• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Harvard questões curriculares
 

Harvard questões curriculares

on

  • 716 views

 

Statistics

Views

Total Views
716
Views on SlideShare
389
Embed Views
327

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

3 Embeds 327

http://pcandreara.blogspot.com.br 292
http://educacaoapoio.blogspot.com.br 32
http://pcandreara.blogspot.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Harvard questões curriculares Harvard questões curriculares Document Transcript

    • ArtigoC UR R Í C U L OEducação geral naUniversidade Harvard: aatual reforma curricularPUBLICADO ORIGINALMENTE NO LIVRO UNIVERSIDADE E CURRÍCULO: PERSPECTIVAS DEEDUCAÇÃO GERAL (EDITORA MERCADO DE LETRAS, CAMPINAS, 2010, ORGANIZADO PELA AUTORA)Por Elisabete Monteiro de Aguiar PereiraProfessora livre docente da Faculdade de Educação da Unicamp (FE). Mestre pela Universidadede Sheffield (Inglaterra) e doutora pela FE. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisas emEducação Superior e coordenadora associada do programa de pós-graduação da FE. Foi assessora dapró-reitoria de graduação da Unicamp entre 1998 e 2002N este texto apresentamos a estrutura- A UNIVERSIDADE E A ATUAL ção básica da atual reformulação cur- REFORMA CURRICULAR ricular da Universidade Harvard cujas O processo de reforma curricular da Universi-discussões iniciaram-se no ano de 2002, dade Harvard iniciou-se quando seu então reitor,com implantação em 2007. A universidade Lawrence H. Summers, num discurso pronun-empreendeu a reestruturação curricular por ciado em 2001, solicitou ao corpo docente dameio de um processo democrático de discus- Faculdade de Artes e Ciências (FAS)[1] prioridadesão entre os quatro principais grupos que a para “pensar cuidadosamente sobre o que nóscompõem: professores, alunos, ex-alunos e ensinamos, sobre como ensinamos, reconhe-administração. Harvard é uma universidade cendo que cada currículo, curso de estudos oude grande relevância no cenário da educação forma pedagógica pode sempre ser melhorada”superior no mundo e a intenção de apresen- (J.H.J. - John Harvard’s Jounal, 2002, p. 55). Otar sua reformulação foi a de deixar explícitas objetivo do reitor era desencadear, no procedi-as ênfases curriculares tidas como as mais mento de revisão curricular que ocorre na Uni-adequadas para a formação do estudante univer- versidade Harvard de cinco em cinco anos, umsitário para o tempo presente. comprometimento alicerçado, segundo ele, “na Priorizamos na análise conhecer os princí- importância de abraçar as mudanças, de correrpios e objetivos dos aspectos curriculares tidos riscos e de manter a Universidade Harvard jo-como relevantes nessa reformulação e apre- vem” (J.H.J. p. 56).sentamos o contexto que fomentou o processo A afirmação de Summers - buscar por meiode reformulação e os desafios que a Universi- da revisão curricular manter Harvard sempredade Harvard considerou imprescindível enfren- jovem, tem sido, na visão de Gomes (2006, p.tar para uma adequada formação do estudante 4), o dinâmico esforço de administrações paranos primeiros 25 anos deste milênio. planejar formas efetivas de avançar e atualizar a educação que a universidade desenvolve no sentido de “encontrar as necessidades de uma[1] Faculdade de Artes e Ciências (FAS) é a unidade responsável pelaformação geral de todos os estudantes. sempre mutável ideia de sociedade próspera”. Revista Ensino Superior Unicamp 55
    • Artigo É tradição na Universidade Harvard que as cializada, o de formação geral busca trabalhar revisões curriculares sejam desencadeadas por conhecimentos amplos que permitam aos estu- estímulo de seus reitores. Tomando apenas o sé- dantes uma visão ampliada das questões sociais, culo XX, a Universidade teve cinco grandes refor- culturais, biológicas e físico-naturais. Sobre esse mulações no período de famosos reitores como amplo conhecimento é que é desenvolvida a for- Charles W. Eliot (de 1869 a 1909), Laurence mação específica. Lowell (de 1909 a 1933), James B. Conant (de 1933 a A preocupação com a formação geral do estu- 1953) e Derek C. Bok (de 1971 a 1991). É importante dante é tradição em muitas universidades (ingle- realçar que as reformulações curriculares empreen- sas, americanas e australianas principalmente). didas, além de buscar manter a universidade atualiza- As atividades curriculares desenvolvidas para da, colocavam para os professores a necessidade de essa formação modificam-se de época em época, refletir sobre a diferença da mudança na formação do buscando responder às mudanças do entendi- estudante. Esse procedimento trazia para os professo- mento do que é ser um indivíduo educado para res a responsabilidade da discussão sobre o currículo aquele determinado tempo histórico. Para Dahl em desenvolvimento, a necessidade de interação en- (1979), a diferença entre um indivíduo educado tre eles, a importância de refletir sobre cada aspecto e outro não educado está no grau de compreen- a ser reformulado e o entendimento das finalidades são das questões do mundo presente, tanto no da direção pretendida pelas alterações propostas contexto próprio de sua vida como nos contextos ao currículo. sociais, culturais, econômicos e políticos mais O currículo que a FAS vinha desenvolvendo amplos. O que integra um currículo de formação foi estabelecido em 1978, no período do reitor geral também não é o mesmo em toda instituição Derek Bok. Apesar de passar por revisões peri- de educação superior, e cada instituição determi- ódicas, seu núcleo curricular (core curriculum) na o que deve ser desenvolvido. não havia sofrido alteração. Em Harvard, e em al- Harvard teve algumas alterações substan- gumas universidades americanas, todo estudan- -ciais na estruturação curricular durante o te recebe uma formação geral antes de iniciar os século XX. Charles W. Eliot, no seu longo perí- estudos de uma área de especialidade. O objetivo odo como reitor, da segunda metade do sécu- da formação geral é dar aos estudantes uma pre- lo XIX até a primeira década do XX (de 1869 a paração cultural como base fundamental para 1909, 40 anos), foi quem transformou Harvard atuar como cidadão-profissional. Ao contrário em uma universidade moderna de pesquisa dos currículos de cursos estritamente profissio- segundo o modelo alemão da universidade nalizantes e que objetivam uma formação espe- humboldtiana[2] e introduziu os cursos eletivos. O objetivo do reitor Lawrence Summers foi desencadear na revisão que ocorre de 5 em 5 anos um comprometimento alicerçado na importância de abraçar mudanças, correr riscos e manter Harvard jovem56 Revista Ensino Superior Unicamp
