• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Sebrae Pe Geor T2 2007 Leite
 

Sebrae Pe Geor T2 2007 Leite

on

  • 619 views

 

Statistics

Views

Total Views
619
Views on SlideShare
619
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Sebrae Pe Geor T2 2007 Leite Sebrae Pe Geor T2 2007 Leite Document Transcript

    • PROJETO SEBRAE Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano (GEOR) Março de 2008
    • Sumário 1. Apresentação .................................................................................................................... 03 2. Metodologia .................................................................................................................... 04 2.1. Plano amostral .................................................................................................................... 04 2.2. Hipóteses ............................................................................................................. 05 Levantadas 2.3. Etapas da Pesquisa .............................................................................................................. 05 3. Análise dos Dados .............................................................................................................. 06 3.1 Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo .................. 06 SEBRAE 3.1.1. Resultado 01 (Finalístico) ....................................................................................... 06 3.1.2. Resultado 02 (Finalístico) ....................................................................................... 07 3.1.3. Resultado 03 (Intermediário) ....................................................................................... 07 3.1.4. Resultado 04 (Intermediário) ....................................................................................... 08 3.1.5. Resultado 05 (Intermediário) ....................................................................................... 09 3.2 Perfil do Entrevistado ............................................................................................................ 10 4. Conclusão ......................................................................................................................... 14
    • 1. Apresentação A principal finalidade deste relatório é descrever as informações básicas necessárias para avaliação e análise do projeto “Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR”. Este projeto foi concebido pelo SEBRAE com o objetivo geral de melhorar a qualidade e aumentar o volume de negócios do setor leiteiro do Agreste de Pernambuco, tanto na produção quanto no beneficiamento do leite. O SEBRAE-PE dividiu o projeto em resultados, que foram descritos no decorrer do relatório. Para cada resultado foi construído um indicador capaz de mediar a situação das empresas que fazem parte tanto do projeto quanto do grupo de controle. Estes indicadores foram mensurados e comparados, sem perder de vista os focos estratégicos a serem atacados durante a execução do trabalho: • Melhorar a qualidade do leite e seus derivados. • Aumentar a participação dos produtos lácteos das empresas da região atendidas pelo Projeto, no mercado consumidor formal. • Fortalecer a cultura da cooperação dos produtores, visando a melhoria dos índices de produtividade. • Aumentar a produtividade de litros de leite por animal. A Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos analisa os resultados intermediários T2 (referente ao ano de 2006 e o 1º semestre de 2007) procurando confrontar, na medida do possível, com os resultados obtidos na fase inicial T0 (referente ao ano de 2004) e T1 (referente ao ano de 2005). As informações contidas neste relatório são expressas de forma simples, visando facilitar a compreensão dos dados analisados. O resultado final é apresentado em forma de gráficos e quadros.
