• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Documento global - plano de ação da BE, descomplicar as TIC, relatório coordenadora BE
 

Documento global - plano de ação da BE, descomplicar as TIC, relatório coordenadora BE

on

  • 508 views

 

Statistics

Views

Total Views
508
Views on SlideShare
508
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Documento global - plano de ação da BE, descomplicar as TIC, relatório coordenadora BE Documento global - plano de ação da BE, descomplicar as TIC, relatório coordenadora BE Document Transcript

    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL 1
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALPLANO DE ACÇÃO para 2009/2013 O Plano de Acção é o documento orientador da actividade da Biblioteca Escolar ao longo de um cicloformado pelos anos lectivos entre 2009/2013, que atende ao Projecto Educativo do Agrupamento e às suas metasdefinidas conciliando-as com a RBE. O presente plano poderá ser reformulado após cada avaliação anual com vista a ser enriquecido comsucessivas melhorias. 1. DIAGNÓSTICO: O diagnóstico apresentado não foi fundamentado num processo de avaliação formal à semelhança do modeloque se inicia no presente ano lectivo, mas sim através de outros processos mais rudimentares mas relevantes,verificados pela equipa BE do ano lectivo anterior. Instrumentos utilizados:1 - Índices de utilização e requisição.2 – Questionário de avaliação da estafeta da leitura (pré-escolar, 1º, 2º e 3º ciclos)3 – Registo de opiniões (docentes, alunos e encarregados de educação) – Semana da leitura, Dia da BibliotecaEscolar, Halloween, Blog.4 - Inquéritos distribuídos a meio do ano lectivo a docentes e educadores.5 – Questionário simplificado distribuído no final do ano a todos os departamentos.6 – Sugestões dos utilizadores7 - Observação da equipa de docentes8 – Relatórios trimestrais de cada membro da equipa de trabalho da Biblioteca Escolar (14 docentes)9 – Relatório da coordenadora da BE10 – Questionário on line da RBE 2
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL Pontos fracos Pontos fortesParte do fundo documental do Pré-escolar e 1º ciclo, é O agrupamento ganhou por duas vezes o concurso Ler +desconhecido e encontra-se disperso pelas escolas do (Continente), possuindo assim dois grupos de livros PNLagrupamento actualizados, adequados a apoiar a leitura orientada na sala de aula. (1º e 2º ciclo)Colecção não se encontra catalogada na totalidade Apesar de ainda não estarem todos catalogados, e haver carências documentais, considera-se que existe um número considerável de documentos que permite a leitura lúdica e o apoio à aprendizagem em quase todas as áreasCarência de informação para apoio a alguns projectos Duas auxiliares tendo uma, formação em catalogaçãoCarência de obras PNL para leitura orientada na sala de aula A equipa consegue organizar actividades com interesse parapara o 1º e 3º ciclo os utilizadoresInexistência de um projecto de leitura do 3º ciclo para Apoios PNLcandidatura do PNLPouco oferta de BDs Auditório anexoMuitos documentos com necessidades de abate, restauro e Índices de utilização elevadossubstituiçãoCatálogo não se encontra em rede O espaço físico da Biblioteca da escola sede é atractivo, espaçoso e permite realizar diversas actividades em simultâneo;Politica de colecção ainda não aprovada Divulgação da informação - Blog, página digital, email, boletim informativo, jornal escolar bem estruturados em actualização constante;Programa Pró-Base desactualizado, todas as contagens de Itinerâncias organizadas em todos os níveis de ensinoutilização fazem-se manualmenteBiblioteca (espaço físico) do 1º ciclo ainda inexistente Alguma facilidade em realizar articulação com alguns departamentosEscolas dispersas (1º ciclo) Equipa dinâmica com algumas aptidões para utilização das TICCarências de formação na equipa Direcção Executiva colaboranteFormação do utilizador insuficiente – aluno e professor Horário coincidente com o escolarPoucos encarregados de educação envolvidos nas actividades Pequena colecção destinada a adultosPoucas parcerias Abertura da biblioteca do 1º ciclo durante o presente ano lectivoTrabalho colaborativo com outras