• Save
Deuses EgíPcios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Deuses EgíPcios

on

  • 31,038 views

deuses egícios_antigo egipto_religião_história_história 7º ano

deuses egícios_antigo egipto_religião_história_história 7º ano

Statistics

Views

Total Views
31,038
Views on SlideShare
30,869
Embed Views
169

Actions

Likes
9
Downloads
0
Comments
2

2 Embeds 169

http://www.slideshare.net 164
http://teologiaporexcelencia.blogspot.com.br 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Deuses EgíPcios Deuses EgíPcios Presentation Transcript

  •  
  • Breve Introdução Os Egípcios eram um povo muito religioso. Adoravam muitos deuses e, por isso, eram politeístas. Cada região tinha os seus próprios deuses, mas alguns foram adorados por todo o Egipto. A religião egípcia era praticada nos cultos quotidianos que se realizavam nos templos e nos edifícios monumentais construídos em pedra.
  • Fontes
    • As fontes para o estudo da mitologia e religião egípcia são
    • variadas: templos, pirâmides, estátuas, túmulos e textos.
    • Em relação às fontes escritas, os Egípcios não deixaram obras que sistematizassem de forma clara e organizada as suas crenças. Em geral, os investigadores modernos centram o seu estudo em três obras principais :
    • Livro das Pirâmides - compilação de fórmulas mágicas e hinos cujo objectivo é proteger o faraó e garantir a sua sobrevivência no Além; os textos encontram-se escritos sobre os muros dos corredores das câmaras funerárias das pirâmides de Sakara; do ponto de vista cronológico, situam-se na época da V e VI dinastias.
    • Livro dos Sarcófagos - recolha de textos escritos em caracteres hieroglíficos cursivos no interior de sarcófagos de madeira da época do Império Médio; tinham também como função ajudar os mortos no “outro mundo”.
    • Livro dos Mortos - inclui os textos das obras anteriores, para além de textos originais e data do Império Novo; esta obra era escrita em rolos de papiro pelos escribas e vendida às pessoas para ser colocada nos túmulos.
    • Outras fontes escritas são os textos dos autores gregos e romanos, como os relatos de Heródoto (século V a.C.) e de Plutarco (século I d.C.).
    View slide
  • Hieróglifos cursivos no Papiro de Ani ( Livro dos Mortos ) View slide
  • Divindades No Egipto Antigo, as pessoas seguiam uma religião politeísta , ou seja, acreditavam em vários deuses. Estas divindades possuíam algumas características (poderes) acima da capacidade humana. Poderiam, por exemplo, estar presentes em vários locais ao mesmo tempo, sobreviver a ataques, assumir várias formas (até mesmo de animais) e interferir directamente nos fenómenos da natureza. As cidades do Antigo Egipto possuíam um deus protector, que recebia oferendas e pedidos da população local. A maioria delas era benevolente, com excepção de algumas divindades com personalidade mais ambivalente como as deusas Sekhet e Mut .
  • Os Antigos Egípcios acreditavam que os Deuses tinham as mesmas características, necessidades e desejos do ser humano: eles podiam nascer, envelhecer e até mesmo morrer; possuíam um corpo que devia ser alimentado, um nome, sentimentos. No entanto, os aspectos muito humanos escondiam uma natureza excepcional: o seu corpo, composto de matérias preciosas, era dotado do poder de transformação, as suas lágrimas podiam originar o nascimento de seres ou minerais. Os poderes dos deuses eram geralmente comparados a algumas propriedades dos elementos da natureza ou dos animais, o que deu lugar a representações híbridas, por vezes espantosas. Os Deuses eram representados na forma humana, na forma animal (zoomorfismo) e numa mistura de homem e animal (antropozoomorfismo). Havia inúmeros Deuses, sendo inevitáveis as rivalidades e as contradições.
