• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Cadernodequestes ano2007
 

Cadernodequestes ano2007

on

  • 379 views

 

Statistics

Views

Total Views
379
Views on SlideShare
342
Embed Views
37

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

1 Embed 37

http://www.computacaodepressao.com.br 37

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial LicenseCC Attribution-NonCommercial License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Cadernodequestes ano2007 Cadernodequestes ano2007 Document Transcript

    • POSCOMP – 2007 Exame de Sele¸˜o para P´s-Gradua¸˜o em ca o ca Ciˆncia da Computa¸˜o e ca Caderno de Quest˜es oNome do Candidato:Identidade:
    • Instru¸˜es Gerais aos Candidatos co• O tempo total de dura¸˜o do exame ser´ de 4 horas. ca a• Vocˆ receber´ uma Folha de Respostas junto do Caderno de Quest˜es. Confira se o e a o seu Caderno de Quest˜es est´ completo. O n´mero de quest˜es ´: o a u o e (a) Matem´tica (MT): 20 quest˜es (da 1 ` 20); a o a (b) Fundamentos da Computa¸˜o (FU): 20 quest˜es (da 21 ` 40); ca o a (c) Tecnologia da Computa¸˜o (TE): 30 quest˜es (da 41 ` 70). ca o a• Coloque o seu nome e n´mero de identidade ou passaporte no Caderno de Quest˜es. u o• Verifique se seu nome e identidade est˜o corretos na Folha de Respostas e assine-a no a local apropriado. Se houver discrepˆncia, entre em contato com o examinador. a• A Folha de Respostas deve ser preenchida dentro do tempo de prova.• O preenchimento do formul´rio ´tico (Folha de Respostas) deve ser feito com caneta a o a a a ´ esferogr´fica azul ou preta (n˜o pode ser de outra cor e tem que ser esferogr´fica). E tamb´m poss´ realizar o preenchimento com l´pis preto n´mero 2, contudo, o mais e ıvel a u seguro ´ o uso de caneta. Cuidado com a legibilidade. Se houver d´vidas sobre a sua e u resposta, ela ser´ considerada nula. a• O examinador avisar´ quando estiver faltando 15 minutos para terminar o tempo, e a novamente quando o tempo terminar.• Ao terminar o tempo, pare imediatamente de escrever. N˜o se levante at´ que todas a e as provas tenham sido recolhidas pelos examinadores.• Vocˆ poder´ ir embora caso termine a prova antes do tempo, mas isso s´ ser´ poss´ e a o a ıvel ap´s a primeira hora de prova. o• As Folhas de Respostas e os Cadernos de Quest˜es ser˜o recolhidos no final da prova. o a• N˜o ´ permitido tirar d´vidas durante a realiza¸˜o da prova. a e u ca
    • ˜ ´ QUESTOES DE MATEMATICA1. [MT] A quantidade de solu¸˜es inteiras da equa¸˜o x + y + z = 20, com x ≥ 2, y ≥ 2 co ca e z ≥ 2, ´ e (a) 120 (b) 20 (c) 231 (d) 132 (e) Essa equa¸˜o n˜o tem solu¸˜o inteira. ca a ca2. [MT] Para o processamento de um programa com 20 m´dulos independentes, pretende-se o utilizar dois grupos de processadores em paralelo, X e Y . Para organizar esses grupos, contamos com 48 processadores, sendo que dois deles est˜o sujeitos a falhas. O grupo a X somente pode conter oito processadores e nenhum deles pode apresentar falhas. Nenhuma restri¸˜o foi especificada para o grupo Y . ca Nessa situa¸˜o representada pela combina¸˜o de m elementos p a p e pelo arranjo de ca ca m elementos p a p, conclui-se que a quantidade de maneiras distintas de apresentar a organiza¸˜o dos processadores ´ igual a ca e (a) C(48, 8) × C(40, 12) (b) A(48, 8) × A(40, 12) (c) C(46, 8) × C(40, 12) (d) A(46, 8) × A(40, 12) (e) A(46, 8) × C(40, 12)3. [MT] Com respeito a uma matriz quadrada A de ordem n, com entradas reais, as assertivas abaixo s˜o equivalentes a dizer que A tem inversa, EXCETO a (a) as linhas de A s˜o vetores linearmente independentes. a (b) o sistema Ax = 0 tem solu¸˜o unica. ca ´ (c) o determinante da transposta de A ´ diferente de zero. e (d) o sistema Ax = b tem solu¸˜o unica para qualquer vetor n-dimensional b. ca ´ (e) dois-a-dois os vetores-coluna de A n˜o podem ser colineares. a
    • ´4. [MT] E CORRETO afirmar (a) que os autovalores de uma matriz n˜o-singular s˜o positivos. a a (b) que, para uma matriz A, λ ´ autovalor de A se, e somente se, λ2 ´ um autovalor e e 2 de A . (c) que, se uma matriz ´ igual a sua inversa, ent˜o seus autovalores s˜o iguais a 1. e a a (d) que, se u e v s˜o vetores n˜o-nulos de Rn , ent˜o u ´ autovetor da matriz uv T . a a a e (e) que, se uma matriz quadrada tem entradas reais, ent˜o seus autovalores s˜o n´me- a a u ros reais.5. [MT] Dados dois vetores − e − ∈ R2 , o vetor − tem origem em (−1, 4) e extremidade → → u v → u em (3, 5) e o vetor − ´ igual a (−10, 7). Considere − o vetor em R2 que apresenta →e v → w comprimento igual a 5 e ´ perpendicular ` soma dos vetores − e − . e a → → u v − pode ser expresso por → Nesse caso, o vetor w (a) (3, 4) (b) (3, −4) (c) (−4, 3) (d) (4, 3) (e) (−3, −4)
    • 6. [MT] Um trabalho de monitoramento do fluxo de acesso ao provedor de rede de deter- minada institui¸˜o foi efetivado durante uma hora, no per´ ca ıodo das 19 `s 20 horas. A a taxa estimada R(t) segundo a qual ocorre o acesso ` rede ´ modelada pela express˜o a e a R(t) = 100(1 − 0, 0001t2 ) usu´rios/minuto, a em que t indica o tempo (em minutos) a partir das 19 h. Considere as quest˜es. o • Quando ocorre o pico no fluxo de acesso ` rede ? a • Qual ´ a estimativa para o n´mero de usu´rios que est˜o acessando a rede durante e u a a a hora monitorada ? Assinale a alternativa que apresenta as melhores aproxima¸˜es contendo as respostas co CORRETAS a essas quest˜es.o (a) Das 20 : 30 `s 21 : 30 horas; mais de 5.000 usu´rios. a a (b) Das 20 : 30 `s 21 : 30 horas; menos de 5.000 usu´rios. a a (c) Das 19 : 30 `s 20 : 30 horas; mais de 5.000 usu´rios. a a (d) Das 19 : 30 `s 20 : 30 horas; menos de 5.000 usu´rios. a a (e) Nenhuma das aproxima¸˜es cont´m as respostas. co e7. [MT] Considere a fun¸˜o f : R → R definida pela express˜o: ca a x2 , se x ≤ 0, f (x) = x2 + 1, se x > 0, Com base nesses dados, assinale a alternativa que apresenta a afirmativa VERDADEIRA: (a) limx→0− f ′ (x) = limx→0+ f ′ (x) mas f ′ (0) n˜o existe. a (b) limx→0− f (x) = 0 e limx→0+ f (x) = 1 = f (0). (c) f (x) ´ cont´ e ınua mas n˜o ´ diferenci´vel. a e a (d) f ′ (x) ´ decrescente e f (x) ≥ 0 se x ∈ (−∞, 0). e (e) limx→∞ f (x) = ∞ e limx→−∞ f ′ (x) = +∞.
