ano 5 . edição 46 . dezembro . 201193 anos: Viva Ourinhos, com muita arte!  A programação cultural comemoran-do os 93 anos...
CrônicaO footing                                                                                                          ...
TeatroEm maio, a terceira edição da Mostra Sérgio Nunes de Artes CênicasAlém dos espetáculos, agentesculturais e atores pa...
MúsicaFestival de Música trouxe Hermeto e Dominguinhos numa homenagem ao nordeste   A alegria da música e cultura nordes- ...
LiteraturaA(o)gosto das Letras na rota dos festivais de literatura do país  Uma programação diversificada queteve a litera...
VivOurinhosEdital de fomento democratiza o processo cultural na cidade   Desde o ano passado que a Prefeitura    mento. “V...
Euclides Rossignoli. Ourinhos: Histó-rias e Memórias traz crônicas publica-das no Jornal Debate, e narra, em lin-guagem si...
CinemaFestival de curtas-metragens: uma homenagem à diversidade   Como já era esperado, o 7º Curta Ou-      premiação em d...
DançaProgramação do 6º Dança Ourinhos também privilegiou diversidade de estilos    No mês de novembro aconteceu asexta edi...
Cinema no BairroCinema com pipoca em diversos bairros da cidade   Um dos mais antigos projetos da Se-cretaria Municipal de...
TombamentoCasa dos ingleses agora pertence à Prefeitura Municipal    Na década de 1940 a paisagem urba-na da cidade foi tr...
equipamentos                         oficinas culturais                                                                   ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Balaio online dezembro 2011

2,543 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,543
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,454
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Balaio online dezembro 2011

  1. 1. ano 5 . edição 46 . dezembro . 201193 anos: Viva Ourinhos, com muita arte! A programação cultural comemoran-do os 93 anos de Ourinhos começa nodia 8, com apresentação de um auto denatal no Centro de Convivência, às20h30. O espetáculo acontece em umacarreta-palco de 12 metros de compri-mento que se transforma numa esferarepresentando o planeta Terra, mistu-rando música, teatro, dança, circo e ví-deo. No dia 13, aniversário de Ourinhos, onovo palco da Praça Mello Peixoto, queestá toda reformada, será estreadocom um concerto da Orquestra Sinfô-nica Jovem do Conservatório de Tatuí.A programação de aniversário segueaté o dia 23, com atividades todas asnoites no palco da Praça Mello Peixoto,no Teatro Miguel Cury e em vários ou-tros locais. Você pode conferir tudoaqui, nesta edição. Motivos para comemorarmos comarte e cultura não faltam. O Balaioapresenta uma retrospectiva do traba-lho da Secretaria Municipal de Culturaneste ano. A diversidade da criaçãocultural foi a tônica de tudo que fize-mos em 2011, e a cultura popular nor- A Cia. Teatro de Tábuas apresenta o Auto de natal Humanos, Anjos e Lunáticos no Centro de Convivência dia 08, às20h30destina foi destaque nos nossos cincofestivais (teatro, música, literatura, ci- lar, rolou a arte da pintura e do grafite as atividades culturais estiveram co- Associação de Amigos da Biblioteca Pú-nema e dança), e nas atividades for- nos muros da cidade. Alguns dos proje- nectadas com a vida ourinhense, com blica firmou convênio com o Governomativas do ano, resultando num gran- tos trabalharam com atividades de pre- propostas inovadoras e criativas, con- Federal para realizar projeto de revitali-de envolvimento do público, que pode servação da memória da cidade. A Se- tribuindo para a história e a transfor- zação do Museu Municipal, em parce-conhecer muito mais da criatividade cretaria de Cultura, o Museu Histórico mação da cidade. ria com a Secretaria de Cultura. Parabrasileira. Pedagógico e a Casinha da Memória Para 2012, novos projetos estão sen- 2012, não poderíamos desejar nada Projetos culturais de artistas da cida- iniciaram o projeto “Arquivo de Lem- do preparados. Um novo posto do melhor do que saúde e arte na vida dede foram realizados com patrocínio do branças”, que registra depoimentos de Acessa São Paulo será instalado na Bi- todos. Viver com arte é muito melhor!Edital de Fomento à Cultura da Prefei- antigos ferroviários e moradores para o blioteca da vila Margarida, oferecendo Acompanhe a programação de ani-tura. Rolou samba, rolou música popu- acervo da Casinha da Memória. Enfim, internet gratuita para a população. A versário da cidade na pagina 12 Banda Sinfônica Jovem de Tatuí O maestro José Antônio Pereira durante apresentação da Banda inaugura o palco da Praça dia 13 Sinfônica Jovem de Tatuí No dia do aniversário de Ourinhos, sica pelo Instituto de Artes da Unesp, 13 de dezembro, a Banda Sinfônica Jo- cujo trabalho acadêmico foi premiado vem do Conservatório de Tatuí faz pela Academia Brasileira de Música. concerto na praça Mello Peixoto a par- Entre os muitos prêmios que recebeu tir das 20h30. Formada por 60 jovens e apresentações que coordenou com alunos dos cursos de sopros e percus- este grupo, se destaca o Prêmio da são, o grupo está em funcionamento APCA (Associação Paulista de Críticos desde a década de 60. Seu objetivo é de Arte). Atualmente, é regente da integrar os instrumentistas, unindo o Banda Sinfônica Jovem do Conserva- repertório erudito ao popular. tório de Tatuí e professor de música de O professor responsável pelo grupo câmara e prática de conjunto da mes- é José Antônio Pereira, mestre em mú- ma instituição.
