0
“ A PANDEMIA” Fundação Educacional Serra dos Órgãos Centro Universitário Serra dos Órgãos-UNIFESO Centro de Ciências da Sa...
HISTÓRIA DA AIDS LINHA DO TEMPO 1926 - 1946  Esse é o período durante o qual os cientistas acreditam que o HIV passou dos ...
ADULTOS E CRIANÇAS VIVENDO COM HIV  ANO 2006 América Latina 1,7 milhões [1,3-2,5 milhões] Caribe 250 000 [190 000- 320 000...
Região Norte Infectados:  13.681 Região Sudeste Infectados:  269.910 Região Nordeste Infectados:  47.751 Região Centro Oes...
AIDS NUMEROS DE CASOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO Números de casos: 64.867 Números de casos: 411 AIDS NUMEROS DE CASOS CIDADE...
O HIV ◙  O vírus HIV (vírus da imunodeficiência humana) pertence a família de vírus Retroviridae, ou seja um retrovírus. ◙...
IMUNIDADE ►  Imunidade Inata ►  Imunidade Adquirida ▪  Imunidade Humoral (Linfócitos B -> Anticorpos) ▪  Imunidade Celular...
DIFERENCIAÇÃO LINFÓCITOS
LINFÓCITOS T Ativados por “Células Apresentadoras de Antígenos”(Ex.Célula Dendrítica) Liberação de Linfocinas Estimulação ...
CÉLULAS ALVO DO HIV ▪  Células que apresentam o Receptor CD4 e  os Co-receptores CXCR4 ou CCR5, entre elas: ►  Linfócito A...
Ligação do Vírus HIV com o Linfócito CD4+ GP120 Receptor CD4+ GP41 Co-fator CXCR4 ou CCR5
 
A PROGRESSÃO DO HIV 0 0 200 400 600 800 1000 6 12  ←  1 a 15 anos  -> ←  2 a +3 anos  -> [Semanas]  Contagem de Células CD...
TRANSMISSÃO DO HIV As principais formas de transmissão do HIV são: ◙   Contato Sexual ◙  Uso compartilhado de drogas intra...
SINAIS E SINTOMAS Fonte: Tratado de Infectologia 2° Edição. Autor: Ricardo Veronesi and Col.  1° Fase: Síndrome Retroviral...
SINAIS E SINTOMAS 2° Fase: Infecção Latente ▪  Linfadenopatia persistente generalizada. 3° Fase: AIDS ▪  Infecções Oportun...
DIAGNÓSTICO  No Brasil, desde 1992 o a diagnóstico da Aids  e realizado através de dois critérios não  exclusivos que se t...
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito pela sorologia - o 'teste anti-HIV'. A maioria dos ind...
ELISA (ANTI-HIV) Detecta a presença de anticorpo em um soro com o auxílio de uma reação enzimática. Deve ser repetido em c...
WESTERN-BLOT  Possui sua alta especificidade (99,7%), é  considerado exame confirmatório; praticamente não existem falsos-...
TRATAMENTO <ul><li>Existem 2 classes principais de fármacos ANTI-HIV  </li></ul><ul><li>●  Inibidores da Transcriptase Rev...
TRATAMENTO Fonte: Tratado de Infectologia 2° Edição. Autor: VERONESI and Col.
PROBLEMAS SOCIAIS PRECONCEITO 1. Conceito ou opinião formados antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos  f...
AIDS E PRECONCEITO A  Austrália tem leis minuciosas que podem ser usadas para impedir que pessoas com doenças contagiosas ...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS <ul><li>AURÉLIO, C . Dicionário de Língua Portuguesa Aurélio 2006 .  </li></ul><ul><li>Editora ...
 
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

AIDS PANDEMIA

6,122

Published on

Trabalho apresentado pelo Monitor Cristiano Quintão

1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
6,122
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
384
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "AIDS PANDEMIA "