    • Segundo o core curriculum, um indivíduo educado não pode ser ignorante sobre outras culturas e culturas de outros tempos e deve ser capaz de pensar e escrever clara e efetivamenteLaurence Lowell sucedeu Eliot por um período de efetivamente24 anos (de 1909 a 1933) e introduziu os cursos ser capaz de uma apreciação crítica sobre asrelacionados aos estudos de “concentração” em formas de adquirir e aplicar conhecimento,uma área de conhecimentos especializados[3]. sobre o entendimento do universo, daJames B. Conant foi reitor no período de 1933 sociedade e de si mesmoa 1953 e empreendeu uma grande reformula- ter um julgamento informado que o capacite ação curricular publicada no famoso livro General fazer escolhas criteriosasEducation in a Free Society, mais conhecido não ser ignorante sobre outras culturas ecomo Red Book[4]. No período em que Derek culturas de outros temposC. Bok foi reitor, entre 1971 e 1991, foi esta- alcançar conhecimento aprofundado em umbelecido o core curriculum como referência campo de conhecimentopara as atividades curriculares de formaçãogeral na graduação - dentre elas a participa- Segundo Pereira (2000), o propósito dessação dos estudantes em programas de serviços organização curricular foi assegurar que todos ospúblicos. Em 1990, mais de 60% dos estudan- estudantes, independentemente de seu campotes estavam desenvolvendo alguma atividade de concentração, adquirissem conhecimentos,nessas instituições. habilidades e hábitos de pensamento para uma O núcleo curricular foi descrito por Dahl (1979) apreciação crítica dos modos de conhecimentocomo mais enfático no domínio do pensamento do existentes, de como os conhecimentos são cria-que no de conteúdos disciplinares. Com base nes- dos, como são usados e o que o conhecimentose entendimento foi delineado o que um estudante pode significar para o indivíduo pessoalmente.deveria desenvolver para assegurar as condições No entendimento de Rudder (1997) o núcleobásicas de um indivíduo educado para o final do curricular buscava expor os estudantes a váriasséculo XX: formas de obter e aplicar conhecimentos. Para Segundo o core curriculum, um indivíduo Ruder (1997, p.1), o core curriculum “abraça aeducado deve: crença de que educação geral e educação espe- ser capaz de pensar e escrever clara e cializada têm importante papel em desenvolver o[2] Em 1810 Humboldt organiza a Universidade de Berlim com um projeto diferenciado das universidades medievais, dando origem à universidade moderna,estabelecida na integração de ensino e pesquisa.[3] Em outras universidades americanas, esse conjunto de cursos de estudos é conhecido por "major" . Major é definido como o núcleo de estudos que oestudante faz em uma área que será a mais forte em sua formação. Da mesma forma, o estudante pode ter uma segunda área de concentração de estudoscom menor número de cursos e que é determinada por "minor".[4] Para um melhor entendimento desse período e dessas reformas ler o capítulo "Modelos de Educação Geral na Experiência Universitária Americana ", deJosé Camilo dos Santos Filho, em Universidade e Currículo: perspectivas de educação geral.[5] "Modelos de Educação Geral na Experiência Universitária Americana", de José Camilo dos Santos Filho, traz uma completa análise do papel dos docentesna discussão e desenvolvimento curricular. Revista Ensino Superior Unicamp 57
    • Artigo poder mental de homens e mulheres educados”. instituição (e não apenas por uma comissão desig- O processo da atual revisão curricular, desen- nada para esse fim), pois é evidente a importância cadeado por Summers, começou por dois procedi- que os docentes assumem na sua dinamização[5]. mentos: revisão dos requisitos que os professores julgavam necessários estarem contemplados no núcleo curricular dos cursos, e tomar as decisões para garantir o oferecimento daquilo que consi- D a mesma forma que Summers, entendemos que a discussão sobre questões curriculares é uma das formas pelas quais os docentes adqui- deravam aspectos essenciais para uma formação rem um maior entendimento da importância e da atualizada. O atual processo de reestruturação responsabilidade para com o processo de forma- curricular representa o mais completo em 30 ção dos estudantes. Debater questões curricula- anos, pois não apenas alterou partes ou aspectos res entre colegas que compõem o corpo docente curriculares, mas imprimiu um novo e amplo en- de uma instituição é uma prática que ocorre em tendimento do que é ser educado para as primei- poucas universidades brasileiras. A prática nunca ras décadas deste século XXI. À preocupação em foi incentivada no período em que a educação su- manter Harvard sempre jovem somou-se a pre- perior estava regida pela legislação autoritária (lei ocupação de delinear as atuais necessidades da 5540 ou Lei da Reforma Universitária de 1968). sociedade e dos cidadãos de um tempo histórico O longo período de centralização e autoritarismo marcado, entre outros fenômenos, por um mundo governamental deixou marcas profundas na di- de comunicação em tempo real, pela integração nâmica da educação superior e a atual LDB (Lei das culturas, pelas necessidades humanas glo- 9394/96) pouco tem estimulado tais debates, bais, pelo cuidado com o meio ambiente e pelas uma vez que a discussão curricular que solicita novas formas de produção de conhecimento. às instituições deve ser norteada por aquilo que Para Summers (Harvard, 2004), uma revisão estabelecem as Diretrizes Curriculares. curricular está assentada na discussão empreendi- O processo de reformulação curricular da da por um corpo docente ativo e atuante. Para ele, Universidade Harvard foi desenvolvido através são os professores os responsáveis por pensar uma de discussão em quatro grupos de trabalho te- forma de, conjuntamente, melhorar o ensino e a máticos compostos por estudantes de graduação, cultura acadêmica. Summers afirma que os docen- docentes e egressos, assegurando uma forma de tes devem sempre considerar que a maior obriga- participação democrática e ativa. Inicialmente as ção ética que têm é a de fazer um bom e consciente discussões tiveram o propósito de definir o que trabalho no processo de ensino (Harvard, 2004). significava “ser educado” no atual tempo histó- Essas colocações apontam que, para ser efetiva rico. O entendimento da necessidade de discu- uma reestruturação curricular, é imprescindível tir esse tema parece ser uma tradição quando se ocorrer uma discussão entre o corpo docente da deseja uma reestruturação curricular. O resultado A atual reestruturação curricular representa a mais completa em 30 anos: imprimiu um novo e amplo entendimento do que é ser educado para as primeiras décadas do século XXI58 Revista Ensino Superior Unicamp
