Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Genesis ate levitico atualizado ate 15042010

on

  • 5,256 views

Aula de Pentateuco - Professor Marcelo.

Aula de Pentateuco - Professor Marcelo.
Ibadetrim - Istituto biblico das Assembleias de DEUS do Triangulo Mineiro.

Statistics

Views

Total Views
5,256
Views on SlideShare
5,243
Embed Views
13

Actions

Likes
1
Downloads
238
Comments
1

2 Embeds 13

http://www.slideshare.net 9
http://teologiaporexcelencia.blogspot.com.br 4

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Conheça nosso site, mensagens, videos, radios, forum, temas, livros gratis, PPs, Downloads, Papeis de Parede, blog, e temas importante da atualizade, Diversos Estudos, ..

    http://www.assembleiabelem.br22.com
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Genesis ate levitico   atualizado ate 15042010 Genesis ate levitico atualizado ate 15042010 Presentation Transcript

    • GÊNESIS Porquê devo estudá-lo?
    • Simples
      • Gênesis pode muito bem ser considerado o livro mais importante que já foi escrito. Aqui nós temos o fundamento da Bíblia toda e o berço da doutrina bíblica. O livro de Gênesis sozinho nos dá o relato da criação, da origem humana e da queda do homem. Este livro traça o fundamento para toda profecia bíblica. Quando os homens rejeitam a autoridade de Gênesis, perdem a base de toda verdade espiritual. Eles literalmente não sabem de onde vêm e nem para onde vão.
    • O Título
      • *A palavra Gênesis significa origem . Gênesis, sem dúvida nenhuma, é o livro das origens. Em Gênesis nós temos a origem do universo, do nosso sistema solar, da vida, do homem, do pecado, do casamento, dos idiomas, da indústria, do governo, da religião e da nação de Israel.
    • Relatos sobre as origens:
      • 1. Gerações do Universo -- Gênesis 2:4. 2. Gerações de Adão -- Gênesis 5:1. 3. Gerações de Noé -- Gênesis 6:9. 4. Gerações dos filhos de Noé -Gênesis 10:1. 5. Gerações de Sem -- Gênesis 11:10. 6. Gerações de Terá -- Gênesis 11:27. 7. Gerações de Ismael -- Gênesis 25:12. 8. Gerações de Isaque -- Gênesis 25:19. 9. Gerações de Esaú -- Gênesis 36:1, 9. 10. Gerações de Jacó -- Gênesis 37:2.
    • O Autor
      • Moisés foi o autor dos primeiros cinco livros da Bíblia. Eles são chamados de Pentateuco . Os judeus geralmente se referem aos autores do Velho Testamento como "Moisés e os profetas" [Lucas 24:27 e 44].
    • O Berço da Doutrina Bíblica
      • Toda doutrina bíblica tem seu fundamento no livro de Gênesis. Este livro é mencionado mais de duzentas vezes no Novo Testamento. Sem o livro de Gênesis seria impossível entendermos a Bíblia.
    • Gênesis Como Uma Revelação
      • A. É uma grande revelação - Gênesis revela o que o homem nunca poderia aprender por ele mesmo [Jó 38:1-6]. Gênesis é o único livro da história da criação e dos primeiros dois mil e quinhentos anos da existência humana.
      • B. É parte de uma revelação progressiva - O restante da Bíblia completa o que Gênesis começa. Gênesis faz a primeira promessa da redenção, e termina com a aparente vitória do pecado [Gênesis 50:26].
      • Exemplo: Gênesis 3:15 - Nesta primeira promessa evangélica, temos as sementes de toda a história da redenção. O restante da Bíblia é realmente uma exposição deste versículo.
    • C. É uma revelação da história da salvação :
      • Note que em Gênesis há somente dois capítulos descrevendo a história do universo, e apenas nove capítulos relatando a história das nações. O livro é constantemente estreito em seu escopo.
      • Trinta e nove capítulos tratam da história de Abraão, Isaque e Jacó. O livro termina com os filhos de Jacó no Egito. Estes homens eram os "Pais" das tribos de Israel. No Egito eles se tornaram uma grande nação. É claro que o livro de Gênesis nos conduz a pessoa de Cristo . Esta não é apenas uma mera história da humanidade, mas o plano de salvação de Deus na história.
    • A queda dos “ismos”
      • A. Ateísmo - Gênesis 1:1 afirma a existência de Deus.
      • B. Agnosticismo - Os agnósticos afirmam que ninguém pode saber se Deus existe. Gênesis 1:1 assume que todo homem por natureza sabe que Deus existe.
      • C. Politeísmo - A maior parte da humanidade acredita em muitos deuses. Gênesis 1:1 fala de um só Deus.
      • D. Panteísmo - Esta filosofia afirma que Deus e o universo são um. A maioria das religiões orientais são baseadas em tais conceitos. Gênesis 1:1 ensina que Deus é separado e transcende o universo. Ele é um Deus pessoal, e não apenas uma força universal.
    • E...
      • E. Materialismo - Esta filosofia afirma que a matéria é eterna. Gênesis 1:1 declara que a matéria teve um começo.
      • F. Dualismo - Os dualistas ensinam que o universo foi criado e é controlado por duas forças opostas: uma boa e a outra má. Gênesis 1:1 ensina que existe um Deus, vivo e verdadeiro, que evidentemente é supremo.
      • Estes e uma multidão de outros "ismos" são destruídos por uma simples declaração de Deus.
      • “ O homem sem uma revelação inspirada é como um navio sem bússola.”
    • Uma Exposição de Gênesis 1:1-2
      • Versículo 1 - Na língua hebraica este versículo tem apenas sete palavras. O quanto o Senhor pode dizer com poucas palavras.
      • "No princípio" - Se refere ao princípio do universo: a origem do tempo e matéria.
    • "Deus"
      • Apropriadamente Deus é o primeiro substantivo mencionado na Bíblia. Perceba que a Bíblia não discute ou tenta provar a Sua existência. Espera-se de pessoas que são honestas com elas mesmas, reconhecerem a existência de Deus. Este conhecimento é universal entre os homens [Salmo 14:1; Salmo 19:1-3; Romanos 1:18-20]. Não é fácil ser um ateísta, exige muito esforço.
