• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens
 

Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens

on

  • 8,173 views

 

Statistics

Views

Total Views
8,173
Views on SlideShare
8,173
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
200
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens Apresentação - Análise Semiótica de Rótulos e Embalagens Presentation Transcript

    •  
      • VIDA
      • CARREIRA ACADÊMICA:
      • MATEMÁTICO
      • FÍSICO
      • ASTRÔNOMO
      • QUÍMICO
      • FILÓSOFO
      • CONTRIBUIU COM A PSICOLOGIA EXPERIMENTAL
      • TINHA FLUÊNCIA EM MAIS DE DEZ IDIOMAS
      • PRODUZIU MAIS DE 80.000 MANUSCRITOS
      CHARLES SANDERS PEIRCE
      • FENOMENOLOGIA
      • CATEGORIAS UNIVERSAIS DO SIGNO:
      • PRIMEIRIDADE
      • SECUNDIDADE
      • TERCEIRIDADE
      CHARLES SANDERS PEIRCE
      • ÍCONE
      • ÍNDICE
      • SÍMBOLO
      CHARLES SANDERS PEIRCE
    • ARISTÓTELES
      • “ A retórica não é meramente uma arte de persuasão, mas antes uma faculdade de descobrir especulativamente o que, caso a caso, pode servir para persuadir”.
      • Aristóteles
      • HIERARQUIZAR OPINIÕES – DISPUTA POR MERCADO
      • CONTEXTO DE RECEPÇÃO – SISTEMA DE VALORES
      • RETÓRICA, MORAL E VERDADE
      ARISTÓTELES
    • MARX
      • FETICHISMO
      • FETICHE: objeto animado ou inanimado, feito pelo homem ou produzido pela natureza, ao qual se atribui poder sobrenatural e se presta culto (Holanda, 1993)
      • PARÁBOLA BÍBLICA – MOISÉS
      • SUPERVALORIZAÇÃO DA MERCADORIA
      • “ COM MUITA FREQUÊNCIA, A EMBALAGEM EFETIVAMENTE É O PRODUTO. O QUE ESTÁ DENTRO DA CAIXA PODE SER APENAS MARGINALMENTE DIFERENTE DE OFERTAS RIVAIS, MAS SUA APARÊNCIA EXTERIOR INDICA QUALIDADES E VALORES ÚNICOS, CALCULADOS PARA ATRAIR UM PÚBLICO-ALVO.”
      • Tom Fraser e Adam Banks
      • JAPÃO – EMBALAGENS DE PALHA
      • EMBALAGEM PRIMÁRIA
      • EMBALAGEM SECUNDÁRIA
      • EMBALAGEM TERCIÁRIA
    • CORES
      • DESPERTAM SENSAÇÕES;
      • DEFINEM AÇÕES E COMPORTAMENTOS;
      • PROVOCAM REAÇÕES CORPORAIS E PSICOLÓGICAS.
      CORES
      • ATRAEM;
      • CATIVAM;
      • CONVENCEM .
      CORES
      • "Numa embalagem, a cor é o fator que, em primeiro lugar, atinge o olhar do consumidor".
      • Farina (1975, 2006)
      CORES
      • QUALIDADES BÁSICAS:
      • VISIBILIDADE:
      • AMARELO
      • LARANJA
      • VERMELHO
      • VERDE
      • IMPACTO;
      • ATRAÇÃO .
      CORES
      • FUNÇÕES PRINCIPAIS:
      • ATRAIR E MANTER A ATENÇÃO;
      • TRANSMITIR A INFORMAÇÃO;
      • FAZER COM QUE A INFORMAÇÃO SEJA LEMBRADA.
      CORES
      • VERMELHO
      • Dinamismo Substância Motivação
      CORES - SIGNIFICADOS
      • AMARELO
      • Sofisticação Força Resplendor
      CORES - SIGNIFICADOS
      • AZUL
      • Frescor Saúde Limpeza
      CORES - SIGNIFICADOS
      • VERDE
      • Natureza Refrescância Perfume
      CORES - SIGNIFICADOS
      • BRANCO
      • Saúde Simplicidade Esterilidade
      CORES - SIGNIFICADOS
      • PRETO
      • Sofisticação Poder Modernidade
      CORES - SIGNIFICADOS
    • IMAGENS E DESIGN
    • IMAGENS
      • A IMAGEM PRETENDE CONSTRUIR O OBJETO DINÂMICO EM SI QUE PASSA A EXISTIR POR MEIO DE SEU SIMULACRO– EM QUE A REPRESENTAÇÃO É A REALIDADE
      • CARÁTER COMPLEMENTAR
    • IMAGENS Argumento de autoridade
    • IMAGENS Sistema de crenças e de valores
    • IMAGENS Ironia/Eufemismo
    • IMAGENS
      • CONTRAPONTO À AGITAÇÃO DA VIDA URBANA
      • APELO EMOCIONAL
      • O BACKGROUND COMPLEMENTA E TRAZ A SENSAÇÃO DE INFINITUDE
    • IMAGENS
      • SIMULAÇÃO DE UM DESENHO FEITO POR CRIANÇAS
