Your SlideShare is downloading. ×
Tendências no comércio eletrônico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tendências no comércio eletrônico

481

Published on

Tendências no Comércio Eletrônico - Cenário Brasileiro

Tendências no Comércio Eletrônico - Cenário Brasileiro

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
481
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
15
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Tendências  no   Comércio  Eletrônico       DG  REDE  BB  VAREJO  E     CANAIS  ELETRÔNICOS    Realizado  por    Davi  Salles Set/2012  
  • 2.  Acesso  a  Internet  no  Brasil     A internet no Brasil apresenta crescimentos expressivos e entre 2008 e 2012 mais de 24,5 milhões de internautas novos começaram a navegar na rede, um crescimento de quase 45% no período. Além disso, existe crescimento na penetração da internet Banda Larga em domicílios com acesso a internet. As estatísticas sobre internautas no Brasil surpreendem pela a agilidade em que esta se espalhando no país.Fonte: cetic.br (Centro de Estudo as Tecnologias da Informação e da ComunicaçãoRealizado  por    Davi  Salles
  • 3. Acesso  a  Internet  no  Brasil   Quadro  de  Acesso  a  Internet  no  BrasilDestaque para o crescimento do número de computadores, acesso a internet no domicilio, alinhados aoaumento do tempo médio de acesso a rede.Fonte: cetic.br (Centro de Estudo as Tecnologias da Informação e da ComunicaçãoRealizado  por    Davi  Salles
  • 4.  Mapa  de  Acesso  a  Internet  no  Brasil     As regiões sudeste e sul puxam a taxa do país para cima - 19 das 20 cidades com maior acesso à internet do país estão ali. Já as regiões norte e nordeste afundam a média brasileira. Dos 18 municípios sem acesso doméstico do Brasil, oito estão no Piauí, seis no Maranhão, três no Pará e um no Amapá. Os estados do Brasil com melhor acesso domiciliar são: •  Distrito Federal (58,69%), •  São Paulo (48,22%), •  Rio de Janeiro (43,91%), •  Santa Catarina (41,66%), •  Paraná (38,71%). Os piores são: •  Maranhão (10,98%), •  Piauí (12,87%), •  Pará (13,75%), Ceará (16,25%), •  Tocantins(17,21%). Considerando os dados acima, temos um mapeamento de atuação para área de Canais Digitais, focando em Mídias Online regionais.Fonte: FGV 05/12Realizado  por    Davi  Salles
  • 5.  Dados  de  internet  mobile  no  Brasil     Acesso a internet mobile cresce no país e cada vez mais pessoas possuem acesso ao 3G e a Smartphones. Em março de 2012 foram criadas mais 3,2 milhões de novas linhas de São Paulo, agora os números de Celulares passam a ter 9 dígitos para poder atender as novas demandas. Destacamos também as oportunidades para o desenvolvimento de um Aplicativo que rode em Smartphones e Tablets, considerando a crescente nos número deste seguimento e indo de encontro com a atuação da equipe de Canais Digitais.Fonte: Cetic.br / AnatelRealizado  por    Davi  Salles
  • 6.  E-­‐Commerce  no  Brasil    Pelas estimativas da e-bit, unidade do grupo Buscapé dedicada a informações sobre comércio eletrônico, 2012deve - relativamente a 2011-, atingir 25% o crescimento dos negócios realizado pelo comércio eletrônico noBrasil.Fonte: cetic.br / e-bitRealizado  por    Davi  Salles
  • 7.  E-­‐Commerce  Ranking  Mundial     O Brasil deverá ser o quarto maior do mercado mundial de e-commerce em 2015. Atualmente o País ocupa o sexto lugar e deverá subir, ajudado pela crise mundial, que fará com que Estados Unidos e nações europeias mudem de posição nos próximos quatro anos. A melhoria do desempenho do Brasil em e-commerce é uma projeção do T-Index 2015, índice estatístico que indica a participação de vendas online de cada país no mercado mundial, associando a população na internet ao PIB per capita estimado. No estudo, o Brasil aparece atualmente em sétimo lugar entre os dez com maior potencial de vendas pela web, atrás dos Estados Unidos, China, Japão, Alemanha, Reino Unido e França. Em oitavo lugar vem a Rússia, seguida da Coreia do Sul e Itália. Entre os países emergentes de maior crescimento figuram a China (+63,4%), Brasil (+43,3%), Rússia (+27,5%), Índia (+26,6%), Indonésia (+20,8%) e a Turquia (+20%). Fonte: ComputerWorld Maio/12Realizado  por    Davi  Salles
