• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Stc.dotx
 

Stc.dotx

on

  • 1,128 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,128
Views on SlideShare
1,128
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
7
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Stc.dotx Stc.dotx Document Transcript

    • Ficha de ReflexãoPortugal, UmRetrato Social Formando: - Daniela Costa Turma: EFA-S19
    • 1º EpisódioNo primeiro episódio “Gente Diferente. Quem somos, quantos somos ecomo vivemos” do Documentário “ Portugal, Um Retrato social”, é relatadoo Português de hoje, que é muito diferente do que era a 30 anos.Nos dias de hoje, os Portugueses, são pessoas mais cultos, com maisestudos, qualidade de vida e possibilidades económicas.Anteriormente Portugal, era um país de analfabetos com falta de liberdade,pobres e com falta de condições.Devido às más condições de higiene, ao nascer muitos bebes e mãesmorriam, tendo Portugal uma taxa de mortalidade alta. Com o aumento dascondições de vida, Portugal tornou-se o 5º país com a taxa de mortalidadeinfantil mais baixa da Europa.Hoje, a população é uma população mais velha, devido a taxa de natalidadeter diminuído, apesar das melhores condições de vida dos últimos anos.Esta taxa diminuiu também pela saída das mulheres de casa para trabalhar,e a sua independência. Relacionado com esta situação, e também com autilização dos métodos contraceptivos, as famílias tornam-se mais pequenase tendo menos filhos. Portugal tornou-se envelhecido, tendo como causa oaumento do tempo médio de vida, que surgi-o com melhores condições devida da população.Aos “velhos” da nossa família, eram dadas todas as condições necessáriapara viverem e eram figuras respeitadas, porém nos dias de hoje, com aprogressão profissional e com o egoísmo crescente, os nossos “velhos”tornaram-se fardos para as famílias, que os colocam nos lares paramorrerem.Em suma, passados todos estes anos, Portugal, passou por muitasmudanças. Mudanças muito importantes, que melhoraram a nossa vida.Porém existe o reverso da medalha com o grande envelhecimento dapopulação e com a crise instalada.Densidade populacional - Relação entre o número de habitantes de umadeterminada área e a superfície desse território. Habitualmente é expressaem número de habitantes por quilómetro quadrado);Área urbana - área densamente urbanizada com edifícios de habitação ecomerciais, que inclui, tipicamente, alguns espaços verdes;Êxodo rural - o termo utilizado para designar o abandono do campo porseus habitantes, que, em busca de melhores condições de vida, setransferem para locais mais urbanos;Terciarização - Supremacia do sector terciário em relação aos outrossectores de actividade económica, desenvolvido pelo comércio, turismo elazer e pela expansão dos serviços financeiros e dos serviços de educação,saúde e apoio social;Modelo de Desenvolvimento - plano criado para desenvolver umprojecto, bem estruturado;Emigração - saída voluntária de pessoas para outros países, parahabitarem ou trabalharem a longo e médio prazo;Migração - deslocação de populações de uma região para outra ou de umpaís para outro. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I – BEJACURSO EFA – Nível Secundário – 2011/2012
    • Um dos objectivos da população, e o melhoramento das condições de vida.Ao longo dos anos a densidade populacional teve altos e baixo, estandoagora mais alta. Hoje, Portugal, têm pouco mais de 10 milhões de pessoas.Estas pessoas distribuem-se por todo o continente e ilhas, porém estapopulação encontra-se em maior parte, no litoral. Em busca de melhorescondições, a população, deixou o campo para se estabelecer nas grandescidades, criando um modelo de desenvolvimento diferente do que o de anosanteriores.Com o abandono do campo e da agricultura, ouve um aumento da indústriaterciaria, que surgiu com o aparecimento de novas empresas e serviços,como os serviços de telecomunicações.Nem todas as pessoas, que procuravam melhores condições de vida ficarampor Portugal. Muitas delas emigravam para trabalhar ou até mesmo paraviverem. Os anos 60 e 70 foram o auge da emigração, para trabalharem emperíodos sazonais ou até mesmo a longo prazo. Porém, nos dias de hoje,Portugal já não é um país de população que emigra para outros Países, masum país receptor de emigrantes.2º EpisódioO trabalho nas últimas