A transferência de saberesdentro das organizações e       nas equipas         Alice Romano       Consultora e Formadora do...
São 3 as questões essenciais que iremos analisar nesta audioconferência:• Que orientações estratégias estão as organizaçõe...
Partilhar é um valor partilhado nas organizações: sim ou não?Na RCM nº 89/2010, pode-se ler :                             ...
O que temos e o que precisamos?                                                                    O que precisamos modifi...
SondagemAlice Romano   http://comunidades.ina.pt/
1. Que orientações estratégias estão as organizações a dar para que     os saberes das pessoas que saem fiquem na organiza...
“decorre de…”
“leva a…”
Quadro síntese de uma visão geral do que se passaGrau de percepção da            É uma prioridade                         ...
I                     n   Desenvolvimento das pessoasA   coordenadas,     ic   alinhadas        cç                    i   ...
Gestão do Conhecimento e áreas de impacto• Gestão do Conhecimento = diversidade de práticas relativas à  produção, à captu...
Conceitos. Informação, conhecimento e competências                 conhecimento                                        ?  ...
Conceitos. Informação, conhecimento e competências• A informação, em termos organizacionais, não é mais do que a forma  co...
O conhecimento é um emaranhado• O conhecimento é como um “emaranhado” de significados que vamos  “desemaranhando” ao longo...
Para sobreviver…                                                   Onde                                                   ...
Para sobreviver…                                                                              Onde                        ...
Articulação e interligação: sim ou não?•   Se nos inspirarmos em Davenport (apud Damiani, 2003) podemos delimitar    algum...
Áreas que se entrecruzam•   Gestão dos conteúdos               – informação•   Infra-estruturas de suporte        – tecnol...
•   Práticas relacionadas principalmente com os aspectos de                                                               ...
Factores facilitadores e obstáculos à Transferência de SaberesFactores              Alinhamento organizacional e estratégi...
Novos      Novos      Novas                  contextos   desafios   soluções               Aposentações               Mobi...
2. O que estão os lideres/chefias a fazer para criar condições para que haja uma transferência de saberes dentro da organi...
Gerir e liderar                        Gestor      Líder                         planeia      comunica                    ...
Avaliação de                                                                 SIADAP                 factores            ex...
Sabemos que há coisas que   não são copiáveis! políticas macro                         salários e encargos                ...
Gestão por                              objectivos                    Gestão de                                           ...
•Definir objectivos                                Para sobreviver…                                  • Motivar            ...
3. O que estão os gestores de formação a fazer para concretizar essa       transferência e sob que forma se está ela a pro...
Práticas relacionadas com gestão de pessoas• Fóruns (presenciais e virtuais)• Listas de discussão                         ...
SondagemAlice Romano   http://comunidades.ina.pt/
Kit web 2.0                              KIT                           Web 2.0.               Personel Learning Environeme...
Planos de melhoria e práticas de Coaching,de Mentoring e formação on-job• … serão atribuídas actividades de aprendizagem e...
Da web 2.0 à gestão 2.0                         Gestão 2.0               Web 2.0Alice Romano               http://comunida...
PGISP• “(…) Incentivar uma cultura de trabalho  colaborativo presencial e on-line (…)”• Projecto Gerir para Inovar os Serv...
Laboratório Postal• Utilização de “storytelling” (narrativas) como técnica de partilha e  Transferência de Saberes que per...
Conclusão
SondagemAlice Romano   http://comunidades.ina.pt/
Características das organizações bem sucedidas                                                                 Estamos a ...
Não havia twitter, nem www.roma.org, nem facebook…              O que aprendi com os Romanos?Abril de 11                  ...
O que aprendi com os Romanos?                        • as histórias eram escritas                          e representadas...
O que aprendi com os Romanos?                      • os Romanos viajavam                        imenso, deslocando-se     ...
O que aprendi com os Romanos?                                          • os Romanos viajavam                              ...
O que aprendi com os Romanos?                                          • os Romanos viajavam                              ...
Não havia twitter, nem www.roma.org, nem facebook…                          O que aprendi com os Romanos?                 ...
O que aprendi com os Romanos?Não havia twitter, nem www.roma.org, nem facebook…  mas o conhecimento era respeitado.… de 11...
Não havia twitter, nem www.roma.net… nem facebook!                         O que aprendi com os Romanos?• Mas…       – as ...
O QUE É O COMUNIDADES@INA?O comunidades@ina é um espaço virtual que acolhe fóruns e comunidadesonde se podem encontrar tod...