    • Elohim
      • A palavra traduzida como DEUS, é Elohim na língua hebraica. Esta é uma palavra particularmente misteriosa, pois ela é ao mesmo tempo singular e plural. Cristãos sempre têm visto nela uma implicação ou indicação da doutrina da trindade. Ela é mais implícita no uso dos pronomes plurais [Gênesis 1:26; 11:7]. O restante da Bíblia esclarece a verdade da Trindade tão obscuramente vista na palavra Elohim .
    • A Trindade
      • Em outras partes da Bíblia, nós somos ensinados que a criação foi um trabalho de todas as três pessoas da Trindade Divina. Isto prova que os todos os três são Elohim .
      • A. Deus Pai - Gênesis 1:1; Jó 38:1-4.
      • B. Deus Filho - João 1:1-3; Efésios 3:9; Colossenses 1:16-17.
      • C. Deus Espírito Santo - Gênesis 1:2; Jó 26:13
    • "Criou"
      • Esta palavra significa criar do nada. É usada somente com referência a Deus.
    • "Os céus e a terra"
      • Esta frase se refere a todo o universo.
    • Versículo 2
      • Aqui Deus começa a explicar exatamente como Ele criou o universo. Primeiramente uma massa de matéria foi criada. Ela era "sem forma e vazia". Esta expressão significa que a terra não tinha formato e só havia vácuo. Nos dias que se seguiram a criação, Deus deu forma a massa que hoje nós conhecemos por Terra. Ele então a encheu com plantas e animais.
      • É muito interessante notar que neste verso o Espírito Santo é mencionado. Ele trabalhou no desenho e embelezamento do universo [Jó 26:13].
      • Nos é dito que "Ele movia-se sobre a face das águas" pois naquele momento a água cobria tudo
    • eee...
      • Somente o pecado pode impedir alguém de ver Deus revelado na criação. A Bíblia assume que a existência de Deus é fato auto-evidente.
      • B. Como é glorioso o relato bíblico da criação. Que contraste com os mitos do paganismo ou as teorias da falsa ciência. Quão profundo é o pensamento de que o universo foi criado por um Deus onisciente e onipotente, mas, no entanto, um Deus pessoal.
      • C. Como é maravilhosa a unidade da Bíblia. Embora ela tenha sido escrita por mais de quarenta autores, num período de mil e quinhentos anos, ela é um livro só. Pense como o mistério da tri-unidade de Deus é gradualmente revelado e está implícita desde o começo das Escrituras.
    • O mistério dos Dias
      • Considere o seguinte:
      • 1. Onde quer que a palavra hebraica yom apareça junto com um número (primeiro, segundo, etc.) ela sempre se refere a um dia literal.
      • 2. Estes dias estão em conexão com a rotação ordinária da terra [vers. 16]. Cada dia tinha manhã e tarde [vers. 8].
      • Há ainda muitas outras provas, mas estas são óbvias e deveriam ser suficientes. Não há razão para interpretarmos a Bíblia de outra maneira.
    • O Primeiro Dia - versículos 3-5.
      • A primeira coisa criada por Deus foi a luz
      • [Tiago 1:17; I João 1:5]. Ela é usada para representar a santidade, o conhecimento, e o poder criador de Deus. A criação da luz é também usada como uma figura do Novo Nascimento [II Coríntios 4:6]. Na salvação, Cristo traz luz a alma que estava em trevas [I João 5:20].
    • O Segundo Dia - versículos 6-8
      • No segundo dia Deus criou o firmamento. A palavra firmamento significa "expansão", e se refere ao céu que está ao nosso redor. Antes do segundo dia, as águas estavam em todo lugar como líquido e vapores. Deus separou as águas que estavam sobre a terra das águas que estavam acima, nas nuvens. Isto deixou uma atmosfera ao nosso redor, como nós a conhecemos.
    • O Terceiro Dia - versículos 9-13
      • No terceiro dia Deus separou a terra ou porção seca, das águas [Jó 38:11]. Antes disso, a terra era coberta de água. Também neste dia, foram criadas todas as formas de vegetação. Note que junto com a criação da vida, é mencionado que ela iria se propagar segundo a sua espécie [vers. 12]. Isto foi sem dúvida deixado claro, para antecipadamente contradizer toda falsa doutrina (criação espontânea, evolução e outras teorias falsas).
    • O Quarto Dia - versículos 14-19
      • No quarto dia Deus fez os corpos celestes, como nós os conhecemos hoje. Possivelmente eles já existiam [vers. 1], mas não brilhavam ou executavam suas funções ainda. De qualquer modo, no quarto dia, o sol, a lua, os planetas e as estrelas começaram a brilhar. O propósito disso nos é dado no versículo 14.
      • Nota: O firmamento do versículo 8, é diferente daquele do versículo 15. Ambos são expansão, mas um se refere ao lugar onde os pássaros voam e o outro ao espaço sideral.
    • O Quinto Dia - versículos 20-23
      • No quinto dia Deus criou os animais que vivem nas águas e também os pássaros. Perceba novamente, que cada um se reproduz segundo a sua espécie.
    • O Sexto Dia - versículos 24-26
      • No sexto dia Deus criou todos os animais terrestres e os insetos. Note que a cada dia da criação, Deus demonstra Sua satisfação pela Sua obra [vers. 25].
      • Cada parte era boa e tudo era muito bom [vers. 31]. Isso tudo foi antes da maldição deturpou a criação de Deus por causa do pecado. Mesmo hoje, com o estrago que o pecado produz, nós nos maravilhamos com o poder, sabedoria e bondade de Deus na criação. Que beleza, variedade e complexidade são manifestas. A criação ainda revela Deus [Salmo 19:1-3].
    • O Auge da Semana da Criação
      • O homem foi criado por ultimo por várias razões
      • A. O homem foi o ponto mais alto e o principal propósito da criação.