décadas mudou muito. Nos anos 50 e 70, a maioriados Portugueses trabalhava na agricultura (aldeias e vilas) e poucos nosserviços, industrias. Nestes anos, a população aumento, mas continuandopobre e com muitas dificuldades. Em Portugal, a agricultura era o grandemeio de subsistência da maioria das famílias, não era utilizada qualquer tipode tecnologia, sendo tudo feito manualmente pelos homens e as mulheres,de “sol a sol”. A indústria era pouco importante e muito atrasada.Porém, com a pobreza instalada em Portugal, muitas pessoas emigraram eoutras foram trabalhar para as industrias. O país estava poucodesenvolvido, o que não acontecia com outros, e muito fechado a tudo oque vinha do exterior. Com a integração de Portugal na União Europeia,foram recebidos fundo que desenvolveram a indústria e a agricultura, que,sofreu um novo impulso. As mulheres começaram a trabalhar fora de casa eos homens na indústria. A partir de 1974, os salários aumentaram e todosos Portugueses tinham emprego, faltando mão-de-obra.Nesta época, os turistas e os próprios Portugueses descobriram as praiasfantásticas e o clima ameno de Portugal. A Economia recebeu um novoimpulso, porém o turismo cresceu rapidamente e desordenado, destruindo oambiente e a arquitectura natural. As infra-estruturas construídas eram demá qualidade.Nos dias de hoje, a população trabalha na indústria e nos serviços, umaminoria ficou na agricultura, aumentando o êxodo rural. A indústria mudou,e assim, a economia e a sociedade. Com os apoios da União Europeia,muitas empresas modernizaram-se conquistando o mercado estrangeiro.Porém, alguns fizeram uma má utilização desses fundos, que, em conjuntocom a pouca utilização da agricultura, fez com que Portugal produzissepouco e mal. Para tentar melhorar a agricultura, muitos agricultores vão láfora procurar o que de melhor se faz, para trazer para Portugal. Havendo
    • um grande problema que é a falta de água, devido as características doclima Português. Mas, apesar de estarmos em Portugal, muitos agricultoressão estrangeiros, principalmente no Alentejo.Muitas indústrias fecharam e fecham, sobrevivendo todas aquelas, que,apostaram na inovação e na formação dos seus trabalhadores. Com aglobalização, foi colocada em evidência, a fraca produtividade de Portugal, edepois de um grande crescimento económico, estamos a mergulhar numaprofunda crise. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I – BEJACURSO EFA – Nível Secundário – 2011/2012Comunidade - conjunto das populações de diferentes espécies quehabitam numa mesma área e que dependem de ou interagem umas com asoutras;http://www.instituto-camoes.pt/lextec/por/domain_1/definition/4707.htmlBem Estar – é um estado de qualidade de vida, de um ser, em todos osaspectos, seja profissional, familiar ou psicológico, etc;Modelo ecológico de desenvolvimento – esquema que visa desenvolverum programa com objectivos ecológicos em todos os âmbitos. Seja nosurbanismos, construções de equipamentos ou outros projectos.3-Portugal e a comunidade, durante anos e anos, foi um país fechado, nãohavendo modernização e receptividade a tudo o que vinha de outros países.Em busca do seu bem estar, muitos portugueses emigraram e outros foramtrabalhar para as industria, para ganhar mais e ter melhor condições devida. Portugal, com o seu clima ameno e com as suas boas praias, recebeumuitos turistas do Norte da Europa, ficando a comunidade mais receptivosas novidades vindas da Europa. Porém, com a chegada dos turistas, foramconstruídas casas, hotéis e restaurantes, que, não participando num modeloecológico de desenvolvimento, destruíram o ambiente e a arquitecturanatural. Com a construção de infra-estruturas, foram destruídas as encostasda costa Portuguesa, havendo também, uma poluição visual, com osgrandes prédios, construídos lado a lado.3º EpisódioA nossa sociedade a muito pouco tempo era ainda uma sociedade rural,porém tudo mudou. Portugal, era atrasado e desordenado, com um povopobre e cansado. Á 40 anos, Portugal, era um país rural e as cidades erampequenas. Devido a não haver transportes directos e não terem condições,as viagens eram difíceis e demoradas. 40% dos Portugueses eramanalfabetos, as escolas não cobriam todo o país e as que existiam nãotinham condições. Sendo um país pobre, as crianças abandonavam a escolacedo e iam trabalhar para o campo. Na maioria do território Português, nãohavia condições de vida, não havia serviços, postos de saúde, não haviaágua e também não havia electricidade. O comércio era feito na rua, emfeiras, ou em pequenas mercearias. Para fugir à pobreza, os Portugueses,deixaram o campo para ir trabalhar para o estrangeiro, para as cidades elitoral. Trabalhavam nos serviços e indústria, onde as condições eram
