Cadernodequestes ano2005
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cadernodequestes ano2005

on

  • 326 views

 

Statistics

Views

Total Views
326
Views on SlideShare
282
Embed Views
44

Actions

Likes
0
Downloads
8
Comments
0

1 Embed 44

http://www.computacaodepressao.com.br 44

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial LicenseCC Attribution-NonCommercial License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cadernodequestes ano2005 Cadernodequestes ano2005 Document Transcript

  • POSCOMP – 2005 Exame de Sele¸˜o para P´s-Gradua¸˜o em ca o ca Ciˆncia da Computa¸˜o e ca Caderno de Quest˜es oNome do Candidato:Identidade:
  • Instru¸oes Gerais aos Candidatos c˜• O tempo total de dura¸ao do exame ser´ de 4 horas. c˜ a• Vocˆ receber´ uma Folha de Respostas junto do Caderno de Quest˜es. Confira se o e a o seu Caderno de Quest˜es est´ completo. O n´ mero de quest˜es ´: o a u o e (a) Matem´tica: 20 quest˜es (da 1 a 20); a o ` (b) Fundamentos da Computa¸ao: 20 quest˜es (da 21 a 40); c˜ o ` (c) Tecnologia da Computa¸ao: 30 quest˜es (da 41 a 70). c˜ o `• Coloque o seu nome e n´ mero de identidade ou passaporte no Caderno de Quest˜es. u o• Verifique se seu nome e identidade est˜o corretos na Folha de Respostas e assine-a no a local apropriado. Se houver discrepˆncia, entre em contato com o examinador. a• A Folha de Respostas deve ser preenchida dentro do tempo de prova.• O preenchimento do formul´rio otico (Folha de Respostas) deve ser feito com caneta a ´ a a a ´ esferogr´fica azul ou preta (n˜o pode ser de outra cor e tem que ser esferogr´fica). E tamb´m poss´ realizar o preenchimento com l´pis preto n´ mero 2, contudo, o mais e ıvel a u seguro ´ o uso de caneta. Cuidado com a legibilidade. Se houver d´ vidas sobre a sua e u resposta, ela ser´ considerada nula. a• O examinador avisar´ quando estiver faltando 15 minutos para terminar o tempo, e a novamente quando o tempo terminar.• Ao terminar o tempo, pare imediatamente de escrever. N˜o se levante at´ que todas a e as provas tenham sido recolhidas pelos examinadores.• Vocˆ poder´ ir embora caso termine a prova antes do tempo, mas isso s´ ser´ poss´ e a o a ıvel ap´s a primeira hora de prova. o• As Folhas de Respostas e os Cadernos de Quest˜es ser˜o recolhidos no final da prova. o a• N˜o ´ permitido tirar d´ vidas durante a realiza¸ao da prova. a e u c˜
  • ˜ ´ QUESTOES DE MATEMATICA1. A representa¸ao polar do n´ mero complexo −3i ´ dada por: c˜ u e (a) (3, −90◦ ) (b) (3, 90◦ ) (c) (−3, 180◦ ) (d) (3, −180◦ ) (e) (−3, 270◦ )2. Se x = 3 − 2i e y = 1 + 4i s˜o n´ meros complexos, ent˜o o produto x · y ´ dado por: a u a e (a) 3 − 8i (b) 4 + 2i (c) 11 + 10i (d) −8 + 3i (e) 3 + 2i3. Considere a matriz abaixo:   1 3 1 1 5 A =  −2 −6 0 4 −2  1 3 2 3 9 O posto de A, as dimens˜es dos dois subespa¸os: imagem de A e n´ cleo de A, e uma o c u base para a imagem de A s˜o, respectivamente: a (a) 3, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2), (1, 4, 3)} (b) 3, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2), (5, −2, 9)} (c) 3, 2, 3, {(1, −2, 1), (1, 0, 2)} (d) 2, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2), (5, −2, 9)} (e) 2, 3, 2, {(1, −2, 1), (1, 0, 2)}
  • 4. Dada a matriz de transforma¸ao linear c˜   1 3 2 A= 2 1 1  3 2 3 PSfrag replacements pode-se afirmar que: M´quina Cliente a (a) o vetor (1, 0, 0) ´ mapeado para (1, 3, 2). e Media Player (b) o vetor (1, 0, 1) ´ mapeado para (3, 0, 2). e Buffer (c) o vetor (0, 1, 0) ´ mapeado para (3, 1, 2). e Marcador ´´ (d) o vetor (0, 0, 1)de Agua Baixopara (3, 2, 3). e mapeado (MAB) (e) o vetor (1, 1, 0) ´ mapeado para (3, 2, 3). e Marcador ´ de Agua Alto (MAA)5. Seja Tn,m um M´quina Servidora × m. Denominamos um circuito eq¨estre em Tn,m a tabuleiro xadrez n a u um percurso de um cavalo, se movendo como num jogo de xadrez, que passa por cada Media uma das c´lulas de Tn,m exatamente uma vez, e que come¸a e termina numa mesma e Server c a u P c´lula (arbitr´ria). O n´ mero de0 circuitos eq¨ estres em T5,5 ´: e u e P1 P2 (I) (II) (III) (IV) Figura 1: Exemplo de movimentos v´lidos de um cavalo. a (a) 0 (b) 1 (c) 5 (d) 25 (e) 5!
