Reformulação da Candidatura ao Projecto
                            Mais Sucesso Escolar


                 Direcção Regio...
1.     Caracterização do Agrupamento de escolas/escolas não agrupadas


a)     Número total de turmas:

           Ano lec...
2.   Candidatura


2.1. Identificação da equipa, anos de escolaridade envolvidos e disciplinas/ áreas
     disciplinares

...
2.2. Diagnóstico dos resultados dos alunos e das dificuldades

a)   Preencha as tabelas seguintes relativas à avaliação su...
b)     Número de alunos com Planos de recuperação, acompanhamento e/ou
       desenvolvimento nos anos de escolaridade e d...
Os alunos sinalizados com maiores problemas disciplinares foram distribuídos
     no início do ano pelas três turmas. Esta...
envolvente.

        Combater o abandono escolar diminuindo a actual taxa de saída precoce da
          escola.

       ...
e devem ser utilizadas as tecnologias de informação e comunicação, as visitas de
estudo e as actividades lúdicas como form...
 alunos muito motivados para a aprendizagem e sem dificuldades –
           mudam temporariamente, ou definitivamente, pa...
Avaliação do funcionamento do projecto por análise dos resultados escolares e
     das taxas de abandono, análise da auto-...
2.9. Instituição de Ensino Superior que acompanha o projecto

                        Identifique a instituição de Ensino ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Aperfeiçoamento da Candidatura ao PMSE

1,315

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,315
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
14
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aperfeiçoamento da Candidatura ao PMSE

