Your SlideShare is downloading. ×
Moodle
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,518
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
100
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Moodle Manual de utilização -- Docentes --
  • 2. Manual de utilização – Docentes 1. Indice 1. Indice ............................................................................................................................. 2 2. Acesso a plataforma ......................................................................................................... 5 3. Página inicial da disciplina ................................................................................................. 6 3.1. Introdução ................................................................................................................ 6 3.2. Secções da página inicial da disciplina .......................................................................... 6 3.2.1. Barra de navegação ............................................................................................. 7 3.2.2. Modo de edição ................................................................................................... 8 3.3. Blocos da disciplina .................................................................................................... 8 3.3.1. Bloco actividade recente ....................................................................................... 9 3.3.2. Bloco actividades ................................................................................................. 9 3.3.3. Bloco administração ........................................................................................... 10 3.3.4. Bloco calendário ................................................................................................ 10 3.3.5. Bloco disciplinas ................................................................................................ 10 3.3.6. Bloco pessoas .................................................................................................... 11 3.3.7. Bloco procurar ................................................................................................... 11 3.3.8. Bloco próximos eventos ...................................................................................... 11 3.3.9. Bloco sumário da disciplina ................................................................................. 11 3.3.10. Bloco tópicos ..................................................................................................... 12 3.3.11. Bloco últimas notícias ......................................................................................... 12 3.3.12. Bloco utilizadores em linha .................................................................................. 12 3.4. Os formatos da página inicial da disciplina .................................................................. 12 3.4.1. O formato semanal ............................................................................................ 13 3.4.2. O formato tópicos .............................................................................................. 14 3.4.3. O formato social ................................................................................................ 14 4. Administração da disciplina ............................................................................................. 15 4.1. Administração ......................................................................................................... 15 4.1.1. Activar o modo de edição .................................................................................... 15 4.1.2. Configurações ................................................................................................... 15 4.1.3. Atribuir papeis ................................................................................................... 17 4.1.4. Cópia de segurança ............................................................................................ 18 4.1.5. Restaurar.......................................................................................................... 19 4.1.6. Escalas ............................................................................................................. 20 4.1.7. Notas ............................................................................................................... 20 4.1.8. Relatórios ......................................................................................................... 20 Página 2 de 57
  • 3. Manual de utilização – Docentes 4.1.9. Ficheiros ........................................................................................................... 21 5. O editor de texto do Moodle ............................................................................................ 22 5.1. Introdução .............................................................................................................. 22 5.2. As funcionalidades do editor ...................................................................................... 22 5.2.1. Formatação de texto .......................................................................................... 22 5.2.3. Outras funcionalidades ....................................................................................... 23 6. Os recursos ................................................................................................................... 24 6.1. Introdução .............................................................................................................. 24 6.2. Adicionar recursos .................................................................................................... 24 6.2.1. Página de texto ................................................................................................. 25 6.2.2. Página Web ....................................................................................................... 25 6.2.3. Apontador para ficheiro ou página........................................................................ 26 6.2.4. Mostrar um directório ......................................................................................... 26 6.2.5. Etiqueta ............................................................................................................ 26 6.3. Gerir os recursos ..................................................................................................... 27 7. As actividades ............................................................................................................... 28 7.1. Introdução .............................................................................................................. 28 7.2. Adicionar actividades ................................................................................................ 28 7.3. Gerir as actividades .................................................................................................. 29 7.4. A actividade chat ..................................................................................................... 29 7.4.1. Introdução ........................................................................................................ 29 7.5. A actividade fórum ................................................................................................... 31 7.5.1. Introdução ........................................................................................................ 31 7.5.2. Criar um fórum .................................................................................................. 31 7.5.3. Utilização do fórum ............................................................................................ 32 7.6. A actividade glossário ............................................................................................... 33 7.6.1. Introdução ........................................................................................................ 33 7.6.2. Criar um glossário.............................................................................................. 33 7.6.3. Preencher o glossário com termos ........................................................................ 34 7.6.4. Utilização do glossário ........................................................................................ 35 7.7. A actividade livro ..................................................................................................... 36 7.7.1. Introdução ........................................................................................................ 36 7.7.2. Criar um livro .................................................................................................... 36 7.7.3. Utilização do livro .............................................................................................. 38 7.8. A actividade trabalho ................................................................................................ 38 7.8.1. Introdução ........................................................................................................ 38 7.8.2. Criar um trabalho .............................................................................................. 39 Página 3 de 57
