Your SlideShare is downloading. ×
0
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Reusabilidade na Utilização de Frameworks Automatizados

1,207

Published on

apresentação do webcast realizado no di 23/03 e apresentado por Alan Gonçalves

apresentação do webcast realizado no di 23/03 e apresentado por Alan Gonçalves

Published in: Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,207
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Processos Automatizados Utilizando Frameworks Alan Gonçalves Test Manager & Test Architect [email_address] 23 de Março de 2011
  • 2. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 3.
    • Analista de Sistemas
    • Especialista em Qualidade de Software
    • Gerente de Testes em Projetos Internacionais na IBM
    • Arquiteto de integração de Ferramentas de Testes
    • IBM Certified Solution Designer - Rational Functional Tester Java
    • Embaixador do IBM Academic Iniciative Program
    • Professor de Pós-Graduação
    • Pós-Graduação em Gestão de Banco de Dados
    • Mestrando na UNICAMP em TI – Fenômenos Complexos
    1. Apresentação – Alan Gonçalves
  • 4. 1. Apresentação – DeveloperWorks
    • O que é o
    • DeveloperWorks ?
    • Canal aberto para a comunidade técnica no mundo inteiro.
    • Abrange diversas áreas envolvendo: Produtos IBM, Tecnologias, Soluções, Avaliação de Software, etc…
    • Disponibiliza capital Intelectual através de uma biblioteca com Artigos, Tutoriais e Demos.
    • Disponibiliza um Fórum e uma Comunidade para troca de informações.
  • 5. Qual a principal motivação para as grandes empresas investirem em Testes de Software ? O Mercado de Teste de Software
  • 6. Por que testar ? O Mercado de Teste de Software Modelo de Custo $4,394,100 $14,144,400 10,000 10,000 100% $7452 $2510 $941 $392 $235 $78.45 Custo de Remoção dos Defeitos *** $596,160 $50,200 $1,976,100 $1,097,600 $423,000 $251,040 Custo de Remoção de Defeitos Ideal $3,353,400 $6,400,500 $2,823,000 $1,568,000 Custo de Remoção de Defeitos Real 80 20 2100 2800 1800 3200 Defeitos Removidos Ideal 450 2550 3000 4000 * * Defeitos Removidos Real 95 .8% Produção 32 .2% Teste de Aceite de Usuário (UAT) 12 21% Teste Funcional / Sistema 5 28% Código, Teste Unitário / Componente 3 18% Design 1 32% Requisitos Multiplicador do Custo de Remoção dos Defeitos ** % Defeitos Removido Fase
  • 7. Por que testar ? O Mercado de Teste de Software
  • 8. TITANIC DISASTERS O Mercado de Teste de Software
  • 9. Ebay
    • 21 horas for a do ar.
    • $5 milhões de Dólares perdidos.
    O Mercado de Teste de Software
  • 10.
    • Annual Spring Fashion show on the internet crashed as millions of viewers tried to log on.
    • Advertised during Super Bowl XXXIII to attract the maximum number of customers.
    • Super Bowl XXXIII advertisement cost $1.6M for 30 seconds worth of air time.
    • The computers were configured to handle from 250K to 500K simultaneous viewers. The web site went down as 5M viewers tried to log on.
    • The first large-scale live video event attempted on the internet.
    Victoria’s Secret O Mercado de Teste de Software
  • 11. Outros
    • London Ambulance Service
    • Computer service failed in 26 and 27 of november 1992, sending ambulances to the wrong places.
    • The problem of the application was linked with high emergency load during this period.
    • This fail caused 20 deaths of patients who needed the ambulances.
    • Airbus A300 China Air Lines
    • An Airplane crashed in 1994 with 264 victims.
    • After the further investigations, the specialists recommended a complete change in the flight control softwares.
    O Mercado de Teste de Software
  • 12. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 13. Rational Functional Tester 2. Ferramentas de Automação A Ferramenta IBM Rational Functional Tester , foi desenvolvida para trabalhar como uma IDE de desenvolvimento. Ela é baseada na plataforma eclipse. Composta por perspectivas com diversas views, fornece um ambiente de fácil entendimento, proporcionando um aprendizado rápido.
  • 14. Ferramentas Free Selenium – Testes Automatizados para Web por meios Funcionais e de Aceitação http://seleniumhq.org JMeter – Testes de Performance em aplicações de diferentes tipos de servidores (HTTP/HTTPS, SOAP, JMS, ETC) http://jakarta.apache.org/jmeter Watir – Testes Automatizados para Web escritos na linguagem Ruby Existem Derivações em .NET (want) e Java (WatJ) http://watir.com FitNesse – Web server, Wiki e Ferramenta de Teste Automatizado para Suportar Testes de Aceitação http://jakarta.apache.org/jmeter 2. Ferramentas de Automação