  • Em suma, para representar os deuses, todas as combinações eram possíveis: divindades totalmente humanas, deuses inteiramente animais, com corpo de homem e cabeça de animal, com o animal inteiro no lugar da cabeça (o escaravelho, por exemplo) ou com cabeça humana. A esfinge, imagem do Deus-Sol e do Rei, é um leão com cabeça humana. Há animais comuns a muitas divindades (o falcão, o abutre, a leoa) e outros que são característicos de apenas uma (por exemplo, Íbis de Thot e o escaravelho de Khepri).
  • Um deus, para além de assumir várias formas, também poderia ter outros nomes. O exemplo mais claro é o da divindade solar Rá que era conhecido como Kepra, representado como um escaravelho, quando era o sol da manhã. Recebia o nome de Atom enquanto sol do entardecer, sendo visto como velho e curvado, um deus esperado pelos mortos que se aquecem com os seus raios. Durante o dia, Rá andava pela Terra como um falcão. Estes três aspectos e outros setenta e dois são invocados numa ladainha encontrada na entrada dos túmulos reais. Estas divindades eram agrupadas de várias maneiras, como em grupos de nove deuses (as Enéades), de oito deuses (as Ogdoádes), ou de três deuses (as Tríades). A principal Enéade era a da cidade de Heliópolis presidida pela divindade solar Rá.
  • Árvore Genealógica do Antigo Egipto                                               
  • Amenófis I
    • O rei Amenófis I divinizado é, simultaneamente, um deus e uma espécie de santo patrono. Filho da rainha Ahemés-Nefertari e do rei Amófis, ignora-se onde estaria o seu túmulo, mas o seu templo de milhões de anos estava separado destes.
    • A ele se dedicam estrelas, além de uma festa suficientemente importante para dar nome ao mês durante o qual aquela se realiza.
    • A estátua de Amenófis, conduzida em procissão por toda a Necrópole, produz oráculos.
    • É venerado pelos operários, na qualidade de fundador da instituição do Túmulo.
    •  
  • Rei dos deuses, ele é o senhor dos templos de Luxor e Carnac.    Tem por esposa Mut e por filho Khonsu. A sua personalidade formou-se por volta de 2000 a.C. e tem algumas funções de Ré: sob o nome de Amon-Ré, ele é o sol que dá vida ao país na época de Ramsés III. Amon tornou-se um monárquico. Frequentemente representado como um homem vestido com a túnica real e usando na cabeça duas altas plumas do lado direito, ele manifesta-se, igualmente, sob a forma de um carneiro e, mais raramente, de um ganso.   Amon
  • Anúbis É o mestre dos cemitérios e o patrono dos embalsamares. É mesmo o primeiro entre eles, a quem se deve o protótipo das múmias: a de Osíris. Qualquer egípcio espera beneficiar na morte do mesmo tratamento e do mesmo renascimento daquela primeira múmia.     Anúbis também introduz os mortos no Além e protege os seus túmulos sob a forma de um chacal deitado numa capela ou num caixão. É representado ou como um homem com cabeça de chacal, ou com a forma de um chacal, ou com a forma de um cão selvagem.
  • Bés
    • Ele parece um vilão mas, quando se o observa com atenção, vê-se que é benéfico.
    • Parece um anão obeso, com pernas arqueadas e rosto pouco gracioso; mostra a língua ao espectador que o fita no fundo dos olhos.
    • Protege contra os maus-olhados, ajuda nos partos, espalha alegria e caça os maus espíritos dançando e tocando música, além de proteger dos pesadelos aqueles que dormem.
    • Estas são as razões pelas quais ele decora camas, apoios de cabeça, objectos de higiene pessoal, instrumentos de música...
  • Bastet
    • Era a deusa egípcia da fertilidade, da reprodução, da música, da dança e do amor, sendo representada com um ceptro e uma cabeça de gato ou mesmo como um gato (felino gracioso, que se identifica com o amor). Quando se pretendia acentuar o carácter de fertilidade representava-se a deusa rodeada de pequenos gatos.
