A conquista de Ceuta

1,945 views
1,768 views

Published on

Powerpoint que encontrei na internet (desconheço o autor) sobre a conquista de Ceuta

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,945
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A conquista de Ceuta

  1. 1. Conquista de CeutaConquista de Ceuta 1415
  2. 2. Conquistas e descobrimentosConquistas e descobrimentos no período Henriquino.no período Henriquino. Áreas de influênciaÁreas de influência • A Expansão no Norte de ÁdfricaA Expansão no Norte de Ádfrica
  3. 3. Indicadores de aprendizagemIndicadores de aprendizagem Refere a importância estratégica da praçaRefere a importância estratégica da praça de Ceuta para o futuro da empresade Ceuta para o futuro da empresa expansionista.expansionista.
  4. 4. Situação problemaSituação problema João Afonso disse-me ( a D. João I) queJoão Afonso disse-me ( a D. João I) que a cidade de Ceita é grande, nobre ea cidade de Ceita é grande, nobre e azada para se tomar … mas eu não quisazada para se tomar … mas eu não quis dar nenhuma resposta sem saber se issodar nenhuma resposta sem saber se isso é serviço de Deusé serviço de Deus Gomes Eanes de ZuraraGomes Eanes de Zurara Crónica da tomada de CeutaCrónica da tomada de Ceuta
  5. 5. Questões orientadorasQuestões orientadoras • Que razões levaram os portugueses aQue razões levaram os portugueses a Ceuta?Ceuta?
  6. 6. Preparação dos navios para Ceuta nos estaleiros de Miragaia, segundo Fernão Lopes , o mais importante do país. (Arquivo Histórico Municipal do Porto) Monumento evocativo do esforço tripeiroMonumento evocativo do esforço tripeiro paraaconquistadeCeutaparaaconquistadeCeuta
  7. 7. Partida da Armada do Infante D. Henrique para a ConquistaPartida da Armada do Infante D. Henrique para a Conquista de Ceuta – Câmara Municipal do Portode Ceuta – Câmara Municipal do Porto
  8. 8. Azulejos na Estação de São Bento: Infante D. Henrique na conquistaAzulejos na Estação de São Bento: Infante D. Henrique na conquista de Ceuta.de Ceuta.
  9. 9. A Tomada de Ceuta,A Tomada de Ceuta, 1942, Mural a fresco1942, Mural a fresco Salão Nobre, Palácio de S. Bento, Lisboa deSalão Nobre, Palácio de S. Bento, Lisboa de Domingos RebeloDomingos Rebelo (1891-1975).(1891-1975).
  10. 10. Razões Económicas
  11. 11. - Centro comercial onde afluíam mercadorias do Oriente, ouro do Sudão e escravos do interior africano
  12. 12. - Rica em cereais
  13. 13. - Controlava a navegação entre o Mediterrâneo e o Atlântico
  14. 14. - Abundante de matérias primas (couros, peles e corantes para a indústria têxtil )
  15. 15. - permitiria o alargamento da área de pesca
  16. 16. Razões sociais
  17. 17. Clero – queria expandir a fé cristã e aumentar as suas rendas
  18. 18. Nobreza – queria guerrear, obter terras, cargos e aumentar as suas riquezas
  19. 19. - Burguesia – queria alcançar novos mercados, ouro e matérias primas
  20. 20. Povo – esperava conseguir melhores condições de vida
  21. 21. Muitos portugueses, movidos pelaMuitos portugueses, movidos pela defesa da fé cristã, desejavam irdefesa da fé cristã, desejavam ir combater os Muçulmanos - quecombater os Muçulmanos - que viviam do outro lado do marviviam do outro lado do mar
  22. 22. Razões Político-militares
  23. 23. -Acabar com a pirataria no Algarve
  24. 24. - Evitar que os muçulmanos marroquinos pudessem socorrer os da Península Ibérica ( Granada)
  25. 25. Antecipar-se a Castela
  26. 26. Razões Religioso- Ideológicas
  27. 27. Espalhar a fé de Cristo entre os infiéis
  28. 28. Curiosidade em conhecer de perto as terras dos Muçulmanos
  29. 29. SínteseSíntese
