www.cursoraizes.com.br                                HIPERTENSÃO ARTERIAL         A hipertensão arterial (HTA), hipertens...
www.cursoraizes.com.br40 anos estava hipertensa. Acredita-se que 20% da população mundial apresente oproblema.- A proporçã...
www.cursoraizes.com.br       Para a Organização Mundial de Saúde (OMS) os valores admitidossão:120x80mmHg, em que a pressã...
www.cursoraizes.com.brVerifica-se no medidor este momento e teremos a pressão mínima (pressão diastólica).Em geral, medimo...
www.cursoraizes.com.br- Relacionada a Feocromocitoma. Feocromocitoma é um tumor que produz substânciasvasoconstrictoras qu...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Hipertensão arterial

3,314 views
3,172 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,314
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
10
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Hipertensão arterial

  1. 1. www.cursoraizes.com.br HIPERTENSÃO ARTERIAL A hipertensão arterial (HTA), hipertensão arterial sistêmica (HAS) conhecidapopularmente como pressão alta é uma das doenças com maior prevalência no mundomoderno e é caracterizada pelo aumento da pressão arterial, aferida comesfigmomanômetro (aparelho de pressão) ou tensiômetro, tendo como causas ahereditariedade, a obesidade, o sedentarismo, o alcoolismo, o estresse, o fumo e outrascausas. Pessoas negras possuem mais risco de serem hipertensas. A sua incidênciaaumenta com a idade, mas também pode ocorrer na juventude. Existe um problema para diferenciar a pressão alta da pressão considerávelnormal. Ocorre variabilidade entre a pressão diastólica e a pressão sistólica e é difícildeterminar o que seria considerado normal e anormal neste caso. Alguns estudosfarmacológicos antigos criaram um mito de que a pressão diastólica elevada seria maiscomprometedora da saúde que a sistólica. Na realidade, um aumento nas duas é fator derisco. Considera-se hipertenso os indivíduos que mantém uma pressão arterial acimade 140 por 90 mmHg ou 14x9, durante seguidos exames, de acordo com o protocolomédico. Ou seja, uma única medida de pressão não é suficiente para determinar apatologia. A situação 14x9 inspira cuidados e atenção médica pelo risco cardiovascular. Pressões arteriais elevadas provocam alterações nos vasos sanguíneos e namusculatura do coração. Pode ocorrer hipertrofia do ventrículo esquerdo, acidentevascular cerebral (AVC), infarto do miocárdio, morte súbita, insuficiências renal ecardíacas, etc. O tratamento pode ser medicamentoso e/ou associado com um estilo de vidamais saudável. De forma estratégica, pacientes com índices na faixa 85-94 mmHg(pressão diastólica) inicialmente não recebem tratamento farmacológico. EPIDEMIOLOGIA- O termo prevalência indica o número de doentes em um determinado momento. Aprevalência da hipertensão arterial no Brasil foi levantada por amostras em algumascidades. Estes estudos mostraram uma variação de 22,3% a 43,9% de indivíduoshipertensos conforme a cidade considerada. Pode estimar assim que entre uma a duaspessoas a cada cinco são hipertensas. Em 2004, 35% da população brasileira acima de www.cursoraizes.com.br
  2. 2. www.cursoraizes.com.br40 anos estava hipertensa. Acredita-se que 20% da população mundial apresente oproblema.- A proporção de óbitos por doença cardiovascular no Brasil em 2003, segundo dadosde preenchimento de atestados de óbito, foi de 27,4%. Atribui-se um risco decorrente dapresença de hipertensão arterial na origem de certos grupos de doença. Cerca de 40% damortalidade devida a Acidente vascular cerebral é atribuida à hipertensão. Para aDoença arterial coronariana este risco está na faixa de 25%. FATORES DE RISCO A hipertensão arterial pode ou não surgir em qualquer indivíduo, em qualquerépoca de sua vida, mas algumas situações aumentam o risco. Dentro dos grupos depessoas que apresentam estas situações, um maior número de indivíduos seráhipertenso. Como nem todos terão hipertensão, mas o risco é maior, estas situações sãochamadas de fatores de risco para hipertensão. São fatores de risco conhecidos parahipertensão:- Idade: Aumenta o risco com o aumento da idade.- Sexo: Até os cinquenta anos, mais homens que mulheres desenvolvem hipertensão.Após os cinquenta anos, mais mulheres que homens desenvolvem a doença.- Etnia: Mulheres afrodescendentes tem risco maior de hipertensão que mulherescaucasianas.- Nível socioeconômico: Classes de menor nível sócio-econômico tem maior chance dedesenvolver hipertensão.- Consumo de sal: Quanto maior o consumo de sal, maior o risco da doença. Consumode álcool: O consumo elevado está associado a aumento de risco. O consumo moderadoe leve tem efeito controverso, não homogêneo para todas as pessoas.- Obesidade: A presença de obesidade aumenta o risco de hipertensão.- Sedentarismo: O baixo nível de atividade física aumenta o risco da doença. DESCRIÇÃO A hipertensão ocorre quando os níveis da pressão arterial encontram-se acimados valores de referência para a população em geral. www.cursoraizes.com.br