    • Era casada com Ptah (aparecendo como mulher dele também Sekhmet, com quem Bastet é por vezes confundida) e mãe de Mihos, o deus-leão. Alternativamente consideravam-na também mãe de Hórus e Nefertum.
    • Como filha de Ré era também associada à fúria vingadora deste deus.
    • Nos seus santuários era comum queimar múmias de gatos, havendo também felinos vivos a passear-se entre as paredes, crendo-se que eram encarnações suas. Estes animais eram muito apreciados pelas suas qualidades de caçadores, ajudando a exterminar espécies prejudiciais às colheitas.
    • O seu culto era especialmente importante em Bubastis, na zona do Delta, onde tinha um santuário.
  • Geb
    • Geb é o deus da terra.
    • Filho de Shu e Tefnut, marido de Nuit, e pai de Ísis, Néftis, Osíris e Seth, era também um dos Ennead.
    • Geb era também considerado o deus da morte porque se acreditava que ele aprisionava os espíritos maus, para que não pudessem ir para o céu. Estimulava igualmente o mundo material dos indivíduos e assegurava-lhes o enterro no solo, após a morte. Geb humedece então o corpo humano na terra e sela-o para a eternidade, no túmulo.
    • As suas cores eram o verde (vida) e o preto (lama fértil do Nilo).
    • O animal que o representava era o ganso.
    • Ele era comummente representado usando uma coroa com uma pluma e chifres em forma de aríete.
  • Hator
    • Conjuntamente com Ísis, é a mais venerada das deusas.
    • Distribuidora de alegria, é a “dama da embriaguez” em honra
    • de quem bebe vinho e toca música.
    • Também é a protectora da Necrópole de Tebas - sai da
    • falésia para acolher os mortos e velar os túmulos. 
    •   
    • É adorada ou na forma de uma mulher com chifres de vaca e
    • disco solar na cabeça, ou de uma mulher com cabeça de vaca,
    • ou simplesmente com o aspecto de uma vaca.
    • O seu rosto de mulher, visto de frente, tem orelhas de vaca,
    • a cabeleira separada em duas abas com as extremidades
    • enroladas.
  • Hórus
    • Filho de Osíris e Ísis, Hórus tem uma infância difícil: a sua mãe esconde-o de Seth que cobiça o trono do seu pai.
    •    
    • Após ter triunfado sobre Seth e as forças da desordem, ele toma posse do trono dos vivos; o faraó é a sua manifestação na terra.
    • Ele é representado ou como um homem com cabeça de falcão, ou como um falcão sempre a usar as duas coroas de rei do Alto e do Baixo Egipto.
    • Na qualidade de deus do céu, Hórus é o falcão cujos olhos são o sol e a lua.
    •   Com o nome de “Hórus do Horizonte”, assume uma das formas do sol - a que clareia a terra durante o dia.
    • Criador do universo e de todo tipo de vida, Hórus é adorado em todo o lado.
    • Ele é o deus mais importante de todos os deuses.
  • Ísis
    • É a mais popular de todas as deusas egípcias, o modelo das esposas e mães, a protectora da magia invencível.
    •   
    • Após a morte de Osíris, ela reúne os pedaços dos seus despojos, transforma-se em milhafre para o chorar,
    • empenha-se em reanimá-lo e dele concebe um filho, Hórus.
    •   
    • Ela defende com o bico e as unhas, o seu filho contra as agressões do seu tio Seth.
    • Perfeita esposa e boa mãe de um perfeito rei e sábio dos mortos, ela é um dos pilares da coesão sócio-religiosa egípcia.
    • Usa na cabeça um assento com espaldar que é o hieróglifo do seu nome.
  • Ma’at
    • Esta deusa, que traz na cabeça uma pluma de avestruz, representa o equilíbrio e a harmonia do Universo tal como foi criado inicialmente. 
    •   
    • Em sociedade, este respeito pelo equilíbrio implica, na prática, a equidade, a verdade, a justiça, o respeito às leis e aos indivíduos e a consciência de que o tratamento que se inflige aos outros pode também ser-nos infligido.
    • É Ma’at que, simbolicamente, se oferece aos deuses nos templos.
    • Ela cuida dos tribunais e também possui templos.   
       
