Etapas de pesquisa aula 3

2,792 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,792
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Etapas de pesquisa aula 3

  1. 1.  Apresentação das Etapas de uma Pesquisa Científica  Prof. Erideise Costa Algumas transparências desta apresentação foram gentilmente cedidas pelo Prof. Josian Medeiros
  2. 2.  Etapas de uma Pesquisa.
  3. 3. Dinâmica
  4. 4.  Pesquisa, no sentido mais amplo, é um conjunto de atividades orientadas para a busca de um determinado conhecimento  A pesquisa científica se distingue de outra modalidade qualquer de pesquisa pelo método, pelas técnicas, por estar voltada para a realidade empírica e pela forma de comunicar o conhecimento obtido
  5. 5. Dinâmica
  6. 6. 1.1. CapaCapa** 2.2. LombadaLombada**** 3.3. Folha de RostoFolha de Rosto** 4.4. ErrataErrata **** 5.5. Folha de aprovaçãoFolha de aprovação ** 6.6. DedicatóriaDedicatória**** 7. Agradecimentos7. Agradecimentos**** 8. Epígrafe8. Epígrafe **** 9. Resumo em português9. Resumo em português** 10. Abstract10. Abstract ** 11. Lista de ilustrações11. Lista de ilustrações **** 12. Lista de tabelas12. Lista de tabelas**** 13. Lista de abreviaturas e siglas13. Lista de abreviaturas e siglas **** 14. Lista de símbolos14. Lista de símbolos**** 15. Sumário15. Sumário** ** Elementos obrigatórios ** Elementos opcionais 1.1. CapaCapa** 2.2. LombadaLombada**** 3.3. Folha de RostoFolha de Rosto** 4.4. ErrataErrata **** 5.5. Folha de aprovaçãoFolha de aprovação ** 6.6. DedicatóriaDedicatória**** 7. Agradecimentos7. Agradecimentos**** 8. Epígrafe8. Epígrafe **** 9. Resumo em português9. Resumo em português** 10. Abstract10. Abstract ** 11. Lista de ilustrações11. Lista de ilustrações **** 12. Lista de tabelas12. Lista de tabelas**** 13. Lista de abreviaturas e siglas13. Lista de abreviaturas e siglas **** 14. Lista de símbolos14. Lista de símbolos**** 15. Sumário15. Sumário** ** Elementos obrigatórios ** Elementos opcionais
  7. 7. Anexos Apêndices Glossário Referências Texto Sumário Lista de Símbolos Lista de Abreviaturas Lista de Tabelas Lista de IlustraçõesLista de Ilustrações Abstract Resumo Epígrafe Agradecimentos Dedicatória Folha de Aprovação ERRATA Folha de Rosto CAPA Contadas mas não paginadas Fonte: UFPR. Normas para apresentação de trabalhos. 196. v. .2, p.2-3.
  8. 8. I. Título  “Trata-se da nomeação do tema, registro claro e objetivo sobre o teor da pesquisa”  Deve ser escrito de forma concisa, esclarecendo o máximo possível o objeto de estudo
  9. 9. FACULDADE DOS GUARARAPES CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM ERIDEISE GURGEL DA COSTA FÉ E RAZÃO NO CUIDADO COM O PACIENTE JABOATÃO DOS GUARARAPES /2010
  10. 10. ERIDEISE GURGEL DA COSTA FÉ E RAZÃO NO CUIDADE COM O PACIENTE JABOATÃO DOS GUARARAPES/2010 Projeto apresentado como requisito parcial à obtenção do título de graduação em Enfermagem pela Faculdade dos Guararapes. Orientador: Prof. Dr. ...
  11. 11.  Apresentação concisa e seletiva do texto  Deve-se dar destaque aos elementos de maior interesse e importância do estudo  Evitar incluir fontes de referência  Geralmente, é redigido no final, após o término do trabalho
  12. 12.  Texto do resumo: Máximo de 300 palavras, fonte 12, Arial ou Times New Roman, espaço simples, sem negrito e sem parágrafos  O texto deverá conter: introdução (delimitação do tema, objetivo e justificativa) e metodologia
  13. 13. II. Caracterização do Problema • Identificar a questão que deve ser elucidada no decurso da investigação • O problema deve ser formulado de forma clara e precisa, suscetível de solução e delimitado a uma dimensão viável • Identificação do problema surge da(s) lacuna(s) existente(s) no conhecimento em relação ao tema/objeto de estudo
  14. 14. • III. Justificativa (relevância) “É exposição de motivos para a execução da pesquisa (pertinência)” • Devem constar: • Experiência do pesquisador com o tema • Poucas contribuições existentes • Interesses institucionais e sociais da pesquisa • Mostrar a viabilidade do projeto
  15. 15. • IV. Revisão da Literatura (fundamentação) • Delimitação/importância do tema/objeto do estudo • Estabelecimento do marco teórico (conceitual) que irá embasar a hipótese/pergunta que irá nortear a pesquisa • Bases conceituais do fenômeno que será estudado (do modelo teórico/modelo de relações causais, das variáveis envolvidas...)