    • melhores. Com novos empregos, as pessoas viviam melhor e as famíliascompravam as novidades, como frigoríficos, e acederam ao consumo emmassa, passando também férias.As cidades cresceram rapidamente, acolhendo as pessoas vindas da aldeia emais tarde das colónias. O estado e as autarquias fizeram grandesinvestimentos, colocando água canalizada nas casas, electricidade etc. Como país desordenado, devido ao crescimento rápido, não havia planeamento.Só após o 25 de Abril, concebeu-se o Plano Director Municipal, que sócomeçou a funcionar anos mais tarde. Começaram a ser construídas casasilegais, com muito pouca qualidade e apareceram em zonas protegidasambientalmente.Só durante os anos 40, se preocuparam com o ordenamento do território,fazendo a legalização de várias casa ilegais. Foram construídos tambémbairros sociais, sendo uma má solução, devido ao aparecimento de váriosproblemas. A desorganização, torno a vida mais difícil para Portugueses,tendo que fazer longas viagens para chegar ao destino, seja para trabalharou para ir para a escola. As viagens longas, tornam o retorno para casa oua ida para o trabalho, mais cansativo que o próprio emprego. As cidadesficaram cheias e saturadas de carros, os transportes melhoraram emqualidade, porém, a população continua a sofrer com a construçãodesordenada de casas.Só após serem construídas as cidades, foram feitos planos de construção, eagora os centros estão a degradar-se, porém, a cresce na periferia. Ascasas para a alugar são poucas, por isso, os Portugueses recorrem aocrédito. Como viver no centro da cidade é carro e os terrenos paraconstrução também, as pessoas vão para a periferia. Nos grandes centrosurbanos, como Lisboa e Porto, é onde se vê uma maior desigualdade sociale onde os níveis de ruído são mais altos, existe muita poluição e os espaçosverdes são poucos. Nas cidades os Homens são livres, mais cultos e existeigualdade nas condições, porém é uma vida é muito difícil. ESCOLASECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I – BEJA CURSO EFA – NívelSecundário – 2011/2012Necessidade- "estado de carência que é preciso ultrapassar",Satisfação- sentimento de alegria ou contentamento, sendo também oacto de satisfação;Urbanidade- qualidade de algum que diz respeito a cidade;Modelo territorial- imagem ou desenho de uma grande extensão de terra,pintada ou desenhada que tem que ser seguido;Com a necessidade de uma vida melhor, os Português, partiram em buscade melhores condições de vida, que satisfizessem as suas necessidades. OsPortugueses, passaram de cidadãos rurais, para cidadãos urbanos, quetrabalham e vivem na cidade. Cidades desordenadas, que, por cresceremmuito de pressa se tornam “centros de betão”, onde as pessoas vivem emprédios com 20 andares.Antigamente, não era feito qualquer plano territorial, para seremconstruídas casas. As casas acabavam por crescer desordenadamente, atéilegais e feitas em zonas protegidas. Após a todas estas construções, e asobrecarga de pessoas nas cidades, e os altos preços lá fabricados, aspessoas estão a mudar nas periferias das grandes cidades e até mesmo
    • mudando radicalmente de vida, da cidade para o campo. Com a grandeafluência de pessoas para as cidades, agora, esta a ver-se o ver omovimento contrário, as pessoas estão saturadas da poluição, da correriado dia-a-dia e estão a correr para as aldeias, vilas e pequenas cidades.4º EpisódioHá quarenta anos, em Portugal, só existia uma religião, uma etnia, umalíngua e uma política. Mas, com o passar dos anos, Portugal passo a seruma sociedade multicultural, resultado da imigração e emigração.Portugal há alguns anos atrás era um país fechado, onde se praticava umasó religião, a católica, e onde só se falava Português. Na política, reinava oregime fascista, tudo era dominado pela PIDE (policia do regime fascista) eonde o estado e a religião mandavam. Os portugueses eram privados deliberdade, não podiam falar mal do