Your SlideShare is downloading. ×
0
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Revolução francesa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Revolução francesa

23,193

Published on

Published in: Education
1 Comment
12 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
23,193
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
12
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Patrícia<br />Fernandes<br />Nº21<br />8ºB<br />REVOLUÇÃO FRANCESA<br />
  • 2. Localização no espaço<br />FRANÇA – SEC.XVIII<br />
  • 3. Localização no Tempo<br />
  • 4. O ambiente pré-revolucionário<br />
  • 5. Situação politica, económica e social<br />Em França continuavam em vigor as instituições do Antigo Regime tanto a nível político, como a nível económico e social.<br />Antigo Regime<br />Nível político<br />1.<br /><ul><li>Os poderes continuavam a centralizar-se no rei.</li></ul>Ostentação dos meios da Nobreza<br />Nível económico e social<br /><ul><li>As grandes propriedades pertenciam ainda a pessoas da nobreza e do clero . Mantia-se a antiga divisão por ordens.
  • 6. A burguesia era dotada de poder económico e alto grau cultural, contudo poucos tinham altos cargos, assim eram muitos os que desejavam poder defender os seus interesses, por meio da política, também os artesãos e assalariados lutavam contra a baixa qualidade de vida que tinham e os camponeses que eram a maior parte da população, ainda estavam sujeitos às obrigações feudais. </li></li></ul><li>Crise económica e financeira<br />Em 1770, França encontrava-se numa grave crise, para isso contribuíram os seguintes factores:<br /><ul><li>Maus anos agrícolas fizeram com que houvesse protestos e tumultos contra o aumento do preço dos cereais
  • 7. Muitas fábricas fecharame assim muitas pessoas ficaram desempregadas e outras com um baixo salário; isto porque os produtos ingleses tinham mais qualidade que os franceses
  • 8. Os muitos gastos da corte contribuíram para que as despesas do Estado fossem maiores que as receitas.</li></ul>Houve um descontentamento social, pois as classes populares eram obrigadas a sustentar as finanças públicas.Para aumentar as receitas, foi sugerido, pelos ministros de Luís XVI, reformas fiscais que incluíam um novo imposto, que abrangia as três ordens sociais. O clero e a nobreza opuseram-se. Assim o rei reuniu os Estados Gerais.<br />Como está escrito no Caderno de Queixas do Terceiro Estado, nos Estados Gerais, 1789: “…o terceiro estado paga tudo e não beneficia de nada.”<br />
  • 9. O 3º estado quis a votação por cabeça. Isso não foi aceite e os deputadosem separado proclamaram a Assembleia Nacional.<br /> Os estados gerais reuniram-se em Versalhes.<br />
  • 10. Acontecimentos revolucionários<br />
  • 11. O fim do Antigo Regime <br />Assembleia Nacional –os deputados considerariam sem efeito, qualquer novo imposto que não tivesse sido aprovado por esta Assembleia. Enquanto o rei não aceitasse as suas reivindicações e não dotasse o Reino de um Constituição, eles não se iam separar.<br />O rei cedeu e assim proclamou-se a Assembleia Nacional Constituinte, pois o seu principal objectivo era elaborar a primeira Constituição francesa. O caminho para o fim do Absolutismo em França tinha sido aberto.<br />
  • 12. O fim do Antigo Regime<br />O assalto à fortaleza-prisão da Bastilha, símbolo de poder absoluto, e na libertação dos presos, opositores do Absolutismo, pôs fim ao alvoroço popular, que crescia, contra as tropas do rei, <br />Esta agitação chegou à província, onde os grupos armados de camponeses assaltaram e incendiaram castelos e conventos e exigiram a abolição de privilégios e rendas feudais. Elementos das Ordens privilegiadas, com medo, abonaram o país e refugiaram-se em países de monarquia absoluta, de onde conspiravam contra França. <br />
  • 13. Medidas da Assembleia Constituinte<br />Medidas tomadas pela Assembleia, após ser pressionada pelos movimentos populares:<br /><ul><li>Abolição do regime feudal;
  • 14. Nacionalização dos bens do clero;
  • 15. Publicação de Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão;
  • 16. Aprovação da Constituição que aboliu o poder absoluto e fez de França uma Monarquia Constitucional. Assim, o poder legislativo pertencia à assembleia legislativa, o executivo ao rei e o judicial aos juízes.</li></ul>O direito de cidadania ainda não era igual para todos, a eleição dos deputados foi feita por sufrágio censitário, em que só podiam ser eleitores e elegíveis os cidadãos mais ricos.<br />