    • A discussão sobre questões curriculares é uma das formas pelas quais os docentes adquirem um maior entendimento da responsabilidade pela formação dos estudantesdessa discussão e da amplitude intencionada pela na educação que provemos aos estudantes norevisão gerou grande interesse dos grupos partici- Harvard College[6]? Os princípios estabelecidospantes, direcionando as reflexões para o que es- tiveram o seguinte entendimento:tava dando certo e deveria ser conservado, paraos valores que deveriam ser preservados e para o a Universidade busca graduar indivíduosque deveria ser beneficiado com uma mudança. amplamente educados, ainda que os encoraje Os quatro grupos de trabalho estavam volta- a desenvolver uma mais profunda compreensãodos para quatro áreas temáticas: educação geral, de um ou outro campo, isto é, assegurar queestudos concentrados, pedagogia e experiência os estudantes não se superespecializemacadêmica. Todas as ideias e considerações dos prematuramente, nem que tratem as questõesgrupos de trabalho foram apresentadas e debati- da área específica sem as devidas relaçõesdas com toda a comunidade acadêmica durante com as demais áreas do conhecimento.os quatro anos do processo de reestruturação a Faculdade de Artes e Ciências (FAS) deve(esse tempo extrapolou o inicialmente previsto exercer sua responsabilidade em definir o quepor Summers). os estudantes precisam saber e como podem O documento “Relatório sobre a Revisão Cur- melhor aprender uma série de tópicos de formaricular da Universidade Harvard”, de abril de que tenham conhecimento e confiança para2004, esclarece o entendimento da necessidade continuar sua aprendizagem como cidadãosda reestruturação curricular e sua relação com as cultos quando confrontados com novasmudanças do mundo: “assim como o mundo e a questões e dilemas éticos.forma como o percebemos e o estudamos muda, a Universidade vê a finalidade dos estudos emé responsabilidade da Faculdade de Artes e Ciên- um campo ou área especializada, denominadacias rever tanto a estrutura como o conteúdo da “área de concentração”, não como a doeducação que provê aos estudantes” (p.1). As- domínio de um campo disciplinar, mas comosim, o objetivo principal da atual reestruturação um meio pelo qual os estudantes desenvolvemcurricular é o de buscar uma forma de atualizar o maior grau de sofisticação em seu pensamento.core curriculum ao tempo presente. os requisitos da área de concentração O processo da revisão estabeleceu primeira- devem ser desenvolvidos não para treinomente um grande entendimento sobre os princí- de especialistas, mas para promover opios que o estariam orientando, os quais buscaram pensamento rigoroso e criativo.responder à questão: o que desejamos alcançar As recomendações feitas no estabelecimen-[6] O Harvard College é, entre as unidades que formam a Universidade to dos princípios têm como aspiração alargar oHarvard, a responsável pela formação em Educação Geral e pelos estudosdo campo de concentração. alcance da educação geral e deixam claro o que Revista Ensino Superior Unicamp 59
    • Artigo esperam de uma educação geral neste novo mi- lhes. Concordando com Whitehead, Domingues lênio: “Nós acreditamos que a educação geral (2006) escreve que essa forma de ver a formação deveria capacitar os estudantes a desenvolver universitária tem sido a “pedra fundamental” da múltiplas perspectivas sobre si mesmos, sobre o estruturação curricular de Harvard. mundo e dar-lhes conhecimento, treino e habili- dades para imprimir um sadio fundamento para as suas vidas” (Harvard, 2004, p.2). O estabelecimento dos princípios demonstra A Universidade Harvard, como muitas das uni- versidades americanas, sempre desenvolveu a formação do estudante universitário tendo como que, para a FAS, a finalidade do currículo é educar base um currículo cultural que permita ao estu- os estudantes para que tenham um pensamento dante obter uma ampla formação geral sobre a reflexivo, disciplinado e independente. Com esse qual possa embasar a formação da área específica. amplo entendimento, a reforma buscou favorecer Os primeiros currículos do séc. XVII e XVIII[8] aos estudantes uma maior flexibilidade curricular tiveram cursos prescritos entendidos como es- para explorar novas áreas, descobrir novos inte- senciais para um indivíduo daquela sociedade. resses intelectuais, transitar entre vários campos No final do século XIX, uma reestruturação cur- de estudos. Sendo a educação geral reafirmada ricular promovida na gestão do reitor Charles W. como ponto central da formação do estudante Eliot (1869-1909) estabeleceu uma organização para este novo século, é interessante conhecer oposta, inserindo um sistema eletivo que permitia como se processou historicamente essa ênfase ao estudante escolher livremente seus cursos. Em curricular em educação geral na Universidade 1909, no período do reitor Laurence Lowell (1909- Harvard. Faremos isso apresentando um breve 1933), nova modificação introduziu o conceito de histórico. “concentração e distribuição”, fundamentando-se na ideia de que os estudantes deveriam ser ampla- EDUCAÇÃO GERAL NA mente educados e ter um campo do conhecimen- UNIVERSIDADE HARVARD to estudado mais profundamente. Essa forma de Whitehead (1996) definiu que “educação li- organizar o currículo influenciou a maior parte das beral[7] é aquilo que permanece depois de esque- instituições de educação superior americana. cidos os fatos aprendidos na universidade” (p. Em 1945, na gestão do reitor J. B. Conant 56). Whitehead sugere focar a educação liberal (1933-1953), após a Segunda Grande Guerra, foi como princípio geral da formação universitária, por ele designada uma comissão “para estudar e pois, para ele, nas ações humanas é mais pro- propor uma educação apropriada para uma so- vável saber usar os princípios do que os deta- ciedade livre e para articular e unificar um con- ceito de educação geral não só para Harvard, mas [7] Whitehead e outros educadores utilizam o termo educação liberal, que tem o mesmo sentido de educação geral. Para um melhor entendimento da vinculação para toda educação americana” (Harvard, 1945, desses dois termos ver Pereira (2007). [8] A Universidade Harvard é a primeira universidade americana e data de 1636. p.16). Iniciava-se o período de paz e era neces- Debater questões curriculares entre colegas docentes é uma prática que ocorre em poucas universidades brasileiras60 Revista Ensino Superior Unicamp
