...plano  e Profundidade Clareza  e  Obscuridade...
Clareza  e  Obscuridade
Existe uma beleza do  obscuro , e a  arte continua a ser arte  mesmo quando renuncia ao ideal da  clareza absoluta Toda  a...
A luz e a sombra são tão importantes quanto o próprio desenho na definição da forma  Cada efeito tem a função de caracteri...
Séc. XVI – O Clássico Neste século o desenho era  totalmente claro Por mais que a  representação dos detalhes  não fosse a...
Séc. XVII – Barroco Não só a  escuridão  cobriu as cenas neste século, mas, a  luz  também pôde ser usada para  ocultar el...
 
 
Plano  e Profundidade
Séc. XVI Renascimento Reconheceu como regra fundamental a combinação das normas do plano
Séc. XVII Barroco Composição voltada para os efeitos de profundidade
Características que marcam a evolução da representação plana para a representação em profundidade: <ul><li>Ruptura do plan...
Ruptura do plano O plano articula a imagem em camadas dispostas paralelamente à boca da cena, a enfatizadas as relações en...
 
Graduação de cores As cores nos fundos das telas começam a espaçar-se progressivamente, dando origem a um sistema de persp...
 
Perspectiva de objeto A redução dos objetos através da perspectiva sempre foi do conhecimento dos artistas. A súbita dimin...
 
A  profundidade  manifesta-se mais intensamente quando se torna perceptível através de um  movimento , em muitos casos com...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Clareza e Obscuridade, Plano e Profundidade

6,362
-1

Published on

Trabalho para a cadeira de História da Arte, UNISINOS

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,362
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Clareza e Obscuridade, Plano e Profundidade

  1. 1. ...plano e Profundidade Clareza e Obscuridade...
  2. 2. Clareza e Obscuridade
  3. 3. Existe uma beleza do obscuro , e a arte continua a ser arte mesmo quando renuncia ao ideal da clareza absoluta Toda arte procura dificultar cada vez mais a tarefa a ser realizada pelos olhos Uma vez solucionado o problema de representação clara, é natural que a forma da imagem se complique e que o espectador, para quem a simplicidade tornou-se demasiada, encontre prazer ao solucionar uma tarefa mais complicada
  4. 4. A luz e a sombra são tão importantes quanto o próprio desenho na definição da forma Cada efeito tem a função de caracterizá-la em seus detalhes e organizar o conjunto
  5. 5. Séc. XVI – O Clássico Neste século o desenho era totalmente claro Por mais que a representação dos detalhes não fosse alcançada, não havia resíduo de confusão. A idéia era proporcionar uma visibilidade perfeita Os desenhos são desenvolvidos em contrastes significativos , sendo possível medí-los com rigor por toda a sua extensão, a simples disposição dos corpos torna as obras de uma clareza absoluta Todas as formas mostram o que possuem de mais característico
  6. 6. Séc. XVII – Barroco Não só a escuridão cobriu as cenas neste século, mas, a luz também pôde ser usada para ocultar elementos importantes e enfatizar os secundários No Barroco há uma rejeição ao grau máximo de nitidez A intenção é não dizer tudo e deixar que os detalhes possam ser adivinhados , interpretados pelo observador O interesse pela forma perfeitamente moldada cede lugar ao interesse pela imagem ilimitada e dinâmica
  7. 9. Plano e Profundidade
  8. 10. Séc. XVI Renascimento Reconheceu como regra fundamental a combinação das normas do plano
  9. 11. Séc. XVII Barroco Composição voltada para os efeitos de profundidade
  10. 12. Características que marcam a evolução da representação plana para a representação em profundidade: <ul><li>Ruptura do plano </li></ul><ul><li>Graduação de cores </li></ul><ul><li>Perspectiva de objeto </li></ul>
  11. 13. Ruptura do plano O plano articula a imagem em camadas dispostas paralelamente à boca da cena, a enfatizadas as relações entre os elementos que se dispõe à frente e os que se encontram atrás, fazendo com que o observador se vê obrigado a penetrar até o fundo do quadro.
  12. 15. Graduação de cores As cores nos fundos das telas começam a espaçar-se progressivamente, dando origem a um sistema de perspectivas cromáticas vigorosas. Somente as cores tornam perfeitamente compreensíveis as razões pelas quais o conjunto se caracteriza por um efeito de profundidade tão intenso.
  13. 17. Perspectiva de objeto A redução dos objetos através da perspectiva sempre foi do conhecimento dos artistas. A súbita diminuição de tamanhos implicará sempre em um movimento que se dirige ao fundo. Idêntico efeito é produzido tanto pela disposição dos móveis, como pelos ornamentos do assoalho.
  14. 19. A profundidade manifesta-se mais intensamente quando se torna perceptível através de um movimento , em muitos casos com disposição em diagonal. O processo de decomposição dos planos clássicos desenvolve-se paralelamente ao processo de desvalorização da linha . Existem peculiaridades que se mantêm constantes apesar de todas as transformações. A Itália sempre possuiu uma sensibilidade maior em relação aos planos do que o Norte germânico , que tem no sangue a tendência a explorar a profundidade .
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×