Eslaide Fundamentos Do Conhecimeno Psic Desenv Enade

8,382 views
8,309 views

Published on

Conteúdo Matéria 7 ª Serie

Published in: Education, Travel
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,382
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
178
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Eslaide Fundamentos Do Conhecimeno Psic Desenv Enade

  1. 1. <ul><li>PROFESSOR: DAVID PEREIRA VALENÇA </li></ul><ul><li>DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DO CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO HUMANO </li></ul><ul><li>TEMÁTICA: DESENVOLVIMENTO HUMANO: FUNDAMENTOS, TEORIAS E PESQUISA </li></ul>
  2. 2. NOTA INTRODUTÓRIA <ul><li>Desenvolvimento </li></ul><ul><li>Palacios (1995) refere-se aos processos de mudanças psicológicas que ocorrem nas pessoas ao longo de sua vida humana. As mudanças que interessam aos psicólogos do desenvolvimento são aquelas que se relacionam: </li></ul><ul><li>Aos processos de desenvolvimentos das pessoas; </li></ul><ul><li>Aos seus processos e crescimento e; </li></ul><ul><li>As suas experiências vitais significantes. </li></ul>
  3. 3. FATORES <ul><ul><li>Três grandes fatores se relacionam com essas mudanças: </li></ul></ul><ul><li>A etapa da vida em que a pessoa se encontra; </li></ul><ul><li>As circunstâncias culturais, históricas e sociais nas quais sua existência transcorre e; </li></ul><ul><li>As experiências particulares privadas de cada um e não generalizáveis as outras pessoas. </li></ul>
  4. 4. Grandes linhas teóricas da psicologia do desenvolvimento <ul><ul><li>J. Locke (1632-1704) </li></ul></ul><ul><ul><li>Empirista/mecanicista; </li></ul></ul><ul><ul><li>Tabula rasa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Influencia ainda hoje algumas correntes da psicologia do desenvolvimento, como a condutista. </li></ul></ul><ul><ul><li>Rousseau (1712-1778) </li></ul></ul><ul><ul><li>Inatismo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Primeiro a apresentar uma divisão de infância em estágios; </li></ul></ul><ul><ul><li>Influencia a corrente organicista da psicologia do desenvolvimento. </li></ul></ul>
  5. 5. TEORIA DO CICLO VITAL <ul><li>Fundamentos </li></ul><ul><li>Critica os modelos mecanicista e organicistas; </li></ul><ul><li>Concebe o desenvolvimento de forma menos restrita que as concepções tradicionais, mais sensíveis aos aspectos evolutivos que a mecanicista, mais sensível à influência do meio que a organicista, mais preocupada com o papel da cultura; </li></ul><ul><li>Lança um novo olhar acerca do desenvolvimento humano; </li></ul><ul><li>Compreende que todas as etapas do desenvolvimento humano são importantes. </li></ul>
  6. 6. Concepção sobre desenvolvimento em psicologia Piaget: aprendizagem segue-se ao desenvolvimento James: a aprendizagem é o desenvolvimento D  A D A D
  7. 7. Thorndike: o desenvolvimento é a soma das aprendizagens específicas Koffka: O desenvolvimento é a interação entre maturação e aprendizagem, transferidos ao nível geral A1 A2 A3 A4 A5 A1 A2 A4 A3 A5 D M A D
  8. 8. Vygotsky: o desenvolvimento segue-se à aprendizagem, que cria a área de desenvolvimento potencial com ajuda da mediação social e instrumental. D-R ZDP D Aprendizagem dentro da ZDP
  9. 9. TRÊS MODELOS DESENVOLVIMENTO <ul><li>FREUD - PSICOSSEXUAL </li></ul><ul><li>PIAGET- COGNITIVO </li></ul><ul><li>VYGOTSKY – HISTÓRICO-SOCIAL </li></ul>
  10. 10. FREUD Prazer derivado das relações sexuais cm companheiros . Genital 12º Com a repressão temporária dos interesses sexuais, o prazer deriva do mundo externo, da curiosidade, do conhecimento etc., como gratificações substitutas. Latência 6º - 12º anos Prazer derivado da estimulação genital e fantasias associadas. Complexo de Édipo: interesse sexual do menino pela mãe e da menina pelo pai. Fálica 3º - 5º anos Prazer derivado da retenção e expulsão das fezes e também do controle muscular. Anal 2º anos Prazer derivado dos lábios e bocas: sugar, comer, chupar o dedo, morder. Oral 1º ano Fonte de prazer Fase Idade Fases do desenvolvimento psicossexual, segundo a psicanálise
