Your SlideShare is downloading. ×
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Sebrae Pe Geor T2 2007 ConstruçãO Civil

479

Published on

Published in: Business, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
479
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PROJETO SEBRAE Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR Março de 2008
  • 2. Sumário 1. Apresentação .................................................................................................................... 03 2. Metodologia .................................................................................................................... 04 2.1. Plano amostral .................................................................................................................... 04 2.2. Hipóteses ............................................................................................................. 05 Levantadas 2.3. Etapas da Pesquisa .............................................................................................................. 05 3. Análise dos Dados .............................................................................................................. 06 3.1 Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo .................. 06 SEBRAE 3.1.1. Resultado 01 (Finalístico) ....................................................................................... 06 3.1.2. Resultado 02 (Intermediário) ....................................................................................... 07 3.1.3. Resultado 03 (Intermediário) ....................................................................................... 09 3.1.4. Resultado 04 (Intermediário) ....................................................................................... 10 3.1.5. Resultado 05 (Intermediário) ....................................................................................... 11 3.2 Perfil do Entrevistado ............................................................................................................ 12 4. Conclusão ......................................................................................................................... 16
  • 3. 1. Apresentação A principal finalidade deste relatório é descrever as informações básicas necessárias para avaliação e análise do “Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR”. Este projeto foi concebido pelo SEBRAE com o objetivo geral de elevar os patamares da qualidade e da produtividade da cadeia da Construção Civil em Pernambuco. O SEBRAE-PE dividiu o projeto em resultados, que foram descritos no decorrer do relatório. Para cada resultado foi construído um indicador capaz de mediar a situação das empresas que fazem parte tanto do projeto quanto do grupo de controle. Estes indicadores foram mensurados e comparados, sem perder de vista os focos estratégicos a serem atacados durante a execução do trabalho: • Implementação da melhoria da Qualidade. • Melhoria do nível de conformidade dos produtos. • Racionalização de processos construtivos para a redução de desperdícios. • Redução de acidentes de trabalho nos canteiros de obras. • Apoio às ações para a redução dos impactos ambientais. • Fortalecimento da estrutura de governança. A Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos analisa os resultados intermediários T2 (referente ao ano de 2006 e o 1º semestre de 2007) procurando confrontar, na medida do possível, com os resultados obtidos na fase inicial T0 (referente ao ano de 2004) e T1 (referente ao ano de 2005). As informações contidas neste relatório são expressas de forma simples, visando facilitar a compreensão dos dados analisados. O resultado final é apresentado em forma de gráficos e quadros.
  • 4. 2. Metodologia da Pesquisa 2.1. Plano Amostral O público alvo, de onde foram sorteadas as empresas vinculadas ao projeto, é constituído pela cadeia da Construção Civil e seus elos, sendo: 110 Construtoras, 30 Empresas de Cerâmica Vermelha, 40 Empresas Aplicadoras de Gesso, 40 Empresas Produtoras de Artefatos de Cimento, 40 Empresas de Esquadrias de Alumínio, 20 Empresas Instaladoras Elétricas, 20 Empresas Instaladoras Hidráulicas, 20 Empresas de Pintura e 20 Empresas de Recuperação de Estruturas, até 2007. A amostra1 é composta por 82 empresários colhidos dentre os segmentos acima mencionados (27 do grupo de controle e 55 vinculados ao projeto), sorteados de forma aleatória. A estratificação da amostra por município foi realizada a partir de plano amostral probabilístico proporcional ao tamanho dos estratos (PPT), podendo ser visualizada a seguir (Quadro A): Quadro A Estratificação da amostra por tipo município Município Participante Grupo de Total do Projeto Controle Cabo de Santo Agostinho 1 - 1 Camaragipe 1 2 3 Caruaru 7 - 7 Jaboatão de Guararapes 1 - 1 Olinda 3 3 6 Recife 42 21 63 São Lourenço da Mata - 1 1 Total 55 27 82 No ano de 2005 foram realizadas 82 entrevistas. Nesta pesquisa, que avalia o ano de 2006 e 1º semestre de 2007, foram efetivamente consultados 73 dos 82 entrevistados. Dos 9 questionários não respondidos pelos participantes do projeto, 4 recusaram-se a 1 Amostra retirada do plano amostral contido no relatório concebido pela empresa Datamétrica no ano de 2005.
