Cerro da Vila<br />Vilamoura<br />
No dia 12 de Novembro fomos fazer uma visita de estudo às ruínas Romanas do Cerro da Vila em Vilamoura.<br />Enquanto espe...
A visita de estudo foi guiada pela Sílvia, que começou por nos levar até à entrada da casa que se chamava Ostio. Dentro da...
No entanto, eles também representavam cenas do dia-a-dia e com mais cores. A Sílvia também nos disse que as pedrinhas pequ...
De seguida fomos visitar o pátio central da casa que se chamava Peristílo, e tinha uma característica interessante, que er...
Tinha também um tanque que servia para apanhar a água da chuva. Depois servia para iluminar a casa com o reflexo do sol ou...
Logo a seguir fomos ver o Triclínio. Era a sala principal da casa, e era considerado um espaço nobre e destinado às refeiç...
Depois fomos ver a torre hexagonal, que era o local de vigia da villa. Como os ricos produziam vinho, cereais, azeite, tin...
Fomos ver o poço de água potável que servia para os donos das villas beberem água boa.<br />De seguida fomos visitar o lag...
A seguir fomos ver o silo, que servia para guardar os cereais fora de casa. O silo era construído com pedras, porque assim...
Seguidamente fomos ver os banhos. Os Romanos tinham três tipos de banhos: o caldário, que era o banho de água quente, o te...
Utilizavam também um objecto de metal que era o strigil que servia para raspar os óleos que punham na pele, que a amaciava...
Passámos depois pelo Praerfurnium que era a casa das fornalhas que serviam para aquecer os tijolos do caldário e do tepidá...
Depois fomos para o Natatio que era um grande tanque ou piscina de água fria integrada no complexo termal de banhos públic...
A seguir fomos ver as cetárias, que eram tanques de salga do peixe. O peixe ficava 6 meses de molho com ervas aromáticas, ...
Seguidamente fomos visitar os nichos funerários. Os Romanos ricos eram cremados (queimados), e colocados numas urnas que e...
A Sílvia falou-nos também do murex que era um molusco, cuja tinta servia para fazer a cor púrpura, que era depois utilizad...
Depois fomos ao Museu onde vimos vários objectos usados pelos Romanos e por outros povos. <br />
Texto trabalhado na sala de aula<br />12 de Novembro de 2009<br />FIM<br />
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Vilamoura

485 views
403 views

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
485
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Vilamoura

  1. 1. Cerro da Vila<br />Vilamoura<br />
  2. 2. No dia 12 de Novembro fomos fazer uma visita de estudo às ruínas Romanas do Cerro da Vila em Vilamoura.<br />Enquanto esperávamos pela nossa vez, aproveitámos para ir passear e lanchar na Marina.<br />
  3. 3. A visita de estudo foi guiada pela Sílvia, que começou por nos levar até à entrada da casa que se chamava Ostio. Dentro da casa havia muitos mosaicos de várias maneiras. Neste Ostio, os mosaicos só tinham duas cores, o preto e o branco e figuras geométricas. <br />
  4. 4. No entanto, eles também representavam cenas do dia-a-dia e com mais cores. A Sílvia também nos disse que as pedrinhas pequenas dos mosaicos se chamavam tesselas.<br />
  5. 5. De seguida fomos visitar o pátio central da casa que se chamava Peristílo, e tinha uma característica interessante, que era a de que todas as divisões da casa iam lá dar. <br />
  6. 6. Tinha também um tanque que servia para apanhar a água da chuva. Depois servia para iluminar a casa com o reflexo do sol ou da Lua Cheia e também para refrescar. O Peristílo era também zona de convívio e lazer. <br />
  7. 7. Logo a seguir fomos ver o Triclínio. Era a sala principal da casa, e era considerado um espaço nobre e destinado às refeições. Esta sala era ocupada pelos romanos, que passavam muito do seu tempo a comer, comiam desde as quatro horas até às oito horas. Faziam grandes banquetes em que comiam animais que caçavam, funcho e também ostras. Triclínio era o nome dado aos sofás sem costas onde comiam. <br />
  8. 8. Depois fomos ver a torre hexagonal, que era o local de vigia da villa. Como os ricos produziam vinho, cereais, azeite, tinham peixe e fartura de comida, estavam constantemente a ser atacados por ladrões e era por isso que tinham aquela torre.<br />
  9. 9. Fomos ver o poço de água potável que servia para os donos das villas beberem água boa.<br />De seguida fomos visitar o lagar, que era o local onde se produzia o vinho e o azeite. <br />Poço<br />Lagar<br />
  10. 10. A seguir fomos ver o silo, que servia para guardar os cereais fora de casa. O silo era construído com pedras, porque assim as pedras ficavam frescas e faziam de frigorífico.<br />
  11. 11. Seguidamente fomos ver os banhos. Os Romanos tinham três tipos de banhos: o caldário, que era o banho de água quente, o tepidárioque era o banho de água morna e o frigidárioque era o banho de água fria. A água quente era para abrir os poros, a água morna era para tirar a sujidade e a água fria era para fechar os poros.<br />Frigidário<br />
  12. 12. Utilizavam também um objecto de metal que era o strigil que servia para raspar os óleos que punham na pele, que a amaciava e perfumava.<br />
  13. 13. Passámos depois pelo Praerfurnium que era a casa das fornalhas que serviam para aquecer os tijolos do caldário e do tepidário.<br />
  14. 14. Depois fomos para o Natatio que era um grande tanque ou piscina de água fria integrada no complexo termal de banhos públicos, ao qual tinha acesso a generalidade da população. Os homens, além de relaxarem, usavam também os banhos públicos para conversar sobre política e negócios. Ao lado do Natatio estava um reservatório era onde se guardava a água para repor na piscina.<br />
  15. 15. A seguir fomos ver as cetárias, que eram tanques de salga do peixe. O peixe ficava 6 meses de molho com ervas aromáticas, sal e azeite e chamava-se garum. Depois era enviado para Roma, dentro de ânforas, pelo mar Mediterrâneo. <br />
  16. 16. Seguidamente fomos visitar os nichos funerários. Os Romanos ricos eram cremados (queimados), e colocados numas urnas que eram guardadas nos nichos funerários.<br />Urnas para as cinzas e frasco para as lágrimas<br />
  17. 17. A Sílvia falou-nos também do murex que era um molusco, cuja tinta servia para fazer a cor púrpura, que era depois utilizada para tingir as roupas dos mais ricos.<br />
  18. 18. Depois fomos ao Museu onde vimos vários objectos usados pelos Romanos e por outros povos. <br />
  19. 19.
  20. 20. Texto trabalhado na sala de aula<br />12 de Novembro de 2009<br />FIM<br />

×