Acção de Formação Práticas e Modelos de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares<br />O Modelo de Auto-Avaliação. Problemá...
Indíce<br />A - Planificação  do Workshop…………………………………….………………….……..Diap. 5<br />B – 1ª Actividade Prática ………………………………………...
	Etapas do processo …………………………………………...………..………Diap. 19<br />	Envolvimento dos diferentes tipos de utilizadores ………...………....
4<br />Helena Ramos Correia<br />
A -Planificação do Workshop:<br />
<ul><li>OBJECTIVOS
METODOLOGIA  e RECURSOS / MATERIAIS
PÚBLICO ALVO e DURAÇÂO</li></ul>6<br />Helena Ramos Correia<br />
7<br />Helena Ramos Correia<br />
B – 1ª Actividade Prática<br />
Utilizando a folha que lhe foi distribuída, registe: <br />	a) A sua definição de Biblioteca Escolar.<br />	b) Que papel t...
Reflexão<br /><ul><li>Apresentação de algumas</li></ul> questões para dar início à actividade:<br />10<br />Helena Ramos C...
A Acção da BE:<br />Biblioteca Escolar<br />11<br />Helena Ramos Correia<br />
Como avaliar a Biblioteca escolar:<br />12<br />Helena Ramos Correia<br />
13<br />Helena Ramos Correia<br />
C - O Modelo de Auto-Avaliação<br /><ul><li>Apresentação em PowerPoint</li></li></ul><li>O Modelo de auto-avaliação enquan...
Organização estrutural / funcional do modelo:<br />4 DOMÍNIOS<br />A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular<br />	A.1 Articu...
A recolha de evidências:<br />17<br />Helena Ramos Correia<br />
Perfil de desempenho<br />4<br />Excelente<br />3<br />Bom<br />2<br />Satisfatório <br />1<br />Fraco <br />18<br />Helen...
Etapas do Processo<br />Identificação do perfil da BE<br />Selecção do domínio a avaliar<br />Calendarização do processo<b...
ENVOLVIMENTO DOS DIFERENTES <br />TIPOS DE<br /> UTILIZADORES<br />20<br />Helena Ramos Correia<br />
Avaliação da BE                           necessidade de <br />envolvimento de todos os intervenientes no processo.<br />P...
Constrangimentos<br />Oportunidades<br />22<br />Helena Ramos Correia<br />
23<br />Helena Ramos Correia<br />
D – 2ª Actividade Prática<br />
Apresentar sugestões / Orientações para a implementação da auto-avaliação da BE.<br />Aferir o impacto  da iniciativa.<br ...
26<br />Helena Ramos Correia<br />
E – Conclusão<br />
O modelo de auto-avaliação de bibliotecas escolares apresenta-se passível de ser gerador de mudanças profundas na vida esc...
29<br />Helena Ramos Correia<br />
F - Bibliografia<br />
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

1ª Parte Tarefa 1 Modulo 2

260

Published on

Acção de formação

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
260
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1ª Parte Tarefa 1 Modulo 2