  2. 2. CrônicaO footing has Sábado ao anoitecer. Um banho de-morado e estimulante, a melhor rou- c u rtinpa, os sapatos bem engraxados, a bri-lhantina esfregada nas palmas dasmãos para amaciar os cabelos. O entu-siasmo tomando conta da alma. O jan- PROACtar, o sair e o caminhar alegre até a A Secretaria de Estado da Cultura alterou as re-Praça Mello Peixoto. Era a década dos gras para apresentação de projetos via Proac-anos 1950, aqueles hoje conhecidos ICM. A inscrição para novos proponentes deve- rá ser feita até o final de janeiro, e para apre-como Anos Dourados - a Rádio Nacio- sentação de projetos haverá dois períodos: denal, os boleros, Frank Sinatra, Nat King janeiro a março e de agosto a novembro. Con-Cole, Elvis Presley, Paul Anka, Pat Boo- fira: www.cultura.sp.gov.brne, Doris Day, Tony Curtis, James Dean,Sandra Dee, as orquestras do interior e Investimento em culturaos bailes, o cinema, a vida sem violên- Pesquisa nacional recém-concluída pelo Data-cia. A gente ia ao footing da praça en- Senado revela que a maioria dos brasileiros já Componente indispensável do footing era o serviço de alto-falante quer mais que a tradicional prioridade para ascontrar os amigos e procurar por uma questões de saúde, educação e segurança. Senamorada. Tínhamos aí dezessete, de- terno compreendia o caminhar por bilidade, o footing tinha hora certa pa- 91% dos entrevistados atribuíram importânciazoito, dezenove anos. No sonhar sem todo o perímetro da praça. Moças, aos ra terminar. Faltando dois ou três mi- máxima às áreas de saúde e educação (nota 10,barreiras, o mundo era todo nosso. pares, caminhavam num sentido, e ra- nutos para às 22 horas, a praça estava em uma escala de 0 a 10), nada menos que 56% Uma das minhas maiores saudades pazes, também aos pares, caminha- lotada; passados dois ou três minutos deram essa mesma nota à cultura. Saúde, edu- cação e segurança são prioridades, na avaliaçãodos tempos passados de Ourinhos é o vam no sentido oposto. Como se es- das 22 horas, a praça estava vazia. Só da maioria dos brasileiros. Mas o investimentofooting da Praça Mello Peixoto. Ele tivessem - e estavam - em exposição. poucos e pequenos grupos de rapazes em cultura não é dispensável e deve ser coloca-acontecia aos sábados e domingos à Depois, a distância percorrida dimi- permaneciam um tanto mais, comen- do, relativamente, à frente de gastos com espor-noite nas calçadas externas e internas nuiu pela metade: a calçada toda da tando a noite, os flertes, os inícios de te e turismo.da praça. Rapazes e moças tinham aí parte voltada para a Rua 9 de Julho, namoro. O fenômeno ocorria porque Festival de Choro em Avarésua melhor oportunidade de flerte e metade da extensão da parte voltada os pais coincidiam em marcar as 22 De 08 a 10 de dezembro acontece em Avaré o 1ºinício de namoro. Os jovens sem par- para a Avenida Altino Arantes, e meta- horas para as moças voltarem pra casa. Festival de Choro Rosana Teixeira. A inscrição éceiros andavam no passeio externo. de da extensão da parte voltada para a Quem conseguiu uma namorada, ou feita enviando solicitação para festivaldechoroNos passeios internos caminhavam os Rua Paraná. pelo menos um flerte, voltava alegre e rosanateixeira@hotmail.com. O valor da ins-casais de namorados. Não havia a prá- Não demorou muito e o footing mu- feliz. Quem não conseguiu nada, volta- crição é de R$ 50, sendo que os primeiros 50 ins-tica do ficar que existe hoje. Também dou de novo. Só as moças continuaram va esperançoso de que da próxima vez critos terão direito a alojamento. Estão previstas oficinas, shows e rodas de choro. Mais infor-não havia sexo antes do casamento. caminhando. Os rapazes passaram a tudo seria diferente. O mesmo acon- mações festivalrosanateixeira.blogspot.comCasamento com todas as formalida- ficar parados na rua, à beira da calça- tecia com as moças que procuravam odes: juiz, padre, padrinhos, papel pas- da. Finalmente, em seus últimos tem- par sonhado.sado, convites e festa. E entre o namo- pos, o costume se restringia ao cami-ro e o casamento ainda havia o noiva- nhar das moças e ao estar dos moços Euclides Rossignoli dado, com o devido uso de aliança nodedo anular da mão direita. unicamente na calçada da parte da praça voltada para a Rua 9 de Julho. As Dezembro, 2005 Anote a agen dos Festivais Componente indispensável do foo- moças iam e vinham de uma esquina à Crônica publicada no livro Ourinhos:ting era o serviço de alto-falante pelo outra. Diante do que fora, podemos di- Histórias e Memórias, de Euclidesqual os jovens ofereciam músicas e zer que chegamos ao little footing, últi- em 2012 Rossignoli, lançado através domandavam pequenas mensagens aos mo estágio antes do desaparecimento edital Prêmio de Fomento àseus flertes. completo do velho e bom costume. produções culturais e oficinas Nos primeiros tempos, o footing ex- Forma singela e eficiente da socia- criativas do programa VivOurinhos Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas balaio cultural de 23 a 27 de maio pesquisa e Fátima Barbosa redação Marco Aurélio Gomes Neusa Fleury Moraes Tatiana Oliveira Festival de Música edição e Nelson Nunes P. Neto de 15 a 22 de julho diagramação periodicidade Mensal A(o)Gosto das Letras tiragem 6.000 exemplares de 22 a 26 de agosto distribuição para todo o Brasil gratuita Curta Ourinhos Para receber o Balaio, envie seus dados: de 24 a 27 de outubro telefone 14 3302.3344 e-mail Dança Ourinhos culturaourinhos.imprensa@gmail.com de 14 a 19 de novembro endereço Secretaria Municipal de Cultura Rua Dom Pedro I, 394 - Centro 2
