A Voz da Paróquia_Agosto 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A Voz da Paróquia_Agosto 2012

on

  • 927 views

Informativo Paroquial A Voz da Paróquia Santíssimo Sacramento

Informativo Paroquial A Voz da Paróquia Santíssimo Sacramento

Statistics

Views

Total Views
927
Views on SlideShare
927
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
5
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A Voz da Paróquia_Agosto 2012 A Voz da Paróquia_Agosto 2012 Document Transcript

  • Agosto.2012 2 HORÁRIOS 1º Encontro Paroquial de Comunicação PAROQUIAIS MISSAS Comunicação não é um tema união e solidariedade entre os ho- municação (Pascom) em nossa toral da acolhida e da participa- 2ª a 6ª feira - 07h15novo na Igreja. Em 1966, o Con- mens, fim principal de toda a co- Paróquia. ção, das inter-relações humanas,cílio Vaticano II publica o Decreto municação, encontra segundo a fé O projeto é a longo prazo, da organização solidária, do pla- (Capelinha do Seminário)Inter Mirifica sobre os meios de comu- cristã, seu fundamento e figura no ousado e muito exigente, pois a nejamento democrático, do uso 5ª feira - 16hnicação Social, que muito antes da mistério primordial da inter-comu- comunicação pastoral, não é ape- dos recursos e instrumentos que (Missa da Saúde)internet, já se preocupava com o nicação eterna entre o Pai, o Fi- nas uma tarefa da Pascom, mas facilitem o intercâmbio de infor- 3ª, 4ª e 6ª feira- 19huso apropriado dos meios de Co- lho e o Espírito Santo, que vivem exige compromisso e dedicação de mações e manifestações das pes- (Igreja)municação: “A Igreja católica, fun- uma única vida divina”. cada uma de nossas equipes, pas- soas no interior da comunidade e Sábado- 18hdada por Nosso Senhor Jesus Cris- Para além, a Igreja nos pro- torais e movimentos e de cada um da sociedade”. (Estudo 75 CNBB, Domingo - 10h e 19hto para levar a salvação a todos põe ainda na Instrução Pastoral de nós, paroquianos, cristãos, ca- nº 244).os homens, e por isso mesmo Aetatis Novae, 1992, que precisa- tólicos, que almejamos cumprir a Trilhamos um dos primeiros eobrigada a evangelizar, considera mos nos planejar para exercermos nossa missão como batizados, pequenos passos e nossa comuni- LITURGIA DAS HORAS:seu dever pregar a mensagem de melhor esta missão de Comuni- anunciar a Boa Nova a toda a cri- dade está se preparando para rea- Laudes - 2ª a 6ª feira - 07h45salvação, servindo-se dos meios de car o Plano de Deus, pois a Co- atura. “Ide por todo o mundo, lizar o nosso 1º Encontro Pa- (Capelinha do Seminário)comunicação social” E vai além, municação “não é só uma ativi- pregai o evangelho a toda criatu- roquial de Comunicação, nonos tornando co-responsáveis por dade complementar que se vem ra” (Mc 16,15). dia 25 de agosto, a partir SERVIÇOS Eesta comunicação: “Além disso, juntar às outras atividades da Igre- Temos a consciência de que das 14h, para o qual são esperados EXPEDIENTEcompete principalmente aos leigos ja: a comunicação social tem, com Comunicação Pastoral não deve todos os integrantes de nossas pas-vivificar com espírito humano e efeito, um papel a desempenhar ser feita por apenas uma equipe, torais, equipes e movimentos. DA SECRETARIAcristão estes meios, a fim de que em todos os aspectos da missão com algumas pessoas. Sabemos Neste dia, véspera do domin- PAROQUIALcorrespondam à grande esperan- da Igreja. Não é suficiente, tam- que muito além de nos propor- go dedicado a Celebrarmos a Vo- 3ª a 6ªça do gênero humano e aos desíg- bém, ter um plano pastoral de mos a criar meios impressos ou cação dos Ministros Não Orde- das 08h30 às 11h30nios divinos.” comunicação, mas é necessário virtuais, para divulgar nossos even- nados, ou seja todos nós cristãos e das 14h às 18h Seguindo as orientações deste que a comunicação faça parte in- tos paroquiais, estamos todos, sen- leigos, teremos a oportunidade de Sábadosdecreto, em 1971 a Instrução Pas- tegrante de todos os planos pas- do desafiados a fazermos fluir a pensarmos um pouco em nosso das 08h30 às 12htoral Communio et Progressio, norte- torais, visto que a comunicação comunicação entre as pessoas, as Apostolado e nossa comunicaçãoava a comunicação: “Pela sua pró- tem, de fato, uma contribuição a pastorais e a comunidade, de uma pastoral, e juntos, reforçarmospria natureza, a comunicação so- dar a qualquer outro apostolado, forma acolhedora, na comunhão nosso desejo de fazermos a von- CONFISSÕEScial contribui para que os homens, ministério ou programa”. e na unidade e ainda a cumprir- tade do Pai e sermos verdadeiros 3ª feira - das 17h às 19h ecomunicando entre si, adquiram uma Pensando por estes caminhos, mos nossa missão principal de ir mãos em Cristo. (conf. Mt sempre que nos procuraremconsciência mais profunda da vida co- a Equipe de Comunicação que Comunicar a Boa Nova, o Pró- 12,50). através da Secretaria Paroquialmunitária. E assim cada homem, uni- prepara o informativo A Voz da prio Cristo. Que possamos nos encontrardo a todos os seus irmãos, coope- Paróquia Santíssimo Sacramento A CNBB propôs em 1997, a neste dia 25 com a alegria de ser- BATIZADOSra nos desígnios que Deus tem da um pequeno passo para con- Pastoral da Comunicação como mos verdadeiros discípulos missi-sobre a história, como que levado cretizar o sonho antigo de iniciar sendo: “a pastoral do ser/estar em onários! 