Modernismo – 2ª fase – Romance de 30

189,241
-1

Published on

Published in: Education, News & Politics
5 Comments
38 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
189,241
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
3,236
Comments
5
Likes
38
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Modernismo – 2ª fase – Romance de 30

  1. 1. Modernismo –Modernismo – 2ª Fase2ª Fase (1930 a 1945)(1930 a 1945) Prosa RegionalistaProsa Regionalista Profª Mª Cristina A. BiagioProfª Mª Cristina A. Biagio Cândido Portinari
  2. 2. Principais características:Principais características: •Consciência do subdesenvolvimento; •Neorrealismo; •Radicalização Ideológica; •Predomínio da Narrativa Regional; •Denúncia Social; •Romance Psicológico.
  3. 3. Contexto Histórico:Contexto Histórico: ►Brasil – um país que cresce comBrasil – um país que cresce com muitos problemas;muitos problemas; ►2ª Guerra Mundial;2ª Guerra Mundial; ►O Brasil e o mundoO Brasil e o mundo vivem profundasvivem profundas crises nas décadascrises nas décadas de 30 e 40;de 30 e 40; http://www.militaryphotos.net
  4. 4. ►Bomba Atômica sobre as cidades deBomba Atômica sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki; crise da Bolsa deHiroshima e Nagasaki; crise da Bolsa de Nova Iorque; crise Cafeeira; Comunismo.Nova Iorque; crise Cafeeira; Comunismo. Em Agosto de 1945 os Estados Unidos da América entraram para a história mundial por ser a primeira e única nação a despejar o terror atômico sobre enormes populações de civis.
  5. 5. Características da prosaCaracterísticas da prosa neorrealista:neorrealista: ► Romances caracterizados pela denúncia social;Romances caracterizados pela denúncia social; ► Verdadeiro documento da realidade brasileira;Verdadeiro documento da realidade brasileira; ► O regionalismo ganha força – busca do homemO regionalismo ganha força – busca do homem brasileiro nas diversas regiões;brasileiro nas diversas regiões; ► Os romances tratam do surgimento da realidadeOs romances tratam do surgimento da realidade capitalista, a exploração das pessoas,capitalista, a exploração das pessoas, movimentos migratórios, miséria, fome, a seca,movimentos migratórios, miséria, fome, a seca, entre outros temas.entre outros temas.
  6. 6. Prosadores Modernistas- geração deProsadores Modernistas- geração de 30.30. Primeiro Romance Publicado: A BagaceiraPrimeiro Romance Publicado: A Bagaceira (1928) , de José Américo de Almeida.(1928) , de José Américo de Almeida.
  7. 7. Rachel de QueirozRachel de Queiroz (1910-2003)(1910-2003) Quebrou uma tradição ao tornar-se a primeira mulher aQuebrou uma tradição ao tornar-se a primeira mulher a ingressar na Academia Brasileira de Letras.ingressar na Academia Brasileira de Letras. “Na verdade, eu não gosto de escrever e se eu morrer agora, não vão encontrar nada inédito na minha casa”.
  8. 8. ► Falou do Ceará; da seca; do povo que lá vive; da Terra.Falou do Ceará; da seca; do povo que lá vive; da Terra. ► O Quinze, de 1930: tem como tema a grande seca de 1915.O Quinze, de 1930: tem como tema a grande seca de 1915. RomancesRomances :: - O Quinze (1930)- O Quinze (1930) - João Miguel (1932)- João Miguel (1932) - Caminho de Pedras (1937)- Caminho de Pedras (1937) - As Três Marias (1939)- As Três Marias (1939) - Dôra, Doralina (1975)- Dôra, Doralina (1975) - O Galo de Ouro (1985) - folhetim na revista " O Cruzeiro", (1950)- O Galo de Ouro (1985) - folhetim na revista " O Cruzeiro", (1950) - Obra Reunida (1989)- Obra Reunida (1989) - Memorial de Maria Moura (1992)- Memorial de Maria Moura (1992) Escreveu também: Peças de Teatro, Literatura Infantil, Crônicas, alémEscreveu também: Peças de Teatro, Literatura Infantil, Crônicas, além de inúmeras traduções de obras da literatura universal.de inúmeras traduções de obras da literatura universal. Características de sua obra:Características de sua obra:
  9. 9. GRACILIANO RAMOS (1892 – 1953) - O MESTRE DO REGIONALISMO NORDESTINO. “Nada existe fora dos acontecimentos.” Graciliano Ramos
  10. 10. "O cinema e a televisão criam imagens, a literatura cria imaginação." JORGE FURTADO
  11. 11. Características da obra deCaracterísticas da obra de Graciliano RamosGraciliano Ramos ► Estilo conciso, linguagem despojada e seca;Estilo conciso, linguagem despojada e seca; ► Regionalismo universal;Regionalismo universal; ► O homem e a sociedade em constanteO homem e a sociedade em constante desequilíbrio;desequilíbrio; ► Análise social e psicológica das personagens;Análise social e psicológica das personagens; ► Animalização do homem versus a humanizaçãoAnimalização do homem versus a humanização dos animais (Vidas Secas);dos animais (Vidas Secas); ► Fidelidade ao real.Fidelidade ao real.