  3. 3. TeatroEm maio, a terceira edição da Mostra Sérgio Nunes de Artes CênicasAlém dos espetáculos, agentesculturais e atores participaramde duas oficinas Em sua terceira edição, a Mostra Sér-gio Nunes novamente privilegiou a par-ticipação de grupos que se dedicam àpesquisa teatral. Com espetáculos paraadultos e crianças, a programaçãomanteve a diversidade de propostas. O universo popular foi lembrado emvários momentos, como a peça Um diaouvi a Lua, que abriu a Mostra, e Rosade Cabriúna. A Cia. Forrobodó trouxeseu teatro de rua e apresentou o es-petáculo É poesia popular, inspirado nocordel A chegada de Lampião no infer-no, de José Pacheco. A forte geada que atingiu o Paranáem 1975, com efeitos também na re-gião de Ourinhos, episódio conhecidocomo Geada Negra, serviu de inspira-ção para o espetáculo Café quente emnoite fria ou Ensaio sobre a Lenda doOuro Verde, montagem do Grupo Caos& Acaso, da cidade de Londrina. Palhaços foi outro destaque da pro-gramação. Um dos mais conhecidostextos do dramaturgo Timotchenko 1Whebi, foi apresentado na versão pro-duzida por atores que participam dacompanhia Folias. Outro espetáculo, Oque fazer com o que Kafka fez com agente, baseado no conto homônimo deJair Ferreira dos Santos, discutiu a ca-pacidade de influência da literatura navida de uma pessoa. Fechando a pro-gramação, a Cia. Fractal apresentou ARevolução dos Bichos, adaptação paracrianças do livro do escritor inglês Ge-orge Orwell. Atores e agentes culturais participa-ram de duas oficinas de formação, ‘Ca-pacitação em Teatro do Oprimido’, co-ordenada pela Fábrica do Teatro doOprimido de Londrina, e da Oficina deFormação de Agentes Culturais’, com o 3 2 3 4tema Teatro-Educação. 1 - É Poesia Popular, da Cia. Forrobo- dó na Praça Mello Peixoto 2 - Um Dia Ouvi a Lua - Teatro Municipal Miguel Cury 3 - Café Quente em Noite Fria do grupo Caos & Acaso 4 - Palhaços, do dramaturgo Timotchenko Whebi 5 - Oficina de Capacitação em Teatro do Oprimido 6 - Rosa de Cabriúna 5 6 3
  4. 4. MúsicaFestival de Música trouxe Hermeto e Dominguinhos numa homenagem ao nordeste A alegria da música e cultura nordes- “os sons do Brasil” trouxe a diversidade O público lotou o Teatro Municipal show de Dominguinhos na aberturatinas fizeram a diferença na edição des- cultural para os palcos do Teatro, bares, todos os dias, apreciando espetáculos revelou a importância do Festival, e ate ano do Festival de Música. Alunos e Centro de Convivência e igrejas espa- inéditos como o show “Erudito ou Po- exposição Casa de Exu, montada no sa-professores debruçaram-se sobre a ri- lhadas pelos bairros da cidade. Os 42 pular?”, com a presença marcante do guão do Teatro, recebeu elogios doca cultura nordestina, o que resultou cursos oferecidos também mostraram compositor Edmundo Villani-Cortes e compositor de De volta pro aconchego.em trabalhos com xilogravura, cordel e a marca da atuação da Secretaria de as experimentações de Hermeto Pas- A edição 2011 do Festival de Músicaaté atividades culinárias. Quando che- Cultura durante o ano de 2011, e o que coal e banda. Maurício Carrilho, Cristó- de Ourinhos foi novamente chance degou o mês de julho e com ele o XI Festi- se viu foi um encontro de sons produ- vão Bastos, Lulinha Alencar, Glauber convivência, onde público e músicos vi-val de Música de Ourinhos, a música de zidos por músicos que se dedicam à Seixas, Ricardo Herz e Antonio Rocha sitantes desfrutaram do prazer de estarLuiz Gonzaga, homenageado nessa edi- música erudita, regional e outros gêne- mostraram choros de Luiz Gonzaga, em juntos. E muito mais: Oportunidade deção do evento e considerado “rei do ros. Dois representantes da cultura um raro encontro; e o show com a Big estudo, pesquisa, troca de conheci-Baião”, já tinha sido ouvida por milha- nordestina trouxeram a arte dos embo- Band “Américo de Carvalho” provou o mentos e experiências. A edição 2012res de estudantes em toda a cidade. ladores e repentistas, em flagrantes pe- talento dos músicos ourinhenses. Nu- do evento já tem data marcada: De 15 a A proposta de trazer para o Festival las ruas da cidade. ma semana de muitas emoções, o 22 de julho. Milhares de pessoas acompanharam o show de Dominguinhos na abertura do XI Festival de Música no Centro de Convivência Jorn. Benedicto da Silva Eloy A procura pelo show de Hermeto Pascoal forçou o músico a realizar duas A apresentação da Big Band Américo de Carvalho, comandada pelo maestro apresentações no mesmo dia no Teatro Municipal Miguel Cury Wilson Pereira, mostrou o talento dos músicos ourinhenses 4
  5. 5. LiteraturaA(o)gosto das Letras na rota dos festivais de literatura do país Uma programação diversificada queteve a literatura como foco. Escritoresconversando com os leitores, oficinas,lançamentos de livros, shows e exposi-ções. Foi assim o 3º A(o)gosto das Le-tras, evento literário realizado pela Se-cretaria Municipal de Cultura em par-ceria com a Associação de Amigos daBiblioteca Pública. Em encontros descontraídos, autorescomo Marcelino Freire, Xico Sá, MárioBortolotto, Jefferson Del Rios, Louren-ço Mutarelli e Mona Dorf falaram sobreo ofício da escrita, a importância dosfestivais literários, a relação da literatu-ra com outras artes. Para Marco AurélioGomes e Neusa Fleury, curadores doevento, “esses encontros foram impor-tantes por reunirem escritores quepossuem uma obra relevante, e estãodispostos a compartilhar suas experi-ências com os leitores”. Autores como César Obeid, Valdeck Literário. Espetáculo Música Para Ninar Dinossauros da Cia. Cemitério de Automóveisde Garanhuns e Melina Anthis coorde- Recentemente a equipe do A(o)gostonaram oficinas. Presente em todas as participou da Balada Literária, eventoedições, a culinária associada