OBRIGADO PELA SUA PARTICIPAÇÃO…               Obrigado pela sua participação!               Para sair da sessão,          ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A transferência de saberes dentro das organizações e nas equipas, Alice Romano

1,366 views

Published on

Published in: Business
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,366
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A transferência de saberes dentro das organizações e nas equipas, Alice Romano

  1. 1. A transferência de saberesdentro das organizações e nas equipas Alice Romano Consultora e Formadora do INA, I.P.
  2. 2. São 3 as questões essenciais que iremos analisar nesta audioconferência:• Que orientações estratégias estão as organizações a dar para que os saberes das pessoas que saem fiquem na organização?• O que estão os lideres/chefias a fazer para criar condições para que haja uma transferência de saberes dentro da organização?• O que estão os gestores de formação a fazer para concretizar essa transferência e sob que forma se está ela a processar?
  3. 3. Partilhar é um valor partilhado nas organizações: sim ou não?Na RCM nº 89/2010, pode-se ler : Quem? Eu…!?“(…) no que respeita à 1ª componente (melhor utilizaçãodas TIC), ela inclui não apenas a formação referente à Transferirutilização dos instrumentos de produtividade mais usuais, = darmas também a formação nos conceitos de ferramentas = partilharcolaborativas designadamente para a comunicação intra einter-serviços, introduzindo essa cultura (colaborativa) eas suas potencialidades na Administração Pública.”Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  4. 4. O que temos e o que precisamos? O que precisamos modificar nas organizações para sermos bem sucedido? Estes são os √ meus objectivos! De que forma estou Estes são as eu a contribuir para a minhas minha organização?competências! Tradicionalmente… cada um pensa em si! 1- Interiorização dos objectivos globais √ Circuito fechado 2- Indicadores alinhados com os objectivos √ Ali ao lado… não sei!!! Eu fiz o meu Objectivos irrelevantes trabalho!!! + indicadores mal escolhidos = Unidade orgânica Perca de tempo, energia, eficácia Unidade orgânica Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  5. 5. SondagemAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  6. 6. 1. Que orientações estratégias estão as organizações a dar para que os saberes das pessoas que saem fiquem na organização?
  7. 7. “decorre de…”
  8. 8. “leva a…”
  9. 9. Quadro síntese de uma visão geral do que se passaGrau de percepção da É uma prioridade Iniciativas isoladasimportância Boa percepção da importância pela Alta Boa percepção da importância pelas(De onde parte a iniciativa?) Direcção chefias intermédias Sem apoio explícito da Alta DirecçãoGrau de disseminação da Moderada - Fracaestratégia 50% - 30% -20% 20%- 60% - 20%Grau de formalização Alguma Pouca Existem estruturas/pessoas/ grupos Existem grupos informais (interdepartamentais e multidisciplinares) Existe liderança de projectos (na maioria Existem mecanismos: politicas, programas, das vezes envolvendo apenas 1 área ou UA) projectosGrau de alinhamento com Alinhados e Concertados Frágilos objectivosorganizacionaisGrau de abrangência Fase parcial de utilização Fase e planeamento TIC – Bibliotecas – Gestão de pessoas ou TIC – Gestão de pessoas - Bibliotecas vice-versaResultados Desenvolvimento de competências Maior comunicação mapeadas pelas organizações Maior interacção Melhoria no recrutamento e na selecção Agilização dos processos de trabalho (afectação das pessoas às funções) Agilização na recolha de informação Optimização dos processos Agilização da tomada de decisãoAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  10. 10. I n Desenvolvimento das pessoasA coordenadas, ic alinhadas cç i Partilha do conhecimento concertadasõ ae formalizadas t Preservação dos Saberess + i organizacionais v objectivos, re sultados e a indicadores s concretos Gestão do conhecimento
  11. 11. Gestão do Conhecimento e áreas de impacto• Gestão do Conhecimento = diversidade de práticas relativas à produção, à captura, à disseminação de Saberes assim como à promoção da partilha (interna e externa – benchmarking e benchlearning) Mudanças Desenvolvimento de organizacionais pessoas (práticas de (descentralização da mentoring e autoridade, desburoc coaching, formação ratização on-job, CdP,..) desmaterialização…) Transferência de competências Mudanças de gestão e incentivos (base dados das competências para o partilha de conhecimento das equipas, boas práticas de (avaliação do desempenho, promoção, trabalho etc.) partilha de conhecimento, evolução no papel dos gestores…)Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  12. 12. Conceitos. Informação, conhecimento e competências conhecimento ? … é o significado que damos aos padrões, … é a forma como os interpretamos … a apreensão desses significados informação Competência(s)… os dados são como… deles emergem os PADRÕES Alice Romano http://comunidades.ina.pt/ 12