  1. 1. Reformulação da Candidatura ao Projecto Mais Sucesso Escolar Direcção Regional de Educação do Norte/Coordenação Educativa do Porto Escola Secundária de Valbom – 403428 GONDOMAR _________________________________________________________________________ Identificação do agrupamento/ escola não agrupada Escola: Escola Secundária com 3.° Ciclo do Ensino Básico Valbom DRE: DREN Director(a): Ana Paula Barbosa E-mail de contacto: info@esec-valbom.rcts.pt Coordenadora do Projecto: Cristina Couto Varela E-mail de contacto: cristina_couto@netcabo.pt _________________________________________________________________________ 16 de Outubro de 2009 1/11
  2. 2. 1. Caracterização do Agrupamento de escolas/escolas não agrupadas a) Número total de turmas: Ano lectivo 7º Ano 8º Ano 9º Ano 2008/2009 3 2 4 2009/2010 4 3 4 b) Organização das salas do Jardim-de-infância: c) Número total de alunos: Ano lectivo 7º Ano 8º Ano 9º Ano 2008/2009 79 56 56 2009/2010 71 69 61 d) Caracterização do Agrupamento de Escolas ou Escola não agrupada: Apesar de a escola se situar, de acordo com a Carta Educativa, numa freguesia com um tecido económico favorecido, a realidade é que a maioria dos alunos que a frequenta actualmente é oriunda de famílias com dificuldades socioeconómicas, que não valorizam a escola nem os saberes escolares. Deste modo, a população escolar é constituída por uma panóplia de alunos com interesses, motivações e objectivos muito diferentes. A escola possui ainda: • Um corpo docente e não docente estável, relativamente jovem e empenhado; • Uma participação efectiva dos representantes dos pais e encarregados de educação na vida da Escola; • Instalações cuidadas e bem apetrechadas; • Protocolos de colaboração com algumas instituições do meio envolvente; • Alguns projectos integrados em actividades curriculares e extracurriculares. 2/11
  3. 3. 2. Candidatura 2.1. Identificação da equipa, anos de escolaridade envolvidos e disciplinas/ áreas disciplinares a) Nome do coordenador do projecto: Cristina Couto Varela b) Identificação dos professores envolvidos no projecto: Tipo de Língua Portuguesa Matemática Inglês Leccionação Dulce Cleto (B) Isabel Daniel (B) Leonor Correia (B, C) Disciplina Claudia Santos (C) Josefina Mourão (C, D) Carlos Cardoso (D) Susana Oliveira (D) Assessoria Fátima Soares (B, C) Teresa Novais (C) Cláudia Santos (B, D) (Suc) Isabel Daniel (D) Marta Pimenta (B, D) Susana Oliveira (C) (…) Turma de leccionação do 7º Ano c) Anos de escolaridade que integram o projecto: 7º Ano d) Número de turmas que em cada ano de escolaridade integram o projecto: 3 Turmas e) Disciplinas/ áreas disciplinares/ áreas curriculares não disciplinares (ACND) que integram o projecto: Língua Portuguesa, Matemática e Inglês. 3/11
  4. 4. 2.2. Diagnóstico dos resultados dos alunos e das dificuldades a) Preencha as tabelas seguintes relativas à avaliação sumativa do 3.° Período (classificação interna e externa, no caso das disciplinas com provas de aferição ou exames) dos anos de escolaridade e das disciplinas/ áreas disciplinares/ ACND envolvidas no projecto: Tabela 3. Avaliação sumativa Inglês Número de alunos Classificação na Classificação na 7º Ano de Classificação interna Prova de Aferição do Prova de Aferição do escolaridade 6° ano 9° ano 1 2 3 4 5 A B C D E 1 2 3 4 5 2007/2008 4 16 24 9 5 2008/2009 5 19 28 7 3 Língua Portuguesa Número de alunos Classificação na Classificação na 7º Ano de Classificação interna Prova de Aferição do Prova de Aferição do escolaridade 6° ano 9° ano 1 2 3 4 5 A B C D E 1 2 3 4 5 2007/2008 5 21 30 3 3 2008/2009 3 16 32 12 1 Matemática Número de alunos Classificação na Classificação na 7º Ano de Classificação interna Prova de Aferição do Prova de Aferição do escolaridade 6° ano 9° ano 1 2 3 4 5 A B C D E 1 2 3 4 5 2007/2008 4 18 28 8 3 2008/2009 2 23 29 7 2 4/11
  5. 5. b) Número de alunos com Planos de recuperação, acompanhamento e/ou desenvolvimento nos anos de escolaridade e disciplinas envolvidas no projecto no início do ano lectivo: Tabela 4. Planos de recuperação (PR), acompanhamento (PA) e/ou desenvolvimento (PD) no início do ano lectivo Número de alunos 7º Ano de Inglês escolaridade PR PA PD 2008/2009 21 2009/2010 17 Número de alunos 7º Ano de Língua Portuguesa escolaridade PR PA PD 2008/2009 21 2009/2010 17 Número de alunos 7º Ano de Matemática escolaridade PR PA PD 2008/2009 20 2009/2010 17 c) Diagnóstico das dificuldades: No ano lectivo 2008/2009 o principal factor de insucesso escolar, identificado pelo Conselho Pedagógico, foi a indisciplina resultante da falta de motivação e de um projecto de vida da maioria dos alunos. Uma grande parte destes alunos e respectivos encarregados de educação não valorizam os saberes escolares nem a escola como instituição. 5/11
