Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
1,449
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Esta exposição, organizada pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) do Laboratório de Antropologia Social (LAS) da UFSC, faz parte das atividades nacionais e internacionais de combate à homofobia (http://idahomophobia.org/wp/ - IDAHO – International Day Against Homophobia and Transphobia) e se insere no quadro de atividades realizadas no Estado de Santa Catarina. Temos o apoio da Pró-reitoria de Pós-Graduação e de Pesquisa e Extensão da UFSC, a partir dos projetos Papo Sério e PROEXT. Ambos os projetos realizam oficinas sobre gênero e sexualidade com comunidades do entorno da UFSC.
  • 2. O Dia 17 de Maio foi pensado por setores do movimento LGBTTT francês como forma de colocar em foco as violências e discriminações perpetradas contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. Entretanto, a homofobia atinge a toda a sociedade, uma vez que as regras que organizam a homofobia produzem a inteligibilidade necessária na constituição de masculinidades e feminilidades. Por isso, acreditamos que a homofobia, a lesbofobia e a transfobia afetam a todas e todos, especialmente crianças e jovens, que são submetidas/os cotidianamente aos ditames da normatização do gênero e da sexualidade. Nesse sentido, o Dia 17 de Maio funda uma outra visão sobre as homossexualidades, posicionando a homofobia, a lesbofobia e a transfobia como objeto de análise e reflexão, ou seja, nosso problema deixa de ser a presença do indivíduo homossexual na escola para se tornar a violência a que elas/es estão submetidas/os regularmente.
  • 3. Em 2007 foi sancionada em Florianópolis a Lei n° 7476/07, que institui o “Dia Municipal de Combate à Homofobia, Lesbofobia e Transfobia”, de autoria da então vereadora Ângela Albino. A partir de então, este dia entrou no calendário oficial da cidade. LEI Nº 7476/2007, de 19 de dezembro de 2007. Procedência: Vereadora Angela Albino Natureza: Projeto de Lei nº 12305/2007 DOE nº 18271 de 19.12.2007 Fonte: CMF/Gerência de Documentação e Reprografia DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO DIA MUNICIPAL DE COMBATE A HOMOFOBIA, LESBOFOBIA E TRANSFOBIA. Faço saber a todos os habitantes do Município de Florianópolis que a Câmara de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Fica instituído, no âmbito do município de Florianópolis, o dia 17 de maio como o Dia Municipal de Combate a Homofobia, Lesbofobia e Transfobia. Parágrafo único. Esta data passará a constar do Calendário Oficial de Eventos Anuais do Município. Art. 2º O Poder Executivo regulamentará a presente Lei no prazo máximo de sessenta dias, a partir da data da sua publicação. Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Florianópolis, aos 23 de novembro de 2007.
  • 4. Os concursos e prêmios têm sido uma importante forma de colocar em foco temas pouco discutidos na escola e nas universidades. A escola têm se mostrado um lugar de reflexão sobre as homossexualidades, posicionando-as sempre no lugar do desviante e anormal. Esta exposição busca dar visibilidade à ação de professoras/es e a iniciativas de estudantes que, na Grande Florianópolis, têm levado à sala de aula a reflexão sobre sexualidade e respeito à diversidade sexual. O edital deste concurso se encontra na página www.nigs.ufsc.br.
  • 5. Agradecemos, pela colaboração neste projeto, ao Comitê Gestor do projeto Escola Sem Homofobia, ao Núcleo de Educação e Prevenção (NEPRE) da regional Grande Florianópolis da Secretaria Estadual de Educação, ao Instituto de Estudos de Gênero (IEG) da UFSC e a todas/os que, de alguma forma, contribuíram para o sucesso desta exposição.
  • 6. Felipe Fernandes – Coordenador Executivo do Projeto Papo Sério – Doutorando DICH Jaqueline Oliveira – Bolsista de extensão Projeto Papo Sério – Graduanda CSO Raruilquer Oliveira – Bolsista permanência – Graduando CSO Vinicius Kauê Ferreira – Bolsista PIBIC – Graduando CSO Rosa Blanca Cedillo – Montagem da exposição – Doutoranda DICH Anelise Fróes da Silva – Coordenadora NIGS projeto PROEXT - Mestranda PPGAS Fatima Weiss de Jesus - Coordenadora NIGS projeto PROEXT - Doutoranda PPGAS