  • Meretseger
    • Ela é a dama da Necrópole tebana, a deusa do cimo mais elevado que domina o maciço montanhoso.
    • A sua notoriedade ultrapassa muito pouco o plano local, mas nestes limites é muito venerada, particularmente pelos operários do túmulo. 
    •   
    • Meretseger possui capelas na sua cidade, até mesmo nas casas, assim como um pequeno templo cavado na rocha perto do Vale das Rainhas onde está associada a Ptah.
    • Protege os mortos e pode punir os maus.
    • Representada mais frequentemente como uma serpente, às vezes com cabeça humana, ela pode também ser uma mulher com cabeça de serpente.
  • Néftis
    • É uma das filhas de Geb e de Nut, a irmã de Ísis, Osíris e Seth. É esposa deste último, mas quando ele trai e assassina Osíris, Néftis continua solidária a Ísis, ajudando-a a reunir os membros espalhados do defunto, tomando a forma de um milhafre para velá-lo e chorá-lo.   
    •  
    • Como Ísis, ela protege os sarcófagos e um dos vasos canopos e usa o seu nome na cabeça: um cesto colocado num edifício. 
    •   
    • É ainda na campanha de Ísis que ela acolhe o sol nascente e o defende contra a terrível serpente Apófis.     
  • Neith
    • É a mais antiga deusa citada pelos textos, talvez a primeira protectora do Baixo Egipto, muito antes da unificação do país.
    • Venerada principalmente em Sais, no Delta, ela é representada como uma mulher que usa a coroa vermelha do Baixo Egipto.
    • O seu nome escreve-se com duas flechas ou dois arcos, demonstrando claramente a sua natureza de deusa guerreira.
    • Também é protectora, com Duramulef, do vaso canopo do estômago.
    • Ela parece ser uma divindade auto-suficiente, um dos raros princípios criadores femininos entre os deuses egípcios.
  • Nut Simboliza o céu que acolhe os mortos no seu império. É muitas vezes representada sob a forma de uma vaca, em alusão a uma metamorfose por que espontaneamente teria passado. Tradicionalmente foi consagrada a essa deusa o dia 25 de Fevereiro.
  • Osíris
    • A história de Osíris pode ser interpretada de várias maneiras:
    • Primeiramente, nos relatos da criação do mundo, a sua geração
    • é a última a nascer e já não representa os elementos materiais
    • do mundo (espaço, luz, terra, céu...). Osíris é rei, esposo e pai: ele
    • representa a existência das estruturas normais da sociedade humana.
    • Outra versão: Osíris morto, destruído e ressuscitado evoca o retorno
    • da cheia todos os anos, a morte, o renascimento da vegetação e dos seres humanos. Por essa razão, ele é o deus dos mortos e do renascimento.
    • Existe uma antiga lenda envolvendo Osíris cuja versão mais conhecida é grega - Osíris é o filho primogénito de Geb (a terra) e de Nut (o céu). Ele sucede ao seu pai no trono do Egipto. Ciumento, o seu irmão Seth mata-o e espalha os pedaços do seu cadáver por todo o país. As suas irmãs, Ísis e Néftis, reencontram-no e, com a ajuda de Anúbis, devolvem-lhe a vida para permitir a Ísis conceber Hórus, ao qual legou a realeza terrestre.
    • Osíris reina no mundo subterrâneo e julga os mortos, os quais ajuda com o sol na sua viagem nocturna.
  • Ptah
    • Deus de Mênfis, capital do Egipto no Antigo Império, Ptah é “aquele que afeiçoou os deuses e fez os homens” e “ criou as artes”.
    • Ptah era considerado o construtor dos barcos que as almas dos que morriam usavam na viagem para a outra vida.
    • Concebeu o mundo em pensamento e criou-o com a sua palavra. O seu grande sacerdote chama-se “o superior dos artesãos”. É, realmente, muito venerado pelos trabalhadores manuais, particularmente pelos ourives. Tem o préstimo dos operários de Deir el-Medineh.
    • Apresenta uma vestimenta colante que dá a impressão de estar sem pescoço; usa uma calota na cabeça.
    • Este deus era normalmente considerado casado com Bastet ou com Sekhmet, tendo como filhos Maahes, Nefertem (deus do nenúfar) e Imhotep (o arquitecto da pirâmide do faraó Zoser, que foi deificado pelas importantes inovações técnicas que introduziu).
  • Ré (ou Rá)
    • É um dos nomes do sol, um dos principais deuses egípcios.
    • Em Heliópolis (“a cidade do sol” em grego) é ele que, depois de ter decidido existir, cria o mundo e o mantém vivo; ele é o pai e o rei de
    • todos os deuses, o criador do Universo que, por sua vontade, saiu do caos inicial.