2º Domingo depela mão divina. Por vez, esta e estruturar uma Pastoral da Co- comunhão/comunidade. É a pas- Equipe de Comunicação cada mês na missa das 10h NOSSA CAPA: Aniversariantes Dizimistas ADORAÇÃO AO SANTÍSSIMO Imagem: AGOSTO 2012 http://kathleenhar- SACRAMENTO rington DIA ANIVERSARIANTE DIZIMISTA DIA ANIVERSARIANTE DIZIMISTA (Capelinha do Seminário) .blogspot.com Tratamento 01 Judith Modesto de Melo 14 Luciene de Camargo Millard 2ª, 3ª, 4ª e 6ª feira de Imagem: 02 Juliane Dahmer Cardoso 15 Ermides Bertol Das 08h às 17h Editora Exceuni 5ª feira - Das 08h às 15h EXPEDIENTE: 02 Branca Ester Rossamai 16 Roque Luis Pedro Sábados - Das 08h às 12h EXPEDIENTE: Orgão Informativo da Paró- 02 Egeide Mary Feix 16 Roque Paulo Berard Domingos - Das 14h às 17h quia Santíssimo Sacramento – Rua Leôncio Correia, 381 (Esquina com Av. Iguaçu) – 03 Emilia Opalinski 16 Carlos Henrique de Souza CEP:80.240-320 – Tel: 3242-5567 – Água Verde – Curitiba – PR – Pároco: Fábio Endler – 04 Gerson Lucas 17 João Carlos Godri HORA DA Editado pela coordenação da Pastoral da Co- municação – PASCOM – Redação: Arlene MISERICÓRDIA Stenger – Colaboração Mensal: Padre Fabio 05 Maria Aparecida Cersozimo de Souza 18 Marcia Lipinski Endler, João Arnaldo de Oliveira, Diácono José 6ª feira - 15h Souza e Arlene Stenger - Jornalista Responsá- 06 Wilson Giehl 21 Cacilda Franke (Capelinha do Seminário) vel: Larissa Oksana - Comunicadora Social – Fotógrafa: Arlene Stenger , Eliana Esteves e 08 Terezinha Marly Oliveira 21 Ubirajara Bley Colaboradores– Distribuição: Pastorais e Movi- mentos da Paróquia – Tiragem:1000exemplares–Dis- TERÇO DOS HOMENS tribuiçãogratuita–Abrangência:BairrosÁguaV VilaIzabel, erde, 08 Terezinha Coelho 25 Maria Déa Guariza Seminário,BateleAdjacências–MatériaseColaborações enviar 1ª e 3ª quarta do mês - 20h para santissimo.sacramento@yahoo.com.br – 12 Ervino Tostoni e 26 Crissula Cristiane Kureski (Igreja) Diagramação e Arte Final: Editora Exceuni Ltda – (41) 3657-2864 e 9983-3933 12 Marilda Maciel 27 Geni Bernert OBS: Os artigos assinados contidos neste informativo não transmitem a opinião do Jornal ou da paróquia do 13 Antonio Fernandes dos Santos 28 Marisa de Fátima Torres GRUPO DE ORAÇÃO Santíssimo Sacramento sendo, portanto de responsabi- lidade dos autores ou entrevistados. 5ª feira – 19h30 (Igreja) 13 Janaina Taborda de Oliveira 31 Ivanir Oliveira
  • Agosto.2012 3 Padre: por que não? Diante da realidade domês vocacional deparamo-nos com um dos grandes de-safios da igreja no campo vo-cacional: o sacerdócio. “o cui-dado das vocações aos sacerdocio éum desafio permanente para aIgreja” (Orientações pastoraispara a promoção do Ministé-rio Sacerdotal, PontifíciasObras pelas Vocações Sacer- Arquivos da Paróquia - Retiro de Seminaristas - 09 de janeiro de 2012dotais). Não que este esgote toda nalçização e falta de importância ridade; a função central da fa- verdadeiramente valeria a concreto a Igreja particular ereflexão vocacional. Sabemos do seu papel e o risco de reduzir o mília; o testemunho de vida pena entregar a sua vida? uma abertura generosa a di-que este dom se desenvol- ministério a uma profissão entre dos presbíteros, coerente e Aqui são sugeridos alguns mensão universal da missão.ve na família, por exemplo. muitas.” (Orientações pasto- jubiloso; a eficácia educativa cuidados importantes: uma Além disso, é relançado o pa-Mas no sentido de que urge rais para a promoção do Mi- das experiências de volunta- profunda experiência de vida pel decisivo dos acompanha-uma atenção particular nistério Sacerdotal, Pontifíci- riado; o valor da escola e da comunitária, para evitar no- dores vocacionais.acerca deste serviço minis- as Obras pelas Vocações Sa- universalidade. vas formas de clericalismo, Mas quem é que hoje querterial que atravessa uma cerdotais). Certamente muitos já em de centralização pastoral, obedecer? Obediência pareceescassês de respostas gene- Sinto de modo muito par- algum momento se indaga- de ser viços p a s t o r a i s a ser a perda da autonomia, darosas em vista de três gran- ticular não termos nenhum ram: por que não padre? Esta meio-tempo; a inserção liberdade. Obedecer ao Cha-des motivos, pelo menos jovem de nossa comunidade inquietação pode não ser si- consciente numa relação mado de Deus é justamentena Europa ocidental, mas aos fazendo um discernimento nal de vocação ao sacerdócio, intima de amor com o Pai encontrar como resposta umpoucos se tornam realidades vocacional neste sentido. mas poderia sê-lo. Um jovem que chama, com o Filho caminho que realmente podeque já sentimos também em O Documento ainda enu- que em algum momento pen- que conforma e com o Es- me levar a que eu realize tudonosso continente: “O caso mera as condições necessári- sou nesta direção de vida de- pírito que plasma com a o que sou. Uma resposta exis-mais clamoroso é o da Europa que as para que a graça encontre veria ser ajudado a compre- educação para a oração, a tencial de sentido e plenitu-sofre há vários anos em maior me- abertura dos jovens: criar um ender que este poderá ser seu escuta da Palavra, a Eucaris- de! Os pais e educadores de-dida a diminuição de vocações. Os terreno fecundo de vida cris- verdadeiro lugar e confirmar tia, e o silêncio orante; a exi- veriam pensar menos em simotivos são pelo menos três: de- tã na comunidade eclesial, a esta verdade não é algo a se gência de uma plena integra- mesmos quando pensam quecrescimo demográfico e crise da fa- função insubstituível da ora- descartar. ção e maturação afectiva, evi- um chamado como este podemília; mentalidade secularizada e ção que invoca do dono da Já parou pra pensar que se tando pessoas marcadas por comprometer a felicidade da-cultura relativista; condições difí- messe a abundância dos ope- de fato Deus o está chaman- profundas fragilidades huma- queles que amam.ceis da vida e do ministério do sa- rarios; o valor da pastoral in- do, você pensando em não nas e uma participação ampla Precisamos de animadorescerdote, exposto a transformações tegrada; um novo impulso de ouví-lo poderia estar deixan- e dócil no contexto eclesial, vocacionais!profundas, que causaram margi- evangelização e de missiona- do de lado um caminho que com a maturação de um amor Pe. Fabio Endler Oração Vocacional: Senhor da messe e pastor voz. Senhor, que a messe não nhor, que a messe não se per- ral em tua Igreja. do rebanho, faz ressoar em se perca por falta de operári- ca por falta de pastores. Susten- Senhor da messe e pastor nossos ouvidos teu forte e os. Desperta nossas comuni- ta a fidelidade de nossos bispos, do rebanho, chama-nos suave convite: “Vem e segue- dades para a missão. Ensina padres, consagrados e leigos. par a o ser v iço do teu me”. Derrama sobre nós o teu nossa vida a ser ser viço. Dá perseverança aos nossos povo. Maria, mãe da Igre- Espírito, que Ele nos dê sa- Fortalece os que querem seminaristas e vocacionados. ja, modelo dos seguidores bedoria para ver o caminho e dedicar-se ao Reino, na vida Desperta o coração de nossos do Evangelho, ajuda-nos generosidade para seguir tua consagrada e religiosa. Se- jovens para o ministério pasto- a responder sim. Amém.