    • 8. [MT] Assinale a alternativa que apresenta o comprimento do segmento de reta de- terminado pelos pontos de interse¸˜o de uma semi-reta, cuja origem est´ no ponto ca a P1 (1, 2, 1) e cuja orienta¸˜o ´ definida pelo vetor d = (2, 1, 1), com a esfera centrada ca e √ no ponto C(31, 2, 21) e raio de 10 3. 10 (a) 3 20 √ (b) 3 6 20 (c) 3 10 √ (d) 3 3 20 √ (e) 3 39. [MT] Quatro retas do plano cartesiano identificadas por l1 , l2 e r1 , r2 definem, com os eixos coordenados, triˆngulos de ´rea A = 6 e satisfazem as seguintes condi¸˜es: a a co • l1 l2 (retas paralelas) e r1 r2 ; • l1 e l2 s˜o perpendiculares a reta t definida por 4x + 3y = 0 (isto ´, l1 ⊥ t e l2 ⊥ t); a e • r1 e r2 tˆm coeficiente angular iguais a mr = e −3 4 . As express˜es das equa¸˜es das retas l1 , l2 e r1 , r2 s˜o, respectivamente, o co a (a) 3x − 4y ± 12 = 0 e 3x + 4y ± 12 = 0. (b) 3x + 4y ± 12 = 0 e 3x − 4y ± 12 = 0. (c) 3x − 4y ± 24 = 0 e 3x + 4y ± 24 = 0. (d) −3x − 4y ± 24 = 0 e −3x + 4y ± 24 = 0. (e) Nenhuma das respostas est´ correta. a
    • 10. [MT] Dados os conceitos de coerˆncia e completeza de um sistema dedutivo, analise e as seguintes afirmativas. I. Existe pelo menos um sistema de dedu¸˜o coerente e completo para a L´gica ca o Proposicional. II. Todo sistema de dedu¸˜o para a L´gica de Predicados de Primeira Ordem que ´ ca o e completo tamb´m ´ coerente. e e III. Existe pelo menos um sistema de dedu¸˜o coerente e completo para a L´gica de ca o Predicados de Primeira Ordem. A partir da an´lise, pode-se concluir que ´(s˜o) VERDADEIRA(S) a e a (a) nenhuma das afirmativas. (b) somente as afirmativas I e II. (c) somente as afirmativas I e III. (d) somente as afirmativas II e III. (e) todas as afirmativas.
    • 11. [MT] Considere a seguinte linguagem de primeira ordem: • constantes: a, b • vari´veis: x, y a • predicados un´rios: P a • predicados bin´rios: R a Considere a seguinte fun¸˜o de interpreta¸˜o I para essa linguagem, com valores no ca ca conjunto N dos n´meros naturais: u • I(a) = I(b) = 0 • I(P ) = {n | n < 4} • I(R) = {(x, y) | x < y} Dadas as seguintes f´rmulas: o I. P (a) II. ∀x, y : R(x, y) → R(y, x) III. ∃x : R(x, a) Em rela¸˜o ` fun¸˜o de interpreta¸˜o I definida acima, pode-se afirmar que ´(s˜o) ca a ca ca e a VERDADEIRA(AS) (a) somente a f´rmula I. o (b) somente as f´rmulas I e II. o (c) somente a f´rmula III. o (d) nenhuma das f´rmulas. o (e) todas as f´rmulas. o
    • 12. [MT] Seja ∗ um conectivo tern´rio definido por: ∗(α, β, γ) ´ verdadeiro se, e somente se, ou a e nenhuma ou apenas uma das f´rmulas α, β, γ ´ verdadeira. o e Assinale a alternativa que apresenta a f´rmula equivalente a ∗(α, β, γ). o (a) (α ∨ β ∨ γ) ∧ (α ∨ (¬β) ∨ (¬γ)) ∧ ((¬α) ∨ β ∨ (¬γ)) ∧ ((¬α) ∨ (¬β) ∨ γ) (b) ((¬α) ∧ (¬β) ∧ (¬γ)) ∨ (α ∧ (¬β) ∧ (¬γ)) ∨ ((¬α) ∧ β ∧ (¬γ)) ∨ ((¬α) ∧ (¬(¬β)) ∧ γ) (c) (α ∨ (¬β) ∨ (¬γ)) ∧ ((¬α) ∨ β ∨ (¬γ)) ∧ ((¬α) ∨ (¬β) ∨ γ) (d) ((¬α) ∧ (¬β) ∧ (¬γ)) ∨ (α ∧ (¬β) ∧ (¬γ)) ∨ ((¬α) ∧ β ∧ (¬γ)) ∨ ((¬α) ∧ (¬β) ∧ γ) (e) Nenhuma destas respostas ´ correta. e13. [MT] Um conjunto C, subconjunto de um conjunto A, ´ decid´ se existe um pro- e ıvel grama que recebe uma entrada x ∈ A, e sempre p´ra indicando se x ∈ C ou se x ∈ C. a / ˜ e Entre os conjuntos relacionados abaixo, assinale o que NAO ´ decid´ ıvel. (a) O conjunto das f´rmulas satisfat´ o ıveis da l´gica cl´ssica proposicional. o a (b) O conjunto dos teoremas da l´gica cl´ssica proposicional. o a (c) O conjunto dos teoremas da l´gica cl´ssica de primeira ordem. o a (d) O conjunto das f´rmulas da l´gica cl´ssica de primeira ordem. o o a (e) O conjunto das tautologias da l´gica cl´ssica proposicional. o a14. [MT] Analise as seguintes afirmativas e assinale a alternativa CORRETA. (a) {{∅}} ∈ {∅, {∅}} (b) Para todo conjunto A, P(A) denota o conjunto de todos os subconjuntos de A. Se a e B s˜o conjuntos tais que a ∈ B, ent˜o P(a) ⊆ P(B) a a (c) O conjunto {n109 : n ∈ N} ´ infinito enumer´vel. e a (d) Se A, B e C s˜o trˆs conjuntos, ent˜o A − (B − C) = (A − B) − C. a e a (e) Nenhuma das afirmativas anteriores ´ correta. e
    • 15. [MT] Analise as seguintes alternativas e assinale a que apresenta uma afirmativa FALSA. (a) Se A1 , A2 , · · · , Ar s˜o conjuntos disjuntos, ent˜o |A1 ∪ · · · ∪ Ar ∪ B| = |B| + a a r i=1 (|Ai − B|). (b) 1 + 2 + 22 + 23 + · · · + 2n = 2n+1 − 1, para todo n ∈ N. n+p+1 p n+r (c) Cp = r=0 Cr , para todo n ∈ N e p ∈ N. (d) Sejam k ∈ N e A ⊆ N. Se k ∈ A e (n ∈ A, n ≥ k ⇒ n + 1 ∈ A), ent˜o A = N. a (e) Existe exatamente uma alternativa falsa dentre as anteriores.16. [MT] Analise as seguintes afirmativas. I. Seja A = P(X) o conjunto dos subconjuntos de um conjunto X. A rela¸˜o ca = {(a, a′ ) : a ∈ A, a′ ∈ A, a ⊆ a′ } ´ uma rela¸˜o de ordem parcial. e ca II. Se R ´ uma rela¸˜o bin´ria sim´trica e anti-sim´trica, ent˜o R = ∅. e ca a e e a III. Seja R uma rela¸˜o reflexiva em um conjunto A. Ent˜o, R ´ uma rela¸˜o de ca a e ca equivalˆncia se e somente se ((a, b) ∈ R e (b, c) ∈ R ⇒ (c, a) ∈ R). e a co ıveis, ent˜o G ◦ F ´ uma fun¸˜o invers´ IV. Se F e G s˜o duas fun¸˜es invers´ a e ca ıvel. Assinale a alternativa que apresenta a quantidade de afirmativas CORRETAS. (a) 0 (zero) (b) 1 (uma) (c) 2 (duas) (d) 3 (trˆs) e (e) 4 (quatro)
    • 17. [MT] Sejam R e S rela¸˜es em um conjunto A o qual cont´m pelo menos trˆs elementos. co e e Analise as seguintes afirmativas. I. Se R e S s˜o sim´tricas, ent˜o R ∩ S ´ sim´trica. a e a e e II. Se R e S s˜o sim´tricas, ent˜o R ∪ S ´ sim´trica. a e a e e III. Se R e S s˜o reflexivas, ent˜o R ∩ S ´ reflexiva. a a e IV. Se R e S s˜o reflexivas, ent˜o R ∪ S ´ reflexiva. a a e A an´lise permite concluir que est´(˜o) CORRETA(AS) a aa (a) apenas a afirmativa I. (b) apenas as afirmativas I e II. (c) apenas as afirmativas II e IV. (d) apenas as afirmativas III e IV. (e) todas as afirmativas.18. [MT] Um professor de programa¸˜o passa um trabalho e avisa ` turma que vai utilizar um ca a verificador autom´tico para detectar trabalhos copiados. Os alunos descobrem que o a verificador n˜o ´ capaz de identificar a c´pia se as linhas do programa n˜o aparecem a e o a na mesma ordem. Al´m disso, eles tamb´m descobrem que uma rotina do trabalho e e de um de seus colegas continua funcionando corretamente se as linhas s˜o trocadas de a ordem, mas nenhuma linha aparece ` distˆncia maior do que 1 de sua posi¸˜o original. a a ca Indique o n´mero de alunos que podem entregar uma c´pia do trabalho quando n = 7 u o (incluindo o pr´prio autor do trabalho). o (a) 32 (b) 21 (c) 14 (d) 128 (e) 64
