Your SlideShare is downloading. ×
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Sebrae Pe Geor T2 2007 Caprino Araripina

459

Published on

Published in: Business, Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
459
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. PROJETO SEBRAE A Caprino-Ovinocultura como Fator de Desenvolvimento Socioeconômico da Microrregião de Araripina - GEOR Fevereiro de 2008
  • 2. Sumário 1. Apresentação .................................................................................................................... 03 2. Metodologia .................................................................................................................... 04 2.1. Plano amostral .................................................................................................................... 04 2.2. Hipóteses ............................................................................................................. 05 Levantadas 2.3. Etapas da Pesquisa .............................................................................................................. 05 3. Análise dos Dados .............................................................................................................. 06 3.1 Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo .................. 06 SEBRAE 3.1.1. Resultado 1 ................................................................................................................. 06 3.1.2. Resultado 2 ................................................................................................................. 07 3.1.3. Resultado 3 ................................................................................................................. 08 3.1.4. Resultado 4 ................................................................................................................. 10 3.1.5. Resultado 5 ................................................................................................................. 11 3.1.6. Resultado 6 ................................................................................................................. 12 3.1.7. Resultado 7 ................................................................................................................. 13 3.2 Perfil do Entrevistado ............................................................................................................ 15 4. Conclusão ......................................................................................................................... 19
  • 3. 1. Apresentação A principal finalidade deste relatório é descrever as informações básicas necessárias para avaliação e análise do projeto “A caprino-ovinocultura como fator de desenvolvimento socioeconômico da Microrregião de Araripina – GEOR”. Este projeto foi concebido pelo SEBRAE com o objetivo geral de ampliar o volume de comercialização da atividade de caprino-ovinocultura da microrregião de Araripina. O SEBRAE-PE dividiu o projeto em resultados, que foram descritos no decorrer do relatório. Para cada resultado foi construído um indicador capaz de mediar a situação das empresas que fazem parte tanto do projeto quanto do grupo de controle. Estes indicadores foram mensurados e comparados, sem perder de vista os focos estratégicos a serem atacados durante a execução do trabalho. A Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos analisa os resultados intermediários T2 (referente ao ano de 2006 e o 1º semestre de 2007) procurando confrontar, na medida do possível, com os resultados obtidos na fase inicial T0 (referente ao ano de 2004) e T1 (referente ao ano de 2005). As informações contidas neste relatório são expressas de forma simples, visando facilitar a compreensão dos dados analisados. O resultado final é apresentado em forma de gráficos, tabelas e quadros. 2. Metodologia da Pesquisa 2.1. Plano Amostral
  • 4. O público alvo, de onde foram sorteadas as empresas vinculadas ao projeto, é constituído de 300 caprino-ovinocultores da Microrregião de Araripina, vinculados a 10 associações e 1 cooperativa, nos municípios de Araripina, Trindade, Ouricuri, Bodocó, Granito, Moreilândia, Santa Cruz, Santa Filomena e Parnamirim. A amostra1 é composta por 88 empresários colhidos dentre os segmentos acima mencionados (34 do grupo de controle e 54 vinculados ao projeto), sorteados de forma aleatória. A estratificação da amostra por município foi realizada a partir de plano amostral probabilístico proporcional ao tamanho dos estratos (PPT), podendo ser visualizada a seguir (Quadro A): Quadro A Estratificação da amostra por tipo município Município Grupo de Participante Total Controle do Projeto Araripina 4 4 8 Granito 5 7 12 Ouricuri 6 14 20 Parnamirim 5 9 14 Santa Cruz 5 10 15 Santa Filomena 9 10 19 Total 34 54 88 No ano de 2005 foram realizadas 88 entrevistas. Nesta pesquisa, que avalia o ano de 2006 e 1º semestre de 2007, 78 dos 88 entrevistados participaram da consulta, conforme descrito no Quadro B a seguir: Quadro A Quantidade de questionários não respondidos e seus respectivos motivos Participante Grupo de Total Empresas do Projeto Controle Não localizado 4 5 9 Não cria desce 2004 - 1 1 Total 4 6 10 1 Amostra retirada do plano amostral contido no relatório concebido pela empresa Datamétrica no ano de 2005.