      • B. Porque tudo foi criado para o benefício do homem. Deus terminou a habitação do homem antes de cria-lo, para que Adão já fosse colocado em um ambiente perfeito [vers. 28-30].
      • C. Alguns sugerem que o homem foi criado por ultimo, a fim de que todos soubessem que ele nem aconselhou, e nem ajudou a Deus na obra da criação [Jó 38:1-4].
    • Egocentrismo – nananinanão!!!
      • Ao declarar que o homem foi o auge da criação, nós não pretendemos exaltar o homem, criando assim orgulho. Entretanto, há duas coisas que deveriam ser lembradas:
      • Primeiro, nós precisamos recordar que somente a humanidade foi criada á imagem de Deus.
      • Segundo, não podemos esquecer que na criação do homem, Deus já sabia que Adão cairia em pecado, assim como, já havia planejado a redenção através de seu Filho Jesus Cristo. Quando lembramos que Cristo tomou a forma de homem para morrer pelos pecadores, vemos a importância da criação do homem. Isto não é motivo de orgulho, antes de gratidão e adoração [Salmo 8:3-9].
    • E + um Pouquinho... KD os Anjos?
      • Nota: A criação dos anjos não é mencionada em Gênesis, mas nós sabemos que eles são seres criados.
      • Ezequiel 28:14-15:
      • 28:14 Eu te coloquei com o querubim da guarda; estiveste sobre o monte santo de Deus; andaste no meio das pedras afogueadas. 
      • - 28:15 Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que em ti se achou iniqüidade.
    • Angelologia
      • ele o “cabeça rachada” era um:
      • -Querubim ou Serafim ou ainda um Arcanjo
      • R: EU NÃO SEI
    • Perfeito eras nos teus caminhos
      • Quem se arrisca me explicar esta frase?
      • Calma um de cada vez:
    • O Homem à Imagem de Deus
      • Somente o homem foi criado à imagem de Deus. A importância disto é enfatizada quando Deus, na primeira vez na semana da criação, deliberou isto consigo mesmo [vers. 26]. O pronome no plural [vers. 26] novamente indica a Tri-unidade de Deus.
      • Nós deveríamos questionar a nós mesmos o que significa a expressão "imagem de Deus?" Alguns têm sugerido que isto se refere à fala, inteligência, capacidade de domínio e a alma imortal.
      • Enquanto estas coisas podem ser incluídas no conceito, o ponto principal, entretanto, é a original natureza santa do homem. O ser humano foi criado com um amor à Deus e à sua bondade.
      • Esta imagem foi corrompida e principalmente perdida na queda de Adão [Romanos 5:12]. Através de Jesus Cristo esta imagem é restaurada no Novo Nascimento [Colossenses 3:10; Efésios 4:24]. Sem dúvida nenhuma a imagem será realmente mais clara na ressurreição, quando nós seremos completamente redimidos por Cristo [Romanos 8:29; I João 3:2].
    •  
    • Debate Teológico – O Surgimento do Universo
    • 1° Os Evolucionistas
      • A teoria evolucionista é fruto de um conjunto de pesquisas, e por se tratar de uma teoria bem como todas as demais teorias esta não podendo ser diferente esta ainda em desenvolvimento, iniciadas pelo legado deixado pelo cientista inglês Charles Robert Darwin. Em suas pesquisas, ocorridas no século XIX, Darwin procurou estabelecer um estudo comparativo entre espécies aparentadas que viviam em diferentes regiões. Além disso, ele percebeu a existência de semelhanças entre os animais vivos e em extinção. A partir daí ele concluiu que as características biológicas dos seres vivos passam por um processo dinâmico onde fatores de ordem natural seriam responsáveis por modificar os organismos vivos. Ao mesmo tempo, ele levantou a idéia de que os organismos vivos estão em constante concorrência e, a partir dela, somente os seres melhores preparados às condições ambientais impostas poderiam sobreviver.
    • Charles Robert Darwin
      • A teoria de Darwin de que evolução ocorreu por meio de seleção natural mudou a forma de pensar em inúmeros campos de estudo da Biologia à Antropologia . Seu trabalho estabeleceu que a " evolução " havia ocorrido: não necessariamente por meio das seleções natural e sexual (isto, em particular, só foi comumente reconhecido após a redescoberta do trabalho de Gregor Mendel no início do século XX e o desenvolvimento da Síntese Moderna ). Outros antes dele já haviam esboçado a idéia de seleção natural: em sua vida, Darwin reconheceu como tal os trabalhos de William Charles Wells e Patrick Matthew que ele (e praticamente todos os outros naturalistas da época) desconheciam quando ele publicou a sua teoria. Contudo, é claramente reconhecido que Darwin foi o primeiro a desenvolver e publicar uma teoria científica de Seleção Natural e que trabalhos anteriores ao seu não contribuíram para o desenvolvimento ou sucesso da Seleção Natural como uma teoria testável.
      • Uma das maiores discussões que até hoje é algo polêmico e de diferentes concepções é questão a respeito da origem do homem e o porquê de nós sermos a tão diferentes dos animais. As duas principais teorias que explicam a origem do homem são o criacionismo e o evolucionismo.
      • A Bíblia Sagrada, mais especificamente no livro de Gênesis, narra toda a história da origem de tudo que há ao nosso redor, inclusive a origem do homem. O primeiro versículo da Bíblia já diz: “No principio criou Deus os céus e a terra”. Essa é a idéia central do criacionismo, de que Deus criou todas as coisas, inclusive o homem.
      • Diferentemente do criacionismo, o evolucionismo, fruto de um conjunto de pesquisas iniciadas pelo legado deixado pelo cientista Charles Darwin, afirma que o homem é resultado de uma longa evolução iniciada há cerca de 5 milhões de anos atrás, desde os Hominídeos até o Homo sapiens, que corresponde ao homem com suas características atuais.