  • 6. Considere a fun¸ao f (x) = 1/x. Seja A a area compreendida entre o gr´fico de f e o c˜ ´ a eixo x no intervalo [1, ∞) e seja V o volume do s´lido obtido pela revolu¸ao do gr´fico o c˜ a de f em torno do eixo x no intervalo [1, ∞). Escolha a alternativa correta: (a) A < ∞ e A < V . (b) A < ∞ e V < ∞. (c) A < ∞ e V = ∞. (d) A = ∞ e V = ∞. (e) A = ∞ e V < ∞.7. Considere as afirma¸oes a seguir: c˜ (I) Se f : R −→ R ´ uma fun¸ao tal que f (x) = f (−x) para todo x ∈ R e f ´ deriv´vel e c˜ e a no ponto a = 0, ent˜o f (0) = 0. a (II) Se limn→0 bn = +∞ e limn→0 an = 0, ent˜o limn→0 an bn n˜o existe. a a (III) limn→3 n = 3. (IV) Se c ∈ [a, b] ´ um m´ximo local de uma fun¸ao f : [a, b] → R ent˜o f (c) = 0. e a c˜ a (V) Se limn→∞ an existe e limn→∞ bn n˜o existe, ent˜o limn→∞ (an + bn ) n˜o existe. a a a Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (V) s˜o verdadeiras. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (III) s˜o verdadeiras. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (V) s˜o verdadeiras. c˜ a (d) Somente as afirma¸oes (I), (IV) e (V) s˜o verdadeiras. c˜ a (e) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV) s˜o verdadeiras. c˜ a
  • M´quina Cliente a Media Player Buffer Marcador ´ de Agua Baixo (MAB) Marcador e a ´ c˜8. Na figura abaixo, a curva ´ o gr´fico da fun¸aoAlto = x2 e a regi˜o marcada no de Agua f (x) a 2 (MAA)+ 1 e x2 ≤ y ≤ (i + 1)2 }. retˆngulo corresponde a R = {(x, y) ∈ R : i ≤ x ≤ i a M´quina Servidora a Media Server P0 R P1 P2 (I) (II) (III) i i+1 (IV) A area de R ´: ´ e (i+1)2 (a) 3 2i+1 (b) 2 3i+2 (c) 3 3i2 +3i+1 (d) 3 (e) i + 19. A seq¨ˆncia xn ´ definida recursivamente por ue e 1 se n = 0, xn+1 = 1 1+ 1+xn caso contr´rio. a Se limn→∞ xn = L, ent˜o a (a) L = 1 1 (b) L = 1 + 2 (c) L = 2 1 (d) L = 1+ 2 √ (e) L = 2
  • 10. Uma equa¸ao do segundo grau em x e y, da forma ax2 + by 2 + cxy + dx + ey + f = 0, c˜ com a, b > 0 pode descrever: (a) Uma curva arbitr´ria. a (b) Uma circunferˆncia ou uma elipse, mas n˜o uma reta. e a (c) Uma reta. (d) Uma par´bola ou uma hip´rbole, mas n˜o uma reta. a e a (e) Simultaneamente duas par´bolas. a11. Denote por x, y o produto escalar dos vetores x = (x1 , x2 , x3 ) e y = (y1 , y2 , y3 ) em R3 . O lugar geom´trico dado por x, 1 = r, onde 1 = (1, 1, 1) e r ∈ R ´ e e (a) a circunferˆncia de raio r e centro 1 e (b) um parabol´ide com foco em 1 o (c) um plano com vetor normal 1 (d) um cilindro de raio r e altura 1 (e) um hiperbol´ide o12. Determine qual das seguintes proposi¸oes n˜o pode ser provada a partir da premissa: c˜ a ((a ∧ b) ∨ c) ∧ (c → d) (a) (a ∨ d) ∧ (b ∨ d) (b) (¬a ∨ ¬b) → (c ∧ d) (c) (a ∧ b) → ¬d (d) ¬a → d (e) ¬d → b
  • 13. Dadas as quatro premissas: • Se o universo ´ finito, ent˜o a vida ´ curta. e a e • Se a vida vale a pena, ent˜o a vida ´ complexa. a e • Se a vida ´ curta ou complexa, ent˜o a vida tem sentido. e a • A vida n˜o tem sentido. a e as assertivas l´gicas: o (I) se o universo ´ finito e a vida vale a pena, ent˜o a vida tem sentido; e a (II) a vida n˜o ´ curta; a e (III) a vida tem sentido ou o universo ´ finito; e quais assertivas pode-se dizer que se seguem logicamente das premissas dadas? (a) Somente (I) e (III) (b) Somente (II) e (III) (c) Somente (I) e (II) (d) (I), (II) e (III) (e) Somente a assertiva (I).14. Considere a seguinte proposi¸ao: c˜ P : ∀x[Bx → [Lx ∧ Cx]] Assinale a alternativa que cont´m uma proposi¸ao equivalente a ¬P . e c˜ (a) ∀x¬[Bx → [Lx ∧ Cx]]. (b) ∃x[Bx ∧ [¬Lx ∨ ¬Cx]]. (c) ∀x[Bx → ¬[Lx ∧ Cx]]. (d) ∃x[¬Bx ∧ [¬Lx ∨ ¬Cx]]. (e) ∃x[¬Bx ∨ [Lx ∧ Cx]].
  • 15. Quantas cadeias de 7 bits contˆm pelo menos 3 zeros consecutivos? e (a) 81 (b) 80 (c) 48 (d) 47 (e) 1616. Sejam a, b e n inteiros, com n > 0. Considere a equa¸ao c˜ ax ≡ b (mod n). (a) A equa¸ao acima n˜o tem solu¸ao. c˜ a c˜ (b) A equa¸ao acima sempre tem solu¸ao. c˜ c˜ (c) A equa¸ao acima tem solu¸ao se mdc(a, n) = 1. c˜ c˜ (d) A equa¸ao acima tem solu¸ao se mdc(a, b) = 1. c˜ c˜ (e) A equa¸ao acima tem solu¸ao se mdc(b, n) = 1. c˜ c˜17. O n´ mero m´ximo de n´s no n´ i de uma arvore bin´ria ´: u a o ıvel ´ a e (Considere o n´ da raiz igual a 1.) ıvel (a) 2i+1 , i ≥ 0 (b) 2i−1 , i ≥ 1 (c) 2i , i ≥ 1 (d) 2i + 1, i ≥ 1 (e) 2i − 1, i ≥ 118. Dadas as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) se R ´ uma rela¸ao transitiva, a sua inversa tamb´m ´ transitiva. e c˜ e e (II) se R ´ uma rela¸ao reflexiva, anti-sim´trica e transitiva, ent˜o a sua inversa e c˜ e a tamb´m ´ uma rela¸ao reflexiva, anti-sim´trica e transitiva. e e c˜ e (III) se R ´ uma rela¸ao sim´trica e transitiva, ent˜o R ´ reflexiva. e c˜ e a e S˜o verdadeiras: a (a) Somente (I) e (II) (b) Somente (II) e (III) (c) Somente (I) e (III) (d) (I), (II) e (III) (e) Somente (I) ´ verdadeira. e
  • Media Player Buffer Marcador ´ de Agua Baixo (MAB) Marcador ´ de Agua Alto19. Considere(MAA) que todos os relˆs do circuito representado na figura abaixo funcionam inde- e M´pendentemente e que a probabilidade de fechamento de cada relˆ ´ dada por p. Qual aquina Servidora ee a probabilidade de que haja corrente entre os terminais A e B? Media Server P0 P1 A 1 2 B P2 (I) (II) 3 4 (III) (IV) (a) p2 (b) 2p2 (c) p4 (d) 2p2 − p4 (e) 4p20. Seja R o reticulado no plano formado pelos pares de n´ meros inteiros no intervalo u [−2n, 2n], n inteiro maior que 1, e S o circulo de raio n e centro (0, 0): R = (i, j) ∈ Z2 : − 2n ≤ i ≤ 2n e − 2n ≤ j ≤ 2n , S = (x, y) ∈ R2 : x2 + y 2 = n2 . Uma amostra aleat´ria ´ tomada do reticulado de modo que cada ponto tem proba- o e bilidade 0, 5 de ser escolhido, com as escolhas feitas de maneira independente. Qual o n´ mero de pontos esperados no interior do c´ u ırculo S? (a) 0, 5 · (4n + 1)2 (b) 0, 5 · 4 · |{(i, j) ∈ Z2 : i2 + j 2 < n2 e i > 0, j > 0}|. (c) 0, 5 · πn2 πn2 (d) 0, 5 · (4n+1)2 (e) 0, 5 · |{(i, j) ∈ Z2 : i2 + j 2 < n2 }|.