  • 8.  E-­‐Commerce  América  La>na    Um estudo feito pela América Economia Intelligence mostra que o comércio eletrônico no Brasil obteve umcrescimento de 43% em vendas em 2011, com uma movimentação de US$ 25 bilhões. O levantamento foiencomendado pela Visa e analisou o segmento em toda a América Latina. O Brasil se destacou na pesquisa,principalmente por ser o primeiro país latino-americano a atingir 1% do seu PIB em vendas online.O país aparece ainda encabeçando a lista dos países latinos que apresentaram maior participação no total dascompras de e-commerce com 59,1% das vendas no comércio eletrônico conforme quadro abaixo.De acordo com o levantamento, os principais fatores que incentivaram o comportamento de compra dapopulação são: a maior segurança e confiança no momento da compra; plataformas de negociação de canaiscomo o social commerce (comércio proveniente de Redes Sociais); reformas governamentais que contribuírampara o incentivo ao e-commerce; aumento do nível de bancarização, além de um maior uso dos meios depagamentos eletrônicos, como os cartões de crédito.Os dados obtidos na pesquisa incentivam o setor a apostar em um crescimento de 26% no comércio eletrônicoem 2012, e de 28,5%, em 2013 nos países pesquisados. Fonte: América Economia Intelligence Maio/12Realizado  por    Davi  Salles
  • 9.  Comportamento  do  Consumidor  Brasileiro     Comércio  EletrônicoEm 2008 foram gastos R$ 8,2 bilhões em compras on-line. Em 2009, mesmo com a crise, foram gastos R$ 10,5bilhões, em 2010 fechou com R$ 14,8 bilhões, atingindo 1/3 de todas as vendas de varejo feitas no Brasil e em2011 foram gastos R$ 18,7 Bilhões.A pesquisa demonstra ainda uma grande preocupação do consumidor, referente ao ambiente seguro dainternet, ponto primordial para tranquilidade e fechamento de um negócio através deste canal seguido peladesconfiança da entrega e qualidade do produto ofertado.Uma curiosidade relativa a publicidade on-line, demonstrou que a internet se tornou o terceiro veículo de maioralcance no Brasil, atrás apenas de rádio e TV, 87% dos internautas utilizam a rede para pesquisar produtos eserviços antes de concretizar uma negociação. Esta pesquisa demonstra ainda que 90% dos consumidoresouvem sugestões de pessoas conhecidas, enquanto que 70% confiam em opiniões expressas em sites, blogsou fóruns on line.Com base nos temas abordados nesta apresentação, a equipe de Canais digitais pode preparar um dossiêpara um plano de ação para que a inserção de todas as campanhas existentes possam cair na rede damaneira mais adequada, extraindo assim todo o potencial que temos no Brasil atrelados a melhores regiões,publico alvo e produtos específicos. Fonte: Ibope NetRatings Abril/12Realizado  por    Davi  Salles