    • Criacionismo
      • Apesar da predominância de correntes evolucionistas nos meios acadêmicos, alguns cientistas tornaram-se notados por defenderem o criacionismo clássico, que envolve a crença num criador. Os argumentos de pessoas pertencentes a comunidade científica em favor do criacionismo apontam para a organização e exatidão das leis naturais. Essa visão dá uma imagem que parece com aquela proposta por Isaac Newton, ao comparar o mundo a um mecanismo que evidencia um projeto inteligente e sobrenatural.
    • Argumentação
      • O criacionismo não pode ser considerado como uma ciência, nem sequer uma teoria. Uma teoria requer análises, estudos, testes, experiências, modificações e, finalmente, adequações. Uma teoria evolui com o decorrer do tempo, à medida que o ser humano amplia seus conhecimentos e suas descobertas. Naturalmente, a ciência, no sentido usado nesse contexto, não pode nem afirmar nem negar que o criacionismo seja verdadeiro - é não-falseável e portanto não-científico.
    • Continua a refutação...e ai responde essa?
      • A evolução é uma estrutura teórica bem definida, que embasa a Cladística, a Biologia do Desenvolvimento , a Paleontologia, a Genética de Populações e todas as demais áreas da Biologia; ao passo que o criacionismo é constituído de uma multiplicidade de superstições , sem unidade, criadas pelas centenas de religiões e mitos hoje existentes ou que já existiram outrora.
    • Essa vai doer!!!
      • A evolução é uma teoria fundamentada em achados fósseis concretos e em experimentos realizados, enquanto que o criacionismo é abstrato, indemonstrável e desprovido de bases científicas.
    • Tá ficando cada vez mais sério
      • Os argumentos neocriacionistas, que utilizam recentes descobertas da ciência, de uma forma geral, são falácias que poderiam provar a veracidade de qualquer crença, seja ela judaico-cristã, muçulmana, hinduísta, umbandista, pagã, animista ou de qualquer outra mitologia.
    • Aperta os cintos...
      • O evolucionismo esforça-se em buscar explicações para os eventos da Natureza, enquanto que o criacionismo esforça-se em adaptar os eventos da Natureza à sua visão de mundo.
    • Ficou sem ar? Esta é ainda pior...
      • O criacionismo não possui bases cientificas, portanto é certamente uma visão de mundo, não podendo se apresentar como ciência, pois não tem indícios para tal e não é comprovada cientificamente.
      • Caros aspirantes a teólogos eu vos pergunto e ai? O que dizer de uma concepção que não é teoria e nem muito menos é uma ciência?
    • Pensaram que eu era evolucionista olha essa
      • Note-se, contudo, que a Ciência
      • não pode tratar de assuntos de fé
      • mas apenas daquilo que é observável e passível
      • de experimentação.
      • Aqui reside uma grande vantagem do
      • criacionismo em detrimento do evolucionismo
      • pois a teoria de Darwin não pode ser
      • reproduzida em laboratório.
      • isso faz de Darwin apenas um teórico e não um cientista.
      • (A propósito, o único diploma de Darwin era o de Teologia, não é irônico?)
    • Uéé eu não estava vencendo?
      • Um cientista pode defender princípios religiosos ou ideológicos, mas esses princípios religiosos ou ideológicos não passam a ser científicos por serem defendidos por um cientista.
      • Os argumentos de pessoas pertencentes a comunidade científica em favor do criacionismo apontam para a organização e exatidão das leis naturais. Esta visão dá uma imagem que se parece com aquela proposta pelo protestante Isaac Newton, ao comparar o mundo a um mecanismo que evidencia um projeto inteligente e sobrenatural.
    •  
    • Tá pensando o quê o Rapaz?
    • Segura essa...
      • As novas tendências científicas têm, contudo, levado a uma diferente visão do universo, menos determinista e mecanicista. É comum dar como exemplo a distância propícia entre o Sol
      • e a Terra, que permite temperaturas amenas que possibilitam a continuidade da vida – é interessante verificar que este mesmo argumento é utilizado pelos evolucionistas para referir o
      • caráter excepcional da posição da Terra, não para uma suposta "continuidade" (palavra que
      • implica a idéia de um projeto ou um plano para a Criação), mas para a sua emergência e
      • evolução.
      • Umhm sinto o cheiro de Criacionismo!!!
    • Detona...
      • 1°Os Criacionistas acreditam que o universo foi criado do nada (ou "ex nihilo", termo em latim mais sofisticado) e só então as leis que regem o universo passaram a vigorar.
      • 2°A complexidade e organização estrutural das formas mais simples de matéria viva são apontadas pelos criacionistas como prova de uma criação determinada e não a conseqüência evolutiva de um caldo orgânico primordial desorganizado.
      • 3° De fato, a probabilidade matemática
      • de que a vida tenha surgido espontaneamente de uma sucessão de eventos casuais numa ordem específica é considerada por alguns matemáticos pequena demais, quase impossível
      • mesmo! Éééé eu sei, eu sei é Criacionismo na cabeça meu velho...
    • Ahhaa se não fosse a graça...
      • O método que permite recriar um organismo a partir de fragmentos do seu corpo (um dente fossilizado, por exemplo) é duramente criticado pelos criacionistas que consideram
      • abusivas as conclusões como a apresentação de antepassados do Homo sapiens com traços simiescos (traduzindo: MACACOS ME MORDAM). Até hoje o que foi apresentado mesmo não passou de fósseis de macacos.
      • Fraudes nos trabalhos e pesquisas envolvendo fósseis (como o 'Homem de Orce', ou o 'Homem de Piltdown') têm mostrado as falhas e falcatruas da teoria evolutiva. Na verdade essas fraudes colocariam em xeque qualquer outra teoria, mas a da evolução tem sobrevivido, mas por “milagres” do que por comprovações científicas.
      • Milagre? Isto não vem do criacionismo?
    • Se criarem o micróbio que seja eu me rendo...
      • Um dos principais argumentos dos criacionistas baseia-se na refutação da geração espontânea. Louis Pasteur e John Tyndall demonstraram experimentalmente que micróbios não se originam espontaneamente, conforme alguns supunham ser possível, ao final do século XIX.
