Analise e PlanejamentoFinanceiro modulo 2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Analise e PlanejamentoFinanceiro modulo 2

on

  • 1,904 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,904
Views on SlideShare
1,904
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
51
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Analise e PlanejamentoFinanceiro modulo 2 Analise e PlanejamentoFinanceiro modulo 2 Presentation Transcript

  • Olá Pessoal, bem vindos ao módulo 2.
    Neste móduloestudaremos as DemonstraçõesFinanceirasmaisimportantes e o Planejamento
  • BALANÇO PATRIMONIAL
    uma introdução
    .
    • Ativo;
    • Passivo e patrimônio líquido
    • Origens e aplicações;
    • Explicação da expressão balanço patrimonial;
    • Requisitos do balanço patrimonial.
  • PASSIVO
    ATIVO
    PATRIMÔNIO
    LÍQUIDO
    BALANÇO PATRIMONIAL
    uma introdução
    BALANÇO PATRIMONIAL
    É o mais importante relatório contábil.
    É ele que Identifica-se a saúde financeira da empresa
    Apresentadono fim do ano ou qualquer data prefixada, respeitando o exercício social
    ATIVO - PASSIVO = PATRIMÔNIO LÍQUIDO
  • O Balanço Patrimonial é o RelatóriomaisimportantedaContabilidade, tantoque se existissesóelepoderíamostomarumadecisão, poisteríamostodosossaldosdisponíveis do patrimônionanossafrente. No entanto, existemosusuários e suasnecessidadesparatomarestadecisão.
  • Como porexemplo, o usuáriodesejarconhecer a realidade as vendas do períododaempresa, osgastosefetuadosporesta, etc. Para issoexistem as Demostrações e as maisfrequentementeutilizadaspara a Gestão do planejamento é o BalançoPtrimonial, a Demonstração do Resultado do Exercício e a Demonstração dos LucrosouPrejuízosAcumulados.
  • A seguirestudaremos a DRE – Demonstração do Resultado do Exercício, maslembrandoqueexistemoutrasDemonstraçõesObrigatórias: a DFC – Demonstração do Fluxo de Caixa e a DVA – Demonstração do Valor Adicionado
  • Demonstração do Resultado do Exercício
    Receita Bruta com Vendas
    (-)DeduçõesdaReceitaBruta com Vendas
    (=)ReceitaLiquida com Vendas
    (-)CMV
    (=)ResultadoOperacionalBruto
    (-)DespesasOperacionais
    (=)ResultadoOperacionalLíquido
    (+/-)OutrasDespesas/OutrasReceitasOperacionais
    (=)Resultado Antes do IR
    (-)IR e CSLL
    (=) Resultadoliquido do Exercício
  • Demonstração do Resultado do Exercício
    A DRE Resume-se emDespesasdeduzidas das Receitas. Mostra o comportamento dos Gastosrelacionadosàscontas de resultadonademonstraçãoe o das ReceitasdaEmpresa.
  • Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados
  • Essa demonstração objetiva avaliar as modificações ocorridas no saldo da conta de lucros ou prejuízos acumulados, confrontados dois exercícios sociais. Prevê o art. 186 da Lei das Sociedades por Ações que a Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados deverá indicar o montante do dividendo por ação do Capital Social, podendo ser incluída na Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido, se esta for elaborada e publicada pela Companhia. De certa maneira, a DLPA é um desdobramento da Demonstração de Resultado do Exercício. Se a DRE registra a formação do resultado, revelando parte destinada à constituição da provisão para Imposto de Renda e C.S.L.L., a DLPA evidencia as modificações ocorridas no saldo da conta de Lucros ou Prejuízos acumulados durante o exercício.
     
  • PROCEDIMENTOS PARA A ELABORAÇÃO:
    Elabora-se a demonstração partindo-se dos razões contábeis de todas as contas que integram o Patrimônio Líquido, dos quais serão extraídos:
    a) os saldos no encerramento do balanço do exercício anterior;
    b) os acréscimos e as diminuições dos saldos; e
    c) os saldos no encerramento do exercício ao qual a demonstração se refere.