    • A reformulação curricular de Harvard foi desenvolvida por quatro grupos temáticos compostos por estudantes de graduação, docentes e egressos, assegurando participação democrática e ativasária uma nova forma de educar os universitários. No ano acadêmico de 2000-2001, os requisitosO relatório desse estudo com as propostas ela- do core foram reduzidos de oito para sete áre-boradas resultou na publicação do famoso “Red as e foi introduzido o Programa de SemináriosBook de 1945”. Nessa obra, educação geral foi para Calouros.conceituada como “aquela parte da educação do A atual proposta de reformulação é o resultadoestudante que olha primeiro para a sua vida como da atenção aos déficits que cada uma das mudan-um ser humano e cidadão” (p.51). Uma nova es- ças sinalizava e da necessidade de revisar o currí-truturação curricular organizou então um número culo como um todo. O documento do Relatório dede cursos nas áreas de humanas, ciências sociais 2004 aponta esse entendimento afirmando quee ciências naturais, dos quais os estudantes deve- era preciso rever os enfoques da educação geralriam escolher um em cada área e frequentá-lo por para o tempo presente, pois “embora haja umaum ano. Esse sistema tornou-se bastante influen- reconhecida atemporalidade nos princípios date quer nas universidades americanas, quer em educação geral, o que nós ensinamos e como en-universidades europeias e australianas. sinamos tem a significação dada pelo mundo que Em 1978, no período do reitor D. C. Bok habitamos e no qual nossos estudantes viverão”(1971-1991), após a Guerra do Vietnã, o currí- (p.7). A comissão que assina o relatório afirmaculo foi reformulado em termos de “aproxima- ainda que “a educação liberal deve desenvolverções ao conhecimento” em vez de “domínio a capacidade de análise em nossa juventude,de corpo específico de conhecimento”. Esse ampliar sua mente, cultivar sua moral e infundircurrículo de educação geral, denominado core neles os preceitos de virtude e ordem”, como jácuriculum, é o que está sendo reformulado na afirmava Thomas Jefferson (1989).atual reestruturação. O core teve várias altera-ções menores, como a de 1997, com a intro- A ATUAL REESTRUTURAÇÃOdução da Análise Quantitativa como nova área CURRICULARde estudos. Em 1998, no período do reitor L. H. É dentro desse entendimento que a revisãoSummers (1992-2006), esforços foram despen- curricular se iniciou e a primeira afirmação a quedidos para considerar os estudos feitos no ex- chegaram, a partir da qual estabeleceram as dis-terior como uma parte importante da formação cussões em torno da estruturação curricular, foi:para os tempos atuais e institucionalizados coma criação do Office of International Programs. “Em uma era de crescente especialização,A partir daí, a universidade começou a reconhe- profissionalização e fragmentação tanto na educa-cer com crédito curricular os estágios no exterior. ção superior como na sociedade mais ampla, nós Revista Ensino Superior Unicamp 61
    • Artigo reafirmamos nosso compromisso com uma edu- nais, de como elas são vistas por outras tradições cação liberal nas artes e ciências. Nosso objetivo (e outros povos) e de como cada uma das tradi- é o de prover os estudantes com conhecimentos, ções culturais dos povos do mundo está estru- habilidades e hábitos de mente que os capaci- turada. É uma perspectiva de compreender a tem a se beneficiar de uma vida de aprendiza- América e o mundo. gem e a se adaptar a mudanças circunstanciais” (Harvard, 2004 p.6). Seis temas guiaram a revisão curricular. Três U m segundo tema refere-se à dinâmica da re- volução científica e tecnológica. Em uma aula inaugural de 2003, Summers enfatizou: “porque a relacionados à forma como o mundo mudou des- ciência prospera em todos os domínios, a ciência de a última grande alteração curricular da Univer- e o pensamento científico estão, cada vez mais, sidade e três relacionados à melhor forma de en- atingindo amplos aspectos das atividades huma- sinar os estudantes e expandir as oportunidades nas” (Harvard, 2003 p. 2). Para ele, esse fato é abertas a eles. particularmente importante para ser observado Quanto aos três primeiros temas, um se refere pelo currículo da universidade, que deve preparar à ênfase na internacionalização para auxiliar os não apenas os estudantes que seguirão currículos estudantes a viverem como cidadãos de uma so- científicos, mas todos os alunos para que saibam ciedade global em um mundo que se torna peque- trabalhar com os elementos científicos e tecnoló- no e integrado pela tecnologia, mas ainda definido gicos das políticas públicas e a relação destes com por diferentes culturas e todas em constantes mu- os aspectos éticos das questões que enfrentarão danças. Como resultado da análise sobre o tem- em suas vidas. O alcance e a evolução das desco- po presente, os proponentes da revisão curricular bertas biológicas sobre a infraestrutura da vida, os acreditam que há cada vez mais probabilidade de desafios dos novos conceitos de vida humana e os estudantes trabalharem em diferentes partes de universo físico são exemplos de como as con- do mundo ou com colegas que tenham diferentes quistas e descobertas da ciência estão mudando culturas. Assim, um currículo que tenha a interna- a nossa forma de pensar e estão influenciando um cionalização como um de seus aspectos educará maior número das nossas atividades. Tais ques- os estudantes para serem intelectualmente sen- tões estarão afetando a vida de todos e a prepara- síveis cidadãos do mundo e isso é, para eles, uma ção para elas não deve ser somente para os estu- responsabilidade moral dos tempos atuais. Para dantes das áreas científicas. isso, o currículo deve oferecer a condição de um Para isso, os proponentes da revisão curricu- mais profundo entendimento das tradições nacio- lar apontam que um currículo de educação geral Uma das premissas da revisão é assegurar que os estudantes não se superespecializem prematuramente, nem tratem as questões da área específica sem relacioná-las às demais áreas do conhecimento62 Revista Ensino Superior Unicamp
    • Harvard vê a finalidade dos estudos em áreas de concentração não como o domínio de um campo disciplinar, mas meio pelo qual os estudantes desenvolvem maior grau de sofisticação em seu pensamentoprecisa desenvolver o conhecimento básico da ci- que essa forma ainda seja apropriada para o de-ência e de seus métodos para que os estudantes senvolvimento do rigor intelectual requerido pelostenham entendimento dos princípios das ciências trabalhos de um campo de conhecimento, outrasfísicas e da vida e um conhecimento dos meios formas de explorar as aproximações entre os cam-pelos quais esses princípios são usados em cres- pos e as disciplinas devem ser encontradas.centes inovações tecnológicas. Para eles, os es- Quanto aos três aspectos pedagógicos, umatudantes devem ser capazes de compreender os primeira importante necessidade de mudança éprincípios da ciência, avaliá-los e discuti-los, mes- apontada para o grande número de estudantes emmo que não seja para aplicá-los empiricamente. sala de aula. O grande número interfere na formaAcreditam que não é mais possível aceitar a pro- de ensinar e na falta de integração entre estudan-posição de que alguns estudantes são incapazes tes e professores. Os dados estatísticos de 2000-de aprender ciência, como aceitar que outros são 2001 (Harvard, 2004) dão conta de que 48% dosincapazes de trabalhar as questões das humani- estudantes na universidade estão em cursos comdades ou das ciências sociais. mais de 50 estudantes em sala de aula. Em alguns cursos do core curriculum, 62% são desenvolvidoT erceiro, como o corpo docente da Universida- de vem, cada vez mais, pesquisando temasque ultrapassam os limites de suas áreas e