  • 5. responder a pesquisa e 5 não foram localizados. Para verificar informações mais detalhadas com relação aos motivos de não-repostas consulte o Quadro 11 em anexo. 2.2. Hipóteses Levantadas: • Se a evolução deverá ser no geral, positiva. • Se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. 2.3. Etapas da Pesquisa • Determinação do espaço amostral, delimitação da amostra e sua respectiva estratificação; • Elaboração do questionário com base na identificação das variáveis relevantes à pesquisa; • Aplicação dos questionários; • Lançamento, tabulação, análise estatística (no programa estatístico SPSS) e elaboração do relatório; • Elaboração da Apresentação do Relatório.
  • 6. 3. Análise dos Dados 3.1. Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo SEBRAE 3.1.1. Resultado 01 (Finalístico) – Ampliar o número de construtoras certificadas em gestão de qualidade, passando de 60 para 110 empresas certificadas até 2007. A quantidade estimada de construtoras atendidas pelo projeto que possuem certificado de gestão de qualidade passou de 90 em 2005 para 100 em 2006, crescimento de 10,37%. Este valor representa aproximadamente 90,5% do valor estipulado como meta a ser atingida até 2007 (110 empresas). No Gráfico 1 a seguir podemos visualizar a evolução das proporções de empresas certificadas em gestão de qualidade de acordo os grupos estudados (controle e projeto). Gráfico 1 – Percentual de Construtoras certificadas em gestão de qualidade. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 93,00% 93,30% 91,70% 90,50% 90,50% 88,90% 86,70% 82,00% 67,75% 66,00% 42,50% 50,00% Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 7. 3.1.2 Resultado 02 (Intermediário) – Elevar em 30% o nível de conformidade dos produtos e processos dos sistemas construtivos das empresas. Este indicador visa quantificar o total de empresas2, atendidas pelo projeto, que apresentam conformidade dos seus produtos e processos dos sistemas construtivos. Conforme podemos ver no Gráfico 2, em 2006 o número estimado dessas empresas (73) foi 3,07% menor que a quantidade estimada em 2005 (75 empresas). Gráfico 2 – Número de empresas atendidas pelo projeto em conformidade com as normas técnicas (produtos e processos). 75 73 68 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 1 – Percentual de empresas segundo produtos em conformidade com as normas da ABNT. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Produtos Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Cimento 13,6% 3,0% 7,3% 13,6% 3,0% 7,3% Argamassa - - - - - - Cerâmica 4,5% 6,1% 5,5% 4,5% 6,1% 5,5% Todos 63,6% 60,6% 61,8% 59,1% 60,6% 60,0% Nenhum 4,5% 9,1% 7,3% 4,5% 9,1% 7,3% Não sabe - 3,0% 1,8% - 3,0% 1,8% Não respondeu 13,6% 18,2% 16,4% 18,2% 18,2% 18,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 2 30 empresas de Cerâmica Vermelha, 40 empresas Aplicadoras de Gesso, 40 empresas de Artefatos de Cimento, 40 empresas de Esquadrias de Alumínio, 20 empresas Instaladoras Elétricas, 20 empresas Instaladoras Hidráulicas, 20 empresas de pintura e 20 empresas de recuperação de estrutura.