  • 4. Manual de utilização – Docentes 7.8.3. Usar o trabalho .................................................................................................. 40 7.9. A actividade teste .................................................................................................... 40 7.9.1. Introdução ........................................................................................................ 40 7.9.2. Criar um teste ................................................................................................... 41 7.9.3. Usar o teste ...................................................................................................... 45 7.10. A actividade lição ..................................................................................................... 45 7.10.1. Introdução ........................................................................................................ 45 7.10.2. Criar uma lição .................................................................................................. 45 7.11. A actividade referendo .............................................................................................. 50 7.11.1. Introdução ........................................................................................................ 50 7.11.2. Criar um referendo ............................................................................................ 50 7.11.3. Usar o referendo ................................................................................................ 51 8. Filtros ........................................................................................................................... 52 8.1. Introdução .............................................................................................................. 52 8.2. O filtro TEX ............................................................................................................. 52 8.3. O filtro algébrico ...................................................................................................... 52 8.4. O filtro multimédia ................................................................................................... 52 9. Gestão de grupos ........................................................................................................... 53 9.1. Introdução .............................................................................................................. 53 9.2. Activar o modo de grupos ......................................................................................... 53 9.3. Gestão de grupos ..................................................................................................... 53 9.3.1. Criar agrupamento ............................................................................................. 54 9.3.2. Criar grupos ...................................................................................................... 55 9.3.3. Adicionar alunos a um grupo ............................................................................... 56 9.3.4. Remover alunos de um grupo .............................................................................. 57 9.4. Actividades com suporte para grupos ......................................................................... 57 Página 4 de 57
  • 5. Manual de utilização – Docentes 2. Acesso a plataforma • Abrir um browser de Internet (por exemplo Internet Explorer) e digitar o endereço http://moodle.isep.ipp.pt; • Inserir a sua sigla e a palavra chave (sendo esta igual a utilizada para aceder ao portal do ISEP) e clicar em “Entrar”; • Do lado inferior esquerdo do ecrã irá encontrar as disciplinas em que se encontra inscrito; • Seleccione a disciplina pretendida para poder editar a sua informação. Página 5 de 57
  • 6. Manual de utilização – Docentes 3. Página inicial da disciplina 3.1. Introdução Neste capítulo irá ter uma pequena abordagem à página inicial da disciplina e a descrição das suas várias secções. Ao aceder a esta página terá acesso a um ecrã (Página inicial), como o mostrado na imagem seguinte, que mostra uma disciplina totalmente em branco. Em vários locais da página da disciplina poderá aparecer o ícone de ajuda ( ). Isto significa que existe informação disponível acerca do recurso adjacente ao ícone. 3.2. Secções da página inicial da disciplina Na página de uma disciplina estão presentes várias secções, como pode ser visualizado na imagem seguinte. Página 6 de 57
  • 7. Manual de utilização – Docentes Legenda: 1. Botão que activa/desactiva o modo de edição. 2. Nome de utilizador e link para a realização de logout. 3. Barra de navegação do site. 4. Blocos da página. 5. Secção de conteúdos. 3.2.1. Barra de navegação Esta barra permite a navegação em todo o site do Moodle e não só dentro de uma determinada disciplina. É de preferir a utilização desta barra à utilização dos tradicionais botões “Voltar” e “Avançar”, existentes nos browsers. A caixa “Ir para...” é uma outra forma de navegar. Ao clicar na mesma irão ser apresentadas todas as actividades e recursos da disciplina, divididos por tópicos/semanas (dependendo da organização da própria disciplina). Ao clicar numa dessas opções será imediatamente aberta a página em questão. Esta caixa está presente em todas as páginas da disciplina no canto superior direito, com excepção da página inicial. Assim podemos navegar mais rapidamente entre os diversos materiais disponíveis. Página 7 de 57
  • 8. Manual de utilização – Docentes 3.2.2. Modo de edição Ao carregar no botão (que se situa no canto superior direito) é permitido aos professores da disciplina editar toda a informação relativa à mesma. Neste modo é permitido ao professor alterar a disposição dos módulos da página inicial e adicionar/apagar/editar os recursos e actividades existentes. Observe, na figura, como é possível adicionar recursos e actividades quando o modo de edição está activo. Neste modo ficam visíveis alguns ícones que serão utilizados na gestão da disciplina. Esses ícones são: • deslocar o recurso/actividade na direcção indicada; • mover o recurso/actividade verticalmente na página; • modificar o recurso/actividade; • apagar o recurso/actividade; • apresentar ou não apresentar o recurso/actividade aos alunos; • seleccionar o modo de grupo pretendido para o recurso/actividade. 3.3. Blocos da disciplina As estruturas que se encontram nas laterais da página disciplina são chamados de blocos, os quais podem ser retirados ou reposicionados pelo professor. Os blocos possíveis são: • actividade recente; • actividades; • administração; • calendário; • disciplinas; • pessoas; • procurar; • próximos eventos; • sumário da disciplina; • tópicos; Página 8 de 57
  • 9. Manual de utilização – Docentes • últimas notícias; • utilizadores em linha. No modo de edição é possível adicionar, apagar, mover e ocultar blocos. Para adicionar um bloco e necessário localizar o bloco chamado “Blocos” (normalmente é o último bloco do lado direito da página) e escolher do menu qual o bloco que se pretende adicionar. Para remover, deslocar ou ocultar um bloco é necessário clicar no ícone correspondente à acção que se pretende tomar no bloco em causa. 3.3.1. Bloco actividade recente Neste bloco é visível toda a actividade ocorrida na disciplina desde a última vez que o utilizador acedeu à mesma, inclusivé novas mensagens nos fóruns, novos utilizadores, etc.. É recomendável deixar esta funcionalidade activa, pois ajuda no seguimento da disciplina. Conhecer as actividades dos outros ajuda a promover uma atmosfera de colaboração no grupo. Em casos de disciplinas com grande actividade pode-se desactivar esta funcionalidade, para evitar que a visualização da página inicial seja muito lenta. 3.3.2. Bloco actividades Este bloco agrupa, por tipo, todas as actividades e recursos que fazem parte da disciplina. O aluno, ou o professor, pode assim ter acesso directo a cada um dos grupos de recursos ou actividades existentes na disciplina. Página 9 de 57