  • 5. Para verificar informações mais detalhadas em relação ao motivo da não-reposta consulte o Quadro 14 em anexo. 2.2. Hipóteses Levantadas: • Se a evolução deverá ser no geral, positiva. • Se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. 2.3. Etapas da Pesquisa • Determinação do espaço amostral, delimitação da amostra e sua respectiva estratificação; • Elaboração do questionário com base na identificação das variáveis relevantes a pesquisa; • Aplicação dos questionários; • Lançamento, tabulação, análise estatística (no programa estatístico SPSS) e elaboração do relatório; • Elaboração da Apresentação do Relatório. 3. Análise dos Dados
  • 6. 3.1. Análise dos Resultados Intermediários e Finalísticos Objetivados pelo SEBRAE 3.1.1. Resultado 1 – Gerar R$ 380.000,00 em 2005, R$ 490.000,00 em 2006 e R$ 640.000,00 em 2007 com a comercialização de animais vivos. Conforme no que foi coletado podemos notar que no ano de 2006 houve queda no faturamento médio anual com vendas de caprino e ovinos no grupo das empresas vinculadas ao projeto. O grupo de controle, em 2006, reagiu à queda ocorrida no ano de 2005 em relação a 2004 (Gráfico 1). Os indicadores referentes ao público alvo (300 empresários) totalizaram nos anos de 2004 e 2005 respectivamente R$ 779.076,00 e R$ 888.000,00, porém em 2006 o faturamento chegou a R$ 345.090,00, uma queda de mais de 50% em relação a 2005 (Ver Quadro 13 em anexo). Gráfico 1 – Faturamento médio por produtores com a comercialização de animais vivos (R$/ano). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 2.962 2.691 2.731 2.548 2.597 2.366 1.977 1.758 1.446 1.098 1.150 749 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 7. A maioria das empresas do grupo de controle (45,5%) e das participantes do projeto (60,6%) faturaram abaixo de R$ 1.000,00 com a comercialização de caprinos e ovinos. Este fato influenciou na queda do indicador (T2) das empresas vinculadas ao projeto (Tabela 1). Tabela 1 – Faturamento médio por produtores com a comercialização de animais vivos (R$/ano). Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe de valores (R$) Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Até 1.000,00 45,5% 60,6% 53,0% 46,2% 80,8% 63,5% De 1.001,00 a 2.000,00 30,3% 24,2% 27,3% 34,6% 15,4% 25,0% De 2.001,00 a 3.000,00 6,1% 12,1% 9,1% 15,4% 3,8% 9,6% De 3.001,00 a 4.000,00 - 3,0% 1,5% - - - De 4.001,00 a 5.000,00 9,1% - 4,5% - - - Acima de 5.000,00 9,1% - 4,5% 3,8% - 1,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.2 Resultado 2 – Elevar de 50.600 kg/ano para 80.600 kg/ano a comercialização de carne, com inspeção sanitária até 2007. No ano de 2006 houve diminuição na quantidade de animais vendidos nos matadouros municipais com inspeção sanitária, ocorrendo o contrário com as empresas do grupo de controle, que apresentaram crescimento significativo em 2006 (Gráfico 2 e Quadro 13 em anexo). Podemos notar que mais de 85% das empresas participantes do projeto não comercializaram animais em matadouros municipais com inspeção sanitárias em 2006. O valor pequeno de empresas (15%) que realizam esse tipo de transação pode ter influenciado no valor médio de faturamento estimado para esse grupo (Tabela 2). Gráfico 2 – Quantidade média anual (kg) de caprinos e ovinos vendidos a matadouros municipais e inspecionados.
  • 8. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 200,78 181,56 163,89 129,33 131,02 114,68 111,32 109,40 97,50 99,36 65,03 37,75 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Tabela 2 – Quantidade anual (kg) de caprinos e ovinos vendidos a matadouros municipais e inspecionados. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe de valores Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Nenhum 66,7% 85,0% 76,3% 75,0% 85,0% 80,3% De 1 a 50 - - - 2,8% - 1,3% De 51 a 100 2,8% - 1,3% - 2,5% 1,3% De 101 a 150 - - - - - - De 151 a 200 5,6% 2,5% 3,9% 2,8% 5,0% 3,9% Acima de 200 25,0% 12,5% 18,4% 19,4% 7,5% 13,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.3 – Diminuição da taxa de mortalidade de 22% para 10% até 2007. Atualmente a taxa de óbitos entre os participantes do projeto é 18% (2006) bem maior que a do ano anterior (8,11%). Porém, existe aa possibilidade da meta ser atingida se a taxa de mortalidade dos animais (caprinos e ovinos) se mantiver igual ou próxima do valor apresentado no 1º semestre de 2007. A tendência de crescimento neste indicador, também ocorreu com o grupo de controle (Gráfico 3).
