Your SlideShare is downloading. ×
0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Arquivologia 2.0
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Arquivologia 2.0

1,750

Published on

Trabalho acadêmico apresentado para a disciplina Tecnologia da Informação, tendo como base principal o livro: "Arquivologia 2.0: A Informação Humana e Digital. Excertos de um arquivista 2.0 no mundo …

Trabalho acadêmico apresentado para a disciplina Tecnologia da Informação, tendo como base principal o livro: "Arquivologia 2.0: A Informação Humana e Digital. Excertos de um arquivista 2.0 no mundo digital", do autor Charlley Luz.

Published in: Technology
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,750
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Por questões
  • Digite aqui suas anotações para este slide
  • Digite aqui suas anotações para este slide
  • Digite aqui suas anotações para este slide
  • Digite aqui suas anotações para este slide
  • Digite aqui suas anotações para este slide
  • Transcript

    • 1. Novembro 2011 Arquivologia 2.0 Universidade Federal daBahia - UFBA Instituto da Ciência da Informação - ICI Disciplina : Tecnologia da Informação
    • 2. <ul><li>Apresentação do Objetivo </li></ul><ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Era 2.0 - Era Digital </li></ul><ul><li>Web 2.0 </li></ul><ul><li>Gestão do Conhecimento e Arquivologia </li></ul><ul><li>Arquivologia 2.0: Aplicação Prática </li></ul><ul><ul><li>Gestão da Informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Disseminação da Informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Arquitetura da Informação </li></ul></ul><ul><li>Taxonomia - Conceito </li></ul><ul><li>Taxonomia - Origem </li></ul><ul><li>Taxonomia - Benefícios </li></ul>AGENDA
    • 3. <ul><li>Folksonomia </li></ul><ul><li>Folksonomia e Mídias Sociais </li></ul><ul><li>Folksonomia - Benefícios </li></ul><ul><li>Portais corporativos - Conceitos </li></ul><ul><li>Portais corporativos - Características </li></ul><ul><li>Portais corporativos - Problemas </li></ul><ul><li>Novo perfil do arquivista </li></ul><ul><li>Missão do arquivista </li></ul><ul><li>Desafios dos Arquivistas </li></ul><ul><li>Princípios Arquivísticos Aplicáveis na Arquivologia 2.0 </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul>AGENDA
    • 4. OBJETIVO <ul><li>Apresentar conceitos em torno da temática Arquivologia 2.0, afim de ampliar a visão do arquivo para além do papel e da caixa de papelão. </li></ul>
    • 5. INTRODUÇÃO A Arquivologia vem passando por um processo lento de evolução. Porém, recentes conceitos trouxeram nova vida para a área e para identificação dos arquivos como instrumento de apoio à tomada de decisão nas atividades da instituição, bem como fonte de informação para o planejamento corporativo. Entretanto, ainda há quem defenda a visão do arquivo como resultado do ciclo vital e o arquivista como o profissional que atua nos arquivos permanentes, ignorando seu papel essencial no cotidiano institucional.
    • 6. ERA 2.0 – ERA DIGITAL <ul><li>Caracterizada pela colaboração para: </li></ul><ul><li>Construção de conteúdo - Ex.: Wikipédia. </li></ul><ul><li>Troca de informações para desenvolvimento de softwares livres - Ex.: Linux </li></ul><ul><li>Utilização da tecnologia para aumentar a customização do diálogo e experiências virtuais - Ex.: Blogs corporativos, Second Life </li></ul><ul><li>Propagação de informações escritas ou virtuais. Ex.: Flicker e Youtube. </li></ul>
    • 7. WEB 2.0 &amp;quot;... é a mudança para uma internet como plataforma, e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma... a regra mais importante é desenvolver aplicativos que aproveitem os efeitos de rede para se tornarem melhores quanto mais são usados pela pessoas, aproveitando a inteligência competitiva.&amp;quot; (Tim O`Reilly - Precursor do uso do termo)
