Ruptura de cisto hepático infectado

  • 773 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
773
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Paciente com Rutura de Cisto Hepático Infectadocom Formação de Fístula Pleural e Empiemaassociado à Choque Séptico Grave por E.coliMarcos Knibel, Chrishian Roderjan, Márcia Murta, Andressa Salviano, Micheli Ponte,Oswaldo Tolesani, Paulo Henrique Xavier
  • 2. Anamnese Identificação: MCWG, sexo feminino, 46 anos, branca, natural do Rio de Janeiro, reside em Teresópolis há 11 anos HDA: Paciente transferida para Hospital São Lucas no dia 02/04/11 para prosseguimento de investigação de febre de origem obscura de inicio há aproximadamente 2 anos. Apresentava dor abdominal em HCD associado a piora do padrão da febre (elevação da temperatura e aumento da freqüência), desnutrição, dispneia e cansaço. Iniciou ciprofloxacino devido E.coli multissensível presente em hemocultura realizada na admissão. No dia 15/04/11, 10 hs após punção de veia jugular interna direita, evoluiu com pico Hipertensivo associado a Dispnéia e queda da saturação não responsiva a VNI. Necessitando de IOT e transferência para CTI. HPP: Doença Renal Policística com cistos Renais e Hepáticos e Insuficiência Renal Crônica em acompanhamento com nefrologista desde 2004, período em que apresentava Clearance de Creatinina 52 ml/min e anemia (Htc:34% Hg: 11,4) Em Maio de 2005 apresentou anemia desproporcional ao grau de comprometimento renal sendo investigada com EDA que evidenciou Pangastrite e H. pylori que foi tratado. Em Abril de 2007 persistia com anemia sendo iniciado reposição de Eritropoetina com melhora posterior. Em Agosto de 2009 apresentou ITU e novo episódio de anemia sendo tratado com ciprofloxacino e aumento da dose de eritropoetina.
  • 3. Admissão no CTI Ao Exame: PCT sem sedação, intubada, mal adaptada a prótese ventilatória em modo PCV(Ppico: 18 Peep: 8 Fio2: 0,8% VC: 600 P/F: 105), hipocorada 3+/4+, desidratada 2+/4+, emagrecida, acianótica, anictérica, afebril S.Vitais: PA: 110x76 FC: 146 FR:24 Sat O2: 94% AR: MV Reduzido em HT D com roncos difusos ACV: RCR 2T BNF ABD: Ascitico, peristalse presente MMIIS: Presença de hematomas em ambas as coxas, sem edemas Realizado sedação, punção de veia profunda(Jugular Esquerda pela possibilidade de compressão devido a discrasia), transfusão de 2 unidades de plasma e associação de antibióticos (Ciprofloxacino + Vancomicina + Tazocin) visando cobertura para E.coli, GRAN positivos, Anaeróbio e GRAN negativo incluindo Pseudomonas aeruginosa.