es- em salas com mais de 100 estudantes. Os membros do grupo de trabalho apontaram que o grande número de alunos dificulta umatão frequentemente necessitando do enfoque de maior interação entre estudantes e professores emúltiplas disciplinas para dar conta da temática isso dificulta o desenvolvimento de um processoestudada, acreditam que esse enfoque deva ser avaliativo argumentativo, de diálogo nos comen-dado por meio de uma ênfase interdisciplinar do tários dos trabalhos, a troca de impressões sobrecurrículo. Reconhecem que as pesquisas nas áre- as apresentações de trabalhos e os debates so-as das ciências exatas, da vida e de humanidades bre os resultados dos trabalhos desenvolvidos nostêm cruzado as tradicionais fronteiras disciplina- laboratórios. Sugerem uma nova forma metodo-res e é imperativo que o currículo atual encoraje lógica de ensinar através das “comunidades deos estudantes a explorar tópicos que cruzem as aprendizagem”, onde os alunos formam peque-bordas das disciplinas e os levem a questionar as nos grupos de instrução tendo um professor comocontrovérsias intelectuais que existem entre elas. responsável, o qual interagirá com seus membros Os proponentes da reforma curricular enten- em todo o processo de aprendizagem, comentarádem que, embora o departamento ainda seja seus trabalhos, suas apresentações e experiên-estruturado com base em disciplinas e áreas, e cias laboratoriais e agirá diretamente na avaliação. Revista Ensino Superior Unicamp 63
    • Artigo Acreditam que a metodologia provocará uma mu- EDUCAÇÃO GERAL: PROPOSIÇÃO dança no processo da aprendizagem, passando CURRICULAR PARA O PRIMEIRO o estudante a desempenhar um papel mais ativo QUARTO DO SÉC. XXI tanto na sua formação como na discussão direta Com o entendimento de que para educar os es- com os professores em seminários e em outras tudantes amplamente é preciso levar em conta os formas didáticas. campos do conhecimento que sejam relevantes aos estudantes no primeiro quarto do século XXI, O utro ponto sobre os aspectos pedagógicos é o de estimular um intenso engajamento intelec- tual dos estudantes com as pesquisas desenvolvi- os revisores do currículo da Universidade Harvard buscaram propor o que focar na reestruturação do currículo estabelecido como educação geral. das pelos professores. Entendem ser importante As recomendações para o novo currículo fo- a contribuição dos estudantes na produção do ram as decididas pelos professores e estudantes, conhecimento desenvolvido por esses trabalhos, depois que os Grupos de Trabalho apresentaram e não apenas os conhecer através da exposição suas conclusões como resultado final do processo oral dos professores ou da participação em semi- de discussão empreendido. O programa de edu- nários de discussão. O Relatório Harvard (2004) cação geral foi pensado para satisfazer dois aspec- informa que em 2003, 29% dos estudantes parti- tos tomados como básicos: flexibilidade, para que ciparam em projetos de pesquisa com o corpo do- os estudantes definam e explorem seus interesses cente contabilizando créditos curriculares e 31% intelectuais; orientação, para auxiliá-los na esco- participaram sem ter os créditos contabilizados. lha da área dos estudos “concentrados”. Entre os estudantes, os de ciências são os que têm maiores oportunidades. RECOMENDAÇÕES PARA UM NOVO Um último aspecto apontado foi o da impor- PROGRAMA DE EDUCAÇÃO GERAL tância de planejar a cooperação entre os pro- O novo currículo de educação geral de Harvard fessores das diferentes faculdades profissionais assenta-se antes em um alto padrão de formação para o enriquecimento das atividades desenvol- do que apenas na solicitação de determinados vidas pelo currículo da FAS, o que, para os pro- requisitos. Há a clareza de que com a acelerada positores, beneficiará tanto estudantes como os expansão do conhecimento não é possível cobrir, próprios docentes. em quatro anos, tudo o que um estudante precisa Tendo delineado e discutido os seis aspectos e de que a finalidade da educação geral no início das alterações curriculares, acima expostos, os deste novo século é a de prover uma base para um diferentes grupos de trabalho propuseram modi- mundo de incertezas e mudanças. ficações específicas no todo da educação geral, O novo currículo, que os proponentes es- conforme apresentamos a seguir. tão sugerindo ser denominado “Havard College Os requisitos da área de concentração devem ser desenvolvidos a fim de promover o pensamento rigoroso e criativo, não para treinar especialistas64 Revista Ensino Superior Unicamp
    • Whitehead definiu educação liberal como aquilo que permanece depois de esquecidos os fatos aprendidos na universidade; para ele, é mais provável saber usar princípios do que detalhesCourses”, está organizado por meio de múltiplas para a preparação de seus professores para esseteorias, múltiplas disciplinas e tradições discipli- novo desafio curricular.nares. Não serão mais cursos introdutórios para O Relatório aponta vários aspectos que o novodisciplinas, quaisquer que sejam, nem cursos de currículo (o “Harvard College Courses”) deve de-responsabilidade de um departamento especí- senvolver na sua estruturação. No aspecto literá-fico. Serão cursos integrados, rompendo com a rio, um curso sobre a literatura mundial favoreceráperspectiva disciplinar que tem definido a vida a visão do estudante para as representações cul-acadêmica da universidade moderna. As razões turais de diferentes povos e tempos, as tradições epara desenvolver essa perspectiva são apontadas as hierarquias que essas representações culturaisno Relatório (Harvard, 2004) como sendo as que estabeleceram.emergiram dos princípios básicos estabelecidosno processo de revisão e apresentadas anterior-mente neste texto. Os cursos serão planejados conjuntamente N o conhecimento sobre a história do mun- do, o novo currículo de educação geral será construído sobre “culturas e contatos”, introdu-por professores de várias áreas com o objetivo de zindo os estudantes em momentos significativosromper limites demarcados, promover a interação das múltiplas culturas nos quais as civilizaçõese o diálogo, ter uma mesma linguagem e passá- interagiram em modos cooperativos ou competi--la para os estudantes. O planejamento conjunto tivos. A finalidade é fazer com que entendam asintenciona definir os mais importantes conceitos e construções culturais através dos séculos e asatitudes que os estudantes devem adquirir sobre contingências que as diferentes localizações geo-cada área do conhecimento. Esses cursos podem gráficas implicaram na formação dessas culturas,ser desenvolvidos por diferentes professores numa bem como os contextos históricos em que as di-perspectiva integrada ou por um professor que te- ferentes culturas interagiram ou competiram. Osnha uma perspectiva ampla do conhecimento a estudantes podem ser introduzidos a episódiosser ensinado. No entanto, em uma ou outra forma, de comércio internacional, guerras, conquistas ea meta principal é o fortalecimento da capacidade organização internacional.crítica, do pensamento reflexivo, do desenvolvi- Nas ciências da vida, temáticas como a do ge-mento da argumentação fundamentada, da ca- noma devem introduzir os estudantes no trabalhopacidade da leitura, da escrita, da apresentação dos processos da vida humana na perspectiva quí-oral e da capacidade de interpretar e utilizar os mica, celular, orgânica, evolucionária, todas tra-métodos quantitativos quando forem apropriados. balhadas na dimensão ética. A questão da éticaPara a efetivação desse alcance pedagógico cabe fica explícita na responsabilidade de formar mo-à Universidade promover as condições necessá- ralmente os estudantes para uma atuação éticarias para essa inovadora forma de ensinar e apoio como profissionais, cidadãos e líderes, e acredi- Revista Ensino Superior Unicamp 65
