Tecnicas de projeto design especificacao modelagem de casos de testes
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Tecnicas de projeto design especificacao modelagem de casos de testes

on

  • 2,572 views

Técnicas de projeto design especificação modelagem de casos de testes. Para maiores informações, visite: http://www.qualister.com.br

Técnicas de projeto design especificação modelagem de casos de testes. Para maiores informações, visite: http://www.qualister.com.br

Statistics

Views

Total Views
2,572
Views on SlideShare
2,564
Embed Views
8

Actions

Likes
5
Downloads
16
Comments
0

2 Embeds 8

http://conf.sednasoft.com.br 6
https://twitter.com 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Tecnicas de projeto design especificacao modelagem de casos de testes Presentation Transcript

  • 1. (48) 3285 5615 contato@qualister.com.br •  Terceirização de profissionais •  Consultoria de teste •  Avaliação de usabilidade •  Automação de testes •  Testes de performance •  Treinamentos www.qualister.com.br Técnicas  de  projeto   de  casos  de  teste  
  • 2. Direitos autorais Importante er produção de qualqu proibida a cópia e re É resentação incluindo, do conteúdo desta ap parte , imagens, gráficos e não limitado a, textos mas é protegida pelas leis s. Esta apresentação tabela no opriedade de Cristia de Copyright e são pr e Treinamento Qualister Consultoria Caetano e LTDA. –  –  –  www.qualister.com.br r, copiar, guardar em é permitido modifica Não ugar, vender ou de dados público, al banco apresentação, qualquer parte desta republicar o explícita do autor. sem prévia permissã o deste material, uver permissão de us Quando ho e bibliográfica conform rigatória a referência é ob as normas vigentes.
  • 3. Instrutor Cristiano Caetano Email: cristiano.caetano@qualister.com.br Apresentações: slideshare.net/cristianocaetano Blog: cristianocaetano.wordpress.com É certificado CBTS pela ALATS. Diretor técnico da Qualister com mais de 10 anos de experiência, já trabalhou na área de qualidade e teste de software para grandes empresas como Zero G, DELL e HP Invent. É colunista na área de Teste e Qualidade de software do site linhadecodigo.com.br e autor dos livros "CVS: Controle de Versões e Desenvolvimento Colaborativo de Software" e "Automação e Gerenciamento de Testes: Aumentando a Produtividade com as Principais Soluções Open Source e Gratuitas". Participante ativo da comunidade de teste de software brasileira, é o criador e mantenedor do portal TestExpert: A sua comunidade gratuita de teste e qualidade de software (www.testexpert.com.br). www.qualister.com.br
  • 4. Twitter twitter.com/c_caetano www.qualister.com.br
  • 5. Sobre a Qualister •  •  •  •  •  Fundação: 2007. Sobre a Qualister: A Qualister é uma empresa nacional, constituída a partir da união de profissionais qualificados e certificados na área de testes e qualidade de software, com o objetivo de integrar, implementar e implantar soluções com base nas melhores práticas do mercado e normas internacionais. Colaboradores: A Qualister é composta por colaboradores pós-graduados e certificados na área de testes (CBTS, CSTE) com larga experiência na indústria de Tecnologia da Informação. Área de atuação: A Qualister é uma empresa especializada em serviços de qualidade e teste de software. Tem como linhas de atuação consultoria em teste/ qualidade de software, outsourcing (terceirização dos serviços através da alocação de profissionais) e treinamentos. Localização: A Qualister está localizada em Biguaçu na Grande Florianópolis/SC e está instalada no CITEB – Centro de Inovação Tecnologia de Biguaçu no campus da universidade UNIVALI. www.qualister.com.br