  • 4. Evolução no CTI No dia 21/04 apresentou piora do padrão ventilatório associado a queda da saturação, necessidade de aumento do suporte de O2 (Sat O2: 84% e FIO2: 100%), e instabilidade hemodinâmica. Feito Aspiração de Secreção Traqueal (Espessa e purulenta), Aumento da dose de amina, Rx Tórax, GSA (PO2: 87 e PCO2: 47,2) e contato com Cirurgia Torácica que avaliou a paciente e optou por não abordar cirurgicamente, naquele momento, devido instabilidade e risco de sangramento (Hg:7,6 Htc: 24,2 Plq: 79.000 Leucócitos: 15.800 TAP:42% INR: 1,55 PTT: 1,6). Realizado desobstrução do circuito.Hipotransparência Heterogênea HTD sugestiva de Septações Pleurais
  • 5. Evolução no CTI Após Transfusão de Criopreciptado paciente evoluiu com recuperação dos níveis séricos de plaquetas, mantendo-se fora de Ventilação Mecânica, estável hemodinamicamente com expressiva melhora laboratorial. No dia 13/05 foi suspenso Tigeciclina, recebendo alta para UVC no dia 16/05. Exames Laboratoriais em 16/05: Hg: 6,9 Htc:23% Plq: 128.000 Leucócitos: 13.500 (0/4/0/0/8/69/12/7) Ureia: 45 Creatinina: 1,1 Na: 137 K: 3,3 Mg: 1,6 PCR: 3,1
  • 6. Evolução no CTI Em 01/05 após redução significativa dos níveis séricos de plaquetas (28.000) Hg: 6,7 e Htc: 22,7% juntamente com cultura de secreção traqueal positiva para Acinetobacter, opta-se pela substituição do Meropenem pela Tigeciclina, realização de EDA que evidenciou Gastrite Hemorrágica Grave e Transfusão de 2 Concentrados de Hemácias e 8 UI de Plasma. Paciente evoluiu com melhora do padrão ventilatório e da troca gasosa, conseguindo suportar desmame de Ventilação Mecânica e estabilidade clínica e hemodinâmica com doses decrescente de amina. Entretanto, manteve plaquetopenia e alargamento do TAP e PTT sendo solicitado no dia 07/05 parecer da Hematologia por suspeita de CIVD associada ao quadro infeccioso, dosagem de D-dimero e fibrinogênio. Por orientação da Hematologia foi reposto CriopreciptadoD-dímero: > 9.000 (VR: 68-500) Fibrinogênio: 95,5 (VR:180-350) (1UI/10kg) para manter fibrinogênio > 100
  • 7. Resultado de exames Rx Torax ◦ 02/04: Elevação de hemicupula diafragmática direita + Lâminas de Atelectasia em base ◦ 15/04:Velamento Total HT D (Sem Imagem Disponível) Exames Laboratoriais: Hemograma Completo, PCR, GSA e Lactato, Ureia e Creatinina, Eletrolitos, Coagulograma,TGO,TGP, BR Totais e Frações, LDH, Proteínas Totais e Frações Ecocardiograma Transtorácico e Doppler de MMIIS Toracocentese para Diagnóstico e Tratamento TC Crânio,Tórax, Abdômen e pelve
  • 8. Diagnóstico Sindrômico Insuficiência Respiratória Aguda + Síndrome Febril à esclarecer + Doença Policística (Renal e Hepática) com Insufuciência Renal Crônica
  • 9. Evolução no CTI Apesar de melhora em transparência pulmonar, paciente mantinha padrão ventilatório e troca gasosa ruim (Peep e FIO2 elevadas) associado a piora clinica e laboratorial importante. Aguardava estabilização do quadro para drenagem de cisto hepático guiada por TC. Após 11 dias de Ventilação Mecânica foi submetida a traqueostomia. Em 28/04 foi realizado TC de Crânio, Tórax e Abdômen além daEm 25/04: Drenagem do Cisto Hepático com colocação de pigtail em seloHg: 9,8 Htc: 31,7 Plq:coletado material para cutura que mostrou d’água em HTD e 59.000Leucócitos:66.500 (0/0/1/2/20/66/5/6) Pseudomonas crescimento de E.coli e alcaligenesPTT: 1,5 TAP: 71% INR:1,18 multissensíveis.PH: 7,42 PCO2: 37,3 PO2: 79,8 ABE: 0,1 HCO3: 23,9 SO2: 96,7
  • 10. Evolução na UVC Paciente mantendo estabilidade clinica com melhora significativa, iniciou dieta pastosa de prova com boa aceitação e realizou TC de controle no dia 20/05, retirou cânula de TQT, completou curso de antibiótico terapia de 40 dias com ciprofloxacino no dia 25/05 e retirou Dreno de Tórax no dia 28/05. No dia 29/05 foi transferida para quarto e fez uso de Clavulin por 10 dias devido Sinusite vista em TC. No dia 07/07 foi submetida a confecção de FAV para HD em MSE, recebendo alta para casa no dia 12/07 com 52Kg, em bom estado geral, respirando em ar ambiente e deambulando.