Energias renovaveis

6,147 views

Published on

Published in: Education, Technology, Business
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,147
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
51
Actions
Shares
0
Downloads
222
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Energias renovaveis

  1. 1. Energia Energia
  2. 2. <ul><li>  </li></ul><ul><li>Existem na Natureza diferentes formas de energia, presentes em tudo o que nos rodeia. Manifestam-se de várias formas e, muitas vezes, são responsáveis por determinados fenómenos naturais, físicos e químicos, teus conhecidos. </li></ul>Energia Energia
  3. 3. Energia Energia <ul><li>Certamente já observas-te algumas manifestações da força do vento e da água, por exemplo quando ocorre uma tempestade. </li></ul>
  4. 4. Energia Energia <ul><li>Provavelmente já te assustas-te num dia de trovoada quando, repentinamente, surge dos céus uma descarga eléctrica, manifestada através de som (trovão) e de luz (relâmpago). </li></ul>
  5. 5. Energia Energia <ul><li>Todos os dias podes assistir ao nascer e ao pôr-do-sol. Durante o dia, podemos observar a acção do sol que, com a sua luz e o seu calor, fornece ao nosso planeta duas formas de energia essenciais à vida de todos os seres vivos. </li></ul><ul><li>A energia existe na Natureza. Nós apenas a aproveitamos e a transformamos. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Fontes de energia </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>O ser humano, desde sempre, aproveitou os recursos naturais e as forças naturais, como o vento, a água e o sol, transformando-as em energia. </li></ul><ul><li>Cada vez mais, com o avanço tecnológico, tem sido possível descobrir outras formas de produzir energia através de forças naturais, a que se chamou energias alternativas, já que se revelou excessiva a exploração dos recursos energéticos naturais como o petróleo e o carvão. </li></ul><ul><li>Podemos diferenciar dois grandes grupos de fontes de energia: não renováveis e renováveis . </li></ul>Energia Energia
  7. 7. Energias não renováveis Energias não renováveis
  8. 8. Energias não renováveis <ul><li>São de origem natural; no entanto, demoram milhões de anos a formarem-se; são combustíveis provenientes de matérias fósseis. </li></ul><ul><li>Os combustíveis fósseis que têm sido usados na actividade humana, sobretudo nos últimos dois séculos, existem no nosso planeta em quantidades limitadas. </li></ul><ul><li>Dado que o seu processo de formação é extremamente demorado, não há capacidade natural de renovação, tendo em conta o seu consumo rápido e em grandes quantidades. </li></ul>
  9. 9. Petróleo
  10. 10. Petróleo <ul><li>O petróleo teve o seu início há milhões de anos atrás a partir da decomposição de seres marinhos microscópicos denominados plâncton. A medida que o plâncton morria, esses seres iam-se depositando no leito dos oceanos, dando origem a uma espessa camada de matéria orgânica. A acção das bactérias, da pressão das Rochas e o calor sobre esses resíduos deu início a sua transformação em petróleo e gás. </li></ul>
  11. 11. Carvão e turfa
  12. 12. Carvão e turfa <ul><li>A história do carvão tem início no Período Carbonífero, cerca de 300 milhões de anos antes do Homem dar os primeiros passos sobre a Terra. Durante este período, a terra estava coberta por florestas densas, pântanos, rios e por uma vegetação luxuriante. A pouco e pouco foi-se formando uma densa camada de substâncias vegetais mortas que acabaram por entrar em decomposição e por ser submersas pelas águas ácidas dos pântanos circundantes. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Devido ao calor e a pressão crescente, a vegetação morta transformou-se em turfa. A turfa deu origem a lenhite (carvão de pedra), a qual foi endurecendo até se transformar em carvão betuminoso e, por fim, formou-se a antracite , o carvão com mais alto valor energético. Em geral, quanto maior for o calor e a pressão, tanto mais elevada será a percentagem de carbono puro existente no carvão. </li></ul>Carvão e turfa
  14. 14. O gás
  15. 15. O gás <ul><li>Custa a crer que um metal sólido possa realmente ser transformado num gás, mas qualquer substancia pode estar no estado sólido, liquido ou gasoso, dependendo da temperatura e da pressão a que se encontrar. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>O gás natural é representativo das diversas misturas de combustíveis gasosos que é possível encontrar depositados em jazidas rochosas subterrâneas. </li></ul><ul><li>Os reservatórios de gás natural, situam-se a profundidades que chegam a atingir os 3000 metros. </li></ul>O gás
  17. 17. <ul><li>O gás natural é basicamente composto por metano , é integralmente combustível e não é venenoso. Países que, como a Argélia, exportam grandes quantidades de gás natural, mandaram construir fábricas destinadas a liquefazer o gás antes do seu transporte. O gás natural liquefeito é distribuído em todo o mundo por navios-tanques munidos dum sistema de refrigeração. </li></ul>O gás
