Your SlideShare is downloading. ×
0
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais, prof eliane

369

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
369
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Reconfigurando a sala de aula em ambientes virtuais de aprendizagem. Vera Menezes (UFMG/CNPq/FAPEMIG) e Junia Braga ((UFMG)
  • 2. Universidade Federal de Goiás Faculdade de Letras/CEPAE <ul><li>Especialização em Linguística Aplicada </li></ul><ul><li>Curso: Ensino e aprendizagem de língua mediado pelo computador. </li></ul><ul><li>Profªs: Dra. Eliane Carolina de Oliveira e Ms. Margarida R. Álvares. </li></ul><ul><li>Aluna: Cynthia B. F. Salvato. </li></ul><ul><li>Data: 15/06/2011. </li></ul>
  • 3. Modelos de organização da sala de aula (leitura icônica). <ul><li>Cadeiras enfileiradas individualizando o aprendiz. </li></ul><ul><li>Associado a trans- </li></ul><ul><li>missão de conhecimento. </li></ul>
  • 4. <ul><li>Cadeiras em pequenos grupos com os alunos interagindo. </li></ul><ul><li>Construção colabo- </li></ul><ul><li>rativa de conheci- </li></ul><ul><li>mento. </li></ul>
  • 5. Autonomia? <ul><li>O que se entende: fazer as tarefas designadas pelo professor. </li></ul><ul><li>O que realmente deve ser: Buscar oportunidades de aprendizagem além das oferecidas pela escola. </li></ul><ul><li>O ambiente virtual pode ser tão ou mais sem autonomia e criatividade que a sala de aula tradicional. </li></ul>
  • 6. Teoria sócio-cultural no ensino de línguas Teoria sócio-cultural Interação Mediação e colaboração Construção do Conhecimento
  • 7. Teorias da aprendizagem que dão suporte aos cursos online <ul><li>Teoria da comunidade de prática </li></ul><ul><li>Teoria da cognição situada </li></ul><ul><li>Teoria da cognição distribuída </li></ul><ul><li>Perspectiva ecológica </li></ul><ul><li>Teoria da cognição socialmente compartilhada </li></ul><ul><li>Teoria da atividade e </li></ul><ul><li>Teoria construtivista (utilizados tanto para cursos colaborativos como para estudos individualizados). </li></ul>
  • 8. Ambientes de aprendizagem baseados na Teoria da atividade e Teoria construtivista <ul><li>Ambiente centrado no aluno. </li></ul><ul><li>Auxilia no desenvolvimento da autonomia do aprendiz .( Land e Hannafin, 2000, p. 6). </li></ul>
  • 9. Questão da autonomia na aprendizagem mediada pelo computador <ul><li>Que oportunidades a tecnologia da informação oferece aos alunos em termos de escolha e controle? </li></ul><ul><li>De que forma a tecnologia da informação ajuda os aprendizes a tirar vantagem dessas oportunidades? (Benson 2005) </li></ul>
  • 10. Design para cursos online <ul><li>1°) Disciplina de leitura de inglês instrumental </li></ul><ul><li>IngRede, em dois níveis, para 2000 alunos da UFMG. </li></ul><ul><li>2°) Disciplina voltada para a formação docente de graduandos em Letras. Grupo fractalizado. </li></ul><ul><li>2°) </li></ul>
  • 11. IngRede – leitura em inglês <ul><li>Oferecer oportunidades de desenvolvimento de leitura para grandes grupos. </li></ul><ul><li>Totalmente online – moodle. </li></ul><ul><li>Tarefas colaborativas (biblioteca virtual e glossário de termos técnicos por área). </li></ul><ul><li>Customização da disciplina ( ler textos de várias áreas, leitura voltada para suas áreas, textos para biblioteca virtual e discussão deles com as comunidades discursivas). </li></ul>
  • 12. <ul><li>Aumento do grau de autonomia ( diferentes percursos para atingir os objetivos do curso). </li></ul><ul><li>Uso do CD-ROM, internet, rede, quando for </li></ul><ul><li>interessante ao aluno. </li></ul>
  • 13. Grupo Fractalizado <ul><li>Fractal representa formas compostas de estruturas similares em escalas diferentes, devido sua propriedade de auto-semelhança (Mandelbrot,1982). </li></ul>
