Propedêutica pulmonar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Propedêutica pulmonar

on

  • 27,708 views

 

Statistics

Views

Total Views
27,708
Views on SlideShare
27,681
Embed Views
27

Actions

Likes
8
Downloads
428
Comments
1

1 Embed 27

http://www.dapab.com.br 27

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Prático e didático.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Propedêutica pulmonar Propedêutica pulmonar Presentation Transcript

  • PROPEDÊUTICA PULMONAR
  •  DIVISÕES DO TÓRAX: a) Anterior: Linhas esternal, hemi- claviculares. Regiões esternal, paraesternal, supra ou infra-mamária, supra ou infra-clavicular. b) Lateral: Linha axilar anterior, média e posterior ou face lateral inferior, média e superior.
  • c) Posterior: Linha vertebral ou escapular; supra ou infra-escapular. Regiões vertebral,inter-escápulo-vertebral,supra ou infra-escapular
  • PROPEDÊUTICA PULMONAR 1) INSPEÇÃO ESTÁTICA 2) INSPEÇÃO DINÂMICA 3) PALPAÇÃO 4) PERCUSSÃO 5) AUSCULTA
  • INSPEÇÃO ESTÁTICAÉ como se estivéssemos vendo o paciente numa fotografia.Observar: a) Alterações cutâneas ou de pilificação.b)Tipo físico (Ângulo de Charpy).c) Forma do tórax: Normal, tonel, raquítico, pirifome, pectusescavatum, pectus carinatum, cifo-escoliose, retrações fixas(atelectasias, fibroses, etc) ou abaulamentos patológicos fixos(Tumores, fraturas, etc).
  • Pectus escavatum
  • Pectus carinatum Fratura de esterno
  • Escoliose Cifose/ Lordose
  • Tórax em tonel
  • INSPEÇÃO DINÂMICA 1) Tipo Respiratório: Masculino (Tóraco- abdominal) e feminino (Torácica) 2) Frequência Respiratória: 16 a 20 rpm. 3) Ritmo respiratório: Eupnéia, dispnéia, taquipnéia, bradipnéia, polipnéia, hiperpnéia, dispnéia de decúbito, trepopnéia, apnéia, Kussmaul, Cheyne- Stokes, Biot. 4) Retrações ou abaulamentos respiratórios: Ex: Tiragens, sinal de Lemos Torres, etc.
  • PALPAÇÃO 1) Elasticidade 2) Expansibilidade:Superior, medial, inferior, lateral e anterior.
  • PALPAÇÃO FRÊMITOS 1) Tóraco-vocal: Transmissão do som (33). Os sons se alteram quando passam por diferentes estruturas. Mais homogêneos (grandes cavitações e condensações periféricas). Menos homogêneos ( Derrames pleurais, atelectasias, pneumotórax, enfisema). 2) Brônquico: Secreção em brônquios. 3) Pleural: Presença de inflamação pleural.
  • Diferenças entre frêmitos brônquico e pleural Frêmito Brônquico  Frêmito Pleural Qualquer lugar do tórax  Face antero-lateral Muda com a tosse  Não muda com a tosse Indolor  Doloroso Aparece na ins e expiração  Aparece no final da inspiração
  • PERCUSSÃO 1) Som Claro Pulmonar 2) Som Sub-Maciço 3) Som Maciço 4) Som Hiper-sonoro 5) Som Timpânico Obs: Sinal de Signorelli (Derrame Pleural)
  • Percussão
  • Percussão bilateral
  • AUSCULTA PULMONARCOMO SEGURAR O ESTETOSCÓPIO?
  • AUSCULTA
  • Respiração Traqueo-brônquica
  • Respiração Bronco-Vesicular
  • Murmúrio Vesicular
  • Murmúrio Vesicular Murmúrio Vesicular a) MV normal b) MV aumentado (Discutível). c) MV diminuído (Pneumopatias ou situações que atrapalhem a transmissão do som)
  • RUÍDOS ADVENTÍCIOS I) ESTERTORES SECOS: a) Roncos: Presença de secreção em brônquios. Na palpação, correspondem ao frêmito brônquico. Aparecem na ins e expiração. b) Sibilos: Obstrução parcial de brônquios, geralmente os pequenos brônquios. Podem aparecer na ins, expiração ou em ambas. Também são conhecidos como chiado.
  • RUÍDOS ADVENTÍCIOS II) ESTERTORES ÚMIDOS: a) Estertores Crepitantes: Presentes apenas na inspiração. Indica secreção ou líquido nos alvéolos. São homogêneos. b) Estertores Sub-Crepitantes: Presentes na ins e expiração. Indica secreção ou líquido em pequenos brônquios e bronquíolos. Também são conhecidos como estertores bolhosos (Pequenas, médias e grossas bolhas).
  • ATRITO PLEURAL É a expressão auscultatória do frêmito pleural. Tem diagnóstico diferencial com estertor crepitante. É mais comum nas regiões laterais do tórax. Comumente se acompanha de dor.
  • AUSCULTA DA VOZ 1) Broncofonia normal. 2) Broncofonia diminuída (Pneumotórax, derrame pleural, massas, enfisema, etc). 3) Broncofonia aumentada ( Grandes condensações e cavitações periféricas). 4) Pectorilóquia Fônica: Nitidez na ausculta da voz. Condensação ou cavitação. 5) Pectorilóquia Áfona: Nitidez na voz cochichada. 6) Egofonia: Voz anasalada. Presente no limite superior do derrame pleural