  • 15. Ferramentas Pagas IBM Rational Functional Tester – Testes Automatizados para Desktop (.NET e Java) e Web http://pqeno.com/rrobot HP LoadRunner – Testes de Performance em diversos tipos de aplicações e protocolos (WEB, SOA, Java, .NET, Citrix, etc…) http://peqno.com/Irunner TestComplete – Testes Automatizados para Web e Desktop (Delphi, C++, VB, PowerBuilder) em diversos níveis de teste. http://pqeno.com/rrobot HP QuickTestProfessional – Testes Automatizados em Web e Desktop com suporte A diversas tecnologias. http://peqno.com/qtp 3. Ferramentas de Automação
  • 16. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 17. 3. Técnicas de Testes Automação Mais voltado para Testes de Regressão, ou geração de massa de dados, envolve a execução automatizada, usando recursos avançados de validação de testes sem a intervenção humana. Performance Abrange um amplo conjunto de avaliações, tendo como principal objetivo, verificar o quão estável encontra-se a aplicação. Segurança Está relacionado com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para um indivíduo ou uma organização. Manual Resume-se na validação de um produto, através de requerimentos ou levantamentos pré-determinados.
  • 18. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 19. Analista de Testes Gerente de Defeitos Arquiteto de Testes Gerente de Testes Especialista em Testes de Performance Testador
    • Rastreabilidade de requisitos
    • Casos de teste baseados nos requisitos
    • Análise de requisitos não-funcionais
    • Cenários de Teste
    • Análise, classificação e controle dos defeitos
    • Métricas de Qualidade
    • Melhorias do Processo e da Qualidade
    • Desenho da arquitetura de testes
    • Suporte à criação de casos de teste
    • Estabelecer a estratégia dos testes de performance
    • Definir os cenários de teste
    • Escrever scripts de performance
    • Acompanhar o progresso dos serviços de testes e manter as estimativas do projeto
    • Garantir a qualidade técnica da solução de testes
    • Liderança em projetos de teste
    • Planos de Teste
    • Métricas
    • Relatórios
    • Requisitos de Automação
    • Estratégia de Automação
    • Seleção de Ferramentas
    • Execução de testes, armazenamento de evidências e abertura de defeitos de forma padronizada
    4. Carreiras de Testes Coordenador de Teste Especialista em Automação de Testes
  • 20. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 21. 5.1. Conceito 5. Metodologia de Testes Automatizados
    • Melhorar a amplitude dos testes
    • Reduzir os Testes manuais redundantes
    • Maximizar a precisão dos testes
    • Maximizar sua capacidade de repetição
    Automação des testes de software é uma TÉCNICA muito reconhecida por seu potencial para:
  • 22.
    • Os projetos de investimentos de retorno a longo prazo .
    • A automação de teste pode ser aplicada em todas as fases.
    • Objetivo : Aplicar estratégias que visam a redução do envolvimento humano em atividades manuais repetitivas.
    • Não é um processo barato: Geralmente gasta-se 4 vezes mais tempo para criar, verificar e documentar os testes automatizados .
    5.1. Conceito 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 23.
    • Entender que o desenvolvimento de uma automação de testes é um desenvolvimento de software;
    • Usar uma arquitetura de testes orientada a objetos e a dados para que a entrada destes fique separada dos scripts de teste;
    • Usar uma arquitetura baseada em um framework ;
    • Conhecer a capacidade técnica da sua equipe;
    • Considerar a utilização de outros tipos de automação de testes além de interfaces gráficas.
    5.2. Fatores para o sucesso 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 24.
    • Redução de custos;
    • Ganho de produtividade;
    • Aumento de reutilização de códigos
    • S cripts escritos para testes;
    • Aumento na cobertura dos elementos testados.
