Your SlideShare is downloading. ×
Programa protótipo de promoção de estilos de vida saudáveis
Programa protótipo de promoção de estilos de vida saudáveis
Programa protótipo de promoção de estilos de vida saudáveis
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Programa protótipo de promoção de estilos de vida saudáveis

1,099

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,099
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BR PROGRAMA PROTÓTIPO DE PROMOÇÃO DE ESTILOS DE VIDA SAUDÁVEIS Cláudia Sofia Madeira Pereira Por Psicóloga Daniela Souza ¹ e Anderson Cardeal ² A produção desse texto foi iniciada a partir de reflexões sobre a dissertação PROGRAMAPROTÓTIPO DE PROMOÇÃO DE ESTILOS DE VIDA SAUDÁVEIS publicada em 2008 pela Universidadede Lisboa. É uma tese de mestrado de Claudia Sofia Madeira Pereira sob a orientação da Prof.ªDoutora Adelina Lopes da Silva, que trazem nas suas trajetórias acadêmicas uma produção científicaimportante para a reflexão sobre os processos de auto-regulação na adoção e manutenção decomportamentos alimentares saudáveis. Com a finalidade de apresentar um programa de promoçãode estilos de vida saudáveis, a autora do texto aborda uma discussão sobre obesidade, auto-regulação e estilo de vida. Para isso, realiza um levantamento da literatura sobre formas deterapêutica na obesidade e propõe um programa protótipo para a promoção de estilos de vidasaudáveis com a população adolescente baseado na auto-regulação e nos princípios da terapiacognitivo-comportamental. O objetivo geral do Programa protótipo de Pereira (2008) é promover a alimentação saudável e aatividade física através do desenvolvimento de estilos de vida mais saudáveis para reduzir aprevalência da obesidade nas populações pré-adolescente e adolescente. Como objetivos específicosdestacam-se: 1) Fornecer informação sobre o papel da alimentação e da atividade física comodeterminantes da saúde; 2) Promover comportamentos de alimentação e de atividade físicasaudáveis nos jovens; 3) Desenvolver competências de auto-regulação e de controle doscomportamentos de alimentação e de atividade física; 4) Promover nos jovens pensamentos(cognições) mais construtivos e positivos que apoiem a mudança dos seus estilos de vida; 5)Promover nos jovens o desenvolvimento de estratégias de coping eficazes para lidarem comsituações problemáticas, nomeadamente, a recaída.Conforme a tese supracitada, a auto-regulação refere-se aos processos que permitem ao indivíduoguiar, influenciar, modificar e controlar o seu próprio comportamento. Através da auto-regulação oindivíduo pode controlar o ambiente de acordo com os seus desejos e/ou controlar os seus desejosde acordo com as limitações do seu ambiente. No contexto da saúde, a auto-regulação é definidacomo os pensamentos, sentimentos e ações auto-geradas para otimizar o estado de saúde, ou seja,como uma sequência de ações e/ou processos direcionados para o alcance de um objetivo pessoal(Pereira, 2008). De acordo com o modelo de auto-regulação, o programa inicia-se por informar os jovens sobre aimportância de adotar estilos de vida saudáveis. Com isto são ativadas representações de saúde oude risco de doença e desenvolvidas crenças sobre as suas causas e sobre o controle do indivíduoface ao seu estado de saúde. Ao desenvolverem-se sentimentos de vulnerabilidade face ao risco dedoença (p.ex., obesidade), expectativas de auto-eficácia (i.e., o jovem sente que é capaz de mudaro seu estilo de vida) e expectativas de resultado positivas (i.e., o jovem acredita que a mudança doseu estilo de vida é benéfica e útil) será desenvolvida a motivação para a mudança. Com amotivação para a mudança surge a intenção de mudança do comportamento. A intenção beneficiaráse o objetivo de mudança (i.e., aquisição de um estilo de vida saudável) estiver em acordo comoutros objetivos (mesmo aqueles que não estão relacionados com a saúde) igualmente valorizadospelo jovem (Pereira, 2008). Com base na literatura, o conceito de auto-regulação aproxima-se bastante das bases da TCC. ATCC tem mostrado a sua eficácia na intervenção na globalidade das perturbações alimentares. Ainvestigação tem provado o sucesso desta terapia na mudança dos comportamentos alimentares ¹ Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br; Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br ² Graduando em Psicologia (9° semestre); Estagiando em um núcleo de tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Contato: anderson.cardeal@gmail.com