  13. 13. Conceitos. Informação, conhecimento e competências• A informação, em termos organizacionais, não é mais do que a forma como os dados são interpretados através de padrões (informação = dado + padrão).• O conhecimento é a forma como aprendemos a dar significado aos padrões, como os interpretamos e aplicamos em função dos problemas ou situação em que actuamos (conhecimento = informação + significado), podendo explicitar esse conhecimento ou não.• As competências, ou a competência, não é mais do que a forma como os indivíduos, o indivíduo, apreendem esses significados, conseguem pensar, reflectir e agir sobre eles com a experiência adquirida com a sua aplicação (competência = conhecimento + compreensão/apreensão).Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  14. 14. O conhecimento é um emaranhado• O conhecimento é como um “emaranhado” de significados que vamos “desemaranhando” ao longo da vida e que vamos “entrelaçando” e criando assim uma “trama” sem fim. + significadosAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  15. 15. Para sobreviver… Onde está? O que é? Conhecimento explicito … a informação (dados … está registado em organizados em padrões documentos, newletters, rela + significados) tórios, portais e intranets, … é formal … é fácil de comunicar … pode ser formalizado em textos, desenhos, diagramas, e guardado em bases de dados ou publicações.Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  16. 16. Para sobreviver… Onde está? O que é? A palavra tácito vem do latim tacitus que significa "não expresso por palavras". Conhecimento tácito … algo subjectivo, não mensurável, quase impossível … aquele que o indivíduo de se ensinar, de se transferir adquiriu ao longo da vida, através de manuais ou … está na cabeça das pessoas. mesmo numa sala de formação … é “mudo” e silencioso. … é subentendido, implícitoAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  17. 17. Articulação e interligação: sim ou não?• Se nos inspirarmos em Davenport (apud Damiani, 2003) podemos delimitar algumas dimensões, a saber:  Captura e reutilização do conhecimento (estruturado ou não);  Captura e partilha das lições aprendidas com a prática;  Estruturação e mapeamento dos saberes/competências necessárias e relevantes para serem transferidas;  Identificação das fontes e das redes de “expertise”;  Sistematização e partilha do conhecimento advindo de fontes externas;  Medição e controlo do valor económico/eficácia do processo de Transferência de Saberes.Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  18. 18. Áreas que se entrecruzam• Gestão dos conteúdos – informação• Infra-estruturas de suporte – tecnologia• Gestão de pessoas – pessoas• Trabalho e gestão organizacional – processosAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  19. 19. • Práticas relacionadas principalmente com os aspectos de INTERLIGAÇÃO gestão de pessoas que facilitam a transferência, a disseminação e a partilha de informação e conhecimento. exemplo: os portais• Práticas ligadas à estruturação dos processos corporativos são organizacionais que funcionam como facilitadores da soluções de TIC, mas produção, retenção, organização e disseminação dos envolvem mudanças Saberes organizacionais. em processos organizacionais, e o seu funcionamento• Práticas cujo foco central é a base tecnológica e eficaz depende de funcional que serve de suporte à gestão Saberes acções ligadas aos aspectos culturais e organizacionais, incluindo a gestão da informação e as comportamentais da aplicações e ferramentas de Tecnologia da Informação partilha do (TIC) para recolha, disseminação/entrega e colaboração. conhecimento.Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  20. 20. Factores facilitadores e obstáculos à Transferência de SaberesFactores Alinhamento organizacional e estratégia de Transferência de Saberesfacilitadores  Alta prioridade ao + alto nível(sentidos por  Identificação da base de Saberes relevantes para a organizaçãoquem já tem  Existência de programas de formação/aprendizagemresultados visíveis Olhar para o exteriordecorrentes das  Pessoas externasiniciativas)  Benchmarking e benchlearning Infra-estrutura tecnológica  Disponibilização de recursos electrónicos e/ou impressosFactores inibidores Processos de trabalho e cultura organizacionalou obstáculos  (im)compreensão do significado dos processos de transferência de Saberes e do seu impacto(sentidos por  Cultura organizacional de resistênciaquem está em  Dificuldade em aceder aos saberes implícitos (não documentados)fases iniciais ou  Fraca permeabilidade à utilização das ferramentas colaborativasem iniciativas  Receio que outros serviços/público em geral tenha acesso a informações sigilosas e confidenciaisincipientes)  Ausência de indicadores para acompanhamento e monitorização Recursos Humanos dedicados  Dificuldades com a qualificação/formação das pessoas  Prioridade às tecnologias e não às questões organizacionais ligadas às pessoas  Baixa compreensão da importância da partilha Infra- estrutura tecnológica  Ausência de acesso a recursos de partilha (políticas restritivas de acesso à Internet)Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  21. 21. Novos Novos Novas contextos desafios soluções Aposentações Mobilidade IntegraçãoAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  22. 22. 2. O que estão os lideres/chefias a fazer para criar condições para que haja uma transferência de saberes dentro da organização?
