Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Unidade ii.3 estrategias e terceirização
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Unidade ii.3 estrategias e terceirização

  • 462 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
462
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
41
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ESTRATÉ GIAS LOGÍ STICAS E TERCEIRIZAÇÃO Prof: Daniel Moura Disciplina: Logística e distribuiç ão
  • 2. INTRODUÇÃO ÀS “ESTRATÉ GIAS LOGÍ STICAS”Negó cios interligadosAlianç as logísticas
  • 3. Alianç as LogísticasUma alianç a reflete um desejo existenteentre dois ou mais participantes demodificarem suas prá ticas atuais de negó cios,no sentido de serem eliminadas asduplicidades de atividades nas interfaces dacadeia de valor agregado, bem como seremreduzidos possíveis desperdícios de recursosde produç ã transporte e distribuiç ã o, o.
  • 4. Diagrama de Alianç a Logística Transportador Atacadista/ varejista Fornecedor Produtor
  • 5. Desenvolvendo Estraté gias ∆ιϖισ©ο δοσ papé is e responsabilidades de cada parceiro; Μεδιδασ de performance usadas para auditar metas estraté gicas e aderê ncia aos padrõ es operacionais; Tipo de informaç ã a ser compartilhada; o Frequência e forma de comunicaç ã o.
  • 6. Estraté gias de Efficient Consumer Response (ECR) Coordenar trocas de informaç õ entre es indústria e o varejo; Permite o estabelecimento de um fluxo de produtos e estoques sincronizado com as informaç õ de vendas; es Lanç amento de novos produtos visando maximizar o valor na visã do cliente final, o o que reduz as chances de insucesso.
  • 7. Estraté gias de Planejamento de Controle da Produç ã (PCP) oPCP é parte integrante do Departamento dePlanejamento da Produç ã o;Comunicaç ã das características do Produto à oPCP ( Instruç õ Té cnicas, Lista de desenhos, esLista de materiais, Especificaç ã de materiais, oConversã o de desenhos, Codificaç ã o demateriais e peç as);Composiç ã percentual de cada modelo na oproduç ã e o no lucro da Companhia. o
  • 8. Gestã de Estoques oA reduç ã de custos atravé s da reduç ã dos o oestoques, a reduç ã dos estoques atravé s do ocompartilhamento intensivo de informaç õ esentre fabricantes e varejistas, permitindo quese atinjam lead-times (tempos de resposta)praticamente iguais a zero.
  • 9. Estraté gias de Movimentaç ã e o Armazenagem de Materiais De uma maneira simples, todos os tipos de armazé ns possuem as seguintes funç ões: – recebimento de produtos – armazenagem dos produtos até que seja necessário – coleta de produtos de acordo com pedidos dos clientes – preparaç ão dos produtos para entrega no cliente
  • 10. Estraté gias de Picking na ArmazenagemPicking (separaç ã e preparaç ã de pedidos); o oPriorizar produtos de maior giro;O objetivo é priorizar a mininizaç ã da distâ o nciaentre o operador que efetua a coleta e osprodutos a serem coletados;Um documento de picking deve fornecerinstruç õ específicas para o operador de modo esa facilitar a atividade de separaç ã de produtos. o
  • 11. ESTRATÉGIAS PARAOTIMIZAÇÃO DE EMBALAGENS
  • 12. ALGUNS ASPECTOS DA PRODUÇÃO DE EMBALAGENSFuncionalidade Ergonomia Meio ambiente A embalagem é um dos fatores que impulsionam a venda de Legislaç ão produtos, interferindo também no preço final ao consumidor. Viabilidade econô micaPercepç ã visual o Planejamento e custos
  • 13. FOCO PRINCIPALO CLIENTE
  • 14. CAMINHOS A SEREM SEGUIDOS POLÍTICA DE RESPOSTA RÁPIDA ( PRR )•Estoques centralizados;•Transporte expresso;•Pequenas dependências de previsões de vendas.
  • 15. ANTECIPAÇÃO À DEMANDA•Estoques descentralizados;•Próximos aos clientes potenciais;•Carregamentos consolidados.
  • 16. ESTRATÉGIA DETERCEIRIZAÇÃO
  • 17. ESCOLHA OU NECESSIDADE COMPETITIVA
  • 18. METODOLOGIA PARA AVALIAR A NECESSIDADE COMPETITIVA ANÁLISE TCRTotal Cost of Relationship ( Custo Total do Relacionamento)
  • 19. OS SEIS PASSOS DO TCRPasso 1: Determinar os Benefícios do TCR. Consiste emidentificar quais reduções de custos são quantificáveis, bemcomo se os ganhos alcançados contribuirão para gerarvantagem competitiva no mercado.Passo 2: Definir os Processos a Serem Analisados. Nestepasso deve ser avaliado se existem bons prestadores deserviço disponíveis no mercado, além da atividade logísticaparece gerar maiores ganhos com a terceirização.
  • 20. Passo 3: Escolher o Modelo de Terceirização. Visaavaliar se a magnitude dos retornos potenciais permite aformação de uma relação de parceria com o prestador deserviço em questão.Passo 4: Formar Time para Trabalhar no Projeto. Estetime deve incluir pessoas de Marketing/Vendas, Sistemasde Informação, e possivelmente os principais clientesafetados com a terceirização. O departamento deCompras/Suprimentos deve coordenar o time de trabalho.
  • 21. Passo 5: Testar a Modelagem do TCR. Nesta etapadeve ser escolhida uma atividade que sejafreqüentemente terceirizada pelas empresas (p.ex.transporte) e realizada uma análise piloto.Passo 6: Ajuste Fino da Modelagem TCR. Objetiva ainstitucionalização do processo através da formalizaçãoda troca de dados entre a empresa, seus clientes e oprestador de serviço. Busca-se o acordo em questõescomo duração do contrato, protocolos EDI e ocompartilhamento de informações de custos.