    5.3. Vantagens 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 25. 5.3. Vantagens - Case Projeto CCMS Central Customer Master System 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 26. 5.3. Vantagens - Case 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 27. 5.3. Vantagens - Case 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 28. 5.3. Vantagens - Case 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 29.
    • Automatizador de Teste
    • Arquiteto de Testes
    • Engenheiro de Testes
    5.4. Papéis e responsabilidades 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 30.
    • Linguagem de Programação
    • Linguagem SQL
    • Sistemas Operacionais
    • Conhecimentos das Técnicas de Teste
    • Ferramentas de Automação
    • Arquitetura de Software
    • Execução de Testes Funcionais
    5.5. Conhecimentos necessários 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 31.
    • Este fluxo conduz por um conjunto típico de passos em uma visão macro que você deve seguir para gravar e rodar um script .
    • Uma vez que você completar este conjunto de passos, você estará habilitado para rodar um script diversas vezes e reusar o trabalho de gravação.
    5.6. Escopo da automação 5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 32. 5.7. Boas Práticas
    • Selecionar o tipo de framework
    • Identificar os componentes do framework
    • Criar e implementar políticas, padrões e procedimentos
    • Desenvolver a Arquitetura
    • Desenvolver os Testes Automatizados
    • Analisar os resultados
    • Relatórios e report de bugs
    5. Metodologia de Testes Automatizados
  • 33. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 34. 6. Framework Um teste automatizado é mais eficaz quando implementado com o auxílio de um Framework . Embora, em testes automatizados, o termo Framework seja freqüentemente utilizado para descrever as estruturas coletivas que compõem ferramentas de teste de unidade, ele também pode ser utilizado como definição de um conjunto de conceitos abstratos, processos, procedimentos e ambiente em que os testes automatizados serão concebidos, criados e implementados.
  • 35. 1a. Geração de automação de teste é composto principalmente da abordagem linear para o desenvolvimento de testes automatizados. Gerações
    • Utilização de um script “reto”.
    • Uso do Record-and-Play.
    • Sem modularização, reutilização e atributos.
    6. Framework
  • 36. 2a. Geração é o meio termo para quadros de automação de testes e pode ser simples ou muito bem definidos. É importante ter uma boa compreensão desta geração, já que quadros de terceira geração também são baseados em conceitos de segunda geração. Um framework que se encaixa nesta geração é o Data-driven. Gerações 6. Framework
  • 37. 2a. Geração é marcada por:
    • Produção de componentes modularizados
    • Combinação de componentes existentes
    • Maior reutilização
    Gerações 6. Framework
  • 38. 3a. Geração são os frameworks mais definidos e devem ser considerados quando o escopo de automação é relativamente alto; quando pelo menos um dos recursos de automação tem fortes competências técnicas e lógicas e uma proficiência na ferramenta de automatização a ser utilizado para desenvolver o framework . Gerações 6. Framework
  • 39.
    • Conhecido também como Table Driven
    • Testes automatizados desenvolvidos em tabelas com palavras-chave (keyword). Independe de ferramenta.
    3a. Geração : Keyword Driven Gerações 6. Framework
  • 40. Exemplo 1 – IBM Framework 6. Framework
  • 41. Exemplo 1 – IBM Framework 6. Framework
  • 42. Exemplo 2 – GTO Test Framework (Banco de Dados) 6. Framework
  • 43. Exemplo 3 – GTO Test Framework (XML Data-driven) 6. Framework
  • 44. Exemplo 4 – GTO Test Framework (Evidence and Results) 6. Framework
  • 45. 1. Apresentação 2. Ferramenta de Automação 3. Técnicas de Teste 4. Carreiras de Teste 5. Metodologia de Testes Automatizados 5.1. Conceito 5.2. Fatores para o sucesso 5.3. Vantagens 5.4. Papéis e Responsabilidades 5.5. Conhecimentos necessários 5.6. Scopo de automação 5.7. Boas Práticas 6. Frameworks Reutilizáveis 7. Conclusão Agenda
  • 46. 7. Conclusão Entendemos que com a utilização de Frameworks o trabalho voltado para a Automação de Testes, pode melhorar os seguintes aspectos: - Otimização: Evitar redundâncias no código. - Reuso: Aumentar a produtividade. - Manutenção : Melhorar as correções existentes no código.
  • 47. ® ? ? ? ? ?
  • 48. Obrigado!

×