  • Agosto.2012 4 AGOSTO – MÊS DAS VOCAÇÕESSubsídio para o Mês das Vocações A Maior Vocação Nilze M. Glus - Fraternidade Eucarística CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, julho/2012 “Quando se aproxima agos- Consagrada da Conferência Na-to, “Mês Vocacional”, surge a cional dos Bispos do Brasilpergunta: O que podemos fazer (CMOVC/CNBB), reelabora-separa dinamizá-lo? A proposta esta distribuição nos domingos,deve ser que justamente neste mês ampliando a dimensão eclesio-todas as comunidades possam lógica da vocação. Ficou assimperceber a importância da iden- estabelecido:tidade e da missão vocacional de 1º Domingo celebramos acada um de nós e, com isto, pos- Vocação dos Ministros Ordena- Nossa Igreja nos convida a esboçava o que seria sua vida;sam trabalhar com afinco a “vo- dos (bispos, padres e diáconos); orar pelas vocações. Seja qual amar sem medidas a Jesus nacacionalização” durante o restan- 2º Domingo celebramos a for nosso estado de vida, e qual Eucaristia. Dedicou-se a levar ate do ano. Vocação da Vida em Família (em for nossa escolha, devemos vi- todos o amor a Jesus-Hóstia A missão da Pastoral Voca- sintonia com a Semana Nacio- ver no mundo de maneira cor- pelo Culto Solene da Adoração,cional / Serviço de Animação nal da Família); reta, e, com os olhos voltados criando a Adoração Perpétua aVocacional (PV/SAV) se expri- 3º Domingo celebramos a para o alto, o eterno, pois a ca- Jesus Cristo Sacramentado.me em quatro verbos: desper- execução das atividades serão Vocação da Vida Consagrada minhada na terra é muito rápi- Entre suas inúmeras Obras,tar, discernir, cultivar e acom- eficazes quanto mais houver a (religiosas, religiosos, leigas e lei- da. Nosso porto de chegada é todas voltadas para a Eucaris-panhar a vocação cristã e as vo- participação de todos. gos consagrados); a eternidade. Somos criaturas tia, fundou a Congregação dascações específicas a serviço da Há algumas orientações prá- 4º Domingo celebramos a de Deus, por Ele fomos cria- Servas do Santíssimo Sacramen-comunidade eclesial. É em vista Vocação dos Ministros Não dos e só seremos realmente fe- to, e, mais tarde, a Agregação ticas para iluminar nossos traba- lizes quando para Ele voltar- do Santíssimo Sacramento, fili-disso que estas sugestões foram lhos: - Antes o “Mês Vocacio- Ordenados (todos os cristãos mos. adas à Congregação Sacramen-preparadas. Assim, durante o nal” era tido como celebração a leigos e leigas). Na agitação da vida, você tina. Deste ramo surgiu a Fra-“Mês Vocacional” se aprofunda partir das seguintes referências: o A CMOVC, neste ano de tem tempo para silenciar o co- ternidade Eucarística, que inspi-a consciência da responsabilida- 1º Domingo: “Dia do Padre”; 2012, também nos ajuda com ração e sussurrar Àquele que ra seus membros na vida euca-de de todos com esta união para o 2º Domingo: “Dia dos Pais”; um tema e um lema que nos au- tudo ouve: Senhor, que queres rística. No seu Diretório doque ela possa ser vivenciada com o 3º Domingo: “Dia das Religi- xiliam, iluminando nossas ações. de mim? A resposta Deus já Agregado, S. Pedro Julião Ey-entusiasmo ao longo do ano. osas”; e o 4º Domingo: “Dia O tema escolhido foi enviou a você e a todos nós, mard assim determinava: "O Na medida do possível, to- das(os) Catequistas”. “Chamados(as) à vida plena em antes de sua pergunta, pois está agregado deve amor, serviço,das as comunidades deveriam se Com a indicação da Comis- Cristo”, com o lema: “Eis que escrito: "Amarás o Senhor teu culto soberano ao Santíssimoenvolver na dimensão vocacio- são Episcopal Pastoral para os faço novas todas as coisas!” (Ap Deus de todo o teu coração, Sacramento, para encontrar Je-nal. Por isso o planejamento e a Ministérios Ordenados e a Vida 21,5).” de toda a tua alma e de todas sus na Eucaristia e na Eucaristia as tuas forças." (Dt 6,5). Que todas as coisas."Serviço: Está à disposição de todos no nosso blog o subsídio da CNBB para estudo e orações seja esta a nossa grande voca- Eis a grande missão doshttp://pascomsantissimosacramento.blogspot.com.br/ ção; amar muito a Deus, pois adoradores; amar a Jesus-Eu- Ele nos ama e quer que o ame- carístico e testemunhar este Oração a São Pedro Julião Eymard mos. Que em nossa vida terre- na, sejamos pessoas exempla- amor, conquistando mais cora- ções para o Senhor. res na profissão que escolhe- No dia 02 de Agosto, cele- São Pedro Julião, vós que vos dedicastes inteiramente à mos, sem nunca esquecer a vo- bramos a Memória de São Pe- Eucaristia, alcançai-nos uma fé profunda neste sacramento cação para a qual todos são dro Julião Eymard, o Apósto- no qual Jesus Cristo, presente, atualiza sua missão salvadora chamados: Amar e servir a lo da Eucaristia. Peçamos a Deus. Deus que nos ajude, inspiran- e nos revela todo o seu amor. Este mandamento foi a luz do-nos. Que possamos seguir Que esse amor dirija toda a nossa vida e que o Reino de do caminho de todos os San- nossa vocação terrena, traba- paz, união e fraternidade que trouxe à terra, se estabeleça tos. S. Pedro Julião Eymard lhando em nossa profissão, sem viveu estas Palavras . Sua vida esquecer a grande vocação para entre todos os povos. foi um magnífico canto de lou- a qual todos são chamados: Fazei que, por palavras e ações, colaboremos para que a vor, dedicação, sacrifício e lou- Amar e servir a Deus. E que sociedade seja renovada e a terra se torne um lugar de agra- vor a Jesus na Eucaristia. Vin- consigamos seguir os ensina- dável convívio para todos os filhos e filhas de Deus. do de uma família muito reli- mentos de S. Pedro Julião Ey- giosa, desde cedo revelou este mard para sermos fiéis adora- São Pedro Julião, rogai por nós! grande amor. Já na infância se dores a Jesus -Eucarístico.
  • Agosto.2012 5 Voz da Paróquia entrevista nosso Pároco, Pe. Fabio O Voz da Paróquia conversou com Por vezes não percebo a hora cer- grassem comigo. Que cada um se em-o Pe. Fabio, nosso Pároco, que tam- ta para agir, questionar, me afastar. Sei penhasse em acolher o outro e o co-bém completou neste mês de julho, que essas respostas não estão fora de locasse em primeiro lugar. Que fosse-três anos como Pároco e como Reitor mim, mas também sinto dificuldades mos um pouco mais livres, pois não éno Seminário Maior Santíssimo Sacra- em silenciar. o que o outro faz ou fala que definemento. Conciliar tudo isso com o descor- quem eu sou a não ser que este outro VOZ: Como tem sido este perí- tinar de um serviço paroquial: ser pai, seja Deus. Por que tenho de viver es-odo como Reitor de um Seminário amigo, pastor é um dos maiores desafios. cravo de minha própria sombra?e como Pároco de uma paróquia Estar inteiro no seminário como VOZ: Neste mês de agosto, de-que são fisicamente interligados? formador-reitor e ao mesmo tempo dicado pela Igreja às vocações, que Pe. Fabio: É um grande desafio disponível à comunidade como páro- mensagem o senhor poderia dei-conciliar estas grandes tarefas. A pas- co também é um desafio, mas penso xar para nossas famílias, nossostoral urbana é um desafio, mas formar que o aspecto mais difícil para mim é jovens, todos nós paroquianos?um sacerdote é ainda mais desafiador. vencer o perigo de “abandonar o bar- Pe. Fabio: Que tal descobrirmosÉ exigente, pois ao mesmo tempo em co a deriva” não assumindo respon- o maior tesouro de nossa vida? Em-que é preciso separar, vejo o tempo e é aquele que está comigo nesta jorna- savelmente nem um, nem outro. penhamo-nos tanto e gastamos tantaos espaços naturalmente fragmenta- da, para me ajudar a crescer e para que VOZ: Em 2009, na sua entrevis- energia para nos sairmos bem no co-dos e entrelaçados. eu também contribua, a fim de que ta ao jornal, quando perguntado légio, conquistarmos coisas, construir- VOZ: Quais tem sido os maio- ele possa experimentar o amor do pró- sobre suas expectativas para o fu- mos um futuro onde tenhamos con-res desafios? prio Deus. turo, o senhor dizia: “Que bom forto, segurança, sossego. E fica su- Pe. Fabio: Não levar os conflitos Muito me alegra ver a perseveran- seria se a comunidade fosse o lu- focado lá no fundo aquilo que é mui-da paroquia para dentro do seminário ça. Não um compromisso volúvel, gar pra gente se encontrar, fazer- to mais importante: nós mesmos.e não trazê-los de lá. Estar disponível mas um sim a Deus que se expressa mos amigos verdadeiros, vivermos Deus nos chama a existência, parapara a comunidade paroquial e estar na fidelidade aos compromissos da co- aqueles valores que hoje parece sermos quem verdadeiramente somos.realmente presente na vida do semi- munidade e que para muitos vai se con- que ninguém acredita mais ser Essa é a primeira pergunta e a maisnário. cretizando no envolvimento em uma ati- possível viver. Sonho em que todos importante: quem Deus me chamou Ser uma presença paterna e equili- vidade pastoral de evangelização. encontrem em nossa comunidade a ser? Uma parte da resposta é comumbrada para ambas as realidades vive- Ter ao meu lado tantas pessoas que um espaço de acolhida onde a ver- a todos nós: chamados à sua glória, àrem em harmonia é o que tenho pedi- não só nutrem um grande carinho e dade de cada coração possa ama- realização plena que é ama-lo e lou-do ao Senhor. cuidado com o bem estar de todos, durecer e frutificar.”