  • 10. Manual de utilização – Docentes 3.3.3. Bloco administração Este bloco é utilizado pelo professor para administrar a disciplina. O seu estudo será feito no módulo “Administração da disciplina”. 3.3.4. Bloco calendário O calendário mostra os eventos da disciplina. Os eventos são adicionados ao calendário e podem ser atribuídos a todos os alunos, a um grupo de alunos ou a um aluno específico. Se o professor estabelecer datas de início e fim de aulas, testes ou outras actividades, essas datas serão mostradas de forma destacada. Passando o rato sobre uma data destacada o aluno fica a saber que actividade está relacionada com aquela data. 3.3.5. Bloco disciplinas Neste bloco são mostradas todas as disciplinas em que o utilizador se encontra inscrito, dando a possibilidade de o utilizador navegar entre as disciplinas sem que seja necessário regressar à página principal do Moodle. Também é apresentado um link para todas as disciplinas que se encontram no servidor. Página 10 de 57
  • 11. Manual de utilização – Docentes 3.3.6. Bloco pessoas O bloco pessoas fornece a seguinte informação: • Participantes – listagem de todos os utilizadores envolvidos na disciplina; 3.3.7. Bloco procurar Este bloco é uma ferramenta de pesquisa (por palavra- chave) nos conteúdos de todos os fóruns criados para discussão dos tópicos da disciplina. Esta ferramenta é muito útil para que não se criem mensagens repetidas, sendo para isso necessário instruir os alunos de forma a que não criem mensagens novas sem antes verificar se esse assunto não foi já discutido. 3.3.8. Bloco próximos eventos Todas as actividades da disciplina que tenham datas de início e fim serão apresentadas neste bloco, até que a data de fim seja alcançada. Essas actividades aparecem também no bloco Calendário. 3.3.9. Bloco sumário da disciplina Neste bloco é mostrado o texto que foi escrito pelo professor (aquando da configuração da disciplina), contendo uma descrição breve do conteúdo e objectivos da disciplina. Página 11 de 57
  • 12. Manual de utilização – Docentes 3.3.10. Bloco tópicos Com este bloco facilita-se a navegação pelos vários tópicos da disciplina. É particularmente importante quando o número de tópicos na página central é elevado, pois assim o aluno pode esconder os tópicos que não lhe interessam e sempre que precisar de navegar para um outro tópico acede directamente a partir deste bloco. 3.3.11. Bloco últimas notícias Todas as disciplinas quando são criadas pelo administrador têm por defeito um fórum de notícias (que pode, se assim o pretender, ser retirado pelo professor). Este fórum é normalmente usado para a colocação de notícias de interesse geral (datas, avisos, novos materiais, problemas enfrentados pelos alunos, etc.). As notícias mais recentes colocadas neste fórum aparecem no bloco “Últimas notícias”. 3.3.12. Bloco utilizadores em linha Neste bloco é mostrado quais são os utilizadores que se encontram ligados neste momento à plataforma e a esta disciplina. 3.4. Os formatos da página inicial da disciplina A secção que se encontra no centro da página inicial da disciplina é a mais importante, pois é nesta zona que os materiais da disciplina serão exibidos. Esta secção pode ser formatada de três modos distintos: • semanal; • tópicos; • social. Para alterar o formato de apresentação da disciplina é necessário escolher a opção “Configuração” do bloco “Administração”. Página 12 de 57
  • 13. Manual de utilização – Docentes 3.4.1. O formato semanal Neste formato o módulo central tem o nome de “Agenda Semanal”. Neste formato temos o módulo central dividido em várias secções, sendo que a primeira funciona como apresentação da disciplina e as restantes representam as várias semanas em que a disciplina funcionará. São estas as secções nas quais o professor irá disponibilizar os materiais relativos à disciplina. Em disciplinas muito longas, a visualização dos materiais poderá tornar-se muito lenta devido ao elevado número de semanas. Para evitar esta ocorrência, cada utilizador pode optar por visualizar só uma semana de cada vez, sendo para isso necessário clicar no quadrado branco que se encontra no canto superior direito de cada semana (para voltar a visualizar todas as semanas, basta repetir o processo anterior). Note-se que, nestes casos é aconselhável a utilização do bloco “Tópicos” de forma a facilitar a navegação entre as várias semanas. O professor pode escolher quais as semanas que serão mostradas aos alunos, utilizando para tal o ícone , que se encontra no lado direito de cada semana. Ao clicar neste ícone essa semana deixa de estar visível para os alunos. Para inverter a situação basta repetir o processo anterior. Página 13 de 57
  • 14. Manual de utilização – Docentes 3.4.2. O formato tópicos Neste formato o módulo central tem o nome de “Lista de tópicos”. Este formato é em quase tudo idêntico ao formato semanal, sendo a única diferença a disciplina, em vez de estar dividida por semanas, estar dividida por tópicos. Normalmente uma disciplina com várias turmas funciona melhor neste formato, visto que as turmas podem não trabalhar os mesmos materiais na mesma semana. 3.4.3. O formato social Neste formato o módulo central tem o nome de “Fórum social”. Este formato é totalmente distinto dos outros dois, sendo a página composta unicamente por um fórum de discussão. Neste formato é privilegiada a discussão de temas, em detrimento da entrega de materiais. É o formato ideal para os professores que não têm muito tempo para a colocação dos materiais online, mas que pretendam dar a hipótese aos alunos de interagirem entre si e com o professor através da página. Note-se que existe a possibilidade de enviar ficheiros através do fórum, podendo assim o professor distribuir algum material, bem como avaliar as intervenções dos alunos. Página 14 de 57
  • 15. Manual de utilização – Docentes 4. Administração da disciplina 4.1. Administração O bloco “Administração” (da página inicial da disciplina) é composto pelas seguintes funcionalidades: • activar modo de edição; • configurações; • atribuir papeis; • cópia de segurança; • restaurar; • importar; • reiniciar; • relatórios; • perguntas; • escalas; • relatórios; • ficheiros; • notas. 4.1.1. Activar o modo de edição Esta opção tem a mesma função que o botão “Activar modo edição”, que se encontra no canto superior direito da página inicial da disciplina, e permite a edição dos recursos e actividades da disciplina, bem como a sua organização na página inicial. 4.1.2. Configurações É neste ponto que o professor define o aspecto geral que a disciplina irá ter, bem como algumas regras de inscrição e participação na disciplina. Página 15 de 57
  • 16. Manual de utilização – Docentes Vamos analisar os campos mais relevantes: • Categoria – Curso a que a disciplina pertence; • Nome completo – nome da disciplina; • Nome curto – Código de identificação da disciplina; • Número de identificação da disciplina – Sigla da disciplina; • Sumário – preenchido pelo professor, deverá incluir uma breve descrição do conteúdo e objectivos da disciplina, para leitura por qualquer utilizador do sistema, mesmo que não seja aluno dessa disciplina; • Formato – neste campo é definido o modo de apresentação da disciplina aos alunos. Pode ser definido o formato semanal, tópicos e social; • Número de semanas ou tópicos – define o número de semanas ou tópicos que serão apresentados na página inicial da disciplina; • Data de início da disciplina – data estabelecida pelo professor. No caso do uso do formato semanal, fornecida a data de início e o número de semanas, o sistema cria automaticamente as semanas com as respectivas datas de início e de fim; • Período de inscrição – determina o número de dias em que as inscrições na disciplina são permitidas; • Chave de inscrição – o acesso à disciplina, por alunos aquando do primeiro acesso, pode ser restringido ao conhecimento de uma palavra-chave de inscrição, algo que pode ser definido pelo professor. Se este campo for deixado Página 16 de 57