à litera- organizado por Marcelino Freire emtura foi trabalhada na oficina coorde- São Paulo. Em debate realizado na Li-nada pelo professor Fernando Noguei- vraria da Vila com os organizadores dosra. Alzira E., Elisa Lucinda e Guca Do- principiais festivais do país, Marcelinomenico, realizaram shows e recitais. destacou a importância de projetos co-Como autora ourinhense homenagea- mo o A(o)gosto das Letras. Em breve,da, Zélia Correa Guardiano lançou Poe- será anunciado o nome do autor home-sia combina com tudo, durante o Sarau nageado na próxima edição. Durante o A(o)gosto das Letrinhas, as crianças puderam acompanhar a apresentação do escritor Valdeck de Garanhuns, que aproveitou para lançar seu novo livro Elisa Lucinda realizou recital poético no Teatro Municipal Miguel Cury Xico Sá Marcelino Freire Lourenço Mutarelli Mona Dorf Mário Bortolotto 5
  6. 6. VivOurinhosEdital de fomento democratiza o processo cultural na cidade Desde o ano passado que a Prefeitura mento. “Vamos lançar propostas dirigi-de Ourinhos, através da Secretaria de das às áreas onde existe mais carência,Cultura, apresenta o Edital de Fomento principalmente às relacionadas comà Cultura, premiando projetos que se- atividades literárias e museológicas”,rão executados durante o ano. Este ano informa a secretária de Cultura, Neusaforam selecionados 10 projetos, entre Fleury, destacando que o Edital de Fo-os que propunham a realização de ofi- mento será lançado mais cedo o anocinas criativas e de produção cultural. que vem, provavelmente até o final deAs oficinas aconteceram no segundo março.semestre, atendendo a interessados naformação em audiovisual, cartoon, tea- Eleição de 1988 em Ourinhos étro, grafite e música. Os projetos de tema de filmeprodução cultural resultaram em um Numa época em que os assuntos liga-filme, um livro, uma revista e shows de dos à política em todo o país são re-samba que aconteceram em bares da cheados por escândalos, o que leva ascidade. pessoas a evitar envolvimento e con- Num passado não muito distante os versas sobre o assunto, um documen-artistas precisavam tentar a sorte para tário vai contar como foram as eleiçõesrealizar um projeto cultural. Era co- de 1988 em Ourinhos. O projeto foimum ter que justificar inúmeras vezes premiado pelo Edital de Fomento, ea importância e os benefícios da pro- apresentado pelo jornalista Rafael Lef-posta, e não raro percorria-se cami- cadito, que trabalhou o arquivo audio- Cena do documentário Eleições de 1988 dirigido por Rafael Lefcaditonhos tortuosos para conseguir colocar visual de Luiz Carlos Seixas, autor do ar- tido de documentação histórica e de existiam ideais e os partidos eram maisuma ideia em prática. As dificuldades gumento do filme. Segundo Rafael, o imparcialidade do projeto facilitou nos- ideológicos. O marketing político eraincluiam posturas de bajulação ou fa- filme é um retrato da política da década sa aproximação com os personagens obviamente mais rudimentar, as cam-vorecimentos políticos. Ainda bem que de 80 em Ourinhos, no século passado. que vivenciaram a eleição de 1988 e panhas eram feitas por amadores, deas coisas mudaram para melhor, e o “A proposta é mostrar como se faziam isso ajudou a execução do filme”. forma improvisada e bastante criativa.processo para realização de projetos campanhas políticas naquela época, e Para a secretária de Cultura, Neusa Não havia a figura do marqueteiro queculturais passou a ser mais democráti- ao mesmo tempo revelar peculiari- Fleury, a realização de projetos como se tem hoje. Os comícios eram feitosco, priorizando a inovação, a pertinên- dades da política ourinhense, com o este é importante pois estimula a re- em cima de caminhões, com ilumina-cia e a seriedade da proposta. auxílio de depoimentos de persona- flexão sobre os acontecimentos políti- ção e som precários. Hoje o volume de Dentre os projetos apresentados pa- gens daquela eleição. As imagens da cos na cidade nas últimas décadas. “É recursos financeiros utilizados em umara o Edital em 2011, chamou a atenção época mostram um pouco como era a preciso conhecer esse passado tão re- campanha é muito maior, com um gas-o número de propostas na área de mú- cidade há 23 anos. E mostram que o cente, analisar e conversar sobre as- to imenso em propaganda e marketing,sica e preservação histórica. Apesar de modo de se fazer política mudou muito suntos ligados à política”, destaca, afir- coisa que naquela época não existia.haver cursos públicos e gratuitos de de lá para cá.” mando que “informações e questiona- Em suma, mudou muito”.dança na cidade há mais quinze anos, Além do aproveitamento do material mentos sobre fatos relacionados à vida O filme “Ourinhos de 1988” será lan-em 2011 nenhum projeto foi apresen- gravado em vídeo, recortes de jornais e da cidade ajudam a compor a identi- çado no dia 15, no Pub 747 - Restau-tado para essa área. fotos, foram realizadas várias entrevis- dade ourinhense”. rante Alfaiate, às 21h, com entrada Para o ano de 2012, a Secretaria pro- tas com pessoas que participaram da- Segundo os proponentes, “A política franca. A partir do dia 20, uma cópia dopõe algumas alterações no Edital de Fo- quele evento. Segundo Seixas, “O sen- daquela época era mais romântica, filme estará disponível na Casinha da Esquina para quem quiser assistir. Professor registra memória da cidade em suas crônicas O projeto Ourz, coordenado por Conrado Zanotto, promoveu diversas Capa do livro de intervenções Euclides Rossignoli artísticas em espaços da A exemplo do ano passado, quando cidade foi lançado o livro História e Devoção, de Maurício Aquino, o Edital de Fomen- to à Cultura também viabilizou em 2011 a publicação de um livro. Trata-se da coletânea de crônicas do professor 6