    • 19. [MT] Suponha que o tempo de execu¸˜o de um programa seja dado por uma vari´vel ca a aleat´ria T que assume os valores 10, 20, . . . , 100 com distribui¸˜o de probabilidade o ca uniforme (i.e., P (T = 10k) = 1/10, para k = 1, . . . , 10). A probabilidade de que o tempo total de duas execu¸˜es sucessivas e independentes co desse programa n˜o exceda 100 ´ a e (a) 0,50 (b) 0,45 (c) 0,40 (d) 0,55 (e) 0,6020. [MT] Suponha agora que o programa ´ executado e se aguarda at´ 50 minutos para e e seu t´rmino. Se ap´s esse per´ e o ıodo a execu¸˜o n˜o est´ terminada, ent˜o o programa ´ ca a a a e interrompido e reiniciado. A segunda execu¸˜o sempre vai at´ o final. ca e O tempo m´dio at´ o final da execu¸˜o do programa quando utilizamos esse procedi- e e ca mento ´ e (a) 55 (b) 62,5 (c) 60 (d) 49,5 (e) 67,5
    • ˜ ¸˜ QUESTOES DE FUNDAMENTOS DA COMPUTACAO21. [FU] Um processador tem a seguinte hierarquia de mem´ria: uma cache com latˆncia o e de acesso de 1ns e uma mem´ria principal com latˆncia de acesso de 100ns. O acesso o e ` mem´ria principal somente ´ realizado ap´s o valor n˜o ser encontrado na cache. a o e o a A MAIOR taxa de cache miss aceit´vel para que o tempo m´dio de acesso ` mem´ria a e a o seja menor ou igual ` 2ns ´ a e (a) 10% (b) 5% (c) 50% (d) 1% (e) 2%22. [FU] Observe o circuito l´gico abaixo. o A express˜o booleana de sa´ S do circuito representado ´ a ıda e (a) A + B · C (b) A (c) B (d) A · B · C (e) A + B · C
    • 23. [FU] Seja T uma ´rvore AVL vazia. Supondo que os elementos 5, 10, 11, 7, 9, 3 e 6 a sejam inseridos nessa ordem em T , indique a seq¨ˆncia abaixo que corresponde a um ue percurso de T em p´s-ordem. o (a) 3, 5, 6, 7, 9, 10 e 11. (b) 7, 5, 3, 6, 10, 9 e 11. (c) 9, 10, 7, 6, 11, 5 e 3. (d) 11, 10, 9, 7, 6, 5 e 3. (e) 3, 6, 5, 9, 11, 10 e 7.24. [FU] Considere um arquivo texto que contenha uma mensagem de 10.000 caracteres utilizando os caracteres A, B e C, com probabilidades 0, 1, 0, 1 e 0, 8 respectivamente. Ao utilizar o algoritmo de Huffman para compress˜o/codifica¸˜o do referido texto, as a ca seguintes afirmativas s˜o apresentadas. a I. O comprimento m´dio dos c´digos para os referidos caracteres ´ 1, 2. e o e II. Se forem utilizados todos os pares poss´ ıveis de s´ ımbolos para a constru¸˜o da ca ´rvore de Huffman, ent˜o o comprimento m´dio dos c´digos para os referidos a a e o pares ´ menor que 1, 2 por caractere. e III. A codifica¸˜o de Huffman a partir de todos os pares poss´ ca ıveis de caracteres sempre produz c´digos de menor comprimento m´dio. o e Os dados acima permitem afirmar que (a) apenas a afirmativa I ´ verdadeira. e (b) apenas as afirmativas I e II s˜o verdadeiras. a (c) apenas as afirmativas I e III s˜o verdadeiras. a (d) apenas as afirmativas II e III s˜o verdadeiras. a (e) todas as afirmativas s˜o verdadeiras. a
    • 25. [FU] Considerando as diferen¸as existentes entre a execu¸˜o de um algoritmo seq¨en- c ca u cial e a execu¸˜o de um algoritmo distribu´ ca ıdo, analise as seguintes afirmativas. I. Somente na execu¸˜o seq¨encial de um algoritmo existe a possibilidade de ocorrer ca u um deadlock. II. Um algoritmo seq¨encial apresenta mais de uma execu¸˜o poss´ para uma dada u ca ıvel entrada. III. Um algoritmo distribu´ tem sua complexidade medida pela quantidade de men- ıdo sagens transmitidas durante sua execu¸˜o. ca IV. A execu¸˜o de um algoritmo distribu´ pode ser n˜o determin´ ca ıdo a ıstica. A an´lise permite concluir que a (a) todas as afirmativas s˜o falsas. a (b) todas as afirmativas s˜o verdadeiras. a (c) apenas as afirmativas I e II s˜o verdadeiras. a (d) apenas as afirmativas I e IV s˜o verdadeiras. a (e) apenas a afirmativa IV ´ verdadeira. e26. [FU] Seja a linguagem formal L = {an b2n c, n ≥ 0}. Analise as seguintes assertivas. I. L ´ uma linguagem livre de contexto. e II. A gram´tica G = ({S, X}, {a, b, c}, {S→Xc, X→aXbb|ǫ}, S) gera a linguagem L. a III. L n˜o pode ser reconhecida por um autˆmato com pilha. a o A an´lise permite concluir que est˜o CORRETAS a a (a) apenas as assertivas I e II. (b) apenas as assertivas I e III. (c) apenas as assertivas II e III. (d) todas as assertivas. (e) nenhuma das assertivas.
    • 27. [FU] Assinale a alternativa que apresenta a afirmativa FALSA. (a) Uma linguagem L ´ aceita por uma M´quina de Turing n˜o determin´ e a a ıstica com k fitas, m dimens˜es, n cabe¸otes de leitura e grava¸˜o por fita se, e somente se, o c ca ela ´ aceita por uma M´quina de Turing determin´ e a ıstica com uma fita infinita em apenas um sentido e um cabe¸ote de leitura e grava¸˜o. c ca (b) Um problema ´ dito ser decid´ e ıvel se a linguagem associada a esse problema ´ e recursiva. (c) O conjunto de todos os programas que p´ram para uma dada entrada ´ um a e conjunto recursivo mas n˜o recursivamente enumer´vel. a a (d) Uma fun¸˜o ´ parcialmente comput´vel se, e somente se, ela pode ser obtida a ca e a partir de fun¸˜es iniciais (por exemplo, sucessor, zero e proje¸˜o) por um n´mero co ca u finito de aplica¸˜es de composi¸˜o, recurs˜o primitiva e minimaliza¸˜o. co ca a ca (e) Uma M´quina de Turing Universal U toma como argumentos uma descri¸˜o de a ca uma M´quina de Turing qualquer M e uma entrada x para M , e executa as a mesmas opera¸˜es sobre x que seriam executadas por M , ou seja, U simula M co sobre x.28. [FU] Considere o seguinte enunciado e as possibilidades de sua complementa¸˜o. ca A regra de inferˆncia utilizada pela linguagem Prolog, denominada “regra de resolu- e c˜o”, ¸a I. opera com f´rmulas contendo apenas quantificadores existenciais. o II. ´ capaz de reduzir f´rmulas quantificadas ` suas correspondentes formas clausais. e o a III. opera sobre f´rmulas em forma clausal pelo corte de literais de sinais opostos. o IV. opera sobre f´rmulas em forma clausal pelo corte de literais de mesmo sinal. o V. produz dedu¸˜es que evitam a constru¸˜o de ´rvores de dedu¸˜o lineares. co ca a ca Completa(m) CORRETAMENTE o enunciado acima (a) apenas o item II. (b) apenas o item III. (c) apenas o item IV. (d) apenas os itens I e II. (e) apenas os itens III e V.