      • Estendendo os resultados destes experimentos, argumenta-se que foi provado que nenhum mecanismo pode gerar vida de qualquer matéria sem vida. Como evidência, aponta-se que nenhum experimento foi capaz de demonstrar o contrário, a despeito de várias décadas de tentativas.
      • Bota década nisto viu?
    • Espontânea ou ???
      • Não há prova científica de que a vida tenha (ou alguma vez poderia ter) vindo a existir a partir de matéria sem vida. Além disso, existem evidências substanciais de que a geração espontânea é impossível. Apenas DNA é conhecido como capaz de produzir DNA.
      • Nenhuma interação química de moléculas tem ao menos chegado perto de produzir esse código ultracomplexo que é tão essencial a toda vida humana conhecida.
    •  
    • Infelizmente ou Felizmente chegamos em:
      • Êxodo
    • Os diferentes,para a época muitos estranhos
      • O segundo livro do Pentateuco toma o nome de Êxodo da saída dos hebreus do Egito, onde, depois dos bons tempos de José, passaram a sofrer a mais dura escravidão. Esse acontecimento, porém, nada mais foi do que o prelúdio de fatos muito mais importantes na vida dos filhos de Israel, os quais, de um conglomerado de famílias que eram, recuperando a liberdade, conquistaram verdadeira unidade de nação independente e receberam uma legislação especial, uma forma de vida moral e religiosa, pelas quais se distinguiram de todos os outros povos da terra.
    • Povo Eleito
      • Com toda facilidade compreender-se-á a importância deste livro, sobretudo em se pensando que, se a história civil das nações antigas, acha-se intimamente vinculada à religião e essa à moral, isto jamais foi tão verídico como a respeito dos hebreus. As leis contidas no Êxodo formam a essência da vida civil e religiosa do povo eleito.
    • Legitimidade?
      • É bem verdade que, de todas essas leis, e especialmente as do chamado código da aliança (21:23), foram encontradas analogias notáveis no código de Hamurabì (rei babilônico, que viveu alguns séculos anteriormente a Moisés), que foi descoberto, traduzido e publicado pelo dominicano Pe. Scheil, em 1902. De tais analogias não se infere, porém, em absoluto, como pretendem alguns, a dependência do código mosaico do babilônico. Elas têm sua explicação adequada nos fatores comuns às duas sociedades, israelita e babilônica, tão próximas no tempo, no lugar e também na origem, pois os patriarcas do povo hebreu procediam do vale do Tigre.
    • O que é hamurabí?
      • nascido supostamente por volta de 1810 a.C. e falecido em 1750 a.C. foi o sexto rei da primeira dinastia babilônica
    • Tem o dedo de Deus nesta história...
      • Foi o primeiro grande organizador que consolidou o seu império sobre normas regulares de administração.
      • Tornou-se famoso por ter mandado compilar o mais antigo código de leis escritas, conhecido como Código de Hamurabí no qual consolidou uma legislação pré-existente, transcrevendo-a numa estela de diorito em três alfabetos distintos.
      • A estela do Código de Hamurabi foi encontrada em Susa em 1901 . Nela, além da coleção de cerca de 282 artigos (mais apropriadamente casos de jurisprudência), pode-se ver a imagem de Hamurabi em frente ao trono do deus Shamash.
      • O monumento hoje pode ser admirado no Museu do Louvre, em Paris, na sala 3 do Departamento de Antigüidades Orientais .
    • Vamos pensar um pouco (não estou fazendo propaganda do telecurso 2000)
      • Se havia um código que se chamava Hamurabí, significa que ele era correto e bom(obvio se não Moisés teria o adequado, entenda adequado por “copiado”) então Deus tinha sua ação muito além do que podemos imaginar...
    • Vou te dar um toque>>>>
      • Deus não pode ficar dentro da sua tribo indígena apenas, ele é grandioso e é revelados aos grandes e pequenos próximos e distantes.
      • Vai por mim, Deus não se enlata
    • Que livro estamos estudando?
      • Valendo um bombom para quem ler esta frase e responder:
      • ?ogoláced o otircse iof etnom lauQ:
    • Quanto tempo eu ainda tenho? Já esta na hora do intervalo?
    • Continuando...
      • Realmente, na legislação decretada no Sinai, nem tudo foi criado desde a raiz; muitos usos e costumes já introduzidos na prática social foram confirmados pela aprovação divina. De resto, também nas famosas leis romanas das doze tábuas descobrem-se semelhanças com o código mosaico, sem que ocorra a alguém o pensamento de querer estabelecer um parentesco entre as primeiras e o segundo. Providências semelhantes surgem espontaneamente de necessidades sociais do gênero.
    • O Decálogo
      • No decálogo, porém, e na doutrina religiosa que
      • lhe forma a base inconcussa (20:2-17), reside a
      • verdadeira prerrogativa do povo de Israel; nada de semelhante se encontra em nenhum outro povo.
      • Citam-se, é certo, da literatura egípcia; certas desculpas espirituais como: "Não cometi injustiça, não roubei, não matei" etc., ou da babilônia, os esconjuros, onde se pergunta se o exorcizado ultrajou alguma divindade, se desprezou pai e mãe, se mentiu ou praticou obscenidades etc. Mas não há proporção entre os protestos de um particular para evitar o castigo (finalidade daquelas fórmulas rituais) e a autoridade soberana que impõe a lei a todo um povo. Entre os próprios egípcios e babilônios, nada há de correspondente, na legislação, àquelas fórmulas cerimoniais. O decálogo de Moisés não tem rivais no mundo.
    • Olha o
      • A cronologia do Êxodo, ou seja, o ano em que os hebreus saíram do Egito, está naturalmente ligada à história desse país. Mas, já que a Bíblia não fornece os nomes dos dois faraós, o da opressão (1:8, 2:23) e o da saída (14:5), duas opiniões diversas se equilibraram entre os doutos, com autoridade e número de defensores quase iguais. Para uns, o opressor seria Totmés 3 (1500-1450) e o outro Amênofis 2 (1447-1420), da XVIII dinastia; para outros, no entanto, Ramsés II (1292-1225), da XIX dinastia, teria oprimido ns hebreus, e seu sucessor, Menefta (1225-1215); tê-los-ia libertado. A segunda opinião, que estabelece o século XIII a.C. para o Êxodo, parece-nos mais condizente com o texto (1:11) e mais coerente com outros dados da história sagrada e profana.