  16. 16. • V. Hipótese • É a proposição testável que será submetida a verificação empírica • Deve ser redigida como uma expressão verbal suscetível de ser declarada verdadeira ou falsa • Nos estudos descritivos pode ser substituída pela pergunta condutora
  17. 17. • VI. Objetivos (Geral / Específico) • Diz respeito ao fenômeno que o pesquisador irá observar verificação empírica) • Define-se quais os objetivos que nortearão a pesquisa • Poderá ser redigido como objetivos gerais e específicos ou objetivos principais e secundários
  18. 18. • VII. Métodos Em linhas gerais deve conter:  Local do estudo  Escolha da estratégia de pesquisa para responder as questões, e determinar o método escolhido (quantitativo/qualitativo)  Definição dos sujeitos que constituem a população alvo
  19. 19.  VII. Métodos  Amostra: tipo, área de captação, procedimentos para estimativa do tamanho amostral  Definição das variáveis (como os conceitos sobre os quais trata a pesquisa são traduzidos em variáveis de forma operacional)
  20. 20. VII. Métodos  Métodos de coleta de dados (instrumentos que serão utilizados, estratégia da coleta dos dados, descrição das técnicas, procedimentos necessários para garantir a qualidade das medidas, treinamento do técnicos envolvidos)  Plano de análise consta do planejamento das principais operações às quais o pesquisador submeterá seus dados
  21. 21. • VIII. Aspectos éticos Adequar-se a resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde - MS Princípios básicos: – Não-malificência – Beneficência – Justiça e autonomia – Sigilo e privacidade TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO
  22. 22.  IX. Cronograma
  23. 23. • X. Orçamento • Especifica para quem e para que os recursos serão aplicados  Custos de pessoal • Técnicos / diáriasTécnicos / diárias • Serviços prestadosServiços prestados • Consultorias especiaisConsultorias especiais  Custos de material • ConsumoConsumo • PermanentePermanente
  24. 24. • XI. Referências Busca e organização das informações sobre o objeto da pesquisa • Fase pré-operacional Textos essenciais para a fundamentação do projeto • Fase de desenvolvimento Enriquecimento • Fase de conclusão Discussão e conclusão da pesquisa
  25. 25. Valorização do projeto XII. Resultados e impactos esperados Resultados esperados, o poder de generalização dos resultados e utilidade em função dos objetivos Componentes e Etapas do Projeto de Pesquisa Confiabilidade e credibilidade XIII. Experiência do grupo no tema ou área Produção intelectual na área, outros projetos e financiamentos na linha de pesquisa do orientador ou pesquisador
  26. 26.  Destinam-se à inclusão de informações complementares ao trabalho  Os Apêndices deve apresentar material desenvolvido pelo próprio autor, formatado de acordo com as normas  Os Anexos destinam-se à inclusão de material como cópias de artigos, manuais, etc., que não necessariamente precisam estar em conformidade com o modelo
  27. 27.  A contagem das páginas nos Apêndices e Anexos segue normalmente  Nos Anexos os números não precisam ser indicados, a não ser na pagina inicial de cada um
  28. 28. CITAÇÃO
  29. 29. TIPOS DE CITAÇÃO CITAÇÃO DIRETA Reprodução exata de trechos ou partes de uma obra consultada CITAÇÃO INDIRETA É a utilização das idéias e informações de outros autores, no entanto desenvolvidas com as palavras do autor, sem distorções ao texto original.