  • 10.  Comportamento  do  Consumidor  Brasileiro     Formas  de  PagamentoOs brasileiros preferem utilizar dinheiro para pagar despesas gerais, contas de restaurantes, viagens eatividades de entretenimento.De acordo com a Pesquisa Global da Nielsen sobre Situação Financeira, no Brasil, 66% da população opta poresse tipo de pagamento. Na América Latina, 79% dão preferência ao dinheiro na hora de pagar as compras.Em seguida, aparece o cartão de débito. Este meio de pagamento é a preferência de 58% dos consumidoresbrasileiros e 57% dos latino-americanos.O cartão de crédito aparece na terceira posição, sendo considerada a preferência de 52% dos consumidoresbrasileiros e 48% entre os latino-americanos.Já os cheques aparecem entre os últimos meios de pagamentos citados no ranking. Segundo o levantamento,apenas 7% dos brasileiros disseram que usam este meio, mesmo percentual observado entre os latino-americanos.Por fim, aparecem os meios eletrônicos de pagamento (Paypal / MercadoPago e etc), eles são opção para4% dos brasileiros, mesmo percentual apresentado na América Latina. Fonte: InfoMoney Julho/12Realizado  por    Davi  Salles
  • 11. Perfil  do  Consumidor  Brasileiro  voltado  a  Seguros   A CNseg realizou uma pesquisa onde mostra que a grande maioria das pessoas considera a compra de seguros um ato importante ou muito importante. Em um universo de 447 pessoas ouvidas- das quais 50% são homens e 48%, mulheres - 62% dizem que ter um seguro é algo muito importante, ao passo que 23% classificação a proteção oferecida pelas seguradoras como importante. Uma minoria, 2,2% dos entrevistados, não vê importância alguma na aquisição do seguro. Apesar disso, não ocorre a compra para todos os riscos entre os entrevistas. Dos 447 participantes da pesquisa, 48% declararam não ter seguro de vida. Entre os segurados de vida, o banco é o principal motor de venda das apólices (31,8%), aparecendo em seguida os corretores, com 16,1%. No caso de saúde, apenas 18% dos entrevistados- 82 pessoas- não possuem planos. E dos que estão cobertos, 70% contrataram as coberturas por meio de corretores, e os bancos figuram no segundo lugar, com 21% das vendas realizadas. Na apólice de automóvel, dos 447 entrevistados, a grande maioria contrata seguro. E o canal corretor é o mais atuante, com 66% das contratações, fora outros 25% a cargo de bancos. A demanda por seguro residencial continua aquém do potencial, mostra a pesquisa. Dos entrevistados, 61% não contratam o seguro para seu imóvel. E do universo de segurado neste ramo, corretores e bancos empatam na captação de negócios, com exatos 43% para os dois lados. A pesquisa quis saber se os entrevistados acham o uso de novas tecnologias um facilitador no acesso ou contratação de seguros e serviços. A grande maioria- 56,2%- está de acordo que as tecnologias móveis "facilitaram totalmente" o acesso e contratação. Outros 22,6% declararam que as tecnologias "facilitaram muito", ao passo que 11,9% acham que elas "facilitaram razoavelmente". Mesmo assim, o consumidor ainda prefere a compra via corretor (45,6%). Fonte: CNSEG– 05/2012Realizado  por    Davi  Salles
  • 12.  Segurança  nas  Compras  On  Line     Esta  segurança  faz  a  diferença  para  vendas  On  Line Conforme mencionado nesta apresentação, segurança na hora de efetuar a compra é o ponto mais preocupante pelo consumidor. Utilizando a tecnologia SSL EV, o SSL Blindado garante aos usuários que seus dados pessoais trafeguem na web com segurança. O certificado SSL é um protocolo que provê a privacidade e a integridade de dados de aplicações que estejam se comunicando pela Internet, ou seja, todos os dados transmitidos passam por um processo de criptografia, que é uma codificação que somente pode ser decifrada pelo site acessado. Desta forma, se tal informação for interceptada na Internet, ela estará codificada e será impossível decifrá-la. Para saber se o usuário está em uma página web protegida pelo SSL, basta verificar o endereço do site que deve iniciar com https:// ao invés do tradicional http://, sem o S de seguro. Pelo SSL Blindado, que utiliza tecnologia EV SSL (Extended Validation), o nível de confiança e segurança dos usuários é ampliado, pois, diferentemente dos certificados comuns, traz aspectos que chamam a atenção do usuário e facilitam o reconhecimento de páginas seguras. Com esta tecnologia o cliente estará seguro de possíveis ações de hackers a medida que acessar um site que solicite dados confidenciais como senhas, cadastros ou identificações, números de Cartões de Crédito inseridos em seu computador. Fonte: InfoMoney Julho/12Realizado  por    Davi  Salles