  7. 7. Euclides Rossignoli. Ourinhos: Histó-rias e Memórias traz crônicas publica-das no Jornal Debate, e narra, em lin-guagem simples, bem humorada e con-cisa, histórias relativas a personagenscom presença marcante no passado dacidade, muitas das quais se perderiamsem um registro escrito. Segundo Marco Aurélio Gomes, queintegrou a Comissão de Seleção de Pro-jetos do Edital de Fomento, as publica-ções que tratam da memória da cidadeservem como fonte de pesquisa. “Osmais jovens descobrem na leitura umacidade que não conheceram, e outrosverão sua época retratada na lingua-gem escrita, condição que auxilia napreservação da memória”, destaca. Muitas das crônicas publicadas re-metem ao universo da ferrovia, já que oautor é filho de ferroviário e o Pátio daRede foi lugar de brincadeiras de infân- O projeto Samba e Botequim mostrou repertório de samba destacando a história do gênero e sua evoluçãocia. Euclides explica a importância daferrovia para a cidade: “Pelo volume damão de obra que ocupavam, elas erammuito importantes para o comércio lo-cal e para a vida da cidade em geral. AVila Margarida, por exemplo, deve mui-to às duas ferrovias. Acho que as ferro-vias foram, para a Vila Margarida, o queas olarias foram para a Vila Odilon”. “ Vamos lançar propostas dirigidas às áreas onde existe mais carência, principalmente “ às relacionadas com atividades literárias e museológicas O cartunista Jessé Ribeiro coordena oficina de cartoons Alunos da EMEF Salem Abujamra participam de Neusa Fleury, na Biblioteca Municipal Tristão de Athayde atividade do projeto Batucada Brazuca secretária de Cultura to ou o questionamento da linguagem prazer e criatividade. “Neste semestre se Rosângela Ampudia, que chegou ao e sua leitura. Diante da importância da convidei o músico Marlon Mendes para grupo atraída pela temática do cancio-OURZ- Nome esquisito revela imagem no mundo que estamos viven- integrar o projeto. Além da percussão, neiro nordestino. “Morei um tempoprojeto inovador do, tornou-se necessário insinuar uma ele contribui com seu conhecimento em Campinas e participei de um grupo Um dos objetivos do projeto apre- crítica da imagem”. sobre as danças populares do Brasil, co- de danças populares criado pela fol-sentado por Conrado Zanotto (OURz) Para o encerramento do projeto, mo o coco e as cirandas. Por isso, além clorista Raquel Trindade, na Unicamp.ao Edital de Fomento era “causar im- Conrado realiza a exposição Projeto de cantarmos as músicas dos composi- Praticávamos muito o samba de roda,pacto e oferecer interatividade com os OURz, com curadoria do proponente, tores nordestinos, também dançamos maracatu, sambas rurais paulistas e otranseuntes, sem distinção de idade, que estará aberta a visitação no pe- e nos divertimos muito na oficina”, co- coco. Por isso fiquei bastante interessa-sexo e/ou nacionalidade”. Não resta ríodo de 03 a 23 de dezembro, no Es- menta o violonista Toninho. da em participar e a parte das dançasdúvida que o artista conseguiu. Seus paço Pangea, Av. Horácio Soares, 829. Uma das participantes é a ourinhen- foi a que mais me atraiu”, revela.grafites, espalhados pela cidade, atra-em pelas cores vibrantes e formas não Oficina da canção músicas econvencionais. Esse movimento de ar- danças nordestinaste contemporânea compõe a chamada Um passeio pelas veredas musicaisStreet Art ou Arte de Rua, expressão do nordeste, esse foi o tema do segun-artística com características essencial- do módulo da Oficina da Canção coor-mente urbanas. denada pelo músico Toninho Breves Além dos painéis pintados nos muros que aconteceu na Biblioteca Municipaldas principais avenidas da cidade, o Clarice Lispector.projeto também ofereceu oficinas e pa- Em clima de celebração e alegria, alestras, tendo como temas a arte con- atividade proporcionou espaço para otemporânea e o grafitti. Segundo Con- cidadão comum cantar, dançar e tocarrado, “O belo contemporâneo não bus- instrumentos percussivos sem com-ca mais o novo. Propõe o estranhamen- promisso profissional, mas com muito Oficina Mosaico de Histórias na Biblioteca Ramal Clarice Lispector 7
  8. 8. CinemaFestival de curtas-metragens: uma homenagem à diversidade Como já era esperado, o 7º Curta Ou- premiação em dinheiro e o troféu Gatorinhos recebeu inscrições de filmes Preto, criado pelo artista plástico ouri-produzidos nas mais distantes regiões nhense Eiji Yokoiama.do país. O tema ‘cinema é diversidade’ Após a exibição de mais de 50 filmesatraiu realizadores do Ceará, de Per- em sessões no Teatro Municipal, em es-nambuco, de Minas Gerais, do Rio de colas, praças e associações de morado-Janeiro, do Paraná e de vários outros res, o 7º Curta Ourinhos premiou osestados. “Essa participação é impor- melhores filmes escolhidos pelo júritante, já que o público tem a oportuni- popular e pelo júri oficial. Como me-dade de conhecer o que vem sendo lhor filme da Mostra Principal o públicoproduzido na área do audiovisual no escolheu o curta Bingo, da diretora Jés-Brasil”, explica Rogério Singolani, presi- sica Lopes, de Santos. Na categoria me-dente da Associação de Amigos da Bi- lhor filme da Mostra Curta Ourinhos,blioteca Pública, realizadora do evento foi escolhido O enigma da floresta, doao lado da Secretaria de Cultura. diretor Alex Sampaio. Ainda segundo Mantendo a proposta de oferecer avaliação do público, o curta Memóriasuma programação descentralizada, o de meu tio, de Alexandre Rafael GarciaCurta Ourinhos incluiu em sua progra- e Álvaro Zeini Cruz, de Curitiba, foi omação exibições em escolas, universi- melhor