  6. 6. Os alunos sinalizados com maiores problemas disciplinares foram distribuídos no início do ano pelas três turmas. Esta metodologia favoreceu a propagação da indisciplina e impediu o desenvolvimento do processo de ensino e de aprendizagem conducente ao sucesso. Dificultou ainda a aplicação de respostas diversificadas e adequadas aos diferentes alunos. Percurso escolar dos alunos A tabela seguinte representa a análise de todo o percurso escolar dos alunos no ensino básico. Com 1 ou 2 Com 3 ou mais 7º Ano de Sem retenções retenções retenções escolaridade (f) (%) (f) (%) (f) (%) 2008/2009 (NA=79) 35 44 36 46 8 10 2009/2010 40 56 22 31 9 13 (NA=71) Apoio Social escolar A tabela seguinte representa a análise do apoio sócio-educativo dos alunos de acordo com o Despacho n.º 18987/2009 de 17 de Agosto. Com ASE Com ASE 7º Ano de Sem ASE escalão A escalão B escolaridade (f) (%) (f) (%) (f) (%) 2008/2009 (NA=79) 38 48 21 27 20 25 2009/2010 28 40 20 28 23 32 (NA=71) 2.3. Objectivos a) Objectivos mensuráveis:  Responder às diferentes motivações, interesses e objectivos dos alunos de forma eficaz aumentando a procura da escola pelos alunos do meio 6/11
  7. 7. envolvente.  Combater o abandono escolar diminuindo a actual taxa de saída precoce da escola.  Melhorar o insucesso escolar em 1/3 relativamente ao ano anterior. b) Outros objectivos:  Promover junto dos alunos desmotivados e com interesses divergentes dos escolares a valorização das competências e valores que podem ser desenvolvidos pela escola.  Promover o desenvolvimento de competências de excelência nos alunos mais motivados e com objectivos definidos. 2.4. Estratégias de acção Identifique as estratégias de intervenção a desenvolver para cada problema/ dificuldade existente:  Constituição de turmas integrando alunos com características e necessidades específicas Na preparação do ano lectivo procedeu-se ao estudo exaustivo dos processos individuais dos alunos recepcionados para o sétimo ano e foram constituídas três turmas, de acordo com o rendimento escolar evidenciado no sexto ano de escolaridade. O rendimento escolar tem uma grande correlação com a motivação e interesse dos alunos (Núñez, 2009), pelo que cada grupo turma tenderá a ser homogéneo relativamente às características e necessidades dos alunos, o que permite uniformizar as metodologias em cada turma e diferenciar as metodologias de turma para turma.  Implementação de metodologias de ensino e de avaliação adaptadas a cada turma Na turma com alunos mais desmotivados (baixo rendimento escolar – 7ºB) e que não deve ultrapassar em nenhum momento os dezasseis alunos, deve ser implementada uma metodologia que inclua preferencialmente trabalho de projecto 7/11
  8. 8. e devem ser utilizadas as tecnologias de informação e comunicação, as visitas de estudo e as actividades lúdicas como forma de motivação dos alunos. Na turma com alunos mais motivados (alto rendimento escolar – 7ºD) deve ser implementada uma metodologia de pesquisa (Cachapuz, Praia & Jorge, 2002) /investigação (Gil Pérez, 1993) que conduza ao desenvolvimento de competências de excelência para além das definidas no currículo nacional. Na terceira turma, constituída por alunos com rendimento escolar médio – 7º C, o desenvolvimento das competências essenciais definidas no currículo nacional deve seguir as indicações dos programas/ orientações curriculares das disciplinas.  Assessoria pedagógica nas disciplinas de intervenção Nas disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Inglês, num bloco correspondente a noventa minutos os alunos são acompanhados por dois docentes. Este procedimento permite uma intervenção específica em pequeno grupo, pelo desdobramento da turma ou pelo apoio mais individualizado dentro da turma e torna possível concretizar actividades diferentes das realizadas na globalidade da turma.  Possibilidade de permuta dos alunos entre turmas Os docentes de cada conselho de turma têm a responsabilidade de avaliar o desempenho escolar dos alunos e a sua adequação à metodologia de trabalho na turma, podendo nos conselhos de turma ordinários, haver indicação para mudança de turma. Para esta indicação são ouvidos, obrigatoriamente, os professores das disciplinas de intervenção e os que leccionam as três turmas de intervenção do projecto. A mudança deve ocorrer sempre que o conselho de turma julgue pertinente para a melhoria dos resultados escolares do aluno. Alguns dos critérios que devem reger essa mudança são:  alunos sem dificuldades de aprendizagem mas desmotivados e/ou indisciplinados – mudam temporariamente, ou definitivamente, para o 7ºB;  alunos motivados mas com dificuldades de aprendizagem – mudam temporariamente, ou definitivamente, para o 7º C; 8/11
