• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Apresentação no Encuentro Latinoamericano de Diseño Palermo 2008
 

Apresentação no Encuentro Latinoamericano de Diseño Palermo 2008

on

  • 356 views

 

Statistics

Views

Total Views
356
Views on SlideShare
356
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-ShareAlike LicenseCC Attribution-ShareAlike License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Apresentação no Encuentro Latinoamericano de Diseño Palermo 2008 Apresentação no Encuentro Latinoamericano de Diseño Palermo 2008 Presentation Transcript

    • Introdução àSociologia do consumo Eduardo “Cuducos” NUSMER • CFH • UFSC
    • Sociologia do consumo
    • Sociologia do consumo para designers
    • Forma segue a função
    • Forma segue a função +É a cultura que constitui utilidade
    • Foto: Brian Snelson
    • Foto: Clístenes Cardoso e Cristianne Haydée
    • 1997 Troller1998 Land Rover1999 Adventure, EcoSport, CrossFox2005 Celta Off-road, Fiesta Trail2007 Todos ainda são fabricados
    • Foto: Dalton Ramos
    • Foto: $mok3y
    • Foto: Rodrigo Vieira Soares
    • Autênticos fora-da-estrada “Espírito aventureiro” Pseudo-fora-da-estrada
    • Pneus de uso mistoSuspensão reforçadaAltura elevadaEstriboQuebra-matoEtc...
    • Pneus de uso mistoSuspensão reforçadaAltura elevada Off-road ?EstriboQuebra-matoEtc...
    • O que esses consumidores buscam nesseramo de automóveis, já que ou compram um fora-da-estrada que não vão usar “fora da estrada” ou compram um carro que apenas parece um fora-da-estrada?
    • Forma segue a função Uso off-road
    • Forma segue a função Uso off-road xÉ a cultura que constitui utilidade Estética off-road
    • Forma segue a função Uso off-road xÉ a cultura que constitui utilidade Estética off-road Forma segue a cultura
    • Forma segue a função Uso off-road
    • Forma segue a função Uso off-road xÉ a cultura que constitui utilidade Estética off-road
    • Forma segue a função Uso off-road xÉ a cultura que constitui utilidade Estética off-road Forma segue a cultura
    • O que nós aprendemos com os estudos acadêmicos sobre o consumo não é que a cultura material éboa ou má para as pessoas. Ao invés disso nós aprendemos que as pessoas se dedicam em esforço constante para criar relacionamentos com coisas e com pessoas, e há muito a ganhar com a documentação compreensiva desses esforços. Daniel Miller
    • Homem racionalAtividade racionalInteressesMaximização meio-finsInteresses e cálculos
    • Homem racionalAtividade racionalInteressesMaximização meio-finsInteresses e cálculosUtilitarismo
    • Homem racionalAtividade racionalInteressesMaximização meio-finsInteresses e cálculosUtilitarismo Homo oeconomicus
    • Homo oeconomicus
    • Homo oeconomicus não-histórico não-socialintercambiável
    • Mercado
    • MercadoInteresses individuais
    • MercadoInteresses individuaisRelação socializadora
    • “Disputa em relação à apropriação dos meiosde distinção simbólica” Colin Campbell
    • Inlclusão/exclusão de grupos. Mary Douglas & Baron IsherwoodProcesso psico-social. Colin CampbellUtilidade vem da significação social. Marshall Sahlins
    • Escolha partindo dos indivíduos. Pierre Bourdieu X “Síndrome consumista” Zygmunt Bauman
    • Cálculo com base nos capitais reconhecidos Teoria dos campos Pierre Bourdieu XConsumismo moderno puramente emocional Teoria individualista Colin Campbell
    • “As decisões são somente escolhas entrepossíveis definidos pela estrutura do campo.”“Levar em conta a estrutura do campo e seusefeitos não leva de modo algum a anular aliberdade de jogo dos agentes.” Pierre Bourdieu
    • Escolha/gosto/classe Pierre Bourdieu XEscolha/identidade Mary Douglas & Baron Isherwood
    • Profissionais de criação não criam novidades, apenas “percebem” tendências. Elaine Norberto X “A forma é a mensagem.” Kalle Lasn
    • “O design espelha a condição cultural na qual epara qual foi concebido ao mesmo tempo emque contribui para produzir, realimentar outransformar esta mesma condição cultural.” André Villas-Boas
    • Muito obrigado!
    • Muito obrigado!www.meiaduzia.com.br/cuducos/palermo2008 www.meiaduzia.com.br/cuducos/projeto www.meiaduzia.com.br/cultura cuducos@gmail.com
    • Referências bibliográficasBAUMAN, Zygmunt. Consumidores em la sociedad moderna líquida. In: _____. Vida líquida. Barcelona: Paidos, 2006.BOURDIEU, Pierre. É possível um ato desinteressado? In: _____. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus, 1996._____. O campo econômico. Política & sociedade, abr. 2005, n. 6.CAMPBELL, Colin. On understanding modern consumerism and misunderstanding the Romantic ethic thesis: a reply to Boden and Williams. Sociology, nov.2003, v. 37, n. 4._____. Eu compro, logo sei que existo: as bases metafísicas do consumo moderno. In: BARBOSA, Lívia; CAMPBELL, Colin (org). Cultura, consumo eidentidade. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2006.DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2004.LASN, Kalle. The future of design. In: TYPO, 2006, Berlin. Disponível em: <http://www.typovideo.de/index.php?node_id=9&lang_id=1&scope=front&ds_target_id=56>. Acesso em: 10 jul. 2007.MILLER, Daniel. The poverty of morality. Journal of consumer culture, nov. 2001, n. 1, v. 2.NORBERTO, Elaine. Estratégias corporativas de marcas e estratégias sociais de diferenciação: uma análise a partir do automóvel. Tempo social, nov. 2004, v.16, n. 2.SAHLINS, Marshall. Cultura e razão prática. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.VILLAS-BOAS, André. Identidade e cultura. Rio de Janeiro: 2ab, 2002.