bibliotecas escolares Coordenadora BE é activa e possui uma boa relação com ainexistente maioria dos docentes, alunos e auxiliaresDesconhecimento de verba a gerir para aquisição documental Dois espaços WEB disponíveisPassividade e indiferença de alguns docentes perante a Experiência de articulação com o Departamento de Línguasbiblioteca, pois ainda a entendem de forma tradicionalPouca articulação com a Áreas Curriculares Não Disciplinares Experiência na organização de exposiçõesColaboração desorganizada com projectos e OPTE A coordenação tem assento no Conselho PedagógicoFraca utilização do espaço da biblioteca durante as aulas Canais de comunicação já existentes com todos os docentesDificuldades na partilha de documentos (1º ciclo);Zona multimédia inactiva nos últimos anos por falta deequipamentoLeitura domiciliária condicionada pela Gripe AFalta de instalações sanitárias para alunosFalta de espaços de arrumaçãoInexistência de uma mapotecaDesconhecimento do impacto que a biblioteca produz naaprendizagem dos alunosPouca visibilidade da BE na página WEB do agrupamentoAlguns problemas no atendimento gerado pelas requisições doscomputadores portáteis para a sala de aulaAusência de uma cultura de avaliação rigorosa, organizada eatempada. 3
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALIntervenções prioritárias Reunir todo o fundo documental existente disperso pelas escolas do 1º ciclo do Agrupamento (leitura recreativa e especialmente obras PNL – logo que a biblioteca da Araucária esteja concluída; Instalar a biblioteca do 1º ciclo (Araucária); Integrar a biblioteca da Araucária na RBE; Melhorar e ampliar a colecção por forma a dar uma resposta adequada às necessidades; Activar a zona multimédia; Formar utilizadores alunos e professores; Rentabilizar melhor o espaço BE, com utilização em contexto de aula dedicada à leitura Construir bolsa de colaboradores, alunos monitores e voluntários; Construir algumas iniciativas culturais em parceria com outras escolas ou entidades ligadas à cultura; Dar visibilidade para o exterior das acções desenvolvidas; Continuar a implementar o PNL; Envolver os encarregados de educação nas acções de leitura e outras; Investir mais na articulação com os departamentos, ACND, OPTE e projectos Colocar o catálogo em rede Ultrapassar os constrangimentos gerados pela gripe A2 - RECURSOS HUMANOS: A equipa de trabalho (docentes) designada para o ano lectivo 2009/2010 tem a seguinte constituição: Anabela Quelhas (3º ciclo) – Departamento de expressões - Coordenadora Professor Responsável pela biblioteca da Araucária (1º ciclo) – a designar Alice Fernandes – Departamento de línguas José Lopes – Departamento de expressões Cabe a esta equipa organizar, coordenar e tentar levar à concretização o plano de acção apresentado eserá apoiada por dois auxiliares de acção educativa em permanência. Os Colaboradores serão todos os elementos da Comunidade Educativa que após consulta se propuserama colaborar com a Biblioteca Escolar, de forma pontual ou continuada. Os Monitores são alunos dispostos a colaborar activamente essencialmente no apoio aos utilizadorescontribuindo para o sucesso do plano apresentado. O Voluntariado pode ser constituído por elementos exteriores ao Agrupamento que de algum modocolaboram com as actividades da Biblioteca Escolar, enriquecendo as experiências e a aprendizagem.O PLANO DE ACÇÃO Os trabalhos serão organizados em 4 domínios: 1. Apoio ao desenvolvimento curricular 2. Leitura e literacias 3. Projectos, parcerias e actividades livres e de abertura à comunidade 4
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL 4. Gestão da biblioteca escolar Estes domínios serão trabalhados em continuidade, no entanto terão uma maior atenção e preocupação nos anos assinalados nas grelhas seguintes: 0 1 1 1 9 0 1 2Domínio Objectivos Acções / / / / 1 1 1 1 0 1 2 3 Participação em reuniões CP e Departamentod Trabalho de cooperação com todas as estruturas Informações ocasionais e sempre que oportunas sobre a de coordenação educativa e de supervisão missão da BE pedagógica da escola/agrupamento: conselho Comunicação director e outras estruturas para X pedagógico, departamentos curriculares, áreas