    • 29. [FU] Analise as seguintes afirmativas. I. Encapsulamento ´ a capacidade de uma opera¸˜o atuar de modos diversos em e ca classes diferentes. II. Polimorfismo ´ o compartilhamento de atributos e m´todos entre classes com base e e em um relacionamento hier´rquico. a III. Heran¸a consiste no processo de oculta¸˜o dos detalhes internos de implementa¸˜o c ca ca de um objeto. IV. Sobreposi¸˜o ´ a redefini¸˜o das fun¸˜es de um m´todo herdado. Os m´todos ca e ca co e e apresentam assinaturas iguais. V. Em JAVA, todos os m´todos numa classe abstrata devem ser declarados como e abstratos. A partir da an´lise, pode-se concluir que a (a) apenas a afirmativa IV est´ correta. a (b) apenas as afirmativas III e IV est˜o corretas. a (c) apenas as afirmativas I, IV e V est˜o corretas. a (d) apenas as afirmativas I, III e V est˜o corretas. a (e) todas as afirmativas s˜o falsas. a
    • 30. [FU] Suponha que tenhamos ` nossa disposi¸˜o um algoritmo Mult que efetua a a ca multiplica¸˜o de duas matrizes Ap×q e Bq×r dadas como entrada com p×q×r multi- ca plica¸˜es de escalares. Esse algoritmo ´, ent˜o, usado para definir o seguinte problema co e a de decis˜o chamado MULTMAT: a ENTRADA: vetor p[0], p[1], . . . , p[n], um inteiro positivo m. ˜ QUESTAO: existe uma seq¨ˆncia de multiplica¸˜es de duas matrizes com ue co o algoritmo Mult que produz o resultado de A1 A2 · · · An , em que cada Ai , para todo i ∈ {1, 2, . . . , n}, ´ uma matriz de dimens˜es p[i − 1] × p[i], com e o m multiplica¸˜es de escalares no m´ximo? co a Considere as seguintes afirmativas. I. O algoritmo abaixo demonstra que MULTMAT est´ na classe de problemas P . a Chamada: MultMat(p, m) 1: q ← Q(p, 0, n) 2: se q ≤ m ent˜oa 3: retorna “Sim” 4: retorna “N˜o” a Chamada: Q(p, i, j) 5: se i = j ent˜o a 6: retorna 0 7: q ← ∞ 8: para k ← i, i + 1, · · · , j − 1 fa¸a c 9: r ← Q(p, i, k) + Q(p, k + 1, j) + p[i − 1]p[k]p[j] 10: se r < q ent˜o a 11: q←r 12: retorna q II. MULTMAT est´ na classe de problemas N P . a III. Se I e II s˜o corretas, ent˜o P = N P . a a Assinale a alternativa que apresenta a(s) afirmativa(s) CORRETA(S). (a) Somente a afirmativa I. (b) Somente a afirmativa II. (c) Somente a afirmativa III. (d) Somente as afirmativas II e III. (e) Somente as afirmativas I, II e III.
    • 31. [FU] Considere o problema do caixeiro viajante, definido como se segue. Sejam S um conjunto de n n ≥ 0 cidades, e dij > 0 a distˆncia entre as cidades i e j, a i, j ∈ S, i = j. Define-se um percurso fechado como sendo um percurso que parte de uma cidade i ∈ S, passa exatamente uma vez por cada cidade de S{i}, e retorna ` a cidade de origem. A distˆncia de um percurso fechado ´ definida como sendo a soma a e das distˆncias entre cidades consecutivas no percurso. Deseja-se encontrar um percurso a fechado de distˆncia m´ a ınima. Suponha um algoritmo guloso que, partindo da cidade 1, move-se para a cidade mais pr´xima ainda n˜o visitada e que repita esse processo o a at´ passar por todas as cidades, retornando ` cidade 1. e a Considere as seguintes afirmativas. I. Todo percurso fechado obtido com esse algoritmo tem distˆncia m´ a ınima. II. O problema do caixeiro viajante pode ser resolvido com um algoritmo de com- plexidade linear no n´mero de cidades. u III. Dado que todo percurso fechado corresponde a uma permuta¸˜o das cidades, ca existe um algoritmo de complexidade exponencial no n´mero de cidades para o u problema do caixeiro viajante. Em rela¸˜o a essas afirmativas, pode-se afirmar que ca (a) I ´ falsa e III ´ correta. e e (b) I, II e III s˜o corretas. a (c) apenas I e II s˜o corretas. a (d) apenas I e III s˜o falsas. a (e) I, II e III s˜o falsas. a
    • 32. [FU] Observe as fun¸˜es representadas no gr´fico abaixo. co a 000 3 )n (f )n (g 005 2 )n (h )n(i 000 2 005 1 000 1 005 0 0 5 01 51 02 Assinale a afirmativa FALSA sobre o crescimento assint´tico dessas fun¸˜es. o co (a) f (n) = O(h(n)) e i(n) = Ω(g(n)). (b) f (n) = Θ(h(n)) e i(n) = Ω(h(n)). (c) g(n) = O(i(n)) e h(n) = Ω(g(n)). (d) g(n) = O(i(n)), i(n) = O(f (n)) e, portanto, g(n) = O(f (n)). (e) h(n) = Ω(i(n)), logo, i(n) = O(h(n)).
    • 33. [FU] Seja L =< r1 , . . . , rn > uma lista qualquer de inteiros n˜o necessariamente a distintos. A esse respeito, assinale a alternativa INCORRETA. (a) Existe um algoritmo determin´ ıstico ´timo de complexidade 0(n) para selecionar o o maior elemento de L. (b) Existe um algoritmo determin´ ıstico de complexidade O(n lg n) para selecionar, para 1 ≤ i ≤ n, o i-´simo menor elemento de L. e (c) Se existe um algoritmo linear para selecionar o i-´simo menor elemento de L, e ent˜o, usando esse algoritmo, ´ poss´ projetar um algoritmo linear para ordenar a e ıvel L em ordem n˜o crescente. a (d) Existe um algoritmo linear para determinar o terceiro maior elemento de L. (e) Existe um algoritmo que, percorrendo uma unica vez L, pode determinar o menor ´ e o maior elemento de L.34. [FU] Seja V =< v1 , . . . , vn > uma lista qualquer de inteiros distintos que se deseja ordenar em ordem n˜o descrescente. Analise as seguintes afirmativas. a I. Considere o algoritmo Quicksort. Suponha uma execu¸˜o do algoritmo sobre V tal ca que a cada sorteio do pivot, a mediana do (sub)problema em quest˜o ´ escolhida. a e Ent˜o, a complexidade dessa execu¸˜o ´ O(n lg n). a ca e II. Considere o algoritmo Quicksort. Suponha uma execu¸˜o do algoritmo sobre V ca 1 9 tal que a cada sorteio do pivot, os dois subproblemas gerados tˆm tamanho 10 e 10 e respectivamente do tamanho do (sub)problema em quest˜o. Ent˜o, a complexi- a a dade dessa execu¸˜o ´ O(n2 ). ca e III. Considere o algoritmo Mergesort. A complexidade do pior caso do algoritmo ´e O(n lg n) e a complexidade do melhor caso (vetor j´ est´ ordenado) ´ O(n). a a e IV. Considere o algoritmo Heapsort. A complexidade do pior caso do algoritmo ´ e O(n lg n) e a complexidade do melhor caso (vetor j´ est´ ordenado) ´ O(n). a a e V. Se para todo i, vi ´ O(n), ent˜o a complexidade do algoritmo Bucketsort ´ O(n). e a e A partir dos dados acima, pode-se concluir que est˜o CORRETAS a (a) apenas as afirmativas I e II. (b) apenas as afirmativas I, II e III. (c) apenas as afirmativas I, III e V. (d) apenas as afirmativas III, IV e V. (e) apenas as afirmativas I e V.
