• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Fundamentos do serviço social 2 - parte 2 - capitulo 1
 

Fundamentos do serviço social 2 - parte 2 - capitulo 1

on

  • 453 views

 

Statistics

Views

Total Views
453
Views on SlideShare
453
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Fundamentos do serviço social 2 - parte 2 - capitulo 1 Fundamentos do serviço social 2 - parte 2 - capitulo 1 Presentation Transcript

    • Baseado no livro Relações Sociais e Serviço Social no Brasil (Iamamoto) RACIONALIZAÇÃO E ORIGEM DOS PRIMEIROS ASSISTENTES/ESCOLAS SOCIAIS. Este conteúdo é baseado em meu entendimento pessoal da matéria relacionada ao curso de Serviço Social – By Dani Rubim – estudante de Serviço Social - 2013
    • CAPITULOS: 1, 2, 3, 4 E CONSIDERAÇÕES FINAIS PARA ENTENDERMOS A PROFISSIONALIZAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL TEMOS DE RELACIONÁ-LO COM OS PROCESSOS SOCIAIS E ECONÔMICOS DA REALIDADE BRASILEIRA AO LONGO DE SUA HISTÓRIA.
    • CAPITULOS: 1, 2, 3, 4 E CONSIDERAÇÕES FINAIS • No livro a autora nos mostra o Serviço Social como profissão! • Em um contexto mais amplo, levando em consideração a relação do capitalismo na sociedade brasileira no período entre 30/60. • Dessa forma, o Serviço Social se insere no processo contraditório de reprodução das relações sociais • e carregará determinadas nuances dessa contradição até os dias de hoje
    • CAPITULOS: 1, 2, 3, 4 E CONSIDERAÇÕES FINAIS SURGIMENTO DA PROFISSÃO A Questão Social já não era mais possível de ser ignorada, seus aspectos aumentavam a cada dia devido à/ao: • Extrema exploração nas fabricas • Esforço na 2ª guerra Mundial •Ameaça do pensamento comunista • Surgimento do proletariado como expressão política própria. (e etc)
    • CAPITULOS: 1, 2, 3, 4 E CONSIDERAÇÕES FINAIS SURGIMENTO DA PROFISSÃO A estratégia usada pela classe dominante para exercer sutilmente seu poder na sociedade e amenizar esses “novos” problemas sociais foram AS INSTITUIÇÕES DE POLÍTICAS SOCIAL Surge então o Serviço Social de forma mais racional e técnica que superaria as ações caritativas. Os Assistentes sociais começaram a usar um nova lógica de enfrentamento da questão social.
    • CAPITULOS: 1, 2, 3, 4 E CONSIDERAÇÕES FINAIS 1910 - 1920
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1920 O Trabalho livre era apenas mais uma mercadoria. Surgem grupos ANARQUISTAS/COMUNISTAS incentivados pela superexploração. (tendência política influenciada pelos imigrantes europeus) A densidade das manifestações e organização dos trabalhadores na luta pela melhoria das condições de vida e trabalho se tornou visível para a burguesia.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1920 A Burguesia (sua fração industrial) utilizava a estratégia de • negar as reivindicações do proletariado; • desrespeitando os acordos • e utilizando o aparato policial no enfrentamento das manifestações dos trabalhadores.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1920 A Questão Social já era presente nesse contexto. É importante lembrar que o ESTADO era incapaz de realizar políticas sociais as seqüelas da superexploração e acabavam interagindo com essa massa através de agressões e ameaças físicas e psicológicas.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1920 Alguns empresários começaram a aderir medidas assistencialistas (creches, escolas, alimentação...) o objetivo era minimizar as reivindicações internas compensando minimamente o proletariado para que isso gerasse maior produtividade. Ou seja não havia interesse de melhorar de fato a vida do trabalhador e sim silenciá-lo com “presentinhos”
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. ONDE A IGREJA CATÓLICA ENTRA NESSES PROCESSOS HISTÓRICOS? A igreja Católica já não era o centro das relações políticas, a nível mundial e esta queria este poder de volta. Surgem então um movimento de “recatolização da nação”. A Igreja agora trabalha diretamente voltada a questão social reforçando sempre, para a classe operaria, a idéia de ordem e respeito a hierarquia.
    • CAPITULOS: 1, 2, 3, 4 E CONSIDERAÇÕES FINAIS 1930
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1930 O proletariado já se apresenta com um maior peso numérico e organizativo ao mesmo tempo que o poder da burguesia industrial cresce. (fim da Republica Velha) É cada vez mais visível a luta por hegemonia entre a burguesia e o proletariado.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1930 E assim se abria cada vez mais uma porta para a inserção mais profunda da Igreja Católica e suas medidas junto a política e nos setores sociais. O novo bloco no poder buscará o apoio da hierarquia da Igreja oferecendo em troca o ensino religioso nas escolas.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. 1930 Igreja e Estado – unidos pela preocupação comum de resguardar e consolidar a ordem e a disciplina social, se mobilizarão para estabelecer mecanismos de influência e controle. A partir de 1932 dá-se a ampliação da intervenção do movimento católico laico, através da: • Ação universitária católica; • Instituto de estudos superiores; • Associação da bibliotecas católicas; • Liga eleitoral católica.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. RESPOSTA DA IGREJA ÁS QUESTÕES SOCIAIS Discurso: Deus é fonte de toda justiça, e apenas uma sociedade baseada nos princípios da cristandade pode realizar a justiça social. Objetivo da Igreja: recuperar o proletariado da influência de ideologias exóticas (postura anticomunista); ordenar as relações de produção e harmonizar as classes em conflito.
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. RESPOSTA DA IGREJA ÁS QUESTÕES SOCIAIS A estratégia da Igreja é o de investir no desenvolvimento do movimento laico, fortalecendo sua linha de Ação Católica (Apostulado Social). E aposta na organização da juventude católica para atuar junto à classe operária: JOC - (Juventude Operária Católica); JUC - (Juventude Universitária Católica); JEC - (Juventude Estudantil Católica); JIC - (Juventude Ind. Católica); JFC - (Juventude Feminina Católica);
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. RESPOSTA DA IGREJA ÁS QUESTÕES SOCIAIS A estratégia da Igreja é o de investir no desenvolvimento do movimento laico, fortalecendo sua linha de Ação Católica (Apostulado Social). E aposta na organização da juventude católica para atuar junto à classe operária: JOC - (Juventude Operária Católica); JUC - (Juventude Universitária Católica); JEC - (Juventude Estudantil Católica); JIC - (Juventude Ind. Católica); JFC - (Juventude Feminina Católica);
    • CAPÍTULO 1 – A QUESTÃO SOCIAL NAS DÉCADAS DE 20 E 30 E AS BASES PARA A IMPLANTAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL. Resumão do capitulo 1 1920 – • Idéias comunistas já se implantavam no país; • O Estado intervia através de violência psicológica e física. 1930 – • A burguesia industrial pega força (fim da Republica Velha); • A questão Social esta cada vez mais presente; • A Igreja + Estado se unem para disciplinar moralmente o proletariado... • ...através do ensino católico + Ação Católica (social) que é o enfrentamento direto sobre a questão junto as famílias do proletariado.