estado, era proibido namorar, asmulheres eram proibidas de usar biquíni e as saias tinham que ter umamedida de cumprimento certo. Para ser usado isqueiro era necessário teruma autorização do estado, as professoras e as enfermeiras, para poderemcasar, também necessitavam de autorização e as hospedeiras eram mesmoproibidas de faze-lo. Para se trabalhar nos serviços era necessário umacarta de bom comportamento. Na cultura tudo era vigiado, as peças deteatro, o cinema, os livros, os jornais etc., e os partidos políticos erammesmo proibidos. Portugal tornou-se um país sufocante.Para fugir desta repressão e para melhorar as condições de vida, muitosPortugueses emigraram, mesmo ilegalmente. Na sua maioria emigravampara Luanda e Angola, onde a sociedade era muito mais aberta,principalmente na posição da mulher perante a sociedade.A emigração foi uma das grandes mudanças do século XX. Portugal tornou-se um país mais aberto, com uma sociedade mais cooperante e aberta àvinda de novas culturas e línguas. Mas, também o turismo foi um factorimportante para esta mudança, os turistas traziam para Portugal, novidadese novos costumes. Com a descolonização muitos colonos vieram paraPortugal, tento que começar as suas vidas do zero, tornando-se estetambém um factor importante para esta mudança.Com todas estas mudanças e com a democracia instalada, Portugal tornou-se livre, as mulheres começaram a sair de casa para trabalhar, começarama sair a noite, a classe média deu educação aos seus filhos, compraramcarros e acederam ao consumo em massa. Os hábitos mudaram e tambéma sociedade, tornando-se aberta as ideias do mundo. Portugal tornou-seapetecível para a população de outros países. Nos anos 80 a maioria dosemigrantes eram brasileiros e nos anos 90 vieram muitos trabalhadores deleste para Portugal. Estes trabalhadores são mais qualificados que osPortugueses, porém em Portugal trabalham em serviços duros que osportugueses não querem.Hoje em Portugal existem muitos imigrantes, porém a vinda destapopulação não troou-se só vantagens. Os estrangeiros começaram aconcentrar-se em bairros clandestinos aumentando assim o foço entre osportugueses. Estes bairros tornaram-se assim um dos grandes problemas
    • hoje verificado, nestes bairros residem graves problemas sociais devido anão haver água canalizada, não existindo electricidade e graves problemasde higiene.Emigração – saída voluntária do país onde se nasceu para se estabelecernoutro país, seja para um trabalho sazonal ou durante vários anos;Imigração- entrada de estrangeiros num país com o fim de nele seestabelecerem para trabalhar. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D.MANUEL I – BEJA CURSO EFA – Nível Secundário – 2011/2012
    • Com a entrada de Portugal na União Europeia, com a livre circulação depessoa e bens entre os países a ela pertencentes e com as condições queexistiam e existem em Portugal, Portugal tornou-se um país receptor deimigrantes principalmente vindos da Europa, devido às condições járeferidas. Esta entrada de imigrantes fortaleceu a economia portuguesa,porém trouxe graves problemas sociais. Ao redor das grandes cidadescomeçaram a ser construídos bairros clandestinos e com isso grandesproblemas de higiene e também problemas de criminalidade.Mas, Portugal esta em plena crise, existindo falta de emprego osPortugueses estão novamente a emigrar como à quarente anos atrás.Apesar da condições em Portugal estarem diferentes, a escassez detrabalho é o principal factor para a emigração. Porém, este fenómeno estádiferente e a população também. Com todas as mudanças de anos e anos, apopulação esta mais “educada”, tem mais estudos e a maioria dosemigrantes são estudantes que acabaram a sua licenciatura e que nãoencontram emprego em Portugal.5º EpisódioAntigamente os direitos políticos e sociais dos cidadãos eram muitodiferentes. Portugal era regido por um regime fascista onde a ditadura e afalta de liberdade, estavam presentes no dia-a-dia dos Portugueses e ondeo estado e a igreja mandavam.Até aos anos 60, a igualdade de direitos entre homens e mulheres erammuito diferentes. Aos homens era dado o papel mais importante. O homemera considerado o pilar mais importante da casa, era quem trazia o dinheiropara casa e que tinha que ser respeitado. Hás mulheres era dado um papelmuito diferente, as mulheres não trabalhavam, tinham