  • ˜ ¸˜ QUESTOES DE FUNDAMENTOS DA COMPUTAC AO21. Considere uma cpu usando uma estrutura pipeline com 5 est´gios (IF, ID, EX, MEM, a WB) e com mem´rias de dados e de instru¸oes separadas, sem mecanismo de data o c˜ forwarding, escrita no banco de registradores na borda de subida do clock e leitura na borda de descida do clock e o conjunto de instru¸oes a seguir: c˜ I1: lw $2, 100($5) I2: add $1, $2, $3 I3: sub $3, $2, $1 I4: sw $2, 50($1) I5: add $2, $3, $3 I6: sub $2, $2, $4 Quantos ciclos de clock s˜o gastos para a execu¸ao deste c´digo? a c˜ o (a) 30 (b) 17 (c) 16 (d) 11 (e) 1022. Para a representa¸ao de n´ mero ponto flutuante no padr˜o IEEE, quais das afirma¸oes c˜ u a c˜ a seguir s˜o verdadeiras? a (I) Quando a fra¸ao e o expoente s˜o zero, o n´ mero representado ´ zero. c˜ a u e (II) Quando o expoente ´ zero, o n´ mero representado ´ desnormalizado. e u e (III) Quando todos os bits do expoente s˜o iguais a um e a fra¸ao ´ zero, o n´ mero ´ a c˜ e u e +∞ ou −∞. (IV) Quando todos os bits do expoente s˜o iguais a um e a fra¸ao ´ diferente de zero, a c˜ e a representa¸ao n˜o ´ n´ mero. c˜ a e u (a) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (IV). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (IV). c˜ (e) Todas as afirma¸oes. c˜
  • 23. Das afirma¸oes a seguir, sobre mem´ria cache, quais s˜o verdadeiras? c˜ o a (I) Numa estrutura totalmente associativa, um bloco de mem´ria pode ser mapeado o em qualquer slot do cache. (II) O campo tag do endere¸o ´ usado para identificar um bloco v´lido no cache, junto c e a com o campo de ´ındice. (III) Um cache de n´ 2 serve para reduzir a penalidade no caso de falta no n´ 1. ıvel ıvel (IV) O esquema de substitui¸ao LRU ´ o mais usado para a estrutura de mapeamento c˜ e direto. (a) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (IV). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I) e (II). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜ (e) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜24. Considere as seguintes express˜es booleanas: o (A) (a · b) + (c · d · e) (B) (a · b) · (c · d · e) (C) (a + b) · (c + d + e) (D) (a + b) + (c + d + e) Considere ainda as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) A ´ equivalente a B. e (II) C ´ equivalente a D. e (III) A ´ equivalente a D. e (IV) B ´ equivalente a C. e Quais das alternativas acima s˜o verdadeiras? a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) s˜o verdadeiras. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (I) e (III) s˜o verdadeiras. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (II) e (IV) s˜o verdadeiras. c˜ a (d) Todas as afirma¸oes s˜o verdadeiras. c˜ a (e) Todas as afirma¸oes s˜o falsas. c˜ a
  • 25. Uma lista ligada possui a seguinte defini¸ao de n´: c˜ o type ap = ↑no; no = record info : integer; link : ap end; Como o procedimento a seguir deve ser completado para inverter uma lista ligada? procedure inverte(var h: ↑no); var p,q : ↑no; begin if h <> NIL then begin p := h↑. link; h↑. link := NIL; while p <> NIL do begin ; ; ; ; end end end; (a) p↑. link:=h; q:=p↑. link; h:=p; p:=q; (b) q:=p↑. link; h:=p; p:=q; p↑. link:=h; (c) p↑. link:=h; h:=p; p:=q; q:=p↑. link; (d) q:=p↑. link; p↑. link:=h; h:=p; p:=q; (e) p↑. link:=h; h:=p; q:=p↑. link; p:=q;
  • 26. Considere um heap H com 24 elementos tendo seu maior elemento na raiz. Em quantos n´s de H pode estar o seu segundo menor elemento? o (a) 18 (b) 15 (c) 14 (d) 13 (e) 1227. Dadas as seguintes caracter´ ´ ısticas para uma Arvore B de ordem n: (I) Toda p´gina cont´m no m´ximo 2n itens (chaves). a e a (II) Toda p´gina, exceto a p´gina raiz, cont´m no m´ a a e ınimo n itens. (III) Toda p´gina ou ´ uma p´gina folha, ou tem m + 1 descendentes, onde m ´ o a e a e n´ mero de chaves. u (IV) Todas as p´ginas folhas aparecem no mesmo n´ a ıvel. Qual das seguintes op¸oes ´ verdadeira: c˜ e (a) As caracter´ ısticas (I), (II), (III) e (IV) s˜o falsas. a (b) As caracter´ ısticas (I) e (IV) s˜o verdadeiras. a (c) As caracter´ ısticas (II), (III) e (IV) s˜o verdadeiras. a (d) As caracter´ ısticas (I), (II), (III) e (IV) s˜o verdadeiras. a (e) As caracter´ ısticas (II), (III) e (IV) s˜o falsas a28. Qual das seguintes afirma¸oes ´ falsa? c˜ e (a) Dada uma m´quina de Turing M com alfabeto de entrada Σ e uma string w ∈ Σ, a n˜o se sabe se a computa¸ao de M com entrada w vai ou n˜o parar. a c˜ a (b) O problema da parada ´ indecid´ e ıvel. (c) N˜o existe algoritmo que determina quando uma gram´tica livre de contexto a a arbitr´ria ´ amb´ a e ıgua. (d) N˜o existe autˆmato finito determin´ a o ıstico que reconhe¸a alguma linguagem livre c de contexto. (e) Um autˆmato com duas pilhas pode ser simulado por uma m´quina de Turing. o a
  • 29. Considere as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) O paradigma da programa¸ao funcional ´ baseado em fun¸oes matem´ticas e com- c˜ e c˜ a posi¸ao de fun¸oes. c˜ c˜ (II) prolog ´ uma linguagem de programa¸ao cuja sintaxe ´ uma vers˜o simplifi- e c˜ e a cada do c´lculo de predicados e seu m´todo de inferˆncia ´ uma forma restrita de a e e e Resolu¸ao. c˜ (III) O conceito de “Classe” foi primeiramente introduzido por Simula67. (IV) O paradigma orientado a objeto surgiu em paralelo ao desenvolvimento de Smalltalk. (V) No paradigma declarativo, programas s˜o expressos na forma de l´gica simb´lica a o o e usam um processo de inferˆncia l´gica para produzir resultados. e o Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente (I) e (V). (b) Somente (II) e (V). (c) Somente (I), (II) e (V). (d) Somente (I) e (II). (e) Todas as afirma¸oes s˜o verdadeiras. c˜ a30. Dadas duas fun¸oes f, g : N → R, dizemos que f = o(g) se lim n→∞ f (n)/g(n) = 0. c˜ Suponha que o tempo de execu¸ao de um certo algoritmo em fun¸ao do tamanho n de c˜ c˜ sua entrada ´ descrito por T (n) = log2 n + o(1). A alternativa que melhor expressa e esta afirma¸ao ´ c˜ e (a) para todo > 0, existe n0 > 0 tal que |T (n) − log2 n| < para todo n > n0 . (b) para todo c > 0, existe n0 > 0 tal que T (n) ≤ log2 n + c para todo n > n0 . (c) existem constantes c > 0 e n0 > 0 tais que T (n) ≤ c log2 n para todo n > n0 . (d) existem constantes c1 > 0, c2 > 0 e n0 > 0 tais que c1 log2 n ≤ T (n) ≤ c2 log2 n para todo n > n0 . (e) existem constantes c > 0 e n0 > 0 tais que T (n) ≥ c log2 n para todo n > n0 .