  23. 23. Gerir e liderar Gestor Líder planeia comunica “Atenção individualizada (coaching, mentoring, for mação on-job… organiza motiva aconselhamento) Tarefas & Pessoas controla forma Pessoas & Equipa coordena responsabiliza envolve mantém unidaAlice Romano http://comunidades.ina.pt/ 24
  24. 24. Avaliação de SIADAP factores externos e internos Avaliação e gestão doCorrecção e Definição de desempenho controlo objectivos Função Liderança técnica Selecção e motivação e integração comunicação Função Implementação e Humana seguimento Planificação Formação e Estabelecimento desenvolvimento de objectivos Transferência Alice Romano de Saberes http://comunidades.ina.pt/
  25. 25. Sabemos que há coisas que não são copiáveis! políticas macro salários e encargos salariais Transferência infra-estruturas de Saberes formação “Os factores tradicionais de competitividade (custo, tecnologia, distribuição, As pessoas, produção, inovação) podem não! ser copiados....” serviços de apoio redes de cooperaçãoAlice Romano http://comunidades.ina.pt/ 26
  26. 26. Gestão por objectivos Gestão de competências Não consegui … porque precisava de … por isso vou envolver-me atingir estes ter mais Saberes/ em actividades de objectivos… competências…? aprendizagem específicas para colmatar as minhas lacunas! Se há incumprimento dos objectivos estabelecidos, então procurar-se-á saber quais as competências necessárias para o colaborador em causa, de forma a COMPETÊNCIAS que pela aquisição de novas competências específicas este consiga atingir os objectivosAbril de 11 27
  27. 27. •Definir objectivos Para sobreviver… • Motivar • Comunicar • Desenvolver pessoas • Construir equipas organizacionais •Relacionamento interpessoal •Análise e síntese •Liderar de gestão •Marketing individuais •Finanças •Gestão de pessoas funcionais •Planeamento •Aprovisionamento •Compras Que Saberes/competências…!? Quais…!?Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  28. 28. 3. O que estão os gestores de formação a fazer para concretizar essa transferência e sob que forma se está ela a processar?
  29. 29. Práticas relacionadas com gestão de pessoas• Fóruns (presenciais e virtuais)• Listas de discussão I n• Comunidades de prática/conhecimento A i c c• Ferramentas colaborativas da web 2.0 ç i• Narrativas (Storytelling) õ a• Mentoring ? e s t i v• Coaching a s• Formação on-job• Aprendizagem contínuaAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  30. 30. SondagemAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  31. 31. Kit web 2.0 KIT Web 2.0. Personel Learning Environement (PLE)Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  32. 32. Planos de melhoria e práticas de Coaching,de Mentoring e formação on-job• … serão atribuídas actividades de aprendizagem específicas para colmatar as lacunas identificadas no perfil do colaborador. •… grande parte da aprendizagem Os esquemas de coaching/mentoring dão o acontece no local de trabalho… formal e suporte e acompanhamento que as pessoas informalmente. necessitam para desenvolverem as •… podemos aprender em qualquer competências que são objecto dos seus momento, em qualquer situação no Planos de Melhoria. contexto do nosso trabalho. A formação on-job é o cenário de •… se aprendemos, fazendo («learning by aprendizagem onde a aprendizagem se faz o doing») mais próximo possível da realidade.Alice Romano http://comunidades.ina.pt/ 33
  33. 33. Da web 2.0 à gestão 2.0 Gestão 2.0 Web 2.0Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  34. 34. PGISP• “(…) Incentivar uma cultura de trabalho colaborativo presencial e on-line (…)”• Projecto Gerir para Inovar os Serviços Prisionais, coordenado pelo Centro de Estudos e Formação Penitenciária (CEFP) Boas práticas http://www.pgisp.info/Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  35. 35. Laboratório Postal• Utilização de “storytelling” (narrativas) como técnica de partilha e Transferência de Saberes que permite contar histórias ricas em conteúdos multimédia, construídas com base em imagens, música e voz. Post FutureCast Lab … “laboratório que deixa a efervescência das ideias no ar, com informação sistematizada e novas metodologias para começar a construir o imprevisto.” Storytelling … uma das tendências + votadas (Contar uma história e difundir conteúdos é uma forma de atrair a atenção do consumidor, que tem capacidade de gerar audiência e notoriedade, participando na sua produção e divulgação. http://www.ctt.pt/fectt/export/download/grupoctt/comimagens/Aposta83.pdfAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  36. 36. Conclusão