. Acha que seu va-lo eternamente. Mas enquanto isso Neste sentido Deus colocou em mas são criativas, dedicadas, respon- sonho se realizou? Hoje, quais se- não se descortina para nós de modonossa vida Pe. Gilberto e Pe. Lucia- sáveis e especialmente sensíveis. riam suas esperanças e expectati- definitivo a única possibilidade deno, ambos têm suas responsabilidades Como é bom conviver com gente com vas para a nossa comunidade? encontrarmos a especificidade de nos-diretas, mas eles muito têm me aju- tantos dons e capacidades. Especial- Pe. Fabio: Ainda continuo acredi- sa resposta é amando e servindo osdado a tomar consciência e a discer- mente me alegro quando se lançam tando firmemente neste sonho. Pen- nossos irmãos.nir neste contexto da vivência junto à nas mãos de Deus e assumem tarefas, so que hoje posso acrescentar que Então é gastando a vida que en-paroquia e ao seminário. Deus tem sido serviços, doam seu tempo, sua oração, vejo que isto já estava acontecendo e contraremos o nosso verdadeiro sen-generoso para comigo, como é bom sua energia Àquele que tudo nos en- continua, então concluo que algo tido? Não tem outro jeito, só realiza-ter com quem contar. tregou. mudou: meu olhar. remos e descobriremos aquilo que nos VOZ: Quais tem sido suas mai- VOZ: E os maiores desafios? Aqui em nossa paróquia configu- define particularmente se nos lançar-ores alegrias junto à comunidade? Pe. Fabio: Tenho esbarrado espe- ram-se grandes amizades, famílias en- mos nesta jornada. Veja não é uma Pe. Fabio: Encontrei em nossa co- cialmente no que poderia chamar de cantadoras, casais maravilhosos, jornada para fora, acaba sendo umamunidade muitas pessoas generosas. “processo de amadurecimento”. Es- quem, por exemplo, não se recorda jornada interior: vou oferecendo aoParoquianos desejosos de uma expe- ses últimos anos têm sido para mim aqui de Milton e Mary..., mães e pais outro daquilo que é unicamente meuriência mais profunda com Deus. Per- muito diferentes dos outros que já que tudo “fazem” pelos filhos, dizi- e vou descobrindo quem sou.cebo isso especialmente pelo grande vivi. Aqui descobri novas possibilida- mistas generosos e tanto mais. Isto é descobrir a vocação. O cha-amor dedicado aos sacerdotes e semi- des, oportunidades, perspectivas... Grupos de vivência nas pastorais mado que Deus faz a cada um a sernaristas. Lidar com tudo isto traz consigo o e movimentos, que vão muito além feliz e realizado. Este é o tesouro que Muito me alegra ver a comunida- grande desafio da responsabilidade, da das formalidades e das reuniões. Lei- você está desafiado a encontrar.de unida. Observar o grande esforço solidão. Não que me sinta só. Mas é gos e Leigas de uma vida espiritual O tesouro que coincide com a ale-que cada um faz para acolher e res- que, a concretização de algumas rea- fecunda, verdadeiros intercessores, gria do doar-se e encontrar no fim dopeitar o outro que é diferente e tem lidades, agora são definidas em vista para-raios. Gostaria que todos perce- caminho a certeza do amor criador dooutras matizes, compreendendo que também de minhas respostas. bessem e vissem o que vejo e se ale- próprio Deus.
  • 6 Agosto.2012 III Retiro Espiritual Mais uma oportunidade de Deus para a nossa salvação. Luiz Cezar Martins - Grupo de Oração Fonte Viva do Santíssimo Sacramento Em um mundo frenético, de o tema “Deixai-vos conduzir pelo vos ao serviço uns dos outros, implantado aqui e agora. missão para Deus realizar as suas mcompromissos múltiplos, onde, Espírito”. E como já é tradicio- porque toda a Lei se resume nes- “Convido a todos vocês a ravilhas em nossa vida”. Finalizou.quase sempre, não encontramos nal, o Retiro foi conduzido por Dom ta palavra: «Amarás o teu próxi- tomar a decisão de ser um sinal Com um belíssimo momenttempo para nada e nem mesmo Celso Antônio Marchiori, Bispo da di- mo como a ti mesmo». Se vós, do Céu. E quais frutos do Espíri- de adoração ao Santíssimo Sacrapara Deus, um retiro espiritual ocese de Apucarana e nosso ex-pároco. porém, vos mordeis e devorais to Santo o Senhor nos propõe a mento o Retiro foi encerrado comtorna-se imprescindível para a Mais de 150 paroquianos par- mutuamente, tende cuidado, que cultivar para sermos aqui nesta a celebração da Santa Missa qunossa vida. É uma oportunidade ticiparam desta terceira edição do acabareis por destruir-vos uns aos terra um sinal do Céu? Os frutos se iniciou às 18hs após a acolhidde paramos um pouco para re- Retiro, onde através das orações, outros. Por isso vos digo: Deixai- da caridade, da brandura, da afa- que o Pe. Fábio fez a Dom Celsfletir sobre nós mesmos, sobre a das pregações e dos testemunhos vos conduzir pelo Espírito e não bilidade, da paz, da temperança e e a todos os participantes do Renossa condição de vida; para pen- de Dom Celso todos puderam satisfareis os desejos da carne”. da paciência.” Com estas palavras, tiro. A Santa Missa foi presididsar em como estamos vivendo, aprofundar a temática da vivên- O retiro foi marcado por vá- em um dado momento do Reti- por Dom Celso e concelebradquais motivações para as tarefas cia comunitária e em família sob rios momentos fortes de espiri- ro, Dom Celso desafiou a todos pelo Pe. Régis que permaneceque realizamos e para o modo de a luz da Palavra de Deus na Epís- tualidade onde os participantes a serem aqui nesta terra um sinal durante todo o Retiro atendendvida que estamos levando; como tola de São Paulo aos Gálatas (Gl por várias vezes se emocionaram do Céu. E lembrando o que nos as confissões juntamente comestamos agindo e nos comportan- 5,13-18) que nos adverte: ao ponto de derramar lágrimas fala São Paulo em Gl. 5, 24 – “E Pe. Gilberto.do no meio da sociedade. Enfim, “Foi para a verdadeira liber- diante das verdades de Deus re- os que são de Cristo crucificaram a car- E como se já não fossem suuma série de questionamentos que dade que Cristo nos libertou. Por- veladas através das belas prega- ne com as suas paixões e concupiscênci- ficientes todas as graças recebidapodem ser respondidos por meio tanto, permanecei firmes e não ções de Dom Celso. Foram mo- as.” Dom Celso ensinou ainda que neste Retiro, após a Santa Missdo silêncio, da oração, da prega- torneis a sujeitar-vos ao jugo da mentos de vivenciar o céu aqui na “as paixões e as concupiscências nos em- todos ainda foram convidadosção e de um aproximar-se mais escravidão. Vós, irmãos, fostes terra, porém, com a consciência purram para as obras da carne, mas participar de um delicioso cafintenso ao Senhor. chamados à liberdade. Contudo, de que fazemos parte deste mun- Deus deseja que pratiquemos as obras colonial servido no salão paroqu Foi com este propósito que no dia não abuseis da liberdade como do e, portanto, devemos colabo- do Espírito. E este retiro é mais uma al. Louvado seja o Senhor po21 de julho aconteceu em nossa comuni- pretexto para viverdes segundo a rar com Deus e com os irmãos oportunidade que Deus nos concede para tantas maravilhas que Ele nos condade o terceiro Retiro Espiritual com carne; mas, pela caridade, colocai- para que o Reino do Céu seja abrirmos o nosso coração para dar per- cedeu neste dia.