  1. 1. “ A PANDEMIA” Fundação Educacional Serra dos Órgãos Centro Universitário Serra dos Órgãos-UNIFESO Centro de Ciências da Saúde-CCS Curso de Graduação em Medicina Monitoria Multidisciplinar do Curso de Graduação Medicina Apresentador: Cristiano Martins Quintão Teresópolis,2007
  2. 2. HISTÓRIA DA AIDS LINHA DO TEMPO 1926 - 1946 Esse é o período durante o qual os cientistas acreditam que o HIV passou dos macacos para humanos. 1959 Um homem morre em Kinshasa, no Congo (ex-Zaire), de Aids. É o primeiro caso comprovado do mundo, diagnosticado pelo sangue estocado. 1979 - 1980 Começam a surgir casos em homens homossexuais nos EUA e em heterossexuais no Haiti e na África. Não se sabia a causa. 1981 Cientistas e pesquisadores começam a reconhecer o surgimento de uma nova doença que destrói o sistema imunológico do corpo, evitando que seus portadores consigam combater infecções simples. A doença também afeta usuários de drogas injetáveis e pessoas que fazem transfusão de sangue. 1983 O vírus da AIDS é isolado simultaneamente na França e nos Estados Unidos. São identificados doentes no Brasil. Fonte: www.sistemas.aids.gov.br Ministério da Saúde. 1926 - 1946 1959 1979 - 1980 1981 1983 É desenvolvido o primeiro teste laboratorial para detectar o HIV no sangue nos EUA. No Brasil, para cada mulher notificada com Aids, existem 25 homens. 1985 1985 1987 O FDA americano aprova o uso do AZT (Zidovudina), primeiro remédio contra o HIV. 1987-2007 O principais acontecimentos foram a descoberta de outras drogas como a exemplo os inibidores de protease. A epidemia se alastra na África e no mundo. Pré-testes da vacina para o HIV
  3. 3. ADULTOS E CRIANÇAS VIVENDO COM HIV ANO 2006 América Latina 1,7 milhões [1,3-2,5 milhões] Caribe 250 000 [190 000- 320 000] América do Norte 1,4 milhões [880 000-2,2 milhões] Oceania 81 000 [50 000-170 000] Sul e Sudeste Asiático 81 000 [50 000-170 000] África 25,3 milhões 21,7 – 27,7 milhões Europa 740 000 [580 000- 970 000] Ásia 2,6 milhões [580 000- 970 000] Fonte: Morbidity and Mortality Weekly Report, Aug. 11, 2006; vol 55: pp 841-854. 40,5 Milhões
  4. 4. Região Norte Infectados: 13.681 Região Sudeste Infectados: 269.910 Região Nordeste Infectados: 47.751 Região Centro Oeste Infectados: 24.086 Região Sul Infectados: 77.639 Fonte: Boletim Epidemiológico AIDS e DST 2006. Ministério da Saúde. AIDS NUMEROS DE CASOS NO TERRITÓRIO BRASILEIRO ANO 2006
  5. 5. AIDS NUMEROS DE CASOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO Números de casos: 64.867 Números de casos: 411 AIDS NUMEROS DE CASOS CIDADE TERESÓPOLIS População Total: 5.850.544 habitantes Fonte IBGE - Censo 2000 Fonte: Boletim Epidemiológico AIDS e DST 2006. Ministério da Saúde. Fonte: Boletim Epidemiológico DST-AIDS 2006, pág. 8. Secretária de Saúde do Estado do Rio de Janeiro População Total: 138.081 habitantes Fonte IBGE - Censo 2000
  6. 6. O HIV ◙ O vírus HIV (vírus da imunodeficiência humana) pertence a família de vírus Retroviridae, ou seja um retrovírus. ◙ É constituído por um genoma de RNA, um capsídeo protéico e um envoltório lipoprotéico
  7. 7. IMUNIDADE ► Imunidade Inata ► Imunidade Adquirida ▪ Imunidade Humoral (Linfócitos B -> Anticorpos) ▪ Imunidade Celular (Linfócitos T)
  8. 8. DIFERENCIAÇÃO LINFÓCITOS
  9. 9. LINFÓCITOS T Ativados por “Células Apresentadoras de Antígenos”(Ex.Célula Dendrítica) Liberação de Linfocinas Estimulação de outras células do Sistema Imune (Linfócitos B,T, Macrófagos)
  10. 10. CÉLULAS ALVO DO HIV ▪ Células que apresentam o Receptor CD4 e os Co-receptores CXCR4 ou CCR5, entre elas: ► Linfócito Auxiliar T CD4+ ► Macrófagos ► Células Dendríticas
  11. 11. Ligação do Vírus HIV com o Linfócito CD4+ GP120 Receptor CD4+ GP41 Co-fator CXCR4 ou CCR5
  12. 13. A PROGRESSÃO DO HIV 0 0 200 400 600 800 1000 6 12 ← 1 a 15 anos -> ← 2 a +3 anos -> [Semanas] Contagem de Células CD4+ (Células/mm³) Carga Viral (Cópias por ml) 10 ² 10 3 10 4 10 5 10 6 10 7 Células CD4 Carga Viral 2º Fase “ Assintomático” 3º Fase AIDS 1º Fase Infecção Fonte:Tratado de Medicina Interna CECIL and Col
  13. 14. TRANSMISSÃO DO HIV As principais formas de transmissão do HIV são: ◙ Contato Sexual ◙ Uso compartilhado de drogas intravenosas ◙ Transmissão perinatal ('vertical') ◙ Acidentes com material pérfuro-cortante (ex.: profissionais de saúde) ◙ Hemotransfusão