      • DEMONSTRAÇÃO DO PRODUTO E APROXIMAÇÃO COM O CONSUMIDOR EM POTENCIAL
    • DESIGN Ícone-índice Índice
    • DESIGN Ergonomia e visibilidade
    • DESIGN COM UMA EMBALAGEM ATRAENTE, TUDO PODE SER VENDIDO? Peças do artista plástico Justin Ginac vendidas, em média, por 50 dólares .
    • DESIGN Desenvolvida pelo designer japonês Naoto Fusakawa
    • DESIGN
      • PERFUME DIESEL INSPIRADO NO SUPER HERÓI HOMEM DE FERRO
      • DESIGN ROBUSTO, SENSAÇÃO DE MASCULINIDADE
      • VISIBILIDADE
    • DESIGN
      • ÍNDICE (DESCE REDONDO)
      • FORMAS CURVADAS (DINAMISMO, JOVIALIDADE)
    • ELEMENTOS TEXTUAIS
    • ELEMENTOS TEXTUAIS
        • MOTIVAÇÕES INCONSCIENTES E IRRACIONAIS QUE MOTIVAM O CONSUMIDOR
        • SISTEMA DE CRENÇAS
        • ARTIFÍCIOS DA LINGUAGEM
        • INFORMAÇÕES CONTRADITÓRIAS E FALSAS
      • MOMENTO DA DECISÃO FINAL: AÇÃO
      • ATENÇÃO DESTINADA: MAIOR SE COMPARADA A ALGUMAS OUTRAS MÍDIAS
      • TEMPO DE POSSE - LEITURA
      • INFORMAÇÕES ÚTEIS AO CONSUMIDOR
      ELEMENTOS TEXTUAIS
      • SUJEITO ENUNCIATÁRIO
      • SUJEITO ENUNCIADOR
      • ENUNCIADO
        • TEXTUAL: TRÊS NATUREZAS
          • Verbal
          • Imaginética
          • Sonora
      • FAZER-SABER + FAZER-CRER
      • FAZER-FAZER / FAZER-NÃO-FAZER
      ELEMENTOS TEXTUAIS
      • NOME DO PRODUTO
      • DIRECIONAMENTO; SINAL
        • NOMES SIMBÓLICOS
        • NOMES PATRONÍMICOS
        • NOMES INVENTADOS
      ELEMENTOS TEXTUAIS
    • ELEMENTOS TEXTUAIS
    • TIPOGRAFIA “ Deve-se utilizar no máximo três tipos de fonte num produto. Uma fonte para os títulos, acompanhando o logotipo da empresa, outra para os textos e uma terceira apenas se houver necessidade.”
    • TIPOGRAFIA
      • IDENTIFICAÇÃO VISUAL
      • LEGIBILIDADE
      • FUNCIONALIDADE
      • HARMONIA
      • DESIGN/LAYOUT
    • TIPOGRAFIA Cola-Cola
    • SLOGANS E LOGOMARCAS
    • SLOGAN
      • ORIGEM: GAÉLICO-ESCOCÊS
      • VEM DE sluagh-ghairm E SIGNIFICA “GRITO DE GUERRA”
      • CONCEITO: FRASE DE FÁCIL MEMORIZAÇÃO USADA EM CONTEXTO POLÍTICO, RELIGIOSO OU COMERCIAL COMO UMA EXPRESSÃO REPETITIVA DE UMA IDÉIA OU PROPÓSITO
    • LOGOTIPO
      • ORIGEM: GREGO
      • Logos = FALA, PALAVRA OU DISCURSO
      • CONCEITO: FORMA PARTICULAR DA REPRESENTAÇÃO DE UMA MARCA ATRAVÉS DO CONJUNTO DE SIGNOS TIPOGRÁFICOS AGRUPADOS EM UM SÓ BLOCO
    • FUNÇÕES
      • ORIGINALIDADE PARA SE DISTINGUIR;
      • CAPACIDADE DE RECONHECIMENTO E MEMORIZAÇÃO;
      • FLEXIBILIDADE E VERSATILIDADE, POSSIBILITANDO SER REPRODUZIDO EM QUALQUER MEIO;
      • COERÊNCIA COM O DISCURSO GLOBAL DA ORGANIZAÇÃO;
      • ENCARNAÇÃO DA IMAGEM DA EMPRESA;
      • RESISTÊNCIA À FRAGMENTAÇÃO .
    • SLOGAN E LOGOTIPO TRADUÇÃO LINGUÍSTICA E IMAGÉTICA, RESPECTIVAMENTE, DA PERSONALIDADE DE UMA MARCA E DE SEUS PRODUTOS.
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • SLOGAN E LOGOTIPO
    • ANÁLISE – POPULAR x SOFISTICADO
    • ANÁLISE
    • ANÁLISE
    • ANÁLISE
    • ANÁLISE
      • COCA-COLA
      ANÁLISE – DIET X LIGHT X ZERO
      • PEPSI
      ANÁLISE – DIET X LIGHT
    • ANÁLISE
      • ANALOGIA COM PONTEIROS DE RELÓGIO
      • DURAÇÃO DA RELAÇÃO SEXUAL X PRAZER
    • ANÁLISE
      • AZUL – CONFORTO, SENSIBILIDADE
      • PENAS – DELICADEZA, MACIEZ
      • POSSÍVEL RELAÇÃO COM O ENCHIMENTO DE TRAVESSEIROS
    • ANÁLISE
      • APELO SINESTÉSICO
      • TEXTURA DAS FOLHAS
      • O VERDE INTENSO – PUREZA EM RELAÇÃO AO SABOR OFERECIDO
    • ANÁLISE
      • TEXTURA FLAMEJANTE
      • ANALOGIA ÀS PLACAS DE ADVERTÊNCIA
      • FETICHE – FOGO/PERIGO/BOMBEIROS
    • ANÁLISE
      • PRETO – PRODUTO REFINADO
      • LISTRAS NEON – MODERNIDADE/SIMULAM A TEXTURA DO PRESERVATIVO