  • Agosto.2012 7Aconteceu Encontro Mundial de Jovens da Renovação Carismática Católica Também estamos no mundo virtual Com uma enorme alegria a Equipe de Comunicação da Paróquia Santíssimo Sacramento colocouno ar neste mês de julho, três novos canais de comunicação: um Blog, nossa página no FaceBook e umendereço de E-mail. Através deste canais será possível ver as fotos de nossos eventos, estar atualizadocom a programação paroquial, ler o jornal, enfim, estar por dentro de tudo que acontece em nossaparóquia. Venha você também se juntar a nós! Leia, Participe, Divulgue, Opine, Contribua, Comente e "Curta",Comunique... Estes são espaços de todos nós, para que Nosso Senhor Jesus Cristo, esteja e permaneça,vivo em nosso meio. - Blog : http://pascomsantissimosacramento.blogspot.com.br/ - Página no FaceBook: https://www.facebook.com/pages/Paróquia-do-Santíssimo-Sacramen-to/2973-83260357922 - E-mail da Pascom: pascom.paroquia.santissimo@gmail.com Encontro do CEBI - Grande Curitiba 17 de junho de 2012 Na segunda Semana de Julho, aconteceu o Encontro Mun- Ramon Bonet - Coord Dimensão 5 – Ecumenismo e Diálogo Interreligioso dial de Jovens da RCC. O evento contou com a presença de 5000 jovens do mundo Inteiro. Os jovens do Jesus Vive e Reina marcaram presença nos dias do evento juntamente com outros jovens curitibanos! Ao todo, 40 países estavam pre- sentes no evento. Foram dias de Pregações, formações, de muitas alegrias e novas amizades (Estrangeiras e Nacionais) e principalmente de MUITA ORAÇÃO. Um evento como esse jamais será esquecido por quem participou! Paralelamente ao EMJ, mas em outro espaço do Centro de Convenções, estava acontecendo o Congresso Nacional da Realizado na Paróquia Nossa Campo pelo prazer do encontro. RCC.enhora Rainha da Paz, na Borda Estudamos parte do Documen-o Campo em São José dos Pi- to Discípulos e Servidores da Mais fotos do evento podem ser acessadas dire-hais, realizou-se este encontro Palavra de Deus na Missão da tamente do site do eventoara o qual foram convidadas Igreja, aprovado na recente As- http://www.mundial2012.rccbrasil.org.br/odas as pessoas envolvidas no sembleia da CNBB e também ou então, através do Blog da Paróquia http://studo bíblico segundo a meto- conversamos sobre os materiais pascomsantissimosacramento.blogspot.com.br/ologia da Leitura Popular da já disponíveis para estudo do íblia.A sala estava bem prepa- tema do Mês da Bíblia. Após aada com um significativo es- avaliação dos trabalhos do dia, en-aço sagrado, acolheu19 pes- cerramos a tarde com um mo-oas que vindas de São José mento final de oração e canto eos Pinhais, Curitiba e cidades nos despedimos com abraços e o Interior, fo r mavam um vontade de reencontro, que já estárupo de corajosos e corajosas, marcado para o dia 11 de novem-ue numa tarde cinzenta e depois bro, das 14h às 18h, em local ain-huvosa, viajamos até a Borda do da a ser confirmado.
  • 8 Agosto.2012 Cantinho de Reflexão Diácono Souza João Arnaldo Nossa Senhora da Assunção: Solenidade 19 de agosto Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos “Como bons administradores da multiforme graça de Deus, cada um coloque à disposição dos outros o dom que recebeu” (1 Pedro 4, 10) Todos nós recebemos nhor que visa a plena hu- o gelo com todas as suas o senhor. É que não haviaalgum dom de Deus. Um manização do homem. É forças, conseguindo por ninguém por perto, parapresente, uma dádiva, um dom, graça, eleição cuida- fim quebrá-lo e libertar o dizer ao garoto que ele nãocarisma, algo especial que dosa, visando a construção amigo. seria capaz!o Senhor concedeu, por do Reino dos Céus. (Can- Quando os bombeiros Fazer ou não fazer algo,amor e gratuidade, a cada ção Nova.com) chegaram e viram o que só depende de nossa von-um de nós. Uns têm cer- PARA REFLETIR: havia acontecido, pergun- tade e perseverança.tos dons, outros possuem Conta uma linda histó- taram ao menino: Frases & Pensa-dons diferentes, mas, ria que duas crianças esta- - Como você conse- mentos:como nos diz São Paulo, é vam patinando num lago guiu fazer isso? É impos- “Sei que o meu traba-um único Espírito que dis- congelado da Alemanha. sível que tenha conseguido lho é uma gota no oceano,tribui os dons como Lhe Era uma tarde nublada e quebrar o gelo, sendo tão mas sem ele, o oceano se-aprouver. Seja para consti- fria, e as crianças brinca- pequeno e com mãos tão ria menor”. (Madre Teresa de MARIA, a criatura dias e três noites junto dotuir família, viver exclusiva- vam, sozinhas e despreo- frágeis! Calcutá) privilegiada com a isen- sepulcro, revezando-semente para Deus ou para cupadas. De repente, o Nesse instante, um jo- “Sou um pequenino lá- ção do pecado original em grupos, ouviam dedoar a vida por uma mis- gelo se quebrou e uma de- vem senhor que passava pis nas mãos do meu se- e com a prerrogativa de contínuos coros angélicossão, todos os cristãos pos- las caiu, ficando presa na pelo local, comentou: - Eu nhor, é Ele que faz tudo”. ter sido escolhida para ser que louvavam a Mãe desuem uma vocação. Ela é fenda que se formou. A sei como ele conseguiu! (Madre Teresa de Calcutá) a Mãe-virgem do Filho Deus, aos quais juntavamo chamado do Pai, cuja fi- outra criança, vendo seu Os bombeiros pergun- “Deus nos fez perfei- do Altíssimo, Maria su- os seus fracos louvores.nalidade é a realização ple- amiguinho preso e se con- taram:- Pode, então, nos tos e não escolhe os capa- biu ao céu em corpo e E os coros haviam ces-na da pessoa humana. É gelando, tirou um dos pa- dizer como? citados, capacita os esco- alma. sado. É que Maria subiraum gesto gracioso do Se- tins e começou a golpear - É simples, respondeu lhidos”. Aquele corpo imacu- ao céu! Maria ressuscitara! lado não podia ser des- Convencidos de que o feito na sepultura, como Senhor, antecipando-a a um corpo qualquer. ressurreição geral, tinha-a Oração a Nossa Senhora da Assunção Com grande venera- ção e amor foi o Santo feito entrar triunfalmente na glória, os Apóstolos e Ó dulcíssima soberana, Rainha dos Anjos, bem sabe- Corpo depositado no seus sucessores sempre o sepulcro pelos Apósto- creram e ensinaram, e talmos que, miseráveis pecadores, não éramos dignos de los que, conforme reza é o sentir da Igreja no de-vos possuir neste vale de lágrimas, mas sabemos tam- a tradição, estavam na correr dos séculos.bém que a vossa grandeza não vos faz esquecer a nossa ocasião de sua bendita Ah! Não pode haver morte e de sepultamen- cristão-católico que nãomiséria e, no meio de tanta glória, a vossa compaixão, to, menos o Apóstolo creia e professe que Ma-longe de diminuir, aumenta cada vez mais para conos- São Tomé que, chegan- ria Santíssima subiu redi-co. Do alto desse trono em que reinas sobre todos os do no terceiro dia, quis viva para a Glória, para ver mais uma vez o sa- continuar a sua missão deanjos e santos, volvei para nós os vossos olhos miseri- grado Corpo. Abriram, Corredentora, mormentecordiosos; vede a quanta tempestades e mil perigos es- pois, o sepulcro, e eis que agora depois que o Santotaremos, sem cessar, expostos até o fim de nossa vida! o encontraram vazio, Padre Pio XII, anuindo ao porém alcatifado de desejo dos católicos doPelos merecimentos de vossa bendita morte obtende- frescas e lindas flores, mundo inteiro, proclamounos o aumento da fé, da confiança e da santa perseve- que exalavam um agra- o Dogma da Assunção.rança na amizade de Deus, para que possamos, um dia, dabilíssimo perfume. Assunta est Maria in Estava confirmado o coelum!...ir beijar os vossos pés e unir as nossas vozes às dos espí- que os Apóstolos e os MARIA E SEUSritos celestes, para louvar e cantar as vossas glórias eter- outros fiéis suspeitavam: GLORIOSOS TÍTU-namente no céu. Assim seja. tendo eles passado três LOS.