  • 31. Considere o programa : program P (input, output); var m,n : integer; function FUN ( n : integer): integer; var x : integer; begin if n < 1 then FUN := 1 else begin x := n * FUN (n-1); m := m-1; FUN := m+x; end; end; begin readln (m,n); writeln (m, n, FUN ( n ) ); end. Este programa, para os valores m = 5 e n = 4, tem como resultado: (a) 5, 4, 5 (b) 5, 4, 120 (c) 1, 4, 14400 (d) 5, 4, 165 (e) 1, 4, 120
  • 32. Considere o algoritmo m´ximo(v, i, f ) que devolve o ´ a ındice de um elemento m´ximo de a {v[i], . . . , v[f ]}: m´ximo(v, i, f ) a se i = f , devolva i p ← m´ximo(v, i, (i + f )/2 ) a q ← m´ximo(v, (i + f )/2 + 1, f ) a se v[p] ≥ v[q], devolva p devolva q Considerando n = f − i + 1, o n´ mero de compara¸oes entre elementos de v numa u c˜ execu¸ao de m´ximo(v, i, f ) ´ c˜ a e (a) n log2 n (b) n/2 (c) n − 1 (d) log2 n (e) 2n33. Um algoritmo de ordena¸ao ´ est´vel se a ordem relativa dos itens com chaves iguais c˜ e a mant´m-se inalterada ap´s a ordena¸ao. Quais dos seguintes algoritmos de ordena¸ao e o c˜ c˜ s˜o est´veis? a a (I) BubbleSort (ordena¸ao por bolha); c˜ (II) InsertionSort (ordena¸ao por inser¸ao); c˜ c˜ (III) HeapSort; (IV) QuickSort; (a) Somente (II). (b) Somente (I) e (II). (c) Somente (I), (II) e (III). (d) Somente (II), (III) e (IV). (e) Somente (I), (III) e (IV).
  • 34. Seja A = a1 , . . . , an uma seq¨ˆncia de n n´ meros, todos distintos entre si. Dados ue u 1 ≤ i < j ≤ n, dizemos que o par (i, j) ´ uma invers˜o em A se aj < ai . Qual o e a n´ mero m´ximo de invers˜es poss´ numa seq¨ˆncia de n elementos? u a o ıvel ue (a) n n (b) 2 (c) n − 1 (d) n! (e) n235. Em uma estrutura de arvore bin´ria de busca, foram inseridos os elementos “h”,“a”,“b”, ´ a “c”,“i”,“j”, nesta seq¨ˆncia. O tamanho do caminho entre um n´ qualquer da arvore ue o ´ e a raiz ´ dado pelo n´ mero de arestas neste caminho. Qual o tamanho do maior e u caminho na arvore, ap´s a inser¸ao dos dados acima? ´ o c˜ (a) 2 (b) 6 (c) 4 (d) 5 (e) 336. Quatro tarefas, A, B, C e D, est˜o prontas para serem executadas num unico proces- a ´ sador. Seus tempos de execu¸ao esperados s˜o 9, 6, 3 e 5 segundos respectivamente. c˜ a Em qual ordem eles devem ser executados para diminuir o tempo m´dio de resposta? e (a) C, D, B, A (b) A, B, D, C (c) C, B, D, A (d) A, C, D, B (e) O tempo m´dio de resposta independe da ordem. e
  • 37. Qual das alternativas a seguir melhor define uma Regi˜o Cr´ a ıtica em Sistemas Opera- cionais? (a) Um trecho de programa que deve ser executado em paralelo com a Regi˜o Cr´ a ıtica de outro programa. (b) Um trecho de programa cujas instru¸oes podem ser executadas em paralelo e em c˜ qualquer ordem. (c) Um trecho de programa onde existe o compartilhamento de algum recurso que n˜o permite o acesso concomitante por mais de um programa. a (d) Um replacements PSfrag trecho de programa onde existe algum recurso cujo acesso ´ dado por uma e prioridade. M´quina Cliente a (e) Um trecho de programa onde existe algum recurso a que somente o sistema ope- Media racional pode ter acesso. Player Buffer ´38. Arvores bin´rias podem ser usadas para guardar e recuperar informa¸oes com n´ mero a c˜ u Marcador de opera¸dees proporcional a altura da arvore. Quais das seguintes figuras representam co Agua Baixo ˜ ´ ` ´ arvores bin´rias(MAB) ´ a de altura balanceada ou do tipo AVL (Adelson-Velski e Landis): Marcador ´ de Agua Alto (MAA) M´quina Servidora a (I) Media Server (II) P0 P1 P2 (III) (IV) (a) Somente (I) e (IV) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a (b) Somente (I) ´ arvore bin´ria AVL. e´ a (c) Somente (I), (II) e (III) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a (d) Somente (II) e (III) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a (e) Todas (I), (II), (III) e (IV) s˜o arvores bin´rias AVL. a ´ a
  • (MAB) Marcador ´ de Agua Alto (MAA) M´quina Servidora a Media39. Os grafos G = (VG , EG ) e H = (VH , EH ) s˜o isomorfos. Assinale a alternativa que Server a P0 c˜ justifica esta afirma¸ao. P1 P2 (I) (II) (III) (IV) G H (a) As seq¨ˆncias dos graus dos v´rtices de G e H s˜o iguais. ue e a (b) Os grafos tˆm o mesmo n´ mero de v´rtices e o mesmo n´ mero de arestas. e u e u (c) Existe uma bije¸ao de VG em VH que preserva adjacˆncias. c˜ e (d) Cada v´rtice de G e de H pertence a exatamente quatro triˆngulos distintos. e a (e) Ambos os grafos admitem um circuito que passa por cada aresta exatamente uma vez.40. Dadas as seguintes afirma¸oes c˜ (I) Qualquer grafo conexo com n v´rtices deve ter pelo menos n − 1 arestas. e (II) O grafo bipartido completo Km,n ´ Euleriano desde que m e n sejam ´ e ımpares. (III) Em um grafo o n´ mero de v´rtices de grau ´ u e ımpar ´ sempre par. e S˜o verdadeiras: a (a) Somente a afirma¸ao (I). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (I) e (III). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (I) e (II). c˜ (e) Todas as afirma¸oes. c˜