  11. 11. PIAGET Desenvolvimento da capacidade para construir sistemas e teorias abstratos, para formar e entender conceitos de amor, justiça democracia, etc., do pensamento concreto, sobre coisas, para o pensamento abstrato, hipotético-dedutivo, isto é, o indivíduo se torna capaz de chegar a conclusões a partir de hipóteses. Das operações formais 12 anos em diante Desenvolvimento do pensamento lógico sobre coisas concretas; compreensão das relações entre coisas e capacidade para classificar objetos; superação do egocentrismo da linguagem; aparecimento das noções de conservação de substância, peso e volume. Das operações concretas 7 – 12 anos Desenvolvimento da linguagem, com três conseqüências para a vida mental: a) socialização da ação, com trocas entres os indivíduos; b) desenvolvimento do pensamento; c) finalismo (porquês) e c) desenvolvimento da intuição. Pré-operatório 2 – 7 anos Desenvolvimento da consciência do próprio corpo, diferenciado do restante do mundo físico. Desenvolvimento da inteligência em três estágios: reflexos de fundo hereditário, organização das percepções e hábitos e inteligência prática. Sensório-motor 0 – 2 anos Características Período Idade Fase do desenvolvimento segundo Piaget
  12. 12. ZDP ANTES DA MEDIAÇÃO VYGOTSKY Z D P
  13. 13. ZDP APÓS MEDIAÇÃO Z D P
  14. 14. Processos e métodos básicos de pesquisa <ul><li>Segundo Palacios (1995), os psicólogos do desenvolvimento dispõem de uma variedade de recursos metodológicos de pesquisa, tais como: </li></ul><ul><li>Observação </li></ul><ul><li>Experimentação </li></ul><ul><li>Estudos prolongados de casos individuais </li></ul>
  15. 15. MÉTODOS DE PESQUISA EM PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO <ul><ul><li>Longitudinal </li></ul></ul><ul><li>Transversal </li></ul><ul><li>Seqüencial </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Etológica </li></ul><ul><li>Ambientalista (Ecológica) </li></ul><ul><li>Cognitivo-evolutiva, processamento da informação </li></ul><ul><li>Histórico-cultural </li></ul>ENFOQUES CONTEMPORÂNEOS EM PESQUISA DO DESENVOLVIMENTO
  17. 17. <ul><li>Reconceitua a noção ambiente de adaptação; </li></ul><ul><li>Ressalta a conexão do desenvolvimento da espécie (filogênese) com o desenvolvimento do indivíduo (ontogênese). </li></ul><ul><li>Destaca a importância das investigações que buscam seus dados na observação da conduta no meio em que se produz, embora não deixem de recorrer a outros procedimentos de estudos. </li></ul><ul><li>Pratica estudos naturalistas, ou seja, tratam de observar os fatos da forma como são produzidos naturalmente, procurando afetá-los o mínimo possível pelo fato de estudá-lo. </li></ul><ul><li>Principais temas pesquisados: Interação social criança-crianca, agressividade, Brincadeiras. </li></ul>ETOLÓGICA
  18. 18. AMBIENTALISTA (ECOLÓGICA) <ul><li>Considera a multiplicidade de influências que recaem sobre a criança e o adolescente ao longo de seu desenvolvimento; </li></ul><ul><li>Todos que fazem parte do ciclo de convívio da criança afeta no seus desenvolvimento e não apenas mãe; </li></ul><ul><li>Entende que os sujeitos se afetam num sentido bidirecional; </li></ul><ul><li>Principais temas pesquisados: Fatores que determinam o desenvolvimento social da criança. </li></ul>
  19. 19. COGNITIVO-EVOLUTIVA, PROCESSAMENTO DA INFORMAÇÃO <ul><li>As mais ativas e produtivas na década de oitenta; </li></ul><ul><li>Estas perspectivas se adentrou profundamente no estudo de processos cognitivos básicos tais como a percepção, a atenção, a memória, o raciocínio, a resolução de problemas, etc. </li></ul><ul><li>Principais temas pesquisados: percepção, crenças. </li></ul>
