• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Concordancia
 

Concordancia

on

  • 471 views

 

Statistics

Views

Total Views
471
Views on SlideShare
455
Embed Views
16

Actions

Likes
0
Downloads
18
Comments
0

2 Embeds 16

http://ucaemcenna.blogspot.com.br 14
http://www.ucaemcenna.blogspot.com.br 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Concordancia Concordancia Presentation Transcript

    • CONCORDÂNCIA NOMINAL
    • CONCEITUAÇÃO Concordância nominal é a concordância de nomes entre si; estudaremos aqui a concordância do adjetivo com o substantivo.
    • PRINCIPAIS CASOS PERGUNTAS E RESPOSTAS 1 – Se eu disser que comprei abacate e melão maduro, estarei certo? Estará absolutamente certo. Quando o adjetivo modifica dois ou mais substantivos do mesmo número (abacate e melão estão no singular), independentemente do gênero de ambos, pode concordar com o substantivo mais próximo.
    • 2 – Mas não posso usar o adjetivo no plural ? Sim. Comprei abacate e melão maduros.
    • OBSERVAÇÃO IMPORTANTE Quando os substantivos são de gêneros diferentes, o mas- culino prevalece. Comprou no supermercado melão e pêra estragados. Sendo assim, numa turma onde haja cem alunas e apenas um aluno, o professor deverá dizer: “Vocês estão dispen- sados.
    • CUIDADO ! Se o adjetivo só puder referir-se ao último substantivo, porque o sentido assim exige, só com ele se fará a concordância. Comprei livros e pêra madura. (livros jamais amadure- cerão.)
    • 3 – E se o adjetivo vem antes dos substantivos ? Nesse caso a concordância obrigatória é com o substantivo mais próximo. Comprei maduro abacate e melão.
    • 4 – E se os substantivos são sinônimos ? Nesse caso o adjetivo concorda com o mais próximo. Luís tinha idéia e pensamento fixo.
    • 5 - E quando os substantivos são antônimos ? Quando isso acontecer, o adjetivo irá obrigatoriamente para o plural. Passei dia e noite frios na Europa. Essa gente é de extremos: tem sempre amor e ódio eternos.
    • 6 – A concordância: “O rapaz e a garota eram argentina” está correta? Não. Argentina, nesse caso, é um adjetivo predicativo e deve concordar normalmente com o termo a que se refere, no exemplo acima, um sujeito composto. O rapaz e a garota eram argentinos. (Eles eram argentinos). Eram argentinos o rapaz e a garota. Eram argentinos a garota e o rapaz.
    • 7 – Uma garota dizer - “Eu mesmo não sei disso” - está certo ? Mesmo e próprio variam normalmente quando possuem caráter reforçativo. Eu própria não sei disso. Não.
    • PARA NÃO ERRAR MAIS!
    • 8 – Posso dizer: “Suas filhas sempre chegam da escola junto ? A palavra junto só não varia quando faz parte de locução prepositiva (junto com, junto de, junto a). Suas filhas sempre chegam da escola juntas. Elisa e Cassilda sempre trabalharam juntas. Essas moças nunca saíram junto com o pai. Havia sempre mulheres junto de mim. NÃO.
    • 9 – Dizer “Já vi bastante novidades, mas essa eu não sabia.” está correto ? Não, pois nesse caso “bastante” modifica o substantivo “novidades” sendo, portanto, um adjetivo, variando normalmente. “Bastante” só fica invariável quando é um advérbio Conheci bastantes pessoas na festa. Comprei bastantes maçãs na feira. Comemos e dormimos bastante. Ficamos bastante machucados.
    • 10 – Posso dizer: “Seguem anexo minhas fotos.” ? A palavra anexo deve concordar com o substantivo a que se refere. As fotos seguem anexas. O mesmo ocorre com o adjetivo “Incluso”. As despesas de registro postal estão inclusas no preço das revistas. NÃO.
    • 11 – É correto dizer: “Hoje ela veio com menas roupa.” ? De forma alguma. A palavra “menas” não existe. Devemos, então, em todas as situações usar “menos”. Agora eu estou menos preocupada.
    • 12 – E como usar as expressões “é preciso”, “é bom” e “é necessário” ? Tais expressões são sempre invariáveis quando ocultam, após o adjetivo, um verbo. É preciso muita atenção. É preciso (ter) muita atenção Água é bom. É necessário muitos exercícios para aprender isso.
    • O adjetivo da expressão “é proibido” ou “é permitido” só varia quando o substantivo a ele ligado aparece com o artigo “a”. É proibido entrar. É proibida a entrada. Não é permitido permanecer no local. Não é permitida a permanência de pessoas neste local. CUIDADO!
    • OUTROS CASOS DE CONCORDÂNCIA QUE VOCÊ NÃO PODE DEIXAR DE SABER:
    • OBRIGADO PELA INFORMAÇÃO! Saiba que quem diz “obrigado” é homem. A mulher deve dizer: “obrigada”. Se forem dois homens ou mais que agradecem, devem Dizer: “Muito Obrigados”. Se forem mulheres: “Muito Obrigadas”.
    • E o MEIO varia ? “Meio” só varia quando significa “metade de”. Sendo assim diga: gente meio nervosa; gente meio louca; gente meio desconfiada. Comprei meia melancia; meio-dia e meia (hora); meias pala- vras.
    • Isso mesmo! Também não é correto usar “de modos que” e “de maneiras que”. Devemos usar sempre “de forma que”, “de modo que” e “de maneira que”.
    • COMO VOCÊ PODE VERIFICAR , O ASSUNTO CONCORDÂNCIA NOMINAL EXIGE, MUITO ALÉM DOS ESTUDOS DAS REGRAS GRAMATICAIS, UMA BOA DOSE DE PRÁTICA TEXTUAL, O QUE FAZ DA LEITURA HABITUAL DE BONS LIVROS E DA ESCRITURAÇÃO CONTINUADA DE TEXTOS DIVERSOS PRÁTICAS EXTREMAMENTE NECESSÁRIAS PARA O SEU CRESCIMENTO COMO USUÁRIO DA LÍNGUA. PORTANTO, MEXA-SE! COMECE JÁ! FIM