As relações de gênero e a pedagogia feminista. Distinção entre gênero e sexo.
Esclarecendo os termos: <ul><li>Gênero,  conjunto de seres ou coisas que apresentam qualidades semelhantes; classe de assu...
Introdução <ul><li>O currículo hoje tenta discutir diversas formas de exclusão que fazem parte de nosso cotidiano. Uma del...
Análise de estereótipos de gênero. <ul><li>Não se trata simplesmente de ganhar acesso às instituições e formas de conhecim...
A sociedade masculina <ul><li>A sociedade está feita de acordo com as características do gênero dominante, isto é o mascul...
A perspectiva feminista. <ul><li>A epistemologia não é nunca neutra, mas reflete sempre a experiência de quem a conhece. <...
Equilíbrio no currículo <ul><li>O currículo oficial valoriza a separação entre sujeito e conhecimento, o domínio e o contr...
Divergências femininas no currículo <ul><li>Um grupo de feministas ligadas a educação advogam um currículo que inclua aque...
Análise de gênero <ul><li>Gênero é um conceito relacional e uma estrutura de dominação simbólica: os gêneros são um par de...
Considerações finais <ul><li>O texto abordou as questões acerca da inserção de valores femininos no currículo, as causas h...
Bibliografia: <ul><li>Silva, Tomaz Tadeu da.  Documentos de identidade:  uma introdução das teorias do currículo. 2.ed. 9 ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

As relações de gênero e a pedagogia feminista.2

12,576
-1

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
12,576
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
168
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

As relações de gênero e a pedagogia feminista.2

  1. 1. As relações de gênero e a pedagogia feminista. Distinção entre gênero e sexo.
  2. 2. Esclarecendo os termos: <ul><li>Gênero, conjunto de seres ou coisas que apresentam qualidades semelhantes; classe de assuntos literários ou artísticos da mesma natureza; propriedade que os substantivos possuem de indicar o sexo pela terminação ou pela significação; mercadoria. </li></ul><ul><li>Sexo , conformação característica que distingue o macho da fêmea nos animais e nos vegetais;conjunto das pessoas que tem a mesma conformação física, consideradas sobre o ponto de vista da geração; o belo -: as mulheres;o – forte os homens. </li></ul>
  3. 3. Introdução <ul><li>O currículo hoje tenta discutir diversas formas de exclusão que fazem parte de nosso cotidiano. Uma dela não menos importante é o papel da mulher na sociedade. </li></ul><ul><li>As instituições escolares através do currículo podem reproduzir ou reforçar valores que mantêm uma supremacia masculina, seja nas profissões, nos livros, nas atividades esportivas e até mesmo nas brincadeiras. </li></ul><ul><li>levar em consideração essas desigualdades sem minimizá-las, constitui uma importante ferramenta na construção de um currículo mais próximo da realidade dos educandos. </li></ul>
  4. 4. Análise de estereótipos de gênero. <ul><li>Não se trata simplesmente de ganhar acesso às instituições e formas de conhecimento do patriarcado mas de transformá-las radicalmente para refletir os interesses da mulher. </li></ul><ul><li>As análise feministas mais recentes enfatizam, de forma crescente, que o mundo social está feito de acordo com os interesses e as formas masculinas de pensamento e conhecimento. </li></ul>
  5. 5. A sociedade masculina <ul><li>A sociedade está feita de acordo com as características do gênero dominante, isto é o masculino. </li></ul><ul><li>Na escola os meninos estão ligados a brincadeiras que exprimem habilidade e força. </li></ul>
  6. 6. A perspectiva feminista. <ul><li>A epistemologia não é nunca neutra, mas reflete sempre a experiência de quem a conhece. </li></ul><ul><li>Apenas numa concepção que separa quem conhece daquilo que é conhecido é que se pode conceber um conhecimento objetivamente neutro. </li></ul><ul><li>Na medida em que reflete a epistemologia dominante, o currículo existente é claramente masculino. </li></ul>
  7. 7. Equilíbrio no currículo <ul><li>O currículo oficial valoriza a separação entre sujeito e conhecimento, o domínio e o controle, a racionalidade e a lógica, a ciência e a técnica , o individualismo e a competição. Todas essas características refletem o as experiências e os interesses masculinos. </li></ul><ul><li>A solução não seria uma inversão, mas em construir currículos que refletissem, de forma equilibrada, tanto a experiência masculina quanto a feminina. </li></ul><ul><li>Proporciona igualdade de acesso a s mulheres, não é suficiente, o ideal é que as questões que estão implicadas nesse contexto sejam discutidas por todos. </li></ul>
  8. 8. Divergências femininas no currículo <ul><li>Um grupo de feministas ligadas a educação advogam um currículo que inclua aquelas características consideradas femininas por considerarem que elas são altamente desejáveis do ponto de vista humano. </li></ul><ul><li>A pedagogia feminista passa a desenvolver formas de educação que levem em consideração os valores feministas, para contrapor-se a pedagogia tradicional de valorização do gênero masculino. </li></ul>
  9. 9. Análise de gênero <ul><li>Gênero é um conceito relacional e uma estrutura de dominação simbólica: os gêneros são um par de opostos que constituem uma relação e as relações de gênero são relações de poder em que &quot;o princípio masculino é tomado como medida de todas as coisas&quot; (BOURDIEU, 1999, p. 23). </li></ul><ul><li>Como a formação da masculinidade está ligada a posição de poder que os homens detêm na sociedade? </li></ul><ul><li>A pedagogia feminista tenta fazer um contraponto com as práticas tradicionais consideradas expressões de valores masculinos. </li></ul>
  10. 10. Considerações finais <ul><li>O texto abordou as questões acerca da inserção de valores femininos no currículo, as causas históricas para a manutenção da relações desiguais entre homens e mulheres que acontecem na sociedade, na família e sobretudo na escola. Apesar das questões acerca gênero fazerem parte dos temas transversais, ainda se vê pouca ou nenhuma habilidade por parte dos profissionais de educação em discuti-los no ambiente escolar. </li></ul>
  11. 11. Bibliografia: <ul><li>Silva, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução das teorias do currículo. 2.ed. 9 reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. </li></ul>
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×