Sociologia positivismo, marxismo e sociologia compreensiva

17,888 views

Published on

4 Comments
19 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
17,888
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
42
Actions
Shares
0
Downloads
559
Comments
4
Likes
19
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sociologia positivismo, marxismo e sociologia compreensiva

  1. 1. Positivismo, Marxismo e Sociologia Compreensiva Este conteúdo é baseado em meu entendimento pessoal da matéria relacionada ao curso de Serviço Social – By Dani Rubim – estudante de Serviço Social - 2013
  2. 2. O QUE É O CORRENTES FILOSOFICAS SOCIAIS POSITIVISMO
  3. 3. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O QUE É O POSITIVISMO O positivismo é uma corrente filosófica que surgiu na França no começo do século XIX. Os principais idealizadores do positivismo foram os pensadores Augusto Comte e John Stuart Mill. O positivismo defende a idéia de que o conhecimento científico é a única forma de conhecimento verdadeiro. De acordo com os positivistas somente pode-se afirmar que uma teoria é correta se ela foi comprovada através de métodos científicos válidos.
  4. 4. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O QUE É O POSITIVISMO O positivismo definiu o objeto, o método e os conceitos fundamentais da sociologia. O francês, Condorcet (1753 -1794), foi o primeiro a considerar a ciências sociais como algo matematicamente racional que só poderá ser corretamente analisado se não estiver ligado a ideologias de classes, dogmas, interesses ou preconceitos. O primeiro a usar o termo POSITIVO foi Saint-Simon (1760-1825) - discípulo direto de Condorcet - que teria por modelo uma espécie de fisiologia social.
  5. 5. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O QUE É O POSITIVISMO A idéia de que a ciência e a razão seriam capazes de captar a dinâmica das sociedades e de que existiriam leis naturais regulando seu desenvolvimento vai ganhando força durante o século XVIII. Auguste Comte (1798-1857) - discípulo direto de Saint-Simon – considerava Simmon e Concordet negativos e criticos e que ate agora não haviam sido descobertos as leis sociais devido essa negatividade. Comte, com o positivismo, foi o primeiro a sistematizar o pensamento sociológico, definindo seu objeto, estabelecendo conceitos e métodos de investigação.
  6. 6. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA IDEIAS PRINCIPAIS DO POSITIVISMO 1. A sociedade humana é regulada por leis naturais invariáveis e independentes da vontade e da ação humana. 2. Os métodos e procedimentos para se conhecer a sociedade são exatamente os mesmos utilizados para conhecer a natureza. 3. As ciências da sociedade, assim como as ciências naturais, são ciências objetivas, neutras, livres de juízos de valor. As ciências sociais não teriam vínculo com classes sociais, posições políticas ou ideologias.
  7. 7. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA LEIS FUNDAMENTAIS / SOCIAIS Comte diz que a humanidade está em permanente desenvolvimento ou evolução e formulou o que chama de lei fundamental. Tudo que pensamos e fazemos para por três etapas: 1º Ponto de partida : estado teológico ou fictício, 2º Ponto de transição : estado metafísico ou abstrato 3º Ponto fixo, definitivo : estado científico ou positivo Veja a seguir estas tres etapas explicadas atraves de exemplos:
  8. 8. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA LEIS FUNDAMENTAIS / SOCIAIS ESTADO TEOLÓGICO - a explicação da realidade ocorreria a partir da crença na intervenção de seres sobrenaturais. • ESTADO METAFÍSICO - impõe o abstrato na explicação dos fatos (usoo da imaginação) compreende-se a sociedade como originária de um contrato. • ESTADO POSITIVO - ocorreria a subordinação da imaginação e da argumentação à observação dos fatos concretos. Comte acreditava que se vivia o “caos social”. Era necessário deixar para trás os preconceitos e noções equivocadas, fruto da imaginação ou do fervor religioso, e estabelecendo definitivamente o domínio da ciência e da razão.
  9. 9. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA FATOS SOCIAIS Durkheim elaborou regras para a observação do OBJETO das ciencias sociais: os fatos sociais são elas: • Considerar os fatos sociais como coisas; • Afastar os preconceitos e as noções pré-concebidas; • Definir previamente tais fatos pelos caracteres exteriores que lhes são comuns; • Considerá-los sem tomar em consideração suas manifestações individuais. FATOS SOCIAIS são: “toda maneira de agir fixa ou não, suscetível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior; ou então ainda, que é geral na extensão de uma sociedade dada, apresentando uma existência própria, independente das manifestações individuais que possa ter” - DURKHEIN
  10. 10. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA CARACTERISTICAS DOS FATOS SOCIAIS São: “maneiras de agir, de pensar e de sentir que apresentam a propriedade marcante de existir fora das consciências individuais” – DURKHEIM OU SEJA: São externos, algo dotado de vida propria, influenciadas pela sociedade - são práticas, crenças e modos de agir que existem antes do indivíduo nascer e continuarão a existir após sua morte. Segundo Durkheim, todos possuem duas consciências: UMA INDIVIDUAL, que é única a cada indivíduo e lhe coloca problemas de ordem individual; OUTRA COLETIVA OU COMUM, caracterizada como um conjunto de idéias, sentimentos e hábitos que exprimem em cada indivíduo o grupo do qual faz parte.
  11. 11. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA SOLIDARIEDADE São laços que unem os membros entre si e ao grupo que podem ser: SOLIDARIEDADES MECANICAS – com noções primitivas, ligadas por laços de sangue ou compatibilidades. Indivíduos que compartilham das mesmas noções e valores. SOLIDARIEDADES ORGANICAS – Não compartilham de interesses mútuos. A divisão social, portanto se torna maior, cada membro executa uma função diferente para coexistir o TODO.
  12. 12. O QUE É O MARXISMO CORRENTES FILOSOFICAS SOCIAIS