de ser submissas,cuidar da casa e dos filhos.Nesta altura muitos jovens iam para a guerra, parando a sua vida porvários anos, para irem ao serviço militar, mas muitos faltavam a inspecçãoemigrando.Após os anos 60, com os homens a emigrar, muitas mulheres começaram atrabalhar, entrando em vários sectores de trabalho. Com a revolução de 74,o regime fascista “caiu” dando lugar a democracia, tudo se alterocomeçando Portugal, a ser regido pelas leis, sendo esta revolução umresultado de uma grande mudança social.Com esta revolução a sociedade mudou, as mulheres começaram a votar, asair a noite e começaram a trabalhar em sectores que eram ocupados nasua totalidade por homens. Porém, hoje em dia, apesar das mulheres seremmetade da população activa e serem elas que na maioria vão para auniversidade, continua a haver um desfasamento entre homens e mulheresno sector do trabalho. Os homens continuam na sua maioria a ganhar maise a ocupar cargos de chefia. Mas não foi só no trabalho que ouve umagrande mudança, mas também nas casas e famílias. Os homens começarama participar nas vidas das casas e dos filhos, “ajudam” em casa, existindouma partilha de tarefas.Na justiça, foram implementadas farias leis após a revolução e a justiçapasso a ser para todos. Porém, as leis são muito difíceis de serempercebidas e hoje com a liberdade e com os direitos humanos, as pessoas
    • começaram a recorrer mais à justiça tornando-a muito demorada. Comtodas estas demoras, muitos casos acabam por prescrever, as prisões estãocheias e os tribunais estão atolados de processos. A justiça tornou-se paratodos porém igualdade na justiça não. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLOD. MANUEL I – BEJA CURSO EFA – Nível Secundário – 2011/2012
    • O nosso país mudou muito ao longo dos tempos na igualdade entre homense mulheres. Anteriormente os homens eram o centro da família, eram quemmandavam, quem trazia o dinheiro para casa, e a par dos idosos, tinhamque ser respeitados. As mulheres nessa altura era a base da casa, eramelas que tratavam de tudo e que tratavam dos filhos. Para serem boasmulheres, tinham que ser boas donas de casa, saber fazer tudo, tinham querespeitar os maridos e tinham que cuidar dos filhos.Mas hoje em dia, muitas coisas mudaram, as mulheres já trabalham, já temdireitos e ser uma boa mulher já não passa por ser boa dona de casa. Oshomens passaram a ser parte integrante nas tarefas da casa e naparticipação familiar.Porém hoje em dia, nem tudo mudou, ainda existem muitas famílias emque perdura o pensamento de há muitos anos atrás.Com a implementação das leis e dos direitos, as pessoas começaram arecorrer a justiça, e devido a isso, justiça tornou-se muito lenta edemorada, apesar da subida de pessoal a trabalhar na justiça e nostribunais. Com a morosidade dos processos muitas vezes os processosacabam por prescrever e os criminosos ficando impunes, tornando muitasvezes esta morosidade um elemento de sofrimento para muitas famílias epessoas que estão envolvidas nestes processos.Mas, esta morosidade não faz sofrer só as famílias, mas faz com que ascadeias estejam superlotadas e que muitos criminosos fiquem impunes,ficando assim, na sociedade, um sentimento de impunidade.A pena de morte é uma sentença aplicada pelo poder judiciário que consisteem retirar legalmente a vida a uma pessoa que cometeu, ou é suspeita deter cometido, um crime que é considerado pelo poder como suficientementegrave e justo de ser punido com a morte. A meu ver a pena de morte nãodevera ser legalizada em qualquer lugar do mundo pois ao estar a retirar avida a um ser está-se a cometer também um crime!É de certo que em alguma circunstancias e por breves momentos achamosque a pena de morte seria a melhor solução possível mas fico a favor daprisão perpetua, pois será um castigo mais doloroso e sem cometer umcrime!6º EpisódioPortugal mudou muito nas suas relações sociais. Ao longo do tempo asclasses sociais em Portugal melhoraram as suas condições de vida, asfamílias viram os seus rendimentos crescer e o seu conforto aumentar. Comtodas estas condições, iniciou-se o consumo em massa, as famíliascomeçaram a deixar de poupar e começaram a recorrer ao crédito. Tambémnesta altura iniciou-se o turismo, os Portugueses começaram a fazer fériasprolongadas e também começaram a viajar para o estrangeiro.