    • 2. Metodologia da Pesquisa 2.1. Plano Amostral O público alvo, de onde foram sorteadas as empresas vinculadas ao projeto, é constituído de 275 Produtores de Leite e 25 empresas de laticínios, organizados em Sindicatos Rurais, Cooperativas e Associações do Setor, localizados na região do Agreste. A amostra1 é composta por 97 empresários colhidos dentre os segmentos acima mencionados (32 do grupo de controle e 65 vinculados ao projeto), sorteados de forma aleatória. A estratificação da amostra por município foi realizada a partir de plano amostral probabilístico proporcional ao tamanho dos estratos (PPT), podendo ser visualizada a seguir (Quadro A): Quadro A Estratificação da amostra por tipo município Município Grupo de Participante Total Controle do Projeto Águas Belas 12 6 18 Arcoverde 0 3 3 Bom Conselho 2 2 4 Buíque 1 4 5 Capoeiras 4 16 20 Garanhuns 0 7 7 Itaiba 1 2 3 Pedra 3 6 9 Pesqueira 3 11 14 Tupanatinga 1 2 3 Venturosa 5 6 11 Total 32 65 97 No ano de 2005 foram realizadas 97 entrevistas. Nesta pesquisa, que avalia o ano de 2006 e 1º semestre de 2007, 88 dos 97 entrevistados participaram da consulta. Podemos verificar a quantidade de entrevistas não realizadas no Quadro B a seguir: Quadro B Quantidade de questionários não respondidos e seus respectivos motivos. 1 Amostra retirada do plano amostral contido no relatório concebido pela empresa Datamétrica no ano de 2005.
    • Participante do Grupo de Empresas Total Projeto Controle Não produz mais leite 1 - 1 Endereço não encontrado 1 - 1 Mudou de ramo de Atividade 1 - 1 Não produziu nada em 2006/2007 1 - 1 Proprietário não foi localizado 2 2 4 Recusou-se a responder a pesquisa - 1 1 Total 6 3 9 Para verificar informações mais detalhadas com relação ao motivo da não-reposta consulte o Quadro 10 em anexo. 2.2. Hipóteses Levantadas: • Se a evolução deverá ser no geral, positiva. • Se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. 2.3. Etapas da Pesquisa • Determinação do espaço amostral, delimitação da amostra e sua respectiva estratificação; • Elaboração do questionário com base na identificação das variáveis relevantes à pesquisa; • Aplicação dos questionários; • Lançamento, tabulação, análise estatística (no programa estatístico SPSS) e elaboração do relatório; • Elaboração da Apresentação do Relatório. 3. Análise dos Dados
    • 3.1. Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo SEBRAE 3.1.1. Resultado 01 (Finalístico) – Aumento o faturamento em 20% das indústrias de laticínio participantes do projeto, sendo 5% em 2005, 10% em 2006 e 5% em 2007. No Gráfico 1 podemos notar que o faturamento médio diário das industrias de laticínios participantes do projeto apresentou queda no ano de 2006 (R$ 4.908,13) em relação ao ano de 2005 (R$ 14.161,70) totalizando um decréscimo de aproximadamente 65%. Gráfico 1 – Faturamento médio diário das indústrias de laticínio participantes do projeto (em R$). 14.161,70 7.491,00 4.908,43 3.248,29 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.2 Resultado 02 (Finalístico) – Aumentar em 15% o faturamento dos produtores de leite, sendo 5% em 2005, 5% em 2006 e 5% em 2007, em relação à média dos três últimos anos.
    • O faturamento médio semanal, tanto das propriedades do grupo de controle quanto os das propriedades vinculadas ao projeto, apresentou crescimento maior do que esperado para este indicador (T1) superando a meta estipulada de 15% até 2007 (Gráfico 2). Gráfico 2 – Faturamento médio semanal dos produtores de leite (em R$). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 3.726,08 3.436,71 3.090,52 2.869,24 1.781,81 1.708,33 1.342,09 1.439,66 1.054,00 1.176,89 950,00 777,00 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.3 Resultado 03 (Intermediário) – Aumentar em 30% o volume de leite resfriado na fazenda, sendo 10% em 2005, 10% em 2006 e 10% em 2007. A média semanal de leite resfriado na fazenda das propriedades participantes do projeto decresceu aproximadamente 14%, passando de 4.705 litros em 2005 para 4.034 litros em 2006. Já o grupo de controle apresentou queda de aproximadamente 39%, passando de 3.798 litros em 2005 para 2.306 litros em 2006 (Gráfico 3).