    • Artigo tam que há um número variado de modos para que quiridas nesse termo terão um desenvolvimento a Universidade responda a essa responsabilidade. constante nos quatro anos de graduação. Por estarem essas questões imbricadas em toda atividade desenvolvida, elas podem, por exemplo, ser alcançadas através de temas transdisciplina- res que envolvam posicionamentos éticos, discus- Q uanto ao ensino de línguas estrangeiras, Harvard oferece hoje cursos em aproximada- mente sessenta delas. Acreditando que o conheci- sões sobre métodos éticos no encaminhamento mento de língua estrangeira forma a base de uma de problemas e de estudos de casos. competência global essencial nos dias de hoje, é O curso em ciências sociais deverá desenvol- proposto não só o domínio da língua estrangeira, ver capacidade de análise e trazer temáticas para através de curso (durante um termo), como tam- serem amplamente analisadas, por exemplo, a bém aumentar o conhecimento sobre a cultura pobreza deve ser interpretada em seus aspectos da nação no sentido de ampliar a preparação dos históricos, políticos, sociológicos, econômicos, de estudantes para trabalhar e agir profissionalmen- saúde e consequências futuras. Da mesma forma te em diferentes ambientes culturais, diferentes a questão do meio ambiente, da globalização etc. países ou em equipes com profissionais de dife- No primeiro ano de curso será exigido o cum- rentes culturas e tradições. Assim, os proponentes primento de um termo[9] em “Expository Writing” apresentam como parte da formação geral o ino- (orientação para escrita), pois é entendido que vador aspecto de facilitar estudos no exterior para qualquer que seja a atividade profissional a ser de- estudantes e professores. Analisando os benefí- sempenhada futuramente pelos estudantes, sem- cios apresentados pelos estudantes que faziam os pre haverá a necessidade de comunicar ideias e “cursos de verão” no exterior e recebiam créditos expor claramente o pensamento. A escrita e a fala acadêmicos por esse desenvolvimento, os propo- são ferramentas para a comunicação do pensa- nentes concluíram que a experiência proporcio- mento humano e por elas busca-se clarificar e or- nava não só aprendizagens relacionadas à língua, ganizar as evidências que suportam o pensar. As- à geografia e à história, como também conheci- sim, o programa desse curso deve envolver tanto mento social e reconhecimento da importância as habilidades da escrita como a da exposição oral das relações internacionais. para que o aluno consiga expor de forma coerente, O valor que estudos em outros países oferece lúcida, argumentativa e lógica. As habilidades ad- para a complementação da formação dos estudan- tes foi expresso pelo diretor do Centro de Estudos [9] "Termo" refere-se ao período de estudos e é estabelecido em horas Asiáticos da Universidade Harvard, Willliam C. e meses em um ano acadêmico. No caso da Universidade Harvard, ele é geralmente de um semestre. Kirky, que, referindo-se ao progressivo aumento da Uma das ênfases é a internacionalização, considerando um mundo integrado pela tecnologia mas ainda definido por diferentes culturas; os estudantes devem ser cidadãos do mundo intelectualmente sensíveis66 Revista Ensino Superior Unicamp
    • Para os proponentes da revisão curricular, os estudantes devem ser capazes de compreender os princípios da ciência, avaliá-los e discuti-los, mesmo que não seja para aplicá-los empiricamentecomplexidade global, concluiu: “Face a tal mundo, mais ampliada e integrada para que os tópicos emtemos de auxiliar nossos estudantes dando-lhes química, matemática, física, biologia etc. sejamuma educação no mundo” (J.H.J., 2004, p. 57). trabalhados de forma combinada para prover os Um outro aspecto curricular reafirmado como fundamentos básicos de uma educação científica.essencial na revisão em processo é quanto à base Por ser a questão da atuação ética uma dascientífica - a capacidade para interpretar dados e mais básicas e importantes na formação do estu-para usar os métodos quantitativos - tida como ne- dante e por ultrapassar os limites teóricos e prá-cessária na formação do estudante. Nos últimos ticos, também foi proposto que fosse organizadotempos, a facilitação oferecida pelos programas um grupo de trabalho para estudar formas inova-computacionais, ao mesmo tempo em que tornou doras de, pedagogicamente, abordar a questão.mais acessível o trabalho com dados, impôs a ca-pacidade de trabalhar com imensas quantidades DEMANDAS PARA O PROGRAMAe de tomar decisões com base em rigorosa análi- DE CONCENTRAÇÃOse de informações numéricas. Frente a isso, per- Os estudantes de Harvard, como os de outrasmanece importante desenvolver a base científica universidades americanas, devem completar seuscomo requisito na formação geral. No entanto, a estudos de graduação com a escolha de cursos emforma como esta tem sido desenvolvida, separan- um campo de interesse (ou mais), denominadodo as áreas, não corresponde aos novos entendi- “área de concentração”[10]. Atualmente a Univer-mentos epistemológicos. A ciência torna-se cres- sidade oferece 51 áreas de estudos concentradoscentemente interdisciplinar e trabalhos que eram (Harvard, 2006). Em termos curriculares, a áreadesenvolvidos em áreas estanques hoje solicitam de concentração oferece ao aluno a possibilidadea complementação de outras áreas, rompendo de cursar um programa básico ou um programacom isso certas barreiras e promovendo a criação mais denso[11]. A diferenciação entre eles estáde novos e inovadores modos de trabalhar. tanto no número de cursos solicitados, como na forma pedagógica de desenvolver a formação - tra-P ara os proponentes está claro que, pedago- gicamente, a nova forma de desenvolver abase científica ultrapassa os rígidos limites da balhos de tutoria, seminários e a elaboração de monografia. Os estudos na área de concentraçãoestruturação departamental. Por isso, entendem [10] Área de estudos concentrados - "fields of concentration" - sãoque há a necessidade de se repensar a estrutu- formados por estudos nas áreas de interesse. Os denominados "major" são cursos feitos na área principal de interesse; os estudos feitos em uma árearação das unidades da Universidade, bem como de interesse secundário são denominados "minor". Para uma equivalência com os termos em português, podemos traduzir por "habilitação".a base científica, em direção a uma perspectiva [11] Denominado "honors program". Revista Ensino Superior Unicamp 67