actualização de recursos. disciplinares, coordenadores de estabelecimento e conselhos de turma. Sugestões p/ apresentar aos docentes Angariar docentes colaboradores Colaboração com os docentes responsáveis pelas Reuniões c/os coordenadores responsáveis pelas ACND e Áreas Curriculares Não Disciplinares: áreas de SAE projecto; estudo acompanhado/apoio ao estudo e Informações ocasionais e sempre que oportunas sobre a A1 X formação cívica. missão da BE Desenvolver a Ampliação/ adequação do fundo documental às ACND e articulação SAE curricular da Actividades de suporte junto dos docentes Disponibiblização do espaço físico da BE, apoio biblioteca com X responsáveis pelos apoios educativos. documental e orientação da equipa sempre que possível as estruturas de coordenação Disponibilização de espaços, recursos e educativa e actividades para o plano de OTE da escola/ Angariar docentes colaboradores X supervisão agrupamento. pedagógica e A - Apoio ao Desenvolvimento Curricular os docentes Coordenador da BE pertence à equipa PTE Garantir bom estado equipamento, rede e software Participação no PTE e no desenvolvimento de Reuniões e criar formas de colaboração c/projectos outros programas e projectos existentes na X Recolher e divulgar materiais relacionados c/ os temas escola/ agrupamento. Incluir acções dos projectos no plano de actividades BE Sugestões actividades conjuntas Cooperação e diálogo com todos os docentes Utilização dos recursos da BE pelos docentes no Equipa BE – docentes de várias áreas disciplinares âmbito da actividade lectiva . Produzir, partilhar e divulgar (WEB) materiais (pag Web, X Construção de materiais diversificados de apoio guiões de pesquisa, pacotes itinerantes, dossiês temáticos, para as diferentes actividades. fichas de trabalho e outros) Actividades de formação de utilizadores c/ todas Sessões formativas utilizadores BE (alunos e profs) – as turmas, tendo em atenção necessidades. utilização do espaço e localização de documentos. Materiais formação utilizadores – guião utilizador, power X Ensino em contexto das competências de point utilização BE, guiões de varios tipos a disponibilizar informação. a alunos e professores. Definir um perfil de competências ao nível das literacias de Actividades para promover do uso das TIC e da X informação por nível de escolaridade para o Agrupamento Internet como ferramentas de acesso, produção e A2 Plano progressivo p/ desenvolvimento de competências. X comunicação de informação e como recurso de Promover o aprendizagem. desenvolvi- Adoptar um modelo de para elaboração de trabalhos de mento da pesquisa Em articulação com a Equipa PTE, elaborar a Literacia de X nível de agrupamento um Programa de Utilização dos recursos Web já existentes – página, blog e informação, desenvolvimento de competências TIC, biblioteca virtual tecnológica e consoante o ciclo ou ano de escolaridade.. digital Envolvimento dos alunos na vida da BE. Alunos monitores Valorização permanente das atitudes positivas e X valores consonantes com a aprendizagem e com Códigos de conduta integrados na formação do utilizador a formação de futuros cidadãos responsáveis. Promover sessões de formação em literacia de informação para docentes. X 5
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL 0 1 1 1 9 0 1 2Domínio Objectivos Acções / / / / 1 1 1 1 0 1 2 3 Leitura orientada na sala de aula Leitura com todas as turmas da escola. Semana da leitura X Atrair novos leitores Concursos, sessões de leitura Feira do livro Eventos leitura na comunidade Actividades diversificadas de leitura e de literacia Formação leitura articuladas com os docentes e com o exterior. Encontros com escritores X Leitura e Literacias Biografias B Fichas de leitura, guiões Promover a leitura e as Leitura domiciliária literacias Divulgar a colecção Actividades criativas dirigidas à leitura -net, placard e outras Contextos diversificados de leitura e de Exposições temáticas produção/comunicação da informação em vários X suportes e formatos Biblioteca virtual Leitura informal (jornais revistas, livros recreativos, BD) Apoio a projectos de leitura PNL e outros X Índices de utilização e requisições Utilização da BE, progressão na leitura X