• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Livia copesbra
 

Livia copesbra

on

  • 1,062 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,062
Views on SlideShare
1,062
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Livia copesbra Livia copesbra Presentation Transcript

    •  
    • I SEMINÁRIO NACIONAL DA COPESBRA
    • MESA REDONDA
      • Produção de material didático para o ensino do espanhol na escola brasileira
    • Materiais didáticos: sempre batemos na mesma tecla?
      • Lívia M. T. Rádis Baptista
      • Universidade Federal do Ceará
    • Materiais didáticos: sempre batemos na mesma tecla?
      • Algumas questões para reflexão
      • Papel do ensino de línguas na escola
      • Papéis do professor e do aluno
      • Concepções de material didático e de seu papel no e para o ensino de espanhol na escola
    • Papel do ensino de línguas na escola
      • Refletir sobre diferenças fundamentais
      •  
      • Que significa ensinar espanhol na escola?
      • Que significa ensinar espanhol em cursos livres?
      • São diferentes propostas (OCEM, p. 131-32)
      •  
      • Ênfase na proposta educativa.
      • O objetivo do ensino de LE na escola regular transcende o “fim em si mesmo”. É fundamental a interação com outras disciplinas e o papel desse ensino quanto à construção coletiva do conhecimento e quanto à formação para a cidadania.
      •  
      • O ensino faz parte da formação integral do sujeito:
      •  
      • É fundamental trabalhar as linguagens não apenas como formas de expressão e comunicação, mas como constituintes de significados, conhecimentos e valores. Estão aí incorporadas as quatro premissas apontadas pela Unesco como eixos estruturais da educação na sociedade contemporânea: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver e aprender a ser.
      • Enfim, as idéias arroladas apontam para a recuperação do papel crucial que
      • o conhecimento de uma língua estrangeira, de um modo geral e do Espanhol
      • em particular, pode ter nesse nível de ensino: levar o estudante a ver-se e constituir-se como sujeito a partir do contato e da exposição ao outro, à diferença, ao reconhecimento da diversidade . (OCEM, p.133)
      •  
      • Isso por que tal reflexão supõe considerar o papel do professor e do aluno.
      • Ao entendermos que a função maior de uma língua estrangeira no contexto escolar é contribuir para a formação do cidadão, é preciso determinar, também, o papel que os professores efetivamente nele exercem. Muito acima de uma visão reducionista e limitadora, os professores são agentes – junto com os estudantes – da construção dos saberes que levam um indivíduo a “estar no mundo” de forma ativa, reflexiva e crítica . (OCEM, p.146).
      • SER AGENTE = CONSTRUÇÃO DOS SABERES
      • Pressupõe indagar e refletir sobre: 
      •  
      • Quem somos?
      • (A construção e a validação das identidades do professor e dos alunos)
      •  
      • Olhar nossa história = o isolamento geográfico/ a migração/ a discriminação e as práticas discriminatórias (violência contra a mulher, exploração sexual infantil, o racismo) / a diversidade étnica/ a inclusão dos sujeitos
      • Quem pensamos ser?
      • Nossa relação com o outro (alteridade).
      • Nossas percepções do outro e de nós mesmos.
      • Pontos de vista = diversos
      •  
      • Que significa ensinar espanhol (para mim) e em meu contexto?
      •  
      • Que significa aprender espanhol (para mim) e em meu contexto?
      • Por que olhar de forma reflexiva e crítica os diferentes materiais, textos e discursos incorporados por mim na minha prática como professor(a)?
      • E como?
      • Pela dimensão formativa do ensino de línguas na escola.
      • Pela dimensão ética (da escolha) dos sujeitos e sua responsabilidade pela construção de saberes, sejam alunos, sejam professores.
      • Por meio do reconhecimento das diferenças e diversidades existentes entre os sujeitos e seus modos de ser, pensar, agir e estar no mundo. E da reflexão disso em nosso cotidiano.
      • Por meio de uma ação do professor que contribua para a aprendizagem.
      • Por meio de uma aprendizagem que se converta em conhecimento.
      • Concepções de material didático e seu papel no e para o ensino de espanhol na escola
      • Que entendo por material didático?
      • Que importância atribuo ao material didático na sala de aula? Por que motivo?
      • Que importância atribuo ao material didático para o ensino de espanhol na escola? Por que motivo?