  • 8. Quadro 2 – Percentual de empresas segundo certificação em controle de qualidade. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Certificação Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Sim 36,4% 39,4% 38,2% 36,4% 36,4% 36,4% Não 63,6% 57,6% 60,0% 63,6% 63,6% 63,6% ISO 9000 Não respondeu - 3,0% 1,8% - - - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Sim 22,7% 18,2% 20,0% 22,7% 15,2% 18,2% PBQP-Nível A Não 77,3% 81,8% 80,0% 77,3% 84,8% 81,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Sim - - - - 6,1% 3,6% PBQP-Nível B Não 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 93,9% 96,4% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Sim - 6,1% 3,6% - 6,1% 3,6% PBQP-Nível C Não 100,0% 93,9% 96,4% 100,0% 93,9% 96,4% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Sim 4,5% 9,1% 7,3% 4,5% 6,1% 5,5% PBQP-Nível D Não 95,5% 90,9% 92,7% 95,5% 93,9% 94,5% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Sim 27,3% 18,2% 21,8% 27,3% 18,2% 21,8% Possui exames laboratoriais Não 72,7% 81,8% 78,2% 72,7% 81,8% 78,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Sim 36,4% 45,5% 41,8% 36,4% 45,5% 41,8% Não possui Não 63,6% 54,5% 58,2% 63,6% 54,5% 58,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. O faturamento médio das empresas participantes do projeto no ano de 2006 foi de R$ 1.931.936,82, enquanto que o faturamento médio das empresas do grupo de controle foi R$ 747.538,46. No 1ª semestre de 2007 as empresas vinculadas ao projeto faturaram em média R$ 1.217.706,63, torno de 63% do valor apresentado em 2006.
  • 9. Gráfico 3 – Faturamento médio das empresas (em R$). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 1.931.936,82 1.418.697,53 1.217.706,63 939.689,50 747.538,46 569.000,00 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.3 Resultado 03 (Intermediário) – Reduzir em 10% a geração de resíduos sólidos das construtoras atendidas pelo projeto, até 2007. A quantidade média de resíduos sólidos gerados pelas construtoras vinculadas ao projeto no ano de 2005 foi de 35kg/m 2 e a quantidade apresentada pelo grupo de controle foi de 46kg/m2. No ano de 2006, as empresas de ambos os grupos (controle e projeto) geraram, em média, mais resíduos sólidos que os dois anos anteriores.
  • 10. Gráfico 4 – Quantidade média de resíduos sólidos gerados pelas construtoras (em kg/ m2). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 186 116 94 94 69 62 46 40 32 31 35 31 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 . Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.4 Resultado 04 (Intermediário) – Reduzir em 10% o número de acidentes de trabalho nos canteiros de obras das 100 Construtoras e 40 empresas de Artefatos de Cimentos, consideradas alvo do projeto, até 2007. Segundo informações colhidas dentre os entrevistados, notamos que a quantidade média de acidentes de trabalho nos canteiros de obras, em ambos os grupos (controle e projeto), apresentou crescimento, embora o objetivo seja reduzi-los. Vale salientar que no ano de 2006, as empresas de Artefatos de Cimentos pesquisadas alegaram que não houve acidentes (Gráfico 5).