  • ˜ ¸˜ QUESTOES DE TECNOLOGIA DA COMPUTAC AO41. Qual das seguintes afirma¸oes ´ verdadeira? c˜ e (a) Nem toda rela¸ao que est´ na FNBC (Forma Normal de “Boyce-Codd”) est´ c˜ a a tamb´m na 3FN (Terceira Forma Normal). e (b) Se a rela¸ao R possui somente uma chave candidata, ela sempre est´ na FNBC. c˜ a (c) Se a rela¸ao R est´ na 3FN e toda chave candidata ´ simples, ent˜o n˜o podemos c˜ a e a a afirmar que R est´ na FNBC. a (d) Uma dependˆncia funcional multivalorada na rela¸ao R, na forma X e c˜ Y, ´ dita e trivial somente se XY = R . (e) Uma dependˆncia funcional multivalorada na rela¸ao R, na forma X e c˜ Y, ´ dita e trivial se Y⊆X ou XY = R42. Em um banco de dados relacional, considere os esquemas de rela¸ao: c˜ • Pessoa (CPF, Profissao) • Trabalha (CPF, CGC, Periodo) • Firma (CGC, nome, endereco) e considere as opera¸oes de algebra relacional Uni˜o, Interse¸ao, Diferen¸a, Jun¸ao c˜ ´ a c˜ c c˜ Natural, Proje¸ao e Sele¸ao. c˜ c˜ A consulta “Qual a profiss˜o das pessoas que trabalham em alguma firma de a nome X” exige ao menos a seguinte opera¸ao para ser processada: c˜ (a) Interse¸ao de Pessoa, Trabalha e Firma. c˜ (b) Jun¸ao Natural de Pessoa, Trabalha e Firma. c˜ (c) Uni˜o de Pessoa, Trabalha e Firma. a (d) Sele¸ao de Pessoa, Trabalha e Firma. c˜ (e) Nada pode ser afirmado porque os dados n˜o foram fornecidos. a
  • 43. Em um banco de dados relacional, considere os esquemas de rela¸ao: c˜ • Pessoa (CPF, Profissao) • Trabalha (CPF, CGC, Periodo) • Firma (CGC, nome, endereco) e considere as opera¸oes de algebra relacional Uni˜o, Interse¸ao, Diferen¸a, Jun¸ao c˜ ´ a c˜ c c˜ Natural, Proje¸ao e Sele¸ao. c˜ c˜ Considere que cada rela¸ao tenha 1 milh˜o de tuplas e que existe um ´ c˜ a ındice no banco de dados para cada chave de rela¸ao. Considere as consultas a seguir, supondo que antes c˜ do processamento de cada uma nenhum peda¸o das rela¸oes j´ esteja na mem´ria. c c˜ a o C1 Quais as profiss˜es de todas as pessoas? o C2 Qual a profiss˜o da pessoa de CPF = ’X’, onde X ´ um CPF v´lido? a e a C3 Qual o endere¸o da firma de CGC diferente de ’Z’, onde Z ´ um CGC v´lido? c e a C4 Quais os per´ ıodos na d´cada 1990-1999 em que ningu´m trabalhou, onde o banco e e de dados cont´m informa¸oes entre 1980 e 2005? e c˜ Qual das consultas acima ´ mais r´pida em termos de opera¸oes de E/S? Assinale a e a c˜ afirma¸ao correta. c˜ (a) A consulta C1 porque s´ exige uma proje¸ao na rela¸ao Pessoa sem precisar olhar o c˜ c˜ o´ ındice. (b) A consulta C2 porque pode ser processada diretamente via ´ ındice de CPF para acessar Pessoa. (c) A consulta C3 porque pode ser processada seq¨ encialmente sobre a rela¸ao Firma u c˜ descartando-se a tupla com CGC de valor Z. (d) A consulta C4 porque requer apenas selecionar os per´ ıodos n˜o cadastrados na a rela¸ao Trabalha. c˜ (e) Nada se pode afirmar porque rapidez, neste caso, n˜o pode ser medida. a
  • 44. Sejam T1 e T2 duas transa¸oes sendo processadas por um SGBD. Os termos lockR c˜ e lockW correspondem a pedidos de tranca de leitura e grava¸ao, respectivamente, e c˜ Unlock libera¸ao de tranca. A, B e C s˜o dados do banco de dados. c˜ a O trecho a seguir ´ um peda¸o do escalonamento de T1 e T2 definido pelo escalonador e c do SGBD (o trecho n˜o est´ completo): a a start(T1); lockR(T1, A); read (T1, A); start(T2); lockR(T2, B); read (T2, B); lockW (T1, C); read(T1,C); write(T1,C); unlock(T1, C); lockW (T1, B); lockW (T2, A); lockR(T2,C); ... Considere as seguintes afirma¸oes: c˜ (I) O trecho mostra um exemplo de aplica¸ao do protocolo 2PL (two phase lock ou c˜ tranca em 2 fases). (II) O trecho viola o protocolo 2PL. (III) O trecho mostra um exemplo em que h´ deadlock (impasse) entre T1 e T2. a (IV) O trecho n˜o tem deadlock entre T1 e T2. a (V) Nada se pode afirmar. Est˜o corretas as afirma¸oes: a c˜ (a) Somente (I) e (III) (b) Somente (II) e (IV) (c) Somente (II) e (III) (d) Somente (I) e (IV) (e) Somente (V)
  • 45. No processo de gera¸ao de um c´digo execut´vel (em linguagem de m´quina) a par- c˜ o a a tir de um programa fonte, escrito em linguagem de alto n´ ıvel (por exemplo, C) o programa original passa por transforma¸oes e an´lises que s˜o realizadas em diversas c˜ a a fases. De forma simplificada, pode-se dividi-las nas oito (8) fases apresentadas, em ordem alfab´tica, a seguir: e (A) Aloca¸ao de Registradores c˜ (B) An´lise L´xica a e (C) An´lise Sint´tica a a (D) Emiss˜o de C´digo Assembly a o (E) Link Edi¸ao c˜ (F) Montagem (G) Sele¸ao de Instru¸oes c˜ c˜ (H) Verifica¸ao de Tipos e S´ c˜ ımbolos Durante o processo de gera¸ao do c´digo execut´vel a partir do c´digo fonte em qual c˜ o a o ordem essas fases s˜o poss´ a ıveis de serem executadas? (a) B C H G A D F E (b) C B H G A D F E (c) B C H G A D E F (d) B H C G A D F E (e) B C H A G D E F46. No que diz respeito a gera¸ao de imagens por RayTracing, qual das afirma¸oes a seguir ` c˜ c˜ n˜o ´ verdadeira? a e (a) O n´ mero de raios lan¸ados independe do n´ mero de objetos da cena. u c u (b) A refra¸ao e a reflex˜o da luz precisam ser tratadas neste m´todo. c˜ a e (c) O lan¸amento de raios ´ dependente da posi¸ao da cˆmera. c e c˜ a (d) Em algumas varia¸oes do m´todo, o c´lculo das sombras ´ feito a parte. c˜ e a e (e) Este m´todo pode ser facilmente paralelizado. e
  • 47. Requisitos s˜o capacidades e condi¸oes para as quais um sistema deve ter conformidade. a c˜ Analise as afirma¸oes a seguir: c˜ (I) No Processo Unificado, requisitos s˜o categorizados de acordo com o modelo a FURPS+, onde o U do acrˆnimo representa requisitos de usabilidade. o (II) Casos de uso s˜o documentos em forma de texto, n˜o diagramas, e modelagem de a a casos de uso ´ basicamente um ato de escrever est´rias de uso de um sistema. e o (III) UML (Unified Modeling Language) provˆ nota¸ao para se construir o diagrama de e c˜ casos de uso, que ilustra os nomes dos casos de uso, atores e seus relacionamentos. Considerando-se as trˆs afirma¸oes (I), (II) e (III) acima, identifique a unica alternativa e c˜ ´ v´lida: a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) est˜o corretas. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III) est˜o corretas. c˜ a (d) As afirma¸oes (I), (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (e) Somente a afirma¸ao (III) est´ correta. c˜ a48. Qual das alternativas a seguir n˜o representa um artefato da disciplina de Requisitos a do Processo Unificado: (a) Modelo de Casos de Uso. (b) Diagrama de Seq¨ˆncia de Sistema. ue (c) Modelo do Dom´ ınio. (d) Documento de Vis˜o. a (e) Gloss´rio. a