    • Assim...
      • O material didático não é manual didático.
      • O material didático não é um objeto de ensino.
      • O material didático não é um fim em si mesmo.
      • É um ponto de referência para o trabalho docente.
      • É um recurso a mais para a aprendizagem.
      • É uma escolha que também pode ser do(a) professor(a).
      • [...] o material didático é um conjunto de recursos dos quais o professor se vale na sua prática pedagógica , entre os quais se destacam, grosso modo, os livros didáticos, os textos, os vídeos, as gravações sonoras (de textos, canções), os materiais auxiliares ou de apoio, como gramáticas, dicionários, entre outros . [...] Uma seleção adequada, que leve em conta o planejamento do curso como um todo, incorporará alguns ou vários desses recursos de forma harmoniosa, o que, por sua vez, implica não se ater exclusivamente a apenas um deles, posto que nenhum é tão abrangente que contemple todos os aspectos relacionados à língua em estudo . (OCEM, p.154)
    • Por isso...
      • É importante insistir na escolha ética dos materiais, textos e discursos tendo em vista suas repercussões no ensino e na aprendizagem.
      • É importante refletir sobre as ideologias que direcionam determinadas propostas de materiais e suas implicações no e para o ensino.
      • É importante saber analisar, ter critérios, ao empregar materiais na aula.
    • Um exemplo
      • A proposta para o ensino no Estado do Ceará :
      • Material: “Primeiro, Aprender!”
    •  
      • Sucesso no Ensino Médio é o:
      • “ Bom domínio das habilidades de leitura e de raciocínio lógico-matemático”, com base nos indicadores acadêmicos expressos nas avaliações internacionais (PISA, SAEB, ENEM, SPAECE)”. (Apresentação, Maria Izolda Cela de Arruda Coelho, Secretária da Educação do Estado do Ceará)
      • Palavra de ordem:
      • “ Primeiro, Aprender!- Ler bem para aprender pra valer”.
    •  
    • Projeto: “Primeiro, Aprender!”
      • “ Ação conjunta e articulada das diversas disciplinas, no âmbito da Rede Estadual de Ensino Médio, com vistas a desenvolver a capacidade de leitura, compreensão textual e articulação lógico-formal de conteúdos”.
      • Primeira edição em 2008.
      • Proposta: ocupar 45% da carga horária anual do primeiro ano do Ensino Médio .
      • Quatro meses e meio dedicados em todas as disciplinas a “consolidação da competência leitora através do uso do material estruturado, organizado no Caderno da aluna e do aluno e no Caderno da professora e do professor”. (Apresentação, p. 12)
      • Objetivo
      • Consolidar competências e habilidades básicas como a de formação de leitores , pois se entende que a leitura ocupa um papel “preponderante na vida humana, em especial no sistema escolar”.
      • “ [...] desenvolver e consolidar conceitos, competências e habilidades das diversas disciplinas, considerados como necessários ao bom desempenho dos estudantes ao longo do ensino médio, focalizando as habilidades de compreensão de textos, raciocínio, articulação lógico-abstrata de conteúdos e resolução de problemas ”.
    • Algumas considerações sobre a proposta do material
      • Eixo: o texto como unidade de ensino. 
      • Estruturação didática: “do mais simples ao mais complexo , tanto em termos de conteúdo e níveis de abstração lógico-analítica quanto de questões e atividades. O mais simples consiste no atual nível em que se encontra a maioria dos alunos que estão ingressando no primeiro ano do Ensino Médio e o mais complexo no nível necessário ao curso do Ensino Médio conforme as exigências das matrizes curriculares de cada disciplina”.
      • (Apresentação, p. 12)
      • Equipe elaboradora: professores e professoras que participaram da execução do projeto em 2008. Participação de 400 docentes, formação de equipe de 32 com representação em cada disciplina, no espanhol 3. (Apresentação, p.13)
      • Caderno de leitura da aluna e do aluno
      • Organização: um texto base (“um portador de leitura de diversas naturezas”). Tarefas com diversos tipos de textos.
    •  
      • Caderno da professora e do professor
      • Orientações didático-metodológicas gerais e específicas e apresentação dos objetivos do programa em cada disciplina e cada aula. Apresentação das habilidades de leitura e/ou raciocínio lógico a serem consolidadas; habilidades específicas do campo de estudo; procedimentos para a aula; explicação da questão/atividade (objetivos, conhecimentos/conteúdos envolvidos e resposta com notas explicativas).