  13. 13. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O QUE É O MARXISMO Foi desenvolvido na primeira meta do sec. XIX (1848) com a publicação “Manifesto do Partido Comunista” por Karl Marx e Friedrich Engels. Desenvolveu a teoria de práxis: uma ação transformadora da realidade, rumo à concretização da idealidade. Marx concentrou seus esforços na crítica política ao modelo de sociedade vigente ao seu tempo, procurando bases concretas para defender seu modelo nas longínquas na História da Humanidade. Modelo este que levaria o Homem ao desenvolvimento máximo de suas potencialidades.
  14. 14. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O QUE É O MARXISMO Seu modelo de sociedade “perfeita” serviu tanto como instrumento para organização da classe trabalhadora e para o surgimento dos partidos políticos de esquerda em todo o mundo, como para influenciar revoluções sociais como a Revolução Chinesa e a Russa. O princípio fundamental do marxismo é o materialismo, ou seja, a única realidade seria a matéria e suas forças, em transformação contínua. “um homem nunca se banharia no mesmo rio duas vezes, pois, na segunda vez, nem as águas do rio seriam as mesmas, nem o homem permaneceria o mesmo”
  15. 15. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA MATERIALISMO ECONOMICO Para Marx, a base econômica seria determinante para o desenvolvimento das sociedades. Marx entendia que as relações econômicas de produção de determinada sociedade permitiriam compreender todos os seus demais aspectos. A estrutura econômica exerceria um papel determinante no processo de transformação das sociedades humanas. A transformação da sociedade estaria ligada com a forma como o Homem interfere na natureza para atender as suas necessidades de sobrevivência.
  16. 16. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA MATERIALISMO HISTORICO Para Marx, as sociedades, ao longo da História, também estariam em constante transformação determinadas pelas mudanças em sua base econômica. Essa transformação se daria através de três elementos: A TESE é uma afirmação : tudo o que existe na natureza constitui tese e tudo o que existe em natureza se transforma; ANTITESE é a negação da tese; Do conflito entre tese e antítese surge a SINTESE uma proposta nova.
  17. 17. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA MATERIALISMO HISTORICO Através dessa dialética TESE + ANTITESE = SINTESE Marx disse que: “Todo modo de produção já traz em si o germe que provocará sua deterioração e o surgimento de um modo de produção novo” tendo como motor dessas transformações a “luta de classes”. A origem da divisão da sociedade em classes sociais estaria na propriedade privada dos meios de produção. Em determinado momento, então, essa condição de exploração se tornaria de tal forma insuportável que adviria daí a consciência dessa condição, chamada por Marx de “consciência de classe”: o combustível necessário para ativar a luta de classes.
  18. 18. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA REVOLUÇÃO SOCIAL A luta de classes encontra expressão máxima na forma da revolução social, que então cria a nova ordem de produção, síntese do velho e do novo. A história da humanidade seria então a história da luta de classes, E a luta de classes dependeria por sua vez da consciência de classe. Sendo assim para Marx: “a violência é a parteira das novas sociedades”.
  19. 19. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA ESTRUTURA SOCIAL • o papel do indivíduo na sociedade advém do papel que desempenha na divisão do trabalho social. • As relações de produção determinariam as formas de consciência, organizações, políticas, religião, lei, filosofia, ciência, arte, literatura e até mesmo a moralidade. • Nesse contexto o Estado seria a superestrutura criada a serviço da classe dominante para mante-la em relação a classe subordinada.
  20. 20. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA SOCIEDADE SEGUNDO MAX WEBER • Para Weber, o objeto da sociologia é a ação social. • A ação social é a conduta humana à qual o próprio agente associa um sentido. • Weber distingue quatro tipos de ação social: ▫ ▫ ▫ ▫ 1. AÇÃO RACIONAL EM RELAÇÃO A UM FIM; 2. AÇÃO RACIONAL EM RELAÇÃO A UM VALOR; 3. AÇÃO AFETIVA; 4. AÇÃO TRADICIONAL. Esses tipos de ação encontram-se mais ou menos mesclados na vida social, mas sua classificação é necessária para se poder interpretar a vida social
  21. 21. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA SOCIEDADE SEGUNDO MAX WEBER • O motivo é o fundamento da ação e para a sociologia a reconstrução do motivo é fundamental para compreender a ação e suas causas. • A tarefa do cientista social é descobrir os possíveis sentidos das ações humanas presentes na realidade social. • A relação social é uma ação cujo sentido é compartilhado pelos agentes envolvidos nessa ação. • Esta tentativa de compreenção da ação, motivo e sentido é chamada de sociologia compreensiva ou interpretativa
  22. 22. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O “TIPO IDEAL” • O cientista constrói um modelo pelo estudo das diversas • manifestações particulares do fenômeno, acentuando aquilo que lhe pareça característico desse mesmo fenômeno. • Este modelo é utopico e jamais existira na sociedade atual. • E ao trabalho histórico se apresenta a tarefa de verificar, em cada caso individual, a maior ou menor distância da realidade daquele quadro ideal” ou seja é o estudo para identificar o quanto estamos longe da “perfeição”.
  23. 23. INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA O “TIPO IDEAL” • O cientista constrói um modelo pelo estudo das diversas • manifestações particulares do fenômeno, acentuando aquilo que lhe pareça característico desse mesmo fenômeno. • Este modelo é utopico e jamais existira na sociedade atual. • E ao trabalho histórico se apresenta a tarefa de verificar, em cada caso individual, a maior ou menor distância da realidade daquele quadro ideal” ou seja é o estudo para identificar o quanto estamos longe da “perfeição”. • o tipo ideal é instrumento metodológico de pesquisa.

×