  • 9. Gráfico 3 – Percentual de animais (caprinos e ovinos) que morrem antes de completar a fase adulta*. Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 18,00% 17,00% 16,00% 15,70% 14,00% 10,80% 10,70% 10,80% 10,70% 9,20% 9,00% 8,11% Ano de 2004 Aano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. * Percentual da média de óbitos pelo tamanho médio do rebanho. A maioria das propriedades sejam elas pertencentes ao projeto ou ao grupo de controle, possuem mais de 60 animais (caprinos e ovinos). As empresas do grupo de controle têm em média mais animais que às participantes do projeto (Tabela 3). Porém a média de óbitos dos animais das propriedades do grupo de controle é superior à média dos participantes do projeto (Tabela 4). Tabela 3 – Quantidade de total de caprino e ovinos por criador. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade Grupo de Participante Grupo de Participante de animais Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Até 30 20,6% 26,3% 23,6% 20,6% 29,7% 25,4% De 31 a 60 32,4% 44,7% 38,9% 44,1% 51,4% 47,9% De 61 a 90 20,6% 21,1% 20,8% 11,8% 13,5% 12,7% De 91 a 120 8,8% 2,6% 5,6% 11,8% - 5,6% Acima de 120 17,6% 5,3% 11,1% 11,8% 5,4% 8,5% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Média da Qde de animais 92 59 75 76 57 66 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Tabela 4 – Quantidade de animais (caprinos e ovinos) que morreram sem completar a fase adulta.
  • 10. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade Grupo de Participante Grupo de Participante de animais Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Até 5 45,2% 54,5% 50,0% 61,3% 63,2% 62,3% De 6 a 10 32,3% 36,4% 34,4% 22,6% 28,9% 26,1% De 11 a 15 19,4% 6,1% 12,5% 6,5% 2,6% 4,3% Acima de 15 3,2% 3,0% 3,1% 9,7% 5,3% 7,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Média da Qde de animais mortos 15 11 13 12 5 8 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Dentre as principais causas de morte dos animais, apontadas pelos entrevistados, estão as doenças (que muitos não souberam identificar), a desnutrição e falta de pasto para alimentação adequada dos animais (Quadro 1). Quadro 1 – Principais causas da mortalidade dos animais (caprinos e ovinos). Ano de 2006 Causas Grupo de Participante Total Controle do Projeto Afogamento 2,8% - 1,3% Desnutrição 27,8% 10,0% 18,4% Doenças 33,3% 42,5% 38,2% Falta de Pasto 19,4% 22,5% 21,1% Fome 2,8% 15,0% 9,2% Predadores 2,8% 2,5% 2,7% Outros 8,4% 2,5% 5,2% Não sabe 2,7% 5,0% 3,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.4 – Resultado 4 – Ampliar de 25 para 90 animais, por semana, a capacidade efetiva do abatedouro de Parnamirim até 2007. No ano de 2006, as empresas participantes do projeto superaram a meta de 90 animais abatidos semanalmente nos abatedouros municipais, tal crescimento se repete no 1º semestre de 2007 (Quadro 2). Quadro 2 – Quantidade de animais abatidos semanalmente no abatedouro de Parnamirim.