  • 49. Considere as seguintes afirma¸oes sobre o objetivo da atividade de valida¸ao de soft- c˜ c˜ ware: (I) Verificar se o produto est´ sendo corretamente constru´ a ıdo. (II) Verificar se o produto est´ sendo corretamente avaliado. a (III) Verificar se o produto correto est´ sendo constru´ a ıdo. Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente a afirma¸ao (II). c˜ (b) Somente a afirma¸ao (III). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I) e (II). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜ (e) Afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜50. Considere as seguintes afirma¸oes sobre o diagrama de classes e outros modelos UML c˜ (Unified Modeling Language): (I) O diagrama de classes pode representar as classes sob diferentes perspectivas, tais como a conceitual, a de especifica¸ao e a de implementa¸ao. c˜ c˜ (II) O diagrama de classes, diferentemente do diagrama de estados, ´ est´tico. e a (III) O diagrama de classes, diferentemente do diagrama de atividades, n˜o cont´m a e mensagens. Quais s˜o as afirma¸oes verdadeiras? a c˜ (a) Somente a afirma¸ao (I). c˜ (b) Somente a afirma¸ao (II). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (II) e (III). c˜ (e) Afirma¸oes (I), (II) e (III). c˜
  • 51. A Atividade de Teste ´ considerada uma atividade dinˆmica, pois implica na execu¸ao e a c˜ do c´digo. Ela ´ composta das etapas de planejamento, defini¸ao dos casos de teste, o e c˜ execu¸ao dos casos de teste e an´lise dos resultados. A Atividade de Teste deve iniciar- c˜ a se na fase: (a) de projeto. (b) de codifica¸ao. c˜ (c) inicial de desenvolvimento. (d) de an´lise de resultados. a (e) de valida¸ao. c˜52. Dentre as defini¸oes a seguir, conceitos de computa¸ao evolutiva da Inteligˆncia Arti- c˜ c˜ e ficial, qual delas ´ incorreta? e (a) A computa¸ao evolutiva deve ser entendida como um conjunto de t´cnicas e pro- c˜ e cedimentos gen´ricos e adapt´veis, a serem aplicados na solu¸ao de problemas e a c˜ complexos, para os quais outras t´cnicas conhecidas s˜o ineficazes ou nem sequer e a s˜o aplic´veis. a a (b) Os sistemas baseados em computa¸ao evolutiva mantˆm uma popula¸ao de solu- c˜ e c˜ coes potenciais, aplicam processos de sele¸ao baseados na adapta¸ao de um in- ¸˜ c˜ c˜ div´ ıduo e tamb´m empregam outros operadores “gen´ticos.” e e (c) A roleta ´ um m´todo de sele¸ao no qual se atribui a cada indiv´ e e c˜ ıduo de uma po- pula¸ao uma probabilidade de passar para a pr´xima gera¸ao proporcional ao seu c˜ o c˜ fitness, medido em rela¸ao a somat´ria do fitness de todos os indiv´ c˜ ` o ıduos da popu- la¸ao. Assim, algoritmos gen´ticos s˜o m´todos de busca puramente aleat´rios. c˜ e a e o (d) Os algoritmos gen´ticos empregam uma terminologia originada da teoria da evo- e lu¸ao natural e da gen´tica. Um indiv´ c˜ e ıduo da popula¸ao ´ representado por um c˜ e unico cromossomo, o qual cont´m a codifica¸ao (gen´tipo) de uma poss´ solu¸ao ´ e c˜ o ıvel c˜ do problema (fen´tipo). o (e) O processo de evolu¸ao executado por um algoritmo gen´tico corresponde a um c˜ e procedimento de busca em um espa¸o de solu¸oes potenciais para o problema. c c˜
  • 53. Considere as cl´usulas: a L(x, y, g(A, y), D) e L(y, C, g(x, u), z) onde x, y, z, u s˜o vari´veis, A, C, D s˜o constan- a a a tes, g ´ fun¸ao e L ´ predicado. e c˜ e A aplica¸ao das substitui¸oes unificadoras mais gerais para a unifica¸ao das cl´usulas c˜ c˜ c˜ a resulta em: (a) L(C, C, g(A, C), D) (b) L(x, u, g(A, u), D) (c) L(x, C, g(A, C), D) (d) L(u, C, g(A, u), D) (e) L(A, A, g(A, A), D)54. Considere h(x) como uma fun¸ao heur´ c˜ ıstica que define a distˆncia de x at´ a meta; a e considere ainda hr (x) como a distˆncia real de x at´ a meta. h(x) ´ dita admiss´ se a e e ıvel e somente se: (a) ∃n h(n) ≤ hr (n). (b) ∀n h(n) ≤ hr (n). (c) ∀n h(n) > hr (n). (d) ∃n h(n) > hr (n). (e) ∃n h(n) < hr (n).55. Inspe¸ao de Usabilidade ´ o nome gen´rico para um conjunto de m´todos baseados em c˜ e e e se ter avaliadores inspecionando ou examinando aspectos relacionados a usabilidade de ` uma interface de usu´rio. Qual das alternativas a seguir n˜o ´ um desses m´todos: a a e e (a) Avalia¸ao Heur´ c˜ ıstica. (b) Walktrough Plural´ ısticos. (c) Walktrough Cognitivo. (d) Testes de Usabilidade. (e) Revis˜es de Guidelines. o