      •  
    • A travessia
    • Do Egito ao golfo de Suez
    •  
    • Península do Sinai
    • Livro do Êxodo
      • Êxodo do grego ἔξοδος, composto de:
      • ἐξ "fora" e
      • ὁδός "via, caminho“
      • é o segundo livro do Antigo Testamento e do Pentateuco. A sua autoria é atribuída ao profeta
      • Moisés pela tradição judaico-cristã.
    • Título
      • O termo "Êxodo" deriva da versão Septuaginta Grega (LXX), de procurava intitular os livros a partir do seu conteúdo. O seu nome em hebraico é Shemôtht , que significa "Nomes", de acordo com o costume de judaico de intitular os livros a partir das suas palavas iniciais.
      • (Êxodo 1:1 - "Estes são os nomes …"; em língua hebraica We élleh shemôtht )
    • Data
      • De acordo com a tradição, o Êxodo e os outros quatro livros da Tora foram escritos por Moisés na segunda metade do 2º milênio a.C. Estudiosos modernos da Bíblia vêem que o texto terminou de ser escrito por volta de 450 a.C.
      • Ainda que a Bíblia não cita o faraó do Êxodo por seu nome, é dada a data exata do Êxodo. Em 1 Reis 6:1 se lê que Salomão começou a construir o Templo no quarto ano de seu reinado, 480 anos depois que os filhos de Israel saíram do Egito. A maioria dos estudiosos da Bíblia estimam que o quarto ano do reinado de Salomão foi o ano 967 a.C. Logo a data do Êxodo foi 1447 a.C. (967 + 480), quando governava Tutmosis III , mas não há nenhum documento nem resto arqueológico egípcio que confirme este excepcional acontecimento.
    • Estudo
      • Como em muitos outros livros históricos, a história que é narrada aqui está muito longe da definição científica moderna, pois se trata de uma história religiosa e cultural e não bélica, diplomática ou política.
    • Objetivo
      • O principal propósito do Êxodo é manter vivo na memória do povo hebreu o feito da fundação de si mesmo como nação: a saída do Egito e a conseqüente libertação da escravidão. Através de sua fuga e a busca da Terra Prometida, o judeu adquire consciência de sua unidade étnica, filosófica, cultural e religiosa pela primeira vez.
      • O Êxodo estabelece também as bases da liturgia e do culto, e está dominado em toda sua extensão pela figura do legislador e condutor, o patriarca Moisés.
    • Conteúdo
      • Êxodo dá continuidade à narrativa iniciada em Gênesis. Relata o início da escravidão do povo de Israel no Egito , sua posterior libertação e aliança com Deus no Monte Horebe, na Península do Sinai, onde Deus entrega a Moisés as duas tábuas de pedra contendo os Dez Mandamentos. Também narra o nascimento e a vida de Moisés.
    • Debate o perfil de Moises
      • Êxodo Capitulo 2
      • Quando Moisés se tornou homem, ele recusou ser chamado filho da filha de Faraó. Isso lemos no livro de Hebreus e também no livro de Êxodo. O autor do livro de Êxodo dá grandes passos. Primeiramente falou sobre a história de Israel, depois sobre o nascimento de Moisés e sobre a sua adoção pela filha do Faraó. Mas ela deixou Moisés com a sua mãe durante os primeiros anos. E como sempre: estes primeiros anos foram fundamentais. As impressões que Moisés recebeu nestes primeiros anos, ele nunca esqueceu. A semente que foi semeada nestes primeiros anos cresceu durante muitos anos e floresceu. Só assim foi possível que Moisés, depois de 40 anos, tenha decidido – PELA FÉ –  voltar para o seu povo Israel.
    • Todos os líderes de hoje são assim...
      • Ele cresceu no luxo do palácio. Não se preocupava com nada. Ele compartilhava na riqueza da casa real; ele recebeu a melhor educação daquela época. Ele foi tratado com respeito; foi servido pelos servos; só precisava estalar os dedos e recebia tudo que queria, pois ele era um príncipe.
    • Vida Missionária
      • Imaginem isso, irmãos! Isso não foi uma atitude normal que Moisés demonstrou. Normalmente as pessoas querem uma vida melhor, e não uma vida pior. Quando os preços no mercado aumentam, todo mundo começa a reclamar, pois eles têm menos poder para comprar coisas e conseqüentemente terão uma vida menos luxuosa. E isso é só um pequeno passo atrás. Mas a mudança de Moisés é enorme. Ele recusou todo luxo. Ele trocou o palácio do Egito pela favela de Israel. Não mais dinheiro no bolso, mas pobreza; não mais abundância na mesa, mas um pedaço de pão seco. Há poucas pessoas que sabem o que um tal mudança significa. Muitas pessoas têm respeito pelos missionários, que trocam o luxo do primeiro mundo pela simplicidade do terceiro mundo; eles respeitam isso, pensando: um dia ele vai voltar.
    • O Livro de Levítico
    • Por quê todos acham Levítico chato
      • O livro de Levítico é diferente do que os outros livros do Pentateuco porque relata quase exclusivamente o sistema das leis para governar Israel na sua vida religiosa, civil, dietética e diária. Este livro não relata a história de Israel, mas as leis dadas por Deus a ela. O livro de Levítico é tópico em vez de ser cronológico.
    • Mas ele é importantíssimo, veja:
      • A santidade de Deus na separação e na santificação. A palavra chave do livro é santidade e esta palavra em várias formas é falada muitas vezes; santificar, santíssimo, santo, santuário, limpo e santidade. O versículo chave é 19:2: "santos sereis, porque eu, o senhor vosso Deus, sou santo". Outro versículo que diz a mesma verdade é 11:44. Podemos ver uma grande verdade neste tema; temos que pregar tanto a expiação pelo sangue de Cristo quanto a vida de santidade baseada na expiação feita pelo sangue de Cristo. O salvo tem que saber como andar com Deus na comunhão.