  • Agosto.2012 9 O papel do Leigo Vicentino na Igreja de Hoje – “Vocação” Joni Zanetti - Movimento Vicentino Quando o Concilio Vaticano o carisma da VOCAÇÃO, sem sos gestos e ser motivados por mos que somos capazes de atra-II comenta sobre a igreja, abor- a qual era impossível desenvol- nós a vencerem na vida. Se nós vessar as tormentas e ir em bus-da dois aspectos: no primeiro ver um trabalho nas comunida- Vicentinos não conseguirmos ser ca de um novo horizonte. E comolha a igreja a partir do próprio des mais miseráveis daquela épo- a luz e o sal, como Jesus nos pe- a ajuda da força superior (nossointerior; no segundo aspecto, ca. Doenças, fome, desavenças, diu como eles poderão se espe- Deus) nada nos impedirá, isto é,olha-a a partir da missão ou vo- guerras, os leigos tinham que ca- lhar em nós e crescer? Nossas ganhar e permanecer com acação. minhar sobre estas adversidades forças precisam se converter em VOCAÇÃO. Os cristãos dos primeiros sé- para cumprir o papel de vicenti- combustível e fermento para A Conferência Vicentina daculos se entendiam como cren- nos aos irmãos miseráveis e dar- eles. Paróquia Santíssimo Sacramen-tes em Deus discípulos de Jesus lhes o alimento do corpo e da Temos que mostrar aos nos- to precisa de mais confrades ee irmãos entre si. Todos partici- alma. Os Vicentinos “vocaciona- sos assistidos que todos nós te- consocias, homens e mulheres,pavam de um modo ou de ou- dos” são especialmente chama- mos força interior, sem exceção. como você!tro na vida da comunidade. dos a tornarem a igreja presente O Pai criou os filhos iguais e cada Junte-se a nós, deixe sua vo- Está hoje caracterizada pela e ativa naqueles locais e circuns- um deu essa força. O que ocor- cação aflorar para com os maissimultânea presença da diversi- São Vicente se dedicou a tâncias em que só por meio de- re é que muitos não acreditam carentes.dade e da complementaridade obras importantes como a for- les, ela pode ser o sal da terra. no potencial interno, pensando Nos reunimos às quartas-fei-das VOCAÇÕES e condições mação do clero ao qual punha Deste modo todo e qualquer vi- que não são capazes e, por isso, ras sempre às 20:00 horasde vida, dos ministérios, dos ca- uma responsabilidade importan- centino que seja “carimbado/ muitas vezes, abandonam o ca- Artigos, sugestões, testemu-rismas e das responsabilidades. te, mas outras obras mais diretas vocacionalmente”, pelos dons minho vicentino que se abre a nha da vida do pobre, visitas etc.. Quando falamos dos leigos em favor dos pobres, Vicente de que lhe foram concedidos, é ao frente, isto é , perder a VOCA- Informações na Secretaria dana igreja, falamos também da Paulo punha a responsabilidade mesmo tempo, testemunha e ins- ÇÃO. Paróquia – 3242-5567“vocação” de cada um na co- nos leigos, homens e mulheres, trumento vivo da missão da pró- Dentro de cada um de nósmunidade, São Vicente de Paulo envolveu os leigos em progra- pria igreja. existe uma tremenda força, ca-tinha uma visão clara do papel mas, senão também aprendeu Nossas famílias assistidas pre- paz de nos fazer continuar a jor-deles, em particular em desem- dos pobres mesmos e de seus cisam ver em nós duas forças; (a nada, enfrentando qualquer obs-penhar a missão de evangeliza- colaboradores, esses leigos das superior e a interior); eles tam- táculo que apareça. Ela é umação, serviço e amor aos pobres. comunidades sem duvida tinham bém precisam ver Deus em nos- força que faz com que descubra- Dia dos Pais – Vocação Família Pastoral da Família - Roque José Kammers Há quem diga ser o Dia da do poder criador de Deus. A fa- ção dos bons costumes, na saúde sões do tsunami destruidor de fa- É imensa a responsabilidade de umMães mais charmoso, mais bada- mília gera vida, assemelhando-se mental e religiosa, na harmonia, mílias e de filhos. Para facilitar, é pai de família, na sociedade. Religio-lado que o Dia dos Pais. Será ? A ao Criador. Deus na criação não no relacionamento e na defesa só na família, que encontramos sos e religiosas, leigos e sacerdo-sociedade certamente os iguala, deixou tudo perfeitamente acaba- dos valores morais da família. Não reunidas todas as for mas de tes, todos são convidados, cadatambém a Igreja. Todo mês de do, o pai de família dá conti- basta reunir-se e conversar regu- amor: o amor conjugal, ge- um dentro do seu estado, e comagosto é especialmente dedicado nuidade, tem participação concre- larmente com os filhos e dizer a rador de vida, o amor pater- seu carisma, a dar testemunho deàs vocações: sacerdotal e diaco- ta no ato da criação, na conserva- eles que os amamos. É fundamen- nal e maternal, que guarda os adesão à causa de Cristo. Tambémnal, religiosa e também à voca- ção da espécie humana; de onde é tal, mas precisamos muito mais. filhos, dons de Deus, o amor o pai de família. Só ele pode, por-ção familiar. O segundo do- mais fácil entender ser a família uma Cabe ao pai, sem nenhuma filial que os filhos devolvem aos que são milhões, só ele tem podermingo de agosto exalta a voca- instituição de origem divina e não vergonha ou constrangi- pais, que lhes deram a vida, e o para redirecionar a sociedade, evi-ção familiar, com destaque humana. Quê responsabilidade mento assumir-se como cen- amor fraternal, que os filhos tando os excessos, a intolerância,para o Dia dos Pais. ! Em contrapartida, contamos tro irradiador de valores, vivenciam entre si. Cabe ao pai o individualismo, o consumismo Atravessamos um período par- com a certeza da proteção divi- de equilíbrio e autoridade, conjuntamente com a mãe, con- depravado, combatendo a liberti-ticularmente desgastante para a na; a família sempre sobreviveu e como representante legítimo servar e administrar todo esse nagem e a devassidão; e é possí-família, quase que um desprezo vencerá sempre quaisquer obstá- de Deus perante os filhos. poder avassalador concentra- vel, sem perder a masculinida-dos seus valores tradicionais, do culos, até mesmo o tsunami da in- Ser pai é ser reflexo de Deus para do na família feito sal, fermento e luz, de, sem hostilizar a modernida-amor sincero e desinteressado, da versão de valores, que avança so- os filhos, Deus que é pai e mãe. É e projetá-lo na sociedade, envolven- de, os avanços sociais ou a tecno-fidelidade, do perdão, da genero- bre a sociedade que se diz mo- muita responsabilidade, sim. do-a com a mensagem evangélica em logia. Engajando-se em algum mo-sidade e fraternidade. O que está derna e evoluída, mas ameaça Como pais, será que nos en- toda a sua plenitude e de quebra, ga- vimento eclesial ou paroquial, ofaltando à família ? Não seria um devorar a família. Se o papel do caixamos ? Estamos longe. Reco- rantindo a paz social. TERÇO DOS HOMENS, porpai mais atuante ? Não devemos pai na família foi sempre funda- nhecemos as dificuldades. Mas há Certamente nós pais temos exemplo.nós pais levar a mão à cabeça e mental, em nossos dias, porém, um segredinho que nos torna essa muito que evoluir, reconhecemos. Que Deus abençôe todos osconfessar o “mea culpa”? quando vivenciamos crescente missão possível e até mais leve, é Vocação esta, que exige também pais no seu dia, o Espírito Santo Não esquecer, que conjunta- crise de autoridade e inversão de o grande mandamento do amor, da Igreja preparação pré-nupcial os torne capazes e os encha demente com Deus Pai Criador, a valores, faz-se necessário que a porém, amor com a medida e catequese acuradas, sem o que coragem . Nossa Senhora,FAMÍLIA foi instituída como figura do pai, em colaboração com de Jesus, sem o qual não have- tenderá a definhar a principal fon- abençoai e guardai minhacontinuadora, como colaborado- a mãe, volte a exercer papel mais rá super-pai ou super-mãe que dê te e berçário de vocações sacer- família como propriedadera, como testemunha do Amor e destacado e operante, na forma- conta do recado, que resista às pres- dotais e religiosas, a família cristã. vossa !