  1. 1. Acção de Formação Práticas e Modelos de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares<br />O Modelo de Auto-Avaliação. Problemáticas e conceitos implicados<br />Tarefa 1 – 1ª Parte: Workshop<br />Formanda: Helena Ramos Correia<br />
  2. 2. Indíce<br />A - Planificação do Workshop…………………………………….………………….……..Diap. 5<br />B – 1ª Actividade Prática …………………………………………….…………………..…Diap. 8<br />Reflexão……………………………..……………………………………………………Diap. 10<br /> A acção da BE ……………….…………..………………………..……………Diap. 11<br /> Como avaliar a BE …………………………………..…………….……………Diap. 12<br />C - O Modelo de auto-avaliação de Bibliotecas Escolares …………….………….…..Diap. 14<br /> O Modelo de auto-avaliação enquanto instrumento <br /> pedagógico e de melhoria …………………………….……………..………Diap. 15<br /> Organização estrutural e funcional do modelo ……………..………..……Diap. 16<br /> A recolha de evidências: ……………………………………………..….……Diap. 17<br /> Perfil de desempenho ……………………………………….…….………..…Diap. 18<br />2<br />Helena Ramos Correia<br />
  3. 3. Etapas do processo …………………………………………...………..………Diap. 19<br /> Envolvimento dos diferentes tipos de utilizadores ………...………..………Diap. 20<br /> Constrangimentos /Oportunidades …………………...………..…..……Diap. 22<br />D – 2ªActividade Prática ………………………………...................………..………Diap. 24<br />E - Conclusão………………………………………..…………… …...………..………Diap. 27<br />F - Bibliografia ………………………………………………………...………..………Diap. 30<br />3<br />Helena Ramos Correia<br />
  4. 4. 4<br />Helena Ramos Correia<br />
  5. 5. A -Planificação do Workshop:<br />
  6. 6. <ul><li>OBJECTIVOS
  7. 7. METODOLOGIA e RECURSOS / MATERIAIS
  8. 8. PÚBLICO ALVO e DURAÇÂO</li></ul>6<br />Helena Ramos Correia<br />
  9. 9. 7<br />Helena Ramos Correia<br />
  10. 10. B – 1ª Actividade Prática<br />
  11. 11. Utilizando a folha que lhe foi distribuída, registe: <br /> a) A sua definição de Biblioteca Escolar.<br /> b) Que papel tem a BE na sua prática pedagógica?<br />9<br />Helena Ramos Correia<br />
  12. 12. Reflexão<br /><ul><li>Apresentação de algumas</li></ul> questões para dar início à actividade:<br />10<br />Helena Ramos Correia<br />
  13. 13. A Acção da BE:<br />Biblioteca Escolar<br />11<br />Helena Ramos Correia<br />
  14. 14. Como avaliar a Biblioteca escolar:<br />12<br />Helena Ramos Correia<br />
  15. 15. 13<br />Helena Ramos Correia<br />
  16. 16. C - O Modelo de Auto-Avaliação<br /><ul><li>Apresentação em PowerPoint</li></li></ul><li>O Modelo de auto-avaliação enquanto instrumento pedagógico e de melhoria<br />15<br />Helena Ramos Correia<br />
  17. 17. Organização estrutural / funcional do modelo:<br />4 DOMÍNIOS<br />A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular<br /> A.1 Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e os docentes<br /> A.2. Desenvolvimento da literacia da informação<br />B. Leitura e Literacias<br />C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade<br /> C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular<br /> C.2. Projectos e parcerias<br />D. Gestão da Biblioteca Escolar2009/2010<br /> D.1. Articulação da BE com a Escola/ Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE<br /> D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços<br /> D.3. Gestão da colecção<br />16<br />Helena Ramos Correia<br />
  18. 18. A recolha de evidências:<br />17<br />Helena Ramos Correia<br />
  19. 19. Perfil de desempenho<br />4<br />Excelente<br />3<br />Bom<br />2<br />Satisfatório <br />1<br />Fraco <br />18<br />Helena Ramos Correia<br />
  20. 20. Etapas do Processo<br />Identificação do perfil da BE<br />Selecção do domínio a avaliar<br />Calendarização do processo<br />Recolha de evidências<br />Identificação do perfil de desempenho da BE<br />Elaboração do relatório de auto-avaliação<br />Apresentação e discussão do relatório em reunião do CP<br />Registo / síntese / relatório <br />Elaboração do Plano de Acção, com base nos pontos fracos e fortes identificados, definindo acções de melhoria<br />19<br />Helena Ramos Correia<br />
  21. 21. ENVOLVIMENTO DOS DIFERENTES <br />TIPOS DE<br /> UTILIZADORES<br />20<br />Helena Ramos Correia<br />
  22. 22. Avaliação da BE necessidade de <br />envolvimento de todos os intervenientes no processo.<br />PB e <br />equipa da BE<br />Professores,<br />Alunos, EE<br />Conselho<br />Pedagógico<br />Director<br />Capacidade de <br />liderança,<br />organização e <br />análise de <br />evidências<br />Acompanhamento<br />e coadjuvação<br />do processo<br />Colaboração nas <br />respostas a<br />inquéritos e <br />grelhas de<br />observação<br />Objectividade e<br />seriedade nas<br />respostas<br />Discussão e<br />parecer sobre:<br /><ul><li>Relatório de </li></ul> Auto-Avaliação<br /><ul><li>Plano de</li></ul> Melhoria <br />21<br />Helena Ramos Correia<br />
  23. 23. Constrangimentos<br />Oportunidades<br />22<br />Helena Ramos Correia<br />
  24. 24. 23<br />Helena Ramos Correia<br />
  25. 25. D – 2ª Actividade Prática<br />
  26. 26. Apresentar sugestões / Orientações para a implementação da auto-avaliação da BE.<br />Aferir o impacto da iniciativa.<br />Registo das conclusões.<br />25<br />Helena Ramos Correia<br />
  27. 27. 26<br />Helena Ramos Correia<br />
  28. 28. E – Conclusão<br />
  29. 29. O modelo de auto-avaliação de bibliotecas escolares apresenta-se passível de ser gerador de mudanças profundas na vida escolar e na vida das bibliotecas escolares.<br />O desenvolvimento deste workshop permite potenciar a receptividade dos diferentes intervenientes perante a implementação prática do modelo e a recolha de evidências na articulação com a comunidade escolar.<br />Contudo, só a experiência da sua aplicação prática revelará os seus pontos fortes e os seus pontos fracos e quais as ameaças e oportunidades que encontrará na comunidade escolar. <br />28<br />Helena Ramos Correia<br />
  30. 30. 29<br />Helena Ramos Correia<br />
  31. 31. F - Bibliografia<br />
  32. 32. <ul><li> Texto da sessão: “O Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares: problemáticas e conceitos implicados”, Disponível na plataforma.
  33. 33. Eisenberg, Michael & Miller, Danielle ( 2002 ) “ This Man Wants to Change Your Job”, School Library Journal. 9/1/2002 <http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html [13/10/2009]
  34. 34. Todd, Ross (2002) “Schoollibrarian as teachers: learningoutcomesandevidencebasedpractice” 68th IFLA Counciland General ConferenceAugust. http://www.ifla.org/IV/ifla68/papers/084-119e.pdf >[13/10/2009]
  35. 35. Todd, Ross (2008) “TheEvidence-based Manifesto for Schoollibrarians”, School Library Journal. 4/1/2008 <http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA6545434.html>[13/10/2009]
  36. 36. Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares . Disponível na plataforma e em: http//www.rbe.min-edu.pt [ 23/09/2009]</li></ul>31<br />Helena Ramos Correia<br />

×