Materiais e Processos Gráficos - Controle de Qualidade

1,971 views
1,741 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,971
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • A qualidade não existe apenas nos trabalhos caros. Soluções simples também devem ter controle de qualidade, nesse caso precisam até de maior atenção.


    A melhor qualidade é saber adequar solução às finanças do cliente. Se possível reduzindo custos
  • As especificações corretas são subjacentes ao projeto, mas temos de ressaltar que têm de ser feitas corretamente. Especificar orçamento (e custos) de um jeito e depois fazer o projeto gráfico de outro pode trazer um problema imenso no resultado final.
  • Um bom planejador pode sugerir mudanças no projeto para que ele funcione melhor.
    Ele pode mostrar impressos feitos no processo solicitado, amostras de papeis, etc...
  • A adequação do papel ao tipo de tinta.
    A direção das fibras, com o sentido das dobras e cortes.
    Papel áspero tende a dispersar a tinta, que perde força e detalhamento.
    Papel liso permite impressões mais precisas.
  • Um bom planejador pode sugerir mudanças no projeto para que ele funcione melhor.
    Ele pode mostrar impressos feitos no processo solicitado, amostras de papeis, etc...
  • As aprovações tem de ser formais para evitar que um erro que deveria ser verificado pelo cliente não seja imputado ao designer. O mesmo vale com o impressor.
  • As rosetas ficam visíveis a olho nú quando usam ângulos inadequados para as retículas.
  • As rosetas ficam visíveis a olho nú quando usam ângulos inadequados para as retículas.
  • O espalhamento é semelhante, ocorre pelo deslizamento do papel.
  • O espalhamento é semelhante, ocorre pelo deslizamento do papel.
  • Materiais e Processos Gráficos - Controle de Qualidade