  20. 20. HISTÓRICO-CULTURAL <ul><ul><li>Tem ganhado muito destaque nos últimos anos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Ressalta o papel histórico e culturalmente mediado; </li></ul></ul><ul><ul><li>A criança recebe dos que a cercam uma série de instrumentos e estratégias psicológicas, dos quais vai se apropriar através de um processo de internalização; </li></ul></ul><ul><ul><li>A linguagem é um poderoso recurso instrumental que reflete a realidade e permite refletir sobre a mesma. </li></ul></ul><ul><ul><li>A construção do psiquismo vai do social ao individual, do interpessoal ao intrapessoal. </li></ul></ul><ul><li>Temas de pesquisa: interação social. </li></ul>
  21. 21. Palavra Final <ul><li>O SER HUMANO É COMPOSTO POR ASPECTOS BIOPSICOSSOCIAL. ASSIM, QUALQUER ANÁLISE ACERCA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DEVE TER COM PARÂMETRO ESSAS TRÊS DIMENSÕES, DO CONTRÁRIO, CORREMOS SÉRIOS RISCO DE FRAGMENTAR O SUJEITO. </li></ul>
  22. 22. VEJAMOS ALGUMAS QUESTÕES DOS ÚLTIMOS PROVÕES
  23. 23. Segundo Jean Piaget, o sujeito epistêmico é <ul><li>o sujeito em si, independente do objeto. </li></ul><ul><li>(B) determinado pelo objeto, no decorrer do desenvolvimento. </li></ul><ul><li>(C)) o que é comum a todos os sujeitos do conhecimento. </li></ul><ul><li>(D) idêntico ao sujeito transcendental kantiano. </li></ul><ul><li>(E) cada sujeito do conhecimento, tomado individualmente. </li></ul>
  24. 24. O conceito de &quot;zona de desenvolvimento proximal&quot;, de Vygotsky, traz conseqüências relevantes para a escolarização, permitindo afirmar que o bom ensino <ul><li>se pospõe ao desenvolvimento e o professor só deve agir quando solicitado pela criança. </li></ul><ul><li>(B)) se antecipa ao desenvolvimento e o professor tem um papel primordial no auxílio à criança. </li></ul><ul><li>(C) é simultâneo ao desenvolvimento e o professor só auxilia a criança a partir de situações-problema. </li></ul><ul><li>(D) se pospõe ao desenvolvimento e o auxilio do professor está condicionado a bons resultados em testes de desenvolvimento. </li></ul><ul><li>(E) se antecipa ao desenvolvimento e o professor deve atuar quando solicitado pela criança </li></ul>
  25. 25. Segundo Jean Piaget, a &quot;função semiótica&quot; refere-se à Capacidade <ul><li>(A) inata da criança para representar objetos ausentes por meio de símbolos, isto é, significados análogos aos seus significantes. </li></ul><ul><li>(B)) adquirida pela criança para representar objetos ausentes, por meio de símbolos ou signos, isto é, significados diferenciados de seus significantes. </li></ul><ul><li>(C) adquirida pela criança para representar objetos ausentes, por meio de índices, isto é, significados diferenciados de seus significantes. </li></ul><ul><li>(D) inata da criança para representar objetos ausentes, por meio de signos, isto é, significados análogos aos seus significantes. </li></ul><ul><li>(E) adquirida pela criança para representar objetos ausentes, por meio de sinais presentes no processo imitativo. </li></ul>
  26. 26. As relações entre pensamento e linguagem são um tema dominante no âmbito dos trabalhos de L.S. Vygotsky. De acordo com sua perspectiva teórica, é correto afirmar que <ul><li>(A) o desenvolvimento do pensamento processa-se por uma gradual socialização dos estados mentais mais íntimos, sendo o discurso egocêntrico anterior ao discurso social. </li></ul><ul><li>(B) o discurso egocêntrico diminui conforme a criança constrói o pensamento lógico, já que é uma expressão do pensamento egocêntrico anterior. </li></ul><ul><li>(C) o movimento evolutivo inicia-se pelo desenvolvimento do pensamento e da fala egocêntrica para chegar, apenas posteriormente, à fala social. </li></ul><ul><li>(D)) as funções primordiais da linguagem são a comunicação e o contato social, sendo que a fala mais primitiva das crianças é uma fala essencialmente social. </li></ul><ul><li>(E) a fala socializada expressa o desenvolvimento do pensamento lógico e não é a causa desse desenvolvimento. </li></ul>