  30. 30. Os portugueses quiseram conquistar Ceuta pela:Os portugueses quiseram conquistar Ceuta pela:  sua importância comosua importância como entreposto comercialentreposto comercial para onde confluíam as rotas do comérciopara onde confluíam as rotas do comércio oriental (ouro, especiarias e produtos de luxo);oriental (ouro, especiarias e produtos de luxo);  Por ter umaPor ter uma posição estratégicaposição estratégica no Estreito deno Estreito de Gibraltar - permitia o controlo do Mediterrâneo;Gibraltar - permitia o controlo do Mediterrâneo;  fertilidade dos seus solos (fertilidade dos seus solos ( produzia cereaisproduzia cereais em abundância, nomeadamente o trigo);em abundância, nomeadamente o trigo);  permitiria apermitiria a expansão cristãexpansão cristã;;  permitiriapermitiria conquistar outras cidadesconquistar outras cidades no Norteno Norte de África.de África.
  31. 31. A conquista de Ceuta, liderada pelo próprio rei D. JoãoA conquista de Ceuta, liderada pelo próprio rei D. João I, foi um êxito militar, masI, foi um êxito militar, mas o domínio da cidadeo domínio da cidade acabou por ser um fracasso económicoacabou por ser um fracasso económico:: Os muçulmanos desviaram as suas rotas comerciais para outras cidades do Norte de África; A situação de guerra em redor da cidade e a morte de soldados portugueses era constante; Os campos de cultivo de cereais eram continuamente atacados e destruídos; “CEUTA É UM SORVEDOURO DE GENTE E DINHEIRO”, Infante D. Pedro. Ceuta passou a seu uma cidade cristã isolada, mantida com grande esforço financeiro e militar.
  32. 32. 1415 – Conquista de Ceuta Interesses portugueses nesta praça do Norte de África Especiarias Produtos de luxo orientais EscravosOuro Poderio militar Espírito de cruzada
  33. 33. ActividadeActividade Responde à situação colocada por D.Responde à situação colocada por D. Pedro.Pedro. “CEUTA É UM SORVEDOURO DE GENTE E DINHEIRO”, Infante D. Pedro.
  34. 34. ConclusãoConclusão Em 1415, os portugueses conquistaram Ceuta.Em 1415, os portugueses conquistaram Ceuta. Esta cidade do Norte de África, era rica emEsta cidade do Norte de África, era rica em especiarias, ouro e cereais. Era também umespeciarias, ouro e cereais. Era também um importante porto de pesca e uma base de piratariaimportante porto de pesca e uma base de pirataria moura sobre os barcos cristãos. Impediria que osmoura sobre os barcos cristãos. Impediria que os muçulmanos desembarcassem na penínsulamuçulmanos desembarcassem na península Ibérica para ajudar os seus irmãos.Ibérica para ajudar os seus irmãos. O espírito de cruzada da empresa era evidenteO espírito de cruzada da empresa era evidente .
  35. 35. O seu domínio abria o domínio doO seu domínio abria o domínio do mediterrâneo e das rotas que vinham domediterrâneo e das rotas que vinham do sul.sul. Podia servir de base para outrasPodia servir de base para outras conquistas.conquistas.
  36. 36. Em vez disto, os Mouros desviaram as rotasEm vez disto, os Mouros desviaram as rotas para outras cidades e passaram a guerrearpara outras cidades e passaram a guerrear continuamente Ceuta que não tinha suficientescontinuamente Ceuta que não tinha suficientes efectivos para responder de forma eficaz.efectivos para responder de forma eficaz. A conquista de Ceuta foi um fracasso
  37. 37. ACTIVIDADEACTIVIDADE
  38. 38. MENCIONA AS RAZÕES EVENTUALMENTEMENCIONA AS RAZÕES EVENTUALMENTE APRESENTADAS PELOS ” INFANTES E O CONDEAPRESENTADAS PELOS ” INFANTES E O CONDE DE BARCELOS” AO REI D. JOÃO, PARA ODE BARCELOS” AO REI D. JOÃO, PARA O CONVENCER CONQUISTA DE CEUTA.CONVENCER CONQUISTA DE CEUTA.

×