• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Recursos TRE-RJ Arquivologia e ADM Pública - técnico
 

Recursos TRE-RJ Arquivologia e ADM Pública - técnico

on

  • 3,120 views

Recursos para as matérias de Arquivologia e Adm. Pública para o concurso TRE-RJ - cargo de técnico.

Recursos para as matérias de Arquivologia e Adm. Pública para o concurso TRE-RJ - cargo de técnico.
Escrito pelo prof. Marcelo Marques.

Statistics

Views

Total Views
3,120
Views on SlideShare
3,120
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
31
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Recursos TRE-RJ Arquivologia e ADM Pública - técnico Recursos TRE-RJ Arquivologia e ADM Pública - técnico Document Transcript

    • RECURSOS ARQUIVOLOGIA29 - Conforme o disposto na legislação arquivística, os arquivos do TRE/RJ constituemarquivos federais.(GABARITO PRELIMINAR- ERRADO)Conforme consta no Art 17 da Lei 8.159 - A administração da documentação pública ou de caráter público compete às instituições arquivísticasfederais, estaduais, do Distrito Federal e municipais.§ 1º São Arquivos Federais o Arquivo Nacional do Poder Executivo, e os arquivos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário. São considerados, também, doPoder Executivo os arquivos do Ministério da Marinha, do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério do Exército e do Ministério da Aeronáutica.Lembro, ainda, que o TRE-RJ é um órgão do Poder Judiciário da União;Sugestão: alteração de gabarito de Errado para CertoPara fundamentar, ainda mais, seu recurso:Art. 92. São órgãos do Poder Judiciário:I - o Supremo Tribunal Federal;I-A o Conselho Nacional de Justiça; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)II - o Superior Tribunal de Justiça;III - os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais;IV - os Tribunais e Juízes do Trabalho;V - os Tribunais e Juízes Eleitorais;VI - os Tribunais e Juízes Militares;VII - os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios.Art. 99. Ao Poder Judiciário é assegurada autonomia administrativa e financeira.§ 1º - Os tribunais elaborarão suas propostas orçamentárias dentro dos limites estipulados conjuntamente com os demais Poderes nalei de diretrizes orçamentárias.§ 2º - O encaminhamento da proposta, ouvidos os outros tribunais interessados, compete:I - no âmbito da União, aos Presidentes do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores, com a aprovação dos respectivostribunais;II - no âmbito dos Estados e no do Distrito Federal e Territórios, aos Presidentes dos Tribunais de Justiça, com a aprovação dosrespectivos tribunais.Desses artigos da CF depreende-se que os únicos órgãos estaduais do Poder Judiciário citados na CF são os Tribunais de Justiça doEstados e os juízes estaduais.A Justiça Especializada - trabalhista, eleitoral e militar - integra o Poder Judiciário da União.
    • 32 - A classificação do documento de arquivo é feita a partir de um código ou plano declassificação e efetivada mediante a anotação desse código no própriodocumento.(GABARITO PRELIMINAR - CERTO)Vamos desmembrar a questão:Observo, aqui, uma confusão do examinador. Acredito que, a ideia básica da questão, era falar sobre a atividade de protocolo. Noentanto ao citar Plano de Classificação- o examinador incorreu em erro, pois aquele é uma tarefa que antecede e imprescindível aoarquivamento e ordenação e, sendo assim, a anotação no documento está fora de contexto.Veja a definição de Plano de classificação, segundo o CONARQ:Esquema de distribuição de documentos em classes, de acordo com específicos, elaborado a partir do estudo das estruturas efunções de uma instituição e da análise doArquivo por ela produzido. Expressão geralmente adotada em arquivos correntes.Plano de Classificação, segundo Marilena Leite Paes –Arquivo, Teoria e Prática – Editora FGV.Minhas considerações finais:Plano de classificação e código de classificaçãoUm plano de classificação é um esquema de distribuição de documentos em classes, de acordo com métodos de arquivamento específicos,elaborado a partir do estudo das estruturas e funções de uma instituição e da análise do arquivo por ela produzido. A estruturação de umplano de classificação pode ser facilitada pela utilização de códigos (numéricos ou alfanuméricos) para designar as classes, constituindo umcódigo de classificação. O código de classificação de documentos é um instrumento de trabalho utilizado para classificar todo e qualquerdocumento produzido ou recebido por um órgão ou entidade no exercício de suas funções e atividades.A classificação é utilizada para agrupar os documentos a fim de contextualizá-los, agilizar sua recuperação e facilitar tanto as tarefas dedestinação (eliminação ou recolhimento dos documentos) como as de acesso.Sugestão: alteração de gabarito de CERTO para ERRADO.