  • 11. Gráfico 5 – Número médio de acidentes de trabalho das Construtoras e empresas de Artefatos. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 2,3 2,1 1,8 1,7 1,6 1,6 1,5 1,4 0,9 0,7 0,3 0,1 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.5 Resultado 05 (Intermediário) – Reduzir em 10% o desperdício das 30 empresas de Cerâmica Vermelha e das 40 empresas Aplicadoras de Gesso, até 2007. A quantidade de resíduos sólidos gerados pelas empresas de Cerâmica Vermelha e as Aplicadoras de Gesso vinculadas ao projeto continuou praticamente estável, sendo de 4,0 kg/m2 em 2005 e 3,6kg/m2 em 2006 (Gráfico 7). Gráfico 7 – Quantidade média de resíduo gerado nas empresas de Cerâmicas Vermelhas e Aplicadoras de Gesso (em kg/m2). 6,00 3,75 4,00 3,55 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 12. 3.2 Perfil dos Entrevistados Quadro 3 – Empresas segundo algumas variáveis socioeconômicas, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR. Tipo de Empresa Variáveis Socioeconômicas Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sexo Masculino 45,5% 54,5% 50,9% Feminino 54,5% 45,5% 49,1% Total 100,0% 100,0% 100,0% Escolaridade Ensino Fundamental 4,5% 6,1% 5,5% Ensino Médio 54,5% 42,4% 47,3% Ensino Superior 31,8% 27,3% 29,1% Pós-Graduação 9,1% 24,2% 18,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% Atividade Exercida Anteriormente Empregado de micro e pequena empresa 9,1% - 3,6% Empregado de média ou grande empresa de outra atividade 36,4% 30,3% 32,7% Empregado de micro ou pequena empresa do setor 4,5% 6,1% 5,5% Empregado de média ou grande empresa do setor 18,2% 21,2% 20,0% Funcionário público - - - Empresário em outra localidade 4,5% - 1,8% Atuou em setor rural - - - Não exerce outra atividade 13,6% 33,3% 25,5% Outras Atividades* 13,6% 6,1% 9,1% Não respondeu - 3,0% 1,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 3 Grupo de Participante * Outras Atividades Controle do Projeto Total Contador Autônomo 4,5% - 1,8% Estagiaria 9,1% 6,1% 7,3% Total 13,6% 6,1% 9,1%
  • 13. Quadro 4 - Empresas empresa segundo tempo de atuação no ramo, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR. Grupo de Participante Classe de tempo Total Controle do Projeto Até 10 anos 59,1% 45,5% 50,9% De 11 a 20 anos 18,2% 45,5% 34,5% De 21 a 30 anos 9,1% 3,0% 5,5% De 31 a 40 anos 9,1% 6,1% 7,3% Acima de 41 anos 4,5% - 1,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 5 – Empresas segundo grau de satisfação com os serviços oferecidos pelo SEBARE- PE, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Ótimo 9,1% 21,2% 16,4% 9,1% 21,2% 16,4% Bom 59,1% 45,5% 50,9% 59,1% 45,5% 50,9% Regular 13,6% 15,2% 14,5% 13,6% 15,2% 14,5% Ruim 4,5% 9,1% 7,3% 4,5% 9,1% 7,3% Péssimo 9,1% 3,0% 5,5% 9,1% 3,0% 5,5% Não respondeu 4,5% 6,1% 5,5% 4,5% 6,1% 5,5% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 6 - Empresas segundo quantidade de funcionários com ou sem carteira assinada, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Nenhum 4,5% 12,1% 9,1% 4,5% 12,1% 9,1% De 1 a 5 13,6% 18,2% 16,4% 13,6% 15,2% 14,5% De 6 a 10 13,6% 6,1% 9,1% 18,2% 6,1% 10,9% De 11 a 15 - 3,0% 1,8% - 3,0% 1,8% De 16 a 20 4,5% 9,1% 7,3% - 9,1% 5,5% De 21 a 25 9,1% 3,0% 5,5% 9,1% 3,0% 5,5% Acima de 25 54,5% 48,5% 50,9% 54,5% 51,5% 52,7% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0%