  • 2. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BRnão saudáveis, na correção de crenças e atitudes disfuncionais sobre o peso, na promoção dasatisfação corporal, na promoção de competências cognitivas e comportamentais e de estratégias decoping funcionais.Apontada na dissertação e em outros textos do blog, torna-se evidente a interferência de questõespsicológicas no desenvolvimento e na manutenção da obesidade, não sendo possível falar emtratamento da obesidade sem a participação efetiva das práticas psicológicas. Várias são as teoriasque trabalham com as questões psicológicas, mas, especificamente para os transtornos alimentares,a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC), vem conquistando grande destaque. A TCC apresentaexcelentes resultados ao trabalhar com as estruturas cognitivas e comportamentais dos pacientes.Ela possui instrumentos que constroem estratégias de enfrentamento, através de mudançascognitivas e comportamentais e consequentemente de mudanças no estilo de vida, que irãointerferir diretamente nas questões psicológicas que estão adoecendo o indivíduo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) (2005), otratamento comportamental aplicado em conjunto com técnicas cognitivas é uma das estratégiasterapêuticas auxiliares para o controle de peso. Baseia-se na análise e modificação decomportamentos disfuncionais associados ao estilo de vida do paciente. O objetivo é implementarestratégias que auxiliam no controle de peso, reforçar a motivação com relação ao tratamento eevitar a recaída e o consequente ganho de peso novamente. A seguir estão relacionadas técnicas cognitivo-comportamentais utilizadas no programa protótipode promoção de estilos de vida saudáveis: Automonitorização: O jovem deve tomar consciência e capacidade para compreender o seucomportamento alimentar. Para isto, os pais e jovens são ensinados a monitorizar e registar aingestão de alimentos e a atividade física diária. A automonitorização permite a identificação depadrões de comportamento típicos que podem ser alterados através da intervenção. Os registosdevem ser revistos em cada sessão do programa e devem proporcionar a retro-alimentação sobre osresultados da intervenção, o estabelecimento de objetivos e a análise de possíveis situaçõesproblemáticas de forma a dotar o jovem e os pais de estratégias de resolução das dificuldades. Informação sobre nutrição e atividade física: Os pais e jovens devem receber informação, atravésde leituras e discussões em grupo, sobre nutrição e atividade física. O objetivo desta intervençãonão é a imposição de dietas ou de exercício físico, mas o desenvolvimento de hábitos dealimentação e de atividade física saudáveis. Estabelecimento de objetivos: O jovem e os seus pais devem estabelecer objetivos concretos erealistas, mas desafiantes, para facilitar a mudança do estilo de vida do jovem. É importante oestabelecimento de objetivos diários definidos em termos de novos comportamentos e cognições enão em termos de perda de peso. Para facilitar o alcance destes objetivos, os jovens devem elaborarplanos de ação. Controle de estímulos: Este é um dos componentes terapêuticos mais utilizados nos programasde controlo de peso com o objetivo de reduzir os estímulos que controlam o comportamentoalimentar desadequado e não saudável. As estratégias utilizadas incluem limitar a ingestão dealimentos a um lugar apenas da casa, reduzir os elementos distraidores durante a ingestão dealimentos, não realizar outras atividades enquanto decorre o comportamento alimentar (p.ex., vertelevisão), desenvolver atividades alternativas prazerosas em substituição do comportamentoalimentar (p.ex., passear o cão, telefonar a um amigo, etc.) e seguir um horário regular para asrefeições. Técnica de gestão de contingências: Geralmente, os programas utilizam sistemas estruturados dereforço para promover a mudança comportamental. Aquando da elaboração da lista de possíveisreforços é importante não incluir alimentos, guloseimas ou outro tipo de reforços que podemcontradizer os objetivos do programa. Atividades que promovam a mudança positiva (p.ex., andarde bicicleta) são o tipo de reforços que comumente se utilizam. ¹ Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br; Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br ² Graduando em Psicologia (9° semestre); Estagiando em um núcleo de tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Contato: anderson.cardeal@gmail.com