      • FADE OUT (ESMAECER) – EVOCA CERTO MISTÉRIO – CONVIDA O RECEPTOR
    • ANÁLISE – ANTIGO x NOVO Amido de Milho Maizena
    • ANÁLISE
    • ANÁLISE Imagens Antitabagistas
    • ANÁLISE - FEMININO
    • ANÁLISE - MASCULINO
    • ANÁLISE – FEMININO II
    • ANÁLISE – MASCULINO II
    • ANÁLISE – FEMININO III
    • ANÁLISE – MASCULINO III
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
    • CONSIDERAÇÕES FINAIS
    •  
    • BIBLIOGRAFIA
      • RODRIGUES, Antonielson Reis. Embalagens: comunicação e processo de criação. Marília: UNIMAR, 2005. 134 p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Comunicação, Educação e Turismo da Universidade de Marília, Marília, 2005.
      • ANDRIÃO, Jarleson. Análise semiótica da evolução visual da embalagem de amido de milho MAIZENA. Trabalho apresentado ao 9o Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design. 
      • GONÇALVES, Cristina Munhão . Ética e persuasão na publicidade dos rótulos de embalagens. Cenários de Comunicação. São Paulo: UNINOVE, dez. 2004. v. 3, p. 45-63.
      • O discurso da em balagem: objeto semiótico à venda. Disponível em: < http://webmail.faac.unesp.br/~mldiniz/publicacoes/artigo008.html >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • Curiosidades: 10 logotipos famosos. Disponível em: < http://www.curiosando.com.br/curiosidades-10-logotipos-famosos/ >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • Logos Coca-Cola. Disponível em: http://logobr.wordpress.com/2008/07/04/logos-coca-cola/ >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • Coca-Cola. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Coca-Cola >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • A evolução das marcas famosas. Disponível em: < http://designtuts.com.br/evolucao_marcas_famosas >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • Tipografia. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Tipografia >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • Análise das imagens antitabagistas nas embalagens de cigarro. Disponível em: < http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2009/resumos/R4-2253-1.pdf >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • Marlboro. Disponível em: < http://mundodasmarcas.blogspot.com/2006/05/marlboro-come-to-marlboro-country.html >. Acesso em 04 jun. 2011.
      • SANTAELLA, Lucia. Semiótica Aplicada . São Paulo: Thomson Learning, 2005.
      • Qual a diferença entre produtos diet, light e zero?. Disponível em: < http://www.bancodesaude.com.br/materias/qual-diferenca-entre-produtos-diet-light-zero >. Acesso em: 21 mai. 2011.
      • As cores nas embalagens. Disponível em: < http://www.mundocor.com.br/cores/cor_emba.asp >. Acesso em: 21 mai. 2011. 
      • A cor. Disponível em: < http://to-campos.planetaclix.pt/visio/cor.htm >. Acesso em: 21 mai. 2011.
      • A cor na embalagem. Disponível em: < http://www.tci.art.br/cor/embalagem.htm >. Acesso em: 21 mai. 2011.
      • A Importância da Cor nas Embalagens como Fator Influenciador no Momento da Compra. Disponível em: < http://www.bocc.ubi.pt/pag/bocc-kraemer-embalagens.pdf >. Acesso em: 21 mai. 2011.
      BIBLIOGRAFIA
      • A Decisão De Compra E A Influência Das Cores Das Embalagens. Disponível em: < http://www.webartigos.com/articles/7472/1/A-Decisao-De-Compra-E-A-Influencia-Das-Cores-Das-Embalagens/pagina1.html >. Acesso em: 21 mai. 2011.
      • NIEMEYER, Lucy. Elementos de Semiótica Aplicados ao Design. São Paulo: 2AB Editora, 2003.
      • FRASER, Tom; BANKS, Adam. O Guia Completo da Cor: Livro essencial para consciência das cores. São Paulo: 2AB Editora, 2005.
      BIBLIOGRAFIA