filme da Mostra Infantil.dades, praças e associações de mora- Já para o júri oficial, o melhor filme dadores. Mostra Infantil foi Cores e botas, de Além do júri popular, espaço aberto Juliana Vicente, de São Paulo. Na cate- As crianças também votaram para eleger o melhor filme da Mostra Infantilpara o público expressar a sua opinião goria Produção Local, venceu o filmesobre os filmes exibidos, o Curta Ou- Papéis trocados, de Isabela Cavezali. Narinhos contou também com uma co- categoria melhor filme da Mostra Prin-missão julgadora composta pelos cine- cipal, foi escolhido o filme Tempo de cri-astas Rodrigo Grota e Andrea Tonacci, e ança, de Wagner Novaes, do Rio de Ja-pela professora e diretora de arte Caro- neiro.lina Moura. Os vencedores receberam A Mostra Curta no Bairro foi realizada em praças e associações de moradores Durante o almoço, os frequentadores do Restaurante Tempero Mineiro O público premiou os melhores filmes em três categorias acompanharam diversos filmes inscritos no 7º Curta Ourinhos 8
  9. 9. DançaProgramação do 6º Dança Ourinhos também privilegiou diversidade de estilos No mês de novembro aconteceu asexta edição do Dança Ourinhos, queteve como convidadas a Cia. Brasileirade Ballet do Rio de Janeiro (RJ) e a CisneNegro Cia. de Dança (SP), além doBallet da Cidade de Taubaté (SP) e daCompanhia Nacional de Danças Folcló-ricas da Bielo-Rússia. Apresentaram-setambém no Teatro a Cia. de Dança Ou-rinhos, a Escola Municipal de Bailadode Ourinhos, Anjos do Hip-Hop, o gru-po Os Guardiões e participantes de ou-tras cidades. Nos seis dias do Dança Ourinhos,cerca de mil bailarinos passaram pelospalcos ourinhenses e pelas dependên-cias do Ginásio de Esportes José MariaPaschoalick, o “Monstrinho”. Uma mistura de ritmos e estilos foi amarca dessa mostra. A edição desteano trouxe profissionais das modalida-des clássico, contemporâneo, jazz edanças urbanas, que além de apresen-tações ofereceram workshops realiza-dos no Centro Cultural Tom Jobim. A Cia. de Dança de Ourinhos se apresenta no palco do Teatro Municipal Miguel Cury O Dança Ourinhos é um evento rea-lizado desde 2006 pela Prefeitura Mu-nicipal e Secretaria Municipal de Cul-tura, através da APAB - Associação dePais e Amigos da Escola Municipal deBailado, com o objetivo de contribuirpara formação do artista e do público,onde a dança é vista como manifes-tação da beleza através do sentir eolhar. Na sua sexta edição, o Dança Ou- Diversas oficinasrinhos contou com a participação de acontecerambailarinos, coreógrafos e professores durante o 6ºdas cidades de Ourinhos, Assis, Ipaus- Dança Ourinhossu, Salto Grande, Marília, Pompéia, no Centro CulturalCerquilho, Santa Cruz do Rio Pardo, Tom Jobim,Presidente Prudente, Bastos, Martinó- reunindopolis, Bauru, Osasco, Paulínia, Ribeirão bailarinos dePires, Jaú, Campinas, Rio de Janeiro, toda a regiãoGarça, Curitiba, São Paulo e Jundiaí. O público lotou o Ginásio de Esportes Monstrinho para acompanhar as apresentaçõs Cia. de Danças Folclóricas da Bielo-Rússia no Monstrinho 9
  10. 10. Cinema no BairroCinema com pipoca em diversos bairros da cidade Um dos mais antigos projetos da Se-cretaria Municipal de Cultura, o Cine-ma no Bairro, continua levando cinemae diversão à população de todos os can-tos da cidade. Todos os meses os mo-radores, adultos e crianças, se reúnemem praças e associações de moradorespara acompanhar filmes nacionais. Em 2011, bairros como Jardim Indus-trial, Conjunto Helena Vendramini, VilaOdilon, Vila Brasil e Jardim Itajubi rece-beram o projeto. O menino da porteira,refilmagem de um sucesso de bilhete-ria exibido na década de 70 e o infantil‘Eu e meu guarda-chuva’ foram algunsdos filmes oferecidos. Em outubro, o Cinema no Bairro setransformou em Curta no Bairro, umadas mostras paralelas do 7º Festival deCurtas-Metragens, que reuniu algunsdos principais filmes inscritos no even-to. “A população recebe muito bem oprojeto, alterando seu cotidiano parase encontrar e acompanhar uma ativi-dade cultural”, observa João Vitor Mi-gliari, um dos coordenadores do pro-jeto. Diversos bairros da cidade receberam o projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura há vários anos Ourinhos conquista mais uma unidade do Acessa SP Programação artística constante forma Já no início de 2012, Ourinhos conta- Margarida. O local já é frequentado por público em todas as linguagens rá com mais uma unidade do Acessa SP, programa de inclusão digital do Gover- jovens e adolescentes que utilizam os serviços da Biblioteca e a instalação do no do Estado de São Paulo, coordenado Acessa SP vai atender também a popu- pela Secretaria de Gestão Pública, em lação dos bairros mais próximos. Se- parceria com a Prefeitura Municipal. O gundo Neusa Fleury, secretária de Cul- programa oferece a população o aces- tura, “a inclusão digital proporcionada so gratuito a internet. Ourinhos conta pelo programa é fundamental para ga- com uma unidade desde 2002, loca- rantir o direito de todos à informação”. lizada no Centro de Convivência Jorna- A Biblioteca Ramal Clarice Lispector lista Benedicto da Silva Eloy. fica na Rua Doze de Outubro, 357. Os A nova unidade, que contará com dez interessados deverão realizar um ca- computadores, será instalada na Bi- dastro assim que a nova unidade esti- blioteca Ramal Clarice Lispector, na Vila ver em funcionamento. Além dos festivais que movimen- do pelo Governo do Estado de São tam a cultura durante todo o ano, o Paulo através da Coordenação de Fo- Teatro Municipal Miguel Cury rece- mento da Secretaria de Cultura. beu atividades artísticas variadas, co- Passaram por aqui os músicos do mo as apresentações do projeto