  • 14. <ul><li>Disciplina: Dimensões comunicativas ( modelo fractalizado). </li></ul><ul><li>50 alunos da graduação (Port./Ing./Esp.), divididos em grupos de 3 a 5 pessoas de acordo com suas habilitações. </li></ul><ul><li>Interação online com tarefas colaborativas, sem a intervenção direta do professor. </li></ul>
  • 15. <ul><li>Contribuição individual na lista de discussão. </li></ul><ul><li>Discussão das contribuições. </li></ul><ul><li>Contribuição coletiva para um fórum. </li></ul><ul><li>O que diferenciou os grupos era a língua usada para fazer as atividades propostas dentro dos mesmos ( fractalização). </li></ul>
  • 16. Ramificações da estrutura fractal dos grupos <ul><li>Liderança descentralizada. </li></ul><ul><li>Elaboração de normas por parte dos membros dos grupos. </li></ul><ul><li>Presença de conflitos. </li></ul><ul><li>Relação de colaboração, interdependência e reciprocidade. </li></ul>
  • 17. Complexidade e aprendizagem <ul><li>Em ambos os tipos de design houve: </li></ul><ul><li>Perturbações e instabilidades </li></ul><ul><li>Porém: </li></ul><ul><li>O sistema se auto-organiza e se adapta às novas condições que lhe são oferecidas. </li></ul>
  • 18. Complexidade e aprendizagem <ul><li>A diversidade trata do valor de se ter diferentes alunos e aprendizes na sala de aula. </li></ul><ul><li>Van Lier (2004). </li></ul><ul><li>A complexidade traz esclarecimentos sobre a integração dos recursos oferecidos pela tecnologia, e ajudando-nos a compreender como os alunos tiram proveito dessas oportunidades. </li></ul>
  • 19. Alguns comentários dos alunos participantes <ul><li>Grupos fractalizados: </li></ul><ul><li>“ Sinto que estamos precisando conversar um pouco mais sobre nosso grupo...o que vocês acham de fazermos um rodízio de liderança no grupo...” </li></ul><ul><li>Ex. de novas adaptações e processos de auto-organização em prol do trabalho igualitário dos participantes. </li></ul><ul><li>IngRede: </li></ul><ul><li>“ Os feedbacks são muito bons. Sinto que eles direcionam meu estudo, não apenas dizendo que está certo, ou está errado.” </li></ul><ul><li>Ex. de como o sistema é sensível aos feedbacks e surge devido a relação com os participantes. </li></ul>
  • 20. Concluindo... <ul><li>Existe várias formas de aprendizagem escolar e pode acontecer em ambientes com e sem interação ou interatividade, </li></ul><ul><li>mas não acontecerá se não houver ação por parte dos aprendizes, que devem gerar conhecimento ( debates...) por meio das informações obtidas. </li></ul>
  • 21. Concluindo... Resposta a 1ª pergunta de Benson <ul><li>A dispersão do controle propiciado pelas novas configurações da sala de aula no ambiente virtual configura-se como uma condição que favorece a aprendizagem coletiva e/ou individual. </li></ul><ul><li>Sugestão: Elaborar outros desenhos pedagógicos online com os mesmos objetivos. </li></ul>
  • 22. Concluindo... Resposta a 2ª pergunta de Benson <ul><li>A) “ A aprendizagem online não faz sentido se não valorizarmos a aprendizagem através da cooperação, colaboração, diálogo, e/ou participação em comunidade ”(Goodyear et al 2004,p.2). </li></ul><ul><li>B) A diversidade de oportunidades na rede pode favorecer estilos diferentes de aprendizagem. </li></ul>
  • 23. Concluindo... <ul><li>O mais importante não é as características da tecnologia, mas as características das atividades nas quais a tecnologia tem um papel (Benson, 2001). </li></ul><ul><li>Quanto mais diversificadas </li></ul><ul><li>forem as opções ( quanto as tarefas </li></ul><ul><li>e ferramentas ),melhor será o </li></ul><ul><li>ambiente de aprendizagem. </li></ul>

×