    • 8. GESTÃO DO CONHECIMENTO E A ARQUIVOLOGIA <ul><li>Hoje, o conhecimento é a principal forma de capital . O capital intelectual passa a ser um diferencial competitivo . As empresas que tratam este conhecimento são mais valorizadas. O advento dos portais e intranets possibilitaram o registro, disseminação, classificação e mensuração do conhecimento. </li></ul>
    • 9. GESTÃO DO CONHECIMENTO E A ARQUIVOLOGIA <ul><li>&amp;quot;Gestão do conhecimento é um processo sistemático, articuladoe intencional, apoiado na geração, codificação, disseminação e apropriação de conhecimentos, com o propósito de atingir a excelência organizacional &amp;quot; . </li></ul><ul><li>(Escola de Administração da FGV) </li></ul>
    • 10. ARQUIVOLOGIA 2.0 APLICAÇÃO PRÁTICA “ A melhor interface que existe é a interface que não é notada, que pela intuitividade o usuário - gerador e consumidor de informações - consegue realizar o que precisa para desempenho de atividades”. (LUZ, 2010)
    • 11. ARQUIVOLOGIA 2.0 APLICAÇÃO PRÁTICA <ul><li>GESTÃO DA INFORMAÇÃO </li></ul><ul><li>DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO </li></ul><ul><li>ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO </li></ul>
    • 12. GESTÃO DA INFORMAÇÃO <ul><li>Integração e controle de processos através de novas tecnologias </li></ul><ul><li>Colaboração no Processos Dinamismo eficiência e eficácia = efetividade [na tomada de decisões] </li></ul>
    • 13. DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO <ul><li>Estudos de Usuários </li></ul><ul><li>Aplicação do Markenting, pois esse visa &amp;quot;promover, com a máxima eficiência possível,a satisfação de quem precisa e de quem utiliza produtos e serviços de informação.&amp;quot; (OTTONI, 1995) </li></ul>
    • 14. ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO
    • 15. TAXONOMIA - CONCEITO <ul><li>Estudo da classificação das coisas; </li></ul><ul><li>Conceito importado da Biologia pela área Ciência da Informação para a gestão da informação dentro de sistemas de classificação do conhecimento ; </li></ul><ul><li>Muito utilizada na representação das áreas de atuação de uma empresa/corporação. </li></ul>
    • 16. TAXONOMIA - CONCEITO
    • 17. TAXONOMIA - ORIGEM <ul><li>Sobrecarga de informação; </li></ul><ul><li>Labirintos em busca por informação; </li></ul><ul><li>Informação dispersa em diversas bases de dados por toda a empresa; </li></ul>
    • 18. TAXONOMIA - BENEFÍCIOS <ul><li>Facilita o acesso à informação , agilizando a comunicação entre produtores e público (interno/externo) da informação; </li></ul><ul><li>Uniformiza a classificação do conhecimento e das informações; </li></ul><ul><li>Esclarece os conceitos em uso, ao invés de criar novos termos para o mesmo fim; </li></ul><ul><li>Oferece um mapa da área trabalhad a, servindo como guia em processos de conhecimento; </li></ul><ul><li>Ordena , elimina ambiguidades e classifica a informação de maneira lógica . </li></ul>
    • 19. FOLKSONOMIA <ul><li>É a representação temática livre dos assuntos feita pelas pessoas na rede, tendo como ponto forte a construção a partir do linguajar natural da comunidade que a utiliza. </li></ul>Folks Povo, Gente “ Classificação do Povo” Taxonomia Classificação
    • 20. FOLKSONOMIA <ul><li>Usuário escolhe palavras-chaves, conhecidas como tags para classificar a informação ou parte da informação. </li></ul><ul><li>Tag em inglês significa &amp;quot; identificação &amp;quot;. Taggear é identificar alguma coisa. </li></ul>
    • 21. FOLKSONOMIA <ul><li>Primeiros sites que utilizaram tags: </li></ul>