  • 17. O radicalismo republicano<br />Os sans-cullotes(populares mais pobres), manifestavam-se ainda contra a fome, a miséria e não ter o direito do voto.<br />A Prússia e a Áustria, preparavam-se para invadir França, e assim a Assembleia Legislativa declarou guerra. O rei foi feito prisioneiro.<br />A Assembleia Legislativa foi auto suspensa e passou a existir uma nova assembleia, a Convenção, que foi eleita pelos votos de todos os cidadãos menos as mulheres.<br />Esta, acabou com a Monarquia e implantou a República, em que o chefe é eleito através do voto dos cidadãos, por um determinado tempo. A conduziu a uma 1ª invasão europeia contra a França revolucionária. O poder executivo foi entregue a um, dominado por Robespierre. Muitos franceses foram mortos, por se oporem ás suas ideias. Assim a própria burguesia deixou de apoiar o Governo e começou a conspirar para a sua substituição. Robespierre foi condenado á morte terminado o «período de horror». <br />morte do rei<br />Comité de Salvação Pública<br />
  • 18. O triunfo da burguesia<br />As desavenças entre os membros do directório, a agitação social e as derrotas perante uma 2ª coligação europeia criaram uma situação instável, que Napoleão Bonaparte utilizou para adquirir o poder através do golpe de estado.<br />Nova etapa da Revolução: República Burguesa. Foi aprovada uma nova constituição que deu o poder executivo a um Directório constituído por 5 directores. A burguesia dominou esta fase da Revolução, pois reintroduziu-se o voto censitário.<br />O poder executivo foi entregue a três cônsules. Napoleão apoderou-se do poder aos poucos e assim tornou-se o 1º cônsul vitalício, e depois imperador dos Franceses. Assim, desenvolveu e modernizou França e tentou controlar a Europa.<br />A França foi invadida, em 1814, por um nova coligação europeia. Então, no Congresso de Viena, os países vencedores fizeram um novo mapa político da Europa – Europa em 1815<br />
  • 19. As conquistas da Revolução<br />Todo o sucedido, deu origem ao Regime Liberal.<br />Os textos principais dos regimes liberais (A Declaração dos Direito do Homem e do Cidadão e a Constituição) garantiam os direitos individuais, organizavam o Estado segundo o princípio da separação de poderes e determinavam quais os órgãos que os tinham. A soberania da nação passou a residir no povo. A Monarquia Absoluta foi trocada pela Monarquia Constitucional ou República. O fim do Regime Antigo foi determinado pelo poder absoluto e pela sociedade de Ordens. <br />Os privilégios da nobreza e do clero foram diminuindo, mas a burguesia assumiu o controlo do poder e acabou por se tornar no grupo mais beneficiado. A escravatura foi abolida 1794.<br />A nível económico, defendeu-se a liberdade de comércio com reduzido controlo do Estado (livre concorrência sem privilégios nem monopólios) e publicaram-se leis que findaram os antigos privilégios feudais.<br />Código Civil – influenciou o direito em quase toda a Europa até hoje.<br />Ensino – fundação de escolas superiores e ensino primário oficial, obrigatório e gratuito. <br />
  • 20. O carácter universalista da revolução Francesa<br />Napoleão e seus exércitos não só levaram a guerra a toda a Europa como também ajudaram a dar a conhecer os ideais revolucionários, que resultaram em mudanças sócias e políticas em países como Portugal.<br />A mensagem e o impacto da Revolução Francesa foram universais. Criaram um grito de Liberdade, Igualdade e Fraternidade que se fez estender por toda Europa e América Latina.<br />Esta revolução foi considerada um acontecimento tão importante que passou a marcar o fim da idade médio e o inicio da idade contemporânea. <br />
  • 21. Resumindo<br />Ideais das Luzes<br /><ul><li>Separação de poderes
  • 22. Soberania da Nação
  • 23. Liberdade e Igualdade</li></ul>Antigo Regime<br /><ul><li>Monarquia hereditária
  • 24. Poder absoluto
  • 25. Ordens privilegiadas</li></ul>Revolução Francesa (1789)<br />Assembleia Nacional Constituinte<br />Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão<br />Constituição de 1791<br />Separação de poderes<br />Legislativo<br />Executivo<br />Judicial<br />Assembleia Legislativa<br />Rei<br />Tribunais <br />Fim do Antigo Regime em França<br />
  • 26. Bibliografia<br /><ul><li>Texto e maior parte das imagens retirados de:
  • 27. Manual Novo História 8, 2 volume, pág.14
  • 28. Texto editores
  • 29. 1ª Edição
  • 30. Escrito por:
  • 31. Oliveira, Ana
  • 32. Cantanhede, Francisco
  • 33. Catarino, Isabel
  • 34. Torrão, Paula
  • 35. ISBN: 978-972-47-3297-8</li>

×