  • 6. Alguns clientes www.qualister.com.br
  • 7. Parcerias internacionais                               www.qualister.com.br Soluções para automação, profilling e gestão de testes Soluções para testes de performance Soluções de apoio a avaliação de usabilidade
  • 8. Tópico •  Introdução www.qualister.com.br
  • 9. Introdução •  Para  que  serve  o  teste  de  so-ware?   •  •  •  •  Para  confirmar  se  o  so3ware  faz  o  que  ele  deve  fazer   Para  confirmar  se  o  so3ware  não  faz  o  que  ele  não  deveria  fazer   Para  confirmar  se  o  so3ware  atende  a  fatores  de  qualidade  implícitos   Encontrar  defeitos   www.qualister.com.br
  • 10. Introdução •  É  impossível  testar  exaus7vamente  por  causa  da   cardinalidade  das  Entradas  e  Saídas  de  um  programa   •  O  domínio  de  entrada  de  um  programa  P,  denotado  por  DE(P)  é  o  conjunto  de   todos  os  possíveis  valores  que  podem  ser  uDlizados  para  executar  o  programa  P.   •  O  domínio  de  saída  de  um  programa  P,  denotado  por  DS(P)  é  o  conjunto  de  todos   os  possíveis  resultados  esperados  após  a  execução  do  programa  P.   www.qualister.com.br DELAMARO, Márcio Eduardo (Org.) ; MALDONADO, José Carlos (Org.) ; JINO, Mario (Org.) . Introdução ao teste de software. 1. ed. Rio de Janeiro RJ: Editora Campus, 2007. v. 1. 394 p.
  • 11. Introdução •  Dado  de  teste   •  Um  dado  de  teste  para  um  programa  P  é  um  elemento  do  domínio   de  entrada.   E1 E2 Programa   Entradas   E3   Saídas     Dado  de   teste   www.qualister.com.br DELAMARO, Márcio Eduardo (Org.) ; MALDONADO, José Carlos (Org.) ; JINO, Mario (Org.) . Introdução ao teste de software. 1. ed. Rio de Janeiro RJ: Editora Campus, 2007. v. 1. 394 p.
  • 12. Introdução •  Pré-­‐condição   •  Condições de ambiente e de estado do sistema que devem ser atendidas antes da execução de um teste. Pré-­‐ Condição   www.qualister.com.br Entradas   Programa     Saídas     DELAMARO, Márcio Eduardo (Org.) ; MALDONADO, José Carlos (Org.) ; JINO, Mario (Org.) . Introdução ao teste de software. 1. ed. Rio de Janeiro RJ: Editora Campus, 2007. v. 1. 394 p.
  • 13. Introdução •  Caso  de  teste   •  Um  caso  de  teste  é  o  par  formado  por  um  dado  de  teste  mais  o   resultado  esperado.   E1 E2 Entradas   Programa   E3 S1   S2 Saídas     S3 Caso  de   teste   {E3,  S3}   www.qualister.com.br DELAMARO, Márcio Eduardo (Org.) ; MALDONADO, José Carlos (Org.) ; JINO, Mario (Org.) . Introdução ao teste de software. 1. ed. Rio de Janeiro RJ: Editora Campus, 2007. v. 1. 394 p.
  • 14. Introdução •  Procedimento  de  teste  (roteiro  ou  script  de  teste)   •  Um  roteiro  de  teste  determina  uma  sequência  de  ações  para   executar  um  caso  de  teste   Passo   Resultado  esperado   Fazer  isso   Fazer  aquilo   Fazer  aquilo  outro   www.qualister.com.br Tal  coisa  acontece   Outra  coisa  acontece   DELAMARO, Márcio Eduardo (Org.) ; MALDONADO, José Carlos (Org.) ; JINO, Mario (Org.) . Introdução ao teste de software. 1. ed. Rio de Janeiro RJ: Editora Campus, 2007. v. 1. 394 p.
  • 15. Introdução •  Resumo   Técnicas  de  testes   (O  que  testar)   www.qualister.com.br Procedimento/Roteiro/ Script  de  teste   (Como  testar)  
  • 16. Tópico •  Técnicas de projeto de caso de testes www.qualister.com.br