  • 10 Agosto.2012 Hora da Misericórdia Marisa Torres - Mov Hora da Misericórdia Oração de Santa Faustina Roque José kammer e Carlos Machado - Coordenadores do Terço dos Homens Louvor a Eucaristia O QUE FAZEMOS - Rezamos o Terço, duas condicionalmente como filhos, nos ter salvado e nos Não é que mulher não possa participar. Acontece“Hoje Jesus veio morar no meu coração, vezes ao mês, (1ª e 3ª quar- ter prometido a ressurrei- que quando se trata de ex-Desceu do alto trono do céu ta-feira do mês, às 20:00h, ção e a eternidade. Mas ternar nossa Fé, nós ho-O grande Senhor, Criador de todas as coisas, na Capela do Seminário), Jesus também nos mens nos mostramos umVeio a mim em forma de pão. meditando os mistérios da ensinou a pedir: No pouco retraídos, meio tra-Ó Deus Eterno, encerrado em meu peito, nossa Fé. Depois da Santa Terço dos Homens, vados, machismo latino, tal-Convosco tenho todo o céu, Missa é o Terço a devo- além das intenções vez.E com os Anjos Vos canto - “Santo”, ção popular mais comple- acima apontadas, Quando somente ta, a mais poderosa e com cada um é livre para homens reunidos, pa-Vivo unicamente pela Vossa glória. certeza a mais agradável a colocar aos pés de rece que todos se soltamNão Vos unis com um Serafim, meu Deus, Jesus e Sua Mãe Maria. Maria suas angústi- mais. Quando cantamos, éMas com o homem miserável, PARA QUEM RE- as e preocupações, muita vibração, chega a serQue, sem Vós, nada pode fazer, ZAMOS - Nossa principal pessoais, da família comovente. O TerçoMas Vós sois sempre misericordioso para com ele. intenção e preocupação ou de terceiros. E to- dos Homens, nessesMeu coração é Vossa morada, são as vocações sacerdo- dos abraçam a cau- moldes, é difundido emÓ Rei de glória eterna, tais, precisamos urgente- sa do irmão, como todo o Brasil. Não há ne-Governai em meu coração e reinai nele, mente de mais padres. Pe- se fosse sua pró- nhum custo, só trazer o ter-Como um palácio magnífico. dimos pela santificação e a pria. A Mãe de Jesus, ço.Ó grande, inconcebível Deus, perseverança dos sacerdo- de uma forma ou de Se não fechar conosco,Que Vos dignastes tanto Vos rebaixar, tes. outra, nos tem aten- nenhum problema. AindaDou-Vos honra com toda humildade O QUE VOCÊ GA- dido a todos, sempre. assim você será sempre NHA COM ISSO? - Na É muito bom partici- lembrado pelo grupo doE suplico que Vos digneis salvar-me” verdade rezamos não só par do grupo, faz Terço dos Homens, pois (Diário 1231) para levar vantagem, pedir, bem ao coração, a incluímos em nossas ora- Que eu possa aprender com Santa Faustina; São Pedro Julião Eymard, S. João pedir... Rezamos porque gente se sente reali- ções todos os paroquianos,Maria Vianney e tantos outros Santos a curvar-me diante da Majestade do Cordeiro somos 100% dependentes zado, de consciência principalmente os doentes.de Deus, que apaga as culpas da minha alma e que me ajuda na salvação. Aleluia! O de Deus, Criador de tudo tranqüila ou como Mas ficaríamos orgulhososSenhor é Santo, digno de Louvor, Honra e Glória; Aleluia! “No terço da misericórdia e de todos. A Ele devemos dizem, de “alma lava- com sua presença e parti-está a chave para o Pentecostes para o mundo” (XXX Congresso Brasileiro adoração, amor e gratidão da”. cipação.da Renovação Carismática Católica Brasileira- Foz do Iguaçú - 10 à por nos ter criado, nos POR QUÊ TERÇO Informações: Secreta-l5 de julho de 2012). manter vivos, nos amar in- “DOS HOMENS”? - ria da Paróquia: 3242-5567 As Vocações embasadas no amor Arlene Stenger Esta época é propícia para rena, assumindo cada realida- Celebra-se no dia 04 de agosto fraquece”. Mesmo quando marcados por Deus e dele re- só o amor faz os membros daque cada um de nós procure de do mundo: a família, o tra- a festa de São João Maria Vi- tudo parece solidão, desolação, cebemos seu amor infinito. É Igreja agir. Compreendi que orealizar a sua conversão ou balho, os relacionamentos hu- anney, o Cura d’Ars, patrono dos o amor está ali afirmando que impossível olhar para a atitu- amor encerra todas as vocações,mudança de vida. Como? - manos, enfim, fazendo daqui- Párocos de todo o mundo. Ro- ele é o vencedor. Isso nos ani- de de amor de Jesus na cruz e e que o amor é tudo, que ele éRevendo a própria vida, no lo que consiste a nossa exis- guemos a ele que interceda junto ma a caminhar e nunca desistir ficar do mesmo jeito. As atitu- eterno. No coração da Igreja,sentido de verificar como te- tência humana, um meio de a Deus para que suscite muitas e da luta, da vida! Tem dom de des de amor têm o dom de minha mãe, eu serei o amor”.mos respondido ao chamado oferecermos a Deus, nosso Pai, Santas Vocações Sacerdotais e ser eterno em nós, aquilo que nos transformarmos, tem o Também nos afirma São Pau-que o Senhor nos fez: chama- o verdadeiro culto que lhe é Religiosas para a sua Igreja. abarca a dinâmica do amor. dom de sempre fazer em nós lo: “Agora, portanto, perma-do à vida, como seres huma- agradável: nossa vida santa, Ainda a nossa presença no Eterno é o amor presente na algo novo. Aproximemo-nos necem fé, esperança, amor, es-nos situados que estamos em nossa vida de filhos que pro- mundo precisa responder a vida dos casais que se doam do “amor eterno” deixando- sas três coisas, mas a maior de-uma determinada realidade curam corresponder ao amor missão a qual fomos chama- um ao outro vivendo a perse- nos contagiar por ele e assim las é o amor”. Sem amor, por-histórica. – Revendo nossa com que ele nos cumulou. dos. Convenhamos que, não verança e a fidelidade da voca- investir amor em toda experi- tanto não existe a realização davida cristã: o maior dom de Revendo nossa vocação parti- podemos passar por essa vida ção. Amor presente na atitude ência vivida por nós! A Igreja vocação, porque esta exigepredileção, de escolha que rece- cular (aquele chamado que sem deixar marcas de Deus no da nossa juventude que abraça não se cansa de ensinar sobre muita dedicação a causa abra-bemos foi a Vocação Batismal. Deus nos faz para servi-lo e coração do mundo. Estou con- valores que edificam a vida. as coisas celestes e espera que çada e para nos mantermos fir-Como batizados, Deus nos para servir nossos irmãos: a vo- vencida de que não existe ou- Amor presente nas atitudes de cada dia mais pessoas possam mes nos propósitos somenteconstituiu como filhos predi- cação concreta à vida matrimonial tra forma de fazer isso a não humildade que deixam em re- se abrir a verdade anunciada. existe uma receita, o AMOR.letos, por meio do seu pró- ou ao celibato, à vocação sacerdo- ser pela via do amor. Como levo a face do criador. Crescer Santa Terezinha nos mostra E que este amor seja presençaprio Filho Jesus Cristo. A ado- tal, à vida religiosa. É tempo nos conforta ouvir São Paulo no amor é nossa missão! uma verdade contundente di- constante em nós e em nos-ção divina nos abriu possibili- de rever como temos respon- a nos dizer: “O amor tudo Como cristãos carregamos zendo: “Compreendi que a sos relacionamentos. “A pala-dades de eternidade: somos dido a Deus concretamente, e suporta, tudo crê, tudo espe- uma marca que jamais poderá Igreja tem um coração, e que vra amor resume tudo o quechamados a viver esta vida ter- à Vocação que ele nos confiou. ra, tudo vence e jamais se en- ser apagada em nós! Fomos este coração arde de amor, e que Jesus veio trazer ao mundo”.