  14. 15. SINAIS E SINTOMAS Fonte: Tratado de Infectologia 2° Edição. Autor: Ricardo Veronesi and Col. 1° Fase: Síndrome Retroviral Aguda ▪ Febre ▪ Cefaléia ▪ Mal estar ▪ Letargia ▪ Mialgia ▪ Linfadenopatia ▪ Faringite Sintomas agudos podem durar em média 2 a 4 semanas, seguidos de recuperação clínica. * Outros achados: Ulcerações Mucocutâneas Diarréia Náuseas Vômito Hepatoesplenomegalia Candidiase Oral
  15. 16. SINAIS E SINTOMAS 2° Fase: Infecção Latente ▪ Linfadenopatia persistente generalizada. 3° Fase: AIDS ▪ Infecções Oportunistas Fonte: Tratado de Infectologia 2° Edição. Autor: Ricardo Veronesi and col.
  16. 17. DIAGNÓSTICO No Brasil, desde 1992 o a diagnóstico da Aids e realizado através de dois critérios não exclusivos que se tem como base um conjunto de sinais clínicos e doenças associadas a AIDS. ● CARACAS ● CDC MODIFICADO Ambos exigem soropositividade para o HIV. Fonte: Tratado de Infectologia 2° Edição. Autor: Ricardo Veronesi and Col.
  17. 18. DIAGNÓSTICO LABORATORIAL O diagnóstico da infecção pelo HIV é feito pela sorologia - o 'teste anti-HIV'. A maioria dos indivíduos recém-infectados apresenta positividade sorológica anti-HIV após 6-12 semanas do contágio e quase todos (95% dos casos) após 6 meses.
  18. 19. ELISA (ANTI-HIV) Detecta a presença de anticorpo em um soro com o auxílio de uma reação enzimática. Deve ser repetido em caso de resultado Positivo.
  19. 20. WESTERN-BLOT Possui sua alta especificidade (99,7%), é considerado exame confirmatório; praticamente não existem falsos-positivos.
  20. 21. TRATAMENTO <ul><li>Existem 2 classes principais de fármacos ANTI-HIV </li></ul><ul><li>● Inibidores da Transcriptase Reversa </li></ul><ul><li>- Nucleosídeo </li></ul><ul><li>Não-nucleosídeos </li></ul><ul><li>● Inibidores da Protease </li></ul><ul><li>Estes medicamentos quando combinados dão </li></ul><ul><li>origem a TERAPIA ANTIRETROVIRAL ALTAMENTE </li></ul><ul><li>ATIVA (HAART). </li></ul>Fonte: Farmacologia 5° Edição, 2006, pág.749. Autor: RANG and col.
  21. 22. TRATAMENTO Fonte: Tratado de Infectologia 2° Edição. Autor: VERONESI and Col.
  22. 23. PROBLEMAS SOCIAIS PRECONCEITO 1. Conceito ou opinião formados antecipadamente, sem maior ponderação ou conhecimento dos fatos; idéia preconcebida. DISCRIMINAÇÃO 1. Recusa em aceitar candidato a emprego, cobertura pessoal por seguro, etc., com base em informações obtidas, principalmente, mediante provas de investigação laboratoriais. Fonte: Dicionário de Língua Portuguesa Aurélio 2006. Editora Nova Fronteira.
  23. 24. AIDS E PRECONCEITO A Austrália tem leis minuciosas que podem ser usadas para impedir que pessoas com doenças contagiosas entrem no país. Candidatos a imigrantes precisam fazer testes de rotina para detectar AIDS, e as leis são usadas para impedir a entrada de pessoas infectadas. O país se defende alegando que os Imigrantes Soropositivos: ◙ Dificultam o acesso dos australianos aos serviços de combate a AIDS. ◙ Aumentam os gastos financeiros da nação. Imagens: NASA Fonte: Organização Internacional dos Direitos Humanos ÁFRICA Governos africanos estão negando práticas de prevenção ao vírus HIV, como aconselhamento, exames e tratamento, a pessoas homossexuais, bissexuais e transexuais. 33 países punem estas práticas sexuais. BRASIL Um dos tipos de discriminação mais comuns vividos por portadores de HIV ocorre no trabalho. Seja no processo de contratação, seja em demissões sem justa causa. Fonte: BBC Brasil
  24. 25. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS <ul><li>AURÉLIO, C . Dicionário de Língua Portuguesa Aurélio 2006 . </li></ul><ul><li>Editora Nova Fronteira. </li></ul><ul><li>RANG and Col. Farmacologia 5° edição, 2006, pág.749. Editora </li></ul><ul><li>VERONESI and Col. Tratado de Infectologia 2° edição. Editora </li></ul><ul><li>MINISTÉRIO DA SAÚDE. Boletim Epidemiológico AIDS e DST 2006. </li></ul><ul><li>MINISTÉRIO DA SAÚDE. www.sistemas.aids.gov.br em 21/08/2007. </li></ul><ul><li>SECRETÁRIA DE SAÚDE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Boletim </li></ul><ul><li>Epidemiológico DST-AIDS 2006, pág. 8. </li></ul><ul><li>GYUTON and HALLL. Tratado de Fisiologia Médica 11° edição. Editora </li></ul><ul><li>Elsevier 2006. </li></ul><ul><li>AMERICAN SOCIETY OF INFECTOLOGY . Hiv the epidemy. 2007 . </li></ul><ul><li>MOORE, K, L. Anatomia Orientada para a Clinica. Editora Guanabara Koogan. </li></ul><ul><li>SIQUEIRA, B, R. Manual de infectologia. Editora Revinter. </li></ul><ul><li>CECIL and Col. Tratado de Medicina Interna </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×