  18. 18. Nuclear
  19. 19. Nuclear <ul><li>Fissão nuclear </li></ul><ul><li>O núcleo de um átomo pode ser separado. A fissão nuclear significa separar o núcleo dos átomos . Quando isto acontece dá-se uma tremenda reacção química libertando grande quantidade de energia luminosa e calorífica. Quando o núcleo do átomo é separado lentamente , a energia gerada pode ser transformada em energia eléctrica. Se a fissão nuclear for brusca dá-se uma explosão criando-se assim a bomba atómica. </li></ul>
  20. 20. Nuclear <ul><li>Fusão nuclear </li></ul><ul><li>Na fusão nuclear, dois ou mais núcleos atómicos se juntam e formam um outro núcleo de maior número atómico. A fusão nuclear requer muita energia para acontecer, e geralmente libera muito mais energia que consome. </li></ul><ul><li>Este é o tipo de reacção nuclear que acontece no Sol . </li></ul>
  21. 21. Poluição Poluição
  22. 22. Poluição <ul><li>Sabias que a maior parte da poluição é causada pelas energias não renováveis !!! </li></ul>
  23. 23. <ul><li>A poluição é a contaminação do ar, da terra, dos rios, dos lagos e dos mares com substancias nocivas provenientes da actividade exercida pelo Homem. </li></ul><ul><li>As substancias poluentes vão desde o lixo doméstico aos desperdícios industriais e ao fumo emitido pelos escapes dos automóveis. São elas que sujam os edifícios, que fazem arder os nossos olhos, que turvam as águas dos rios e constituem um perigo eminente para a nossa saúde. </li></ul>Poluição
  24. 24. Poluição atmosférica
  25. 25. Poluição atmosférica <ul><li>As milhares de toneladas de carvão queimadas diariamente em todo o mundo terminam, quer como um resíduo, quer na atmosfera sob a forma de gás. Na América, queima-se carvão a media de 913 milhões de toneladas por minuto. Enquanto você lê esta frase ter-se-ao acumulado mais 15 toneladas de resíduos de carvão o fumo, as partículas finas, o enxofre, o dióxido de carbono e a fuligem são libertados na atmosfera e as cinzas de carvão remanescentes ficam em depósitos de desperdícios Sólidos. </li></ul>
  26. 26. Poluição atmosférica <ul><li>As chaminés das centrais eléctricas modernas estão dotadas de dispositivos de filtragem. Mas estas chaminés são tão altas que a maioria dos gases residuais segue directamente para as camadas superiores da atmosfera sem nunca chegarem a ser inalados pelos homens. Infelizmente, isto significa que as camadas superiores da atmosfera vão ficando igualmente poluídas. </li></ul><ul><li>Os cientistas estão particularmente preocupados com o aumento constante do dióxido de carbono nessa zona atmosférica. Qualquer aumento da percentagem deste gás pode limitar a libertação do calor proveniente da Terra (criando assim o efeito de estufa ), e contribuir para o aquecimento global . </li></ul>
  27. 27. Poluição petrolífera
  28. 28. Poluição petrolífera <ul><li>Uma das consequências da nossa dependência actual do petróleo é a destruição de praias, da vida marinha e das aves, provocada por gigantescas manchas de petróleo . Com tantos petroleiros gigantescos percorrendo incessantemente todos os cantos do globo é inevitável que aconteçam alguns acidentes. </li></ul>
  29. 29. Poluição petrolífera <ul><li>O petróleo mistura-se mais facilmente com a água se for pulverizado com detergentes. Essa mistura de petróleo e água é então mais facilmente dispersa por todo o volume de água do mar em lugar de se manter unicamente a superfície. No entanto, esta mistura de petróleo e Água é extremamente nociva a vida marinha, a medida que se vai afundando até atingir o leito do oceano . </li></ul>
  30. 30. Poluição petrolífera <ul><li>Os meios de transporte modernos tornaram as nossas cidades barulhentas, sujas e pouco agradáveis para nelas se habitar. As emanações de gasolina, o venenoso monóxido de carbono e o chumbo procedentes dos escapes dos automóveis poluem o ar que respiramos . </li></ul>
  31. 31. Poluição nuclear
  32. 32. Poluição nuclear <ul><li>Os acidentes ocorridos nas centrais nucleares e os testes atmosféricos de bombas atómicas provocam a libertação de gases radioactivos para a atmosfera. </li></ul><ul><li>Actualmente, provem destas fontes menos de 1% da radiação total a que estão expostas as populações em geral. Cerca de 68% das radiações são provocadas pela radiação natural das rochas graníticas e dos raios cósmicos. Estas fontes naturais já nos &quot;bombardeiam&quot; há milhões de anos e, juntamente com os raios X usados em medicina, constituem mais de 98% da radiação total a que o publico esta exposto. </li></ul>
  33. 33. Poluição nuclear <ul><li>Os desperdícios nucleares sólidos são externamente perigosos. Felizmente, as centrais nucleares produzem pequenas quantidades de resíduos. </li></ul><ul><li>A radioactividade destes desperdícios enfraquece com o tempo, mas mesmo assim os menos radioactivos levam cerca de 500 anos a atingir níveis equivalentes aos da radiação natural que nos rodeia. </li></ul>