  • 11. 1º Sem. de Tipo 2004 2005 2006 2007 Grupo de Controle Não disponível Não disponível 89 99 Participante de Projeto 50 50 142 123 Meta: 90 animais/semana até 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.5 – Resultado – Elevar de 22 kg para 28 kg o peso médio dos animais (caprinos e ovinos) vivos entre 6 a 12 meses de idade até 2007. O peso médio dos animais vivos entre 6 e 12 meses pertencentes tanto às propriedades do grupo de controle, quanto os pertencentes às propriedades participantes do projeto, decresceram de forma significativa. Tal diminuição no indicador pode estar relacionado principalmente às doenças e a falta de pasto apontadas pelos entrevistados no resultado 3 analisado anteriormente (Gráfico 4). Gráfico 4 – Peso médio dos animais (caprinos e ovinos) entre 6 e 12 meses de idade (em kg). Participantes do Projeto Grupo de Controle Total 20,35 20,29 20,25 14,53 14,90 12,88 15,20 14,36 10,38 11,03 10,68 10,88 Ano de 2004 Ano de 2005 Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 12. Tabela 5 – Peso dos animais (caprinos e ovinos) entre 6 e 12 meses de idade. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe de peso (kg) Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Até 5 8,8% 12,5% 10,8% 15,2% 15,0% 15,1% De 6 a 10 29,4% 37,5% 33,8% 21,2% 40,0% 31,5% De 11 a 15 52,9% 37,5% 44,6% 48,5% 37,5% 42,5% De 16 a 20 8,8% 12,5% 10,8% 15,2% 5,0% 9,6% Acima 20 - - - - 2,5% 1,4% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. 3.1.6 – Resultado 6 – Ter 06 grupos de associações comercializando animais vivos em conjunto até 2007. Grande número de empresas não comercializou animais vivos em conjunto no ano de 2006 e 1º semestre de 2007. As demais comercializaram, em geral, com apenas um grupo (Quadro 3 e 4). Quadro 3 – Grupos de associações que comercializam animais vivos em conjunto. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade de grupos Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Nenhum 75,0% 66,7% 70,7% 88,9% 89,7% 89,3% Um 22,2% 28,2% 25,3% 8,3% 5,1% 6,7% Dois - 2,6% 1,3% - - - Três - - - - - Quatro - - - - 2,6% 1,3% Cinco 2,8% - 1,3% 2,8% - 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 13. Quadro 4 – Percentual de propriedades, segundo compra ou venda de equipamentos ou animais por meio de associações ou cooperativas de produtores ou através de um grupo de amigos. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe de peso (kg) Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Sim 19,4% 7,5% 13,2% 19,4% 7,5% 13,2% Não 75,0% 90,0% 82,9% 72,2% 90,0% 81,6% Não respondeu 5,6% 2,5% 3,9% 8,3% 2,5% 5,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. As empresas pesquisadas não tiveram qualquer faturamento com a venda de derivados como queijo mussan, queijo minas frescal e requeijão no ano de 2006 e 1ª semestre de 2007. A média de faturamento dos demais derivados e a média de quantidades de leite de cabra necessária para a produção de derivados no ano de 2006 podem ser visualizadas nos Quadros C e D a seguir. Quando C Faturamento Médio com derivados (em R$) Empresas Leite de cabra Queijo Coalhado Grupo de Controle 380,00 40,25 Participante do Projeto 25,00 - Média Total 193,16 19,07 Quando D Qde Média de leite de cabra para produção de derivados do leite (em litro) 1º semestre de Empresas 2006 2007 Grupo de Controle 289,64 9,06 Participante do Projeto 125,00 125,00 Média Total 202,99 70,08 3.1.7 – Resultado 7 – Ter 60 propriedades rurais com controle Zootécnico do rebanho implantado até 2007. A grande maioria da empresas principalmente do grupo de controle não realiza controle zootécnico do seu rebanho. Este indicador continua longe de atingir a meta estabelecida, pois apenas 11 das propriedades participantes do projeto no ano de 2006