  • 17. Manual de utilização – Docentes em branco qualquer utilizador registado no sistema vai poder aceder à disciplina. Terminadas as configurações é necessário clicar no botão “Gravar alterações”, que se encontra no final da página, para que as alterações efectuadas tenham efeito. 4.1.3. Atribuir papeis Neste ponto o professor responsável pela disciplina tem acesso a um ecrã onde lhe é permitido alterar os utilizadores inscritos na sua disciplina. Sendo que para isso tem que clicar no tipo de utilizador que pretende alterar. Após escolher o tipo de utilizador é apresentada numa nova página com os dados dos utilizadores inscritos na disciplina e com os restantes utilizadores que se encontram na base de dados. Página 17 de 57
  • 18. Manual de utilização – Docentes Para adicionar um actualizador à disciplina é necessário seleccioná-lo da listagem da direita e clicar no botão . Para excluir alunos da disciplina manualmente utiliza-se o processo inverso. 4.1.4. Cópia de segurança É permitido aos professores a realização de cópias de segurança do toda a disciplina, ou de algumas partes. Esta função é muito útil, por exemplo, na mudança de um ano lectivo. Para fazer a cópia de segurança é necessário seleccionar quais são as actividades que se pretende guardar e de seguida clicar no botão “Continuar”. De seguida é pedido o nome com que se quer que fique gravado o ficheiro da cópia de segurança. Este ficheiro será gravado no directório “backupdata” (caso este directório não exista ele é criado), que se encontra nos ficheiros da disciplina. Página 18 de 57
  • 19. Manual de utilização – Docentes Note-se que estas cópias de segurança não são de realização obrigatória. É ao administrador do sistema que cabe a realização obrigatória das cópias de segurança, de modo a poder restaurar as disciplinas em caso de erro. 4.1.5. Restaurar Esta função permite recuperar o conteúdo de uma disciplina que tenha sido gravado através de uma cópia de segurança. Para isso é necessário primeiro escolher qual o ficheiro que se pretende restaurar. Escolhendo a opção “Restaurar” é apresentado o seguinte ecrã: Agora é necessário clicar no link “Restaurar”, que se encontra em frente do ficheiro pretendido. Após confirmar o restauro do ficheiro deve escolher de que forma a disciplina será restaurada (imagem seguinte). Temos, então, duas opções: • A eliminar a disciplina actual – se escolhermos esta opção toda a informação da nossa disciplina será substituída pela que se encontra na cópia de segurança; Página 19 de 57
  • 20. Manual de utilização – Docentes • A inserir dados para a disciplina seleccionada – nesta opção os dados da cópia de segurança serão adicionados aos actuais da disciplina; 4.1.6. Escalas Esta opção permite aos professores a criação de escalas e critérios de avaliação a serem utilizados nas actividades da disciplina. Uma escala é definida por uma lista de valores ordenada , do mais baixo para o mais alto, separados por vírgulas. Por exemplo: Insuficiente, Suficiente, Bom, Muito Bom, Excelente. 4.1.7. Notas Nesta opção é mostrado ao professor as notas que todos os alunos tiveram nas diversas actividades existentes na disciplina. Esta opção também se encontra disponível para os alunos, mas neste caso apenas conseguem visualizar as suas notas. Existe a possibilidade de exportar os dados em ficheiros de texto ou Excel para tratamento posterior. 4.1.8. Relatórios Esta opção permite ao professor visualizar os acessos realizados à disciplina, tendo várias hipóteses para filtrar os dados. Página 20 de 57
  • 21. Manual de utilização – Docentes O professor irá saber quem acedeu, quando acedeu e o que fez. 4.1.9. Ficheiros Nesta opção os professores têm acesso aos ficheiros enviados e criados na disciplina. Aqui são apresentados os ficheiros e directórios da disciplina (no caso apresentado na imagem anterior existe apenas um directório). Todos os ficheiros que irão ser utilizados na construção dos conteúdos da disciplina serão mostrados aqui. É possível criar directórios, adicionar ficheiros, apagá-los, movê-los, etc.. Pode-se comparar esta ferramenta com o “Meu computador” do Windows. Página 21 de 57
  • 22. Manual de utilização – Docentes 5. O editor de texto do Moodle 5.1. Introdução Em diversos recursos e actividades será disponibilizado ao utilizador um editor de texto. Este editor tem algumas funcionalidades semelhantes a outros editores conhecidos (como o Microsoft Word), como o tipo de letra, tamanho, etc.. 5.2. As funcionalidades do editor Este é um editor de texto que gera HTML a partir do texto formatado pelo utilizador, mas também oferece a possibilidade ao utilizador de escrever em HTML. Em baixo podemos ver a barra de ferramentas do editor de texto do Moodle. 5.2.1. Formatação de texto Em baixo pode-se ver as ferramentas de formatação de texto existentes na barra de ferramentas do editor. Descrição das ferramentas: • 1 – tipo de fonte; • 2 – tamanho da fonte; • 3 – estilo da fonte; • 4 – formatação do texto: o B – negrito; o I – itálico; o U – sublinhado; o S – traçado; o X2 – inferior a linha; o X2 – superior a linha. • 5 – ferramentas de cópia de texto; • 6 – retroceder e avançar acções; • 7 – alinhamento do texto; Página 22 de 57
  • 23. Manual de utilização – Docentes • 8 – sentido da escrita, da esquerda para a direita ou o inverso; • 9 – criação de listas ordenadas ou de itens; • 10 – indentação do texto; • 11 – cores do texto e fundo. Para aplicar qualquer uma destas acções é necessário ter o texto seleccionado e depois pressionar o botão que se pretende, ou então, seleccionar a formatação desejada antes de se começar a escrever. 5.2.2. Edição de links Existe também a possibilidade de se criarem links (ligações) no nosso texto. Essas ligações podem ser para páginas ou ficheiros na Internet ou para qualquer ficheiro que se tenha na nossa pasta de ficheiros. Também é possível a criação de ligações a uma secção dentro da mesma página (âncora). Os botões que permitem a edição dos links são: • - é utilizado para adicionar uma âncora, ou seja, marcar uma secção do texto para uma futura ligação (é necessário ter o texto seleccionado antes de inserir a âncora). Após pressionar o botão da âncora é mostrada uma janela onde temos que inserir o nome que pretendemos para esta âncora; • - Insere uma ligação para uma página ou ficheiro da Internet, ficheiro existente na pasta de ficheiros da disciplina ou para uma âncora da página (é necessário ter seleccionado o texto previamente); • - remove uma ligação inserida anteriormente. 5.2.3. Outras funcionalidades Além das funcionalidades descritas anteriormente o editor apresenta outras, tais como: • - insere uma imagem, que pode ser da Internet ou de um ficheiro existente na pasta da disciplina; • - insere uma linha horizontal que ocupa a largura toda do texto; • - insere uma tabela • - insere uma imagem que exprime uma emoção (smiles); • - possibilita a inserção de caracteres especiais no texto; • - alterna entre a escrita de texto formatado ou de HTML puro; • - expande a janela do editor, especialmente útil quando o texto a inserir é extenso. Página 23 de 57
  • 24. Manual de utilização – Docentes 6. Os recursos 6.1. Introdução O desenvolvimento de uma disciplina no Moodle envolve a disponibilização de recursos para os alunos. Os recursos que se podem disponibilizar no Moodle são: • página de texto – permite escrever uma página de texto não formatado que os alunos poderão consultar; • página Web - permite escrever uma página de texto formatado, utilizando o editor de texto do Moodle, que os alunos poderão consultar; • apontador para ficheiro ou página – adiciona uma ligação para uma ficheiro ou página da Internet ou para ficheiros existentes na pasta de ficheiros da disciplina; • directório – permite mostrar aos alunos o conteúdo inteiro de um directório existente na pasta de ficheiros da disciplina; • etiqueta – permite colocar texto ou imagens no módulo central da página inicial da disciplina. 6.2. Adicionar recursos Para adicionar um recurso é necessário activar o modo de edição da página e de seguida seleccionar, na caixa de escolhas, qual o recurso que pretendemos adicionar. Página 24 de 57
  • 25. Manual de utilização – Docentes 6.2.1. Página de texto Este recurso é uma página de texto não formatado que será apresentado aos alunos. Ao seleccionarmos este recurso é apresentada uma página para a introdução dos dados. Os dados que temos que preencher dividem-se em três campos, em que os dois primeiros são comuns a todos os recursos com a excepção da etiqueta e são de preenchimento obrigatório: • nome – devemos escrever um título curto que exprima o conteúdo do texto, pois será esta a informação que irá aparecer na página inicial; • sumário – é visualizado pelos alunos na listagem dos recursos existentes na disciplina; • texto completo – é o texto que o professor quer disponibilizar para os alunos. 6.2.2. Página Web A página Web não é mais que uma página de texto formatado. Em relação ao recurso anterior, oferece a mais a possibilidade de formatar o texto (devemos optar por este recurso em vez da página de texto, pois é muito mais agradável a leitura de um texto formatado que de um não formatado). Página 25 de 57