    •   
    • Quando desaparece no oeste, à noite, ele é Atum , velho curvado, esperado no além pelos mortos que se aquecem com os seus raios. Pela manhã, renasce no leste com a forma de um escaravelho ( Khepri ).    
    • Durante o dia, enquanto clareia a terra, tem a forma de um falcão.
    • Atum é mais frequentemente representado como um rei vestido com uma tanga e mais raramente com o aspecto de uma serpente, usando as duas coroas do Alto e do Baixo Egipto.
    • Estes três aspectos e 72 outros são invocados numa ladainha encontrada sempre na entrada dos túmulos reais.
    •  
  • Satet Era considerada a deusa das plantações. O ceptro de talo de flor de lótus era característico dessa deusa e representava a necessidade de afinidade com o ambiente para a realização da criação. Satet era responsável pela inundação do Nilo (que gerava a fertilidade dos solos no Antigo Egipto).
  • Sekhmet
    • Com uma personalidade complicada, tem cóleras pavorosas que podem propagar no país ventos ardentes, epidemias e a morte. É apaziguada com festas e oferendas e é possível obter a sua ajuda contra Apófis - que se opõe ao andamento do sol -, os inimigos do rei em tempos de guerra ou os agentes responsáveis pela doença no corpo dos homens.
    • Os seus sacerdotes sabem magia e medicina. 
    •   
    • Em Mênfis, Sekhmet é a esposa de Ptah e mãe de Nefertum. É quase sempre representada como uma mulher com cabeça de leoa, coroada com o disco solar.
  • Seth
    • Trata-se de um estranho galgo com longas orelhas cortadas, focinho recurvado e longa cauda fendida. Filho de Geb e de Nut , Seth é um deus complexo e ambíguo.
    •  
    • Da proa da barca de Ré, ele trespassa com a sua lança os inimigos do Sol; ele serve o faraó combatendo com a força do seu braço. Mas é perigoso, violento, imprevisível.
    • A lenda de Osíris mostra-o num mau dia: assassino do seu próprio irmão, Osíris, ele persegue Hórus com o seu ódio.
    • Seth jamais renuncia à luta, pois ele é o necessário fomentador de problemas no mundo regido por Ma’at.
  • Shu Divindade do panteão egípcio que compõe a Enéade heliopolitana. O deus da atmosfera era filho de Atum. Enquanto representante do ar, foi associado à luminosidade, sendo também identificado como deus da luz solar. Aparece, para além disso, frequentemente relacionado com os deuses lunares Thot, Khonsu e Khnum. Surge, em vário papiros, separando duas figuras - a sua filha Nut, deusa do céu, que se encontra arqueada sobre Geb, deus da terra, também seu filho. Ao erguer a abóbada celeste, Shu separa o céu da terra, função que está implícita numa das possíveis traduções do seu nome: “O que ergue”. O signo hieroglífico de Shu é a pluma, que dá leitura ao seu nome.
  • Tefnut
    • P ersonificava a humidade e as nuvens e foi gerada da saliva de Atum.
    • Irmã e esposa de Shu, formou com ele o primeiro par de divindades da Enéade de Heliópolis. Mãe de Geb e Nut; avó de Osíris, Ísis, Seth e Néftis.
    • Tefnut simbolizava a generosidade e também as dádivas e, enquanto o seu irmão Shu afastava a fome dos mortos, ela afastava a sede.
    • É representada com cabeça de leoa (símbolo de poder), usando na cabeça o disco solar e a serpente Uraeus.
  • Thot
    • Trata-se de um deus cordato, sábio, assistente e secretário-arquivista dos deuses.
    • É uma divindade à qual é atribuída a revelação ao homem de quase todas as disciplinas intelectuais: a escrita, a aritmética, as ciências em geral e a magia.
    • É o deus-escriba e o deus letrado por excelência.
    • Foi o inventor da escrita hieroglífica e é o escriba dos deuses; é o senhor da sabedoria e da magia. 
    •   
    • Tudo isto faz dele o patrono dos escribas que lhe endereçam uma prece antes de escrever: “Mestre das palavras divinas”.
    • Thot preside a medida do tempo: o disco na cabeça é a lua, cujas fases ritmam os dias e as noites.
    • É representado como um íbis ou um homem com cabeça de íbis, ou ainda como um babuíno .
  • Bibliografia
    • Diciopédia 2006, Porto Editora
    • Diciopédia X
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Mitologia_eg%C3%ADpcia http://www.infopedia.pt/$egipto-a-galeria-de-deuses
    • Egiptólogo:
    • Guilherme Borges
    • Elemento da equipa de egiptólogos:
    • 7º B
    • Data de realização do estudo:
    • Novembro de 2007