    • 22. FOLKSONOMIA E MÍDIAS SOCIAIS <ul><li>Segundo Luciano Palma, palestrante e consultor estratégico de mídias sociais... </li></ul><ul><li>convergência de informações nomeação de uma situação #tag = todos utilizando a mesma #tag. </li></ul>
    • 23. FOLKSONOMIA E MÍDIAS SOCIAIS <ul><li>Essa convergência faz com que... </li></ul>
    • 24. FOLKSONOMIA - BENEFÍCIOS <ul><li>Apesar de descentralizar o controle sobre um site, o uso da folksonomia traz várias vantagens em comparação à taxonomia: </li></ul><ul><li>Liberação da classificação das informações para o público . </li></ul><ul><li>Rápida adaptação na navegação do site colaborativo </li></ul>
    • 25. A Web 2.0 alterou a forma como são tratadas as informações nos ambientes digitais. Antes, a instituição gerava informação como resultado de suas atividades . Agora, os usuários geram informações através de sua participação . Onde entra o Arquivista nesta história?
    • 26. PORTAIS CORPORATIVOS CONCEITOS <ul><li>São grandes websites institucionais; </li></ul><ul><li>São a evolução das intranets; </li></ul><ul><li>A aplicação que agrega conteúdo, colaboração, conhecimento e aplicativos transacionais, todos numa interface única. </li></ul>
    • 27. PORTAIS CORPORATIVOS CARACTERÍSTICAS <ul><li>Busca e Indexação - Poderosos sistemas de busca e indexação de conteúdo </li></ul><ul><li>Categorização - categorização do conteúdo e conhecimento, de preferência usando tags e conceitos de web 2.0; </li></ul><ul><li>Colaboração - aplicações para colaboração. </li></ul><ul><li>Personalização - cada usuário é um usuário diferente e precisa receber informação de seu interesse apenas. </li></ul>
    • 28. PORTAIS CORPORATIVOS CARACTERÍSTICAS <ul><li>Comunidades - Perfis de acordo com competências; </li></ul><ul><li>Integração de Sistemas - integração com demais aplicações é indispensável; </li></ul><ul><li>Segurança - segurança para todas as aplicações e login único. </li></ul>
    • 29. PORTAIS CORPORATIVOS PROBLEMAS <ul><li>Arquivos parados em listas indexadas somente por ordem cronológica; </li></ul><ul><li>Armazenamento dos documentos. </li></ul>
    • 30. NOVO PERFIL DO ARQUIVISTA <ul><li>Não tem medo da tecnologia; </li></ul><ul><li>Domina o vocabulário da área e entende as diferentes tecnologias da informação, pois compreende que precisamos dela cada vez mais em nosso cotidiano... </li></ul><ul><li>&amp;quot;... Afinal, a tecnologia, o conhecimento humano e a informação sempre andaram juntas .&amp;quot; (Charlley Luz, 2010) </li></ul>
    • 31. MISSÃO DO ARQUIVISTA <ul><li>O Arquivista, enquanto profissional da informação e responsável pelos documentos e informações orgânicas de uma instituição, deve pensar: </li></ul>
    • 32. DESAFIOS DOS ARQUIVISTAS <ul><li>Ter condições de interferir no processo de planejamento de portais que gerem arquivos e documentos; </li></ul><ul><li>Otimizar o arquivamento de documentos para equacionar a questão de armazenamento e disponibilidade das informações e documentos; </li></ul>
    • 33. PRINCÍPIOS ARQUIVÍSTICOS APLICÁVEIS NA ARQUIVOLOGIA 2.0 <ul><li>ORGANICIDADE - nos ambientes digitais os fluxos informacionais ainda espelham a estrutura, funções e atividades da instituição. Ex: Dashboards </li></ul><ul><li>PRINCÍPIO DA PROVENIÊNCIA - é aplicado diretamente ao conceito de portal corporativo. </li></ul>
    • 34. PRINCÍPIOS ARQUIVÍSTICOS APLICÁVEIS NA ARQUIVOLOGIA 2.0 <ul><li>CUMULATIVIDADE - tem uma formação progressiva, natural e orgânica de informações. </li></ul><ul><li>UNICIDADE - as informações são geradas de forma evolutiva e ao longo dos processos, bem como na prática da geração de dossiês e dos processos administrativos . </li></ul>