    1. 1. Qualidade Qualidade é um conceito subjetivo que está relacionado diretamente às percepções de cada indivíduo. Diversos fatores como cultura, modelos mentais, tipo de produto ou serviço prestado, necessidades e expectativas influenciam diretamente nesta definição. 2danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    2. 2. Controle de qualidade A intenção de qualquer designer é que o trabalho saia exatamente como ele imaginou. Não basta querer, tem de saber quais fatores interferem na qualidade final do trabalho, e usá-los para o planejamento de custos, prazos e possibilidades. 3danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    3. 3. 1. Etapas para controle da qualidade Arte Original; Especificação para orçamento; Cronograma; Papel; Planejamento; Provas. 4danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    4. 4. Arte Original A qualidade da chapa de impressão é determinada pela qualidade do original. (James Craig) Resolução adequada das imagens; Separação das cores de modo correto; Contraste; Legibilidade; Fontes dos textos. 5danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    5. 5. Especificação para orçamento Para orçar o trabalho não é necessário enviar uma amostra do que será produzido(...), basta enviar os dados sobre o que se pretende imprimir. (Marina Oliveira) Obs.: a comissão. É uma taxa de serviço pelo acompanhamento da produção, esse valor cobre custos das horas disponibilizadas pelo profissional para garantir o melhor resultado na impressão. O valor é proporcional ao trabalho, variando de 10 a 20%. 6danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    6. 6. Especificação para orçamento Ex. Orçamento Revista Manga Rosa 7danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt Processo: offset Tiragem: 2000 e 3000 unidades Número de páginas: 60 (múltiplo de 4) Formato aberto: 20 x 54cm Formato fechado: 20 x 27cm Cores: 4x4 Papel: couché 75g Acabamento: Encadernação canoa (dobra e grampo) e Laminação na capa
    7. 7. Especificação para orçamento Ex. Orçamento Revista Manga Rosa Deluxe 8danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt Processo: offset Tiragem: 1000 unidades CAPA Formato aberto: 20x55cm Formato fechado: 20x27cm Cores: 4x4 Papel: couché 180g ACABAMENTO Lombada quadrada Verniz localizado na capa MIOLO Número de páginas: 62 Formato aberto: 20x54cm Formato fechado: 20x27cm Cores: 4x4 Papel: couché 90g
    8. 8. Cronograma Tenha em mente as necessidades do cronograma, dando um tempo apropriado para cada uma das partes do trabalho a ser feito. (James Craig) Pesquisa e Layout; Artefinal; Provas; Impressão; Acabamento; Deslocamento do material; Feriados e outros. 9danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    9. 9. Impressor Em muitos casos, o impressor pode ser mais importante do que o processo de impressão. Um bom impressor pode controlar a qualidade do trabalho aplicando o seu conhecimento da impressora, do papel e da tinta. (James Craig) 10danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    10. 10. Papel Saiba o máximo que sobre papel. Só assim você poderá tomar decisões inteligentes. A melhor máquina e o melhor trabalho de impressão serão inúteis se a escola do papel for errada. (James Craig) 11danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    11. 11. Planejamento O planejamento gráfico tem importância crucial para a qualidade do trabalho e também enorme influência sobre o custo. (James Craig) Formatos padrões x Faca de corte Impressão em PB x Cores especiais Papel couchê x Papel perolado Impressão Silk x Sublimação 12danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    12. 12. Provas Verifique as provas com cuidado. Sempre que possível a prova deve ser tirada no mesmo papel a ser usado para impressão do trabalho. (James Craig) Os layouts tem de ser aprovados pelo cliente, revisando textos, imagens, valores, telefones; As provas de impressão tem de ser aprovadas pelo designer, revisando conformidade das cores (registro) e fontes, margens de corte. 13danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    13. 13. 2. Problemas de impressão Embora os problemas de impressão não sejam de responsabilidade do designer, ele é obviamente afetado por qualquer imperfeição na peça impressa. (James Craig) 14danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    14. 14. Erro de registro Em uma impressão colorida as cores são impressas separadamente, uma sobre a outra. “Quando as chapas são impressas fora de registro, a imagem se torna indistinta”. (James Craig) 15danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    15. 15. Moiré (moarê) É um defeito criado pela mistura de retículas quando elas são sobrepostas. Só pode ocorrer quando usam duas ou mais retículas. (James Craig) 16danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt (rosetas) (retículas)
    16. 16. Fora de cor Quando o trabalho parece estar com uma cor diferente da especificada. (James Craig) Pode ocorrer por desajuste da impressora (falta de limpeza, pressão demasiada em uma das chapas), inadequação da tinta, cor do papel, arquivo fechado fora da especificação da gráfica. 17danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    17. 17. Transparência Ocorre quando a baixa opacidade do papel permite que a impressão seja vista do outro lado da folha. (James Craig) 18danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt Atravessamento Fenômeno que ocorre quando o veículo da tinta penetra através da folha, tornando-se visível do outro lado. (James Craig)
    18. 18. Velatura Aderência da tinta na área sem imagem, na impressão offset. (James Craig) 19danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt Dublagem Dupla impressão de cada cor, que dá a imagem impressa aparência mais pesada ou cheia do que deveria. (James Craig)
    19. 19. Secagem pobre ou lenta Quando a tinta requer mais tempo que o razoável para secar após a impressão. (James Craig) Pode ocorrer por muita umidade no local; Muita umidade no papel; Problemas na composição da tinta. 20danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    20. 20. Decalque e blocagem Ocorre quando a tinta falha no assentamento sobre a folha impressa, transferindo-se para a próxima folha. (James Craig) Em alguns casos a tinta causa a adesão de várias folhas, criando “blocos”. 21danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    21. 21. Baixa resistência à abrasão Ocorre quando a tinta não é absorvida adequadamente pelo papel e pode ser facilmente retirada por atrito, como se fosse pó. Esse problema geralmente só é percebido após a secagem completa, o que pode atrasar o cronograma. (James Craig) Uma alternativa é aplicar verniz (ou laminação) sobre todo o trabalho. 22danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    22. 22. Não-fechamento Neste caso, a tinta impressa não apresenta como deveria uma película continua. Formam-se então pequenos buracos ou vazios na área impressa. (James Craig) Ocorre por presença de gotas de água na tinta, pouca pressão na impressão e/ou em papeis ásperos, onde a tinta não consegue alcançar as reentrâncias. 23danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    23. 23. Ganho de ponto Ou esmagamento. É o engrossamento ou ampliação da imagem impressa. (James Craig) Pode ocorrer por excesso de tinta, excesso de pressão, pouca absorção de tinta pelo papel, etc. 24danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt
    24. 24. Referências Craig, James. Produção Gráfica. São Paulo: Ed. Mosaico. 1980. Oliveira, Marina. Produção Gráfica para Designers. Rio de Janeiro: 2AB. 2000. 25danielsoto__materiais_e_processos_graficos.ppt

    ×