  • OBSERVAÇÕES:
    a) As empresas que elaborarem a DMPL estão dispensadas de apresentar em separado a Demonstração de Lucros e prejuízos Acumulados – DLPA, uma vez que esta, obrigatoriamente, estará incluída naquela.
    b) Para as fundações, entidades sindicais e associações de classe, a DMPL denomina-se Demonstração das Mutações do Patrimônio Social, conforme determinaram as Resoluções CFC 837/1999 e 838/1999.
    c) a DMPL das companhias de capital aberto deve indicar o dividendo por ação do Capital Social, por espécie e classe. Para tanto deve observar diferentes vantagens conferidas a cada uma as diversas espécies e classes de ações que compõem o Capital Social, destacando, inclusive, as ações em tesouraria, que poderão influenciar a base de cálculo.
  • OBJETIVO DA ANÁLISE DE BALANÇO
    A Análise de Balanço objetiva extrair informações das Demonstrações Financeiras para a tomada de decisão.
    As demonstrações financeiras fornecem uma série de dados sobre a empresa, de acordo com regras contábeis.
    A Análise de Balanço transforma esses dados em informações.
  • DADOS: são números ou descrição de objetos ou eventos que, isoladamente, não provocam nenhuma reação do leitorEx.. O Brasil tem X milhões de habitantes
    INFORMAÇÕES: representam, para quem as recebe, uma comunicação que pode produzir reação ou decisão.
    Ex.. Quando se divide, porém, o Produto Nacional pelo dados acima encontra-se a renda per capita; quando se compara essa renda com a de outros países, pode-se chegar à conclusão de que o Brasil é um país pobre
  • Seqüência do processo contábil
    Fatos ou eventos
    econômico
    financeiros
    Demonstrações
    financeiras
    DADOS
    Informações
    financeiras
    para a tomada
    de decisões
    Processo
    Técnicas de
    Análise de
    Balaços
    Contábil
  • A Análise de Balanço começa onde termina a Contabilidade
    Para o contador a preocupação básica são os registros das operações, quais os custos que comporão o custo de aquisição, a taxa de depreciação, qual será sua classificação no balanço e sua atualização monetária. O analista de balanço preocupa-se com as demonstrações financeiras que, por sua vez, precisam ser transformadas em informações que permitam concluir se a empresa merece ou não crédito, se vem sendo bem ou mal administrada, se tem ou não condições de pagar suas dívidas, se é ou não lucrativa, se vem evoluindo ou regredindo, se é eficiente ou ineficiente, se irá falir ou se continuará operando.
  • Linguagem Descomplicada
    O produto da Análise de Balanço são relatórios escritos em linguagem corrente. Recomenda-se a utilização de gráficos. Ao contrario das demonstrações financeiras, os relatórios de análise devem ser elaborados como se fossem dirigidos a leigos, isto é, sua linguagem deve ser inteligível por qualquer mediano dirigente de empresa, gerente de banco ou gerente de crédito.
  • As demonstrações financeiras apresentam-se carregadas de termos técnicos e suas notas explicativas são feitas exclusivamente para técnicos, a tal ponto que permitem freqüentemente manipulações e acobertamentos. Assim, a Análise de Balanço deve assumir também o papel de tradução dos elementos contidos nas demonstrações financeiras. Um relatório de análise de balanço que apresentasse dados em vez de informações não poderia ser considerado um bom relatório.
  • O que incluir no relatório
    Informações produzidas pela Análise de Balanço:
    - Situação financeira
    - Situação econômica
    - Desempenho
    - Eficiência na utilização dos recursos
    - Pontos fortes e fracos
    - Tendência e perspectivas
    - Quadro evolutivo
    - Adequação das fontes às aplicações de recursos
    - Causas das alterações na situação financeira
    - Causas das alterações na rentabilidade
    - Evidência de erro da administração
    - Providências que deveriam ser tomadas e não foram
    - Avaliação de alternativas econômico-financeiras futuras
  • METODOLOGIA DE ANÁLISEA Análise de Balanço baseia-se no raciocínio científico
    Etapas:
    1 2 3 4
    Escolha de
    Indicadores
    Comparação
    com
    Padrões
    Diagnóstico
    ou
    Conclusões
    Decisões
    ANÁLISE
    Processo de Tomada de Decisão
  • Evolução Histórica
    A Análise de Balanço surgiu e desenvolveu-se dentro do sistema bancário.
    1895, em 9 de fevereiro, o Conselho Executivo da Associação dos Bancos no Estado de New York resolveu recomendar aos seus membros que solicitassem aos tomadores de empréstimos declarações escrita e assinadas de seus ativos e passivos.