Adequar a colecção 0 1 1 1 9 0 1 2Domínio Objectivos Acções / / / / 1 1 1 1 0 1 2 3 Manter um horário coincidente com o horário da 8,15h -18,15h X escola. Requisição domiciliária nas interrupções lectivas C1 A poio ao projecto Comenius (bonecos) Apoiar Agendar com os alunos actividades de apoio, por Teatro actividades X eles solicitada. Escritor do mês livres, extra- Feira do Livro curriculares e de Projectos, Parcerias e Actividades Livres Exposições enriquecimento Dinamizar uma vez por mês uma actividade livre, Projecção de filmes curricular de carácter lúdico e cultural de acordo com os Itinerância de livros de Banda Desenhada X interesses e necessidades dos alunos. Divulgação das actividades da biblioteca e teatro municipais RBE X Participar nas reuniões com vista a parcerias e Biblioteca Municipal ou projectos X Câmara Municipal, outros Centro Comercial Dolce Vita – exposição da república X C2 Trabalho colaborativo com outras Morgado Mateus – exposições e semana da leitura escolas/agrupamentos UTAD – revistas e teatro X Desenvolver projectos e Trabalho Concelhio A definir parcerias Não existe SABE X Envolver cada vez mais os Pais / Encarregados Recolha de revistas de Educação nas actividades da BE Semana da leitura X O que andas a ler? Abertura ao exterior – horário pós lectivo Não se verifica Adaptações 2010/2011 6
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL 0 1 1 1 9 0 1 2Domínio Objectivos Acções / / / / 1 1 1 1 0 1 2 3 Manter um papel activo no CP, colaborando e Inserir a BE nos documentos do agrupamento trabalhando de forma a ajudar a concretizar a Plano de Acção e de Actividades da BE X missão da Escola. Regimento e regulamento da BE Os órgãos de direcção, administração e gestão Equipa e colaboradores professores reconhecimento do valor da BE por parte dos Verba Biblioteca X órgãos de direcção. Outros apoios por parte do Director Professor bibliotecário integra o Conselho Pedagógicoe e A BE assume-se e é entendida por todos como com papel activo X um recurso activo ao serviço da Apoio do Director na articulação com os departamentos e D1 escola/agrupamento. outras estruturas Promover a Divulgação das actividades da BE – email, boletim articulação da X informativo, blog, pagina web BE com o escola/agrupam Qualidade dos serviços e articulação de Avaliação utilizadores X ento. Facilitar actividades e projectos acesso e Horário da biblioteca e disponibilização de 8,15h – 18,15h serviços recursos e equipamentos e acompanhamento e Formação utilizadores X prestados pela formação aos utilizadores – pólo cultural do Taxas de utilização BE. agrupamento. Alargar a oferta de serviços a todo o Agrupamento X Plano de auto-avaliação Formação auto-avaliação Implementar o processo de auto-avaliação Aplicação de questionários e recolha de evidências X Tratamento e cruzamento de dados Relatório e divulgação do mesmo Inter-acção constante com o Director X Formação diversificada nas TIC Paradigma Digital X Gestão da Biblioteca Escolar Formação do professor bibliotecário ( pontos) Auto-avaliação da Biblioteca Escolar Outras Liderança do professor bibliotecário - gestão efectiva, mobilizando a equipa e a escola para o Avaliação dos utilizadores X valor e para o trabalho com a BE D2 Áreas de intervenção para os vários elementos da equipa. Assegurar boas Adequação da equipa, no que respeita às humanas e competências e número dos seus elementos, às Competências/formação - equipa X materiais para a necessidades da BE – conteúdo funcional Áreas de intervenção para os colaboradores prestação dos definido. Apoiar a afectação às bibliotecas de assistente operacional serviços. Organização do espaço da BE, mobiliário e 5 zonas distintas equipamentos - garantia uma utilização Computadores X individual e em grupo e satisfação das Multimédia necessidades dos utilizadores. Internet Equipamentos tecnológicos (hardware e software) que respondam às necessidades da Avaliação dos utilizadores X escola/agrupamento. Revisão da política documental e actualização da Política de desenvolvimento da colecção X colecção de acordo com necessidades específicas dos utilizadores Consulta aos departamentos sobre as necessidades X Utilização da colecção por