  • 14. fez este tipo de controle, embora o valor seja significativamente superior ao do ano de 2005 (3 propriedades) e 2004 (3 propriedades). Tais informações podem ser verificadas no quadro a seguir e quadro 13 em anexo. Quadro 5 – Percentual de propriedades, segundo realização de controle zootécnico de seus animais. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Realização de Grupo de Participante Grupo de Participante controle (categoria) Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Sim 36,1% 20,0% 27,6% 30,6% 12,5% 21,1% Não 61,1% 80,0% 71,1% 63,9% 87,5% 76,3% Não respondeu 2,8% - 1,3% 5,6% - 2,6% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 15. 3.2 Perfil dos Entrevistados Quadro 6 – Empresas varejistas segundo algumas variáveis socioeconômicas, Caprino- Ovinocultura Araripina – GEOR. Tipo de Empresa Variáveis Socioeconômicas Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sexo Masculino 91,7% 90,0% 90,8% Feminino 8,3% 10,0% 9,2% Total 100,0% 100,0% 100,0% Escolaridade Ensino Fundamental 52,8% 42,5% 47,4% Ensino Médio 8,3% 15,0% 11,8% Ensino Superior - 2,5% 1,3% Pós-Graduação - - - Analfabeto 33,3% 40,0% 36,8% Não respondeu 5,6% - 2,6% Total 100,0% 100,0% 100,0% Atividade Exercida Anteriormente Empregado de micro e pequena empresa 5,6% 2,5% 3,9% Empregado de média ou grande empresa de outra atividade 2,8% 2,5% 2,6% Empregado de micro ou pequena empresa do setor - - - Empregado de média ou grande empresa do setor - - - Funcionário público 2,8% 2,5% 2,6% Empresário em outra localidade - - - Atuou em setor rural 55,6% 32,5% 43,4% Não exerceu outra atividade 33,3% 50,0% 42,1% Outra Atividades* - 10,0% 5,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 6 * Outras Atividades Grupo de Participante Total (Autônomos) Controle do Projeto Caminhoneiro - 2,5% 1,3% Comerciante - 2,5% 1,3% Construtor - 2,5% 1,3%
  • 16. Pedreiro - 2,5% 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% Quadro 7 - Empresas varejistas empresa segundo tempo de atuação no ramo, Caprino- Ovinocultura Araripina – GEOR. Grupo de Participante Classe de tempo Total Controle do Projeto Até 5 anos 19,4% 27,5% 23,7% De 6 a 15 anos 30,6% 27,5% 28,9% De 16 a 25 anos 19,4% 10,0% 14,5% De 26 a 35 anos 19,4% 20,0% 19,7% De 36 a 45 anos 2,8% 10,0% 6,6% Acima de 45 anos 8,3% 5,0% 6,6% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 8 – Empresas varejistas segundo grau de satisfação com os serviços oferecidos pelo SEBARE-PE, Caprino-Ovinocultura Araripina – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Ótimo 22,2% 22,5% 22,4% 25,0% 25,0% 25,0% Bom 52,8% 42,5% 47,4% 41,7% 47,5% 44,7% Regular 16,7% 22,5% 19,7% 25,0% 17,5% 21,1% Ruim 8,3% 5,0% 6,6% 8,3% 7,5% 7,9% Péssimo - 5,0% 2,6% - 2,5% 1,3% Não respondeu - 2,5% 1,3% - - - Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Quadro 9 - Empresas varejistas segundo quantidade de funcionários com ou sem carteira assinada, Caprino-Ovinocultura Araripina – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Classe Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Nenhum 69,4% 87,5% 78,9% 69,4% 87,5% 78,9% Um 16,7% 10,0% 13,2% 16,7% 10,0% 13,2% Dois 13,9% 2,5% 7,9% 13,9% 2,5% 7,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008.
