Etar

15,354 views
14,951 views

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
15,354
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
101
Actions
Shares
0
Downloads
214
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Etar

  1. 2. O que é uma ETAR? <ul><li>São estações de tratamento das águas residuais de origem doméstica e/ou industrial. </li></ul><ul><li>Tem como função a despoluição gerada pelo uso doméstico e/ou industrial. </li></ul><ul><li>Existem várias etapas no tratamento das águas: </li></ul><ul><li>Pré tratamento </li></ul><ul><li>Tratamento primário </li></ul><ul><li>Tratamento secundário </li></ul><ul><li>Tratamento terciário </li></ul>
  2. 3. Pré tratamento <ul><li>O esgoto é sujeito aos processos de separação dos sólidos mais grosseiros, que pode ser constituído por grades grosseiras, grades finas ou outros tipos. Nesta fase, o esgoto é, desta forma, preparado para as fases de tratamento seguintes. </li></ul>
  3. 4. Tratamento primário <ul><li>Passada a fase da pré tratamento, a água permanece praticamente com as suas características poluidoras inalteradas. A matéria poluente é separada da água por sedimentação nos sedimentadores primários. </li></ul><ul><li>Após o tratamento primário, a matéria poluente que permanece na água mas a reduzidas dimensões, que normalmente é constituída por colóides. </li></ul>
  4. 5. Tratamento secundário <ul><li>Em geral o processo seguinte é consistindo por um processo biológico, onde a matéria orgânica (poluente) coloidal é consumida por microrganismos. </li></ul><ul><li>Estes reactores são normalmente constituídos por tanques com grande quantidade de microorganismos, havendo por isso a necessidade de promover o seu arejamento. A eficácia de um tratamento secundário pode chegar a 95% ou mais dependendo da operação da ETAR. </li></ul>
  5. 6. Tratamento Terciário <ul><li>Normalmente, antes do lançamento final no corpo receptor, é necessário proceder à desinfecção das águas residuais tratadas para a remoção dos organismos patogénicos ou, em casos especiais, à remoção de determinados nutrientes, como o azoto e o fósforo, que podem potenciar, isoladamente ou em conjunto, a eutrofização das águas receptoras. </li></ul>
  6. 7. Trabalho realizado por: <ul><li>Carla Esteves </li></ul><ul><li>David Gonçalves </li></ul><ul><li>Flávia Pinto </li></ul><ul><li>Marisa Ascensão </li></ul>

×