  • 26. Manual de utilização – Docentes 6.2.3. Apontador para ficheiro ou página Se pretendermos um apontador para uma página de Internet basta inserirmos o seu endereço na caixa. Caso se pretenda um ficheiro temos que pressionar o botão “Escolha ou envie um ficheiro...”, seleccionando de seguida o ficheiro que se pretende. Se o ficheiro pretendido se encontrar no nosso computador, e não no servidor, temos a possibilidade de o enviar (fazer o upload) para o servidor através do botão “Enviar um ficheiro”. 6.2.4. Mostrar um directório Para mostrar o conteúdo inteiro de um directório basta seleccionar o directório pretendido da pasta de ficheiros da disciplina. Este recurso é muito útil quando se quer disponibilizar uma grande quantidade de ficheiros, pois assim a página inicial não será tão extensa. 6.2.5. Etiqueta Para a inserção de uma etiqueta é necessário inserir o texto que se pretende apresentar na página e formatá-lo. Página 26 de 57
  • 27. Manual de utilização – Docentes 6.3. Gerir os recursos Depois de criado um recurso são apresentados ao seu lado, na página inicial, vários ícones que permitem a realização de operações sobre ele. As operações permitidas são: • - deslocar para a direita; • - mover para cima ou para baixo dentro da página. Após pressionado este ícone são apresentadas na página principal várias caixas para onde se pode mover o recurso seleccionado. Para mover o recurso basta clicar numa dessas caixas; • - modificar/editar o recurso; • - apagar o recurso; • - ocultar o recurso dos alunos. Página 27 de 57
  • 28. Manual de utilização – Docentes 7. As actividades 7.1. Introdução O desenvolvimento de uma disciplina no Moodle envolve a criação de actividades. São estas actividades que irão dar interactividade à relação dos alunos com o professor, com a plataforma e com os outros alunos da disciplina. Apesar de existirem vários tipos de actividades, aqui iremos apenas trabalhar as mais relevantes e úteis para a condução de uma disciplina: • chat; • fórum; • glossário; • livro; • trabalho; • mini teste; • lição; • referendo. Cada uma destas actividades irá ser explicada nos capítulos seguintes. 7.2. Adicionar actividades Para adicionar uma actividade temos que activar o modo de edição da página e, de seguida, no tópico/semana onde pretendemos adicionar, seleccionar na caixa de escolhas qual a actividade que pretendemos adicionar. Ao adicionar qualquer actividade há dois campos, dos que são pedidos, que são comuns, nomeadamente: nome - texto que irá aparecer na página inicial - e descrição - este campo é opcional e é visualizado pelos alunos na listagem das actividades existentes na disciplina. Página 28 de 57
  • 29. Manual de utilização – Docentes 7.3. Gerir as actividades Tal como nos recursos, depois de criada uma actividade são apresentados ao seu lado, na página inicial, vários ícones que permitem a realização de operações sobre ela. As operações permitidas são: • - deslocar para a direita; • - mover para cima ou para baixo dentro da página. Após pressionado este ícone são apresentadas, na página principal, várias caixas para onde se pode mover a actividade seleccionada. Para mover a actividade basta clicar numa dessas caixas; • - modificar/editar a actividade; • - apagar a actividade; • - ocultar a actividade dos alunos. 7.4. A actividade chat 7.4.1. Introdução Esta actividade disponibiliza aos utilizadores uma sala de conversação, na qual se poderão juntar tanto alunos como professores, numa conversação em tempo real. Ao realizar uma sessão de chat o professor terá que ter muito cuidado para que não sejam iniciadas conversas paralelas, perdendo-se a discussão pretendida. O chat pode ser criado de duas maneiras, horário livre ou com hora definida, sendo que a diferença reside no facto de na segunda opção se publicitar a(s) hora(s) em que o professor estará presente. Página 29 de 57
  • 30. Manual de utilização – Docentes 7.4.2. Criar um chat Os campos aos quais devemos prestar mais atenção, aquando da criação desta actividade, são: • próxima sessão de chat – a data e hora da próxima sessão de chat; • repetir sessões – definir se esta actividade tem hora marcada e a sua frequência. 7.4.3. Utilização do chat Após clicar na ligação do chat na página inicial é visualizada a seguinte página. Para aceder ao chat basta clicar na ligação “Clique aqui para entrar no chat”. De seguida irá abrir-se uma nova janela com a aplicação do chat. Nesta janela temos do lado direito a listagem dos utilizadores que se encontram ligados, do lado esquerdo em baixo temos a caixa de texto onde iremos escrever as mensagens que queremos enviar, e por cima temos a janela de conversação. Caso se queira chamar a atenção de um utilizador mais distraído, podemos clicar no link “chamar”, que se encontra ao lado do nome do utilizador. Esta opção irá fazer soar um sinal sonoro no computador do outro utilizador. Para sair do chat basta fechar a janela. Página 30 de 57
  • 31. Manual de utilização – Docentes 7.5. A actividade fórum 7.5.1. Introdução Esta actividade é, sem dúvida, das mais importantes, pois é aqui que tem lugar o debate. Um fórum pode ser configurado para que os alunos sejam automaticamente inscritos na discussão, o que significa que irão receber cada mensagem colocada no fórum na sua caixa de email. Existem quatro tipos de fórum no Moodle: • cada participante propõe um tema – cada aluno pode criar um único tema de discussão; • fórum standard para uso geral – fórum mais usual, pois permite que qualquer pessoa possa criar temas de discussão; • Fórum de perguntas e respostas –fórum semelhante ao de uso geral; • uma única tema –o professor cria um tema de discussão e os alunos só podem responder a esse tema, não podendo criar novos temas. É também permitido ao professor classificar as intervenções dos alunos, 7.5.2. Criar um fórum Os campos aos quais devemos devotar maior atenção na criação de um fórum são: • “Tipo de fórum” – neste ponto vamos escolher que tipo de fórum irá ser inserido; • “Obrigar a todos a estar subscritos?” – aqui o professor tem a hipótese de obrigar os alunos a estarem inscritos no fórum, quer isto dizer que os alunos irão receber sempre por email todas as participações colocadas no fórum. Por defeito esta opção está a “Não” e os alunos têm a possibilidade de escolha, mas se o professor optar por activar esta opção, essa escolha deixa de estar disponível para os alunos; Página 31 de 57
  • 32. Manual de utilização – Docentes • “Permitir classificar respostas?” – se o professor optar por utilizar as classificações tem ao seu dispor várias configurações possíveis, podendo optar por deixar que todas as pessoas classifiquem as mensagens e restringir as classificações a mensagens enviadas num determinado intervalo de tempo. 7.5.3. Utilização do fórum A utilização do fórum é bastante simples e intuitiva. Entrando no fórum tem-se acesso a uma listagem das discussões/tópicos existentes. Ao clicarmos num título de uma discussão temos acesso a uma listagem de todas as respostas que foram colocadas e para podermos colocar uma resposta só temos que clicar no link “Responder” na resposta pretendida. Página 32 de 57
  • 33. Manual de utilização – Docentes 7.6. A actividade glossário 7.6.1. Introdução O glossário é uma espécie de dicionário que pode ser utilizado para escrever alguns termos relacionados com a disciplina. Uma das suas funcionalidades mais importantes é a possibilidade de realçar termos existentes no glossário, que apareçam num recurso ou actividade da página, criando um link para a descrição existente no glossário. Podemos ter mais que um glossário por disciplina, sendo que um será sempre o global (principal). 7.6.2. Criar um glossário Durante a criação do glossário deve dar-se alguma atenção aos campos: • “Aceitam-se entradas repetidas:” – com esta opção activa são permitidas múltiplas entradas para o mesmo termo; • “Criar apontadores para o glossário automaticamente:” – aqui podemos definir se queremos que sejam criados automaticamente links dentro dos recursos/actividades da disciplina para os termos respectivos do glossário; • “Estado de aprovação, por omissão:” – caso se opte por deixar os alunos inserirem termos novos no glossário, o professor pode optar por permitir que fim imediatamente disponíveis para todos, ou que seja necessária a sua aprovação prévia. Página 33 de 57