  37. 37. SondagemAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  38. 38. Características das organizações bem sucedidas Estamos a … produtivas = produzem riqueza e valor delirar …!? … duradouras = permanecem no tempo … saudáveis = ausência de conflitos duradouros … inovadoras = têm imaginação … flexíveis = adaptam-se … admiradas = inspiram outras a imitá-las … cultura organizacional especial = traços identitários que as distinguemAlice Romano http://comunidades.ina.pt/
  39. 39. Não havia twitter, nem www.roma.org, nem facebook… O que aprendi com os Romanos?Abril de 11 40
  40. 40. O que aprendi com os Romanos? • as histórias eram escritas e representadas, nos teatros que os Romanos inventaram, como forma de transmitir importantes mensagens;Abril de 11 41
  41. 41. O que aprendi com os Romanos? • os Romanos viajavam imenso, deslocando-se frequentemente de uma aldeia para outra, e levando consigo a experiência, as notícias e os processos que viam pelo caminho; • as histórias eram escritas e representadas, nos teatros que os Romanos inventaram, como forma de transmitir importantes mensagens;Abril de 11 42
  42. 42. O que aprendi com os Romanos? • os Romanos viajavam imenso, deslocando-se frequentemente de uma aldeia para outra, e levando • os banhos = ocasiões consigo a experiência, as sociais onde a "fofoca" notícias e os processos que servia como fonte de viam pelo caminho; notícias e informação; • as histórias eram escritas e representadas, nos teatros que os Romanos inventaram, como forma de transmitir importantes mensagens;Abril de 11 43
  43. 43. O que aprendi com os Romanos? • os Romanos viajavam imenso, deslocando-se frequentemente de uma aldeia para outra, e levando • os banhos = ocasiões consigo a experiência, as sociais onde a "fofoca" notícias e os processos que servia como fonte de viam pelo caminho; notícias e informação; • as histórias eram escritas e representadas, nos • havia uma teatros que os Romanos autoridade clara. inventaram, como forma de transmitir importantes mensagens;Abril de 11 44
  44. 44. Não havia twitter, nem www.roma.org, nem facebook… O que aprendi com os Romanos? • os Romanos viajavam imenso, deslocando-se frequentemente de uma aldeia para outra, e levando • os banhos = ocasiões consigo a experiência, as sociais onde a "fofoca" notícias e os processos que servia como fonte de viam pelo caminho; notícias e informação;… mas o conhecimento era respeitado. • as histórias eram escritas e representadas, nos • havia uma teatros que os Romanos autoridade clara. inventaram, como forma de transmitir importantes mensagens;Abril de 11 45
  45. 45. O que aprendi com os Romanos?Não havia twitter, nem www.roma.org, nem facebook… mas o conhecimento era respeitado.… de 11Abril 46
  46. 46. Não havia twitter, nem www.roma.net… nem facebook! O que aprendi com os Romanos?• Mas… – as histórias eram escritas e representadas, nos teatros que os Romanos inventaram, como forma de transmitir importantes mensagens; – os Romanos viajavam imenso, deslocando-se frequentemente de uma aldeia para outra, e levando consigo a experiência, as notícias e os processos que viam pelo caminho; – os banhos = ocasiões sociais onde a "fofoca" servia como fonte de notícias e informação; – havia uma autoridade clara. – …eo conhecimento era respeitado. ALRomano - Como elaborar Planos deAbril de 11 Melhoria de competências a partir do 47 SIADAP
  47. 47. O QUE É O COMUNIDADES@INA?O comunidades@ina é um espaço virtual que acolhe fóruns e comunidadesonde se podem encontrar todos quantos partilham um interesse na AdministraçãoPública. Estes grupos facilitam a partilha de recursos, práticas e a concretização deprojectos em parceria.Alice Romano http://comunidades.ina.pt/
  48. 48. OBRIGADO PELA SUA PARTICIPAÇÃO… Obrigado pela sua participação! Para sair da sessão, carregue sobre Exit:Alice Romano http://comunidades.ina.pt/

×