    • 40 - A acidez do papel, condição que pode danificá-lo, decorre dapresença de elementos metálicos no documento, como grampos, bailarinas e clipes.(GABARITO PRELIMINAR- ERRADO)O homem, consciente ou inconscientemente, é um dos maiores agressores do papel. O simples uso é o suficiente para degradar este material. A acidez e agordura do suor das mãos, em contato com o papel, produzem acidez e manchas. Também são nocivos os maus tratos como: rasgar, riscar, dobrar, escrever,marcar, colocar clipes, grampos metálicos e colar fitas. Essas atitudes são comuns entre as pessoas que não pensam na preservação do documento e que seimportam apenas com a informação contida no mesmo, não levando em consideração os danos, muitas vezes irreversíveis, que estão causando.Fonte:  A acidez e a oxidação são os maiores processos de deterioração química da celulose.  94% da informação escrita pelo Homem está em papel.  Principal motivo para a má qualidade do papel, foi a introdução de produtos químicos para branquear e aumentar a produção.  Fatores ambientais são decisivos para a degradação do papel : T e UR, Luz, Ventilação, Poeira (poluição), gases, etc. A durabilidade do papel dependerá da estreita relação com a qualidade da fibra e com o processo de acidez.  Toda natureza envelhece com o tempo e o papel é de natureza orgânica.Fonte: manual de preservação documental Fiocruz No caso dos documentos ameaçados de desaparecimento pela acidez, os países da América do Norte e da Europa realizam um grande esforço para salvar umasignificativa massa de informação em papel ácido. Esta campanha já se iniciou de forma organizada há cerca de uma década, pela microfilmagem cooperativa.Fonte: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/Media/publicacoes/mesa/infraestrutura_e_polticas_de_preservao.pdfEntretanto, a microfilmagem de documentos fragilizados pela acidez não conta com uma política consistente. Esta atividade ainda se limita a iniciativas isoladas,limitadas a pouquíssimas instituições. Dos arquivos brasileiros que constam em nosso banco de dados, apenas 17% informam realizar ou contratar serviços demicrofilmagem. Na figura 8 podem ser visualizados estes níveis relativos aos Arquivos.Fonte: http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/Media/publicacoes/mesa/infraestrutura_e_polticas_de_preservao.pdfAcidez: valor do pH - Grau de concentração de íons de hidrogênio num suporte. É expresso numa escala logarítmica de 0 a 14, sendo 7 o ponto neutro. Osvalores acima de 7 caracterizam o estado alcalino e os inferiores, a acidez.Fonte: http://www.portalan.arquivonacional.gov.br/Media/Dicion%20Term%20Arquiv.pdfSugestão: alteração de gabarito de ERRADO para CERTO.
    • ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA87 - A cerimônia de formatura pode ser considerada um exemplo de símbolo da culturaorganizacional de uma instituição universitária.(GABARITO PRELIMINAR - CERTO)Desde o início, quando elaborei o gabarito extra-oficial, atentei para a possibilidade do gabarito da CESPE ser certo. Naquelemomento, atentei para um trabalho da UFF sobre “Introdução à Cultura Organizacional” – vejam o link:http://labspace.open.ac.uk/mod/resource/view.php?id=436609Trata-se de uma abordagem, de forma bem particular, chama todos os elementos da Cultura de Símbolos.Para se compreender a cultura organizacional, é preciso investigar abaixo dos elementos visíveis da cultura, osartefatos e, também, dos elementos menos visíveis, mas, facilmente percebíveis os valores, procurando nospressupostos básicos as origens do comportamento organizacional..Artefatos constituem o nível mais superficial e consciente no qual estão todos os fenômenos visíveis, tangíveis eaudíveis que ocorrem como manifestação das camadas mais profundas (valores e pressupostos). São todos oselementos visíveis - ambiente construído, arquitetura, layout dos escritórios, tecnologia, produtos, logotipo,materiais de comunicação, comportamentos, estilo (por exemplo, hábitos de vestir), mitos e histórias contadasque fazem parte da tradição da organização, documentos públicos (por exemplo, lista dos valores, missão, visãoe documentos diversos), linguagem escrita e falada, cerimônias e rituais, costumes, recompensas e punições,bem como processos organizacionais que se manifestam em rotinas. Os valores posicionam-se no nívelintermediário entre o consciente e o inconsciente e são os conjuntos de princípios que definem os artefatos.Valores são os fundamentos para os julgamentos a respeito do que está certo e errado, ou seja, o código ético emoral do grupo.Cultura Organizacional Brasileira sob a ótica de GeertHofstedePara o autor, o termo CULTURA tem o sentido de “programação da mentalidade coletiva, que distingueuns dos outros os membros de diferentes categorias de população” – por categoria de população pode-seentender uma nação, um grupo étnico, categorias de gênero, grupos etários, classe social, a profissão ouofício, uma organização trabalhista ou simplesmente a família.Esclarece ainda o autor que a cultura se compõe de muitos elementos, que podem ser classificados emquatro categorias: símbolos, heróis, ritos e valores. - Os símbolos são palavras, objetos e gestos de significado convencional. No nível da cultura nacional, os símbolos correspondem à linguagem. No nível da cultura organizacional, os símbolos correspondem a abreviaturas, gírias, maneiras de trajar e posições de status; - Os heróis são pessoas imaginárias ou reais, vivas ou mortas, indicadas como modelos decomportamento. - Os ritos são atividades tecnicamente supérfluas, mas socialmente significativas no contextode determinada cultura.
    • - Os valores constituem o nível mais profundo de uma cultura. São sentimentos amplos, muitasvezes inconscientes e indiscutíveis, envolvendo categorias éticas, estéticas, ideológicas, tais categoriassão compartilhadas pelos integrantes de um grupo ou por seus líderes.Conceitos de Cultura OrganizacionalFONTE: GEERTZ, Clifford. Nova luz sobre a antropologia. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.Sugestão: Anulação da questão por não permitir, ao candidato, uma correta interpretação doque o examinador queria.
    • 91 - As organizações públicas, em sua gestão, devem utilizar estratégias desegmentação do mercado iguais às adotadas pelas organizações privadas,estabelecendo diferenças específicas de tratamento para os grupos diferenciados decidadãos.(GABARITO PRELIMINAR - ERRADO)Sugestão: Alteração de Errado para certo.