    • Gráfico 3 – Volume médio semanal de leite resfriado na fazenda (em litro). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 4.705 4.446 4.000 4.365 4.034 3.798 3.726 3.474 2.686 2.423 2.306 2.285 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 . Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.4 Resultado 04 (Intermediário) – Aumentar em 15% a produtividade de leite por vaca, senda 5% em 2005, 5% em 2006 e 5% em 2007, em relação à média dos últimos 5 anos. Conforme mostra o Gráfico 4, a produção de média diária de leite, por vaca, cresceu 10,54% (T2) entre os proprietários do grupo de controle. Já entre os participantes do projeto a média chegou a atingir 12,47 litros, 5,71% menor que a do ano de 2005 (13,48 litros). Gráfico 4 – Produção média diária de leite por vaca – (em litro).
    • Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 14,37 14,59 13,00 13,48 13,15 12,98 13,43 12,00 13,00 13,00 12,71 11,00 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.5 Resultado 05 (Intermediário) – Ter 5 empresas mudando do SIE para o SIF, sendo 02 em 2005, 02 em 2006 e 01 em 2007 e 15 empresas obtendo o SIE, sendo 5 em 2005, 05 em 2006 e 05 em 2007. No ano de 2006, 100% das empresas vinculadas projeto (amostra de 12 empresas) afirmaram já possuir o SIE (Sistema de Inspeção Estadual). Expandindo este valor para o público alvo estimamos o total de 25 empresas que utilizam esse tipo de inspeção. Apenas 2 empresas, que representa aproximadamente 1% do público alvo, afirmaram possuir o SIF (Sistema de Inspeção Federal). Tais informações podem ser visualizadas no Quadro 1 a seguir. Quadro 1 – Estimativa da quantidade de empresas participantes de projeto que possuem o SIE e SIF2. Tipo de Registro 2004 2005 2006 SIE 21 21 25 SIF - - 2 3.2 Perfil dos Entrevistados 2 SIE – Sistema de Inspeção Estadual e SIF – Sistema de Inspeção Federal.
    • Quadro 2 – Empresas segundo algumas variáveis socioeconômicas, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR. Tipo de Empresa Variáveis Socioeconômicas Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sexo Masculino 91,7% 90,9% 91,1% Feminino 8,3% 9,1% 8,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% Escolaridade Ensino Fundamental 70,8% 49,1% 55,7% Ensino Médio 20,8% 38,2% 32,9% Ensino Superior 8,3% 10,9% 10,1% Pós-Graduação - - - Não respondeu - 1,8% 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% Atividade Exercida Anteriormente Empregado de micro e pequena empresa 4,2% 3,6% 3,8% Empregado de média ou grande empresa de outra atividade 4,2% 5,5% 5,1% Empregado de micro ou pequena empresa do setor - 1,8% 1,3% empregado de média ou grande empresa do setor - - - Funcionário público 12,5% 3,6% 6,3% Empresário em outra localidade - - - Atuou em setor rural 29,2% 50,9% 44,3% Não exerce outra atividade 45,8% 20,0% 27,8% Outra Atividades * 4,2% 10,9% 8,9% Não respondeu - 3,6% 2,5% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 2 Grupo de Participante * Outras Atividades Controle do Projeto Total Comerciante - 3,6% 2,5% Militar - 1,8% 1,3% Vendedor Autônomo - 1,8% 1,3% Veterinário - 3,7% 2,5% Não informou qual 4,2% - 1,3% Total 4,2% 10,9% 8,9% Quadro 3 - Empresas empresa segundo tempo de atuação no ramo, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR.
    • Grupo de Participante Classe de tempo Total Controle do Projeto Até 10 anos 37,5% 32,7% 34,2% De 11 a 20 anos 16,7% 29,1% 25,3% De 21 a 30 anos 25,0% 18,2% 20,3% De 31 a 40 anos 4,2% 10,9% 8,9% Acima de 40 anos 16,7% 9,1% 11,4% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 4 – Empresas segundo grau de satisfação com os serviços oferecidos pelo SEBARE- PE, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR. . Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Ótimo 12,5% 27,3% 22,8% 12,5% 27,3% 22,8% Bom 29,2% 45,5% 40,5% 29,2% 43,6% 39,2% Regular 12,5% 10,9% 11,4% 12,5% 10,9% 11,4% Ruim 16,7% 3,6% 7,6% 16,7% 5,5% 8,9% Péssimo 12,5% 5,5% 7,6% 12,5% 5,5% 7,6% Não respondeu 16,7% 7,3% 10,1% 16,7% 7,3% 10,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 5 - Empresas segundo quantidade de funcionários com ou sem carteira assinada, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Nenhum 16,7% 20,0% 19,0% 16,7% 21,8% 20,3% De 1 a 5 58,3% 58,2% 58,2% 54,2% 56,4% 55,7% De 6 a 10 20,8% 18,2% 19,0% 25,0% 18,2% 20,3% De 11 a 15 4,2% 1,8% 2,5% - 1,8% 1,3% Acima de 15 - 1,8% 1,3% 4,2% 1,8% 2,5% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 6 – Empresas segundo quantidade de empregados e os cargos que ocupam, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR.
    • Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade de Empregados Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Nenhum 87,5% 96,4% 93,7% 91,7% 96,4% 94,9% Menor Um 4,2% 3,6% 3,8% 4,2% 3,6% 3,8% Aprendiz Dois 8,3% - 2,5% 4,2% - 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 91,7% 89,1% 89,9% 100,0% 89,1% 92,4% Um 4,2% 5,5% 5,1% - 5,5% 3,8% Estagiário Dois - 1,8% 1,3% - - - Três 4,2% 1,8% 2,5% - 1,8% 1,3% Acima de três - 1,8% 1,3% - 3,6% 2,6% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 66,7% 94,5% 86,1% 79,2% 89,1% 86,1% Um 16,7% - 5,1% 12,5% 5,5% 7,6% Em fase de Dois 12,5% 1,8% 5,1% 4,2% 1,8% 2,5% experiência Três 4,2% 1,8% 2,5% 4,2% 3,6% 3,8% Acima de três - 1,8% 1,3% - - - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 50,0% 49,1% 49,4% 41,7% 49,1% 46,8% Tem função Um 45,8% 47,3% 46,8% 54,2% 47,3% 49,4% de chefe Dois - 3,6% 2,5% - 3,6% 2,5% Três 4,2% - 1,3% 4,2% - 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 79,2% 70,9% 73,4% 79,2% 70,9% 73,4% Um 16,7% 25,5% 22,8% 16,7% 25,5% 22,8% Dois - 1,8% 1,3% - 1,8% 1,3% Vendedores Três 4,2% - 1,3% 4,2% - 1,3% Acima de três - 1,8% 1,3% - 1,8% 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 7 – Empresas segundo opção pelo Super Simples, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante do Grupo de Participante do Total Total Controle Projeto Controle Projeto Sim 4,2% 10,9% 8,9% 4,2% 10,9% 8,9% Não 91,7% 87,3% 88,6% 87,5% 87,3% 87,3% Não respondeu 4,2% 1,8% 2,5% 8,3% 1,8% 3,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008 Quadro 8 - Empresas segundo participação em entidades associativas, Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR.
    • Ano de 2006 Classe Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sindicato 8,3% 10,9% 10,1% Cooperativa 16,7% 30,9% 26,6% Outras Associações 16,7% 30,9% 26,6% Não participa de Associações 58,3% 27,3% 36,7% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 8 Grupo de Participante * Outras Associações Controle do Projeto Total 1 AASCR - 3,6% 2,5% ACA2 - 1,8% 1,3% ACPLAB3 - 1,8% 1,3% AGROLEITE 4,2% 5,5% 5,1% ASMOSA - 1,8% 1,2% Assentamentos de Família - 1,8% 1,2% Associação dos Moradores de Sitio Mimoso 12,5% 1,8% 5,1% Associação dos produtores de Águas Belas e Região - 3,6% 2,6% Associação dos Produtores do Vale do Rio Uma - 7,3% 5,1% Sítio Mochila - Assoc. - 1,8% 1,2% Total 16,7% 30,8% 26,6% 1. Associação dos Agricultores do Sítio Cafundo e Região; 2. Associação dos Comercial e Empresarial de Arcoverde; 3. Associação dos Criadores e Produtores de Leite de Águas Belas.
    • 4. Conclusão O projeto “Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite no Agreste Pernambucano – GEOR”, idealizado pelo SEBRAE, está fundamentado nas hipóteses levantadas no início do trabalho que visa verificar se evolução deverá ser, no geral, positiva e se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE-PE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. Com base nessas hipóteses concluímos que (2006 em relação a 2005): • Tanto as empresas vinculadas ao projeto, quanto às do grupo de controle apresentaram queda no valor da média de faturamento diário das indústrias de laticínios; • As empresas produtoras de leite (controle e projeto) aumentaram significativamente o seu faturamento médio semanal. • Embora o volume médio semanal de leite resfriado, por fazenda vinculada ao projeto, tenha diminuído, o indicador (T2) estimado para o público alvo fechou com crescimento significativo. • Enquanto as propriedades participantes do projeto apresentaram decrescimento no volume médio diário (em litro) produzidos por cada vaca, às vinculadas ao grupo de controle apresentaram crescimento significativo; • A partir das informações obtidas na pesquisa estimamos que 25 empresas utilizam o SIE ( Sistema de inspeção Estadual) e apenas 2 empresas utilizam o SIF (Sistema de Inspeção Federal).