    1900, essa mesma associação divulgou um formulário de proposta de crédito que incluía espaço para o balanço (exames superficiais).
  • Evolução Histórica
    1913, além da comparação do ativo circulante com o passivo circulante, chama-se a atenção para outros índices como: depósito bancário em relação ao exigível, percentual de contas a receber em relação aos demais itens do ativo, percentual de estoques em relação a vendas anuais.
    1915, a Análise de Balanço tornou-se praticamente obrigatória nos Estados Unidos (sem uniformidade das terminologia, classificação).
    1918, O Federal Reserve Board (Bco. Central), formulário de padronização para Balanço e Demonstrações de Lucros e Perdas.
  • Evolução Histórica
    1919, Alexander Wall, considerado o pai da Análise de Balanço, apresentou um modelo de análise de balanço, através de índices, e demonstrou a necessidade de considerar outras relações, além do Ativo Circulante contra o Passivo Circulante. Adotando o método de computar vários coeficientes, todavia havia a necessidade de padrões de referência para auxiliar a avaliação.
    1923, James H. Biss, todos os ramos de atividades há certos coeficientes característicos que podem ser obtidos através de médias.
  • Evolução Histórica
    1925, Stephem Gilman, críticas à análise de coeficientes, propôs índices encadeados, variação de itens em relação a um ano-base (iniciando-se a análise horizontal).
    1931, Dun & Bradstreet passou a elaborar e divulgar índices padrão para diversos ramos de atividades.
    Década de 30, surgiu dentro da empresa Du Pont, um modelo de análise da rentabilidade da empresa (ROI; returnoninvestiment).
  • Evolução Histórica no Brasil
    1968, a Análise de Balanço era ainda um instrumento pouco utilizado na prática
    Neste ano foi criada, a SERASA, empresa que passou a operar como central de Análise de Balanço de bancos comerciais (parte técnica Matarazzo).
  • TÉCNICAS DE ANÁLISE
    Análise através de Índices - comparação com índice-padrão, objetivando o seu desempenho.
    Análise Vertical e Horizontal - presta-se fundamentalmente ao estudo de tendências.
    Análise do Capital de Giro - índices de rotação (recebimento, pagamento e estocagem) modelo de análise de investimento e financiamento do capital de giro (insolvência técnica).
    Análise de Rentabilidade e Endividamento
    Análise Prospectiva - analisando-se o passado, se poderá inferir como será o futuro. Desenvolvimento de Técnicas previsionais.
  • Usos e Usuários da Análise de Balanço
    Um dos elementos mais importantes na tomada de decisões relacionadas a uma empresa é a análise das suas demonstrações financeiras. A política financeira de uma empresa tem reflexo nas demonstrações financeiras e é através da sua análise que se podem conhecer os seus objetivos. A análise de balanços permite uma visão da estratégia e dos planos da empresa analisada; permite estimar o seu futuro, suas limitações e suas potencialidades.
  • ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
    A análise das demonstrações financeiras exige conhecimento do que representa cada conta que nelas figura. Visando extrair informações para a tomada de decisão. O perfeito conhecimento do significado de cada conta facilita a busca de informações precisas.
  • Relatório da Diretoria
    É um relatório feito pela administração que contém informações aos acionistas, desempenho, perspectivas relativas a estratégias de vendas, compras, produtos, expansão, efeitos conjunturais, legislação, política financeira, de recursos humanos, resultados alcançados, planos, previsões etc.Se relata livremente aquilo que julga importante.
  • Notas Explicativas
    São dados e informações que ora complementam as demonstrações financeiras; taxas de juros, vencimentos e garantias de obrigações, critérios contábeis (avaliação de estoques, depreciações, provisões) Garantias prestadas a terceiros, espécies de ações do capital social, eventos relevante subsequentes à data do balanço. Auxiliam a fazer avaliação mais ampla da empresa.
    Parecer dos Auditores
    Obrigatório para as companhias abertas. Os auditores são contadores que, sem manter vínculo empregatício, são contratados para emitir opiniões sobre a correção e veracidade das demonstrações financeiras
  • Exercício:
    Como você pensa que deve ser um bom relatório ? Responda nos comentários.
    Um abraço! E anoteseu email paraquepossamosenviarseucertificado .
  • Sugestões
    Análise de Balanço – web
    Mercado de Capital
    Conceitos e Fórmulas