    • 35. [FU] Analise as seguintes afirmativas e assinale a alternativa INCORRETA. (a) O acesso a setores localizados em seq¨ˆncia em uma mesma trilha de um disco ue ´ mais r´pido do que acessar o mesmo n´mero de setores em trilhas diferentes, e a u devido ao menor n´mero tanto de deslocamentos do cabe¸ote quanto de rota¸˜es u c co no disco. (b) Na pagina¸˜o por demanda, n˜o ´ necess´rio que o processo inteiro se encontre ca a e a em mem´ria para execu¸˜o. o ca (c) O escalonamento de opera¸˜es de entrada e sa´ em um disco r´ co ıda ıgido pode ser utilizado para aumentar o desempenho. Por´m, algoritmos como o SSTF (Shortest e Seek Time First) podem fazer com que requisi¸˜es esperem indefinidamente. co (d) O escalonamento de processos por prioridades utiliza m´ltiplas filas e garante que u todos os processos recebam sua fatia de tempo. (e) O surgimento do conceito de interrup¸˜es, juntamente com dispositivos de acesso co n˜o-seq¨encial, foi primordial para a evolu¸˜o que levou aos sistemas multipro- a u ca gramados.36. [FU] Agrega¸˜es s˜o muito importantes em programa¸˜o orientada a objetos. co a ca Analise as afirmativas abaixo relativas ao uso de agrega¸˜es. co I. Uma agrega¸˜o ´ formada por agregado (todo) e componentes (partes). ca e II. Uma agrega¸˜o n˜o ´ transitiva e, portanto, n˜o pode modelar situa¸˜es desse ca a e a co tipo. III. A simetria ´ uma das principais caracter´ e ısticas de uma agrega¸˜o. ca A an´lise permite concluir que a (a) as trˆs afirmativas s˜o falsas. e a (b) as trˆs afirmativas s˜o verdadeiras. e a (c) apenas a afirmativa I ´ verdadeira. e (d) apenas as afirmativas I e II s˜o verdadeiras. a (e) apenas a afirmativa III ´ verdadeira. e
    • 37. [FU] Multiplicidade ´ um conceito muito importante na modelagem de classes em e programa¸˜o orientada a objetos. Por isso, na modelagem de classes usando Uni- ca fied Modeling Language (UML), ´ sempre recomend´vel especificar a multiplicidade e a dos relacionamentos (associa¸˜es). Um dos tipos mais comuns de multiplicidade ´ a co e multiplicidade um-para-muitos (1:n). Entre as alternativas abaixo, assinale a que apresenta uma situa¸˜o de associa¸˜o um- ca ca para-muitos, seguindo a nota¸˜o “associa¸˜o (classe1, classe2)”. ca ca (a) Comprar (Jornal, Leitor) (b) Casar (Marido, Esposa) (c) Torcer (Time, Pessoa) (d) Votar (Prefeito, Eleitor) (e) Escrever (Coluna, Colunista)38. [FU] Dado o seguinte programa escrito em C: #include <stdio.h> int main(void) { int n[] = {7, 8, 9}; int *p; p = &n[0]; p++; printf("Valor: %d ", *p); (*p)++; printf("Valor: %dn", *p); } Qual ´ a resposta que ser´ impressa na tela: e a (a) Valor: 7 Valor : 8 (b) Valor: 7 Valor: 7 (c) Valor: 8 Valor: 9 (d) Valor: 7 Valor: 9 (e) Valor: 9 Valor: 9
    • 39. [FU] Seja G = (V, E) um grafo simples e finito, onde |V | = n e |E| = m. Nesse caso, analise as seguintes afirmativas. I. Se G ´ hamiltoniano, ent˜o G ´ 2-conexo em v´rtices. e a e e II. Se G ´ completo, ent˜o G ´ hamiltoniano. e a e III. Se G ´ 4-regular e conexo, ent˜o G ´ euleriano. e a e IV. Se G ´ bipartite com parti¸˜es A e B, ent˜o G ´ hamitoniano se, e somente se, e co a e |A| = |B|. V. Se G ´ euleriano, ent˜o G ´ 2-conexo. e a e A an´lise permite concluir que s˜o FALSOS a a (a) apenas os itens I e II. (b) apenas os itens I e V. (c) apenas os itens II e III. (d) apenas os itens III e IV. (e) apenas os itens IV e V.40. [FU] Considere os seis grafos G1, G2, G3, G4, G5 e G6 mostrados a seguir. Pode-se afirmar que os unicos pares de grafos isomorfos entre si s˜o: ´ a (a) G1 e G5; G3 e G6 (b) G3 e G4; G2 e G6 (c) G1 e G5 (d) G2 e G4 (e) G3 e G6
    • ˜ ¸˜ QUESTOES DE TECNOLOGIA DA COMPUTACAO41. [TE] Considere um banco de dados com as seguintes tabelas e campos: ALUNOS (nome-aluno, c´digo-aluno, cidade, c´digo-curso) o o CURSOS (nome-curso, c´digo-curso, carga-hor´ria) o a Assinale a alternativa que apresenta a forma mais otimizada de realizar a consulta “encontrar o nome dos alunos que pertencem ao curso Computa¸˜o”. (opera¸˜es em ca co ordem de execu¸˜o) ca (a) Jun¸˜o de cursos com alunos, sele¸˜o de linhas em que nome-curso = “Com- ca ca puta¸˜o”, proje¸˜o do resultado sobre nome-aluno. ca ca (b) Jun¸˜o de cursos com alunos, proje¸˜o do resultado sobre nome-aluno, sele¸˜o de ca ca ca linhas em que nome-curso = “Computa¸˜o”. ca (c) Sele¸˜o de linhas em cursos em que nome-curso = “Computa¸˜o”, proje¸˜o do ca ca ca resultado sobre c´digo-curso, jun¸˜o com alunos, proje¸˜o do resultado sobre o ca ca nome-aluno. (d) Sele¸˜o de linhas em cursos em que nome-curso = “Computa¸˜o”, jun¸˜o com ca ca ca alunos, proje¸˜o do resultado sobre nome-aluno. ca (e) Sele¸˜o de linhas em cursos em que nome-curso = “Computa¸˜o”, proje¸˜o do ca ca ca resultado sobre nome-aluno.
    • 42. [TE] Considere o conte´do do arquivo de log abaixo, em que um registro Ti , start indica u o in´ ıcio da transa¸˜o Ti , um registro Ti , commit indica o seu final, e IA, IB, . . . ca indicam os itens afetados pelas transa¸˜es. Assim, no registro T1 , IA, 200, 500 , temos co respectivamente T1 como um identificador de transa¸˜o, IA como o item afetado, 200 o ca seu valor antigo e 500 o seu novo valor. Os n´meros seq¨enciais indicam o timestamping u u da a¸˜o. ca 1. T1 , start 6. T2 , ID, 659, 333 11. T3 , IF, 445, 559 2. T1 , IA, 200, 500 7. T2 , commit 12. T3 , commit 3. T2 , start 8. CHECKPOINT 13. FALHA 4. T2 , IB, 400, 500 9. T3 , start 5. T1 , IC, 560, 340 10. T1 , IE, 2234, 344 Note que no tempo 8 ocorreu um checkpoint e que, no tempo 13, ocorreu uma falha de sistema (por exemplo, uma falta de energia). Considere que est´ sendo utilizada a t´cnica de atualiza¸˜o imediata do banco de dados, a e ca estrat´gia que tamb´m ´ conhecida como algoritmo UNDO/REDO. e e e Avalie as seguintes afirmativas. I. A transa¸˜o T1 dever´ ser refeita (REDO). ca a II. A transa¸˜o T1 dever´ ser desfeita (UNDO). ca a III. A transa¸˜o T2 dever´ ser refeita (REDO). ca a IV. A transa¸˜o T2 dever´ ser desfeita (UNDO). ca a V. A transa¸˜o T3 dever´ ser refeita (REDO). ca a VI. A transa¸˜o T3 dever´ ser desfeita (UNDO). ca a VII. N˜o ´ preciso fazer nada com respeito ` transa¸˜o T1 . a e a ca VIII. N˜o ´ preciso fazer nada com respeito ` transa¸˜o T2 . a e a ca IX. N˜o ´ preciso fazer nada com respeito ` transa¸˜o T3 . a e a ca Com base nessas afirmativas, assinale a alternativa que apresenta os trˆs itens COR- e RETOS. (a) VIII, V e II. (b) VII, IV e VI. (c) VIII, VI e I. (d) IX, III e I. (e) VII, VI e III.