Cir- grupo Barbatuques de percussão cor- cuito Cultural Paulista ou ainda, pro- poral, o trio de música popular Choro duções apoiadas pelas mais diversas das Três, a peça A Curandeira, com leis de incentivo, como o PROAC, Pro- Adriana Fortes e recentemente o gru- grama de Ação Cultural da Secretaria po Cumieira de música instrumental. de Estado da Cultura de São Paulo. Com uma agenda constante de ativi- Vila Tarsila, montagem de dança so- dades e espetáculos de qualidade, o bre a vida da artista Tarsila do Amaral, Teatro Municipal Miguel Cury está encerrou a programação 2011 do Cir- formando público em todas as lingua- cuito Cultural Paulista em Ourinhos. gens artísticas e proporcionando o Um destaque na agenda do mês de acesso de toda a população a mon- junho no teatro foi a apresentação da tagens diferenciadas, que proporcio- ópera Carmen, um espetáculo da sé- nam reflexão e diversão para todas as rie Ópera Contada e Cantada realiza- idades. A nova unidade do Acessa SP será instalada na Biblioteca Ramal Clarice Lispector 10
  11. 11. TombamentoCasa dos ingleses agora pertence à Prefeitura Municipal Na década de 1940 a paisagem urba-na da cidade foi transformada com aconstrução de seis casarões localizadosna avenida Rodrigues Alves. Essas casasformaram um conjunto arquitetônicocom influência inglesa, já que foramconstruídas para servir de moradia pa-ra os engenheiros ingleses que vierampara a cidade na época da construçãoda ferrovia São Paulo-Paraná. O conjunto foi sendo gradativamen-te descaracterizado, porém, em 2008, aComissão Municipal de Preservação doPatrimônio Histórico deu início ao pro-cesso de tombamento de duas das ca-sas, e a Prefeitura solicitou à Superin-tendência do Patrimônio da União adoação dos imóveis para o município. Oprocesso foi concluído no mês de de-zembro, e finalmente foi efetivada adoação da casa de número 170, que de-pois de restaurada deverá servir comosede da Secretaria Municipal de Cultu-ra. As casas que estão sendo doadas sãoimportantes para a história da cidade,que tem seu crescimento vinculado àexpansão da ferrovia. Durante décadaso escoamento da produção agrícola e otransporte de cargas fez de Ourinhos viária, marcada pela arquitetura dos ra a Prefeitura Municipal de Ourinhos Acima, planta de uma das Casas dosum importante entroncamento, o que imóveis é uma forma de preservação são consideradas raridades, numa pai- Ingleses, tombada como patrimônioimpulsionou a economia e a vida social da história e da cultura ourinhenses. sagem ferroviária quase em extinção. histórico, e que será ocupada pelada cidade. Preservar a paisagem ferro- As duas casas dos ingleses doadas pa- Secretaria Municipal de Cultura CULTURA NA REDEAABiP conquista prêmio paramodernizar o Museu Municipal curtaourinhos.blogspot.com FACEBOOK O Ministério da Cultura divulgou re- facebook.com/people/centemente a premiação do projeto VivOurinhos-Cultura‘Ourinhos: memória em movimento’,inscrito pela Associação de Amigos daBiblioteca Pública no Edital de Moder- TWITTERnização de Museus, lançado pelo Insti- twitter.com/vivourinhostuto Brasileiro de Museus. “Além de prever a digitalização de ORKUTtodo acervo de jornais antigos do Mu- VivOurinhos Culturaseu, o projeto vai proporcionar tam-bém uma revitalização de seu espaçofísico e a implementação de ações edu-cativas”, explica o professor RogérioSingolani, presidente da AABiP. O Museu Municipal possui atualmen- SECRETARIA MUNICIPALte uma coleção de jornais que circula- DE CULTURAram na cidade e na região desde as pri-meiras décadas do século passado, to- NOVO ENDEREÇOtalizando mais de 16 mil páginas queserão digitalizadas e disponibilizadas As coleções de jornais antigos do acervo do Museu serão digitalizadas Rua Dom Pedro I, 394ao público através de software desen- Centro - Ourinhos/SPvolvido especificamente para gerencia- oportunidade de transformar o museu visam aproximar a população de ummento de museus. Para a secretária de de Ourinhos num espaço mais dinâ- importante espaço público, voltado à Tel: 14 3302-3344Cultura, Neusa Fleury, “esta será a mico, com uma agenda de ações que preservação da memória”. 11
  12. 12. equipamentos oficinas culturais permanentes culturais agenda cultural ACESSA SÃO PAULO I - ESPAÇO CULTURAL ALTERNATIVO Rua Paulo Sá, 210 - 14 3326.5095 Centro de Convivência Jornalista Dança de Salão dezembro.2011 Benedicto da Silva Eloy - 3335.1966 Profª Mara Malaquias 2a e 4a - 19h30 às 20h15 / 20h15 às 21h BIBLIOTECA CLARICE LISPECTOR Rua 12 de Outubro, 357 - Vila Educação para o Movimento Margarida - 14 3326.8582 Profª Mara Malaquias - Grupo do CAPS08 Auto de natal Anjos, Humanos e Lunáticos 16 Espetáculo de dança com alunos da 4a - 09h15 às 10h Teatro de Tábuas Escola Municipal de Bailado BIBLIOTECA TRISTÃO DE ATHAYDE 20h30 - Centro de Convivência Rua São Paulo, 149 - Centro Teatro 20h30 - Praça Mello Peixoto 14 3326.4458 Profº Leandro Faria 5a - 19h / Sábado - 14h às 18h (turma antiga) Flicts, colorindo a imaginação Apresentação de alunos do Projeto Guri CASINHA DA ESQUINA Escola Municipal de Bailado 20h30 - Teatro Municipal “Miguel Cury” Centro de Convivência Jornalista Dança Criativa Benedicto da Silva Eloy - 3326.3254 Profª Fátima Barbosa 19 e 21h - Teatro Municipal Miguel Cury 2a e 4a - 18h às 19h CASINHA DA MEMÓRIA 17 Batucada Brazuka Centro de Convivência Jornalista Dança Contemporânea09 Exposição “Leitura da cidade” Benedicto da Silva Eloy - 3324.6244 Profª Fátima Barbosa - 14 anos - 20 vagas Cortejo de encerramento do projeto contempla- 2a e 4a - 16h às 18h e encerramento do Ponto “Para Ler o Mundo” do pelo Edital de Fomento à cultura, coordenado CENTRO