  • 17. Técnicas de projeto de casos de testes Caixa Preta (Funcional) Caixa Branca (Estrutural) Baseada na experiência Classes de equivalencia/Valores limítrofes Tabelas de decisão Pairwise Árvore de classificação Teste estrutura de controle Teste de condição Teste de ciclo Teste de decisão Teste de fluxo de dados Suposição de erro Baseado em checklist Ataques Testes exploratórios •  Funcional: Nesta técnica, também conhecida como “Teste de Caixa Preta”, são usados critérios para a geração de casos de teste com o objetivo de avaliar a aderência, ou conformidade do software implementado em relação ao comportamento descrito nos requisitos. •  Estrutural: Nesta técnica, também conhecida como “Teste de Caixa Branca”, são requer a análise do código fonte e a geração de casos de teste que exercitem partes do código e não de sua especificação. •  Baseada na experiência: Nesta técnica, a geração de casos de testes é baseada na experiência do testador em sistemas similares ou experiência geral na atividade de teste.   www.qualister.com.br
  • 18. Técnicas de projeto de casos de teste •  Técnicas  funcionais  (caixa  preta)  que  serão  discu7das:   •  •  •  •  •  •  •  •  •  ParDcionamento  em  classes  de  equivalência   Análise  de  valor  limítrofe   Permutações  e  matriz  ortogonal  (pairwise)   Grafo  de  causa-­‐efeito  e  tabela  de  decisão   Árvore  de  decisão   Árvore  de  classificação   Decomposição  de  casos  de  uso  em  casos  de  testes   CRUD-­‐L   Checklists   www.qualister.com.br
  • 19. Tópico •  Particionamento em classes de equivalência e valores limítrofes www.qualister.com.br
  • 20. Técnicas de projeto de casos de teste •  Classe de equivalência www.qualister.com.br
  • 21. Técnicas de projeto de casos de teste •  Classe de equivalência www.qualister.com.br
  • 22. Técnicas de projeto de casos de teste •  Valores limítrofes www.qualister.com.br
  • 23. Técnicas de projeto de casos de teste •  Decomposição  em  classes   •  •  •  •  •  Válidas   Inválidas   Limites   NegaDvos   Vazio   www.qualister.com.br
  • 24. Tópico •  Permutações e Matriz ortogonal (pairwise) www.qualister.com.br
  • 25. Técnicas de projeto de casos de teste Permutações       www.qualister.com.br
  • 26. Técnicas de projeto de casos de teste 2  x  2  X  5  X  5  =  100  permutações       www.qualister.com.br
  • 27. Técnicas de projeto de casos de teste •  Matriz  ortogonal  (pairwise)   •  2  x  2  X  5  X  5  =  100  permutações   •  2  variáveis  =  25  permutações               www.qualister.com.br
  • 28. Técnicas de projeto de casos de teste •  Matriz  ortogonal  (pairwise)   •  2  x  2  X  5  X  5  =  100  permutações   •  2  variáveis  =  25  permutações   •  3  variáveis  =  50  permutações   •  4  variáveis  =  100  permutações             www.qualister.com.br
  • 29. Tópico •  Grafo causa-efeito e Tabela de decisão www.qualister.com.br
  • 30. Técnicas de projeto de casos de teste E1   E2   R1   S1   E3   R2   E4   www.qualister.com.br
  • 31. Técnicas de projeto de casos de teste Notação  básica   Iden7dade   1   NOT   2   1   OR   AND   1   2   3   www.qualister.com.br 2   1   4   3   2  
  • 32. Tópico •  Árvore de decisão www.qualister.com.br
  • 33. Técnicas de projeto de casos de teste www.qualister.com.br
  • 34. Árvore de decisão www.qualister.com.br
  • 35. Tópico •  Árvore de classificação www.qualister.com.br
  • 36. Técnicas de projeto de casos de teste www.qualister.com.br
  • 37. Técnicas de projeto de casos de teste Árvore de classificação www.qualister.com.br
  • 38. Tópico •  Decomposição de casos de uso em casos de testes www.qualister.com.br
  • 39. Técnicas de projeto de casos de teste www.qualister.com.br
  • 40. Técnicas de projeto de casos de teste FP   FA1   FA3   FA2   www.qualister.com.br