  • 3. WWW.OBESIDADEEMAGRECIMENTO.BLOGSPOT.COM.BR Contrato comportamental: Este método pode assegurar a mudança do comportamento. Atravésdo contrato comportamental o jovem e o psicólogo ou os pais estabelecem objetivos e asrecompensas do alcance desses objetivos. Técnicas Cognitivas: A investigação sugere que as técnicas de reestruturação cognitiva, treino deauto-instrução e resolução de problemas contribuem para a eficácia dos programas com os objetivosde promover o controlo de peso e desenvolver estilos de vida mais saudáveis nos adolescentes.Desta forma, torna-se fundamental a inclusão destas técnicas neste tipo de programas. Como visto, de acordo com a tese descrita e os dados da literatura, os instrumentos da TCC sãoclaros e objetivos. Percebe-se o quanto são possíveis na prática clínica e é muito fácil visualizar eacompanhar a lógica dessa teoria. De fato, quando se trabalha com indivíduos torna-seimprescindível levar em consideração a sua tríade cognitiva (pensamentos, sentimentos ecomportamentos) e principalmente o que elas pensam e acreditam como verdade. Na prática clínica,esse aprendizado permite promover modificações cognitivas e comportamentais mais duradouras eefetivas, observando-as em longo prazo. Por isso, é preciso atentar-se às crenças e pensamentosapresentados pelos pacientes, identificar as repetições, as ênfases e valores que os pacientes dãoaos diversos temas abordados nas sessões. Quando se trata de indivíduos obesos, esse trabalho é imprescindível. Geralmente são pessoasque desejam emagrecer com uma longa história de tentativas de perda de peso. Provavelmente jáprocuraram diversos profissionais e, na maioria das vezes, o que alcançaram foi o reforço da ideiade que “emagrecer e manter-se magro é muito difícil ou mesmo impossível”. A maioria das pessoasque emagrecem com dieta começa a recuperar os quilos perdidos dentro de um ano, não adotandoacompanhamento para a fase de manutenção. Aprender a modificar o pensamento, resolver dificuldades relacionadas à dieta e questõestambém não relacionadas diretamente a ela e motivar-se para adotar comportamentos maissaudáveis é o diferencial da TCC. Pesquisas mostram que pessoas podem mudar seucomportamento e mantê-la. Porém se não modificar a forma de pensar, não conseguirá sustentar osnovos hábitos. Ou seja, necessita mudar o pensamento e o comportamento: alimentar-se de umaforma mais nutritiva, ter bons hábitos alimentares, praticar atividade e exercício físico, emagrecerdevagar, fazer da dieta uma prioridade, assertividade, ser tolerante à fome e vontade incontrolávelde comer, abster-se de comer pelo emocional e, o mais importante, manter-se motivada comconquistas em longo prazo.REFERENCIA BIBLIOGRÁFICAPEREIRA, Cláudia Sofia Madureira. Programa Protótipo de Promoção de Estilos de Vida Saudáveis, Lisboa, 2008.Tese (Mestrado), Núcleo de Psicoterapia Cognitiva - Comportamental e Integrativa, Faculdade de Psicologia ede Ciências da Educação, Universidade de Lisboa. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/718/1/17442_MONOGRAFIA.pdf Acesso em: 11de Junho de 2012.SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA. Obesidade: Terapia CognitivoComportamental, 2005. Disponível em: http://www.projetodiretrizes.org.br/5_volume/34-ObesTerap.pdf.Acesso em: 11 de Junho de 2012. ¹ Psicóloga especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental e Obesidade e Emagrecimento, atuando no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Autora do blog: www.obesidadeemagrecimento.blogspot.com.br; Contato: daniela.souzao@yahoo.com.br ² Graduando em Psicologia (9° semestre); Estagiando em um núcleo de tratamento clínico e cirúrgico da obesidade. Contato: anderson.cardeal@gmail.com

×