A velha rabugenta

10,162 views
9,810 views

Published on

Sobre os escritos de uma velha senhor, após seu falecimento em uma casa de repouso. Para refletir!

Published in: Education, Technology
1 Comment
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
10,162
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
763
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
1
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A velha rabugenta

  1. 1. Quando uma velha senhora morreu na seção para o tratamento de doenças da velhice em uma pequena clínica perto de Dundee, na Escócia, todos estavam convencidos de que ela não havia deixado nada de valor.<br />
  2. 2. Então, quando as enfermeiras verificaram seus poucos pertences, eles encontraram um poema. Sua qualidade e conteúdo impressionaram todas as pessoas, e todas as enfermeiras queriam uma cópia da mesma.<br />
  3. 3. Uma delas levou uma cópia para a Irlanda. <br />A única herança que a velha deixou a seus sucessores foi publicado na edição de Natal da notícia da União <br />para a Saúde Mental na Irlanda do Norte. <br />Este poema, simples mas eloqüente, também foi apresentado com slides.<br />
  4. 4. Então, esta velha senhorada Escócia, sem posses materiais para deixar ao mundo, é a autora deste poema "anônimo" que circula na Internet.<br />
  5. 5. ¸1<br />A Velha Rabugenta<br />
  6. 6. Que vêem amigas?Que vêem ?Que pensam quando me olham?<br />
  7. 7. Uma velha rabugentanão muito inteligentede hábitos incertos,com seus olhos sonhadoresfixos ao longe?<br />
  8. 8. A velha que cospe comidaque não responde <br />ao tentar ser convencida...“De, fazer <br />um pequeno esforço?"<br />
  9. 9. A velha, <br />que vocês acreditam <br />que não se dá conta <br />das coisas que vocês fazem <br />e que continuamente <br />perde a sua escova ou <br />o sapato ?<br />
  10. 10. A velha, <br />que contra sua vontade,mas humildemente lhes permite a fazer o que queiram,que me banhem e me alimentemsó para o dia passar mais depressa....<br />
  11. 11. É isso que vocês acham?É isso que vocês vêem?Se assim for, <br />abram os olhos, amigas,porque <br />isso que vocês vêem <br />não sou eu!<br />
  12. 12. Vou lhes dizer quem sou,quando estou sentada aqui, tão tranquila<br />como me ordenaram...<br />
  13. 13. Sou uma menina de 10 anos, que tem pai e mãe, <br />irmãos e irmãs que se amam.<br />
  14. 14. Sou uma jovenzinha de 16 anos. Com asas nos pés, e que sonha encontrar seu amado.<br />
  15. 15. Sou uma noiva aos 20,<br />Que o coração salta nas lembranças,<br />Quando fiz a promessa<br />Que me uniu até o fim de meus dias <br />com o AMOR de minha vida.<br />
  16. 16. Sou ainda uma moça com 25 anos, <br />Que tem seus filhos,<br />Que precisam que eu os guie...<br />Tenho um lugar seguro e feliz !<br />
  17. 17. Sou a mulher com 30 anos.<br />Onde os filhos crescem rápido,<br />E estamos unidos com laços que deveriam durar para sempre...<br />
  18. 18. Quando tenho 40 anos<br />Meus filhos já cresceram<br />E não estão em casa...<br />Mas ao meu lado está meu marido<br />Que me acalente <br />quando estou triste.<br />
  19. 19. Aos cinquenta, mais uma vezcomigo deixam os bebês, meus netos,e de novo tenho a alegria das crianças,meus entes queridos junto a mim<br />
  20. 20. Aos 60 anos, <br />sobre mim nuvens escuras aparecem,meu marido está morto;e quando olho meu futurome arrepio toda de terror.<br />
  21. 21. Os meus filhos se foram,e agora tem <br />os seus próprios filhos...Então penso <br />em tudo o que aconteceu e no amor que conheci.<br />
  22. 22. Agora sou uma velha.<br />Que cruel é a natureza....<br />A velhice é uma piada<br />que transforma um ser humano<br />um um alienado.<br />
  23. 23. O corpo murcha<br />Os atrativos e a força desaparecem<br />Ali, onde uma vez teve um coração<br />Agora há uma pedra.<br />
  24. 24. No entanto, <br />nestas ruínas, a menina de 16 anos<br />ainda está viva.E o meu coração cansado,ainda está repleto de sentimentos <br />Vivos e conhecidos<br />
  25. 25. Recordo os dias felizes e tristes<br />Em meus pensamentos volto a amar e a viver o meu passado.<br />
  26. 26. Penso em todos esses anos<br />Que foram, <br />ao mesmo tempo poucos<br />Mas que passaram muito rápido,<br />E aceito o inevitável..<br />Que nada pode durar para sempre...<br />
  27. 27. por isso, abram seus olhos e vejam<br />Diante de vocês não está uma velha mal-humorada<br />Diante de vocês estou apenas “EU...”<br />Uma menina, mulher e senhora<br />Viva...!! E com todos os sentimentos de uma vida...<br />
  28. 28. Lembrem-se destareflexão, napróxima vez <br />que se encontrar comumapessoaidosa mal-humorada<br />e não a rejeitem,<br />semenxergarprimeiroa sua Alma Jovem…<br />Vocêvaiestar algumdia<br />emseu lugar…<br /> <br /> <br />Texto enviado por<br />Marcia Maria das Gracas Lopes<br />
  29. 29. ¸1<br />

×