    • 43. [TE] Considere que um Banco de Dados Distribu´ siga o protocolo TWO-PHASED ıdo COM-MIT e que o nodo X tenha retornado uma resposta negativa na primeira fase, indicando que n˜o pode realizar a opera¸˜o que lhe cabe. a ca Nesse caso, durante a segunda fase, o coordenador da transa¸˜o dever´ ca a (a) avisar o nodo X para completar a tarefa de qualquer forma porque os demais nodos participantes tamb´m dever˜o completar a transa¸ao. e a c˜ (b) avisar o nodo X para n˜o completar a tarefa e avisar os demais nodos participantes a para completarem a transa¸˜o. ca (c) completar ele mesmo a tarefa que cabia ao nodo X e avisar aos demais nodos participantes para completarem a transa¸˜o. ca (d) avisar a todos os nodos participantes para completarem a transa¸˜o. ca (e) avisar a todos os nodos participantes para n˜o completarem a transa¸˜o. a ca44. [TE] Considere o esquema de rela¸˜o R(A, B, C, D, E, F ). ca Suponha que F = {E → C, C → B, A → D, CDE → A} ´ o conjunto de dependˆncias e e funcionais n˜o triviais v´lidas em R. a a Considere os seguintes conjuntos de atributos. S1 = {C, D, E}, S2 = {D, E, F }, e S3 = {A, E, F }. Entre as afirmativas abaixo, assinale a que cont´m a informa¸˜o CORRETA. e ca (a) S1 e S2 s˜o chaves candidatas de R. a (b) S2 e S3 s˜o chaves candidatas de R. a (c) S1 ´ a unica chave candidata de R. e ´ (d) S2 ´ a unica chave candidata de R. e ´ (e) S3 ´ a unica chave candidata de R. e ´
    • 45. [TE] Considere a gram´tica regular abaixo onde +i e xj s˜o operadores un´rios e a a a n, m > 0. A → +1 B | +2 B | . . . | +n B | B B → x1 B | x2 B | . . . | xm B | id Nesse caso, ´ CORRETO afirmar que e (a) sua tabela SLR tem 2n + 2m + 4 estados. (b) sua tabela SLR tem 2n + 2m + 4 estados. (c) sua tabela SLR tem 2(n − 2)(m − 2) estados. (d) sua tabela SLR tem 2(n + 2)(m + 2) estados. (e) sua tabela SLR tem 2n + 2(m + 2) estados.46. [TE] Analise as seguintes afirmativas sobre os parsers descendentes recursivos. I. S˜o parsers f´ceis de implementar para linguagens cuidadosamente projetadas, a a por´m geralmente exigem transforma¸˜es em gram´ticas originalmente apresen- e co a tadas em BNF. II. Um dos principais problemas desse tipo de parser ´ a necessidade de retrocesso nas e alternativas, o que pode ser resolvido com o uso de um parser recursivo preditivo. III. Para evitar os problemas do parser descendente recursivo, podemos realizar a an´lise TOP-DOWN usando um parser preditivo n˜o recursivo, ou parser pred- a a itivo tabular. O parser preditivo tabular usa uma tabela baseada nos conjuntos FIRST e FOLLOW para decidir qual produ¸˜o aplicar ` entrada. ca a A an´lise permite concluir que a (a) apenas a afirmativa I est´ correta. a (b) apenas a afirmativa II est´ correta. a (c) apenas a afirmativa III est´ correta. a (d) apenas as afirmativas I, II est˜o corretas. a (e) as trˆs afirmativas est˜o corretas. e a
    • 47. [TE] Considere a gram´tica G abaixo, em que ǫ representa o string nulo. a S→B |C |D A→ǫ B→d C → Aac | bAc D → Bcd | bBa A esse respeito, analise as seguintes afirmativas. I. G ´ SLR(1) e II. G ´ LALR(1) e III. G ´ LR(1) e A an´lise permite concluir que a (a) somente as afirmativas I e II s˜o verdadeiras. a (b) somente as afirmativas II e III s˜o verdadeiras. a (c) somente a afirmativa III ´ verdadeira. e (d) todas as afirmativas s˜o verdadeiras. a (e) nenhuma afirmativa ´ verdadeira. e48. [TE] Analise as seguintes afirmativas sobre a fase de an´lise (Front-End) de um com- a pilador. I. O uso de uma vari´vel de ponto flutuante para indexar um vetor causa um erro a geralmente detectado na an´lise semˆntica. a a II. Parˆnteses desbalanceados s˜o um erro geralmente detectado pela an´lise l´xica e a a e j´ que essa fase lˆ o arquivo fonte e o traduz para uma seq¨ˆncia de s´ a e ue ımbolos l´xicos, ou tokens. e III. Para a an´lise sint´tica TOP-DOWN usando o m´todo de empilhar e reduzir, ´ a a e e necess´rio reescrever a gram´tica eliminando toda recursividade ` esquerda. a a a A an´lise permite concluir que a (a) todas as afirmativas s˜o incorretas. a (b) apenas a afirmativa II ´ incorreta. e (c) apenas as afirmativas I e II s˜o incorretas. a (d) apenas as afirmativas I e III s˜o incorretas. a (e) apenas as afirmativas II e III s˜o incorretas. a
    • 49. [TE] Considere as afirmativas abaixo. I. Um terminal raster apresentar´ o efeito “pisca-pisca” quando a cena ´ complexa. a e II. Em uma cena composta apenas de objetos convexos, a elimina¸˜o de superf´ ca ıcies ocultas restringe-se ` remo¸˜o das faces posteriores (back faces). a ca III. No algoritmo do ponto m´dio para tra¸ado de c´ e c ırculos, se f (xM , yM ) = r2 − x2 − y 2 < 0, o ponto (xM , yM ) ´ interior ` circunferˆncia. e a e A esse respeito, pode-se afirmar que (a) apenas a afirmativa I ´ verdadeira. e (b) apenas a afirmativa III ´ verdadeira. e (c) as trˆs afirmativas s˜o falsas. e a (d) as trˆs afirmativas s˜o verdadeiras. e a (e) apenas as afirmativas I e II s˜o verdadeiras. a50. [TE] Seja o plano definido pelos pontos A(10, 0, 0), B(0, 10, 0) e C(2, 2, 20). A proje¸˜o ca do ponto D(20, 20, 10) sobre esse plano segundo a dire¸˜o de proje¸˜o U = (−5, −10, −15) ca ca ´ e (a) (300/13, 40/13, −100/13) (b) (150/13, 80/13, −200/13) (c) (300/13, 80/13, −100/13) (d) (150/13, 40/13, −200/13) (e) (300/13, 80/13, −200/13)
    • 51. [TE] Dado o seguinte trecho de um programa escrito em C: float dist, raio; int xmouse, ymouse, xcentro, ycentro; ... dist = _____________________________ if (dist <= raio) Mouse_DENTRO_Envelope_Circular(); else Mouse_FORA_Envelope_Circular(); Considere que um sistema gr´fico utiliza envelope circular para localizar objetos em a sua interface gr´fica. O programador est´ utilizando o trecho de programa descrito a a acima para verificar se o usu´rio est´ apontando o mouse para um dos objetos. Para a a tanto, ele utiliza o c´lculo da distˆncia entre dois pontos. a a Assinale a alternativa que indica corretamente como ´ calculada a distˆncia (dist) e a entre dois pontos. (a) sqrt((xmouse-xcentro)+(ymouse-ycentro)) (b) sqrt(pow(xmouse+xcentro,2)-pow(ymouse+ycentro,2)) (c) sqrt(pow(xmouse-xcentro,2)+pow(ymouse-ycentro,2)) (d) sqrt((xcentro-xmouse)+( ycentro-ymouse))/2 (e) sqrt((xmouse-xcentro)-(ymouse-ycentro))
    • 52. [TE] Considere as seguintes afirmativas sobre as facilidades oferecidas pela UML 2.0. I. O Diagrama de Comunica¸˜o, como o pr´prio nome j´ indica, procura dar ˆnfase ca o a e ` troca de mensagens entre os objetos durante o processo. Outra caracter´ a ıstica interessante ´ que, embora partilhe elementos com o Diagrama de Seq¨ˆncias, o e ue Diagrama de Comunica¸˜o n˜o apresenta linhas de vida. ca a II. Quando necessitamos detalhar um estado individual no Diagrama de M´quina de a Estados, podemos utilizar o recurso estado composto, o qual possibilita a repre- senta¸˜o de subestados dentro de um mesmo diagrama. ca III. Visando contemplar as necessidades de modelagem de sistemas de tempo real e aplica¸˜es hiperm´ co ıdia e multim´ ıdia, onde a representa¸˜o do tempo em que um ca objeto executa algo ´ essencial, a UML 2.0 disponibiliza o Diagrama de Tempo e que descreve as mudan¸as de estado de um objeto ao longo do tempo. c IV. No intuito de facilitar a representa¸˜o de uma vis˜o mais geral de um sistema (ou ca a processo), a UML 2.0 oferece o Diagrama de Intera¸˜o Geral, uma varia¸˜o do ca ca Diagrama de Atividades no qual s˜o utilizados quadros ao inv´s de n´s de a¸˜o. a e o ca Estes podem aparecer no modo detalhado (apresentando seu comportamento in- terno) ou n˜o. a A esse respeito, pode-se afirmar que (a) s˜o verdadeiras todas as afirmativas. a (b) nenhuma das afirmativas ´ verdadeira. e (c) somente as afirmativas II e III s˜o verdadeiras. a (d) somente as afirmativas III e IV s˜o verdadeiras. a (e) somente as afirmativas I, II e III s˜o verdadeiras. a53. [TE] Na UML, o Diagrama de Casos de Uso proporciona uma forma de representar a aplica¸˜o segundo a perspectiva do usu´rio. Considere o Diagrama de Casos de Uso ca a para um sistema de gerenciamento de cursos a distˆncia apresentado na figura abaixo a (pr´xima p´gina). o a
