Your SlideShare is downloading. ×
Historia joao e maria para a aula de quinta[1]
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Historia joao e maria para a aula de quinta[1]

1,537
views

Published on

Historia Joao e Maria

Historia Joao e Maria


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,537
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. História João e Maria para a aula de quinta Era uma vez um menino e uma menina que eram irmãos e quemoravam numa casa da floresta com seu pai e sua madrasta. Os doisajudavam muito nos afazeres, principalmente ao pai que ia na floresta cortarlenha para o sustento da casa. Eles eram muito pobres e o dinheiro já nãochegava para o sustento de todos, tanto que já estavam passando aténecessidades. Então o lenhador falou:— Minha mulher, o que será de nós? Acabaremos todos por morrer de fome.— Há uma solução… — disse a madrasta, que era muito malvada. — Amanhãdaremos a João e Maria um pedaço de pão, depois os levaremos à mata e láos abandonaremos.O lenhador que concordava com tudo o que a madrasta falava concordou.No quarto ao lado, as duas crianças tinham escutado tudo, e Maria desatou achorar.— Não chore — tranqüilizou-a o irmão — Tenho uma idéia.Esperou que os pais estivessem dormindo, saiu da cabana, catou um punhadode pedrinhas brancas que brilhavam ao clarão da lua e as escondeu no bolso.Depois voltou para a cama. No dia seguinte, ao amanhecer, a madrastaacordou as crianças. As crianças foram com o pai e a madrasta cortar lenha nafloresta e lá foram abandonadas.João havia marcado o caminho com as pedrinhas e, ao anoitecer, conseguiramvoltar para casa.O pai ficou contente, mas a madrasta, não. Mandou-os dormir e trancou a portado quarto. Como era malvada, ela planejou levá-los ainda mais longe no diaseguinte.João ouviu a madrasta novamente convencendo o pai a abandoná-los, masdesta vez não conseguiu sair do quarto para apanhar as pedrinhas, pois suamadrasta havia trancado a porta. Maria desesperada só chorava. João pediu-lhe para ficar calma e ter fé em Deus.
  • 2. Antes de saírem para o passeio, receberam para comer um pedaço de pãovelho. João, em vez de comer o pão, guardou-o.Ao caminhar para a floresta, João jogava as migalhas de pão no chão, paramarcar o caminho da volta.Chegando a uma clareira, a madrasta ordenou que esperassem até que elacolhesse algumas frutas, por ali. Mas eles esperaram em vão. Ela os tinhaabandonado mesmo!- Não chore Maria, disse João. Agora, só temos é que seguir a trilha que eu fizaté aqui, e ela está toda marcada com as migalhas do pão.Só que os passarinhos tinham comido todas as migalhas de pão deixadas nocaminho.As crianças andaram muito até que chegaram a uma casinha toda feita comchocolate, biscoitos e doces. Famintos, correram e começaram a comer.De repente, apareceu uma velhinha, dizendo: - Entrem, entrem, entrem, que ládentro tem muito mais para vocês.Mas a velhinha era uma bruxa que os deixou comer bastante até cairem nosono e confortáveis caminhas.Quando as crianças acordaram, achavam que estavam no céu, parecia tudoperfeito.Porém a velhinha era uma bruxa malvada que e aprisionou João numa jaulapara que ele engordasse. Ela queria devorá-lo bem gordo. E fez da pobre eindefesa Maria, sua escrava.Todos os dias João tinha que mostrar o dedo para que ela sentisse se eleestava engordando. O menino, muito esperto, percebendo que a bruxaenxergava pouco, mostrava-lhe um ossinho de galinha. E ela ficava furiosa,reclamava com Maria:- Esse menino, não há meio de engordar.- Dê mais comida para ele!Passaram-se alguns dias até que numa manhã assim que a bruxa acordou,cansada de tanto esperar, foi logo gritando:- Hoje eu vou fazer uma festança.- Maria, ponha um caldeirão bem grande, com água até a boca para ferver.- Dê bastante comida paro seu o irmão, pois é hoje que eu vou comê-lo
  • 3. ensopado.Assustada, Maria começou a chorar.— Acenderei o forno também, pois farei um pão para acompanhar o ensopado.Disse a bruxa.Ela empurrou Maria para perto do forno e disse:_Entre e veja se o forno está bem quente para que eu possa colocar o pão.A bruxa pretendia fechar o forno quando Maria estivesse lá dentro, para assá-la e comê-la também. Mas Maria percebeu a intenção da bruxa e disse:- Ih! Como posso entrar no forno, não sei como fazer?- Menina boba! disse a bruxa. Há espaço suficiente, até eu poderia passar porela.A bruxa se aproximou e colocou a cabeça dentro do forno. Maria, então, deu-lhe um empurrão e ela caiu lá dentro . A menina, então, rapidamente trancou aporta do forno deixando que a bruxa morresse queimada.Mariazinha foi direto libertar seu irmão.Estavam muito felizes e tiveram a idéia de pegarem o tesouro que a bruxaguardava e ainda algumas guloseimas .Encheram seus bolsos com tudo que conseguiram e partiram rumo a floresta.Depois de muito andarem atravessaram um grande lago com a ajuda de umcisne.Andaram mais um pouco até que para sua surpresa encontraram umafazenda, com muitas verduras e frutas,pensaram em entrar para conhecer olugar mas lembraram do que havia acontecido da outra vez. Pensaram,pensaram, até que decidiram entrar, pois apesar do medo também eram muitocuriosos.Chegando lá descobriram uma senhora que morava e cuidava do lugar, masela não se parecia com a bruxa, nem em sua aparência, nem em seu jeito. Asenhora lembrava a mãe deles. E de início não foi muito receptiva, dizendo:-O que vocês estam fazendo em minha horta? Alguém os convidou? Cuidadoonde pisam, pois eu cultivo muito e tenho amor a minha horta, já que ela faztanto bem a saúde. E foi logo explicando os cuidados que os alimentosplantados ali ajudam em nossa saúde.
  • 4. Os irmãos foram gostando da explicação dada pela senhora e ficaramescutando.Ela foi gostando das crianças e foram ficando aos poucos em sua casa, já quea senhora morava sozinha. Com o passar do tempo, como os pais não queriamficar com eles por causa das despesas a senhora os adotou e passou a cuidardeles como se fossem seus flhos.

×