  • 41. Técnicas de projeto de casos de teste FP   FA1   FA3   FA2   www.qualister.com.br
  • 42. Técnicas de projeto de casos de teste FP   #   C1   FA2   www.qualister.com.br FP  +  FA1   C3   FA3   FP   C2   FA1   Fluxos   FP  +  FA1  +  FA2   C4   FP  +  FA3  
  • 43. Técnicas de projeto de casos de teste www.qualister.com.br
  • 44. Diagrama de atividade www.qualister.com.br
  • 45. Tópico •  Matriz CRUD-L (matriz de interações) www.qualister.com.br
  • 46. Técnicas de projeto de casos de teste •  Matriz  CRUD-­‐L  (Matriz  de  interações)   •  A matriz de Interações (ou Matriz CRUD-L) é construída de forma que os casos de testes são listados num dos seus eixos e as entidades no outro. As entidades podem ser tabelas de banco de dados ou funcionalidades. •  Cada uma das células da matriz descreve as ações exercidas pelos casos de testes nas entidades que podem ser: Create (inclusão), Read (leitura), Update (atualização), Delete (exclusão) e List (listagem, relatórios) EnDdade1   EnDdade2   EnDdade3   EnDdade4   CT1   C   UD   CRUDL   L   CT2   L   CRUD   C   D   CT3   RU   DL   CT4   C   U   www.qualister.com.br
  • 47. Tópico •  Checklists www.qualister.com.br
  • 48. Técnicas de projeto de casos de teste •  Checklists Item  a  verificar   Verificado  (S/N)   Limites    (valores  limítrofes,  acima  dos  limites,  etc)   Interrupções  (cancelar,  desligar,  desconectar,  matar  o  processo,  etc)   Configurações  (versões  diferentes  de  so3ware,  sistema  operacional,   hardware)   Localização/Internacionalização   Ausência  de  recursos  (falta  de  espaço  em  disco,  memória,  banda  de  rede,   etc)   Estress  (ultrapassar  e  superuDlizar  os  limites:  usuários,  transações,   tamanho,  etc)   Concorrência  (verificar  a  atomicidade  da  transação  com  múlDplos  usuários   concorrentes)   Dependência  (verificar  a  consistência  de  relacionamentos  mestre-­‐detalhe)   Matrix  CRUD  (acrônimo  de  Create,  Read,  Update  e  Delete)     www.qualister.com.br Test Heuristics Cheat Sheet http://testobsessed.com/wp-content/uploads/2011/04/testheuristicscheatsheetv1.pdf
  • 49. Tópico •  Boas práticas www.qualister.com.br
  • 50. Técnicas de projeto de casos de teste Nível  de  detalhe    -­‐  Complexidade  do  sistema  +   Média   Baixo   Alto   Média    -­‐  Experiência  do  Dme  +   www.qualister.com.br
  • 51. Formatos de casos de testes Formatos   •  Casos  de  teste   •  Casos  de  teste  +  roteiro   •  Roteiro  +  tabela  de  dados  (data-­‐driven)   •  G/W/T  (Given/When/Then)   •  Mapas  mentais         www.qualister.com.br
  • 52. Tópico •  Ferramentas de apoio para o projeto de casos de testes www.qualister.com.br
  • 53. Tópico •  Exercícios práticos www.qualister.com.br
  • 54. Para saber mais hop://www.qualister.com.br/cursos   treinamento@qualister.com.br       Treinamento:     Como  escrever  casos  de  testes:  Técnicas  de  projeto  de  casos  de  testes   Ementa:   •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  •  Introdução a técnicas de projeto de caso de testes Técnicas baseadas na experiência Técnicas estruturais (caixa branca) Técnicas funcionais (caixa preta) Testes positivos e negativos Técnicas de projeto de caso de testes Particionamento em classes de equivalência Análise de valor limite Grafo de causa e efeito e tabela de decisão Matriz ortogonal (pairwise) Árvore de classificação Como escrever casos de testes Casos de testes x Roteiros de testes Pré-condições e pós-condições Nível de detalhe Formatos (Ação/Resultado, GWT, Data Table, Mapa Mental, etc)       www.qualister.com.br