  27. 27. Considerando a epistemologia genética de Jean Piaget, são critérios para definir os estágios da inteligência: <ul><li>(A) as estruturas de conjunto são, em cada nível, a soma das estruturas dos níveis anteriores. As estruturas de nível inferior não participam da estrutura de conjunto do nível seguinte. </li></ul><ul><li>(B) as novas estruturas recém-construídas para cada estágio substituem as do nível anterior. A estrutura de conjunto do novo estágio é responsável apenas pelas novas construções e não tem relação com as estruturas anteriores. </li></ul><ul><li>(C) as estruturas de conjunto dependem exclusivamente do equilíbrio entre assimilação e acomodação, somente no estágio mais avançado. A nova estrutura de conjunto substitui a estrutura de conjunto do estágio anterior. </li></ul><ul><li>(D)) há uma estrutura de conjunto em cada estágio, responsável pela organização da atividade e do conhecimento do sujeito. A relação entre uma estrutura de nível superior e as de nível inferior é de integração. </li></ul><ul><li>(E) as novas estruturas no novo estágio não necessitam das estruturas dos níveis anteriores para funcionar. A estrutura de conjunto organiza, no novo nível, somente as novas construções efetuadas pelo sujeito. </li></ul>
  28. 28. Vygotsky analisa a relação entre aprendizagem e desenvolvimento. O autor considera que a melhor definição para esta relação é: <ul><li>aprendizagem e desenvolvimento são processos independentes, que ocorrem em paralelo, ou seja, aprendizagem não participa ativamente no processo de desenvolvimento da criança. </li></ul><ul><li>(B) aprendizagem e desenvolvimento são processos absolutamente dependentes, isto é, aprendizagem é desenvolvimento. </li></ul><ul><li>(C) aprendizagem e desenvolvimento são processos ora dependentes, ora independentes, o que implica uma teoria dualista de desenvolvimento infantil. </li></ul><ul><li>(D) o processo de desenvolvimento é posterior ao processo de aprendizagem, não havendo qualquer relação desses processos com a área de desenvolvimento potencial da criança. </li></ul><ul><li>(E)) o processo de desenvolvimento não coincide com o processo de aprendizagem; o processo de desenvolvimento segue o processo de aprendizagem, criando a área de desenvolvimento potencial. </li></ul>
  29. 29. Jean Piaget elaborou um método de investigação do desenvolvimento infantil denominado método clínico experimental. Este método consiste basicamente em <ul><li>(A) estudo detalhado e sistemático da personalidade da criança, analisando as etapas de desenvolvimento infantil: período sensório-motor, pré-operatório e operatório. </li></ul><ul><li>(B) um estudo preliminar da lógica infantil, possibilitando a divisão do desenvolvimento em etapas, a saber: pré-operatória, operatória concreta e formal. </li></ul><ul><li>(C)) estudo detalhado e sistemático da percepção e da lógica infantis com especial destaque ao processo de equilibração. </li></ul><ul><li>(D) conjunto de provas e testes de mensuração da inteligência infantil, com objetivo de classificar as crianças em diferentes grupos: sensório-motor, pré-operatório, operatório concreto e operatório formal. </li></ul><ul><li>(E) conjunto de provas classificatórias e operatórias de avaliação de desempenho da criança para atender as demandas educacionais. </li></ul>

×