parte dos utilizadores Índices de utilização X O catálogo informatizado e inclui recursos online, Catalogação informatizada X também devidamente organizados Catálogo em rede com acesso livre D3 Política documental definida para a escola/ agrupamento e o desenvolvimento da colecção Assegurar um X (Doc) bom planeamento/ Verba anual para actualização da colecção. Definir anualmente X gestão da colecção Rede partilhada de documentação entre as várias bibliotecas e escolas no agrupamento, e, a nível local, com X outras bibliotecas e com a BM. WEB – email, blog, página, biblioteca virtual e saltarico informa Difusão permanente de informação com o objectivo de divulgar recursos Boletim informativo X de informação e incentivar a sua utilização. Jornal “O Jerónimo” (páginas centrais) 7
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL ALTERAÇÃO do plano acção da BE: No início do ano lectivo foram detectados os seguintes constrangimentos: - A biblioteca do centro escolar da Araucária não foi integrada na RBE; - Não foi colocado 2º professor bibliotecário; - A equipa da biblioteca da Araucária ainda não foi constituída; - A instalação das redes informáticas e respectivos equipamentos ainda não foram concluídos; - Novos docentes de TIC; Em simultâneo surgiu a oportunidade de sermos incluídos no Projecto a LER+. Estes constrangimentos levaram a coordenadora a reflectir sobre a possibilidade de não avaliar o domínio A como estava previsto e transitar para o domínio C. Foi consultada a equipa, a coordenadora concelhia, director e conselho pedagógico. A alteração foi aprovada em Conselho Pedagógico de 30/09/2010. 1 0Domínio Objectivos Acções / 1 1 Manter um horário coincidente com o horário da 8,15h -18,15h X escola. Requisição domiciliária nas interrupções lectivas C1 Apoio ao projecto Comenius (bonecos) Apoiar Agendar com os alunos actividades de apoio, por Teatro actividades X eles solicitada. Escritor do mês livres, extra- Feira do Livro curriculares e de Projectos, Parcerias e Actividades Livres Exposições enriquecimento Dinamizar uma vez por mês uma actividade livre, Projecção de filmes curricular de carácter lúdico e cultural de acordo com os Itinerância de livros de Banda Desenhada X interesses e necessidades dos alunos. Divulgação das actividades da biblioteca e teatro municipais RBE X Participar nas reuniões com vista a parcerias e Biblioteca Municipal ou projectos X Câmara Municipal, outros Centro Comercial Dolce Vita – exposição da república X C2 Trabalho colaborativo com outras Morgado Mateus – exposições e semana da leitura escolas/agrupamentos UTAD – curso teatro e artes cénicas; revistas e teatro X Desenvolver projectos e Trabalho Concelhio A definir parcerias Não existe SABE X Envolver cada vez mais os Pais / Encarregados Recolha de revistas de Educação nas actividades da BE Semana da leitura X O que andas a ler? Abertura ao exterior – horário pós lectivo Não se verifica Adaptações 2010/2011 8
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALPROJECTO“DESCOMPLICAR AS TIC”Domínio específico de intervenção:Domínio A (Apoio ao desenvolvimento curricular) eDomínio C (projectos, parcerias e tempos livres)Objectivos principais: Desenvolver competências básicas na utilização das novastecnologias e se possível, pô-las ao serviço da leitura/escrita, do conhecimento e daaprendizagem; simplificar tarefas e rentabilizar melhor o tempo através da utilizaçãodas TIC; enriquecer/ampliar a literacia da informação, tecnológica e digital.Tempo para aplicação: 4 anos – 2009/2010 a 2012/2013Autores do projecto: Anabela Quelhas e Paulo Paixão (Coordenadora da BibliotecaEscolar e Coordenador do Plano Tecnológico)Situação actual:  A introdução das novas tecnologias de informação e comunicação no quotidiano das crianças é um facto incontornável.  Os alunos possuem os computadores Magalhães e é necessário desenvolver competências para utilização correcta desta nova ferramenta tecnológica (1º ciclo).  A realização de trabalhos de investigação é cada vez mais utilizada no processo de ensino/aprendizagem.  A internet é apelativa para a maioria dos alunos que a utilizam sem vigilância deparando com os perigos da navegação solitária e incauta.  