  • 34. Manual de utilização – Docentes 7.6.3. Preencher o glossário com termos Após a criação do glossário é necessário adicionar os termos pretendidos. Para isso existem dois passos: • inserir categoria da entrada (se necessário); • inserir entrada. Em baixo podemos ver um glossário com uma entrada. 7.6.3.1. Inserir categoria Para inserir ou editar uma categoria devemos clicar no separador “Ver por categorias” e de seguida clicar no botão “Editar categorias”. Após isto basta clicar no botão “Adicionar categoria”. 7.6.3.2. Inserir entrada Para inserir uma nova entrada é necessário introduzir a entrada no campo “conceito”, escrever a descrição da entrada e escolher a categoria em que a entrada está inserida. Caso se pretenda apresentar ligações para este termo nos recursos e actividades da disciplina é necessário marcar a opção “Deverão ser feitos automaticamente apontadores...”. Temos ainda a possibilidade de ligar mais que uma palavra a este termo, para isso basta escrever as palavras que pretendemos que fiquem com ligações para este termo na caixa de “Palavras chave”. Página 34 de 57
  • 35. Manual de utilização – Docentes 7.6.4. Utilização do glossário A utilização do glossário é bastante intuitiva, bastando escolher o tipo de apresentação que se pretende (ordem alfabética, por categoria, por data ou por autor) para que sejam mostradas as entradas respectivas. Em todos os tipos de apresentação podemos aplicar filtros nos termos apresentados, por exemplo na ordenação alfabética podemos escolher apenas a apresentação de termos que comecem por uma determinada letra. Podemos também utilizar a caixa de pesquisa que se encontra no topo da página. Página 35 de 57
  • 36. Manual de utilização – Docentes 7.7. A actividade livro 7.7.1. Introdução Esta actividade permite a criação de um livro virtual, sendo que tal como um livro ele pode ter vários capítulos, podendo estes estar dispostos em dois níveis. Esta actividade tem como função permitir aos alunos a impressão de uma só página ou do livro inteiro. 7.7.2. Criar um livro Quando se está a criar um livro devemos dedicar atenção especial a três campos: • “Numeração do capítulo:” – aqui definimos como serão numerados os vários capítulos do livro; • “Desligar impressão:” – definir se é permitido aos alunos imprimir os capítulos; • “Títulos por defeito:” – se esta opção for activa será mostrado em cada página um cabeçalho com o nome do capítulo. Página 36 de 57
  • 37. Manual de utilização – Docentes 7.7.2.1. Criar capítulos do livro Após a criação do livro é mostrada automaticamente uma janela onde será criado um capítulo. Para criar um capítulo temos que preencher os campos : • “Título do capítulo” – será apresentado no lado esquerdo do ecrã na tabela de conteúdos; • “Subcapítulo” – se pretendemos que o capítulo que estamos a inserir seja um sub-capítulo do anterior; • “Conteúdo” – este campo é a página do livro, ou seja onde se encontra o texto do capítulo. Temos também a possibilidade de importar ficheiros HTML individuais ou um directório inteiro com ficheiros HTML. Os capítulos serão ordenados alfabeticamente utilizando os nomes dos ficheiros. 7.7.2.2. Editar capítulos do livro Após a conclusão do primeiro capítulo, o livro será apresentado no modo de edição. Neste modo temos a possibilidade de editar os conteúdos do livro. Na tabela de conteúdos do livro será apresentado, ao lado de cada capítulo, os ícones das operações possíveis. Os ícones apresentado já são nossos conhecidos (deslocar, editar, apagar e ocultar) com a excepção do ícone . Este novo ícone permite-nos adicionar um novo capítulo Página 37 de 57
  • 38. Manual de utilização – Docentes no livro, o qual será adicionado imediatamente a seguir ao capítulo onde se encontra o ícone que clicámos. 7.7.3. Utilização do livro A utilização do livro é feita como se de um livro normal se tratasse, mas com a vantagem de se ter o índice sempre visível, sendo assim mais fácil e rápido navegar. Do lado esquerdo aparece a tabela de conteúdos que contém a lista dos capítulos existentes e do lado direito é mostrado o conteúdo do capítulo seleccionado. Ao clicar num capítulo, o conteúdo será actualizado automaticamente. Também podemos navegar pelos vários capítulos utilizando os botões que se encontram no canto superior direito. Também é possível imprimir o livro clicando num dos ícones de impressão. O ícone da esquerda permite imprimir o livro inteiro ao passo que o ícone da direita só imprime o capítulo que se encontra activo. 7.8. A actividade trabalho 7.8.1. Introdução Um trabalho é uma actividade em que um aluno tem que realizar alguma tarefa, até uma determinada data limite, altura em que lhe será atribuída uma nota. Por norma os alunos nesta actividade têm que enviar um ficheiro para avaliação, mas podem ser criados trabalhos de casa, ou seja, em que os alunos não terão que enviar nada para avaliação. Quando se pretende o envio de um ficheiro, este envio será feito através da própria actividade, ficando registada a data em que o trabalho foi enviado. Após o envio de trabalhos o professor irá ter acesso a uma página onde se encontram cada um dos trabalhos enviados e poderá realizar alguns comentários individuais e classificar os trabalhos dos alunos. Passados 30 minutos da gravação dos comentários será enviada uma notificação aos alunos em causa. Vista do trabalho pelo professor - no canto superior direito o professor tem um link que lhe indica o número de trabalhos enviados e permite aceder-lhes para os classificar. Página 38 de 57
  • 39. Manual de utilização – Docentes Vista do aluno do trabalho. 7.8.2. Criar um trabalho Para adicionar um trabalho utilizamos a caixa de escolha “Adicionar uma actividade” e escolhemos o tipo de trabalho que pretendemos adicionar. Os campos que devemos ter em maior atenção aquando da criação de um trabalho são: • “Nota:” – nota máxima que se pode ter no trabalho; • “Disponível de:” – data a partir da qual o trabalho estará disponível para os alunos Página 39 de 57
  • 40. Manual de utilização – Docentes • “Data de entrega:” – data limite da entrega do trabalho. • “Impedir enviar fora de prazo:” – caso o aluno possa enviar um ficheiro podemos definir se o deixamos enviar novamente ou não; 7.8.3. Usar o trabalho Quando alguém acede ao trabalho consegue visualizar o título, a data de entrega, a descrição e a nota máxima do trabalho. No caso do acesso ser realizado por um professor será apresentado no canto superior direito um link para aceder aos trabalhos que foram enviados pelos alunos. 7.9. A actividade teste 7.9.1. Introdução Esta actividade permite criar e configurar mini-testes, os quais podem conter perguntas do tipo de escolha múltipla, verdadeiro e falso, resposta curta, etc.. Estas perguntas serão armazenadas numa base de dados, por categorias, e podem ser reutilizadas dentro da mesma disciplina ou ainda em outras disciplinas. Os testes podem aceitar uma ou várias tentativas de resposta. Cada tentativa é avaliada de forma automática e o professor pode optar por mostrar ao aluno alguns comentários predefinidos ou mostrar a resposta correcta. Também é possível limitar o tempo de que os alunos dispõem para responder. Página 40 de 57
  • 41. Manual de utilização – Docentes 7.9.2. Criar um teste Os campos a ter em maior atenção durante a criação desta actividade são: • “Abrir o teste” – data a partir da qual o mini-teste irá ficar disponível para os alunos; • “O teste termina” – data em que deixará de estar disponível; • “Tempo limite” – tempo máximo que os alunos dispõem para responder; • “Perguntas misturadas aleatoriamente” – se for activada esta opção as perguntas serão misturadas aleatoriamente cada vez que o mini-teste for acedido; • “baralhar dentro das perguntas” – se for activada esta opção as respostas das perguntas serão misturadas aleatoriamente cada vez que o mini-teste for acedido; • “Tentativas permitidas” – número de tentativas que o aluno dispõe para realizar o mini-teste; • “Cada tentativa é construída a partir da última” – caso se permita múltiplas tentativas, após a 1ª tentativa o teste fica preenchido com o que foi respondido anteriormente; • “Método de avaliação” – define se conta a nota mais alta, a média, a primeira tentativa ou a última tentativa; • “Os alunos podem fazer revisões” – define se os alunos podem rever as suas respostas após o teste fechar; • “Exige palavra-passe” – permite criar uma palavra-passe para aceder ao teste. Página 41 de 57