  12. 12. Autobiografias:Autobiografias: ► Infância e Memórias do Cárcere: o autorInfância e Memórias do Cárcere: o autor problematiza a si mesmo com temáticaproblematiza a si mesmo com temática humana.humana. Palavras chave : Sensações de LiberdadePalavras chave : Sensações de Liberdade Outras Obras: São Bernardo , Angústia,Outras Obras: São Bernardo , Angústia, Vidas Secas.Vidas Secas.
  13. 13. Jorge Amado (1912- 2001)Jorge Amado (1912- 2001) ► Regionalismo baiano, zonasRegionalismo baiano, zonas rurais do cacau e zona urbanarurais do cacau e zona urbana de Salvador;de Salvador; ► Tipos marginalizados;Tipos marginalizados; ► Análise da sociedade;Análise da sociedade; ► Utilização em suas obras da “fala do povo”;Utilização em suas obras da “fala do povo”; ► Valorização da figura feminina.Valorização da figura feminina.
  14. 14. Alguns livrosAlguns livros
  15. 15. Romances Proletários: mostram a vida emRomances Proletários: mostram a vida em Salvador com um retrato social - Suor, O PaísSalvador com um retrato social - Suor, O País do Carnaval e Capitães da Areia.do Carnaval e Capitães da Areia. Ciclo do Cacau: a vida nas fazendas nasCiclo do Cacau: a vida nas fazendas nas regiões de Ilhéus e Itabuna - Cacau, Terras doregiões de Ilhéus e Itabuna - Cacau, Terras do Sem-Fim, São Jorge dos Ilhéus.Sem-Fim, São Jorge dos Ilhéus. Crônicas de Costumes e depoimentos líricos:Crônicas de Costumes e depoimentos líricos: novelas, romances com temáticas amorosas.novelas, romances com temáticas amorosas. -Mar Morto, Gabriela Cravo e Canela, A  Morte-Mar Morto, Gabriela Cravo e Canela, A  Morte e a Morte de Quincas Berro D’água.e a Morte de Quincas Berro D’água.
  16. 16. José Lins do Rego (1901- 1957)José Lins do Rego (1901- 1957) ► Decadência dos engenhos de cana-de-açúcar;Decadência dos engenhos de cana-de-açúcar; ► Ciclo da cana-de-açúcar: sua vivência noCiclo da cana-de-açúcar: sua vivência no engenho;engenho; ► O narrador de Menino de Engenho, Carlinhos, é oO narrador de Menino de Engenho, Carlinhos, é o reflexo do próprio autor em alguns momentos;reflexo do próprio autor em alguns momentos; ► Fogo Morto (1943) sintetiza o ciclo e conta aFogo Morto (1943) sintetiza o ciclo e conta a história de um engenho chamado Santa Fé.história de um engenho chamado Santa Fé.
  17. 17. Menino de Engenho – O FilmeMenino de Engenho – O Filme Que fascínio e poder de sedução teve o filme Menino de Engenho, rodado na Paraíba em 1965, para atrair cerca de 2 milhões de espectadores, acumular prêmios no Brasil e reconhecimento no exterior? O que explica o encantamento arrebatador de suas imagens e narrativa, 40 anos depois? Onde anda o menino de engenho Sávio Rolim, símbolo do filme que já nasceu clássico? Leia o livro..