Muitos docentes ainda não descobriram o blog como um recurso para a motivação para a escrita, julgando-o erradamente, como um recurso informático/Web muito complexo.  Apenas os alunos do 3º ciclo têm acesso a um currículo TIC.  Constrangimento: Escolas do 1º ciclo dispersas.FUNDAMENTAÇÃO:“Literacia da informação: A importância deste tema na sociedade actual reforça o papelda escola, nomeadamente da Biblioteca Escolar, na aquisição/desenvolvimento dascompetências de informação. Efectivamente, estas são, hoje, consideradasfundamentais na construção da autonomia, na aprendizagem ao longo da vida e noexercício da cidadania.” (RBE)“(...) ser capaz de ler não define a literacia no complexo mundo de hoje. O conceitode literacia inclui a literacia informática, a líteracia do consumidor, a literacia dainformação e a literacia visual. Por outras palavras, os adultos letrados devem sercapazes de obter e perceber a informação em diferentes suportes. Além do mais,compreender é a chave. Literacia significa ser capaz de perceber bem ideias novaspara as usar quando necessárias. Literacia significa saber como aprender".STRIPLING, Barbara K. . ERIC,1992, in CTAP Information Literacy Guidelines K-12, 9
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARAL PLANIFICAÇÃOObjectivosespecíficos Acções Recursos Destinatá Dinamiza Calend rios dores ário LOCALExplorar o Descobrir o computador, Computadores Alunos do Profs Tic Salas deequipamento teclado e rato, e cuidar Magalhães 1º ciclo – Definir aula/Magalhães dos mesmos. (alunos) Alunos orientaçã Sala Desdobrável o Paulo multiusos Paixão BE 1º ciclo Utilização de aplicações Computadores Alunos do Profs Tic Salas de e programas do Magalhães 1º ciclo – aula/ Magalhães (alunos) orientaçã Sala Desdobrável o Paulo multiusos Paixão BE 1º ciclo Processamento de texto Computadores Alunos do Profs Tic Salas de e imagem. Magalhães 1º ciclo – aula/ Arquivo (alunos) orientaçã Sala (noções básicas) Desdobrável o Paulo multiusos Paixão BE 1º ciclo Desenho no computador Computadores Alunos do Paulo Salas deUtilizar o Magalhães 1º ciclo Paixão aula/computador na (alunos) Anabela Salaaprendizagem Desdobrável Quelhas multiusos(1) Programa BE 1º ciclo Paint Impressora Processamento de texto Alunos do Profs Tic Sala de TIC e imagem. 2º ciclo – Arquivo - Documento orientaçã Word o Paulo Inserir Imagens Paixão Guardar e abrir documentos Utilização do Realizar as Alunos do Profs Tic Sala de TIC computador como principais 2º ciclo – máquina de calcular operações e orientaçã percentagens o Paulo Paixão Wordart Letras, Alunos do Anabela Sala de TIC Fundos movimento, 2º ciclo Quelhas texturas, cores, padrão e imagem Criar fundos Power point – imagem. 12 Alunos do Profs Tic Sala de TIC Texto, efeitos, computadores 2º ciclo orientaçã configurações e música o Paulo PaixãoConhecer os Motores de busca 12 Alunos do Profs Tic Sala de TICmecanismos computadores 2º ciclo –de acesso e internet orientaçãrápido á o Pauloinformação Paixãoweb Biblioteca virtual do Projector Alunos do Anabela Biblioteca agrupamento – multimédia 1º e 2º Quelhas Araucária workshop 8 ciclos Biblioteca computadores Escola Power point sede 10
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALSegurança na Workshop Internet Alunos do Paulo Bibliotecainternet (1) Desdobrável 1º e 2º Paixão Araucária Power point ciclos Anabela Biblioteca Projector Quelhas Escola sedeBLOG - Criar um blog Bibliotecaferramenta Publicar texto 12 Professor Paulo Araucáriamotivadora da Links computadores es Paixão Bibliotecaescrita Imagens Internet Anabela Escola Marcadores Desdobrável Quelhas sede Contador de visitas METODOLOGIA A UTILIZAR: 1- Desenho do ante-projecto – Anabela Quelhas e Paulo Paixão 2- Aprovação do Director; 3- Consulta aos docentes do 1º e 2º ciclos; 4- Prazo para recolha de opiniões; 5- Elaboração do projecto definitivo; 6- Aprovação do Conselho Pedagógico; 7- Definição anual do calendário articulado com a componente não lectiva dos professores dinamizadores envolvidos e os professores do 1º ciclo, área projecto ou estudo acompanhado (segundo indicação do Conselho Pedagógico); 8- Preparação de materiais de apoio; 9- Realização da formação por turma; 