  • 42. Manual de utilização – Docentes Após efectuar as configurações gerais, devemos criar as perguntas e construir o teste. Para criar as perguntas devemos seguir os seguintes passos: • seleccionar/escolher a categoria; • criar as perguntas; • escolher as perguntas que farão parte do mini-teste; • definir o valor de cada pergunta. 7.9.2.1. Seleccionar/escolher categoria Antes de ser criado o teste, é necessário elaborar as perguntas que serão realizadas. Estas perguntas deverão ser agrupadas em categorias, de modo a facilitar a sua gestão. Por defeito já existe uma categoria chamada “pré-definido”, mas o professor pode criar mais categorias carregando no botão “Editar categorias”. No menu de edição de categorias devemos escrever o nome da categoria e a sua descrição (como podemos ver na imagem em baixo), carregando de seguida em «Gravar alterações» . Por defeito esta categoria (bem como as perguntas que dela fazem parte) apenas estarão disponíveis na disciplina actual, mas se na opção publicar escolhermos “sim”, a categoria ficará disponível para todas as disciplinas. Os dados de uma categoria existente podem ser modificados. Página 42 de 57
  • 43. Manual de utilização – Docentes 7.9.2.2. Criar perguntas Para adicionar uma nova pergunta a uma categoria, devemos ter a categoria desejada seleccionada e de seguida seleccionar o tipo de pergunta que desejamos criar. Os tipos de perguntas disponíveis são: • “Calculada” – neste tipo de questões temos a possibilidade de criar perguntas em que o seu enunciado será gerado aleatoriamente utilizando para isso variáveis numéricas; • “Descrição” – este tipo não é uma questão, mas sim uma forma de adicionar texto aos mini-testes. Pode ser utilizado para fornecer informações acerca de um grupo de questões que serão apresentadas seguidamente; • “Ensaio” – questão de resposta aberta; • “Correspondência Correcta” – o aluno tem de realizar a ligação das questões que se encontram numa lista à esquerda com as suas respostas do lado direito; • “Respostas embebidas (cloze)” – este é um tipo de questão muito flexível, que consiste na criação de um texto (num formato próprio do Moodle), no qual irão estar embebidas várias respostas (que podem ser de vários tipos). Por exemplo, isto permite-nos ter um texto com caixas para os alunos completarem; • “Escolha múltipla” – neste tipo de questões o aluno tem várias hipóteses de resposta. Existem aqui dois tipos de perguntas: as de uma só resposta certa e as de várias respostas certas; • “Resposta curta” – o aluno terá de responder uma palavra ou frase, podem existir várias respostas correctas e com várias cotações. As respostas podem ser sensíveis a letras maiúsculas ou minúsculas; • “Numérica” – do ponto de vista do aluno uma resposta do tipo numérica é semelhante à de resposta curta, residindo a diferença no facto das respostas numéricas aceitarem um intervalo de erro. Isto permite ter um intervalo de valores em que a resposta é considerada correcta, por exemplo a questão 10+10, a resposta correcta é 20 mas podemos dar com erro ±1, logo temos como respostas correctas 19, 20 e 21; • “Correspondência de respostas curtas aleatórias” – da perspectiva do aluno este tipo de questão é semelhante às perguntas do tipo “comparando”, mas estas questões são geradas utilizando, aleatoriamente, as perguntas de resposta curta, existentes na categoria; • “Verdadeiro/falso” – alunos têm de escolher entre verdadeiro ou falso como resposta; Página 43 de 57
  • 44. Manual de utilização – Docentes 7.9.2.3. Escolher as perguntas que farão parte do mini-teste Assim que as perguntas estejam criadas temos que as adicionar ao teste. Para isso temos que seleccionar as perguntas que pretendemos e clicar no botão “Adicionar ao teste”. É através deste quadro que podemos editar as várias perguntas de cada categoria que temos. 7.9.2.4. Definir peso das perguntas À medida que se forem adicionando perguntas ao teste elas irão sendo apresentadas num quadro do lado esquerdo do ecrã (ao lado do quadro com as perguntas de uma determinada categoria). Neste quadro podemos ordenar a apresentação das perguntas no teste através das setas, mas a funcionalidade mais importante é a definição do peso de cada pergunta. Por defeito todas as perguntas têm o mesmo peso, isto é, a cotação total do teste é dividida por todas as perguntas. Após estar definido o peso de cada pergunta é necessário clicar no botão “Gravar alterações” para que o teste seja criado. Página 44 de 57
  • 45. Manual de utilização – Docentes 7.9.3. Usar o teste Quando um professor entrar num teste irá visualizar no canto superior direito um link que lhe indica quantas vezes foi respondido o teste e por quantos alunos. Ao clicar neste link será apresentado um quadro resumo dos testes resolvidos. Como podemos verificar, conseguimos visualizar o nome do aluno, a nota que este teve, a data e o tempo demorado. Podemos ver quais as respostas de cada aluno clicando em cima da data de conclusão do teste. 7.10. A actividade lição 7.10.1. Introdução Esta é uma das actividades mais interessantes. Uma lição é constituída por um conjunto de páginas com materiais dirigidos aos alunos. Existem três tipos de páginas numa lição: • página só com informação; • página com informação que termina numa pergunta; • página com menu de navegação (estrutura hierárquica). Normalmente as páginas seguem uma ordem pré-definida (as páginas com menu de navegação são a excepção) e no caso de se ter uma questão o aluno só avança para a página seguinte caso acerte a questão ou erre um determinado número de vezes. 7.10.2. Criar uma lição Os campos que devemos ter em atenção ao criar esta actividade são: • “Nota máxima” – nota máxima que valerá a lição; • “Número máximo de respostas/linhas hierárquicas” – quantidade de hipóteses para cada pergunta; • “Número máximo de tentativas” – define as tentativas que um aluno tem para realizar uma lição; • “Número mínimo de questões” - define o número mínimo de questões que um aluno tem de responder para receber a nota; Página 45 de 57
  • 46. Manual de utilização – Docentes • “Número de páginas (fichas) a mostrar” - define a quantidade de páginas que cada aluno pode ver (0=ilimitado); • “Aluno pode retomar” - define se o aluno pode retomar uma lição após tê-la interrompido; • “Processamento de tentativas” - define se é contabilizada a média das tentativas ou a nota máxima; • “Prazo” - data de fim da actividade. Depois destas configurações gerais estarem definidas, devemos criar as páginas que constituem a lição. 7.10.2.1. Criar páginas da lição Terminada a criação da lição será automaticamente mostrado um ecrã para a criação da primeira página da lição. Aqui tem a possibilidade de criar a página ou então de cancelar, para ignorar esta página, e ir para o ecrã de edição da lição. 7.10.2.2. Página de edição da lição Neste ecrã serão exibidas todas as páginas de uma lição. Na imagem abaixo vemos esse ecrã, que neste caso apresenta uma página vazia, porque foi clicado o botão “Cancelar” aquando da criação da primeira página. Opções de que dispomos: • Importar questões (dos testes); • Importar PowerPoint; • Adicionar tabela de percursos; • Adicionar uma página com questões. 7.10.2.3. Criar página sem perguntas Para criar uma página sem perguntas é necessário clicar no link “inserir página com questões aqui” (na posição onde queremos a nova página). Será apresentado o ecrã de criação de página. Neste ecrã temos somente que escrever o título e a descrição da página (texto que a página deverá apresentar), e devemos ignorar os restantes campos, carregando apenas no botão “guardar página”. Página 46 de 57
  • 47. Manual de utilização – Docentes Iremos novamente voltar ao ecrã de edição. Desta vez já temos uma página na nossa estrutura. 7.10.2.4. Criar página com perguntas Para criar uma página com perguntas teremos que seguir o mesmo procedimento da página sem perguntas, mas desta vez devemos escolher o tipo de pergunta, marcar a opção “Opção de pergunta” e definir as respostas possíveis. Nas lições existem 5 tipos de perguntas (idêntico aos mini-testes): • escolha múltipla; • verdadeiro/falso; • resposta curta; • numérico; • comparando. Página 47 de 57