    • 35. &amp;quot;Arquivística é uma ciência de informação social, que estuda os arquivos (como sistemas de informação semifechados), quer na sua estruturação interna e na sua dinâmica própria, quer na interação com os outros sistemas correlativos que coexistem no contexto envolvente&amp;quot; ( Armando Malheiros )
    • 36. CONCLUSÃO Apesar da arquivística ter evoluído muito com a era digital, ainda tem longo caminho a trilhar. O conceito de documento é imutável, porém, paralelo a ele, existem registros de decisões e de inteligência coletiva que extravasam estes conceitos. Por isso a importância do foco não se limitar somente nas organizações, mas também na ação humana. Nesse contexto é fundamental que o arquivista tenha uma formação de base suficientemente sólida e abrangente, que lhe permitirá exercer funções em qualquer contexto orgânico produtor/manipulador de fluxo informacional.
    • 37. AGRADECEMOS A TODOS PELA ATENÇÃO! BOA NOITE!
    • 38. REFERÊNCIA <ul><li>AGUIAR, Ellen. Redes Sociais, Taxonomia e Folksonomia . Disponível em: &lt; http://www.marketingmoderno.com.br/2011/06/redes-sociais-taxonomia-e-folksonomia/ &gt;.Acesso em: 14 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>LUZ, Charlley. Arquivologia 2.0: A Informação Humana e Digital. Excertos de um arquivista 2.0 no mundo digital . Bookess Editora, Florianópolis, 2010. </li></ul><ul><li>_____. Sobre o Arquivista 2.0 . Disponível em: &lt;http://arquivistadoispontozero.wordpress.com/about/&gt;. Acesso em: 17 de outubro de 2011. </li></ul><ul><li>_____. O mundo da informação digital e a arquivologia . Disponível em: &lt;http://webinsider.uol.com.br/2011/08/15/o-mundo-da-informacao-digital-e-a-arquivologia /&gt;.Acesso em: 20 de outubro de 2011. </li></ul><ul><li>______. Taxonomia: simples assim . Disponível em: &lt;http://arquivistadoispontozero.wordpress.com/2009/06/09/taxonomia-simples-assi m/&gt;. Acesso em: 14 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>MARINHO, Rafael. GED, Taxonomia e Ontologia nas empresas . Disponível em: &lt;http://bibliotecariovirtual.wordpress.com/2009/08/14/ged-taxonomia-e-ontologia-nas-empresas/#more-1 68&gt;. Acesso em 14 de novembro de 2011. </li></ul>
    • 39. REFERÊNCIA <ul><li>MASSAROLO, Jorge. A Era Web 2.0 . Disponível em: &lt; http://www.blog.sambabusiness.com.br/samba/bem-vindo/67-web-20/611-a-era-web-20.html &gt;. Acesso em: 10 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>OTTONI, Heloisa Maria. Bases do Marketing para Unidades de Informação. Ciência da Informação , Brasília, DF, v.25, n.2, 1995. </li></ul><ul><li>RIBEIRO, Fernanda. O perfil profissional do arquivista na sociedade da informação. Disponível em: &lt; http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/artigo8871.PDF &gt;. Acesso em: 15 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>VERDE, Empresa. O que é Folksonomia? Disponível em: &lt; http://redesociaismundovirtual.blogspot.com/2011/04/o-que-e-folksonomia.html &gt;. Acesso em: 14 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>WIKIPEDIA, a enciclopédia livre. Web 2.0 . [S.l.]: [s.n.],2011. Disponível em: &lt;http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_2.0 &gt;. Acesso em: 10 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>WIKIPEDIA, a enciclopédia livre. Arquitetura da Informação [S.I.]: [s.n], 2011. Disponível em: &lt; http://pt.wikipedia.org/wiki/Arquitetura_de_informa%C3%A7%C3%A3o &gt;. Acesso em: 14 de novembro de 2011. </li></ul>
    • 40. REFERÊNCIA <ul><li>DIAS, Cláudia Augusto. Portal corporativo: conceito e características. Disponível em: &lt; http://www.cielo.br/pdf/ci/v30n1.pdf &gt;. Acesso em: 14 de novembro de 2011. </li></ul><ul><li>Portais corporativos. Disponível em: &lt; http://www.portaiscorporativos.com.br/portal-corporativo/home.html &gt;. Acesso em: 15 de novembro de 2011 </li></ul>

    ×