    • Artigo são tidos como a aquisição de conhecimentos em Por serem os estudos concentrados a parte uma área de interesse com vistas a uma carreira, dos estudos com o maior número de créditos para ou como a necessária preparação para estudos a formação de bacharel e pelo fato de a revisão em uma das Escolas Profissionais Pós-graduadas em processo partir da reafirmação dos princípios da universidade, ou ainda, como preparação para da educação geral, os proponentes entenderam estudos de pós-graduação[12]. que, no que se refere aos objetivos - formar es- Os Centros de Orientação aos Estudantes, tudantes como pensadores independentes, rigo- mantidos pela Universidade Harvard e por quase rosos com o conhecimento e criativos - não há todas as universidades americanas, prestam um diferença entre elas. grande serviço aos alunos e orientam, particular- mente, a escolha dos estudos concentrados e a da carreira. Essas duas escolhas envolvem dois processos próximos, embora não se confunda C om essa perspectiva, foi recomendado que os estudos na área de concentração se ini- ciassem apenas no segundo semestre do segun- a escolha da carreira com a escolha da área de do ano de curso. Tal decisão está alicerçada na concentração principal (major, ou habilitação). intenção de permitir maior exploração das áreas Qualquer área de habilitação pode preparar para do conhecimento pelos estudantes e maior tempo diversas possibilidades de emprego, como define para delinear seus interesses. Levantamentos fei- a Universidade de Washington em seu site: “O en- tos na Universidade Harvard demonstraram que sino superior ajuda a prepará-lo para o mundo do um terço dos estudantes mudava a área inicial dos trabalho, mas não o restringe a uma carreira es- estudos concentrados (Harvard, 2004, p. 24). pecífica”[13]. Esse serviço tem longa existência em O grupo de revisão curricular recomendou Harvard e foi tomado como de grande necessida- que os estudantes pudessem ter oportunidade de na orientação dos novos arranjos curriculares. de desenvolver trabalhos de concentração em Na Universidade Harvard os estudantes po- área tanto disciplinar como multidisciplinar: “Nós dem organizar planos de estudos que integram recomendamos que sejam revistos os requisitos cursos de uma ou mais áreas de estudos concen- de todos os estudos concentrados e reavaliado o trados. Outros estudantes, não encontrando seus equilíbrio entre o foco disciplinar e as oportunida- interesses nos cursos oferecidos, podem organi- des para estudos cros-disciplinares (disciplinari- zar, com a orientação de um professor, uma es- dade cruzada) tanto no nível introdutório como no trutura curricular especial para obter a desejada avançado” (Harvard, 2004, p. 29). formação numa nova área de concentração. Para os proponentes, há variadas formas de se- A revisão rejeita a ideia de que alguns estudantes são incapazes de aprender ciência, ou que outros são incapazes de trabalhar as questões das humanidades [12] Penney e Houlihan (2003), na análise que fazem sobre a universidade americana, afirmam que ela está enraizada na tradição das artes liberais, de grande importância para a educação geral. Com isso, o objetivo principal da graduação (bacharelado) é desenvolver o espírito crítico do aluno e a sua capacidade de aprender constantemente. A aquisição de conhecimento em uma área específica, com o objetivo de atuação profissional, apenas se inicia na graduação, mas completa-se em nível de estudos subsequentes nas unidades acadêmicas das universidades denominadas Escolas Profissionais. [13] http://www.tacoma.washington.edu/undergrad/68 Revista Ensino Superior Unicamp
    • O novo currículo implanta cursosdesenvolvidos por diferentes professores numa perspectiva integrada ou por umprofessor que tenha perspectiva ampla; omodelo de cursos de responsabilidade de um departamento específico foi abolidorem possibilitados trabalhos cros-disciplinares em possibilidade para todos os estudantes e que aestudos concentrados, como por exemplo: expan- Universidade estruturasse as condições, inclusivedir o oferecimento de estudos concentrados multi- com auxílio financeiro, para que a experiência sedisciplinares; reunir estudantes de diferentes cam- assemelhasse não a um tempo fora da Universi-pos para o desenvolvimento de um grande tema de dade, mas a um aspecto estendido da instituição.interesse mútuo; produzir conhecimentos em uma Isto é, propõem que seja uma experiência diferentetemática humana abrangente como saúde global, da visão de um turista, pois está relacionada a ummudança climática, segurança mundial. estudo temático, a uma pesquisa ou a um trabalho voluntário. Acreditam que uma experiência inter-EXPANSÃO DAS ATIVIDADES nacional tem a vantagem de proporcionar umaCURRICULARES imersão em questões culturais, o que é importante A revisão curricular reforça os princípios da fle- como complemento do conhecimento da língua.xibilidade entendendo esta como a expansão deoportunidades significativas para a escolha do es- PESQUISA COMO INTEGRANTEtudante em ampliar o escopo de sua formação. As DO CURRÍCULOatividades apresentadas a seguir já são existentes, Harvard, por caracterizar-se como uma univer-mas não se encontravam formalmente estrutura- sidade que se dedica substancialmente à pesqui-das no currículo. Os proponentes da revisão, após sa, tem nesta uma parte importante das atividadesanalisarem tanto as atividades como o significativo curriculares. Os estudantes têm a obrigatoriedadenúmero de estudantes que as procuravam e as de apresentar uma tese ou um projeto científicodesenvolviam, consideraram que elas se soma- desenvolvido como conclusão dos estudos na áreavam aos propósitos e princípios explicitados para da concentração.o novo currículo. Além dessa obrigatoriedade, a pesquisa pode ser realizada como atividade para complementa- EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL ção de créditos se desenvolvida com a supervisãoCOMO PARTE DO CURRÍCULO de um professor. Também são oferecidas oportu- Para enriquecer seus currículos, hoje muitos nidades para os estudantes participarem comoestudantes de Harvard desenvolvem estudos, pes- “assistentes” em projetos de professores. Sendo aquisas, trabalhos e até mesmo créditos em outros pesquisa tomada como de grande importância napaíses. Os proponentes da reestruturação, anali- formação do aluno, a universidade prevê recursossando as satisfações que essas experiências têm financeiros para o desenvolvimento dessa ativida-proporcionado, recomendaram que fosse uma de nos departamentos, nos centros, nas agências Revista Ensino Superior Unicamp 69