  • 48. Manual de utilização – Docentes O enunciado da pergunta é colocado no texto da página. As suas respostas são colocadas seguindo os seguintes passos: • escolher tipo de pergunta; • preencher o 1º campo Resposta X (com uma resposta possível); • preencher o 2º campo Resposta X (com o feedback para esta resposta); • escolher uma opção em Avançar X (por exemplo, a opção "esta página" significa que se esta resposta for escolhida, o aluno continuará nesta página). Normalmente neste último passo escolhemos a opção "esta página" para as respostas erradas e "próxima página" para respostas certas. Só em condições especiais se devem escolher outras opções. Após guardar a página ela irá aparecer no modo de edição da lição. Em baixo temos a secção a que se refere essa página. Podemos ver que são exibidas as opções escolhidas durante a construção da página. Note-se que as respostas que indicamos como certas aparecem a sublinhado. Também é possível testar a questão desta página carregando no botão “verificar questões”. 7.10.2.5. Adicionar tabela de percursos Na prática a tabela de percursos são apenas botões que permitem navegar directamente para uma determinada página. Podemos ver um exemplo desses botões em baixo. Página 48 de 57
  • 49. Manual de utilização – Docentes Escolhida a opção "adicionar tabela de percursos" será apresentado um ecrã, no qual devemos preencher o título da página, o conteúdo da página e finalmente as diversas descrições com o texto que deverá aparecer em cada botão da estrutura hierárquica. Após cada descrição devemos escolher a acção para esse botão. A utilização de uma tabela de percursos permite dividir a lição em vários ramos. Consequentemente devemos assinalar o fim de cada ramo, clicando na opção "fim da estrutura hierárquica". A(s) estrutura(s) hierárquica(s) deverá corresponder às últimas páginas a criar, para que possamos ligar os botões a páginas já existentes. Página 49 de 57
  • 50. Manual de utilização – Docentes 7.11. A actividade referendo 7.11.1. Introdução Um referendo é uma actividade em que o professor coloca aos alunos uma questão de escolha múltipla (normalmente de opinião) para a qual estes devem "votar" numa das escolhas. O professor pode definir se os resultados serão mostrados aos alunos antes ou após responderem e se têm acesso a quem respondeu o quê. Também é possível definir se cada aluno pode modificar a sua escolha ou se esta fica bloqueada após a primeira votação. 7.11.2. Criar um referendo Os campos a que devemos tomar votar maior atenção durante a criação desta actividade são os seguintes: • “escolha 1,2,3” – definição das várias opções possíveis; • “Restringir respostas a este período” – limitar a votação num determinado período de tempo; • “publicar resultados” – definir se os resultados serão publicados e quando o serão; • “privacidade dos resultados” - definir se os alunos podem ver os detalhes da votação; • “permitir alterar as escolhas” – definir se os alunos podem alterar a sua escolha. Página 50 de 57
  • 51. Manual de utilização – Docentes 7.11.3. Usar o referendo Ao aceder ao referendo, deparamo-nos com uma questão e com as suas várias hipóteses de resposta. Para responder basta escolher a opção pretendida e carregar no botão “gravar a minha escolha”. Após responder à questão, poderão ser apresentados os resultados da votação (dependendo da configuração feita pelo professor). No caso do professor, existe um link, no canto superior direito, que lhe permite ver as respostas de cada aluno. Página 51 de 57
  • 52. Manual de utilização – Docentes 8. Filtros 8.1. Introdução O Moodle dispõe de diversos filtros de textos bastante úteis. Os filtros que estão activos no Moodle do ISEP são: • TEX; • algébrico; • multimédia. 8.2. O filtro TEX Um dos filtros de que o Moodle dispõe é um filtro para código TeX. Sempre que for escrito código TeX entre dois duplos $, o código é transformado numa imagem que contém o resultado do código. Por exemplo o código Bigsum_{i=1}^{n-1}frac1{Del~x} quando colocado entre duplos $ gera a imagem: 8.3. O filtro algébrico O Moodle dispõe também de filtro para expressões algébricas. Sempre que for escrita uma expressão algébrica entre dois duplos @, o código é transformado numa imagem que contém a expressão correctamente formatada. Por exemplo o código x^2=2+sqrt(x-3)/20-2 quando colocado entre duplos @ gera a imagem: 8.4. O filtro multimédia Este filtro faz com que, quando se insere um link para um ficheiro multimédia (som ou vídeo), seja automaticamente adicionado o controlo respectivo. Página 52 de 57
  • 53. Manual de utilização – Docentes 9. Gestão de grupos 9.1. Introdução Numa disciplina do Moodle é possível gerir diferentes grupos (também se podem chamar turmas). Isso é particularmente útil quando um professor lecciona a mesma disciplina a várias turmas e quer que haja uma divisão entre elas. Na prática, (quase) todas as actividades serão comuns a todas as turmas. Apesar disso existem algumas actividades que fazem a distinção entre turmas diferentes, como por exemplo fóruns e chats. 9.2. Activar o modo de grupos Antes de podermos utilizar as funcionalidades dos grupos, temos de activar o modo de grupos. Isso é feito na opção “configurações” do bloco “administração”. Aí basta procura a opção “Modo de grupo” e escolher o modo de grupo pretendido. Existem 3 modos de grupo: • “não há grupos”; • “grupos separados” – os elementos de um grupo não têm acesso a actividades de outros grupos; • “grupos visíveis” – os elementos de um grupo podem ter acesso a actividades de outros grupos. Apesar de escolhermos o modo de grupo, por defeito isso não se reflecte nas actividades da disciplina. Apesar disso, podemos forçar o modo de grupo escolhido para todas as actividades, escolhendo sim no campo “forçar”. 9.3. Gestão de grupos Para gerir os grupos, basta clicar na opção “grupos” do bloco “Administração”. Se o modo de edição não estiver activo, veremos a listagem dos grupos actualmente existentes. Portanto, para gerir os grupos temos de activar o modo de edição. O modo de edição dos grupos é constituído por 3 colunas: • Agrupamentos; • Grupos em agrupamento; • Membros do grupo. Página 53 de 57
  • 54. Manual de utilização – Docentes No modo de edição de grupos podemos realizar várias tarefas: • criar agrupamentos; • criar grupos dentro de agrupamentos ou orfãos; • inserir/retirar elementos num grupo. 9.3.1. Criar agrupamento Para criar um agrupamento temos que clicar em “Criar agrupamento” e de seguida inserir o nome do agrupamento e a sua descrição. O nome desse agrupamento aparecerá então na coluna da esquerda, mostrando dentro de parêntesis o número de grupos que esse agrupamento tem. Página 54 de 57
  • 55. Manual de utilização – Docentes 9.3.2. Criar grupos Pode-se criar dois tipos de grupos: orfão e num deternimado agrupamento. Para inserirmos um novo grupo, devemos clicar no tipo de grupo pretendido, se for dentro de um agrupamento temos que ter seleccionado o agrupamento pretendido anteriormente, e de seguida inserir o seu nome e descrição. O nome desse grupo aparecerá então na coluna do meio. Página 55 de 57
  • 56. Manual de utilização – Docentes Na listagem dos grupos o valor que aparece entre parêntesis refere-se ao número de alunos que esse grupo tem. 9.3.3. Adicionar alunos a um grupo Para adicionarmos um aluno a um grupo existente, devemos seleccionar o grupo a que o(s) aluno(s) pertence(m) e de seguida clicar em “Adicionar/remover utilizadores”. Na página apresentada temos de seleccionar o(s) aluno(s) a adicionar e carregar no botão “ ”. Nota: Para seleccionar mais de um aluno devemos pressionar (sem largar) a tecla "Ctrl" e clicar nos alunos pretendidos. Página 56 de 57
  • 57. Manual de utilização – Docentes Esse(s) aluno(s) será(ão) então adicionado(s) ao grupo e aparecerá(ão) na coluna da direita quando o respectivo grupo for seleccionado na coluna do meio. 9.3.4. Remover alunos de um grupo Para remover alunos de um grupo temos que seleccionar o grupo e clicar em “Adicionar/remover utilizadores”. Na página apresentada temos de seleccionar o(s) aluno(s) a remover na lista da esquerda e carregar no botão “ ”. 9.4. Actividades com suporte para grupos Apenas as actividades fóruns e chats têm suporte para grupos. Por exemplo, se tivermos optado por grupos separados, um fórum funcionará de uma forma independente entre as turmas. O mesmo se passa com os chats. Se não tivermos escolhido o modo forçar grupos, podemos seleccionar para cada actividade o modo de grupo pretendido. Podemos alterar o modo ao clicar no ícone de modo de grupo (que se encontra junto aos recursos ou actividades). Existem 3 modos diferentes: Grupos visíveis ( ), sem grupos( ) e grupos separados( ). Página 57 de 57

×