  • 13.  Redes  Sociais    Analisando a evolução atual das redes sociais no Brasil, vemos claramente um movimento de adoção doFacebook (+258% Unique visitors – 2009 vs 2010), maior do que o crescimento do Orkut (+28% Unique visitors– 2009 vs 2010). No final de 2011 em uma nova medição da ComScore foi constatado que o Facebook (36MUnique visitors) passou o Orkut (34M Unique visitors), comprovando a tendência de mudança dos últimosmeses e consolidando o Facebook como a rede social mais acessada pelos brasileiros.Fonte: ComScore / SocialBakersRealizado  por    Davi  Salles
  • 14.  Redes  Sociais  –  FaceBook    FaceBook compartilha informações estratégicas que ajudam a promoção de Marcas e Produtos na Rede Socialem cada país. O FaceBook Brasil possui 56.725.420 usuários cadastrados e faz do pais o segundo colocadoem número de cadastros.Considerando Mídias Sociais, a ferramenta Engagement Analytics é a mais popular e monitora a situação nomercado, acompanha e analisa o número de FANS em sua página do Facebook, identificar os principaisinfluenciadores, as taxas de resposta, movimentos da concorrência e muito mais. Existe  até  “melhor  horário  e  dia"  para  promover  sua  marca Na maior rede social do mundo, em média os links postados entre 15h e 18h geram maior quantidade de cliques. Por outro lado, aqueles antes das 10h e depois das 22h não chamam tanto a atenção. O pico de engajamento no site foi registrado no meio da semana, ou seja, o melhor dia e horário para postar no Facebook é quarta-feira entre 13h e 15h, de acordo com a pesquisa.Fonte: SocialBakers
  • 15.  Redes  Sociais  –  FaceBook     Marcas  e  Mídias  mais  populares  no  Brasil Distribuição  da  idade  e  divisão  de  sexo  no  FaceBook  Brasil Fonte: FaceBookFonte: SocialBakersRealizado  por    Davi  Salles
  • 16.  Mídia  On  Line    Mercado de mídia online cresce a cada ano no Brasil, o investimento cresceu 70% entre 2010 e 2011. Éperceptível também a concentração de investimentos, aproximadamente 50% do budget total é focado nomercado de buscas, principalmente no Google.Investimento médio em mídia, em termos de share dos investimentos das grandes empresas, chega a quase10% do investimento total em mídia, e esse número tem aumentado a cada ano.Os números demonstram que “investimentos” em Mídia Online, podem trazer resultados efetivos para asempresas, considerando o crescimento do acesso a internet no país.Fonte: ComScore / SocialBakersRealizado  por    Davi  Salles
  • 17.  Conclusão     Com base na pesquisas, índices e estudos apresentados, podemos observar que o consumidor brasileiro dá preferencia de compra para os canais convencionais quando se fala em seguros, porem, este mesmo público demonstra estar aberto a utilizar da tecnologia (Internet / Redes Sociais / Aplicativos), para assegurar seus bens, famílias e suas vidas. Temos com isso uma oportunidade de se destacar no cenário tecnológico, utilizando das práticas e índices apresentados neste trabalho fazendo uso em especial de mídias sociais e das redes sociais, buscando com isso se consolidar no cenário tecnológico e aumentar o faturamento com vendas de seguro auto, vida, residencial e demais produtos existentes na carteira do Grupo Segurador BB Mapfre.Fonte: ComScore / SocialBakersRealizado  por    Davi  Salles
  • 18.     Obrigado!   Realizado  por    Davi  Salles

×