10-Avaliação no final de cada formação e introdução de pequenas correcções na perspectiva de melhoramento; 11-Relatório a realizar no final de cada ano lectivo e entregar ao Director e Conselho Pedagógico; Nota final: O sucesso total da aplicação do projecto, dependo de diversos constrangimentos nem sempre fáceis de ultrapassar: horário dos docentes, receptividade dos docentes do 1º ciclo, localização das escolas e apoios da Direcção Executiva. (1) alteração 4/02/2011 – Formação de docentes do 1º ciclo promovida pelo docente Paulo Paixão; exposição Segurança na Internet a realizar no espaço BE em Fevereiro 2011. Vila Real, Abril 2010 A Coordenadora da Biblioteca ___________________________________ (Anabela Quelhas) O Coordenador do Plano Tecnológico ________________________________ 11
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALPROJETO DESCOMPLICAR AS TIC – 1ª FASEAVALIAÇÃO: A 1ª fase de operacionalização foi realizada ao longo do 2º período segundoo calendário estabelecido em articulação com a direção executiva dirigida a todasas turmas do 2º ciclo. A planificação foi concebida pelos docentes AnabelaQuelhas e Paulo Paixão. O docente entrou no projeto como operacionalsubstituindo o docente Paulo Paixão assegurando a formação às turmas em que pordificuldade de horário, não foi possível lecionar com o docente Paulo Paixão. Segundo os formadores a ação decorreu com normalidade e os alunosaderiram com interesse. Foi necessário avaliar o impacto na aprendizagem, para isso foi enviado atodos os diretores de turma uma pequena grelha para preenchimento, maslamentavelmente só houve o retorno em 3 turmas, que se junta em anexo e ondeconsta o que correu bem, o que correu mal e sugestões. Cabe à direção executiva emitir o seu parecer para se passar às fasesseguintes. Recorde-se que esta formação tem como objetivo atenuar asdesigualdades existentes entre os alunos na manipulação de equipamentos,recursos e programas de acesso e tratamento de informação. Estamos na era datecnologia da informação/comunicação e cabe à escola orientar a aprendizagemnesse sentido, apesar das muitas barreiras existentes.Vila Real, 28/03/2012A coordenadora da biblioteca escolarAnabela Quelhas 12
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALRELATÓRIOCRÍTICODACOORDENADORADABIBLIOTECA ESCOLAR 13
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALRELATÓRIOCRÍTICODACOORDENADORADABIBLIOTECA ESCOLAR (BE)Ano Letivo – 2011/2012Artº 3º ponto 2 da Portaria n.º 756/2009de 14 de Julhoa) Assegurar serviço de biblioteca para todos os alunos do agrupamento ou da escola não agrupada;b) Promover a articulação das actividades da biblioteca com os objectivos do projecto educativo, do projectocurricular de agrupamento/escola e dos projectos curriculares de turma;c) Assegurar a gestão dos recursos humanos afectos à(s) biblioteca(s);d) Garantir a organização do espaço e assegurar a gestão funcional e pedagógica dos recursos materiais afectos àbiblioteca;e) Definir e operacionalizar uma política de gestão dos recursos de informação, promovendo a sua integração naspráticas de professores e alunos;f) Apoiar as actividades curriculares e favorecer o desenvolvimento dos hábitos e competências de leitura, daliteracia da informação e das competências digitais, trabalhando colaborativamente com todas as estruturas doagrupamento ou escola não agrupada;g) Apoiar actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular incluídas no plano de actividadesou projecto educativo do agrupamento ou da escola não agrupada;h) Estabelecer redes de trabalho cooperativo, desenvolvendo projectos de parceria com entidades locais;i) Implementar processos de avaliação dos serviços e elaborar um relatório anual de auto -avaliação a remeter aoGabinete Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares(GRBE);j) Representar a biblioteca escolar no conselho pedagógico, nos termos do regulamento interno. Associando o Artº 3º ponto 2 da Portaria n.º 756/2009 de 14 de Julho ao artº 97do Regulamento Interno do Agrupamento, a coordenadora da biblioteca considera que 14
