• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Texto exposicao
 

Texto exposicao

on

  • 1,727 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,727
Views on SlideShare
1,727
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Texto exposicao Texto exposicao Document Transcript

    • Esta exposição, organizada pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) do Laboratório de Antropologia Social (LAS) da UFSC, faz parte das atividades nacionais e internacionais de combate à homofobia (http://idahomophobia.org/wp/ - IDAHO – International Day Against Homophobia and Transphobia) e se insere no quadro de atividades realizadas no Estado de Santa Catarina. Temos o apoio da Pró-reitoria de Pós-Graduação e de Pesquisa e Extensão da UFSC, a partir dos projetos Papo Sério e PROEXT. Ambos os projetos realizam oficinas sobre gênero e sexualidade com comunidades do entorno da UFSC.
    • O Dia 17 de Maio foi pensado por setores do movimento LGBTTT francês como forma de colocar em foco as violências e discriminações perpetradas contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. Entretanto, a homofobia atinge a toda a sociedade, uma vez que as regras que organizam a homofobia produzem a inteligibilidade necessária na constituição de masculinidades e feminilidades. Por isso, acreditamos que a homofobia, a lesbofobia e a transfobia afetam a todas e todos, especialmente crianças e jovens, que são submetidas/os cotidianamente aos ditames da normatização do gênero e da sexualidade. Nesse sentido, o Dia 17 de Maio funda uma outra visão sobre as homossexualidades, posicionando a homofobia, a lesbofobia e a transfobia como objeto de análise e reflexão, ou seja, nosso problema deixa de ser a presença do indivíduo homossexual na escola para se tornar a violência a que elas/es estão submetidas/os regularmente.
    • Em 2007 foi sancionada em Florianópolis a Lei n° 7476/07, que institui o “Dia Municipal de Combate à Homofobia, Lesbofobia e Transfobia”, de autoria da então vereadora Ângela Albino. A partir de então, este dia entrou no calendário oficial da cidade. LEI Nº 7476/2007, de 19 de dezembro de 2007. Procedência: Vereadora Angela Albino Natureza: Projeto de Lei nº 12305/2007 DOE nº 18271 de 19.12.2007 Fonte: CMF/Gerência de Documentação e Reprografia DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO DIA MUNICIPAL DE COMBATE A HOMOFOBIA, LESBOFOBIA E TRANSFOBIA. Faço saber a todos os habitantes do Município de Florianópolis que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Fica instituído, no âmbito do município de Florianópolis, o dia 17 de maio como o Dia Municipal de Combate a Homofobia, Lesbofobia e Transfobia. Parágrafo único. Esta data passará a constar do Calendário Oficial de Eventos Anuais do Município. Art. 2º O Poder Executivo regulamentará a presente Lei no prazo máximo de sessenta dias, a partir da data da sua publicação. Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Florianópolis, aos 23 de novembro de 2007.
    • Os concursos e prêmios têm sido uma importante forma de colocar em foco temas pouco discutidos na escola e nas universidades. A escola têm se mostrado um lugar de reflexão sobre as homossexualidades, posicionando-as sempre no lugar do desviante e anormal. Esta exposição busca dar visibilidade à ação de professoras/es e a iniciativas de estudantes que, na Grande Florianópolis, têm levado à sala de aula a reflexão sobre sexualidade e respeito à diversidade sexual. O edital deste concurso se encontra na página www.nigs.ufsc.br.
    • Agradecemos, pela colaboração neste projeto, ao Comitê Gestor do projeto Escola Sem Homofobia, ao Núcleo de Educação e Prevenção (NEPRE) da regional Grande Florianópolis da Secretaria Estadual de Educação, ao Instituto de Estudos de Gênero (IEG) da UFSC e a todas/os que, de alguma forma, contribuíram para o sucesso desta exposição.
    • Felipe Fernandes – Coordenador Executivo do Projeto Papo Sério – Doutorando DICH Jaqueline Oliveira – Bolsista de extensão Projeto Papo Sério – Graduanda CSO Raruilquer Oliveira – Bolsista permanência – Graduando CSO Vinicius Kauê Ferreira – Bolsista PIBIC – Graduando CSO Rosa Blanca Cedillo – Montagem da exposição – Doutoranda DICH Anelise Fróes da Silva – Coordenadora NIGS projeto PROEXT - Mestranda PPGAS Fatima Weiss de Jesus - Coordenadora NIGS projeto PROEXT - Doutoranda PPGAS