    • A Primeira Divisão do Livro Levítico. 1-17
      • As Ofertas. 1-7
      • 2. O Sacerdócio. 8-10
      • 3. O Povo de Deus. 11-16
      • 4.O Altar. 17.
    • 1. As Ofertas. 1-7
      • Eram cinco ofertas ordenadas para ser feitas ao Senhor:
      • 1. O holocausto de gado.
      • 2. A oferta de manjares.
      • 3. O sacrifício pacífico.
      • 4. O sacrifício de pecado.
      • 5. O sacrifício do pecado cometido.
    • O Holocausto de Gado. 1
      • É chamado também a oferta queimada e de cheiro suave ao Senhor (v. 9).
      • Esta oferta é falada em Hb. 9:14. Esta oferta fala do sacrifício do Senhor Jesus como o Filho de Deus que se entregou ao Pai para morrer e por isso revelar o seu amor pelo seu Pai. Esta oferta mostra que o Pai gozou e deleitou-se no seu Filho que se sujeitou totalmente ao seu Pai por causa do seu amor grandíssimo, inefável e insondável pelo Pai. O amor do Filho pelo Pai causou glorificar e magnificá-lo perfeita e plenamente em tudo. O amor do Filho de Deus pelo Pai eterno e o prazer do Pai eterno no seu Filho são simbolizados nesta oferta. Como? Vamos ver:
    • O homem Jesus Cristo, o Filho de Deus, era perfeito
      • Macho sem mancha. O homem Jesus Cristo, o Filho de Deus, era perfeito na sua vida em tudo. Jesus cumpriu a vontade do seu Pai na sua vida por amor dele. Jesus fez uma vida tão perfeita e glorificadora que a Bíblia diz:
      • "que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus".
    • Oferta Voluntária
      • Esta oferta foi trazida pelo povo de Deus voluntariamente. Para salvar o homem do seu pecado, era necessário para fazer uma expiação que tirasse seu pecado. Só podia ser feito por Deus mesmo, e na forma de homem. Para fazer isto era necessário para Deus se fazer carne e habitar no mundo e morrer. A única pessoa da Trindade que podia ter feito era Jesus, porque foi só ele que sempre se manifestou visivelmente desde o princípio. Então, só Jesus mesmo podia ter salvo o pecador da ira de Deus. Foi só Jesus que podia ter sido o sacrifício aceitável pelo Pai do pecado.
    • O Filho ama o Pai e por isso amou os eleitos do Pai.
      • Só Jesus o Filho Amado de Deus podia ter satisfeito as exigências justas do Pai para salvar o pecador. Para fazer isto Jesus tinha que se aniquilar a si mesmo e tomar a forma de homem. Jesus quis fazer isto pela glória e amor do seu Pai! Aleluia que o Filho nem tinha que pensar nem considerar para fazer isto, porque desde a eternidade o Filho amou o Pai perfeitamente e por isso se entregou a ele voluntariamente para ser o sacrifício pelo pecado. O amor do Filho pelo Pai é tão grande que se entregou a ele para ser o Salvador. Vemos nisto também o tanto que o Filho amou os eleitos do Pai que se entregou para salvá-los voluntariamente.
    • A Oferta de Manjares. 2.
        • Esta oferta foi sem sangue. Ela simboliza o Senhor Jesus Cristo como sendo perfeito na sua pessoa e caráter e por isso o único Mediador entre Deus e os homens. I Tm. 2:5.
    • A flor de farinha
      • Significa farinha fina (pó fino e bem moído) sem desigualdade e granulosidade.
      • Me digam vocês a igreja imita a Cristo nisso: “Sem desigualdade”.
      • A flor simboliza a humanidade perfeita e equilibrada do Senhor Jesus Cristo. "Jesus tudo fez bem", Mc. 7:37. Jesus fez tudo igualmente bem, não uma coisa melhor do que outra. Pregou perdão e juízo, abençoou e amaldiçoou, salvou e condenou, falou graça e verdade, e se comportou em tudo igualmente bem.
    • O E.S
      • Deitou azeite nela. v. 1. Azeite simboliza o Espírito Santo. Fala da sua encarnação. Da concepção até a morte de Jesus Cristo, ele andou no mundo como o homem ungido ao máximo no Espírito Santo. Mt. 1:20. Lc. 1:35. João 3:34. At. 10:38. Is. 61:1.
    • Qual perfume que a igreja faz chegar a Deus?
      • Colocou o incenso sobre a oferta. v. 1. O incenso é mirra. O incenso quando estava se queimando soltou um cheiro suave. Jesus Cristo o homem sempre agradou Deus em tudo. O fogo da tentação, tribulação e dificuldade na sua vida somente fez Jesus soltar cada vez mais o cheiro suave ao Senhor. João 4:34.
    • Simboliza também voto, entre duas vontades
      • A oferta foi salgada com sal. v. 13. Sal preserva contra corrupção. O falar do Senhor Jesus Cristo sempre ficou cheio do Espírito Santo porque ele mesmo estava cheio do Espírito Santo. Nenhuma Palavra que Jesus falou tem que ser mudada, modificada, corrigida nem perdoada. João 6:63. Cl. 4:6.
    • A Igreja de hoje tem fermento?
      • Sem fermento. v. 11. Fermento simboliza pecado e heresia. Jesus Cristo foi perfeito na vida e na palavra. O pecado nem heresia achou lugar nele.
    • Quantos não buscam a doçura dos prazeres?
      • Sem mel. v. 11. O mel é a doçura do mundo. O mundo ofereceu a sua doçura ao homem Jesus, mas ele sempre recusou-a. O mel do mundo é o prazer do pecado, e é muito atraente aos homens do mundo. Mas, este prazer do pecado não achou lugar no homem Jesus Cristo. O prazer de Jesus era gozar em Deus e na sua vontade.