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALo relatório realizado no âmbito da auto-avaliação da biblioteca escolar, segundo omodelo da Rede de Biblioteca Escolares, e a apresentar em síntese ao conselhopedagógico, responde satisfatoriamente aos artigos mencionados, remetendo assimpara a sua leitura. Acrescenta-se apenas algumas considerações que não constam dosdocumentos da auto-avaliação. Esta foi a terceira vez que a BE aplicou o processo de avaliação indicado pelaRBE; para isso a coordenadora criou tal como no ano anterior um Plano de Auto-Avaliação para orientar todo o processo e atendendo ao plano de acção delineado noano lectivo anterior. Todo o plano foi cumprido, tendo a coordenadora seguido a metodologiaproposta. Refira-se apenas os principais momentos: - Selecção do domínio a avaliar; - Operacionalização da recolha de dados/evidências (questionários RBE,questionários de final de período, registos de utilização, etc..); - Tratamento de dados e relatório final segundo o modelo RBE; - Divulgação do relatório final. O sucesso deste trabalho só foi possível devido à colaboração da direcçãoexecutiva, directores de turma, toda a equipa de trabalho (docentes e assistentesoperacionais). O relatório final será apresentado no conselho pedagógico do mês de Julho eposteriormente entregue em formato de papel à direcção executiva. Como o relatórioon line é visualmente pouco apelativo, não sendo possível uma leitura transversal, acoordenadora elaborou uma síntese mais esclarecedora que enviou a todos osmembros do conselho pedagógico, antes da realização do mesmo. O relatório referido permite certamente uma visão detalhada da acção dabiblioteca em articulação com todo o agrupamento, do desempenho da equipa/coordenadora e dos impactos na aprendizagem daí resultantes, ajudando a construiruma visão para a melhoria. A coordenadora considera mais uma vez que o processo definido pela RBEabsorveu tempo excessivo, com grande desgaste da coordenadora, que dedicougrande parte do 3º período a esta tarefa e outras tarefas burocráticas tambémreferentes à avaliação. A aplicação on line de auto-avaliação, apesar de organicamentefuncionar bem, não permite uma leitura transversal, há uma exploração excessiva degráficos, a introdução de excertos de actas e outros documentos, tornam o documento 15
    • AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS MONSENHOR JERÓNIMO DO AMARALpesado e pouco motivador à sua leitura; a não aceitação de formatos, PDF, Excell,Publisher e tabelas dificultou muito a elaboração do relatório. Registe-se também que: - A coordenadora da BE e o professor bibliotecário Pedro Hortas representaramo agrupamento no II Encontro de Bibliotecas Escolares, tendo a primeira realizado umaintervenção no âmbito do projeto A LER+, apoiada num power point incidindo sobre asatividades mais inovadoras que se têm desenvolvido no agrupamento. O trabalho foielogiado pela coordenadora interconcelhia e por outras pares presentes. - A equipa tem elaborado regularmente (final de cada período) relatórios sobreas tarefas realizadas e uma reflexão sobre a actividade da BE, que foram entregues àdirecção executiva. A coordenadora tem sido receptiva a colaborações pontuais, porque consideraque todas as acções são bem-vindas no âmbito da promoção da leitura e doconhecimento (o lema do projeto é: todos são importantes), no entanto a excessivaindividualização transforma a parte dos registos e da avaliação num processo difícil emoroso. Assim, irá fazer novamente alguma sensibilização por uma maior partilha,maior colaboração entre os docentes numa tentativa de congregar actividades que têmos mesmos objectivos, visando a simplificação de documentos e procedimentos. Através da formação que tem realizado, e da leitura de diversos documentos daRBE, a coordenadora considera que apesar de se ter vindo a desenvolver um bomtrabalho na BE, as metas propostas pela RBE são dificilmente atingíveis. A definição demetas intermédias atingíveis, considerando a realidade das nossas escolas e osrecursos que possui o professor bibliotecário, evitaria algum desgaste ao professorbibliotecário ou desânimos primários perante utopias irrealizáveis – não é motivador terpela frente objectivos não concretizáveis. Vila Real, 4 de Julho de 2012 A Coordenadora (Anabela Quelhas) 16