    • Relativamente aos jovens, com a melhoria das condições de vida,começaram a estudar e a ir para a universidade, mudando assim, o seulugar na sociedade. Com as horas de trabalho a aumentar, para poder darum futuro aos seus filhos, os portugueses passam muito pouco tempo emcasa, por isso, os jovens crescem sem qualquer apoio e sozinhos. Com estafalta de tempo para os filhos, os jovens andam cada vez mais cedo na rua,acedendo facilmente a drogas e álcool. Cada vez mais cedo também osjovens iniciam a sua vida sexual, porém, apesar da muita informação nosmédios e nas escolas, existem uma grande percentagem de grávidasadolescentes.Com todas estas mudanças, Portugal tornou-se um país aberto, um paíscom cultura, porem esta cultura custa caro. Apesar da maior qualificaçãodos portugueses, o hábito de leitura contínua escasso. Os livros e DVD’s,apesar de Portugal ser um pais com baixas condições económica, são dosmais caros do que na Europa.Os Portugueses descobriram a televisão e muitas delas chegaram as aldeiasantes da escola, a televisão tornou-se um elemento fundamental e hoje temum local de destaque na casa dos portugueses. Esta situação levou ao fechode vários cinemas e teatros, havendo agora um novo nascer com areabilitação de teatros e cinemas.Apesar de todas as mudanças ao longo do tempo e da evidente melhoriadas condições de vida dos Portugueses, continua a verificar-se umaacentuada diferença entre as classes sociais. Os ricos estão cada vez maisricos e os pobres cada vez mais pobres.Cultura - “aquele todo complexa que inclui o conhecimento, as crenças, aarte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e aptidõesadquiridos pelo homem como membro da sociedade”.Classes Sociais - Divisão por grupos, dos membros da sociedade,conforme as suas características económicas e sociais; ESCOLASECUNDÁRIA C/ 3º CICLO D. MANUEL I – BEJA CURSO EFA – NívelSecundário – 2011/2012
    • Sexualidade - “A sexualidade humana é uma função da personalidade quecomeça com o nascimento e termina com a morte. Ela inclui a maneiracomo nos sentimos como pessoas, o que se sente pelo facto de se serhomem ou se ser mulher e como se desenvolve toda a nossa vida com aspessoas do mesmo sexo ou do sexo oposto.”Ao longo dos tempos a nossa cultura enquanto Portugueses tem-se alteradomuito. Com a melhoria das condições de vida, os portugueses apostaram nasua qualificação escolar, têm ficado cada vez mais cultos. Graças a estasmelhorias as pessoas que eram pobres deram um futuro aos seus filhos, osfilhos tiraram licenciaturas e tem mais posses que os País. Devido a estasituação, formaram-se novas classes sociais, as classes medias.Hoje vemos que os jovens saem cada vez mais cedo de casa, com 13 ou 14anos já saem a noite, com a autorização dos pais. Com tudo isto asexualidade começa também muito cedo. Existe muita liberdade, devido apouca permanência dos pais em casa e também do pouco diálogo das 2gerações.7º EpisódioPortugal mudou muito ao longo destes anos, vivemos em democracia,liberdade, temos mais estudos, benefícios sociais e médicos. Hoje a justiçae Educação é para todos, Portugal já não é um país de analfabetos, osestudantes na sua maioria vão para a universidade onde existem algunsapoios sociais.Os nossos “velhos” tem reformas e os desempregados apoios.Apesar de todas estas melhorias Portugal continua um país pobre,continuado na cauda da Europa.Em Portugal o sistema de saúde foi o que mais cresceu e melhorou, porémainda existem muitas lacunas. Nesta área existem grandes desperdícios, osprazos de espera são muito alargados e os doentes tem que recorrer aoprivado para poderem ter consultas a tempo e horas.Não é só na saúde que existem desperdícios e problemas, também nasEscolas e na Educação isto acontece, é alvo de muitas reformas, existindomuita instabilidade, que leva a resultados medíocres na edução.Na administração pública existe muita gente, muitos privilégios e sendo umserviço caro e insuficiente. O estado faz uma má gestão dos dinheirospúblicos, gastando dinheiro em construções que não são utilizados. Osautarcas são corruptos e muita gente depende do estado.Portugal faz parte da Europa, um dos continentes mais desenvolvido domundo, porém não é igual aos restantes países. Apesar da sua boalocalização e do crescente melhoramento das suas condições, continuamuito longe dos países da Europa. Continua atrasado e agora dentro deuma grande crise, ficando desacreditado em todo o mundo. Porém Portugalnão se destaca só pelas coisas más, Portugal tem um clima fantástico, tembons conhecimentos científicos e de saúde. Com todas estas rezõespodemos concluir que Portugal é um país muito diferente de todos osoutros, seja por boas ou más razões.