    • A esse respeito, analise as seguintes afirmativas. I. O relacionamento < include > entre os casos de uso “Elaborar Novo Curso”, “Configurar Curso” e “Selecionar Material Did´tico” representa um caminho obri- a gat´rio de execu¸˜o de fun¸˜es da aplica¸˜o. o ca co ca II. O caso de uso “Consultar Detalhes sobre Material Did´tico” s´ ´ executado se o a oe caso de uso “Selecionar Material Did´tico” tiver sido executado anteriormente. aIII. Os relacionamentos especiais < include > e < extends > s˜o exclusivos para a casos de uso.IV. A utiliza¸˜o de diferentes perfis de usu´rio (atores: “Aluno” e “Professor”) ´ ca a e representada atrav´s de um tipo de relacionamento especial chamado composi¸˜o, e ca o qual pode ser aplicado tanto a casos de uso como entre atores.A an´lise permite afirmar que a(a) todas as afirmativas s˜o verdadeiras. a(b) nenhuma das afirmativas ´ verdadeira. e (c) somente as afirmativas II e III s˜o verdadeiras. a(d) somente as afirmativas III e IV s˜o verdadeiras. a (e) somente as afirmativas I, II e III s˜o verdadeiras. a
    • 54. [TE] Qualidade ´ uma das premissas b´sicas para se desenvolver software hoje em dia. e a Contudo, gerenciar a qualidade dentro do processo de software n˜o ´ uma etapa trivial. a e Requer prepara¸˜o, conhecimento t´cnico adequado e, sobretudo, comprometimento de ca e todos os stakeholders envolvidos. A esse respeito, considere as seguintes afirmativas. I. O MPS.br ´ uma iniciativa para Melhoria de Processo do Software Brasileiro. O e MPS.br adequa-se ` realidade das empresas brasileiras e est´ em conformidade a a com as normas ISO/IEC 12207. No entanto, n˜o apresenta uma estrat´gia de a e compatibilidade com o CMMI - Capability Maturity Model Integration. II. A rastreabilidade de requisitos de software proporciona uma melhor visibilidade para a gerˆncia de qualidade do projeto. e III. Uma empresa de tecnologia certificada por meio de modelos como CMMI ou MPS.br oferece produtos de software tamb´m certificados. e IV. A padroniza¸˜o ´ um dos fundamentos b´sicos da gerˆncia da qualidade. A ca e a e padroniza¸˜o pode acontecer em diversos n´ ca ıveis: na documenta¸˜o, no c´digo ca o e, principalmente, no processo. Considerando a gerˆncia da qualidade, assinale a alternativa CORRETA. e (a) Todas as afirmativas s˜o verdadeiras. a (b) Nenhuma das afirmativas ´ verdadeira. e (c) Somente as afirmativas II e III s˜o verdadeiras. a (d) Somente as afirmativas II e IV s˜o verdadeiras. a (e) Somente as afirmativas I, II e III s˜o verdadeiras. a55. [TE] Documentos de projeto de software servem principalmente para ajudar o pro- jetista a tomar boas decis˜es e para explicar o projeto para os outros envolvidos. o Levando em considera¸˜o o conte´do de um documento de projeto, assinale a alterna- ca u tiva abaixo que cont´m t´picos de um modelo de guia para o documento de projeto. e o (a) Objetivo, escopo, requisitos, principais caracter´ ısticas do projeto e detalhes do c´digo. o (b) Objetivo, prioridades gerais, vis˜o geral do projeto, principais caracter´ a ısticas do projeto e detalhes do projeto. (c) Vis˜o geral do projeto, escopo, objetivo, principais caracter´ a ısticas do projeto e detalhes do c´digo. o (d) Objetivo, prioridades gerais, requisitos, escopo e detalhes do projeto. (e) Nenhuma das anteriores.
    • 56. [TE] Para atingir usabilidade, o projeto da interface de usu´rio para qualquer produto a interativo, incluindo software, necessita levar em considera¸˜o um n´mero de fatores. ca u ˜ Marque, nas alternativas abaixo, o fator que NAO deve ser considerado na an´lise de a usabilidade de um projeto de interface de usu´rio. a (a) Capacidades cognitivas e motoras de pessoas em geral. (b) Caracter´ ısticas unicas da popula¸˜o usu´ria em particular. ´ ca a (c) Fatores que levem em considera¸˜o as restri¸˜es de uso de um grupo em particular ca co n˜o suportado pelo produto a (d) Requisitos das atividades dos usu´rios que est˜o sendo suportadas pelo produto. a a (e) Nenhuma das anteriores.57. [TE] Levando em conta as podas alfa-beta na ´rvore Mini-Max abaixo, assinale a a alternativa que apresenta a quantidade de folhas que dever˜o ser visitadas. a (a) 7 (b) 8 (c) 10 (d) 11 (e) 13
    • 58. [TE] Considerando que h(n) ´ o custo estimado do n´ n at´ o objetivo, em rela¸˜o ` e o e ca a busca informada, pode-se afirmar que (a) a busca gulosa minimiza h(n). (b) a busca A∗ minimiza h(n). (c) a busca de custo uniforme minimiza h(n). (d) a busca gulosa minimiza h(n) somente se a heur´ ıstica for admiss´ ıvel. (e) a busca A∗ minimiza h(n) somente se a heur´ ıstica for admiss´ ıvel.59. [TE] Analise o seguinte conjunto de afirmativas caracterizando agentes computacionais e os ambientes em que operam. I. Um agente reflexivo que n˜o disp˜e de modelo de seu ambiente seleciona a pr´xi- a o o ma a¸˜o que vai executar tendo por base apenas as suas percep¸˜es atuais. ca co II. Um agente capaz de planejar seq¨ˆncias futuras de a¸˜es n˜o pode e n˜o deve ter ue co a a representa¸˜es expl´ co ıcitas de seus objetivos. III. Um ambiente determin´ ıstico ´ aquele que permite a um agente, que se encontra e sozinho no ambiente, saber o resultado de uma a¸˜o realizada a partir do con- ca hecimento do estado do ambiente no momento em que a a¸˜o foi realizada e das ca caracter´ ısticas da a¸˜o que o agente realizou. ca IV. Um ambiente parcialmente observ´vel ´ aquele que s´ permite a um agente con- a e o hecer completamente o estado atual do ambiente se o agente estiver sozinho no ambiente. V. Uma fun¸˜o de utilidade ´ uma fun¸˜o que ajuda um agente a distinguir quais ca e ca percep¸˜es atuais s˜o mais importantes para a realiza¸ao dos objetivos do agente. co a c˜ A esse respeito, pode-se concluir que est˜o CORRETAS a (a) somente as afirmativas I e II. (b) somente as afirmativas I e III. (c) somente as afirmativas III e IV. (d) somente as afirmativas III e V. (e) somente as afirmativas IV e V.
    • 60. [TE] Analise as seguintes afirmativas. I. A estrat´gia de busca em largura encontra a solu¸˜o ´tima quando todos os op- e ca o eradores de mudan¸a de estado tˆm o mesmo custo. c e II. A estrat´gia de busca em profundidade sempre expande um menor n´mero de n´s e u o que a estrat´gia de busca em largura, quando aplicadas ao mesmo problema. e III. A estrat´gia de busca heur´ e ıstica encontra sempre a solu¸ao de menor custo. c˜ IV. A estrat´gia de busca heur´ e ıstica expande um n´mero de n´s em geral menor que u o o algoritmo de busca em largura, mas n˜o garante encontrar a solu¸˜o ´tima. a ca o V. O algoritmo de busca heur´ıstica que utiliza uma fun¸˜o heur´ ca ıstica admiss´ ıvel encontra a solu¸˜o ´tima. ca o A esse respeito, pode-se concluir que (a) apenas a afirmativa V ´ correta. e (b) todas as afirmativas s˜o corretas. a (c) todas as afirmativas s˜o falsas. a (d) apenas as afirmativas II e V s˜o corretas. a (e) apenas as afirmativas I, IV e V s˜o corretas. a61. [TE] O realce de imagem tem como objetivo destacar detalhes finos procurando obter uma representa¸˜o mais adequada do que a imagem original para uma determinada ca aplica¸˜o. ca Dessa forma, sobre as t´cnicas utilizadas no realce de imagens, ´ CORRETO afirmar e e que (a) o melhor resultado obtido depende do filtro aplicado na imagem. Normalmente, o mais aplicado ´ o filtro da mediana. e (b) o melhor resultado ´ obtido com a aplica¸˜o de filtros passa-baixas, cujos parˆmetros e ca a dependem do resultado desejado. (c) a aplica¸˜o de filtros da m´dia sempre oferece resultado adequado no realce de ca e imagens. (d) o resultado mais adequado no realce de imagens est´ associado ` aplica¸˜o de a a ca filtro passa-altas e da interpreta¸˜o subjetiva do observador que dever´ ter con- ca a hecimento a priori da imagem original. (e) o resultado mais adequado no realce de imagens est´ associado ` aplica¸˜o de a a ca filtro passa-baixas e da interpreta¸˜o subjetiva do observador que dever´ ter con- ca a hecimento a priori da imagem original.
