas primárias 2ª Parte: Do mundo espírita 3ª Parte: Das leis morais 4ª Parte: Das esperanças e consolações A GÊNESE O LIVRO DOS MÉDIUNS EVANGELHO SEG. O ESPIRISMO O CÉU E O INFERNO O LIVRO DOS ESPÍRITOS
  17. 17. Outras Obras de Allan Kardec:Outras Obras de Allan Kardec:
  18. 18. Pesquisa na bibliografia disponível Selecionar textos a serem posteriormente estudados No índice Encontrada a referência irá ao texto e lerá O primeiro parágrafo As primeiras palavras de cada parágrafo subseqüente O último parágrafo
  19. 19. O expositor deverá: Consultar O Livro dos Espíritos Recorrer à obra correspondente Consultar o índice das demais obras da codificação Utilizar obras de referência: dicionários e enciclopédias, boletins bibliográficos Pesquisar histórias, relatos, dados estatísticos, etc.
  20. 20. ESPIRITISMO DEESPIRITISMO DE AA AA ZZ Contém 2.162 vocábulos com,Contém 2.162 vocábulos com, aproximadamente, 10.000aproximadamente, 10.000 definições e conceitosdefinições e conceitos contidas em 310  obrascontidas em 310  obras espíritas publicadas pela FEB,espíritas publicadas pela FEB, escolhidas criteriosamente.escolhidas criteriosamente. Obras de Referência
  21. 21. Definições EspíritasDefinições Espíritas Elaborado por Kardec, apresenta 150Elaborado por Kardec, apresenta 150 verbetes utilizados nas Obras Básicas.verbetes utilizados nas Obras Básicas. Cada verbete é elucidado quanto à suaCada verbete é elucidado quanto à sua origem etimológica, o seu significadoorigem etimológica, o seu significado no contexto espírita e uma breveno contexto espírita e uma breve explicação quanto ao assuntoexplicação quanto ao assunto examinado. Notas complementares deexaminado. Notas complementares de Lamartine Palhano Jr.Lamartine Palhano Jr. Obras de Referência
  22. 22. Vade Mecum ESPÍRITAVade Mecum ESPÍRITA Luís P. Guimarães catalogouLuís P. Guimarães catalogou 1.956 assuntos em 491 obras1.956 assuntos em 491 obras espíritas e organizou esteespíritas e organizou este livro, fonte de pesquisa paralivro, fonte de pesquisa para oradores, divulgadores,oradores, divulgadores, livrarias etc.livrarias etc. Obras de Referência
  23. 23. Prontuário de ANDRÉ LUIZProntuário de ANDRÉ LUIZ Trabalho de pesquisa sobre asTrabalho de pesquisa sobre as obras de André Luiz. Relacionaobras de André Luiz. Relaciona mais de 2000 indicações pormais de 2000 indicações por assunto e tema. Informa sobreassunto e tema. Informa sobre as obras do autor em que seas obras do autor em que se pode encontrar os temaspode encontrar os temas desejados.desejados. Obras de Referência
  24. 24. 3- Estudo Metódico Estudar, metodicamente, as páginas escolhidas, selecionando as idéias que podem servir para a palestra.
  25. 25. Colhendo Idéias Técnica do Fichamento indicar nome da obra, autor, editora e a data da edição indicar o assunto anotar: resumo (*) esquema transcrição (“”) idéias pessoais (//)
  26. 26. Estudar as páginas escolhidas Estudar é pensar, não apenas ler ou memorizar. Paulo, o apóstolo, recomendou “ler tudo e reter o que for bom” (Tessalonicenses, 5:21), ao adentrar o espírita ao ato de estudar. Será preciso, mais do que entender ou reter palavras, analisar e criticar o texto, de maneira a separar o “joio do trigo”, conforme ensinou Jesus.
  27. 27. Técnicas de Leitura LEITURA REPETIDA LEITURA SUBLINHADA LEITURA COM RESUMO LEITURA COMENTADA
  28. 28. Folha de Idéias Folha em branco onde anotamos todas as idéias para compor, no momento seguinte nosso roteiro de palestra.
  29. 29. 4- Formular a Idéia Mãe Formulação da idéia mãe, definindo a abordagem, que o tema receberá na exposição.
  30. 30. Idéia Mãe É um pensamento único, expresso numa frase simples clara e direta, que resuma a essência do que se quer provar ou demonstrar através da palestra inteira. Em torno dela e/ou em direção a ela se encaminharão todos os assuntos e ilustrações.
  31. 31. Importante IDÉIA MÃE ≠ TEMA
  32. 32. 5- Escrita da Palestra Esboçar e escrever a palestra, prevendo introdução, desenvolvimento e conclusão, tendo em vista a finalidade de cada uma dessas partes.
  33. 33. Estrutura de uma Exposição Doutrinária PARTESPARTES
  34. 34. Introdução (INÍCIO) - Trata-se da abertura, da preparação, onde se inclui a saudação e, se for o caso, as explicações sobre a natureza do trabalho, do tema e assim por diante. Momento da “venda” da imagem.
  35. 35. Desenvolvimento (MEIO) - Onde se aborda tudo sobre o assunto em foco. É a exposição do tema propriamente dito.
  36. 36. Conclusão (FIM) - É o encerramento, onde a idéia central é realçada para ser fixada pelo público.
  37. 37. A Exposição Doutrinária Tratando-se de divulgação da Doutrina Espírita, recomenda-se ainda a observação de que a exposição deve ser simples,simples, objetiva, dinâmica e, sobretudo,objetiva, dinâmica e, sobretudo, útil.útil.
  38. 38. Exposição – Tempo INTRODUÇÃO - 15% (9’) a (5’) captar a atenção; resumo do que vai dizer. APRESENTAÇÃO - 75% (45’) a (35’) pontos principais; ordenação lógica; sustentação. CONCLUSÃO - 10% (6’) a (5’) recapitulação: afirmação memorável.
  39. 39. Exposição EspíritaExposição Espírita Pesquisa e OrganizaçãoPesquisa e Organização

×