    • Artigo próprias da universidade e em órgãos centrais resse em carreiras no serviço público, o que os tem como o Student Employment Office - SEO. Segun- levado a buscar contextualizar, por meio de tópicos do o Relatório de 2004, ultimamente todas as so- em alguns dos cursos, suas reflexões sobre ativi- licitações de recursos para o desenvolvimento de dades em serviços públicos. Embora entendendo pesquisa e para o pagamento dos “assistentes” que tais atividades por si só não sejam passíveis têm sido atendidas (Harvard, 2004, p. 42). de créditos curriculares, os proponentes aprovam a ideia de construir laços mais estreitos entre as ARTE COMO INTEGRANTE DO atividades acadêmicas e os serviços públicos para CURRÍCULO que possam ser coordenadas, supervisionadas e Embora a Universidade Harvard ofereça uma avaliadas pelo corpo docente e, ao mesmo tempo, intensa atividade artístico-cultural aos estudantes para que os professores com interesse em incluir com 5 orquestras, 12 corais, 19 grupos de dança, tais atividades em seus cursos possam ter respal- 16 grupos de teatro e duas bandas de jazz, tendo do institucional. apresentado em 2003 mais de 70 peças teatrais e 450 concertos (Harvard, 2004, p.48), essas ativi- CONSIDERAÇÕES FINAIS dades permanecem como extra-curriculares. Apontamos, no início deste texto, que a convo- Com a revisão sobre o sentido da educação catória feita pelo então reitor Summers para que geral para os tempos atuais, o valor da expressão uma grande reformulação curricular fosse empre- artística passou a ter maior espaço curricular, tan- endida partiu de sua constatação da necessidade to na parte de formação geral como nos estudos de pensar sobre o que era ensinado aos estudan- concentrados, deixando de ser apenas atividade tes, como era ensinado e sobre o reconhecimen- extra-curricular para tornar-se componente for- to de que cada currículo, curso de estudos ou mal dos cursos oferecidos. forma pedagógica pode sempre ser melhorado. Assim, uma das dimensões revistas, discutidas SERVIÇOS PÚBLICOS COMO e propostas refere-se às inovações pedagógicas COMPONENTE CURRICULAR com vistas não apenas a uma busca constante de De forma geral, os estudantes de Harvard são sua adaptação às novas proposições curriculares, encorajados a desenvolver atividades de respon- mas também às condições da melhora de sua sabilidade social em instituições públicas. Essa qualidade. O espírito da revisão foi o de equiparar participação tem crescido nos últimos anos: um em excelência os níveis acadêmicos do ensino e levantamento feito em 2003 demonstrou que 47% da pesquisa oferecidos aos estudantes, para que dos estudantes reportaram desenvolver serviços a Universidade seja conhecida tanto pelo excep- voluntários na comunidade (Bol 2004). Por outro cional ambiente de pesquisa como pelo superior lado, os estudantes têm demonstrado maior inte- ambiente de ensino e aprendizagem. Outro objetivo é estimular intenso engajamento intelectual dos estudantes com as pesquisas desenvolvidas pelos professores, para que não as conheçam apenas por exposição oral dos docentes70 Revista Ensino Superior Unicamp
    • Como resultado do processo de discussão instrução. Além destes, sugerem a criação de ume análise, reconheceu-se que a FAS conta com órgão responsável por incentivar inovações peda-importantes fontes pedagógicas como o Centro gógicas, quer no desenvolvimento das aulas, querde Ensino e Aprendizagem Derek Bok, o Projeto nas formas de avaliação.de Comunicação Escrita e o Grupo de Instrução Quanto à estruturação das salas de aula, pro-Computacional, que oferecem uma variedade de põem que ao lado das atuais excelentes condiçõesprogramas de auxílio a todos os docentes. Essas de estrutura física, humana e financeira, seja dadafontes pedagógicas focam temáticas do ensino ênfase a salas para discussões, prática de apre-e da aprendizagem como estratégias de ensino, sentação oral, trabalhos interdisciplinares ou cola-habilidade de fazer e responder questões, ha- borativos e treino pedagógico, inclusive para dou-bilidade de exposição oral, avaliação de amplos torandos, entendendo a importância da formaçãoaspectos da aprendizagem, desenvolvimento de destes também para a docência.cursos para o uso pedagógico dos recursos midi- Em linhas gerais apresentamos neste texto asáticos, tecnológicos e da web etc. Os proponentes proposições que se encontram em processo deacreditam que esses recursos estão pouco visíveis implementação e que, para os proponentes, re-por falta de uma coordenação e por ser limitado o presentam marcos importantes como caracterís-elo com os departamentos e com os comitês de tica da excelência na formação dos estudantes.Bol, P.K. Another Generation of General Education. John Harvard’s Journal - Vol. 104, nº 3, p. 55-59, Boston: Harvard University Press, 2004 janeiro-fevereiro 2002Dahl, R. The Great Core Curriculum Debate: education Mac-Dowell, V. Sem Fronteiras. Rio de Janeiro: Cam- as mirror of culture. Nova York: Chicago Magazine pus, 1998 Press, 1979 Penney, D. & Houlihan, B. "Higher Education Institu-Domingues, J.I. Liberal Education at Harvard in this tions and Specialist Schools: potential partner- new century. Harvard Press online. www.harvard. ships”. Journal of Education for Teaching. Vol. 29, edu. 2006, acesso em setembro de 2006 nº 3, p. 235-248, novembro 2003Flexner, Abraham. Universities: English, German and Pereira, E.M.A. “Educação Geral: com qual propósi- American. Nova York: Oxford University Press, to?” in: Pereira, E.M.A. Universidade e Educação 1930 Geral: para além da especialização. Campinas:Gomes, Peter J. Modesty, Ambition and Imagination: Alínea, 2007 an essay on Curricular Reform in Harvard College. Pereira, E.M.A. “Pós-Modernidade: Desafios à Uni- Harvard. www.fas.harvard.edu/curriculum-review/ versidade”. in: Santos Filho, J.C. e Moraes, S. E. essays, 2006, acesso em setembro de 2006 Escola e Universidade na Pós-modernidade. Cam-Harvard University. A Report on the Harvard Colle- pinas, Mercado de Letras, 2000 ge Curricular Review. Faculty of Arts and Sciences, Rudder, D.B. FAS Approves Revisions to Core Curri- abril, 2004 culum. Harvard University Gazette, www.hno.har-Harvard University. General Education in a Free So- vard.edu/gazette/1997/05.22/FAS, 1997, acesso ciety: report of the Harvard Commitee. Cambridge, em junho de 2006 Harvard University Press, 1945 Whitehead, A. N. Os fins da educação e outros en-Jefferson, Thomas. "Report of the Commissioners for saios. São Paulo: Companhia Ed. Nacional, 1996 the University of Virginia”. Writtings. Nova York. Li- brary of America, 1989 Revista Ensino Superior Unicamp 71