  3. 3. www.cursoraizes.com.br Para a Organização Mundial de Saúde (OMS) os valores admitidossão:120x80mmHg, em que a pressão arterial é considerada ótima e 130x85mmHg sendoconsiderada limítrofe. Valores pressóricos superiores a 140x90mmHg denotam Hipertensão. Conforme a IV Diretrizes Brasileira de Hipertensão Arterial da SociedadeBrasileira de Cardiologia, compreende em estágios: 1 (leve - 140x90mmHg e159x99mmHg), 2 (moderada - 160x100mmHg e 179x109mmHg) e 3 (grave - acima de180x110mmHg). Qualquer indivíduo pode apresentar pressão arterial acima de 140x90mmHg semque seja considerado hipertenso. Apenas a manutenção de níveis permanentementeelevados, em múltiplas medições, em diferentes horários e posições e condições(repouso, sentado ou deitado) caracteriza a hipertensão arterial. Esta situação aumenta o risco de problemas cardiovasculares futuros, comoInfarto agudo do miocárdio e Acidente Vascular do tipo Cerebral, por exemplo. Apossibilidade destes problemas é log-linear, ou seja, cresce de maneira contínua em umaescala logarítmica. DIAGNÓSTICO Um esfigmomanômetro e um estetoscópio, equipamentos utilizados para aferir apressão arterial. A medida da pressão arterial deve ser realizada apenas com aparelhosconfiáveis. Para medi-la, o profissional envolve um dos braços do paciente com oesfigmomanômetro, que nada mais é do que uma cinta larga com um pneumáticointerno acoplado a uma bomba de insuflação manual e um medidor desta pressão. Aoinsuflar a bomba, o pneumático se enche de ar e causa uma pressão no braço dopaciente, pressão esta monitorada no medidor. Um estetoscópio é colocado sobre aartéria braquial (que passa na face interna medial do cotovelo). Estando o manguito beminsuflado, a artéria estará colabada pela pressão exercida e não passará sangue na artériabraquial. Não haverá ruído algum ao estetoscópio. Libera-se, então, a saída do ar pelabomba, bem devagar e observando-se a queda da coluna de mercúrio no medidor.Quando a artéria deixa de estar totalmente colabada um pequeno fluxo de sangue iniciasua passagem pela artéria provocando em ruído de esguicho (fluxo turbilionar). Nestemomento anota-se a pressão máxima (sistólica). O ruído persistirá até que o sanguepasse livremente pela artéria, sem nenhum tipo de garroteamento (fluxo laminar). www.cursoraizes.com.br
  4. 4. www.cursoraizes.com.brVerifica-se no medidor este momento e teremos a pressão mínima (pressão diastólica).Em geral, medimos a pressão em milímetros de mercúrio (mmHg), sendo normal umapressão diastólica (mínima) entre 60 e 80 mmHg (6 a 8 cmHg) e pressão sistólica entre110 e 140 mmHg (11 a 14 cmHg) (cmHg = centímetros de mercúrio). SINTOMATOLOGIA A hipertensão arterial é considerada uma doença silenciosa, pois na maioria doscasos não são observados quaisquer sintomas no paciente. Quando estes ocorrem, sãovagos e comuns a outras doenças, tais como dor de cabeça, tonturas, cansaço, enjôos,falta de ar e sangramentos nasais. Esta falta de sintomas pode fazer com que o pacienteesqueça de tomar o seu medicamento ou até mesmo questione a sua necessidade, o queleva a grande número de complicações. CAUSAS- Na grande maioria dos casos a Hipertensão Arterial é considerada essencial, isto é, elaé uma doença por si mesma. Em 95% dos casos a causa da doença é desconhecida.Nesses pacientes ocorre aumento da rigidez das paredes arteriais, fato que é favorecidopela herança genética em 70% dos casos. Por essa razão, é preciso verificar o históricofamiliar do paciente, uma vez que, se seus pais ou parentes próximos são hipertensos,ele tem grandes probabilidades de desenvolver a doença.- Ocorre quando um determinado fator causal predomina sobre os demais, embora osoutros possam estar presentes.- Por Doença do parênquima renal.- Renovascular é a provocada por algum problema nas artérias renais. De maneirareacional, o rim afetado produz substâncias hipertensoras. A correção do problema renalpode diminuir a pressão arterial.- Relacionada a Gestação.- Relacionada ao uso de Medicamentos.- Relacionada ao uso de Anti-concepcionais.- Relacionada ao uso de Corticosteróides.- Relacionada ao uso de Anti-inflamatórios. www.cursoraizes.com.br
  5. 5. www.cursoraizes.com.br- Relacionada a Feocromocitoma. Feocromocitoma é um tumor que produz substânciasvasoconstrictoras que aumentam a pressão arterial, produzem taquicardia, cefaléia esudorese. A retirada deste tumor pode diminuir a pressão arterial. TRATAMENTO Embora não exista cura para a Hipertensão Arterial , é possível um controleeficaz, baseado quer na reformulação de hábitos de vida, quer em medicação,permitindo ao paciente uma melhor qualidade de vida. MEDIDAS NÃO FARMACOLÓGICAS Certas medidas não relacionadas a medicamentos são úteis no manejo daHipertensão Arterial, tais como Moderação da ingestão de sal (Cloreto de sódio) e álcool (Etanol). Aumento na ingestão de alimentos ricos em potássio. Prática regular de atividade física. Fomentar práticas de gestão do stress; Manutenção do peso ideal (IMC entre 20 e 25 kg/m²). Minimizar o uso de medicamentos que possam elevar a pressão arterial, como Anticoncepcionais orais e Anti-inflamatórios. www.cursoraizes.com.br

×