  9. 9.  alunos muito motivados para a aprendizagem e sem dificuldades – mudam temporariamente, ou definitivamente, para o 7º D;  alunos com dificuldades de aprendizagem e pouca ou nenhuma motivação – mudam temporariamente, ou definitivamente, para o 7º B; Após decisão do conselho de turma, o Director de Turma informa o encarregado de educação, pelo que o aluno ingressa na nova turma num prazo máximo de oito dias.  Programa de Tutoria O tutor será fundamental para organizar e coordenar o processo de aprendizagem dos alunos com necessidades específicas de apoio educativo e mediar potenciais conflitos. O tutor interactua e coordena com os outros agentes educativos, dentro da comunidade, uma resposta às necessidades que apresentem um grupo peculiar de alunos. 2.5. Formação de Professores Identifique as necessidades de formação dos professores decorrentes do projecto:  Formação em trabalho de projecto;  Formação na área da motivação;  Formação na área da indisciplina na sala de aula;  Formação em localização e utilização de fontes de informação em TIC;  Formação em avaliação das aprendizagens. 2.6. Metodologia de avaliação do projecto Descreva brevemente as acções que pretende desenvolver para a avaliação do projecto, indicando os intervenientes em cada acção: Avaliação do desempenho e do impacto averiguando o grau de satisfação dos alunos e dos encarregados de educação com base em questionários de opinião. 9/11
  10. 10. Avaliação do funcionamento do projecto por análise dos resultados escolares e das taxas de abandono, análise da auto-avaliação dos alunos e do grau de satisfação dos professores com base nos relatórios de actividade (elementos facilitadores, constrangimentos, aspectos a melhorar e estratégias para o conseguir). Monitorização do projecto para a sua auto-regulação, pela instituição de ensino superior. Avaliação externa pela instituição de ensino superior. 2.7. Recursos humanos Identifique os recursos humanos necessários para apoiar a implementação das estratégias definidas, indicando as funções a desempenhar por cada um: Atribuição de componente lectiva de professores especificamente para acompanhar os alunos nas disciplinas de intervenção, de acordo com o seu nível de conhecimentos, em pequeno grupo na sala de aula ou em gabinetes de apoio no mesmo horário de leccionação na turma. Professor tutor para organizar, acompanhar e orientar os alunos mais problemáticos no seu processo de aprendizagem e mediar potenciais conflitos. Psicólogo da escola e docente do ensino especial para apoio e acompanhamento do projecto e avaliações periódicas do desenvolvimento evidenciado pelos alunos. Recursos da instituição de ensino superior para organização da formação, monitorização e avaliação do projecto. 2.8. Orçamento a) Encargo total: 10000,00€  Equipamento tecnológico: 3000,00€  Material pedagógico: 1000,00€  Aquisição de serviços: 6000,00€ b) N° de horas de crédito horário para o projecto: 16 10/11
  11. 11. 2.9. Instituição de Ensino Superior que acompanha o projecto Identifique a instituição de Ensino Superior que acompanhará o desenvolvimento do projecto: Foi iniciado um protocolo de colaboração com o Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho para formação, acompanhamento, monitorização e avaliação do projecto. 3. Calendarização O quadro seguinte apresenta a planificação do desenvolvimento das diferentes actividades previstas no Projecto. Calendarização 2009 2010 Actividades Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Publicação dos resultdos das candidaturas Análise dos processos dos alunos e constituição das turmas Apresentação e discussão do projecto aos/com os docentes Apresentação do projecto aos Enc de Educação Reformulação da candidatura Caracterização das turmas Construção dos Planos Curriculares das Turmas Aplicação de diferentes metodologias Aplicação do Proj. Assessoria nas disciplinas de intervenção Avaliação do processo de ensino e de aprendizagem Propostas de mudança de turma Programa de tutoria Construção e aplicação dos instrumentos de recolha de Avaliação do Proj. dados Tratamento de dados Avaliação global do Projecto Apresentação da Avaliação do Projecto 11/11

×