CULTURAL TOM JOBIM 20h - Biblioteca Tristão de Athayde por Agnaldo Burgo Junior. Rua 13 de Maio - Vila Perino Dança do Ventre 16h - Bar do Juarez - Jardim Ouro Verde 14 3302.1800 Profª Solange Rocha Flicts, colorindo a imaginação 3a e 6a -19h às 20h30 Samba & Botequim ESCOLA MUNICIPAL DE MÚSICA Escola Municipal de Bailado Centro Cultural Tom Jobim Oficina de Curta Metragem 19 e 21h - Teatro Municipal Miguel Cury Encerramento do projeto contemplado pelo 14 3302.1802 Profº Alex Sampaio Lima Edital de Fomento à cultura, coordenado por 3a e 5a -14h30 às 16h30 Roda de coco e ciranda Andro Gustavo Baldan Ribas ESCOLA MUNICIPAL DE BAILADO 17h - Bar do Juarez - Jardim Ouro Verde Centro Cultural Tom Jobim II - BIBLIOTECA TRISTÃO DE ATHAYDE Com integrantes da Oficina da Canção 14 3302.1808 Rua São Paulo, 149 - 3326.4458 21h - Calçadão da Rua Paraná “O médico à força”, de Moliére ESPAÇO CULTURAL ALTERNATIVO Desenho Artístico Com integrantes da Oficina de Teatro, coorde- Rua Paulo Sá, 210 - Centro Profª Solange Rocha 2a - 18h às 20h10 Brincando de chorinho nada por Leandro Faria 14 3326.5095 20h30 - Teatro Municipal Miguel Cury Escola Municipal de Bailado MUSEU MUNICIPAL Oficina Para Ler o Mundo 21h - Teatro Municipal Miguel Cury Centro de Convivência Jornalista Profª Lídia Benitez Benedicto da Silva Eloy - 3324.6244 2a e 4a - 14h às 16h30 / 3a e 5a -14h às 16h30 18 Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí NÚCLEO DE ARTE POPULAR Redação e Interpretação de Textos11 Divertissement Centro de Convivência Jornalista Profº Roberto Ruiz - 17 anos - 20 vagas Escola Municipal de Bailado Entrada Franca Benedicto da Silva Eloy 5a - 16h às 17h30 21h - Teatro Municipal Miguel Cury 11h - Teatro Municipal Miguel Cury PONTO PARA LER O MUNDO Contação de Histórias Apresentação da Orquestra e Cantata Biblioteca Tristão de Athayde Profª Solange Rocha da Catedral 14 3326.4458 3a - 15h12 Um passeio pelas veredas do nordeste Encerramento da Oficina da Canção. Projeto 20h - Catedral Senhor Bom Jesus TEATRO MUNICIPAL MIGUEL CURY Oficina Formativa Para Ler o Mundo Rua 09 de Julho, 496 - Centro Para oficineiros e arte-educadores premiado pelo Edital de Fomento à Cultura, “Barbosinha Futebó Crubi - uma história 6a - 9h30 14 3302.1400 coordenado por Toninho Breves. de Adoniran” 21h - Restaurante Al Faiati - Pub 747 Oficina de Cartuns e Quadrinhos Espetáculo de César Vieira, com integrantes da Profº Jessé Ribeiro Oficina de Teatro coordenada por Leandro Faria 2ª, 4ª e 6ª - 18h30 às 20h13 Cerimônia em gratidão aos pioneiros da cidade 20h30 - Teatro Municipal Miguel Cury Entrada franca EXPOSIÇÕES III - BIBLIOTECA CLARICE LISPECTOR Rua 12 de outubro, 357 - 3326-8582 20h – Sede da Seicho-No-Ie do Brasil OURz Ginástica Concerto de aniversário da cidade 19 Grupo de Repertório Curadoria: Conrado Zanotto Profª Mara Malaquias Vencedor do Edital de 2a e 4a - 08h15 às 09h Banda Sinfônica Jovem do Conservatório de Show com alunos da Escola Municipal 3a e 5a - 18h45 às 19h30 de Música Fomento à Cultura Tatuí, regência do maestro José Antônio Pereira 20h30 - Praça Mello Peixoto 20h30 - Praça Mello Peixoto de 03 a 23 Contação de Histórias Espaço Pangea Profª Solange Rocha 5a - 14h (com agendamento) Av. Horácio Soares, 82914 Espetáculo de dança com alunos da “Quanto custa o ferro” Oficina da Canção Escola Municipal de Bailado Espetáculo de Bertolt Brecht, com Grupo Soarte, Leitura da cidade Profº Toninho Breves (9606-1415) e lançamento da revista “Maioridade Soarte”, 4a - 19h 20h30 - Praça Mello Peixoto Fotografias produzidas por projeto aprovado pelo Edital de Fomento à Cultura. alunos do Ponto de Cultura Oficina Mosaico de Histórias Espetáculo “Cantata olhos d’agua” Para Ler o Mundo. Profª Paula Ibañes 20h30 - Teatro Municipal Miguel Cury 2a - 16h às 19h Com integrantes dos corais infantil, juvenil e Entrada franca Biblioteca Municipal Tristão adulto da Escola Municipal de Música, sob de Athayde IV - CRAS I - Vila São Luiz direção da prof. Cristiane Oliveira Anazário 20h30 - Teatro Municipal Miguel Cury 20 Big Band “Américo de Carvalho” Fanfarra e Musicalização Casa de Exu Profº Fernando Oliveira 20h30 - Praça Mello Peixoto Instalação em homenagem 30 vagas 2a e 3a - 8h às 10h30 / 14h às 16h3015 Espetáculo de dança com alunos da a Luiz Gonzaga Escola Municipal de Bailado 21 Show com Zé Roberto e Banda Biblioteca Ramal Clarice V - CRAS II - Vila Brasil 20h30 - Praça Mello Peixoto Sertanejo Universitário Lispector Violão e Coral Profº Marcos Payão 20h30 - Praça Mello Peixoto a 2 - 13h às 18h Apresentação de grupos da Escola Cartoons 5a - 08h às 13h Municipal de Música Trabalhos dos alunos da 22 Show com Banda Matatá Capoeira Direção do prof. Eduardo Marinho Bueno Oficina de cartoon, coorde- 20h30 - Teatro Municipal Miguel Cury Rock nada por Jessé Ribeiro, Profº Ronaldo Borges 20h30 - Praça Mello Peixoto 2a - 08h às 11h / 13h às 17h vencedor do Edital de Fo- Exibição do curta-metragem “Um terço” mento à Cultura. Circo Lançamento do filme “Eleições de 1988” 22 Show com Borogodó do Samba Biblioteca Ramal Clarice Profº Ronaldo Borges 5a - 08h às 11h / 13h às 17h Curta realizado por alunos da Oficina Imagem e Encerramento da Campanha “Sua compra Lispector Ativa, coordenada por Alex Sampaio e filme, de vale prêmios”, da Associação Comercial e VI - CRAS III - Vila Musa Rafael Lefcadito, projetos premiados pelo Empresarial de Ourinhos - ACE A praça é o coração Violão Edital de Fomento à Cultura 20h30 - Praça Mello Peixoto Profº Tiago Endrigo 20h30 - Restaurante Al faiati - Pub 747 do povo 2a - 14h às 16h30 / 4a - 08h30 às 11h Praça Mello Peixoto 5a - 08h30 às 11h / 14h às 16h3012

×