  • 56. Modelos gr´ficos, desenvolvidos para uso humano em displays convencionais devem ser a representados em uma superf´ bi-dimensional. As principais pistas perceptuais de ıcie profundidade que podem ser usadas para representar objetos tridimensionais em uma tela bidimensional s˜o: a (I) tamanho e textura; (II) contraste, claridade e brilho; (III) interposi¸ao, sombra e paralaxe do movimento. c˜ Considerando-se as trˆs afirma¸oes (I), (II) e (III) acima, identifique a unica alternativa e c˜ ´ v´lida: a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) est˜o corretas. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III) est˜o corretas. c˜ a (d) As afirma¸oes (I), (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (e) Somente a afirma¸ao (III) est´ correta. c˜ a57. O desenvolvimento de prot´tipos de sistemas e suas interfaces de usu´rio possibilitam o a aos designers e desenvolvedores experimentarem id´ias de design e receberem feed- e back do usu´rio em diferentes etapas do design e desenvolvimento. V´rios tipos de a a prototipa¸ao s˜o utilizados: c˜ a (I) Na prototipa¸ao vertical, a interface de usu´rio ´ mostrada ao usu´rio em uma c˜ a e a s´rie de representa¸oes pict´ricas da interface chamadas storyboards; e c˜ o (II) Na prototipa¸ao dirigida (Chauffeured Prototyping), o usu´rio observa enquanto c˜ a uma outra pessoa, usualmente um membro da equipe de desenvolvimento, interage com o sistema; (III) Na prototipa¸ao M´gico de Oz, o usu´rio interage com a interface do sistema, c˜ a a mas em lugar de respostas do sistema, estas s˜o enviadas por um desenvolvedor a sentado em outra m´quina. a Considerando-se as trˆs afirma¸oes acima, identifique a unica alternativa v´lida: e c˜ ´ a (a) Somente as afirma¸oes (I) e (II) est˜o corretas. c˜ a (b) Somente as afirma¸oes (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (c) Somente as afirma¸oes (I) e (III) est˜o corretas. c˜ a (d) As afirma¸oes (I), (II) e (III) est˜o corretas. c˜ a (e) Somente a afirma¸ao (III) est´ correta. c˜ a
  • 58. Considere o esquema abaixo para download de um fluxo de audio na Internet. Considere ´ tamb´m que o Media Server envia o fluxo de audio a uma taxa maior do que a taxa e ´ do Media Player. P0 M´quina Cliente a M´quina Servidora a P1 Buffer P2 Media Media Player Server (I) (II)(III) Marcador Marcador ´ de Agua Baixo ´ de Agua Alto(IV) (MAB) (MAA) Na abordagem de servidor push, o Media Player envia uma mensagem para o Media Server quando o buffer atinge o MAA para o Media Server parar temporariamente de transmitir o fluxo, e outra mensagem quando o buffer esvazia at´ o MAB para o Media e Server come¸ar a enviar o fluxo novamente. c Supondo que o Media Server est´ a uma distˆncia de 100 ms do Media Player, que o a a Media Server transmite a 1,6 Mbps e que o Media Player tem um buffer de 1 MB, que condi¸oes as posi¸oes de MAA e MAB devem satisfazer? c˜ c˜ (a) MAA ≥ 40 KB e MAB ≤ 980 KB. (b) MAA ≥ 20 KB e MAB ≤ 960 KB. (c) MAA ≥ 40 KB e MAB ≤ 960 KB. (d) MAA ≥ 20 KB e MAB ≤ 980 KB. (e) MAA ≥ 20 KB e MAB ≤ 1 MB.
  • 59. O processo de an´lise de imagens ´ uma seq¨ˆncia de etapas que s˜o iniciadas a partir a e ue a da defini¸ao do problema. A seq¨ˆncia correta destas etapas ´: c˜ ue e (a) pr´-processamento, aquisi¸ao, segmenta¸ao, representa¸ao, reconhecimento. e c˜ c˜ c˜ (b) aquisi¸ao, pr´-processamento, segmenta¸ao, representa¸ao, reconhecimento. c˜ e c˜ c˜ (c) aquisi¸ao, pr´-processamento, representa¸ao, segmenta¸ao, reconhecimento. c˜ e c˜ c˜ (d) aquisi¸ao, representa¸ao, pr´-processamento, segmenta¸ao, reconhecimento. c˜ c˜ e c˜ (e) pr´-processamento, aquisi¸ao, representa¸ao, segmenta¸ao, reconhecimento. e c˜ c˜ c˜60. O termo imagem se refere a uma fun¸ao bidimensional de intensidade de luz, denotada c˜ por f (x, y), onde o valor ou amplitude de f nas coordenadas espaciais (x, y) repre- senta a intensidade (brilho) da imagem neste ponto. Para que uma imagem possa ser processada num computador, a fun¸ao f (x, y) deve ser discretizada tanto espacial- c˜ mente quanto em amplitude. Estes dois processos recebem as seguintes denomina¸oes, c˜ respectivamente: (a) transla¸ao e escala. c˜ (b) resolu¸ao e escala. c˜ (c) resolu¸ao e amplia¸ao. c˜ c˜ (d) amostragem e quantiza¸ao. c˜ (e) resolu¸ao e quantiza¸ao. c˜ c˜61. Qual a capacidade m´xima segundo o Teorema de Nyquist de um canal de 2 MHz sem a ru´ ıdo, se sinais de 8 (oito) n´ ıveis s˜o transmitidos? a (a) 4 Mbps (b) 6 Mbps (c) 8 Mbps (d) 12 Mbps (e) 16 Mbps
  • 62. A aplica¸ao A deseja enviar a mensagem m para a aplica¸ao B com as propriedades c˜ c˜ de confidencialidade e autentica¸ao de seu conte´ do, usando chaves assim´tricas. A c˜ u e possui a chave p´ blica PUBA e a chave privada PRIA , e B possui a chave p´ blica u u PUBB e a chave privada PRIB . Para isso: (I) A criptografa m usando PUBB e depois PRIA . (II) A criptografa m usando PUBB e depois PUBA . (III) A criptografa m usando PRIA e depois PUBB . (IV) A criptografa m usando PUBA e depois PUBB . Est˜o corretas: a (a) Somente (I) e (II). (b) Somente (II) e (IV). (c) Somente (I) e (III). (d) Somente (III) e (IV). (e) Todas as alternativas.63. Os protocolos de transporte atribuem a cada servi¸o um identificador unico, o qual c ´ ´ empregado para encaminhar uma requisi¸ao de um aplicativo cliente ao processo e c˜ servidor correto. Nos protocolos de transporte TCP e UDP, como esse identificador se denomina? (a) Endere¸o IP. c (b) Porta. (c) Conex˜o. a (d) Identificador do processo (PID). (e) Protocolo de aplica¸ao. c˜64. O DNS (Domain Name System) ´ um servi¸o de diret´rios na Internet que: e c o (a) Traduz o nome de um hospedeiro (host) para seu endere¸o IP. c (b) Localiza a institui¸ao a qual um dado host pertence. c˜ ` (c) Retorna a porta da conex˜o TCP do host. a (d) Retorna a porta da conex˜o UDP do host. a (e) Traduz o endere¸o IP de um hospedeiro para um nome de dom´ c ınio na Internet.