  34. 34. <ul><li>Como podes verificar, a energia existe em quase tudo o que nos rodeia e é indispensável à nossa sobrevivência. Consumimos cada vez mais energia e, como também sabes, algumas destas energias são extremamente poluentes. Por isso, devemos contribuir de todas as formas possíveis e imagináveis, gastando menos energia: </li></ul><ul><li>utilizar cada vez mais transportes públicos; </li></ul><ul><li>ter cuidado de apagar as luzes, quando não são necessárias; </li></ul><ul><li>regular bem os aquecimentos de Inverno; </li></ul><ul><li>isolar bem as portas e janelas da nossa casa; </li></ul><ul><li>usar vestuário adequado à temperatura ambiente </li></ul><ul><li>explorar cada vez mais e melhor as fontes de energia alternativas (energias renováveis). </li></ul>O que fazer então O que fazer Então
  35. 35. Energias renováveis Energias renováveis
  36. 36. Energias renováveis <ul><li>estão contidas em elementos da Natureza; contudo, não se esgotam, como acontece com as energias não renováveis, que iremos analisar em seguida. Incluem-se neste grupo a energia eólica (do vento), a energia hidráulica (da água), a energia geotérmica (da temperatura do interior da terra), a energia solar (do sol) e a energia de biomassa (da decomposição de materiais orgânicos). </li></ul>
  37. 37. Energia eólica
  38. 38. Energia eólica <ul><li>A escassez dos combustíveis pode vir a renovar o interesse na utilização comercial dos barcos à vela, mas a verdadeira importância da energia eólica reside no desenvolvimento de maquinas fixas que convertam a energia do vento em electricidade . </li></ul>
  39. 39. Energia Hidráulica
  40. 40. Energia Hidráulica <ul><li>Uma grande barragem para a produção de energia eléctrica constitui uma das obras mais impressionantes da engenharia moderna. Enquanto que as azenhas de outrora se serviam de rodas dentadas para obter a transformação de energia cinética desenvolvida pelo curso de água em energia mecânica , as centrais hidroeléctricas modernas utilizam turbinas para transformar essa energia em energia eléctrica . </li></ul>
  41. 41. Energia Hidráulica
  42. 42. Energia solar
  43. 43. Energia solar <ul><li>O sol tem vindo a emitir grandes quantidades de energia ao longo de, pelo menos, 2000 milhões de anos, e continuará a faze-lo nos próximos milhares de anos. </li></ul><ul><li>Esta energia alcança a atmosfera terrestre sob a forma de radiação solar, na sua maioria constituída por luz solar directa. Bastava que fosse possível transformar 0,01% desta radiação em energia de boa qualidade para satisfazer inteiramente as necessidades energéticas actuais da Humanidade. </li></ul>
  44. 44. Biomassa
  45. 45. Biomassa <ul><li>A biomassa é uma fonte de energia, derivada dos produtos e sub-produtos da floresta, resíduos da indústria da madeira, resíduos de culturas agrícolas, efluentes domésticos e de instalações de agro-pecuária, de indústrias agro-alimentares (como por exemplo lacticínios, matadouros, etc.), culturas energéticas (bio-combustíveis) e resíduos sólidos urbanos. </li></ul><ul><li>Os processos que permitem fazer transformação da biomassa com vista ao seu aproveitamento para fins energéticos são; a combustão directa; a gaseificação; a fermentação; a pirólise; e a digestão anaeróbica. </li></ul>
  46. 46. Biomassa
  47. 47. Energia Geotérmica
  48. 48. <ul><li>A Geotermia consiste no aproveitamento energético do calor da terra. Esta energia resulta do fluxo de calor das camadas mais profundas e da radioactividade natural das rochas. </li></ul><ul><li>Regra geral, em termos médios a temperatura aumenta 1ºC por cada 32 m que se avança em profundidade na crosta terrestre. Em zonas vulcânicas como é o caso dos Açores, este gradiente térmico chega a ser 5 vezes superior. </li></ul><ul><li>Existindo um reservatório de um elemento capaz de transportar o referido calor, como seja a água (aquífero), através da construção de furos, poderemos ter à superfície um manancial de energia disponível ao seu aproveitamento. Estes furos geotérmicos poderão ter profundidades que podem variar no caso de São Miguel entre os cerca de 800 m e os 2000 m. </li></ul><ul><li>Dependendo da temperatura do fluído geotérmico, ser superior ou inferior a 150ºC na sua origem, a sua utilização poderá contemplar a produção de energia eléctrica ou o seu aproveitamento térmico para aquecimento em processos industriais ou agricultura. </li></ul>Energia Geotérmica
  49. 49. Energia das Marés
  50. 50. Energia das Marés <ul><li>As ondas possuem energia cinética devido ao movimento da água e energia potencial devida à sua altura. Energia eléctrica pode ser obtida se for utilizado o movimento oscilatório das ondas. </li></ul>
  51. 51. Energias renováveis

×