  18. 18. Érico Veríssimo (1905-1975)Érico Veríssimo (1905-1975) ““Em geral quando termino um livro encontro-meEm geral quando termino um livro encontro-me numa confusão de sentimentos, um misto denuma confusão de sentimentos, um misto de alegria, alívio e vaga tristeza. Relendo a obraalegria, alívio e vaga tristeza. Relendo a obra mais tarde, quase sempre penso ‘Não era bemmais tarde, quase sempre penso ‘Não era bem isto o que queria dizer’.”isto o que queria dizer’.” (O escritor diante do espelho)(O escritor diante do espelho)
  19. 19. Obras:Obras: 1) Romances urbanos: Clarissa, Caminhos cruzados, Um1) Romances urbanos: Clarissa, Caminhos cruzados, Um lugar ao sol, Olhai os lírios do campo, Saga e o Resto élugar ao sol, Olhai os lírios do campo, Saga e o Resto é silêncio.silêncio. 2) Romances históricos: O tempo e o vento. A trilogia de2) Romances históricos: O tempo e o vento. A trilogia de Érico Veríssimo procura abranger duzentos anos daÉrico Veríssimo procura abranger duzentos anos da história do Rio Grande do Sul, de 1745 a 1945.história do Rio Grande do Sul, de 1745 a 1945. 3) Romances políticos: denunciam os males do3) Romances políticos: denunciam os males do autoritarismo e as violações dos direitos humanos - Oautoritarismo e as violações dos direitos humanos - O senhor embaixador, O prisioneiro e Incidente emsenhor embaixador, O prisioneiro e Incidente em Antares.Antares.
  20. 20. Homenagem de Carlos DrummondHomenagem de Carlos Drummond de Andrade ao amigode Andrade ao amigo A falta de Erico VerissimoA falta de Erico Verissimo Falta alguma coisa no BrasilFalta alguma coisa no Brasil depois da noite de sexta-feira.depois da noite de sexta-feira. Falta aquele homem no escritórioFalta aquele homem no escritório a tirar da máquina elétricaa tirar da máquina elétrica o destino dos seres,o destino dos seres, a explicação antiga da terra.a explicação antiga da terra. Falta uma tristeza de menino bomFalta uma tristeza de menino bom caminhando entre adultoscaminhando entre adultos na esperança da justiçana esperança da justiça que tarda - como tarda!que tarda - como tarda! a clarear o mundo.a clarear o mundo. Falta um boné, aquele jeito manso,Falta um boné, aquele jeito manso, aquela ternura contida, óleoaquela ternura contida, óleo a derramar-se lentamente.a derramar-se lentamente. Falta o casal passeando no trigal.Falta o casal passeando no trigal. Falta um solo de clarineta.Falta um solo de clarineta. www.releituras.com
  21. 21. Dionélio MachadoDionélio Machado ““O que nos cerca e aprisiona é oO que nos cerca e aprisiona é o infinito, a falta de horizonte próximo, queinfinito, a falta de horizonte próximo, que marque uma etapa, como quem diz: umamarque uma etapa, como quem diz: uma finalidade... A ansiedade, porém é afinalidade... A ansiedade, porém é a mesma.”mesma.” Dionélio MachadoDionélio Machado
  22. 22. Esquecido pelos historiadores e pela críticaEsquecido pelos historiadores e pela crítica literária durante décadas.literária durante décadas. Em suas narrativas, a análise dos problemasEm suas narrativas, a análise dos problemas humanos é feita a partir das pequenas coisashumanos é feita a partir das pequenas coisas massacrantes que envolvem o cotidiano dasmassacrantes que envolvem o cotidiano das pessoas comuns e as anulam.pessoas comuns e as anulam. A obraA obra Os RatosOs Ratos (1935) talvez seja uma das mais(1935) talvez seja uma das mais profundas experiências de introspecção naprofundas experiências de introspecção na literatura brasileira.literatura brasileira.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×