  • 65. Um dos mecanismos de congestionamento na rede ´ o que utiliza temporizadores de e transmiss˜o e duas vari´veis chamadas de: Janela de Congestionamento e Patamar. A a a Janela de Congestionamento imp˜e um limite a quantidade de tr´fego que um host pode o ` a enviar dentro de uma conex˜o. O Patamar ´ uma vari´vel que regula o crescimento da a e a Janela de Congestionamento durante as transmiss˜es daquela conex˜o. o a Assinale a alternativa correta: (a) A quantidade de mensagens n˜o confirmadas na transmiss˜o, num dado instante, a a deve ser superior ao m´ınimo entre a Janela de Congestionamento e a Janela de Recep¸ao desta conex˜o. c˜ a (b) A Janela de Congestionamento dobra de tamanho (cresce exponencialmente) quando a confirma¸ao das mensagens enviadas ocorre antes dos temporizadores c˜ de retransmiss˜o se esgotarem (time-out), at´ o limite do Patamar. a e (c) Ap´s exceder o valor de Patamar ainda sem esgotar os temporizadores, a janela o decresce linearmente. (d) Quando excede o valor de Patamar e esgotam os temporizadores, a janela decresce exponencialmente. (e) Todas as alternativas est˜o corretas. a66. Algoritmos de roteamento s˜o o meio que um roteador utiliza para encaminhar men- a sagens na camada de rede. Assinale a alternativa incorreta. (a) Nos algoritmos de roteamento est´ticos as rotas s˜o determinadas via tabelas a a definidas a priori e fixadas para o roteador, em geral manualmente. (b) No roteamento de Estado de Enlace (Link State), os valores dos enlaces s˜o cal- a culados pelo projetista da rede e os roteadores atualizam suas tabelas por estes valores. (c) No roteamento por Vetor de Distˆncia (Distance Vector), as tabelas de roteamento a definidas pelos roteadores vizinhos s˜o repassadas periodicamente a cada roteador a para obten¸ao de sua pr´pria tabela. c˜ o (d) Algoritmos de roteamento buscam estabelecer o caminho de menor custo entre dois hosts atrav´s do c´lculo dos custos acumulados m´ e a ınimos entre os enlaces dispon´ ıveis, dada a topologia da rede. (e) O OSPF ´ um exemplo de protocolo de roteamento baseado em Estado de Enlace e e o BGP ´ um exemplo de protocolo de roteamento baseado em Vetor de Distˆncias. e a
  • 67. Sejam as afirma¸oes: c˜ (I) O HTTP e o FTP s˜o protocolos da camada de aplica¸ao e utilizam o protocolo a c˜ de transporte TCP. (II) Ambos (HTTP e FTP) utilizam duas conex˜es TCP, uma para controle da trans- o ferˆncia e outra para envio dos dados transferidos (controle fora da banda). e (III) O HTTP pode usar conex˜es n˜o persistentes e persistentes. O HTTP/1.0 usa o a conex˜es n˜o persistentes. O modo default do HTTP/1.1 usa conex˜es persistentes. o a o Dadas estas trˆs afirma¸oes, indique qual a alternativa correta: e c˜ (a) (I), (II) e (III) s˜o verdadeiras. a (b) Somente (I) e (II) s˜o verdadeiras. a (c) Somente (I) ´ verdadeira. e (d) Somente (I) e (III) s˜o verdadeiras. a (e) (I), (II) e (III) s˜o falsas. a68. Segundo o W3C (World Wide Web Consortium), um Servi¸o Web ´ um sistema de c e software projetado para permitir a intera¸ao entre m´quinas numa rede. Selecione a c˜ a afirma¸ao incorreta sobre Servi¸os Web: c˜ c (a) A interface do Servi¸o Web ´ descrita em WSDL. c e (b) A representa¸ao dos dados ´ feita em XML. c˜ e (c) O transporte das mensagens ´ feito tipicamente pelo HTTP. e (d) Pode-se compor Servi¸os Web atrav´s de orquestra¸ao de servi¸os. c e c˜ c (e) Cliente e Servidor devem ser escritos na mesma linguagem de programa¸ao. c˜
  • frag replacements M´quina Cliente a Media Player Buffer 69. Considere o diagrama espa¸o-tempo da Figura 2; ele representa uma computa¸ao dis- c c˜ Marcador ´ tribu´ de Agua Baixo ıda onde os eventos de cada processo s˜o rotulados por rel´gios l´gicos que aten- a o o dem (MAB) a defini¸ao de rel´gio l´gico realizada por Leslie Lamport. Cada processo imple- ` c˜ o o menta o seu rel´gio l´gico e usa um incremento diferente do usado pelos demais; os o o Marcador ´ incrementos de Agua Alto utilizados por P0 , P1 e P2 podem ser determinados a partir dos r´tulos o dos (MAA) eventos rotulados que aparecem na Figura 2. Qual das alternativas apresenta os tempos l´gicos para os eventos n˜o rotulados de cada processo?M´quina Servidora a o a 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 MediaP0 Server 0 7 P1 (I) (II) (III) P2 (IV) 0 5 10 15 20 25 30 35 Figura 2: Diagrama espa¸o-tempo. c (a) P1 (14, 21, 28, 35, 42, 49, 56, 63, 70) P2 (40, 45, 50) (b) P1 (14, 21, 28, 35, 42, 67, 74, 81, 88) P2 (40, 79, 84) (c) P1 (8, 15, 22, 29, 36, 61, 68, 75, 88) P2 (40, 69, 74) (d) P1 (8, 15, 22, 29, 36, 43, 50, 57, 64) P2 (40, 45, 50) (e) P1 (8, 15, 22, 29, 36, 49, 56, 63, 70) P2 (40, 45, 50)
  • 70. A abordagem geral para tolerˆncia a falhas ´ o uso de redundˆncia. Considere as a e a afirma¸oes a seguir: c˜ (I) Um exemplo de redundˆncia de informa¸ao ´ o uso de bits extras para permitir a c˜ e a recupera¸ao de bits corrompidos. c˜ (II) Redundˆncia de tempo ´ util principalmente quando as falhas s˜o transientes ou a e´ a intermitentes. (III) Um exemplo de redundˆncia f´ a ısica ´ o uso de processadores extras. e (IV) O uso de processadores extras pode ser organizado com replica¸ao ativa ou backup c˜ prim´rio. a Est˜o corretas: a (a) Somente as afirma¸oes (I),(II) e (III). c˜ (b) Somente as afirma¸oes (I), (II) e (IV). c˜ (c) Somente as afirma¸oes (I), (III) e (IV). c˜ (d) Somente as afirma¸oes (II), (III) e (IV). c˜ (e) Todas as afirma¸oes. c˜