  • 17. Quadro 10 – Empresas varejistas segundo quantidade de empregados e os cargos que ocupam, Caprino-Ovinocultura Araripina – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Quantidade de Empregados Grupo de Participante Grupo de Participante Total Total Controle do Projeto Controle do Projeto Menor Nenhum 100,0% 97,5% 98,7% 94,4% 97,5% 96,1% Aprendiz Um - 2,5% 1,3% 5,6% 2,5% 3,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Tem função Nenhum 100,0% 97,5% 98,7% 100,0% 97,5% 98,7% de chefe Um - 2,5% 1,3% - 2,5% 1,3% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Vendedores Nenhum 80,6% 97,5% 89,5% 80,6% 97,5% 89,5% Um 11,1% 2,5% 6,6% 11,1% 2,5% 6,6% Dois 8,3% - 3,9% 8,3% - 3,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. OBS: Nenhum dos entrevistados responderem que possuem funcionários em fase de experiência e estagiários em suas propriedades. Quadro 11 – Empresas varejistas segundo opção pelo Super Simples, Caprino-Ovinocultura Araripina – GEOR. Ano de 2006 1º Semestre de 2007 Opinião Grupo de Participante do Grupo de Participante do Total Total Controle Projeto Controle Projeto Sim 8,3% 2,5% 5,3% 5,7% - 2,7% Não 83,3% 80,0% 81,6% 82,9% 82,1% 82,4% Não respondeu 8,3% 17,5% 13,2% 11,4% 17,9% 14,9% Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008 Quadro 12 - Empresas varejistas segundo participação em entidades associativas, Caprino- Ovinocultura Araripina – GEOR. Ano de 2006 Classe Grupo de Participante Total Controle do Projeto Sindicato 28,1% 37,5% 33,3% Cooperativa - 5,0% 2,8% Outras Associações* 43,8% 45,0% 44,4% Não participa de Associações 21,9% 12,5% 16,7% Não respondeu 6,3% - 2,8% Total 100,0% 100,0% 100,0% Fonte: Compet Consultoria, Marketing, Pesquisas e Treinamentos, jan 2008. Anexo do Quadro 12 Grupo de Participante * Outras Atividades (Autônomos) Controle do Projeto Total
  • 18. ACOAR - Cacimba Nova 11,1% 2,5% 6,6% ACOCAG - 5,0% 2,6% ACOCAMA 11,1% 7,5% 9,2% ARCA - Associação Regional Comunitária dos Agricultores 2,8% - 1,3% ASSASF - Associação dos Agricultores de Santa Fé 2,8% - 1,3% Associação Comunitária dos Moradores da Fazenda Cruz - 2,5% 1,3% Associação de Caprinos e Ovinos do Município de Santa - 2,5% 1,3% Cruz Associação de Criadores de Caprinos - 2,5% 1,3% Associação do Gravatar - 2,5% 1,3% Associação dos Pequenos Criadores de Malhada Bonita 2,8% 2,5% 2,6% Associação dos Pequenos Produtores da Margem do Rio - 2,5% 1,3% Brígida Associação dos Pequenos Produtores da Fazenda Piranha 2,8% 10,0% 6,6% Associação dos Trabalhadores da Fazenda Caipora e 2,8% 17,5% 10,5% Vizinhas Associação dos Criadores de Caprino - 2,5% 1,3% Fetap - 2,5% 1,3% PA Nova Vida 5,6% - 2,6% Projeto Caatinga 2,8% - 1,3% Total 44,60% 62,50% 53,70% OBS: Os valores totais da tabela anexo não batem com os totais da categoria “Outras Atividades do quadro 6” devido a alguns entrevistados fazerem parte ao de associações e sindicatos ao mesmo tempo (Grupo de Controle 0,8%, Participantes do Projeto 17,5% e Total 9,3%).
  • 19. 4. Conclusão O projeto “A caprino-ovinocultura como fator de desenvolvimento socioeconômico da Microrregião de Araripina – GEOR”, idealizado pelo SEBRAE, está fundamentado nas hipóteses levantadas no início do trabalho que visa verificar se evolução deverá ser, no geral, positiva e se o desempenho médio das empresas apoiadas pelo SEBRAE-PE será significativamente melhor do que o daquelas que fazem parte do grupo de controle. Com base nessas hipóteses concluímos que: • Houve queda do faturamento médio com comercialização de animais vivos nas empresas participantes do projeto e crescimento na média das empresas do grupo de controle. Ocorrendo o mesmo com os indicadores que medem o volume de carne caprina e ovina comercializadas em matadouros municipais com inspeção sanitária; • A taxa de mortalidade aumentou em ambos os grupos de empresas estudas, porém existe a possibilidade da meta ser atingida até 2007; • As empresas participantes do projeto superaram a meta que visa ampliar de 25 a 90 animais abatidos no abatedouro de Paramirim até 2007; • Houve queda também no peso médio dos animais entre 6 e 12 meses de vida, tanto nas empresas do grupo de controle, quanto nas empresas vinculadas ao projeto; • Até a presente pesquisa não houve 6 grupos comercializando em conjunto. A maioria das empresas não comercializa em grupo, mas com base no que foi observado esse indicador evoluiu, embora esteja distante de atingir a meta; • A maioria das empresas não realiza controle zootécnico e apesar do indicador do ano de 2006 ter superado o dos anos anteriores, apenas 11 realizaram esse tipo de controle.

×