  • Agosto.2012 11CatequeseRetorno da Catequese - 2o Semestre Míriam Nogueira - Coord. Catequese de Iniciação Cristã I e II. Informamos a todos que nossas atividades da Catequese para todas as turmas da Iniciação Cristã I e II retornarão sábado dia 28 de julho. Celebrações das Entregas – Iniciação Cristã I e II Iniciamos nosso segundo semestre na É um momento de reflexão, celebra- cerão nas seguintes datas: Entrega da Cruz e do Escapulário –Catequese dia 28/07/12 e já no mês de ção e vivência da fé que os catequizan- - 22/08/12 MISSA DAS 19:00 Iniciação Cristã II (2ª etapa)agosto temos nossa primeira Entrega da dos, juntamente com seus familiares, ten- Entrega do Creio – Iniciação Cristã I - 10/10/12 MISSA DAS 19:00Iniciação Cristã I. do a comunidade como testemunha, con- (3ª etapa) Entrega do Pai Nosso – Iniciação As Entregas, são momentos celebra- solidam alguns símbolos cristãos de sua - 12/09/12 MISSA DAS 19:00 Cristã I (2ª etapa)tivos que todos os catequizandos de to- experiência na catequese. Entrega das Bem Aventuranças – Ini- - 30/10/12 MISSA DAS 19:00das as etapas da Iniciação Cristã I e II par- Convidamos a todos para participar ciação Cristã II (1ª etapa) Entrega da Palavra – Iniciação Cristãticipam. conosco dessas celebrações que aconte- - 14/09/12 MISSA DAS 19:00 I (1ª etapa). Formação Continuada Semana de Catequistas Catequética Os catequistas de nossa Paróquia do Os catequistas de nossa Paróquia do Santíssimo Sacramento estão em contínua Santíssimo Sacramento estão em contí- formação, para que possam ser promo- nua formação, para que possam ser pro- toras de uma catequese vivencial, bíblica motoras de uma catequese vivencial, bí- e mistagógica. blica e mistagógica. Assim, nesse ano de 2012 estamos Assim, nesse ano de 2012 estamos participando dos cursos promovidos pelo participando dos cursos promovidos Instituto Arquidiocesano de Formação na pelo Instituto Arquidiocesano de For- Fé (IAFFE) da Arquidiocese de Curitiba: mação na Fé (IAFFE) da Arquidiocese “Escola Catequética Discípulo Amado”, de Curitiba: “Escola Catequética Discí- “Escola Arquidiocesana de Teologia pulo Amado”, “Escola Arquidiocesana (ICE)”, “Escola Missionária Arquidioce- de Teologia (ICE)”, “Escola Missioná- sana”, “Concílio Vaticano II – 50 anos”, ria Arquidiocesana”, “Concílio Vaticano “Escola de Formadores”. II – 50 anos”, “Escola de Formadores”. V Seminário Arquidiocesano de Catequese No dia 02/09/12 acontecerá o V Seminário Arquidiocesano de Catequese com o tema “A nova Evangelização para a transmissão da fé cristã”. O seminário acontecerá no Colégio Bom Jesus, Centro, das 08h30 as 17h e contará com a participação de catequistas de todas as paróquias de Curitiba, inclusive da nossa.
  • 12 Agosto.2012Cantinho do Apostolado Jesus, alegria da minha JUVENTUDE! Intenção de Oração para o mês de Agosto Deus, nosso Pai, eu te ofereço todo o dia de hoje: minhas Jornada Mundial orações e obras, meus pensamentos e minhas palavras, minhas alegrias e meus sofrimentos, em reparação de nossas ofensas, em união com o Coração de teu Filho Jesus, que continua a da Juventude 2013 oferecer-se a Ti, na Eucaristia, pela salvação do mundo. Que o Espírito Santo, que guiou a Jesus, seja meu guia e meu amparo Durante o mês de junho iniciamos em neste dia para que eu possa ser testemunha do teu amor. Com nossa Paróquia a Ação Evangelizadora Maria, Mãe de Jesus e da Igreja, rezo especialmente pelas in- “Rio que cresce entre nós”. A Ação fun- tenções do Santo Padre para este mês: Para que os prisioneiros damenta-se na passagem bíblica de Joãoe as prisioneiras sejam tratados com justiça e sua dignidade humana seja respeitada, 6,1-15 – A Multiplicação dos Pães e dosPara que os jovens, chamados ao seguimento de Cristo, proclamem e deem testemu- Peixes.nho do Evangelho até os confins da terra. Assim como Jesus multiplicou os pães e os peixes, queremos que, através daTome Nota Ação Evangelizadora, o maior número de pessoas fique sabendo sobre a Jor- nada Mundial da Juventude, que acon- tecerá no Rio de Janeiro, em julho de 2013. A Ação Evangelizadora, além de di- vulgar a Jornada, tem o intuito de arreca- dar fundos para custear o evento. O va- lor é simbólico: um real para os pães e uma quantia maior pelos peixes. As pes- soas que contribuírem com a partilha dos tramento das famílias voluntárias que irão pães e dos peixes irão concorrer a uma acolher em suas casas os jovens peregri- viagem para a Terra Santa e mais 20 via- nos, de diversos países, durante a pré-jor- gens para a JMJ RIO 2013. nada em Curitiba (14 a 21 de julho, 2013). DIA 25 DE AGOSTO DAS 14H ÀS 18H - SALÃO PAROQUIAL A Ação Evangelizadora encerrou-se Contamos com a colaboração e ajuda de Os integrantes de nossas pastorais, equipes e movimentos são convi- no mês de julho. Posteriormente, a equi- todos os paroquianos. A Jornada Mundi- pe da JMJ da Paróquia iniciará o cadas- al da Juventude é um evento não só dos dados a participar de nosso 1º Encontro Pastoral Paroquial de Comuni- jovens, mas de todos os cristãos católi- cação. Consultem a programação completa com os coordenadores de cos!! seus grupos. A sua presença é que garantirá o sucesso do Encontro. “Ide, pois, fazei discípulos entre to- dos os povos” (Mateus 28, 19). 75 Anos do Movimento das Capelinhas Dia: 25 de Agosto Local: Santuário da Divina Misericórdia Horário: 13h30 às 15h30