    •  
    • Sobre o material proposto para a Língua Espanhola
      • 35 aulas  
      • Estrutura da lição (ex: aulas 3 e 4)
      • Pré-leitura 
      • Perguntas em português sobre o tema “Doação de órgãos”
      • Leitura: Texto 1
      • A-    Focalizando a habilidade de compreensão leitora
      • B-    Vocabulário
      • Leitura: Texto 2
      • C-    Focalizando a gramática
      • Ampliando e aprimorando os conhecimentos
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    • Algumas implicações
      • Quanto à carga horária 
      • 01 aula semanal de 50 minutos
      • Mês = 04 aulas de 50 minutos = total: 200 min = 03 horas e 20 minutos
      • Semestre = 16 aulas de 50 minutos = 4 x 3’20 = 12 horas e 8 minutos
      • Ano = 35 horas e 6 minutos
      • *Desconsiderando provas e/ou outras atividades
      • Carga total: 35 horas e 6 minutos
      • 45% carga do primeiro ano = 35 horas e 6 minutos = 15 horas e 79 minutos
      • Aproximadamente 20 horas para demais atividades
      • Na prática...
      • O material didático (complementar) passa a ser o único empregado. O fim da aprendizagem é o seu conteúdo.
      • Os professores não acreditam ser necessário realizar ou propor outras alternativas fora o que há no material.
    • Quanto ao perfil do aluno
      • Qual é o pressuposto básico? 
      • Nosso aluno ou aluna precisa dominar “ habilidades de leitura e de raciocínio lógico-matemático, com base nos indicadores acadêmicos expressos nas avaliações internacionais”.
      • Por que? Atender sistemas de avaliação externos.
      • Concepção de leitor
      • Capaz de usar corretamente estratégias de leitura.
      • Concepção de texto
      • Desconsidera as dimensões genéricas, a perspectiva sociocultural da leitura.
      • Leitura = decodificação. Não contempla a leitura crítica.
      •  
      • Abordagem = Não leva a compreensão leitora, não se articula ao letramento dos sujeitos na escola e ao letramento crítico.
      •  
      • Linguagem = Não se volta para a produção de sentidos e para o questionamento dessa mesma produção.
    • Quanto ao professor/a
      • Não exige reflexão sobre sua prática.
      • Não explora as dimensões discursivas dos diferentes textos.
      • Não é um mediador do processo de aprendizagem, um agente.
    • Quanto ao ensino e à aprendizagem
      • Que se pretende?
      • Atingir resultados externos. Medidas de avaliação.
      • Foco = competência e habilidades dos sujeitos.  
      • Não propõe um sentido significativo para a aprendizagem.
      • Não se articula a um projeto de construção de conhecimentos e saberes que proporcione aos sujeitos a conscientização de seu papel social.
      • Não articula conteúdos e nem promove atividades inter ou transdisciplinares.
    • Considerações finais
      • Pressões externas = políticas propostas para o Ensino Médio = avaliação
      • Propostas específicas para o Ensino de Línguas e para o Ensino da Língua Espanhola
      • Impactos na sala de aula/ material didático
    • Encaminhamentos
      • A visão do professor sobre seu papel, o do ensino do espanhol e suas concepções do material didático (valoração e percepção).
      • A tensão existente entre o ensino do espanhol e demais propostas para o Ensino Médio.
      • A necessidade e relevância de olhar o contexto local de ensino e a formação do sujeitos e sua relação com o material didático
      • A necessidade de construção de vias alternativas e propostas de materiais condizentes com a realidade dos sujeitos e com a sua inclusão social.
      • A inserção dos sujeitos em um letramento mais amplo na sua sociedade e da elaboração de propostas de materiais que a contemplem.
      • O material didático como possibilidade para a aprendizagem dos sujeitos em suas práticas sociais.
      • Saber escolher, fazer escolhas que repercutam no ensinar e aprender na escola e na formação dos sujeitos.
    • Referências
      • Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio . Linguagens, códigos e suas tecnologias / Secretaria de Educação Básica. Brasília : Ministério
      • da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.
      • Vários. Primeiro, Aprender!Ler bem para aprender pra valer . Governo do Estado do Ceará, Fortaleza, 2010.