  • 14. Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 7 – Empresas segundo quantidade de empregados e os cargos que ocupam, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade de Empregados Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Menor Nenhum 95,5% 100,0% 98,2% 100,0% 100,0% 100,0% Aprendiz Um 4,5% - 1,8% - - - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 59,1% 57,6% 58,2% 59,1% 51,5% 54,5% Um 13,6% 3,0% 7,3% 18,2% 9,1% 12,7% Dois 13,6% 15,2% 14,5% 9,1% 9,1% 9,1% Três - 3,0% 1,8% - 12,1% 7,3% Estagiário Quatro - 6,1% 3,6% - 3,0% 1,8% Cinco - 6,1% 3,6% - 6,1% 3,6% Seis 9,1% 3,0% 5,5% 9,1% 3,0% 5,5% Acima de seis 4,5% 6,0% 5,4% 4,5% 6,0% 5,4% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 90,9% 90,9% 90,9% 86,4% 93,9% 90,9% Um - 3,0% 1,8% 9,1% 3,0% 5,5% Em fase de Dois - 3,0% 1,8% - 3,0% 1,8% experiência Três - 3,0% 1,8% 4,5% - 1,8% Acima de três 9,0% - 3,6% - - - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 36,4% 45,5% 41,8% 36,4% 42,4% 40,0% Um 27,3% 15,2% 20,0% 27,3% 15,2% 20,0% Dois 9,1% 9,1% 9,1% 9,1% 9,1% 9,1% Tem função Três 9,1% 9,1% 9,1% 9,1% 12,1% 10,9% de chefe Quatro 9,1% 3,0% 5,5% 9,1% 3,0% 5,5% Cinco - - - - - - Seis - 6,1% 3,6% - 6,1% 3,6% Acima de seis 9,0% 12,0% 10,8% 9,0% 12,0% 10,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Nenhum 95,5% 93,9% 94,5% 95,5% 90,9% 92,7% Um 4,5% 3,0% 3,6% 4,5% 3,0% 3,6% Vendedores Dois - 3,0% 1,8% - 6,1% 3,6% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 8 – Empresas segundo opção pelo Super Simples, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR.
  • 15. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante do Grupo de Participante do Total Total Controle Projeto Controle Projeto Sim 18,2% 24,2% 21,8% 22,7% 21,2% 21,8% Não 81,8% 75,8% 78,2% 77,3% 78,8% 78,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008 Quadro 9 - Empresas segundo participação em entidades associativas, Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR. Ano de 2006 Classe Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sindicato 81,8% 48,5% 61,8% Cooperativa - - - Outras Associações - 27,3% 16,4% Não Participa de Associações 18,2% 24,2% 21,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 9 Grupo de Participante * Outras Associações Controle do Projeto Total ABCP1 - 3,1% 1,8% ADEMI2 - 12,1% 7,4% AMCHAM3 - 3,1% 1,8% Associação Comercial de Olinda - 3,0% 1,8% CIPA4 - 3,0% 1,8% ADEMI/ABCP - 3,0% 1,8% Total 0,0% 27,3% 16,4% 1. Associação Brasileira de Cimento Portland; 2. Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário; 3. Câmara Americana de Comércio;; 4. Comissão Interna de Prevenção a Acidente.
  • 16. 4. Conclusão O projeto “Projeto de Incremento da Competitividade da Cadeia da Construção Civil – GEOR”, idealizado pelo SEBRAE, está fundamentado nas hipóteses levantadas no início do trabalho que visa verificar se evolução deverá ser, no geral, positiva e se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE-PE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. Com base nessas hipóteses concluímos que (2006 em relação a 2005): • Houve aumento do número médio de construtoras certificadas em gestão de qualidade, sendo que o valor total estimado de construtoras atendidas pelo projeto (Público Alvo) chegou a 90,5% do valor total estimado até 2007 (110 empresas); • O número estimado de empresa em conformidade com as normas técnicas (Empresas do Público Alvo – Participantes do Projeto), levando em consideração os produtos e processos dos sistemas construtivos, decresceu em torno de 3%; • Não houve redução nos valores dos indicadores que medem a quantidade média de resíduos sólidos gerados tanto pelas Construtoras quanto pelas empresas de Cerâmica Vermelha e Aplicadora de Gesso atendidas pelo projeto; • O número médio de acidentes de trabalho nos canteiros de obras das Construtoras e empresas de Artefatos de Cimento, em ambos os grupos (controle e projeto), aumentou ao invés de diminuir. Principalmente entre as empresas do grupo de controle.

×