  30. 30. CITAÇÃO DIRETA É a transcrição literal de parte da obra do autor consultado. Indica que a citação foi extraída de uma fonte à qual se teve acesso direto. O texto reproduzido deve aparecer entre aspas duplas, com indicação da fonte. A indicação da página é obrigatória. Citação direta de até três linhas – o texto reproduzido deve ser inserido no corpo do texto e contido entre aspas duplas. Se o texto originário já possuir palavras entre aspas duplas, estas devem ser modificadas para aspas simples. Exemplo: “A expressão ‘furiosa’ dessa estátua de que fala Rabelais, corresponde também à realidade.” (BAKHTIN, 1987, p. 388).
  31. 31. Citação direta de mais de três linhas – devem constituir um parágrafo independente, com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado (corpo 10), sem aspas e com indicação da fonte. O espaçamento entre linhas deve ser simples. Exemplo: A cultura organizacional pode ser identificada e aprendida através de seus elementos básicos tais como: valores, crenças, rituais, estórias e mitos, tabus e normas. Existem diferentes visões e compreensões com relação à cultura organizacional. O mesmo se dá em função das diferentes construções teóricas serem resultantes de opções de diferentes pesquisadores, opções estas que recortam a realidade, detendo-se em aspectos específicos (FREITAS, 1989, p. 37).
  32. 32. Citação direta com elementos complementares – após a data, especificar no texto, entre vírgulas e precedidas do termo da forma abreviada que os caracteriza (p., t., v., cap., etc.), a página, o tomo, o capítulo e/ou o volume da fonte consultada. Exemplo: Segundo Prunes (2000, v. 2, p. 647), “a inconformidade dos demandantes, sustentando laudo pericial técnico [...]”.
  33. 33. Citação direta com autoria incluída no texto Na citação direta, quando o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es), instituição(ões) responsável(eis), ou título citado(s) for(em) incluído(s) na sentença, apenas a data e página(s), tomo(s), capítulo(s) e volume(s) são incluídos entre parênteses. Nesse caso a descrição é feita com as iniciais em maiúsculas. Exemplo: Concordando com o que disse Dimenstein (1999, p. 53) “Entender a infância ‘marginal’ significa entender por que um menino vai para rua e não para escola.”
  34. 34. Citação direta com autoria excluída do texto Na citação direta, quando o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es), instituição(ões) responsável(eis) ou título for(em) excluído(s) da sentença, deve(m) vir entre parênteses em letra maiúscula, seguido(s) do ano de publicação e a(s) página(s), tomo(s), capítulo(s) e volume(s). Exemplo: “Entender a infância ‘marginal’ significa entender por que um menino vai para rua e não para escola.” (DIMENSTEIN, 1999, p. 53).
  35. 35. Citação Indireta de Texto Na forma indireta, há duas modalidades de transcrição de texto: por paráfrase, que significa fazer uma tradução livre do texto, sem alteração das idéias originais, de modo a representar uma síntese pessoal, ou explicação, da idéia apresentada no texto original; ou por transliteração, que pode ser entendida como escrever de outra forma o que foi escrito pelo autor original. Não é necessário o uso das aspas. É opcional indicar página, tomo, capítulo ou volume. Exemplo: Whetmore foi quem primeiro sugeriu que a sobrevivência seria impossível se não buscassem alimentos dentre um deles, ou seja, nos seus próprios corpos (FULLER, 1976).
  36. 36. Autoria incluída no texto Na citação indireta, quando o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es), instituição(ões) responsável(eis), ou título for(em) incluído(s) na sentença, indica-se apenas o ano de publicação entre parênteses. Exemplo: Concordando com o que diz Dimenstein (1999), para entender a marginalidade infantil, terá que se analisar o processo que leva a criança para rua e não para escola.
  37. 37. Autoria excluída do texto Na citação indireta, quando o(s) sobrenome(s) do(s) autor(es), instituição(ões) responsável(eis) ou título for(em) excluído(s) da sentença, deve(m) vir entre parênteses em letra maiúscula, seguido(s) do ano de publicação. Exemplo: Para entender a marginalidade infantil, terá que se analisar o processo que leva a criança para rua e não para escola (DIMENSTEIN, 1999).
  38. 38.  ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação: referências: elaboração. Rio de Janeiro: 2002.  ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro: 2002.  LAKATOS, E. M; MARCONI, M. A. Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2006.  SPECTOR, N. Manual para a redação de teses, projetos de pesquisa e artigos científicos. Guanabara Koogan, 2002.
  39. 39. Obrigado !!! erideise@faculdadeguararapes.edu.br

×