    • Levítico Autor: Tradicionalmente Moisés Data: Cerca de 1445 a.C.
      • Autor O Livro de Levítico é o terceiro livro das Escrituras Hebraicas do AT atribuídos a Moisés. Em 1.1, o texto se refere à palavra do Senhor, que foi proferida a Moisés do tabernáculo da assembléia; isso forma a base de todo este livro das Escrituras. Os sacerdotes e levitas preservaram seu conteúdo.
    • Data
      • Os sábios datam o Livro de Levítico da época das atividades de Moisés (datando mais antigamente no séc. XV aC e a última alternativa no séc. XII aC)
      • Até a época de Esdras, durante o retorno (séc.VI aC). A aceitação da autoria mosaica para Levítico dataria sua escrita por volta de 1445 aC. O livro descreve o sistema de sacrifícios e louvor que precede a época de Esdras e relembra a instituição do sistema de sacrifícios. O livro contém pouca informação histórica que forneceria uma data exata.
    • Santidade à vida Cotidiana
      • A teologia do Livro de Levítico liga a idéia de santidade à vida cotidiana. Ela vai além do assunto de sacrifício, embora o cerimonial do sacrifício e a obra dos sacerdotes sejam explicados com grande cuidado. O conceito de santidade afeta não somente o relacionamento que cada indivíduo tem com Deus, mas também o relacionamento de amor e respeito que cada pessoa deve ter com o seu próximo. O código de santidade permeia a obra porque cada indivíduo deve ser puro, pois Deus é puro e porque a pureza de cada indivíduo é a base da santidade de toda a comunidade do concerto. O ensinamento de Jesus Cristo—”Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas” (Mt 7.12)- reflete o texto de Lv 19.18, “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.
    • A contemporaneidade
      • Cuidado:
      • Santidade é uma coisa!
      • Santarrão é outra!
    • Conteúdo
      • Em hebraico, o Livro de Levítico recebeu o nome de Vayikra, que significa “E ele chamou”. O título hebraico é tirado da primeira palavra do livro, que era uma forma costumeira de dar nome às obras antigas. O título “Levítico “ é derivado da versão grega da obra e significa “assuntos pertencentes aos levitas”. O título é um pouco enganoso, uma vez que o livro lida com muito mais assuntos relacionados à pureza, santidade, todo o sacerdócio, a santidade de Deus e a santidade na vida cotidiana. A palavra “santo” aparece mais de oitenta vezes no livro.
    • ...
      • Algumas vezes, o Livro de Levítico tem sido encarado como uma obra de difícil compreensão; entretanto, de acordo com a tradição primitiva, foi o primeiro livro a ser ensinado para as crianças na educação judaica. Ele lida com o caráter e a vontade de Deus especialmente em assuntos de santidade, que os sábios judeus consideravam de importância primária. Eles sentiram que, antes de proceder a outros texto bíblicos, as crianças deveriam, antes de mais nada, ser educadas sobre a santidade de Deus e a responsabilidade de cada indivíduo pra viver uma vida santa. A Santidade (hebr. Kedushah) é uma palavra-chave em Levítico, descrevendo a santidade da presença divina. A santidade está sendo separada do profano, e santo é oposto do comum ou secular.
    • Outro tema principal do Livro de Levítico é:
      • O sistema sacrificial, os holocaustos (hebr. olah ) referem-se ao único sacrifício que é totalmente consumido sobre o altar e, portanto, algumas vezes é chamado de oferta queimada. As ofertas de manjares (hebr. Minchah ) são uma oferta de tributo feita a fim de garantir ou manter o favor divino, indicando que os frutos do trabalho de uma pessoa devem ser dedicados a Deus. Os sacrifícios de paz ou das graças (hebr. shelamim ) são designados para fornecer expiação e permitem que a pessoa que faz a oferta como da carne do sacrifício. Isso costumava acontecer em ocasiões de alegria. O sacrifício pelos erros (hebr. chatta’t ) é empregado para tirar a impureza do santuário.
    • Sacrilégio hebr. Asham
      • Também conhecido como oferta pela culpa ou oferta de compensação, é preparado para a violação da santidade da propriedade de Deus ou de outras pessoas, normalmente pelo uso de um falso testemunho. Os erros profanaram a santidade de Deus e é exigida uma oferta. Além dos sacrifícios, o calendário litúrgico tem uma posição significativa no Livro de Levítico. O Ano de Descanso refere-se à emancipação dos escravos israelitas e pessoa endividadas, bem como à redenção da terra (ver também Ex 21.2-6; 23.10,11; Dt 15.1-18). O Ano de Jubileu refere-se ao fato de que as terras de Israel, bem como o povo, pertencem a Deus e não a qualquer indivíduo. As terras, portanto, devem ter um descanso depois de cada período de quarenta e nove anos (Lv 25.8-17), o que ensina o domínio de Deus, a santidade de seu caráter e a necessidade de a congregação se aproximar dele com pureza de coração e mente.
    • Cristo Revelado
      • Cristo não é especificamente mencionado em Levítico. Entretanto, o sistema de sacrifícios e o sumo sacerdote no Livro de Levítico são tipos que retratam a obra de Cristo. O Livro de Hebreus descreve Cristo como o sumo sacerdote e usa o texto de Levítico como base para ilustrar a sua obra. Alguns usaram formas extremas de alegoria do Livro de Levítico a fim de revelar Cristo, entretanto, esse método de interpretação bíblica deve ser cautelosamente usado a fim de garantir que o significado original histórico e cultural sejam preservados. O Livro de Levítico enfoca a vida e o louvor do antigo povo de Israel
    • O Espírito Santo em Ação
      • Apesar de o termo “Espírito Santo” nunca ser mencionado no Livro, a presença de Deus é sentida em todo o livro. A santidade do caráter de Deus é constantemente mencionada na designação de santidade às ações e louvor do povo. Ele não é visto como nos cultos pagãos da época em que os ídolos eram venerados, mas está no meio das pessoas, à medida que elas o louvam. Elas devem ser santas como Ele é santo.