    • 62. [TE] Um sistema de codifica¸˜o e compress˜o de imagens consiste de dois blocos, que ca a s˜o: o codificador e o decodificador. Entre as diversas t´cnicas de codifica¸˜o, a mais a e ca popular ´ o c´digo de Huffman. Considere a tabela abaixo, em que ´ apresentado o e o e c´digo resultante num processo de codifica¸˜o. o ca probabilidade c´digo o 0,35 1 0,25 01 0,2 010 0,1 0101 0,05 01011 0,03 010110 0,01 0101100 0,01 0101101 Nesse caso, o comprimento m´dio do c´digo obtido foi de: e o (a) 3,15 bits/s´ ımbolo (b) 1,14 bits/s´ ımbolo (c) 2,42 bits/s´ ımbolo (d) 4,38 bits/s´ ımbolo (e) 3,00 bits/s´ ımbolo63. [TE] Constitui(em) m´todo(s) para alterar o contraste de uma imagem em cores sem e alterar sua tonalidade. I. Transformar RGB em IHS, aumentar o contraste de I e fazer a transforma¸˜o ca inversa IHS para RGB. II. Aumentar o contraste de I, transformar IHS em RGB e fazer a transforma¸˜o ca inversa RGB para IHS. III. Aumentar o contraste em R, transformar RGB em IHS. A esse respeito, pode-se afirmar que (a) apenas o item I ´ verdadeiro. e (b) apenas o item II ´ verdadeiro. e (c) s˜o verdadeiros apenas os itens I e II. a (d) s˜o verdadeiros apenas os itens I e III. a (e) s˜o verdadeiros apenas os itens II e III. a
    • 64. [TE] O controle de congestionamento ´ uma das fun¸˜es desempenhadas pela Camada e co de Transporte no modelo TCP/IP. Sobre essa fun¸˜o, assinale a alternativa INCORRETA. ca (a) No controle de congestionamento fim-a-fim, uma situa¸˜o de congestionamento ca ´ intu´ pelos hosts terminais via eventos como perda ou atraso excessivo de e ıda pacotes. (b) No controle de congestionamento assistido pela rede, os nodos (roteadores) enviam notifica¸˜es expl´ co ıcitas do estado de congestionamento da rede diretamente ` fonte a de cada fluxo que, por meio dele, trafega. (c) O mecanismo Explicit Congestion Notification (ECN) utiliza um dos dois ultimos ´ bits do campo ToS do cabe¸alho IPv4 para notificar a um destinat´rio o estado c a de congestionamento da rede. (d) Ao perceber um estado de congestionamento na rede, uma conex˜o TCP, por a meio de seu mecanismo de preven¸˜o de congestionamento (congestion avoidance), ca reduz o tamanho de sua janela de congestionamento. (e) Na fase de partida lenta (slow start) de uma conex˜o TCP, o tamanho da janela de a congestionamento aumenta a cada RTT (Round-Trip Time) de forma exponencial, at´ que esse tamanho alcance um determinado valor de limiar (threshold ). e65. [TE] Sobre o protocolo de transferˆncia de hipertextos (HTTP - Hyper-Text Transfer e Protocol ), ´ CORRETO afirmar que e (a) O protocolo HTTP ´ capaz de transportar nativamente arquivos no formato e bin´rio. a (b) A vers˜o 1.0 do protocolo HTTP n˜o permite a utiliza¸˜o de cookies. a a ca (c) A vers˜o 1.1 do protocolo HTTP difere da vers˜o 1.0 na capacidade de transportar a a objetos maiores. (d) A instru¸˜o GET condicional permite que o cliente opte por receber um determi- ca nado objeto do servidor apenas se este tiver sido alterado depois de uma deter- minada data e hora. (e) O protocolo HTTP n˜o pode ser utilizado para transportar outros tipos de objetos a sen˜o os hiper-textos. a
    • 66. [TE] Considere os pares de endere¸os de hosts e suas respectivas m´scaras de endere¸os c a c listados abaixo. I. 192.168.0.43/255.255.255.192 e 192.168.0.66/255.255.255.192 II. 192.168.1.97/255.255.255.224 e 192.168.1.118/255.255.255.224 III. 192.168.2.115/255.255.255.128 e 192.168.2.135/255.255.255.128 IV. 192.168.3.34/255.255.255.240 e 192.168.3.46/255.255.255.240 V. 192.168.4.167/255.255.255.224 e 192.168.4.207/255.255.255.224 Os itens nos quais o par citado pertence a uma mesma sub-rede s˜o a (a) apenas I, II, V (b) apenas I, III (c) apenas II, IV (d) apenas II, III, IV (e) apenas III, IV, V67. [TE] Analise as seguintes afirmativas. I. O protocolo UDP ´ um protocolo da Camada de Transporte orientado a data- e grama, enquanto que o TCP ´ um protocolo da Camada de Transporte orientado e a conex˜o. a II. Apesar de o protocolo IP ser orientado a datagrama, o protocolo UDP ´ necess´rio e a por fornecer multiplexa¸˜o de um endere¸o de rede em v´rias portas, permitindo ca c a que m´ltiplos processos sejam endere¸ados em um mesmo endere¸o de rede. u c c III. O protocolo TCP utiliza o tamanho da janela deslizante de uma conex˜o para o a controle de congestionamento. A esse respeito, pode-se afirmar que (a) somente a afirmativa I ´ correta. e (b) somente as afirmativas I e II s˜o corretas. a (c) somente as afirmativas I e III s˜o corretas. a (d) somente as afirmativas II e III s˜o corretas. a (e) todas as afirmativas s˜o corretas. a
    • 68. [TE] Considere as afirmativas sobre um Sistema de Arquivos Distribu´ ıdos (SAD). I. Um “Servidor de Arquivos com Estado”, em um SAD, mant´m todo seu estado e no caso de uma falha, garantindo a recupera¸˜o do mesmo sem a necessidade de ca di´logo com os clientes. a II. II. Na gerˆncia de cache em um SAD, uma das pol´ e ıticas utilizadas ´ a write- e through. O inconveniente dessa pol´ ıtica, comparada com outras, ´ a pouca confi- e abilidade no caso de falhas no cliente. III. O uso de replica¸˜o em um SAD ao mesmo tempo que provˆ aumento na confia- ca e bilidade, tamb´m introduz um gargalo em termos de desempenho. e A esse respeito, pode-se afirmar que (a) nenhuma das afirmativas est´ correta. a (b) somente a afirmativa I est´ correta. a (c) somente a afirmativa II est´ correta. a (d) somente a afirmativa III est´ correta. a (e) somente as afirmativas I e III est˜o corretas. a69. [TE] Analise as seguintes afirmativas concernentes a quest˜es de projeto de sistemas o distribu´ ıdos. I. Um sistema distribu´ tolerante a falhas deve continuar operando na presen¸a ıdo c de problemas, podendo ocorrer uma degrada¸˜o tanto no seu desempenho, como ca nas suas funcionalidades. II. No que diz respeito ` escalabilidade, o projeto de um sistema distribu´ deve a ıdo prever que a demanda nos servi¸os em qualquer dos equipamentos seja limitada c por uma constante dependente do n´mero de nodos envolvidos. u III. Em um sistema distribu´ transparente quanto ` concorrˆncia, a informa¸˜o de ıdo a e ca quantos usu´rios est˜o empregando determinado servi¸o deve ser omitida. a a c A an´lise permite concluir que a (a) somente a afirmativa I est´ incorreta. a (b) somente a afirmativa II est´ incorreta. a (c) somente a afirmativa III est´ incorreta. a (d) somente as afirmativas I e III est˜o incorretas. a (e) todas as afirmativas est˜o incorretas. a
    • 70. [TE] Em rela¸˜o aos sistemas distribu´ ca ıdos, analise as seguintes afirmativas. I. Um sistema ass´ ıncrono apresenta medida de tempo global. II. A passagem de mensagens ´ o instrumento empregado para efetuar a comunica- e c˜o entre os processos de um sistema ass´ ¸a ıncrono. ´ III. E poss´ simular um computador paralelo de mem´ria compartilhada usando-se ıvel o um sistema distribu´ıdo. IV. Quando um determinado elemento de um sistema distribu´ efetua a difus˜o ıdo a de uma mensagem por meio de um multicast, todos os elementos do sistema distribu´ recebem a mensagem. ıdo A an´lise permite concluir que a (a) somente a afirmativa IV est´ correta. a (b) somente as afirmativas I e II est˜o corretas. a (c) somente as afirmativas I e III est˜o corretas. a (d) somente as afirmativas II e III est˜o corretas. a (e) somente as afirmativas I e IV est˜o corretas. a